My Beloved Prince escrita por GabVamp


Capítulo 27
Fora de Controle


Notas iniciais do capítulo

Perder o primeiro beijo na frente da sala toda é realmente assustador, ainda mais quando praticamente todos da sala não gostam de você.
Frustrar-se, contrariar-se são reações normais, até mesmo descontar sua fúria na pessoa que você mais ama.




“'Eu perdi... P-perdi meu primeiro beijo... Perdi na frente da classe toda. Na frente do professor! Mas... E-eu... Eu perdi com o Ri-chan!'

Seu coração bate desesperadamente. Um misto de angústia, com uma imensa alegria toma conta de seus sentimentos.

'Eu quero chorar.'”

Os aplausos não param, o professor se levanta totalmente deslumbrado.

— Vocês realmente foram ótimos! — Se aproxima sorridente, com cara de satisfeito.

— Muito perfeitos! Muito mesmo! — Brenda também se levanta feliz.

Lia sente certa angustia em seu coração, não deixa de reparar que muitas das garotas da sala, agora a olham com olhares de “zombação”, terá sido... Por causa do beijo?

“E-eu não acredito. Ri-chan fez isso na frente da sala inteira... Que vergonha! Ri-chan idiota!”, pensa enquanto tenta desviar seu olhar para baixo.

— Lia-chan, Rikku-chan é bom irem logo passar o produto nas roupas para não manchar com o sangue artificial. — Brenda os lembra.

— Oh, é verdade. — O professor concorda. — Então tem que limpar as manchas do chão também.

Rikku olha para Brenda.

— Não se preocupem — diz já se abaixando com um paninho — eu limpo as daqui da sala, podem ir ao banheiro.

— Obrigado Brenda. — Rikku a agradece com um sorriso.

— Eu ajudo a senhorita Brenda — diz o professor —, enquanto isso Marielle vá se aprontando para a apresentação do seu trabalho. — A olha sério.

Lia fica parada, pensativa.

— Lia-chan...? — Brenda, abaixada, a olha.

Lia é despertada com Rikku pegando sua mão e a puxando para fora da sala.

“Minhas bochechas queimam. Eu posso sentir!”

Andam pelo corredor em silêncio até chegarem aos banheiros mais próximos.

Os dois param lado a lado em frente às portas, e ficam calados.

“E-eu não consigo me mexer... Não consigo pensar... P-por que Ri-chan continua segurando minha mão?”, pensa aflita, ainda tendo sua mão segurada por Rikku.

— Né, Lia-chan... — Ele começa a dizer algo, com uma voz suave.

Porém Lia puxa sua mão com força, coisa que deixa um olhar de espanto no rosto de Rikku.

Olhar esse que logo se transforma em uma expressão de raiva.

— Por que você fez isso? — A indaga irritado.

— Você — se vira raivosa para ele — acha que pode ficar segurando minha mão até quando?

— ÃHN? — A olha de forma furiosa.

Lia se aproxima.

— Você sempre vem... Sempre! — Chacoalha a cabeça. — Sempre, sempre, sempre! Sempre fazendo o que você bem quer. — Aperta os olhos. — Me usando da forma que acha melhor!

“Estou tão frustrada.”

— Você tá me fazendo de idiota ou o que? — Pergunta furioso.

— Você já é idiota por si só! — Responde num tom mais alto.

“Estou com vergonha.”

— Eu não estou entendo qual é o seu problema, sua caipira idiota!

Lia sorri debochadamente.

— Não está entendendo? — Sorri novamente. — Sabe...

“Estou com tanta raiva!”

— Eu estou cansada... — Fala quase que sussurrando.

“Você está tão lindo.”

— Eu realmente não estou te entendendo Lia! O que você...?

“Eu não aguento mais...”

— Estou cansada Ri-chan... — Lia pode sentir lágrimas brotando de seus olhos.

Rikku a olha preocupado.

— Mas... Cansada de que...?

— De você... — Ela da uns instantes quieta, e logo continua, aumentando a voz o máximo que consegue. — De você ser tão burro!

— O-o que? — Pergunta, desconsertado.

— SIM! De você ser tão burro! Tão idiota! Tão imbecil!

— V-vo-você ta zoando comigo? A rainha da burrice está me chamando de burro? — Rikku enfim perde o controle de si.

— SIM! Estou! Estou! Estou mesmo! Idiota! IDIOTA! — Coloca as mãos no rosto e soluça.

— Você é uma verdadeira caipira e... — Ele a segura pelo pulso e a puxa mais para perto.

Lia sente seu coração saltitar como louco.

A olha nos olhos. — E... Está chorando... E eu quero saber o porquê!

Rikku a puxou de forma tão forte, que Lia teve que apoiar seu corpo no dele.

