Jily - How I met you escrita por ChrisGranger


Capítulo 14
Sentimento que não se define


Notas iniciais do capítulo

Olá pessoal! Aproveitem a leitura!



– Está ótimo, mamãe… - disse Tiago, passando a mão em seus cabelos, cansado. - Você já pediu para eu experimentar uns 300 trajes - a - rigor! Afinal o quê isso tem a ver com Halloween? Eu não deveria ir com uma fantasia?

Eles estavam numa das lojas do Beco Diagonal comprando a “fantasia” de Tiago. Este encarava a mãe, enquanto ela explicava à dona da loja qual era o tamanho certo de Tiago.

– Ah, querido você pode fingir que é um vampiro, os trajes são pretos. É só fazer um feitiço para seus dentes afiarem e alongarem! - disse a mãe, num gesto displicente.

Tiago erguera as sobrancelhas indignado, mas não disse nada. Mais tarde, depois de terem finalmente escolhido alguma coisa que agradasse tanto Tiago quanto Dorea, os dois foram para casa, onde Charlus esperava.

Seu pai, logo quisera saber tudo sobre Hogwarts, principalmente as aulas de voo e, perguntara como fora usar a Capa de Invisibilidade em Hogwarts.

– Logo na segunda noite, eu e meu amigo Sirius andamos pelo castelo todo com a capa! Você precisava ver quando o Pirraça ficou morrendo de medo de nós quando passamos, sussurrando coisas para assustá-lo! - contou Tiago para o pai, animado enquanto a família Potter jantava.

Charlus riu, enquanto a mãe repreendia o filho.

– Você não deveria ficar passeando pelo castelo tarde assim! Poderia ter sido pego, mocinho…

– Mas eu não fui! - disse Tiago com um sorriso maroto. - O Filch nos ouviu e começou a gritar enquanto eu e Sirius corríamos para o salão comunal…

– Esse é meu garoto! - elogiava o pai, rindo.

– Ainda acho isso muito errado, Tiago... - disse a mãe.

– Deixe o garoto se divertir, Dorea! - disse o pai, segurando a mão de sua mulher.

Tiago fez uma cara inocente para a mãe. Depois de um tempo, porém, Tiago se surpreendeu com Dorea.

– Filch correu muito? - perguntou a mãe, entre risos.

Charlus riu também e Tiago encarava os dois confusos, enquanto estes davam gargalhadas.

– O quê foi? - perguntou Tiago.

– Sua mãe e eu… - tentava dizer Charlus - quando namorávamos, nós… saíamos da Torre da Grifinória e passeávamos pelo castelo enquanto tentávamos assustar Filch. Ele saía correndo, gritando pelo castelo, apavorado.

Tiago riu, envergonhado.

– Mas não é porquê fazíamos isso que você também deve fazer, mocinho! - disse a mãe, encarando Tiago desconfiada.

– Por que eu faria isso mamãe? Eu sou um anjinho! - disse Tiago, fazendo mais uma carinha inocente.

Sua família era realmente surpreendente.

–---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

– Ei! Sev! Vamos dividir uma cabine? - Lílian fora correndo ao encontro do amigo, que estava no corredor do trem com dois meninos da Sonserina, que fizeram caretas quando Lílian se aproximou.

Severo abaixou o rosto e encarou o chão, por um instante.

– Amm… Líly hoje não vai dar… eu vou sentar com eles e… - disse Severo, baixinho.

– Ahh… ok. Eu vou procurar as meninas, então… - disse Lílian, virando-se e se afastando, porém sem antes ouvir…

“Como você pode ser amigo de uma sangue-ruim?”

“Afinal você é Sonserino ou não?”

Lílian suspirara e puxara sua bagagem de mão pelo corredor, procurando Abbey e Belle. Talvez elas pudessem animá-la um pouco. Como a garota encarava o chão, ela sem querer, batera em alguém.

– Desculpe… - murmurou rapidamente, levantando a cabeça. - Potter...

– Ei, ruivinha! - disse ele dando um sorrisinho. - Senti saudades…

– Ah, é mesmo? - perguntou Lílian, continuando a andar pelo corredor. Tiago a seguiu.

– Sabe, para que esses livros que você está carregando? Não me diga que irá estudar no trem? - perguntou Tiago, puxando um dos livros das mãos de Lílian.

