Jily - How I met you escrita por ChrisGranger


Capítulo 3
O Chapéu Seletor


Notas iniciais do capítulo

Pessoal muito obrigada pelo apoio que vocês estão me dando! Me emocionei muito vendo seus comentários no último capítulo e fiz muito esforço para terminar este logo! Espero que gostem e deixem mais reviews! Fico extremamente feliz de saber a opinião de vocês!



Lílian corria pelo corredor do trem chorando, não vendo muita coisa à sua frente por conta das lágrimas. A menina só queria ir para algum lugar e ficar sozinha, mais que nunca sentia falta de seus pais. Como Severo pudera dizer aquilo? Ele deveria apoia-la e não jogar a culpa na sua cara.

Lílian ouviu vozes à sua frente mas continuava a olhar para o chão.

– Obrigado. Ah, também vou querer as tortinhas de abóbora, essas são as melhores Sirius! - a garota ouviu uma voz tranquila e divertida.

Ela continuou andando até que bateu com alguém, o dono da voz que ela ouvira.

– Desculpe... - murmurou ela baixinho.

– Tudo bem! Ei, você está sozinha? Pode ficar na nossa cabine se quiser!

Lílian levantou o rosto devagar e viu um garoto, provavelmente da mesma idade que ela. Este usava óculos e era moreno. Tinha olhos castanhos esverdeados e um sorriso maroto.

– Você está bem? - perguntou o menino preocupado, percebendo seus olhos vermelhos e inchados.

– Eu, eu... - Lílian soluçou e caiu completamente no choro, as lágrimas que estava segurando começaram a cair sem a garota ter tempo de controlá-las.

O garoto se sentiu mal de ver a garota até então desconhecida, tão chateada. Ficou admirado com a beleza dela, com seus olhos extremamente verde e de seus cabelos castanhos avermelhados.

– Calma... ei, o quê houve? - perguntou o menino desesperado, dando tapinhas nas costas de Lílian.

Esta, não conseguindo se controlar tamanha tristeza, abraçou o garoto, que ficou encabulado e vermelho.

– Qual o seu nome? - perguntou o garoto, ainda a abraçando.

– Lílian. Lílian Evans. - a garota aos poucos foi se acalmando, sentindo o abraço do garoto - E o seu?

– Tiago Potter. - disse o menino calmamente, com um sorrisinho - O que houve? - tornou a perguntar.

Mas antes que a garota pudesse responder, um garoto com cabelos negros e oleosos, pálido, veio correndo, parecendo furioso ao encontro dos dois que ainda estavam abraçados.

– Lily, onde você estava? - perguntou Severo, olhando com desprezo para Tiago - E quem é ele?

Lílian se desvencilhou de Tiago, mas não respondeu nada ao garoto.

– Lílian quem é ele? Por que estavam abraçados? - perguntou Severo, com mais urgência.

Tiago estava começando a perder a paciência com o garoto.

– Não te interessa! - respondeu Tiago olhando para o menino pálido. - Foi ele que te magoou Lílian?

A menina deu um soluço fraco e secou as últimas lágrimas de seu rosto.

– O que você quer, Severo? Já não foi suficiente ter me lembrado, mais uma vez que eu li sim, a carta da minha irmã e que, de acordo com você eu não sou sincera e nem honesta?

– Eu não disse isso... - disse Severo desesperado dando um passo em direção a Lílian que recuou. - Eu não estava pensando direito, é que eu quero muito que você vá para a Sonserina...

– Sonserina? - perguntou Tiago se manifestando, com puro desprezo em sua voz. - Ela nunca vai para a Sonserina, ao contrário de gente como você!

– E para que casa gente idiota como você iria? - perguntou Severo, trincando os dentes olhando para Tiago.

– Uma casa que não suporta pessoas como você! Grifinória! - disse Tiago orgulhoso.

Severo deu um sorrisinho debochado.

– Eu já devia saber... Godric Gryffindor valorizava muito mais o músculo do que a mente! O que é patético! - disse ele.

– Patético é você! Se gosta tanto da sua mente, corra logo para aqueles amadores de sangue-puro!

