Jily - How I met you escrita por ChrisGranger


Capítulo 18
Garotos...


Notas iniciais do capítulo

Olá pessoal! Agradeço à todos os reviews que tenho recebido :) ! Aproveitem a leitura!!



Lílian arregalara os olhos, tentando entender o que Zac acabara de dizer. “Eu e Mia terminamos”. Parecia tão simples, mas ao mesmo tempo, tão complicado de se assimilar. E naquele momento, outro sentimento preenchia a garota: culpa.

– Vocês… terminaram? Foi minha culpa… - disse Lílian enterrando a cabeça na mesa.

– O quê? Claro que não, Lílian! Não foi culpa de ninguém… nós só queríamos coisas diferentes… - disse Zac, tentando fazer a garota olhar para ele.

Lílian deu um risinho sufocado.

– Essa é a frase menos original que você poderia dizer… - disse ela, levantando o rosto.

Zac riu, dando de ombros.

– Então… o que você está lendo? - perguntou ele, tentando espiar o título do livro nas mãos de Lílian.

– Ei, não fuja do assunto mocinho… - repreendeu ela.

– Não tem muito o que dizer… ela tinha raiva de qualquer garota que falava comigo, ela não confiava em mim - disse ele, parecendo aborrecido. - não tinha como funcionar assim…

Você terminou com ela? - disse Lílian, assustada.

Zac afirmou com a cabeça.

– Agora… o que você está lendo?

Lílian deu de ombros.

– É só um livro que a minha mãe me emprestou… não é do mundo mágico nem nada disso - disse ela, entregando a Zac. O garoto fitou o livro interessado.

– O caso dos dez negrinhos… Agatha Christie? - disse Zac, erguendo as sobrancelhas, curioso. - É bom?

– É ótimo! É um dos melhores livros que eu já li… minha mãe sempre me dá livros bons - disse Lílian, animada. - eu estou lendo esse pela segunda vez!

Zac riu da reação da amiga, depositando o livro em suas mãos novamente.

– Você quer ler? - perguntou ela, esperançosa.

– Sério? Quero dizer… você me emprestaria? - disse Zac, incrédulo.

A garota revirou os olhos, devolvendo o livro para ele.

– Claro, cabeça de abóbora… - disse Lílian, rindo.

– Cabeça de abóbora? De onde você tirou isso?

– Digamos que, ontem à noite eu vi muitas abóboras fazendo besteiras… - disse a garota, levantando-se. - e eu não estou falando das mesas!

Zac deu um risinho de lado e abriu o livro, interessado, enquanto a amiga saía pela porta da biblioteca, se sentindo estranhamente feliz.

***

– Ah, que dor de cabeça! - disse Sirius, apertando as têmporas, cansado.

– Para de reclamar… você pelo menos não foi completamente esquecido no baile pela Sing…

Sirius encarou a garota, levantando um pouco a cabeça do sofá.

– Não foi culpa do Tiago... a McGonagall nos deu duas semanas de detenção - replicou o garoto. - além disso, a Sing nunca teria esquecido de mim…

Abbey, jogou seu trabalho de transfiguração no garoto irritada.

– Garotos… - sibilou Abbey, revirando os olhos, contrariada.

Sirius riu, erguendo as sobrancelhas para Abbey.

– Calma, Hastins… é só ter paciência - disse Sirius, olhando para o trabalho da garota. - você não está muito bem em transfiguração, não é?

Abbey deu de ombros.

– É… eu sei - disse ela, suspirando.

– É, você é péssima, Hastins. - provocou o garoto. Abbey, arrancou o trabalho das mãos de Sirius, furiosamente.

– Cale a boca, Black…

– Quer ajuda? - perguntou ele, calmamente, encarando-a.

Abbey virou-se, olhando para ele.

– Por que? - perguntou ela, cruzando os braços.

– Ham… - começou Sirius, indicando o trabalho.

– Não! Por que você me ajudaria?

Sirius fez uma careta, levantando-se do sofá da sala comunal.

– Eu não sei… talvez porque não tenho mais nada para fazer ou porque quero me gabar - disse Sirius, dando um sorriso maroto. - ou talvez, porque eu sou seu amigo.

Abbey ergueu as sobrancelhas, desconfiada.

– Ok… - disse ela, erguendo os braços. - quando começamos?

– Qualquer dia… agora se me dá licença - disse Sirius, olhando uma das garotas do segundo ano passar. - eu tenho que fazer os meus trabalhos...

Abbey revirou os olhos, rindo enquanto o garoto saía da sala comunal.

– Ei, Ab! Você por acaso viu a Líly por aí? - disse Alice, aproximando-se da garota.