– Me devolve, Potter! - disse Lílian tentando recuperar o livro, mas o garoto segurou-o no alto para que Lílian não alcançasse.

– Livro de Feitiços… - disse Sirius, saindo de sua cabine e aparecendo ao lado de Tiago, lendo o nome do livro na mão do amigo - Vai estudar no trem, foguinho?

Lílian ficara vermelha de raiva e tentara alcançar o livro novamente.

– Eu só vou devolver o livro se você ficar na nossa cabine… - disse Tiago, rindo.

– Então pode ficar com ele, Potter! - disse Lílian furiosa, batendo o pé pelo corredor.

– Tchau meu amor! - disse Tiago, ainda rindo.

Não me chame de “meu amor” Potter! - gritou Lílian, encontrando uma cabine vazia. Pelo jeito, ela teria que esperar Abbey e Belle.

A garota desabara numa das poltronas, ainda com raiva, abrindo o livro de História da Magia.

– Sim, Potter, eu vou estudar no trem! - murmurou ela com raiva, para si mesma.

***

Remus pegara no bolso de sua calça um pequeno frasco, contendo um líquido verde-escuro e examinando-o atentamente.

– Essa é a poção? Que você tem que tomar? - perguntou Tiago, observando o amigo.

Remus afirmou.

– Não é muito atraente, não é? - disse Sirius, dando uma risada.

Remus revirou os olhos.

– Pelo menos, essas cri… quero dizer, essa doença de dragão vai melhorar… hãm… um pouco. Quer dizer, foi o que o médico disse… ser um lo… hãm, quero dizer pegar essa doença é… bastante grave - disse Remus, engolindo em seco se sentindo ficar vermelho.

– Você percebeu… - começou Tiago.

– Ah… percebi… - disse Sirius.

– É muito…

– Estranho…

– Mas ele está assim…

– Sempre que ele fala sobre isso…

– O QUÊ VOCÊS DOIS ESTÃO FALANDO? - gritou Remus encarando Tiago e Sirius, confuso, assim como Pedro.

– Por quê você fica tão nervoso quando falamos sobre essa… hum… coisa de dragão? - perguntou Sirius, cruzando os braços.

– Começa a gaguejar… - disse Tiago.

– Fica vermelho… - continuou Sirius.

– E você sempre… hãm… sempre… esqueci a palavra… - disse Pedro, encarando Remus confuso.

– Hesita! - disse Sirius, balançando a cabeça para Pedro. - É isso que você queria dizer?

Pedro afirmou, fazendo os outros rirem, com exceção de Remus que parecia mais nervoso do que nunca.

– Escuta, Remus… eu sei que o médico disse para que nós te ajudássemos a não ficar nervoso - disse Tiago - Mas se você tiver alguma coisa para falar para nós…

– Fale… - disse Sirius - somos seus amigos, apesar de vocês às vezes serem meio burros, eu até que acho vocês legais…

Os meninos deram risadas e Remus se sentia mais leve, mais feliz. Apesar dos amigos não saberem a verdade sobre a licantropia, Remus sabia que poderia contar com eles. O que o garoto mais tinha medo era quê os amigos descobrissem o que ele era de verdade e assim perderia a amizade que Remus sempre sonhara em ter. Lobisomem, ou não, tudo o quê ele queria era ter amigos.

O garoto pegara um livro e começara a ler, enquanto Tiago e Sirius conversavam sobre quadribol e Pedro comia alguns doces. Depois de um tempo, Tiago começara a analisar o livro de Lílian, girando-o em suas mãos.

– Coitada da Lílian, você não deveria ter feito aquilo Tiago… - disse Remus, apesar de esboçar um pequeno sorriso no canto dos lábios. - Ela estava até voltando a falar com você… pelo que eu percebi...

– Eu a chamei para se juntar a nós! A pimentinha que não quis… - disse Tiago, rindo.

– Mas você roubou o livro dela! - disse Remus, olhando para o livro de Feitiços nas mãos de Tiago.

– Ela vai superar… - disse Sirius, arrancando o livro das mãos de Tiago - vamos ver os xingamentos que a ruivinha escreve para você Tiago…

– Ela não escreve sobre mim! - exclamou Tiago - Quer dizer… pelo menos, ela não escreve mal sobre mim! - completou com um sorriso, maroto.

