A Nossa História de Amor escrita por Manu Pontes


Capítulo 11
Capítulo 11


Notas iniciais do capítulo

Desculpem-me a má qualidade do capiulo.. =/
E obrigada à todos os reviews.. Eu amo todos, e me fazem muito feliz..



 

Capitulo 11 – Hiashi..

 

 

O velocímetro marcava a máxima velocidade permitida por lei naquela estrada, 120 k/h. Sete horas e sei minutos, há quase quarenta minutos atrás ela estava deitada em um tranquilo sono abraçada ao único homem que amou em sua vida.. Não, Naruto não era o único e nem o primeiro. Um homem maduro, de essência fina e elegante, traços afetuosos e marcantes. Hiashi, o homem que sempre amou, desde pequenina. Um amor puro e verdadeiro, um amor de pai e filha. As lágrimas rolaram.. Como poderia ter acontecido? Será que tudo não passava de uma brincadeira de um humor negro, mas simplesmente uma brincadeira? Não, tal alternativa era uma ilusão, as palavras do primo não eram fantasia, infelizmente.

 

 

FlashBack of:

 

 

- Neji? - Naruto que estava ainda sonolento, sentava-se ao lado de Hinata estranhando a ligação do primo de sua ex namorada. O que será que Neji queria?

 

- Hina, calma, mas eu tenho uma notícia pra você. - disse Neji que não sabia como dar uma notícia como a que tinha para Hinata, ainda mais pelo telefone.

 

- O que houve, Neji? - perguntou rápida, sentiu um aperto no peito, uma angustia, desespero.

 

- O tio Hiashi.. - Hinata ao ouvir o nome do pai gelou, sentindo o aperto aumentar.

 

- O q-que houve com o m-meu p-pai, Neji?

 

- “Hiashi.” - Naruto franziu a testa ao ver o nervosismo de Hinata, e depois ouvir o nome do pai da mesma. Algo não estava certo.

 

- Calma, Hina. - respirou fundo antes de dizer tudo de uma só vez, tentando assim não prolongar aquele sofrimento, mesmo sabendo que causaria outro pior. - Seu pai sofreu um acidente de automóvel e está no hospital. Ele está.. mal, Hina.

 

- C-como? Meu p-pai! - Hinata deixou o celular cair no colchão ao seu lado, estava tomada pelo choque da notícia. Naruto preocupou-se ainda mais. Hinata estava mais pálida que de costume, lágrimas banhavam seu rosto, ele abraçou-a tentando repelir qualquer mal que estivesse lhe causando aquela dor. Hinata apertou-se mais ao abraço. Naruto pegou o celular, Neji ainda estava na linha.

 

- Prima? Hinata? - Neji estava aflito, sua voz transmitia essa sensação.

 

- Neji?

 

- Naruto?! - reconheceu a voz do amigo.

 

- Sim. O que houve com Hiashi?

 

- Tio Hiashi sofreu um acidente de automóvel enquanto ia buscar Yu na casa de uma amiguinha.

 

- A menina estava com ele? - indagou rapidamente.

 

- “Yurika?” - o coração de Hinata apertou-se como sua alma. Yurika, assim como seu pai, esta no hospital?

 

- Não! Ele não chegou a buscá-la. - disse o Hyuuga para o alívio de Naruto e de Hinata.

 

- Graças! - suspirou de alívio. - Neji, eu e Hina, estamos indo para aí.

 

- Ele está no hospital do Centro de Boston. - informou.

 

- Certo. Até mais.

 

 

FlashBack of.

 

 

Agora, estavam no carro do Uzumaki à caminho do hospital. As orbes peroladas destacavam marcas de medo, angustia por ter a possibilidade de perder o pai.

 

Naruto sentia-se mal, ver sua pérola triste o condenava ao mesmo sentimento. E Hiashi? Há, aquele homem, grande homem. Tinha um carinho especial pelo ex-sogro. Também estava preocupado com a saúde do mesmo.

 

- Vai dar tudo certo, Hina. - disse o loiro, mas ele mesmo queria acreditar nisso.

