A Nossa História de Amor escrita por Manu Pontes


Capítulo 10
De corpo, alma e coração...


Notas iniciais do capítulo

Espero que curtam o capitulo..
Esse casal finalmente pára de resistir um ao outro.. ^^ *fogos em comemoração*
Mas até quando? shuashua.. XD



Capitulo 10 – De corpo, alma e coração...

Vinte horas e dois minutos, lá estava ele sentado em uma das mesas do restaurante fino e de excelente comida portuguesa. Com um blazer preto, uma camisa preta com detalhes nas cores prata e azul marinho e uma calça jeans escura. Tênis esportivo preto com detalhes prata. Cabelos com os fios loiros desgrenhados de sempre e um perfume masculino marcante. Com certeza, ele estava irresistível. Isso não se poderia negar, pois apesar de sua quietude, chamava a atenção das mulheres, e algumas mesmo que acompanhadas de seus companheiros permitiam-se a olhá-lo com malícia, imaginando-o certamente com pensamentos quentes. Suspiros desejosos e olhares intensos, atitudes que o loiro reagia com indiferença.

Estava naquele restaurante à espera de Hinata... Um jantar romântico? Não. Um jantar de negócios que lhe foi avisado por Tenten há três dias, e lembrado por sorte esta manhã antes de sair da agência e ir para casa tomar um bom banho e pôr certos pensamentos em seus devidos lugares.

Os minutos passaram-se até que avistou sua sócia adentrar ao restaurante e seguir em sua direção. As palavras, pensamentos, restaurante, o mundo.. Tudo perdera a sua atenção ao vê-la.

- Boa Noite. - disse Hinata com um sorriso gentil.

- Você está magnífica. - foi o que conseguiu dizer diante da figura da morena em um vestido preto de um ombro com a alça trançada, sandálias pretas de salto fino. Além de acessórios delicados e maquiagem quase imperceptível.. Ela estava perfeita. Elegante e delicada. Tendo assim um perfil sensualmente natural.

- O-Obrigada. - corou de leve. Naruto também estava lindo. Olhou a mesa ao lado e viu todos os lugares das seis cadeiras vazios, menos é claro uma que ela sabia pertencer ao loiro em pé o seu lado. - O Sr. Tashikazu ainda não chegou? - indagou notando a falta do futuro cliente, além de estar nervosa, pois Naruto não parava de fitá-la intensamente.

- Não, mas acredito que não demorará muito tempo. - disse o loiro tentando recompor o foco ao principal objetivo daquele jantar: negócios. - “Isso é quase impossível com ela aqui tão perto de mim.”

- Hum.. Trouxe os documentos? - sabia muito bem que Naruto os trouxera, havia visto uma pasta sobre uma das cadeiras além de Naruto ser um excelente profissional, porém foi o único assunto que encontrou para dizer enquanto ele ainda fitava-a.

- Claro que sim. - disse o homem possuidor das safiras mais lindas que a Hyuuga vira em toda a sua vida. Seu tom era divertido, pois somente agora percebeu o quanto Hinata estava nervosa e até um pouco corada.

- Desculpe. - o Uzumaki riu. - Do que está rindo? - indagou confusa.

- Nada. Vamos, sente-se. - Naruto puxou uma cadeira para a morena que sentou-se na mesma, esta ficava ao lado do lugar do loiro..

- Idiota. - murmurou a Hyuuga, sorrindo. Naruto ouviu o “elogio” e retribuiu o sorriso da morena.

Mal terminaram de sentarem, e o cliente adentrou o restaurante e caminhou até eles, por sorte Tenten havia descrito como era a fisionomia do homem. Um homem ruivo de aproximadamente 57 anos, pele clara, alto, e tinha um rosto maduro e olhos cor mel.

- Boa Noite. Espero não tê-los feito esperar por muito tempo. - disse o homem com um sorriso simpático, sentando-se de frente aos presidentes da H&U Models.

- Não, não se preocupe. - disse Hinata com um sorriso simples.

- Que bom. Bem, antes de começarmos, podemos pedir um vinho? - indagou o Sr. Tashikazu.