– Mas o quê ela escreveria de bem sobre você Tiago? - disse Sirius rindo, folheando as páginas do livro de Lílian - A garota te odeia!

– Ela não me odeia, Sirius! E não é nada legal você ficar bisbilhotando o livro da Evans...- disse Tiago, pegando o livro das mãos de Sirius, dando um sorriso maroto. - Pois eu faço isso muito melhor que você!

Sirius e Pedro riram, se aproximando mais para poderem ver se Tiago achava alguma coisa. Remus, afundou-se mais no banco, lendo um livro, porém corria os olhos para os três a toda hora, observando se já tinham achado algo.

– Não tem nada aí… - disse Pedro, decepcionado.

– Ora Pedro, você sempre tem que saber onde deve procurar! - disse Tiago, indo até a última página do livro, onde haviam vários bilhetes, provavelmente de Lílian, Abbey e Belle, anotados no canto inferior da página. - Bingo!

– Fala sobre o quê? - perguntou Pedro, esticando o pescoço.

– Sobre o Halloween… - respondeu Tiago, com um sorriso maroto - Parece que finalmente vamos descobrir quem é o “suposto” par da Evans!

Remus se levantara de um salto e arrancara rapidamente o livro das mãos de Tiago.

O quê?– perguntou Tiago, encarando Remus confuso.

– Gente, isso já está passando dos limites… nós não podemos ficar bisbilhotando coisas das garotas… isto é… errado! - disse Remus, segurando o livro fortemente como se dependesse dele.

– Ah, pelo amor de Deus, Remus! - exclamou Sirius. - Qual é o problema de nós vermos? Por quê você está tão estressado com isso?

– Porque é… errado. - disse ele, nervoso.

– Fala sério, Remus, o quê tem de mais? - perguntou Tiago, levantando-se rapidamente e pegando o livro das mãos de Remus com um único puxão. Remus estava pálido e parecia assustado.

– Não… - disse ele, enquanto os amigos iam até a última página.

Os garotos leram tudo com caras diferentes. Tiago franzia as sobrancelhas enquanto lia. Remus passava a mão pelos cabelos nervosamente, enquanto observava os amigos. Era isso… era o fim de sua amizade com Tiago. Este, nunca o perdoaria, pensava Remus.

– Não tem nada de mais nisso… - disse Sirius, com uma cara entediada.

Remus levantara o rosto ainda assutado, em direção aos amigos. Tiago erguera as sobrancelhas para Remus.

– Viu, sr. Certinho? - disse Tiago, jogando o livro em direção a Remus que o segurou com as mãos - Nada de mais nisso…

Remus inclinou a cabeça para a página que estava toda escrita com a letra das garotas.

Abbey: Líly pare de brigar tanto com o Tiago! Coitadinho! Eu ouvi o Snape provocando ele também!

Lílian: Pare de defender tanto o Potter! Ele é uma peste! É sempre ele que começa a provocar o Severo!

Abbey: Então deixe o Snape se defender sozinho!

Lílian: Mas eu fico com raiva Abb! Não sei porquê o Potter briga tanto com ele…

Belle: Líly, se você ainda não percebeu eu vou abrir essa sua cabecinha que parece ser bem lenta… o Tiago te ama! ACORDE AMIGA!

Lílian: Ele não me ama Belle! Ele só está cismado comigo! Quer me irritar, só isso… e além disso, sinceramente o quê isso teria haver com o Severo?

Belle: Ora, você não pensa mesmo não é? Ele tem ciúmes do Severo com você!

Lílian: É claro que não! O Potter não gosta de mim! Ele só está querendo me irritar!

Belle: Você vai ver quando ele descobrir quem é o seu par para o baile… ele vai explodir!

Abbey: Será que o Tiago ainda não sabe?

Lílian: Eu não sei… mas e se souber, e daí?

Belle: Eu não vou querer estar por perto quando ele descobrir…

Remus terminara de ler, mas não levantara a cabeça. Ele percorria as linhas do bilhete várias vezes para ter certeza de que não deixara nada mal entendido.

– E então… o quê vocês acham? - perguntou ele.

Tiago começara a rir, de repente. Os outros o encararam confusos.

– O quê foi? - perguntou Pedro.

– Parece que a Pimentinha arrumou mesmo um par pro Halloween… - disse Tiago - Ela quer que eu entre no jogo dela me deixando com ciúmes… muito bem, o jogo começou!