Lílian olhou para Severo desconcertada.

– Amadores de sangue-puro? - perguntou Lílian mais alto com raiva, chamando atenção de algumas pessoas que abriram as portas de suas cabines e cochichavam curiosas.

Severo olhou para a menina e parecia cada vez mais desesperado.

– Acho que eu esqueci de lhe dizer isso... mas... não tem problema...

– Há! Não tem problema? - quem falou foi Sirius Black que saiu da mesma cabine que a de Tiago e se postou ao lado deste. - Sonserina nunca aceitaria uma pessoa nascida trouxa!

Tiago, Sirius e Severo olharam para Lílian, assim como todas as pessoas à sua volta cochichando.

A menina por sua vez, suspirou pausadamente. Ela olhou para cima, encarando à todos e saiu andando sem hesitar.

As pessoas ainda conseguiram ouvir Severo chamando baixinho.

– Lílian... - dizia o menino, porém esta já estava longe.

–------------------------------------------------------------------------------------------

Tiago encarava furioso Severo, porém este, parecia ter perdido toda sua coragem.

Severo Snape logo levantou o rosto para Tiago, e os dois perceberam que nunca se dariam bem. Severo então, desviou o olhar deu meia- volta e foi embora.

– Até mais, Seboso! - gritou Sirius, ainda do lado de Tiago.

Os dois meninos, também entraram de volta na cabine com os doces, que deixaram de lado.

– O que houve Tiago? - perguntou Sirius que observava o amigo pensativo.

– Aquela garota é... diferente. - disse Tiago olhando pela janela distante.

–------------------------------------------------------------------------------------------

– Alunos do primeiro ano! Alunos do primeiro ano por aqui! - Tiago e Sirius assim como a maioria dos alunos, admiravam assustados o enorme homem à sua frente, que sorria radiante.

– Uau! O cara é um gigante! - sussurrou Tiago para Sirius.

– Olá! - disse mais uma vez o homem sorrindo. Tinha uma grande barba negra e olhos escuros acolhedores. - Meu nome é Rúbeo Hagrid. Sou o guarda caça de Hogwarts! Bem - vindos! Sigam-me!

Hagrid os levou por um caminho deserto íngreme e estreito contornando a plataforma. Já anoitecia e o céu estava estrelado. Ao dobrarem uma curva, Tiago pôde ver abismado e emocionado um enorme lago que se estendia até um gigantesco castelo. Neste haviam várias torres e torrinhas iluminadas.

Os alunos do primeiro ano admiravam o castelo e exclamavam excitados. Hagrid os levou para a margem do rio onde agora se encontravam vários barcos boiando na água.

– Formem grupos de quatro. Entrem nos barcos com cuidado e esperem até todo estarem prontos! Entenderam? - perguntou Hagrid animado.

Enquanto os alunos se acomodavam hesitantes nos barcos, Tiago procurava desesperadamente por meio dos alunos...

– O que foi Tiago? Vamos, entre no barco! - exclamou Sirius.

Tiago, despertando de seus devaneios, entrou rapidamente no barco, no qual já se encontravam Sirius e mais duas garotas que riam e cochichavam olhando para este.

– Ela não está em nenhum lugar! - sibilou Tiago para Sirius.

– Quem? - perguntou Sirius confuso.

– Lílian! A garota do trem! - sibilou Tiago novamente.

– Ahhh! - Sirius fez cara de provocação se divertindo. - Gostou dela, hein?

– Cala a Boca! - respondeu Tiago.

Sirius deu um sorrisinho de lado.

– Bem, com o seboso é que ela não está! - sobre o olhar questionador de Tiago, Sirius apontou para Severo Snape que estava sentado em um dos barcos com alguns garotos.

O menino pálido, olhava para os lados disfarçadamente e encontrou o olhar de Tiago. Os olhos dos dois garotos demonstravam raiva ao se olharem.

Tiago desviou o olhar quando ouviu Hagrid gritar para os alunos, este se acomodou sozinho em um barco, que parecia extremamente pequeno diante do homem.