 

- Eu não posso perdê-lo. - disse a Hyuuga entre soluços.

 

- Já estamos próximos, logo estaremos no hospital. - de fato ele já estavam próximos, mais meia hora e eles já estariam chegando ao Centro de Boston.

 

 

Hospital Central de Boston, era um hospital público e muito respeitado em todo o estado, omo também no país. Equipamentos modernos com o objetivo de produzir melhorias os tratamentos de todos os pacientes. A qualidade o empenho dos médicos era traduzida pelos aumentos de cura dos pacientes, porém nem todos tinham essa sorte.

 

Eles adentraram correndo o corredor do hospital, Hinata estava nervosa, mais que isso, ela estava desesperada para obter notícias do pai. Queria saber como estava o pai, queria vê-lo. Chegaram à recepção, Neji estava em pé, também parecia está nervoso, devido estar andando de um lado à outro.

 

- Neji? - chamou Hinata aproximando-se rapidamente do primo, abraçando-o. - Como ele está? - chorava.

 

- Hina. - afrouxaram o abraço, Neji fitou o chão. - Eu não sei, mas acho que ele está.. mal.

 

- Não. Meu PAI! - Hinata desesperou-se. Algumas a fitaram ao ouvirem seu grito. Uma enfermeira foi pegar um copo de água e um calmante bem fraquinho, mas o suficiente para a Hyuuga.

 

- Hina, acalma-se. - disse Naruto abraçando-a.

 

- NÃO.. NARUTO, EU QUERO MEU PAI! - soluçou. - Eu quero meu pai, Naruto.

 

- Eu sei, mas você tem que ficar calma, você precisa ficar calma. - disse o loiro ainda abraçando-a. Logo em seguida a enfermeira chegou com a água e o comprimido, que mesmo relutante, Hinata tomou.

 

- Ele está certo, prima. - disse Neji concordando com o Uzumaki.

 

- Eu quero ver ele. - disse a Hyuuga decidida, mas já ais calma, duas lágrimas ainda rolavam sua face.

 

- O médico ainda não autorizou visitas. - disse o moreno. - Ele deseja falar conosco, primeiro. Onde está Hana? - indagou sentindo a falta da presença da prima.

 

- Ela.. - foi interrompida, já que ela havia ido ao seu apartamento pós a ligação para trocar rapidamente a sua roupa, fizera em menos de cinco minutos, nos quais nem vira ou procurara a irmã.

 

- Já está vindo. - disse Naruto. - Eu avisei a Konohamaru e ele trará-a aqui.

 

- Certo.

 

 

Quarenta minutos passaram-se, Hinata não sabia o que fazer, o desespero parecia querer tomá-la, por sorte ele estava ali ao seu lado, abraçando-a. Naruto. Por mais que estivesse sofrendo, os braços másculos lhe protegiam, aninhando-a à ele.

 

- Hina! Neji! - uma voz soou pelo corredor chamando a atenção dos três presentes ali. Olharam em direção a voz, viram Hanabi ofegante e Konohamaru logo atrás da jovem. Eles corriam, como Hinata e Naruto fizeram ao chegarem. - Onde está o papai?

 

- Calma, Hana. - disse Neji. - Não sabemos direito, o médico quer conversar com nós três, primeiro.

 

- E onde está esse médico? - indagou a mais jovem.

 

- Eu vou perguntar à recepcionista. - disse o Hyuuga, logo em seguida fitou o loiro. - Naruto?

 

- Eu e Konohamaru cuidamos delas. - disse o Uzumaki, Neji assentiu com um meneio de cabeça e caminhou até a recepção.

 

- H-Hina, o q-que houve? - indagou Hanabi, a mais jovem sentou-se ao lado de Hinata e segurou-lhe as mãos.

 

- Eu n-não sei, Hanabi. - duas lágrimas rolaram. - Mas eu preciso v-vê-lo. - as duas se abraçaram, ambas choravam.

 

- Hina, vai dar tudo certo. - disse Naruto que acariciou os cabelos de Hinata.