Os amigos o encararam com caretas e começaram a rir. Remus tentara disfarçar seu nervosismo, apesar de estar tenso.

– Coitadinho do Tiago… tão inocente… - disse Sirius, fazendo uma voz como se estivesse falando com uma criancinha de cinco anos.

– Ele acha que a Lílian ama ele… igual ele ama ela! - disse Pedro, se sentindo feliz por ter entendido algo.

– Eu não a amo! - exclamou Tiago, no que os amigos fizeram um silêncio repentino. - Eu só… quero conquistá-la…

Os amigos riram ainda mais até o final da viagem, provocando Tiago. O garoto lá no fundo sabia que mentira para os colegas. O quê ele sentia por Lílian Evans? Não era só um desejo de conquistá-la… era mais que isso. Era um aperto feliz no seu coração sempre que a via. Era um desejo de tê-la próximo dele sempre. Era o maravilhoso sentimento de provocá-la e irritá-la que ele sentia sempre que o fazia. Então, por quê Tiago mentira para os amigos? Pois aquele era um sentimento, pensava ele, que Tiago até então, desconhecia.

–---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Hogwarts se encontrava num estado de plena desordem e diversões. O assunto que se instalara na semana do Halloween era o grande baile que Slughorn daria no sábado. O professor estava de fato, tão animado que passava metade da aula de Poções conversando sobre as arrumações no grande salão com Lílian.

– Temos que começar a arrumar sábado, porém já devemos começar a pensar na decoração! - dizia ele, excitado.

Lílian esboçava um sorriso para o professor e continuava a preparar sua poção (que sairia como em todas as aulas, perfeita).

Na noite de quarta-feira, Lílian fazia seu resumo de História da Magia (Guerra dos Gigantes e suas consequências para a civilização europeia no século XVI), quando Alice surgira no buraco do retrato com uma cara péssima. A garota fora em direção à Lílian, olhando para o chão e se sentou ao lado da amiga. Lílian a encarou por uns instantes, perguntando o quê havia acontecido.

– Frank arrumou um par… - disse ela baixinho.

Lílian suspirou e abraçou a amiga solidariamente. Ela sabia o quanto Alice gostava de Frank e o quanto esta queria ir ao baile com ele. Nas últimas semanas Alice só falava do quanto desejava ir ao baile com seu amigo, que ela era extremamente apaixonada.

– Quem é? - perguntara Lílian, calmamente - Quero dizer, o par dele?

– Abnara Chang… - murmurou Alice, com raiva.

Lílian estava chocada. Como Frank não conseguia ver o quanto Alice se importava com ele? Ou se via, por quê simplesmente ignorava? Eram muitas dúvidas mas Lílian simplesmente abraçara a amiga mais uma vez, a consolando.

– Você tem que se valorizar, Ali! Agora mais do que nunca! Vá bem linda para o baile, arrume um par perfeito e eu tenho certeza que haverá um grande resultado… - disse Lílian, sorrindo marotamente.

– Que tipo de resultado? - perguntou Alice, com os olhos marejados.

– Quem sabe um certo alguém… - Lílian indicou com a cabeça o outro lado da sala, onde Frank estava conversando com Tiago, Sirius e Caius de quadribol (para variar). - Fique com um ciúmes…

Alice riu, balançando a cabeça.

– Ele não ficará com ciúmes… eu conheço o Frank! - disse ela.

– Acredite em mim. Arranje um par e se divirta no baile! Vai funcionar! - disse Lílian dando de ombros e rindo.

Alice sorriu e olhou para Frank, apaixonadamente.

– Lerdo… - murmurou ela, sorrindo.

Lílian terminara de fazer os deveres enquanto esta e a amiga pensavam num par para Alice.

– Hum… já sei! - exclamou Lílian. - Chame o Caius!

Alice fez uma careta confusa para a amiga.

– Caius Brown?

– É claro! É perfeito! Ele está conversando com o Frank… se eu estiver certa ele vai demonstrar logo de cara que está com ciúmes! - disse Lílian - E o Caius é bonitinho…

Alice pensara por uns instantes e dera de ombros.

– Tudo bem… não tenho nada a perder mesmo. - disse ela, afinal - Você pode ir comigo, Líly?