– Prontos? Vamos, então! - gritou Hagrid e os barcos começaram a deslizar sobre as águas do grande lago se afastando da beira.

– Espere! - gritou Tiago, mas pareceu não ter sido ouvido por Hagrid que cantarolava distraidamente.

Tiago abaixou a cabeça olhando para o lago, e pode ouvir as garotas que cochichavam e riam no mesmo barco que o deles conversando.

– Ah sim...aquela garota...estranha não é?

– Eu não acho que ela seja uma bruxa, bem... ela também nasceu trouxa!

Mais risadinhas. Tiago reparou que uma delas, tinha um longo cabelo loiro e olhos azuis. A outra tinha cabelos castanhos escuros e era morena.

– Você viu para onde ela foi? Depois da...briga?

– Estão dizendo que ela foi para a cabine de um garoto estranho...bem, pelo que entendemos ela é estranha!

A menina de cabelos loiros e olhos azuis reparou que estava sendo observada e levantou seu olhar para Tiago.

– Olá! - disse a garota olhando para Tiago com curiosidade. - Sou Jane Gray e esta é minha amiga Heloisa Rowl.

– Oi - disse Tiago. - Me chamo Tiago Potter e este é...

– Sirius Black! - completou Sirius dando um sorrisinho para as garotas.

Heloisa sorriu bobamente para Sirius.

– Então... vocês ouviram aquela história da garota sangue-ruim? - perguntou Jane com os olhos brilhando de malícia.

Tiago olhou para a menina desconcertado e assustado. Heloisa deu risadinhas e olhou para os lados.

– Que história? - perguntou Sirius calmamente.

Jane deu um sorrisinho malicioso e abanou o rosto.

– Ah...vocês sabem! - disse Jane fazendo biquinho. - Todos os alunos estão sabendo! Bom, de qualquer jeito, vou contar à vocês. Uma garota do primeiro ano, como nós, arranjou uma baita discussão entre dois garotos! As pessoas que viram, disseram que os dois estavam apaixonados por essa garota. Sabem que ela é uma sangue-ruim e, sinceramente não sei como esses dois conseguem gostar deste tipo de gente! Com tantas outras garotas, bruxas de verdade! - terminou Jane parecendo chateada e mexendo em seus longos cabelos loiros.

Tiago e Sirius se entreolharam chocados. Como tanta gente sabia? Heloisa tomou a palavra da amiga.

– Só é uma pena que ninguém saiba quem são os dois meninos! Pois a garota, se chama Lílian Evans, pelo que as pessoas entenderam. - disse Helena fazendo uma careta.

Jane deu uma gargalhada, abanando novamente o rosto. Tiago e Sirius não conseguiam dizer nada, diante da garota eufórica.

– Fala sério?! Lílian Evans? Que tipo de nome é esse? - perguntou Jane enojada.

Tiago, finalmente se recompôs e encarou a garota furioso.

– Qual o seu problema com ela? Ou melhor, qual o seu problema com nascidos-trouxa? - perguntou Tiago.

Jane ficou desconcertada pela primeira vez na noite. Heloisa olhou de esguelha para a amiga, parecendo achar graça da situação. Jane, então, se recompôs e olhou para Tiago.

– Eu...não acho certo - disse a garota. - Não são bruxos de verdade! Convivem com...trouxas! Os sangues-ruins não conhecem nosso...mundo! - terminou Jane cruzando os braços.

Tiago abriu a boca para responder, mas Sirius o cutucou e apontou para o castelo. Este, já estava muito próximo. Os barcos, então, foram de encostando na beira do lago e os alunos começaram a descer.

– Todos os alunos, mantenham - se juntos! - gritou Hagrid levantando-se com alguma dificuldade de seu barco.

Tiago e Sirius deram um último olhar repreensor para Jane e Helena e se levantaram, seguindo Hagrid.

Os alunos mais uma vez, se amontoavam em volta de Hagrid, conversando nervosas. Eles atravessaram um caminho de pedras, passando pelos jardins da escola e se viram diante de degraus de mármore, e em volta destes, dois javalis esculpidos também em mármore. No alto das escadas, se encontrava uma mulher, com vestes verdes escuras e um chapéu negro. Tinha um olhar severo e rígido.