- Claro. - disse Naruto. E assim foi feito, chamaram um garçom que lhes aconselhou um ótimo vinho. Depois de alguns minutos foram servidos, e após um blinde apreciaram a bebida.

- Srta. Hyuuga, a Srta. está maravilhosamente linda. - Hinata apenas sorriu sem graça, o elogio a deixou um pouco desconfortável. Não era o primeiro elogio de um cliente que a morena recebia, mas ela sempre se sentia estranha.. Principalmente quando isto acontecia ao lado o loiro.

- Sr. Tashikazu, como podemos ajudá-lo? - disse o loiro sério, não havia gostado de ver os olhos cobiçosos do ruivo sobre a Hyuuga ao seu lado, impulsivamente pôs uma das mãos sobre a da Hyuuga que estava sobre a mesa.

Hinata não entendeu a atitude do Uzumaki, mas agradeceu mentalmente por ele ter feito aquilo, era um gesto de posse e o Sr. Tashikazu tinha idade para ser seu pai, e não para estar tentando flertá-la.

O Sr. Tashikazu olhou as mãos entrelaçadas, unidas do casal. Diminuiu o sorriso hiper simpático que exibia. Já era de se esperar que uma mulher tão bonita e jovem quanto Hinata já pertencesse a um homem sortudo, e possivelmente mais novo que ele.

O jantar transcorreu bem, sem mais situações desconfortáveis, quer dizer, a Hyuuga e o Uzumaki não pareciam desconfortáveis enquanto permaneciam com suas mãos unidas. Mesmo diante da apresentação dos documentos, e negociações, as mãos continuavam entrelaçadas durante as pausas das situações. Mas nem a Hyuuga e nem o Uzumaki se olhavam diante do gestos, as vezes olhares de soslaio eram trocados. Pareciam crianças diante de seu primeiro amor.. Só pareciam?

Quando o Sr. Tashikazu já havia assinado um contrato muito bom com a H&U Models, após isso o ruivo recebeu uma ligação enquanto jantavam. Pediu desculpas e licença para se retirar da mesa, caminhou até o jardim do restaurante. Logo após cinco minutos, ele retornara a mesa, onde Naruto e Hinata já não estavam mais com as mãos unidas, mas isso não foi tão perceptível aos olhos do ruivo que parecia angustiado.

- Bem, eu estou muito feliz que tenhamos conseguido entrar em ótimo acordo, mas devido a um imprevisto, sou obrigado a me retirar nesse momento. - lamentou-se o homem.

- Espero que não seja nada grave. - disse a Hyuuga gentilmente.

- Bom, obrigado, mas não é grave, somente minha esposa que deseja conversar algo comigo, urgente.

Naruto e Hinata se olharam. “Como assim ele tinha uma esposa? Que... Safado!

O ruivo chamou o garçom e pediu a conta de todo o jantar, ele insistiu e os presidentes da H&U Models relutantes e gentis aceitaram que ele pagasse a conta. O homem ainda disse mais algumas palavras antes de ir, tendo consigo um rosto angustiado, um olhar preocupado. Na mesa permaneceu um Uzumaki com um sorriso maroto brincando em seus lábios e uma Hyuuga vermelha e bufando de raiva.

- Acho que ele apanhará quando chegar em casa. - disse o loiro divertindo-se com a face da Hyuuga.

- Ele realmente deveria levar umas boas bofetadas. Como ele pode tentar trair a mulher? Idiota! - disse a morena com raiva.

- Ei?! Você me chamou de idiota mais cedo também. - disse Naruto fingindo estar ofendido.

- É que hoje, tive a certeza que toda a sua “raça” possui idiotice no DNA. - sorriu irônica.

- Ele só ti elogiou. - disse o Uzumaki ainda divertindo-se com toda aquela história. Era tão bom e raro ver Hinata “brava” e o motivo não ser ele.

- Então porque segurou minha mão, Uzumaki? - indagou a morena, fitando o loiro ao seu lado.

A expressão divertida na face do loiro esvaiu-se como mágica após ouvir a indagação da Hyuuga. Já um sorriso simples e vitorioso surgiu nos lábios de Hinata enquanto o fitava.