– É claro! - exclamou ela.

As garotas rumaram em direção aos garotos, decididas.

– Ei, foguinho como vai? - perguntou Tiago quando Lílian se aproximou.

– Não me chame de “foguinho”! - exclamou ela, revirando os olhos. - Quando você vai devolver meu livro, Potter?

– Quando você aceitar que eu sou o máximo… - disse Tiago, rindo.

Lílian revirou os olhos.

– Eu nunca vou aceitar isso, até porquê não é a verdade! - disse Lílian.

Alice encarava Frank, sem prestar nenhuma atenção à Lílian e Tiago.

– Olá minha querida amiga, Alice! - disse Frank, se curvando e rindo.

Alice esboçou um pequeno sorriso.

– Oi Frank… - disse ela corando, esquecendo-se do que viera fazer ali.

Lílian a cutucou disfarçadamente e indicou Caius com a cabeça. Alice assentiu e encarou Caius.

– Quer ir ao baile comigo, Caius? - disse a garota displicentemente.

O garoto parecera surpreso e durante alguns segundos, encarara Alice com as sobrancelhas erguidas.

– Tudo bem… - disse o garoto, passando a mão nos cabelos loiros encaracolados, ficando vermelho.

Frank esboçou um pequeno sorriso.

– Sério que vocês dois vão… juntos? - perguntou Frank, com a voz um pouco nervosa.

Alice deu de ombros e sorriu para Caius, fazendo força para ficar vermelha. “Saiba atuar” pensou ela.

– Hãm… vocês não combinam muito, não é? - disse Frank rindo, parecendo um pouco irritado.

Caius deu um tapa na cabeça de Frank. Lílian deu um sorriso maroto e puxou Alice para longe dos garotos.

– Tchauzinho! - disse Alice, acenando para Caius que ainda estava um pouco vermelho e para Frank, que parecia mais irritado ainda.

– Como eu me saí? - perguntou Alice, baixinho.

– Perfeitamente bem! - disse Lílian, rindo.

– Obrigada mesmo, Líly! - exclamou ela - Você me ajudou muito, estou muito melhor! Agora, tenho que ir fazer os deveres… até mais!

Lílian acenou e foi em direção à Belle e Abbey, que tentavam fazer o resumo de História da Magia.

– Você tem que me ajudar a arrumar um par, igual ajudou à Alice! - brincou Belle, ao ouvir a história de Lílian resumidamente (tirando a parte de que a Alice gostava de Frank).

– Vamos achar alguém perfeito para você, Belle!- exclamou Abbey.

– Com toda certeza! - exclamou Lílian - Vou dar uma passada na biblioteca, tenho que pegar um livro de Feitiços emprestado… até o Potter resolver me devolver!

A garota rumara em direção à biblioteca, que já estava quase fechando. Enquanto andava por esta até a estante que se encontravam os livros escolares, Lílian lembrou-se de algumas coisas que ocorreram na semana.

Chad havia mudado desde que a garota o contara que iria ao baile com Remus. O garoto ficara mais frio, mais distante. Severo, estava decepcionado e Lílian percebia que o amigo ainda não havia encontrado um par para o Halloween. Será que ele iria arranjar alguém até sábado? Lílian queria ver seu amigo feliz.

A garota estava tão dispersa em seus pensamentos que ao estender a mão para pegar o livro na estante, Lílian não agarrara o livro com força e este começara a cair em direção ao seu rosto. Ela fechara os olhos, cobrindo o rosto com as mãos já prevendo o que aconteceria.

– Você deveria tomar mais cuidado… este livro quase caiu no seu rosto.

Lílian abaixara as mãos dos olhos e encarou um garoto alto, com os ombros bem definidos. Sua pele era bem clara e seus olhos eram extremamente azuis. O garoto segurava o livro de Feitiços com uma das mãos e sorria. Ele estendeu o livro para Lílian.

– Oh, obrigada… é... - disse ela, sorrindo pegando o livro das mãos do garoto.

– Zac Tiffon. - disse ele, dando um sorriso.

– Eu sou…

– A garota do trem… - disse ele.

Lílian sorriu.

– Eu prefiro Lílian.





Notas finais do capítulo

Deixem reviews para eu saber o quê vocês estão achando pessoal!! Tenho muitos leitores fantasmas!! Apareçam!! Beijinhos!!!