 

- Eu também acredito nisso. - Konohamaru concordou, o rapaz também estava triste em ver a namorada daquele jeito tão angustiado.

 

Passados uns oito minutos aproximadamente, Neji voltara chamando as Hyuuga's, pois o médico as esperava em sua sala. Hinata e Hanabi seguiram junto com Neji o restante do corredor daquele hospital, subiram uma escada onde encontraram após andar mais um pouco a porta da sala do Doutor. Pararam em frente a mesma, Hinata e Hanabi estavam de braços entrelaçados, tentando apoiar uma a outra. Enquanto Neji as olhara e em seguida abrira a porta. O Doutor estava sentado lendo algumas fichas médicas ele os olhou e pediu para que sentassem nas cadeiras em frente a sua meso. As irmãs sentaram, enquanto Neji permanecer em pé ao lado das mesmas.

 

- Doutor, por favor, me diga como está o meu pai? - indagou Hinata, assim que pôde, precisava obter aluma notícia.

 

- Vejamos, o Sr. Hyuuga sofreu um acidente de carro, onde tudo indica que ele teve um mal-estar no veículo que decorreu a perda do controle sobre o carro. Seu pai sofreu alguns ferimentos na perna esquerda, onde houve uma perda de sangue.

 

- Mas uma transfusão de sangue pode ajudar, não é mesmo? - indagou Hanabi esperançosa.

 

- Claro, mas infelizmente o caso o paciente é ais complexo do que parece. Estamos fazendo to o nosso possível, mas..

 

- Doutor, há mais alguma coisa com o meu tio? - indagou Neji.

 

- Sim, nossa equipe conseguiu entrar em contato com o médico do Sr. Hyuuga, que vem atendo e acompanhando a saúde o paciente nos últimos meses, infelizmente uma suspeita minha foi confirmada, o que agrava a situação do paciente.

 

- O q-que o Sr. d-descobriu? - perguntou Hinata hesitante, cada vez mais nervosa.

 

- O Sr. Hiashi sofre de um tumor cerebral, infelizmente maligno. - informou o médico, em sua carreira, notícias consideradas trágicas eram de fato normais em sua rotina, mas ele inda era um ser humano.

 

- NÃO! - a voz de Hinata soou como um grito fino, estava em choque.

 

- Tio Hiashi.- murmurou Neji.

 

- Não.. Meu pai não. - Hanabi já estava como Hinata, angustiada desesperada.

 

- Se acalmem, por favor. Eu lamento dar-lhes essa notícia, pois ao que tudo indica o paciente não queria que os familiares soubessem.

 

- Não pode ser verdade. - soluçou Hinata. - Doutor, meu pai sempre foi um homem forte, sadio, isso deve ser algum engano. - não podia, não queria acreditar naquilo.

 

- Infelizmente não, Srta. Saibam que nossa equipe está fazendo todo o possível, mas devido a idade do paciente, seu histórico clinico, devo informar-lhes que as chances dele são poucas.

 

- Não. - Hanabi chorava sendo abraçada por Neji.

 

- Eu quero ver meu pai. - disse Hinata secando as lágrimas e insistiam em cair, rolando por sua face.

- Isso não será possível. Seu pai está na UTI, pois permanece inconsciente. E visitas não são permitidas aos quartos dessa ala.

 

- Por favor, Doutor. - pediu Neji.

 

- Está bem. -suspirou o médico. - Mas vocês só poderão vê-lo pelo vidro, é o máximo que posso permitir. Vocês serão acompanhados por uma enfermeira. Depois recomendo que vão para casa, qualquer notícias nós os avisaremos.

 

 

O lugar era silencioso, as vezes ouvia-se sons dos passos ápio dos médicos e enfermeiros. Ou dos soluços das Hyuuga's. Os rostos estavam colados no vidro, olhando atentamente para o homem deitado em uma cama no centro de um quarto, ao redor vários equipamentos médicos.