- “Agora ti peguei!” - comemorava internamente. Hinata sabia ser a arriscada aquela pergunta, mas acreditava que Naruto nada responderia, na verdade, agira por impulso ao perguntar algo que estava curiosa em entender desde o começo daquele jantar de negócios.

- Eu ti salvei de uma situação desconfortável, não? - agora, indagou o loiro, sua expressão era pensativa.

- Sim. - admitiu. - Mas também não respondeu a minha pergunta. - olhavam-se diretamente nos olhos um do outro.

- Quer mesmo que eu responda? - Hinata sentiu o olhar pensativo de Naruto tornar-se novamente maroto, e o loiro aproximar-se de si. Hinata encantada fitava os belos orbes azuis como um céu de verão, não conseguia se afastar dele, que ainda aproximava-se lentamente dela. Maldito o dia em que se beijaram no apartamento do loiro, desde aquela madrugada quente o vicio para com os lábios dele ressurgiu de forma intensa, quase incontrolável. Ela nem se lembrava como suportara estar longe deles por dois anos.

Naruto sentia o mesmo, a falta dos lábios, da pele de seda da Hyuuga eram enlouquecedores, uma abstinência sufocante dentro de si. Aproximou-se mais um pouco, tocou-lhe a face delicada com as costas de uma das mãos, fazendo um carinho. Os olhares se encontravam carinhosos, intensos.

Mais uma aproximação. Hinata pôde sentir a respiração quente tocar-lhe a pele junto com o carinho da mão do loiro. Sua respiração estava falha. Oh! Como ela poderia ainda tentar manter-se racional à tudo isso? Fechou os olhos e sentiu o toque dos lábios de Naruto sobre os seus... Mas...

- Desculpe, mas os Senhores desejarão algo mais? - indagou o garçom próximo à eles. Ele tinha em mãos uma caderneta e uma caneta, com certeza para anotar algum pedido. No momento em que ouviram a voz do homem, Hinata afastou-se de Naruto e o mesmo fitou o garçom com os olhos semi-cerrados, pois a raiva que sentia era imensa e borbulhava por seu corpo. Hinata estava entregue aos pensamentos, aquilo deveria ser um aviso para não cometer uma besteira, um erro à mais em sua vida.

- Não. Por enquanto não. - disse Naruto em um tom sério assim como a expressão em sua face. O garçom estremeceu-se diante do olhar cortante do loiro.

- Cla-Claro, Senhor. - disse o garçom que rapidamente retirou-se de perto daquela mesa perante aquele olhar, medo foi o que sentiu.

Naruto voltou seu olhar a Hinata que tinha seu olhar fixado à algo de extrema importância: um guardanapo sobre a mesa. Silêncio. Mais uma vez o silêncio se fazia presente em companhia a eles. Naruto sentia-se frustrado com toda aquela situação. À pouco tivera aqueles lábios sobre os seus, somente sobre eles, sem nenhum movimento, e agora, agora tinha uma linda morena de pele alva calada ao seu lado, evitando-o. Conhecia-a bem para saber que ela evitava-o, que estava arrependida do quase beijo entre eles. Oras... Ele também estava confuso.

Confusão. Isto era o que Hinata sentia naquele e em todos os momentos em que se via próxima ao loiro. Como podia manter-se longe? Se no fundo, algo que lutava dentro de si para dominá-la pedia, implorava para estar perto, eternamente unida a ele. Mas não podia. Ela era mais forte, ela tinha que ser. Tinha que ser.

- Er... Já que o Sr. Tashikazu já foi embora, e nosso negócio foi concretizado, eu vou indo. Boa Noite. - disse a Hyuuga enquanto levantava-se com a bolsa no ombro, sem em nenhum momento encarar o loiro.

- Não! - disse o Uzumaki, o tom saíra um pouco alto, chamando assim a atenção dos outros clientes do restaurante. Ele ainda aproveitou para segurar o braço dela, claro que sem machucá-la.

- Não? - indagou confusa, temerosa, agora, já fitando o loiro.

- Não. - repetiu. - Você nem acabou de jantar. - tentou argumentar um motivo menos desconfortável a ela. E bem fora a primeira coisa que pensara.

- Não se preocupe, eu não estou com fome. - disse um pouco decepcionada devido ao argumento do loiro, no íntimo queria que ele quisesse sua presença, estar perto de si.

