For Love escrita por Cachos de Anjo


Capítulo 9
Capítulo 9: É de mim que você gosta


Notas iniciais do capítulo

Lumos



Rose Weasley

Eu já estava a caminho do dormitório da Grifinória, iria escrever uma carta para minha mãe me levar ao beco diagonal no próximo fim de semana para escolher meu vestido.Eu queria estar fantástica no baile de inverno.Scorpius ia me pagar por rir da minha cara.
Victorie já tinha me falado como seria o baile: Os Potter e os Weasley iriam fazer a dança de abertura com os pares que convidaram.Os que haviam terminado Hogwarts ou os que ainda não estudavam aqui também viriam.Ela pediu para todos nós avisarmos com quem íamos ao baile até quarta-feira.
Depois que enviei a carta, fui falar com McGonagall para perguntar se eu podia ficar um fim de semana fora de Hogwarts para comprar meu vestido.Ela me disse que todos seriam liberados no final de semana e que os próprios professores nos levariam até o beco diagonal.
Em seguida, fui falar com o professor Longbottom para me alistar na nova Armada de Dumbledore, e ele me disse que todos os Potter e todos os Weasley já estavam na lista.
Continuei andando pelos corredores até alguém me parar e me prensar na parede.

–Você ainda não respondeu minha pergunta.-----A voz de Scorpius Malfoy sussurrou ao meu ouvido.

–Lamento, Scor, mas outra pessoa já me convidou e eu aceitei.-----Minha voz estava com um assustador tom de deboche.Scorpius assumiu uma expressão entre a surpresa e a descrença.

–Quem?-----Foi tudo que ele me perguntou.

–Andrew Price.-----Sua pele assumiu um tom vermelho-arroxeado e eu sorri.-----Com ciúmes, Scor?

–Você não vai ao baile com ele.

–Sério, e por que não?-----Ele aproximou seu rosto do meu, deixando seus lábios a centímetros dos meus, e sussurou com a voz rouca.

–Por que é de mim que você gosta.


Ele saiu andando e me deixou ali, sem reação alguma, absorvendo suas últimas palavras.Provavelmente ele estava gargalhando agora.Aquele bastardo filho de um Comensal me paga.

Scorpius Malfoy

Não sei exatamente porque falei aquilo, simplesmente saiu, mas se ela não gostasse, teria retrucado ou me dado outro tabefe ou me estuporado, não é?Eu sinceramente não sei, aliás, a única coisa que eu realmente sei é que nesse exato momento eu estou no pátio de Hogwarts, indo em direção a Andrew Price.

–E aí Malfoy, beleza?

–Oi Arf, posso conversar com você?

–Mas nós já não estamos conversando?-----Ele perguntou confuso.

–Em particular.-----Respondi como se fosse obvio


Saímos correndo para dentro do castelo, subimos e descemos tantas escadas que eu não sabia mais onde estava, até que entramos numa sala de aula abandonada.

–Bom, vamos direto ao assunto.Eu quero levar Rose no baile, mas ela não quer mais olhar na minha cara, então eu preciso da sua ajuda.

–E o que faz você pensar que eu vou te ajudar?

–Você pode levar Rachel no baile.


Um sorriso se formou em seus lábios, mas logo desapareceu.Nós dois sabíamos que Rachel era uma das garotas mais bonitas da escola, mas também sabíamos que se ele tentasse convidá-la, levaria um passa-fora e um Crucio, por ousar falar com ela.

–Olha só, eu convido Rachel e já que você já convidou Rose, no dia do baile nós só trocamos de par.

–E elas não vão notar a diferença?

–Ah, nós não somos tão diferentes assim, só os olhos o cabelo e a voz.Aí nós pedimos para algum aluno do último ano usar alguns feitiços para que você se pareça comigo e eu com você.

–E qual aluno so sétimo ano vai querer nos ajudar, Malfoy?

–O filho de um velho amigo do meu pai, Stuart Nott.