 

- Pai. - chamou baixinho, para Hinata ver o pai naquela cena, era simplesmente um pesadelo. - Pai. Eu estou aqui. - fechou os punhos com força. - Na verdade nós estamos aqui. Você nos deixou muito preocupados. - soluçou. - Pai, por favor, eu sei que o Sr. é forte, então, por favor,.. não nos deixe. - as pernas fraquejaram diante a tanta dor, mas ela não caiu, pois antes disso ela foi rapidamente segurada pelo loiro.

 

- Eu tenho certeza que ele vai lutar, afinal ele é um Hyuuga. Eu sei o quanto dói, mas você não vai cair, eu não vou deixar.

 

- Hina, vá para casa. - disse Neji.

 

- Não! Eu quero ficar aqui. - exclamou.

 

- Por favor, vá. Yu está em casa com a tia Kenia, ela não sabe sobre o tio Hiashi, mas ela é esperta. - argumentou o Hyuuga.

 

- Eu sei. - murmurou. Esse era um dos motivos porque queria ficar ali, pois o que diria a uma menininha de 7 anos?

 

- Não precisa ter medo. - disse o Uzumaki. Hinata fitou-o, realmente ela estava com medo. - Eu imagino o quanto é difícil, mas me lembro que para Yu você é muito importante, você é a pessoa na qual ela mais confia.

 

- É verdade, Hina. - disse Hanabi.

 

- Eu.. - balbuciou. Será que Yurika está certa em confiar tanto nela? Justamente nela? - era o que pensava, na verdade era o que invadia seus pensamentos confusos.

 

- Então vamos? - indagou o loiro.

 

- V-vamos. - respirou fundo antes de responder, ao mesmo tempo no qual sentia o Uzumaki apertar carinhosamente sua mão.

 

Se despediram de Hinata, Neji e Konohamaru, porém Hinata, antes de ir, fitou o pai mais uma vez pelo vidro do corredor com o quarto. Foram para o estacionamento, Hinata estava encolhida, abraçando Naruto e sendo guiada pelo mesmo. Entraram dentro carro em silêncio, assim como ficaram em silêncio durante os quinze minutos até os portões da grane residência os Hyuuga's.

 

- Calma, eu estou aqui com você, sempre. - disse Naruto assim que saíram do carro. Para Hinata, a voz do loiro ativava a confiança e a fé dentro de si. Justamente o que ela precisava.

 

 

- Oi, Hina. - disse uma menina de olhos perolados, certamente uma Hyuuga. Os cabelos eram negro-azulados, curtos, um pouco acima do ombro. Pele clara, um corpo delicado, perfeita para uma menina de sete anos.

 

- Yurika, meu anjinho. - disse Hinata carinhosamente, sorriu delicadamente sentindo o abraço da irmã.

 

- Senti saudades, Hina.

 

- Eu também, meu anjo. - a menina sorriu, e em seguida reparou que um pouco atrás de Hinata estava um homem loiro que fitava as Hyuuga's com um sorriso de canto, enquanto vagava por muitos pensamentos.

 

- Naruto! - o sorriso se alargou ainda mais, e assim como fez com Hinata, ela correu para os braços do loiro que também a retribuiu carinhosamente.

 

 

 

 

 

 

 

Bem, eu sei, o capitulo ficou pequenino e não muito bom. Eu admito, ok? Vou me esforçar com o próximo.. ;D

Finalmente o nosso querido doente apareceu.. E aí oque acharam? o.O

Neji, e Yurika farão parte da nossa FanFiction.. ^^

Yurika, é um personagem meu, que eu amo muito. A pirralha é muito fofa.. ;D

Há! Hoje é meu aniversário.. 17 aninhos.. Então me deem muitos reviews como presente, mesmo o capitulo estando ruim.. =/ ^^

Capítulos serão postados uma vez por mês, desculpem, mas é que estou fazendo cursinho pré-vestibular, e estou sem tempo. Esse foi o único (ou quase isso) jeito da minha permitir que eu continue escrevendo FanFiction's. E minha mamili está certa, amores.. ^^

Mas esse mês tem mais uma One-Shot minha, e é claro é NaruHina.. ;P

Favoritem a FanFiction para saber quando tem post's de novos capitulos..

Até o próximo.. ;P