- Eu insisto. Por favor, Hina. – pediu, mas seus olhos imploravam para que aquele momento se estendesse ao menos algumas horas a mais.

- Eu... - fechou os olhos e respirou fundo. - Está bem. - rendeu-se ao pedido, ao olhar do homem loiro que ainda permanecia segurando-lhe o braço. Um sorriso extremamente largo e encantador surgiu nos lábios avermelhados do loiro.

Hinata sentou-se, e um silêncio abrangeu novamente aquela mesa. E agora? Naruto fitou-a desconfortável com aquele novo silêncio, e não era o único desconfortável a tudo aquilo.

- Mamãe me ligou hoje, e perguntou por você. - disse o loiro tentando uma conversa, nada melhor que conversar sobre a mulher que ambos nutrem um amor maternal pela mesma.

- Oh. Depois ligarei para ela. – sorriu amavelmente a morena. - Depois daquele jantar, eu pouco conversei com ela. - lembrou-se do seu último jantar com a família Uzumaki Namikaze, que tivera a companhia do loiro a seu lado. - Mas sei que ela nesse momento está em um transatlântico, um presente seu aos seus pais. - disse Hinata sorrindo, não podia continuar agindo como uma menina, ela tinha motivos de sobra pra ser uma mulher, então que agisse como tal, que pudessem conversar como adultos que ambos eram.

- Verdade, eles merecem umas férias juntos. E sobre aquele jantar, ele foi muito divertido. – o sorriso visto no rosto másculo era tão espontâneo, o loiro não tinha nem um pouco de intenção de evitá-lo.

- Eles são muito legais e carinhosos, você tem sorte em tê-los com você. - sorriu lembrando-se da ex-sogra e do ex-sogro, que desde que a conheceram formaram um laço tão fraterno com ela que era até difícil explicar. Conhecia a história daquele casal que criara o filho como muito amor e princípios, independentemente de que posições sociais estivessem.

- Eu sei. Mas você também tem sorte, Hiashi é um bom pai. - disse Naruto, agora ele lembrava-se do ex-sogro, um homem e pai digno, em sua opinião, que era capaz de tudo pela felicidade de sua família.

- Ele é magnífico. – comentou, as belas íris acinzentadas brilhavam demonstrando com clareza o grande amor, respeito e orgulho que ela sentia pelo patriarca Hyuuga. - Minha fortaleza, eu não sei o que seria de mim sem ele. - os olhos brilhavam cada vez mais pelas fortes lembranças do pai carinhoso, às vezes, severo, mas sem dúvidas um excelente pai.

O jantar continuou bem, conversaram bastante sobre os pais de Naruto, Hiashi, H&U Models, e alguns amigos, tudo sempre muito superficial, pois tudo assim que aprofundado levava-lhes ao relacionamento entre eles no passado. Apesar de tudo, riram com as piadas de Naruto, que estava alegre, feliz. Hinata sentia-se da mesma maneira que o loiro. Era tão bom estarem juntos, sem discussões, somente risos de acompanhamento a eles.

O jantar já estava no fim, e a hora da despedida aproximava-se a cada segundo mais, e isso já começara de certa forma a entristecer aquele ambiente tão alegre.

- Eu me diverti muito, Naruto. – disse a Hyuuga gentilmente para o lindo loiro ao seu lado.

- Ótimo, mas se pensa que acabou, está enganada. - disse o loiro com seu maravilhoso sorriso nos lábios.

- Como assim? - surpreendeu-se. Como não havia acabado ainda?

- Quero lhe fazer um convite. Quero ti levar a um lugar. - disse o Uzumaki com uma voz rouca.

- E-Eu não sei, Naruto. Já está t-tarde. - não queria se afastar dele, mas sabia que depois sofreria com as lembranças de momentos felizes, porém proibidos.

- Por favor, Hina! - insistiu.

- Ok. - respondeu por fim.

- Você não vai arrepender-se, prometo. - disse o Uzumaki enquanto retiravam-se do restaurante.

- “Eu também queria ter essa certeza.” - suspirou Hinata.