— Por quê...? Por que está chorando? — A olha com um olhar triste e carinhoso.

“Porque eu não consigo tirar esses sentimentos de dentre de mim... Imbecil!”

Ele segura os braços de Lia os empurrando para as costas da mesma. Isso faz Lia se aproximar do rosto de Rikku. Como ela está de salto, os dois estão na mesma altura.

“E-eu não acredito... Ri-chan está fazendo esse clima de novo... Está tão perto de mim... Tão perto!”

— Né Lia... Por que você está sempre chorando? — Pergunta com um olhar melancólico.

A jovem tenta forçar um pouco para se soltar, mas sem muito sucesso.

— M-me solta Ri-chan... — Aperta os olhos fazendo mais lágrimas escorrerem dos mesmos.

“Seu corpo é tão quente. Mesmo sendo magro, tem tanta força... Me segura de um jeito “tão Ri-chan”, e ainda... Ainda tem esse cheiro de maçã! Essa droga de cheiro tão... Tão gostoso, que faz cada vez mais eu perder a noção de mim mesma!”

— Eu não vou te soltar Lia... Eu não vou. — Diz sussurrando com a ponta do nariz encostada na dela. — Sabe... Faz um tempo que venho me perguntando... — pressiona o olhar — Por que será que a gente sempre acaba nessas situações?

Lia cora, tenta novamente se remexer para se soltar.

— M-me solta! — Começa a falar mais alto — ME SOLTA!

“Me solta, por favor, se não eu...”

— Eu não quero te soltar. — Diz se aproximando mais, as pontas dos narizes se amassam um pouco. Rikku tem seu rosto tomado pela cor vermelha, porém seus olhos estão de um jeito que Lia nunca viu antes. Tão intensos e molhados, com seus longos cílios pretos...

“Eu não quero que ele me olhe assim... E-eu... Eu não quero...”

Lia fecha os olhos com força.

Rikku, aparentemente, perdendo o controle de si, começa a esfregar seu nariz no de Lia. Esfrega bem suave e lentamente.

“E-eu... É claro que eu não...”

Logo em seguida a aperta mais em si mesmo e começa a esfregar seu nariz na bochecha da mesma, a cheirando.

Lia fica ofegante. Sentindo o macio nariz de Rikku passando por seu rosto. Cada esfregada que ele dá, Lia sente seu corpo queimar.

“Eu não quero... Não quero... Quero...”

Lia sem nem notar, tem seu rosto acariciado pelos lábios de Rikku.

Ele vai esfregando sua boca no rosto dela, nisso Lia consegue observar que Rikku, assim como ela, está muito ofegante.

Lia lentamente abre os olhos, porém fica corada quando nota que Rikku a olha. Hipnotizada pelo olhar do mesmo, sem conseguir fechar os olhos, ele continua esfregando sua boca no rosto dela, mas a olhando de forma intensa.

Aproxima-se cada vez mais da boca da garota, fazendo a mesma ofegar mais alto.

“Não quero... Não... Quero... Eu...”

Lia sente a boca de Rikku cada vez mais próxima da sua.

“E-ele vai me beijar? M-mas eu não quero. Não quero...”

Rikku nota que o outro lado do rosto de Lia ainda está molhado pelas lágrimas. Eis que resolve, lentamente ir colocando sua língua para fora, fazendo Lia estremecer por completo.

Sem pressa começa a lamber a face da mesma, deslizando docemente em direção ao outro lado.

“E-eu... Eu quero... Quero muito!”

Lia para de resistir. Ele a abraça mais.

Vai deslizando sua língua, chegando cada vez mais perto da boca de Lia.

“Ele vai pular minha boca...? Vai desviar...? Ou...?”

Lia se surpreende, pois assim que chega à boca, Rikku não a pula, e sim, começa a passar mais lentamente ainda, sua língua na boca dela.

Pela primeira vez na vida, Lia pode ter sua mente totalmente vazia de problemas. A única coisa em que consegue pensar é no desejo de poder se envolver com Rikku mais e mais. De todas as formas. Poder sentir essa sensação única, que, só ele a faz sentir.

Lambe bem vagarosamente o lábio inferior, depois, mais devagar ainda o superior.

Lia sente seu corpo incendiar. Cada parte do seu corpo queima. Queima tanto que ela tem vontade de pular em uma piscina com água bem fria.

Rikku enfim chega até o outro lado do rosto de Lia. Passa sua língua na bochecha dela, seguindo todo o caminho das lágrimas.

“Isso é tão bom! E-estou me sentindo t-tão excitada...”

Quando chega bem em cima da bochecha, Rikku a morde de leve. Lia se segura para abafar um gemido que queria loucamente escapar.