–Ok, mas e se elas descobrirem?

–Elas não vão descobrir.

–Mas e se elas descobrirem?

–Aí nós damos um jeito na hora.Trato feito?-----Estendi minha mão para ele.

–Trato feito.-----Ele hesitou, mas apertou a minha mão.


Saí de lá sorrindo e voltei para o pátio, mas meu sorriso logo se desfez quando eu vi Rose conversando com Roxanne, ela também me viu, e logo saiu correndo, eu fui atrás dela, precisava me desculpar, eu tinha agido por impulso e me odiava por isso.Acho que era melhor para nós dois eu admitir, mais pra mim mesmo do que pra ela, que gostava dela.

–Rose?-----Eu chamei quando a cabeleira ruiva saía do meu campo de visão.


Sem resposta.Eu sou o maior mané do mundo.Rose não é Rachel, eu não posso tratá-la desse jeito, maldito sobrenome!Maldita voz do sangue.POR QUE eu tinha que tratar Rose da mesma forma que meu pai tratava Pansy Parkinson.

–MALDITO SEJA LUCIUS MALFOY!-----A culpa disso tudo era do meu maldito avô.

–Scor?-----Uma voz arrastada, como a de alguém que tinha chorado, perguntou as minhas costas.

–Rose?-----Eu procurava ela por todos os lados, deveria ser alucinação da minha cabeça.

–Acha mesmo que com esse teatrinho barato eu vou te perdoar?

–Rose, eu...

–Acha mesmo que amaldiçoando sua família eu vou voltar a ser sua amiga?Nós só passamos uma semana em Hogwarts e olha o que você fez!

–Rose, eu te...

–RESPONDA!-----Ela agora saiu da escuridão e eu pude ver as lágrimas correndo por suas bochechas rosadas.Droga!É a segunda vez que eu faço ela chorar em menos de uma semana.

–CARALHO ROSE, EU TE AMO PORRA!-----Eu agora berrava.

–MENTIRAS!SÓ AGORA EU ENTENDO POR QUE VOCÊ NÃO FOI PARA A SONSERINA, VOCÊ É IGUAL AOS SEUS ANTEPASSADOS, SÓ É MAIS INTELIGENTE QUE ELES!SEMPRE SABE O QUE DIZER, SEMPRE CONSEGUE O QUE QUER, VOCÊ E AQUELA VACA DA RACHEL SE MERECEM.

–TUDO ISSO POR CAUSA DE UMA MERDA DE CIÚMES?EU NÃO LIGO PRA RACHEL CARALHO,EU TE AMO.-----A essa altura, eu já tinha perdido o pouco de sanidade que me restava.Eu a agarrei pelo braço, a prensei na parede e a beijei.Ela tentava me empurrar, mas é claro que eu era mais forte que ela.Quando ela conseguiu se afastar de mim,me deu um soco que certamente deve ter quebrado meu nariz.

–NUNCA MAIS PASSE A MENOS DE DEZ METROS DE MIM, SCORPIUS HYPERION MALFOY, OU EU JURO QUE TE TORTURO ATÉ VOCÊ IMPLORAR PRA MORRER!

Acordei assustado na hala hospitalar, Arf veio correndo e me forçou a deitar de novo, ele começou a falar mas eu não ouvi uma só palavra, levei a mão ao meu nariz, que não estava quebrado.

–Rose não quebrou meu nariz?

–Rose?Do que está falando, você pisou em um degrau falso e caiu de cabeça no chão, está desacordado a mais de uma hora e não parava de chamar Rose enquanto dormia.Madame Pomfrey mandou alguém ir chama-la.

–Ah meu Merlin, foram chamar Rose?

–Sim.

–Ela vai me matar.


Por um lado, eu dava graças a Merlin que tudo foi um pesadelo, por outro, me preparava para ser morto quando Rose entrasse na hala hospitalar



Notas finais do capítulo

Nox



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "For Love" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.