Durante o trajeto nenhum dos dois trocou uma palavra. Somente o som do CD envolvia o veículo. Hinata, apesar do silêncio preferia não pensar em nada, não que isso fosse fácil. Ela só queria aproveitar cada segundo, gravar cada gesto, sabia que aquilo não era certo. Naruto sorria enquanto dirigia, aquela era a sua chance, e bem, não deixá-la-ia escapar sem tentar.

- Feche os olhos. - sussurrou no ouvido da Hyuuga, assim que parou o carro, provavelmente não era exatamente ali, numa rua que a Hyuuga parecia conhecer, mas não lembra-se o nome dela e nem próximo a que ela ficava.

- Cer-Certo. - ofegou após sentir a respiração quente do loiro tão próxima a curva do seu pescoço. Hinata fechou os olhos e com a ajuda de Naruto saiu do carro, caminhou sendo guiada pelo loiro durante uns dois minutos. Confiava em Naruto, por isso continuou mantendo os orbes fechados.

- Pode abrir. - disse o loiro com uma voz cheia de espectativa, queria saber qual seria a reação da morena ao notar onde estavam.

- Por que me trouxe aqui? - perguntou ela após olhar o lindo lugar em que estava. Era um parque. Mas não um simples parque, era o parque onde ela soube que Naruto era apaixonado por uma garota, e até aquele dia Hinata não sabia ser ela, só depois que saíram do parque já com a lua no céu que descobriu. Ele a amava. - Por quê? – as voz estava embargada, não pôde evitar as lágrimas já rolavam por sua face. O loiro aproximou-se dela, parando na sua frente, fitando-a carinhosamente.

- Por quê? - repetiu ele, enquanto secava as lágrimas da morena. - Porque aqui é o meu lugar preferido. - não mentira, aquele simplesmente era o lugar em que se sentia em paz, feliz. Hinata abaixou a cabeça sentindo-se triste porque depois de tudo, Naruto ainda conseguia amá-la, e ela não “poderia” retribuir tanto carinho. - Ei?! Olhe pra mim. - disse erguendo delicadamente o rosto da Hyuuga, fazendo-a lhe fitar. - Não quero que você sinta-se triste hoje.

- Não quero que você iluda-se, Naruto. Nem quero me iludir também. - o loiro sorria ouvindo as palavras da morena.

- Obrigado por se preocupar comigo, mas esqueça tudo hoje.

- Amanhã tudo será o mesmo. - argumentou um motivo realmente real para eles. Não importava o que acontecia agora, ou bela noite que passaram no restaurante, eles não poderiam estar juntos mais como há dois.

- Então aproveite cada segundo do agora. Somente esta noite. - os olhos azuis fitavam-na tão carinhosos, intensos, pareciam mergulhar em sua alma. Somente esta noite ela preferiu apagar o passado.

Hinata fechou os olhos sentindo a brisa do lugar, fresca, gélida, perfeita. Naruto circundou a cintura da Hyuuga, puxando-a para mais perto de si. Hinata permaneceu com os olhos fechados, agora, sentindo ainda mais nítida a fragrância masculina marcante do perfume do loiro. Pôs as mãos sobre o tórax do Uzumaki. Ele aproximou-se mais, e ela sentiu a respiração quente mais próxima à sua face delicada.

- Eu não quero que você sofra. - sussurrou baixinho, mas audível ao loiro.

- Então não sofra, pois eu sofro vendo-lhe sofrer. - disse com uma voz macia antes de roçar levemente seus lábios aos dela. Selinhos eram trocados até os lábios se unirem em um beijo calmo e apaixonado. Um beijo sob a lua, o véu negro e as estrelas, sob o céu dos apaixonados. Aprofundaram. As línguas encontraram-se divinas, uma sincronia perfeita, reconhecendo cada canto daquele ambiente já explorado por eles.

O doce perfeito misturado ao gosto salgado das lágrimas de Hinata, que a mesma não conseguiu novamente evitar. Mas continuaram o beijo, desfrutando de cada segundo até o ar começar a fazer-se ausente. Separaram-se ofegantes, porém um abraço apertado da Hyuuga os uniu novamente.

- Eu sinto tanto a sua falta, Hina. - sussurrou o loiro que aos poucos tinha a respiração normalizada.