– Obrigada Hagrid, pode deixá-los comigo agora. - disse a mulher.

– Professora McGonagall! - respondeu Hagrid dando um tchauzinho para os alunos e entrando no castelo.

– Muito bem. - disse a professora encarando os alunos curiosos e os levando à entrada do castelo onde permaneceram esperando diante de portas douradas de mármore. Tiago e Sirius observavam tudo à sua volta admirados e maravilhados. - Muitos de vocês devem saber que aqui, em Hogwarts, existem casas. Enquanto estudarem aqui, suas casas serão suas famílias, vocês poderão passar seu tempo livre nos salões comunais de suas casas e com seus amigos. Quando já determinadas suas casas, durante o ano letivo, vocês podem ganhar pontos, ou perder, de acordo com seus atos. No final do ano, ocorrerá a Taça das Casas, a casa com maior número de pontos, ganhará esta imensa honra. As casas são: Grifinória, Lufa-Lufa, Corvinal e Sonserina. - a professora encarou à todos. - Entenderam? - murmúrios afirmativos percorreram o salão. - Muito bem, esperem-me aqui. A Seleção de suas futuras casas ocorrerá daqui a alguns minutos.

A professora subiu algumas escadas laterais e desapareceu de vista. Os alunos continuaram a conversar, cada um mais nervoso que o outro, esperando.

"Eu tenho que ir para a Sonserina." dizia um garoto com olhos frios e cabelos castanhos.

"Sim, todos da minha família foram da Lufa-Lufa" dizia uma menina com cabelos escuros e olhos claros "Meu irmão mais velho é de lá, sabe."

– Cara, pra que ficar tão nervoso? - perguntou Sirius sorrindo. - É só encostar e...relaxar! - Sirius encostou-se na parede e parecia despreocupado.

"Será que o senhor poderia fazer o favor de sair da minha frente?" ouviu-se uma voz abafada e Tiago olhou para Sirius com um olhar questionador, Sirius por sua vez, se desequilibrou de susto e caiu no chão.

Risadas ecoaram por todo o salão e Tiago e Sirius olharam assustados na direção que ouviram a voz. Onde Sirius estava encostado, havia um quadro de um homem rabugento com uma escova de dentes numa das mãos e uma touca na cabeça, parecia pronto para tomar um banho.

"Agradecido!" disse o homem, olhando rabugento para Sirius, que ainda se encontrava no chão.

Tiago dava gargalhadas enquanto ajudava seu amigo a se levantar.

– O que está acontecendo aqui? - perguntou a professora McGonagall que acabara de voltar, olhando desconfiada para todos.

– Nada professora! - respondeu um Sirius vermelho.

A professora encarou desconfiada Sirius.

– Vamos, então. - disse ela finalmente.

As portas de entrada se abriram então, revelando um grande salão. Neste, se encontravam quatro mesas, representando as quatro casas, já apinhadas de alunos. Era um espaço bem amplo e bem iluminado, Tiago reparou que em frente cada aluno nas mesas, haviam pratos e taças de ouro, ainda intocáveis. Havia também, uma quinta mesa, onde os professores se encontravam, sorridentes, de frente para as quatro mesas. Tiago observou com admiração o diretor, Alvo Dumbledore. Um homem magro e alto, com longos cabelos e barba já clareando, graças à idade. O diretor usava óclinhos de meia-lua e um chapéu de estrelas arroxeado.

Enquanto a professora McGonagall guiava os alunos para a frente das mesas dos professores, Tiago ainda olhava tudo com grande curiosidade. O teto do salão devia ser encantado, pensou Tiago, pois mostrava o céu lá fora, já bem escuro e estrelado e várias velas pendiam no teto por magia, pois flutuavam iluminando tudo à sua volta.