– Hum… acho que ela está na biblioteca - disse Abbey, dando uma piscadela para a garota. - ,mas… acho que eu vi o Zac passando por lá há pouco.

Alice esboçou um sorrisinho.

– Quer que eu fale para ela que você a estava procurando? - perguntou Abbey, fielmente.

– Ah… não, não precisa. Acho que eu só queria conversar com alguém - disse Alice, sentando-se no sofá em frente a lareira. - garotos, sabe?

Abbey riu, sentando-se ao seu lado.

– Bem… eu não sei se te entendo bem - começou Abbey, olhando para a amiga. - quero dizer, eu gosto de um garoto que eu nem sei se dá a mínima para mim.

– Na verdade, eu acho que você entende muito bem, Ab… - disse Alice, calmamente. - eu estou distante deles… do Caius e bem, do Frank.

– Oh, não… - disse Abbey, sem saber o que dizer.

– É, acho que eu estraguei tudo, não é? Eles são meus melhores amigos e… - Alice suspirou, magoada. - se eu pudesse fazer um desejo, eu escolheria que noite passada nunca tivesse acontecido.

– Hum… sabe eu acho que eu faria o mesmo desejo que o seu. - comentou Abbey, rindo. - Você deveria tentar, sabe? Falar com eles…

– O Frank foi me procurar ontem… e hoje. Mas eu não quis falar com ele - contou Alice. - é que… é muita coisa! Ontem eu falei tudo que eu sentia por ele, e como ele não corresponde…

– Como você sabe que ele não corresponde? - perguntou Abbey, num ímpeto.

Alice abriu a boca para falar, mas a fechou hesitando.

– Er… bom, ele já ficou com várias garotas e nunca pareceu me notar… - disse a garota, pensativa.

– Vai ver, foi você que não percebeu… e quem sabe, agora ele te nota? - apoiou Abbey, sorrindo.

Alice deu um sorrisinho fraco.

– É… quem sabe você está certa? - disse Alice, roendo uma das unhas, distraída.

– Eu não sei, quero dizer… a Líly é melhor em conselhos do que eu… - disse Abbey, rindo.

– Não, você se saiu muito bem Ab… obrigada! - disse Alice, agradecida, levantando-se. - Agora, eu acho que vou recuperar algumas amizades complicadas…

– Você vai se sair bem! - disse Abbey, piscando.

Alice sorriu, nervosa. O que ela faria agora? Iria até Frank e pediria que ele esquecesse tudo que aconteceu? No fundo, ela sabia muito bem que não teria como isso acontecer. Eles eram amigos desde sempre e essa revelação causara um grande impacto. Não era como se ela pudesse apagar tudo que acontecera. Eles teriam que conversar. Mesmo sabendo que isso poderia custar sua amizade, Alice deu um passo em direção ao quadro que levaria à saída do salão comunal. Ela estava pronta para falar com Frank.

***

– Ei, você… - disse Alice, cutucando Frank que estava inclinado sobre o livro de poções dormindo, na biblioteca.

– Hum? O quê? Ah… Lice! - disse ele levantando a cabeça, rapidamente.

Os dois se fitaram por longos instantes sem saber o que dizer um para o outro. Frank nunca se sentira mais envergonhado do que no dia do Halloween, quando Alice lhe contara o que sentia pelo garoto. E Alice, sabia que aquele não havia sido o melhor momento para lhe dar a notícia de que estava apaixonada pelo seu melhor amigo.

– Oi - disse ela, sentando-se à sua frente. - , como você está?

O garoto fizera uma careta, sem saber muito bem o que dizer.

– Não muito bem… sabe, acabei de ter uma briga com uma amiga muito importante…

Alice esboçou um sorrisinho fraco, suspirando.

– Eu… sinto muito, Frank - disse Alice, olhando nos olhos do garoto. - te coloquei numa situação péssima… acho que fiquei meio irritada, mas…

– Não, escuta Alice… eu é que te devo desculpas - disse o garoto, a interrompendo. - eu fui um ignorante com você durante todo esse tempo, um idiota.

Alice mordeu o lábio inferior, envergonhada. Era a primeira vez, desde que conhecera Frank que não fazia ideia do que dizer.

– Hum… podemos voltar ao que éramos antes? Amigos? Eu não estou te pedindo para esquecer o que eu disse mas… - disse Alice, nervosa.

– Não, Alice, depois do que você disse, eu percebi que talvez devêssemos tentar, eu não sei - disse Frank, segurando a mão dela. - se você estiver pronta para dar o primeiro passo… eu também darei.

Alice fitou as mãos dos amigos entrelaçadas e uma pergunta que não queria calar, surgiu em sua cabeça.