- Eu também sinto, Naruto. Eu queria que tudo fosse diferente. - murmurou pesarosa.

- Tenho certeza que hoje está sendo, minha pérola. - continuaram abraçados por alguns minutos em um silêncio aconchegante sentindo o vento mais ríspido começar devagar, fazendo esvoaçar os cabelos lisos da morena. - Seu beijo continua maravilhoso. - disse o loiro em um tom maroto, fazendo a Hyuuga rir em seu tórax.

- Ah, é?! Que bom que gostou, Uzumaki. - disse afrouxando o abraço para fitá-lo sorrindo.

- Sim, eu gostei muito. Acho que já estou viciado nele. - sorriu.

- Hum... Que pena. Se você tivesse certeza do seu vicio, eu teria prazer em lhe ajudar com o tratamento. - sorriu sapeca divertindo-se com a expressão do loiro que não gostara nada de ficar sem seu remédio.

- Vai me negar ajuda? - indagou com uns olhinhos pidões.

- Bom, como eu sou gentil, eu lhe faço uma proposta. Se conseguir me pegar, meus lábios serão seus. - deu-lhe um sorriso meigo, permitindo-se naquele momento aproveitar a presença do amado.

- Proposta aceita, mas acho bom começar a correr, pois não me contentarei só com os lábios. - deu-lhe uma piscadela, em seguida Hinata separou-se de fato do abraço e começou a correr.

Eles pareciam duas crianças brincando de pique-pega por aquele extenso parque, enquanto corriam gotas de chuva começaram a cair sobre eles, o calor abafado fez com que as nuvens ficassem carregadas e agora livraram-se daquele peso tornando-se gotas de início fina, mas aos poucos foram engrossando, fazendo com que o casal que brincava ficassem encharcados.

Apesar de Hinata ter tido certa distância de Naruto como vantagem, o salto das sandálias foi um dos motivos e mais o loiro que era visivelmente mais rápido que ela, fazendo com que Naruto a alcançasse rapidamente. Ao aproximar-se da Hyuuga ele a segurou pela cintura, abraçando-a por trás, colando seus corpos.

- Ti peguei. - sussurrou ele. - Agora, está na hora do meu prémio.

- Claro, Senhor Uzumaki. Meus lábios são todos seus. – disse, oferecendo ao loiro um som gostoso de uma risada livre que Hinata não lhe presenteava algum tempo, mais de dois anos.

- Não, não... Eu quero mais. - deu-lhe um beijo o ombro desnudo, trilhando um caminho até a curva do pescoço.

- E-eu disse l-lábios. - estremeceu ao toque dos lábios quentes de Naruto à sua pele fria devido à noite gélida daquele momento, fruto da chuva e do vento.

- Melhor irmos, está chovendo cada vez mais forte. - disse o loiro afrouxando seu abraço, sorria ao ver Hinata entregue ao seu desejo. Ele sabia disso.

- C-Certo. - murmurou.

- Quer entrar? - indagou o loiro já no corredor da cobertura, a voz era rouca, estremecendo a figura pequena e feminina em seus braços. Abraçados, eles chegaram ao edifício, não se desgrudavam desde que saíram do parque.

- A-Acho melhor não. - ofegou somente por escutar-lhe a voz. Ele a provocava, e isso já não podia persistir.

- Eu insisto. - fitava diretamente os orbes perolados. - Hina, eu ti quero. Quero você comigo. - sussurrou bem próximo a ela. Desejava-a de corpo, alma e coração.

- Naruto. - sussurrou.

- Você me disse que amanhã tudo voltaria a ser igual. Então me deixe fazer dessa noite... - deu-lhe um selinho. - Diferente.

- Eu sou sua essa noite. - disse fitando-o com carinho, com desejo, com amor. - “E em todos as outras, meu coração, minha alma e meu corpo pertencerão sempre a você, amor.” - completou em pensamentos.