– Olha lá Tiago! Sua amiga já está aqui! - exclamou Sirius apontando para o fundo onde Lílian Evans se encontrava ao lado e um garoto com cabelos e olhos castanhos. Os dois conversavam, parecendo felizes. Tiago encarou a garota por alguns instantes, mas logo desviou os olhos para a professora que já voltara a falar.

– Fiquem aqui, isto. - eles estavam diante da mesa dos professores e encaravam curiosos o banquinho de três pernas na frente deles. A professora McGonagall pousou neste, um velho e encardido chapéu. Todos os alunos de todo o salão, na mesma hora se silenciaram, demonstrando respeito e esperando. E para a surpresa de muitos primeiro-anistas o chapéu começara a cantar.

Muitos de vocês devem saber,

quem sou eu, e assim espero,

pois agora vou contar,

o que faço e o que sou.

Sou o Chapéu Seletor,

um objeto antigo, assim digamos,

sim podemos dizer,

que já tenho alguns anos.

Seleciono vocês alunos,

para qual casa pertencerão.

Acredite eu não me engano,

então não tenham medo,

e enfrentem este antigo chapéu.

Quem sabe vocês são, nobres e corajosos,

com um coração bom,

assim como do tão conhecido,

Godric Gryffindor?

Ou quem sabe como a gentil e sincera,

Helga Hufflepuff, para honrar aqueles

de boa educação?

Também podem entre estes alunos,

existir, mentes brilhantes que não há limites

como nossa querida um dia foi,

Ruina Ravenclaw?

Ou quem sabe, os de muita ambição

e desejo como Slazar Slytherin um dia foi?

Pois então veremos, e juro diante de vocês,

que este chapéu fará, o melhor que ele pode,

ou então não me chamares de Chapéu Seletor!

O Salão irrompeu em aplausos, enquanto o Chapéu Seletor agradecia. A Professora McGonagall tomou então a palavra, quando os alunos se silenciaram.

– Quando eu chamar seus nomes, vocês virão aqui na frente e deixarão o Chapéu Seletor decidir de que casa pertencerão.

Os alunos sussurraram nervosos e se entreolharam.

– Belle Farah! - uma menina com cabelos escuros e olhos azuis, cor do mar, seguiu em direção ao Chapéu, o pondo na cabeça. Depois de algum tempo, o Chapéu anunciou "Grifinória!"

Belle saiu correndo feliz, para a mesa que a aplaudia e a cumprimentava.

– Bruds Blues!

– Lufa-Lufa!

– Mandel Bexter!

– Corvinal!

Tiago ficava cada vez mais nervoso, à medida que os alunos, iam sendo chamados. O Chapéu, Tiago reparou, se demorava mais em alguns alunos do que em outros.

– Gill Flowre! - uma menina com cabelos escuros e mechas rosas se adiantou.

– Sonserina!

– Jane Gray! - a menina de cabelos loiros e olhos azuis que se sentara no mesmo barco de Tiago e de Sirius, se empinou e praticamente desfilou até o Chapéu Seletor, atraindo olhares de alguns garotos. Tiago e Sirius reviraram os olhos. O Chapéu Seletor murmurou algumas palavras mas logo se decidiu. "Grifinória!"

Tiago e Sirius se entreolharam, incrédulos, enquanto a garota se dirigia à mesa da esquerda que a aplaudia.

– Não acredito que essa garota foi para a Grifinória! - exclamou Sirius abismado.

– Lucius Malfoy! - um garoto com um ar ranzinza, com cabelos loiros e olhos azuis colocou o Chapéu em sua cabeça, que mal o tocou e exclamou "Sonserina!"

– Anabel Lovegood! - uma menininha baixinha com olhos cor do céu e cabelos loiros se adiantou feliz, saltitando até o Chapéu. "Corvinal!"

– Remus Lupin. - o garoto que conversava com Lílian, pareceu hesitar mas Lílian sussurrou em seu ouvido e sorriu para o menino. Ele foi até o Chapéu e esperou. "Grifinória!" anunciou este.

– Pedro Pettigrew! - um garoto baixinho que estava atrás de Sirius e de Tiago tropeçou, fazendo o Salão irromper em risadas, enquanto ele corria rapidamente em direção ao Chapéu, este demorou um tempo para decidir, mas enfim anunciou "Grifinória!"

