Despedida escrita por Marguerite Willows


Capítulo 1
Descoberta


Notas iniciais do capítulo

Os personagem não me pertence o que e uma grande lástima mas quem sabe ganhe de presente de natal.



Já fazia quatros que Stella decide se mudar para Nova Orleans e ajudar na reconstrução da cidade, que estava devastada por conta do Furacão Katrina, nesse tempo conseguiu deixar o laboratório entre os 10 melhores do país estava super orgulhosa desse feito mas não podia deixar de agradecer sua equipe que se empenharam para conseguir realizar esse feito sua e equipe era composta por Annie Petersen a segunda no comando e sua melhor amiga, Steven Klepper, Angela Flynn, Aaron Brown, e o legista Jonh Smith, e os policiais Sandra Adams e Michael Wellner não teria conseguido sem ajuda deles era muito agradecida por mais uma vez Deus colocar pessoas maravilhosas em sua vida. Estava realizada profissionalmente era considerada a melhor detetive de Nova Orleans sempre recebendo premiação e destaque na mídia estava realizada por outro lado sua vida sentimental era um desastre só de lembrar de Frankie sentia um arrepio, mas teve bons momentos com Brendon era um homem muito legal e teve o Adam quem sabe podia ter dado uma chance para ele poderia termos dado certo, quem eu estou querendo enganar meu coração sempre foi e pelo visto sempre vai ser do meu grande amigo Mac Taylor.

Mas agora nada disso tem mais importância pois Mac esta de casamento marcado e acabo de descobrir que tenho uma doença rara e que provavelmente tenho um mês de vida pensei em ligar para meus amigos de Nova Iorque e contar para eles mas achei melhor não para que sofrer por antecedência e mais fácil eles sofrerem apenas quando eu morrer não queria sobrecarregar ninguém era um farto somente dela e não queria que ninguém sentisse pena dela e que seus amigos lembrasse dela como a Stella companheira, dedicada e teimosa e geniosa e não como a doente que precisa de cuidado nunca gostou de se sentir vulnerável por isso resolver guardar somente para ela esse farto que quando descobriu quase enlouqueceu mas agora já tinha se conformado quem sabe na morte pudesse reencontrar sua mãe.

Stella pegou um porta retrato com a foto de sua antiga equipe não conseguiu contar as lagrimas e pensar que nunca mias veria eles a quem amava com sua família nem percebeu quando Annie entrou em sua sala.

AP - Stella você esta bem.

SB - Estou não e nada.

Annie fechou a porta e as persianas caminhou ate a mesa da Stella e puxou a pela mão ate o sofá onde ambas sentaram.

AP - Você não esta nada bem e vai me contar agora o que esta acontecendo você esta chorando.

Stella passou a mão em seu rosto limpando sua lagrimas tentando disfarçar mas não conseguiria esconder isso da Annie.

AP - Faz um mês Stella que você mudou perdeu o brilho do seus olhos anda pelo cantas nunca mais saiu com a equipe terminou com o Greg confie em mim todo mundo precisa desabafar.

SB - Promete que não vai contar para ninguém.

AP - Somos amigas nunca quebraria sua confiança o que disser nessa sala vai ficar aqui.

Stella respirou fundo quem sabe falar com mais alguém diminui-se esse peso em suas costas, as consultas com seu psicologo ajudou muito aceita sua morte mas falar com amigo e diferente.

SB - Eu estou doente e vou morrer.

Annie ficou perplexa como uma mulher bonita com Stella com a vida toda pela frente sempre ajudando as pessoas lutando diariamente para deixar a cidade segura.

AP - Coma assim morrer.

SB - A um mês eu fui fazer minha bateria anual de exames e o medico diagnosticou um problema em meu coração e me deu dois mês de vida.

Stella nesse momento já estava em lágrimas e soluçava Annie abraçou e chorava junto depois de uns dez minutos em silencio ainda abraçadas ambas estavam mais calma e desfizeram o abraço.

AP - Não a nada que possa fazer pode ter sido um diagnostico errado.

SB - O medico repetiu esse exame duas vezes para ter certeza.

AP - Eu sinto muito você não deveria ter guardado isso só para você.

SB - Eu não queria preocupar ninguém e alem do mais minhas consultas com o psicologo tem ajudado muito.

AP - Você contou para seus amigos de Nova Iorque.

SB - Não nenhum deles vai saber.

AP - Stella seus amigos tem o direito de saber.

SB - Eles não precisam sofrer duas vezes eu tomei essa decisão para o bem deles.

AP - Tudo bem sei que não vai mudar de ideia mas não tem nada mesmo que possa fazer.

SB - O medico disse tem tem uma cirurgia super complicada que pode dar certo.

AP - E o que você esta esperando vai se entregar sem lutar essa não e a Stella que conhece e que tanto admiro.

SB - Mas tem apenas dez por cento de dar certo.

AP - Stella você tem que tentar.

SB - Mas se não ter certo eu fico na mesa de operação.

AP - Mesmo se fosse apenas um por cento Stell, você tem que fazer pense nas pessoas que você ama e que vai sofrer com não estiver entre nos.

SB - E tudo no que penso por isso já tomei minha decisão sem cirurgia.

AP - Você tem que escolher viver Stell.

SB - Eu não quero uma falsa esperança e já me conformei com minha morte.

AP - tem que ter algo que possa fazer você mudar de ideia.

SB - Não e por isso vou sair de ferias vou para Nova Iorque passar os meus últimos dias com as pessoas que se tornaram minha família.



Notas finais do capítulo

Então gostaram devo continuar com a historia.

Espero que gostem mas digam sua opinião vocês acham que a Stella deve tentar a cirurgia ou apenas aproveitar ao máximo seus últimos dias.