— Nnn...

Rikku nota o estado da garota e a empurra até as costas da mesma encostarem-se a parede entre as duas portas. Pega os braços dela e os coloca para cima, segurando com firmeza.

Ela arqueja.

Com uma das mãos, Rikku segura o rosto de Lia. O acaricia de forma doce, e ao mesmo tempo marota. Com a outra mão, continua segurando os braços da garota fortemente.

Lia está completamente hipnotizada. Rikku novamente a olha com seu jeito Rikku de olhar.

“Eu quero beijar o Ri-chan... Eu quero! Mas dessa vez... Beijar de verdade!”

Ele se aproxima. Lia com a boca entre aberta... Seus lábios estão quase se tocando...

— O que vocês dois estão fazendo? — São surpreendidos.

“Não! Essa voz... É a voz do Lain-sama!” pensa tendo um misto de desespero e tristeza.

Lia abre os olhos rapidamente, porém Rikku já esta com cara de espanto olhando para o lado.

Ele a solta velozmente.

— L-Lain... — Rikku diz sem graça, tentando disfarçar o ocorrido de todas as formas.

Lain se aproxima.

— Por que estão vestidos assim e — olha chocado — isso é sangue!

— N-não, é falso... — Rikku responde com um sorriso forçado.

— C-como assim? — Lain indaga se aproximando mais.

Rikku da uma leve gargalhada.

— É sangue falso da nossa apresentação. — Termina com um sorriso.

— Ora. É verdade, vocês iriam apresentar uma peça hoje — também sorri —, eu fiquei sabendo pelo professor.

— Sim, sim. — Rikku coça a cabeça.

— Mas... — Lain se aproxima deles. — Rikku-chan, você está muito lindo com essa roupa!

Rikku cora completamente.

— O-o-obrigado. — Responde embaraçado.

“Ri-chan idiota...”

Lia do nada sente uma enorme vontade de chorar.

— Lia-chan também está muito linda! — Lain a olha. — Se não fosse por esse sangue falso, estaria mais linda ainda! — Termina com um sorriso.

— Obrigada... — Responde de forma séria, com a voz baixa.

— Mas... O que vocês dois estavam fazendo...?

Rikku abaixa a cabeça e desvia o olhar.

“Você é um verdadeiro imbecil...”

— Não estávamos fazendo nada. — Rikku começa a tentar responder. — E-eu estava ajudando a limpar um pouco de sangue falso do r-rosto dela... — Sorri sem graça.

“Idiota... Na verdade eu é que sou a idiota... Que raiva... Que raiva.”

Lia rapidamente abre a porta do banheiro feminino entrando rápido. Fecha a porta com violência e entra correndo em uma das divisões do banheiro. Tranca a porta.

— Idiota! — Começa a dizer enquanto senta no vaso com a tampa fechada. — Idiota. Tão idiota! Você é muito idiota! Rikku idiota... — As lágrimas começam a rolar em grande quantidade de seus olhos. — Muito idiota!

“Como pôde? Ficar todo tímido por causa do Lain-sama... E ainda mentir com uma desculpa tão esfarrapada!”

— Como pôde? Depois de fazer aquelas coisas comigo? — Mais lágrimas escorrem. Ela passa a mão no rosto para secar, porém lembra-se dos carinhos que Rikku fez no mesmo lugar. Não consegue se segurar e acaba chorando mais ainda.

“Que raiva de mim! Rikku Idiota!”



Notas finais do capítulo

Olá pessoal, obrigada por lerem mais esse capítulo!

Foi intenso não? Hahaha. Pois é, a Lia está sofrendo, e sofrendo bastante, o tempo passa e o sentimento que ela tem por Rikku só aumenta. Porém ela sabe que Rikku ama Lain, mas será apenas isso mesmo...?

O próximo capítulo será focado na Brenda, mostrando os pensamentos dela, os sentimentos dela. Então não estranhem, sem Lia no próximo xD

Sinto que estou devendo para minha Brenda, afinal ela tem seu amor, pela irritante irmã gêmea de Rikku, a "simpática" Yumi. Então aviso, como tem nos próprios avisos da fic logo no começo, o próximo capítulo será voltado ao relacionamento da Brenda com a Yumi, ou seja, será shoujo-ai (lésbico), mas nada muito forte, afinal é para maiores de 16 só u-u
AUHuhauhaUHAuhaHAUHAHUA

Espero que leiam o próximo capítulo hein! Nada de preconceito com relacionamentos homossexuais, afinal, nosso Rikku gosta do Lain (isso já é ser gay, ou pelo menos bi, já que ele flerta com a Lia o tempo todo xD)

Novamente, obrigada por lerem, e espero todos no próximo!