– Quando vai chegar nossa vez? - sibilou Tiago nervoso para Sirius. - Que demora!

Sirius deu de ombros, enquanto uma aluna (Amanda Papoullos) era selecionada para Sonserina.

– Frederick McLaggen!

– Lufa-Lufa!

– Lena Still! - uma garota com cabelos cacheados claros que usava óculos se adiantou.

– Lufa- Lufa!

– Sirius Black! - Tiago olhou para Sirius, que parecia tranquilo e feliz e este se encaminhou para o Chapéu, atraindo como Jane, alguns olhares, porém desta vez de garotas. Muitas pessoas pareciam tensas, a família Black era bastante conhecida, e muitos sonserinos assentiam esperando que o garoto fosse para esta casa. Porém, o Chapéu rapidamente se decidiu, e sua decisão era bem diferente do que todos imaginavam. "Grifinória!"

Todos no salão olharam incrédulos Sirius Black, que sorria radiante e se encaminhava para a mesa da Grifinória. Tiago fez um sinal positivo para o garoto aplaudindo. Logo todos na mesa da Grifinória o cumprimentavam sorrindo.

– Jennifer Lawcrew!

– Corvinal!

E finalmente...

– Tiago Potter! - todos no salão ficaram em silêncio. A família Potter também era bastante conhecida, principalmente graças a Charlus, que era auror e já capturara tantos praticantes de Artes das Trevas. Tiago olhou para o Chapéu deu um sorriso maroto, lembrando-se do pai e se aproximou. Ele, não viu nada quando o chapéu cobriu seus olhos e tomou um susto, quando este começou a falar em sua mente.

"Muito bem... sim, você tem um grande talento e é determinado...tem um ótimo coração, muito bondoso... é bastante corajoso, vontade de viver aventuras! Porém tem um grande desejo de atenção, isto pode prejudica-lo... bem, já me decidi!"

"Grifinória!" anunciou o Chapéu a todos. A mesa da esquerda irrompeu em aplausos. Algumas mesas olhavam para Tiago com inveja. Tiago não se cabia em si de tanta alegria, ele sorria e acenava para todos que o olhavam, levando o Salão às gargalhadas. Foi correndo para a mesa da Grifinória, onde teve que cumprimentar bastante gente, dando um grande abraço em seu amigo, Sirius. Tiago se sentia diferente. Como se tudo pudesse dar certo. Se sentia como nunca, confiante e capaz de fazer o que ele desejasse.

–------------------------------------------------------------------------------------------

Lílian ao observar Tiago Potter, correndo até a mesa da Grifinória feliz, não conseguiu deixar de sorrir. Lembrou-se de como ele a ajudara mais cedo no trem, mas também se lembrou de sua briga com Tiago e Severo.

Depois de sair de perto de todas as pessoas curiosas que a olhavam, Lílian procurou uma cabine vazia, porém não teve sorte. Então, achou uma no final do trem, onde um garoto de cabelos e olhos castanhos estava sentado sozinho, olhando para a janela, parecendo meio triste. O coração de Lílian apertou ao ver um garoto tão sozinho, parecendo tão triste. Ela abriu devagar a porta da cabine do garoto, que se virou tomando um susto.

– Olá... - ela sussurrou dando um sorrisinho tímido. - posso me sentar aqui com você?

O menino parecia bastante assustado, e assentiu devagar.

– Obrigada... - disse Lílian ainda baixinho, sentando-se em frente ao garoto. - Sou Lílian Evans. Qual o seu nome?

– Remus Lupin. - disse o garoto hesitante. - Por que quis se sentar aqui comigo?

Lílian franziu as sobrancelhas, assustada com a pergunta do garoto.

– Bem... quis te conhecer. Você não parece muito feliz o que foi?

O menino parecia aturdido, mas deu um pequeno sorriso a Lílian.

– Eu? Você é que me pergunta? É você que está com os olhos inchados e vermelhos! - disse Remus reparando mais no rosto da garota. Ela tinha incríveis olhos verde esmeralda, pensou ele.