– Você estava falando sério ontem, quando disse que me considerava uma irmã? - perguntou ela, seriamente.

Frank não dissera nada por alguns segundos, olhando para baixo vermelho.

– Sim - disse ele, relutante. - ,mas antes de você me dizer tudo aquilo e…

Alice puxou sua mão da dele levemente, sorrindo agradavelmente, apesar de no fundo, sentir seu coração quebrar em mil pedaços, lentamente.

– Frank, vamos ser amigos… é a melhor solução - disse ela, sentindo um nó na garganta. - vamos só, voltar a ser como antes…

Frank a encarou, parecendo magoado.

– Você tem certeza? - perguntou ele, a olhando nos olhos.

Alice afirmou, vagarosamente.

– O jogo contra a Sonserina está chegando… temos que nos preparar! - disse ela, tentando parecer animada. - Vamos chamar o time e treinar um pouco… capitão!

Frank deu um sorrisinho amarelo, levantando-se.

– Certo… vamos então! - disse ele, dando um empurrãozinho de leve na garota.

Os dois riram, aparentemente alegres, apesar de no fundo, se sentirem infelizes, como nunca estiveram na vida.

***

– Certo… eu admito que quase ri - disse Lílian, para os colegas. - , mas somente porque a Mia estava toda suja! Mas, vocês dois tinham que me incluir nisso tudo, não é?

Eles estavam na sala comunal na noite após o Halloween.Tiago levantou as mãos, com um sorrisinho maroto.

– Ei, não é nossa culpa que você estava bem do lado da garota! - defendeu-se Tiago.

– É, sua culpa, Evans… - acusou Sirius, com um sorrisinho.

A garota cruzou os braços, contrariada e encarou as amigas.

– Eu acho, que o Tiago devia se desculpar - disse Abbey, encarando-o fervorosamente. - comigo!

Os garotos olharam para o amigo, com caretas.

– Vai lá, Tiago… a Abbey merece. - disse Sirius, gargalhando.

– Cale a boca, Black! - exclamou Abbey, revirando os olhos.

Foi a vez de Tiago gargalhar da vermelhidão do rosto de Sirius.

– Certo… er… me desculpe por ser tão demais e ter ajudado sua amiga, quando ela precisava… - disse Tiago, dando um sorrisinho maroto.

– Não, eu não precisava! - protestou Lílian.

– Ah, qual é, Potter… você a deixou sozinha no baile. - disse Alice, severamente.

– Mas… foi demais! Voou titica de coruja e lixo para todo lado! - exclamou Frank, olhando para os garotos. - Quantas semanas de detenção?

– Duas… - respondeu Tiago, desanimado. - limpar algumas salas, acho.

– Bem feito! - disseram Lílian, Abbey, Bellle e Alice, em coro.

– Ei! Nós fomos gênios, ok? - disse Sirus, estudando o peito.

– Eu fiquei desapontado com uma coisa… - disse Remus, fazendo com que todos os olhares se voltassem para ele. - quase ninguém reparou na minha fantasia demais!

– É, verdade! - reclamou Pedro, concordando com o amigo. - Sabe, poucas pessoas morrem comendo!

– A minha história é a melhor! - gabou-se Sirius. - Eu estava numa missão superse…

– Não, a sua é um lixo - provocou Tiago. - Já a minha…

– Vocês são tão estúpidos! - disse Remus, balançando a cabeça. - Porque a minha história, que deu início à todas, é a mais genial…

– Remus, você não está entendendo a lógica! Um copo! É incrível… um copo de vidro me matou… - disse Tiago, rindo convencido.

– Ah… eu preferia que jogassem mais titica em mim do que ter que ouvir esses garotos… - disse Lílian, rindo.

Todos se silenciaram de repente e Tiago e Sirius se encararam marotamente. Tiago esboçou um sorrisinho, puxando a varinha de seu bolso rapidamente, assim como o amigo.

– Oh… não… eu só estava brincan… - disse Lílian, desesperadamente, sentindo num ímpeto, uma onda de lixo cair em cima dela e das amigas.

Lílian, virou-se para Tiago e Sirius, furiosamente.

– POTTER! BLACK! - gritou ela, levantando-se de seu lugar, ao mesmo tempo que os garotos. Lílian perseguira Tiago e Sirius pela sala comunal por meia hora, acompanhada de Abbey, Belle e Alice, enquanto os garotos gargalhavam e se divertiam com a cena.

As coisas pareciam bem e tranquilas e os amigos se sentiam do mesmo jeito. Mal eles sabiam, o quanto as coisas mudariam e um novo mistério surgiria, abruptamente.



Notas finais do capítulo

E aí? Gostaram? Beijinhos!