O loiro sorriu, ele e a Hyuuga entraram no apartamento. Fechou a porta e jogou as chaves dentro de um vasinho sobre a mesinha de centro da sala. Voltou a olhar a Hyuuga, que sorriu para ele, pensando somente no “agora”, o que viesse no futuro ela deixaria para o futuro, porque ficar longe de Naruto era impossível, não quando a falta dele é como veneno que destrói lentamente o seu coração. Sorriu de volta e aproximou-se da mesma, dando-lhe um beijo doce, seus corações estavam em euforia, talvez o vinho do jantar ainda estivesse fazendo efeito, mas aquela era uma vontade e uma necessidade de se entregarem ao sentimento tanto retido neles.

...

Satisfeitos, Naruto deitou-se ao lado de Hinata. Estavam arfantes, exaustos, suados, e melhor,  e o mais importante, estavam felizes. O Uzumaki puxou-a para si, abraçando-a e dando-lhe um beijo calmo, sentindo mais daquele vicioso sabor dela. A Hyuuga estava sobre ele, com as mãos sobre o tórax desnudo do loiro, enquanto beijava-o. Fitaram-se após o beijo, as safiras brilhavam como há anos não brilhavam. Ele estava feliz e ela queria aproveitar aquele momento nos braços do homem que amava, somente isso.

- Hinata? - chamou-a, com a face tranquila e convicta. Tinha tomado uma decisão.

- Hum?

- Não vou desistir de você. Nunca. - a morena desviou o olhar do loiro e continuou em silêncio. - Eu ti amo, e você ainda me ama. Isso tudo não foi só desejo, foi amor, eu sei disso.

- Eu... Eu... – ela queria dizer algo, talvez por covardia até tentar negar o que sentia, mas isso era impossível. Continuaram em silêncio, a morena perdida em um conflito interno. Nos últimos dois anos, ela conseguira acreditar que a felicidade não lhe pertencia, e o intenso e sincero amor que Naruto nutria por ela já pudesse ter se escasseado, e que assim seria mais fácil manter-se distante dele. Mas os últimos meses a estavam pondo de volta a uma difícil escolha, onde lhe mostrava que o sentimento do Uzumaki ainda existia tão puro e forte como o dela, e talvez lhe fosse permitida uma segunda chance. Mas a escolha dividia-se em aceitar aquele amor, aproveitando todo aquele sentimento, ou recusando-o e mantendo uma distância segura para o loiro que também se machucava com as lembranças de seu passado oculto. Porque eram essas lembranças, esses fatos que a obrigavam a afastar-se dele, sem dar a Naruto a chance de saber a verdade, o verdadeiro motivo. – Naruto, eu realmente desejo que tudo fosse mais fácil. Eu guardo tantas coisas comigo. - disse fitando-o hesitante. Temerosa de que pudesse estragar aquele belo sonho lembrando-se do passado.

- Eu sei... E eu estou, e sempre estarei aqui para que você possa dividi-las comigo. Mas não precisa me contar nada agora. - sorriu para Hinata e a mesma retribuiu, sentindo um sentimento de esperança aquecer-lhe. Quem sabe ela realmente pudesse ser feliz? Ele dissera que estaria ao seu lado, ele fora capaz de perdoá-la, até o momento, talvez realmente houvesse uma chance.

O casal estava dormindo, o loiro e a morena estavam abraçados em forma de conchinha. Um silêncio aconchegante envolvia-os, sendo um toque harmonioso para a madrugada e os momentos que passaram. Enquanto dormiam um sorriso delineava os rostos calmos e felizes. Satisfeitos de prazer e amor. Eles não conseguiriam mais negar esse amor, mas vivê-lo era escolha deles e do destino.

O som do celular da Hyuuga interrompeu o agradável silêncio, e acordou o casal, que ainda se espreguiçara relutantes a acordarem e afastaram-se um do outro.

- Hum.. - resmungou Hinata já atendendo o celular que estava ao lado da cama, sobre o criado mudo do quarto loiro.

- Hinata?! Sou eu, Neji.

- Neji? - estranhou a voz do primo, ele parecia nervoso e preocupado, e realmente deveria estar para ligar para a prima às seis e trinta da manhã.



Notas finais do capítulo

Oi, amores..

Capitulo 10 finalmente saiu..

Espero que tenham gostado..

Se eu tivesse que dividir FanFiction em duas partes, certamente esse seria o final da primeira parte..

O que será que vai acontecer a partir de agora? Heein? ;P

Até o próximo capitulo..