– Ah...isso não importa! - respondeu Lílian dando um sorriso. - Me conta você o que o está deixando tão para baixo.

Remus olhou para ela, e pela primeira vez ao dia se sentiu feliz. Ele deu mais um sorriso para ela.

– Vamos fazer um trato? - perguntou Remus e Lílian assentiu animada. - Que tal, conversarmos como se fôssemos amigos e esquecer do que está nos deixando tão triste? Podemos conhecer um ao outro e esquecer de tudo! Nos sentir...felizes!

– Concordo... - Lílian deu um sorriso tímido. - mas só com uma condição! Nós não vamos conversar como se fôssemos amigos. Pois nós já somos! Certo?

Remus nunca se sentira tão feliz. A garota que acabara de conhecer se mostrava tão simpática e tão gentil, como ninguém nunca fora com ele. Principalmente quando sabiam de seu segredo...

– Certo! - Remus sorriu e começou a conversar com Lílian, os dois muito felizes, conseguindo esquecer suas angústias. Os dois conversaram muito e gargalhavam diversas vezes contado histórias e pensando como seria Hogwarts.

Os dois foram um dos últimos a sair do trem, e se manteram afastados do restante do grupo de primeiro-anistas, sempre lá no fundo. Durante esse tempo que passaram juntos, os dois perceberam que seriam grandes amigos no futuro.

Quando a Professora McGonagall chamou Remus Lupin para o Chapéu Seletor selecioná-lo, Lílian sussurrou em seu ouvido "Seja feliz!"

– Severo Snape! - quando a professora chamou o nome de seu amigo, Lílian levantou o rosto, deixando os pensamentos de lado. O menino se dirigiu ao Chapéu Seletor nervoso. Lílian não estava mais tão chateada com Severo, na verdade até sentia um pouco de falta do amigo. Ela esperava que ele fosse para a casa que ele queria tanto ir. Logo, o Chapéu Seletor anunciou "Sonserina!" e o garoto foi para a mesa da direita feliz, diante dos aplausos.

– Está nervosa? - perguntou uma garota morena de cabelos escuros para Lílian.

– Um pouco... - respondeu ela. - E você?

– Sim... - disse ela sorrindo. - eu quero ir para a Grifinória, minha amiga já está lá. A propósito, meu nome é Heloisa Rowl. E o seu?

Mas bem neste momento, a professora McGonagall chamou o seu nome. Lílian reparou que Heloisa olhava para os lados curiosa, afim de saber quem era Lílian Evans. Quando Lílian olhou para os lados também, ela percebeu que todos no Salão procuravam entre os alunos do primeiro ano, para saber quem era a aluna que McGonagall chamara.

Lílian se adiantou devagar e todos a encararam abismados. Ela pôde ouvir algumas pessoas cochichando e apontando para ela.

"É ela! A garota do trem!"

"Cara, apesar de nascida-trouxa, ela é linda! Viu os olhos dela?"

"Ela ainda é uma sangue-ruim!"

Lílian sentou-se no banquinho e encarou a todos, que por sua vez a encaravam. Por que todos estavam tão curiosos? Heloisa estava com a boca aberta de espanto a encarando. Mas, então ela não viu mais nada, pois o chapéu cobriu seus olhos e ela pôde ouvir uma vozinha em sua mente.

"Ora, muito bom! Seu coração é muito puro...é muito bondosa...enxerga a beleza nos outros e não julga a ninguém...que raridade! é muito corajosa e...gosta de proteger a todos que ama! Quer ter êxito no que for fazer mas... sempre com pessoas que você ama! Muito bom, realmente muito bom! Já sei onde vou colocá-la!

Grifinória! - anunciou o Chapéu Seletor, se sentindo muito orgulhoso de sua decisão.



Notas finais do capítulo

Bom gente por hoje é tudo! Espero que tenham gostado do capítulo! Não esqueçam de deixar reviews para eu saber se vocês gostaram!!!!!! Logo posto o próximo capítulo prometo!!!!! Beijos!!!!!!