My Beloved Prince escrita por GabVamp


Capítulo 2
Coração Acelerado


Notas iniciais do capítulo

Nesse capitulo aparece um novo personagem, será um novo amigo? Ou um grande problema? Lia vai cada vez mais notar que viver na cidade grande, com pessoas diferentes dela é uma tremenda confusão de sentimentos!




"Chegou à porta de casa, e parou antes de entrar, estava tremendo, teve medo por um momento de Amara a ver naquele estado, mas ela se lembrou que esse horário, Amara está bem longe, trabalhando. Ela se sentiu até aliviada. Quando entrou, ela viu a casa vazia, silenciosa, melancólica, aquela solidão desesperadora, como se tudo conspirasse contra ela, como se o destino dela fosse sofrer sozinha. Lia foi para seu quarto, antes mesmo de chegar a sua cama, caiu no chão desesperada chorando aos berros..."

No dia seguinte, chegando à escola, Lia não consegue tirar da cabeça o ocorrido, ainda mais por ter saído correndo que nem idiota, sem nem mesmo agradecer decentemente... Então ela resolve ir atrás do seu belo príncipe. Mesmo tímida, ela tenta perguntar para as garotas que sentam a sua frente.

– Eh... Bom dia eu queria saber... Hum... – As duas garotas ficam a olhando, como uma cara de poucos amigos. Mesmo assim Lia continua. – De saber... O nome do tão famoso príncipe... – Diz ela olhando para o chão.

– E por que temos que te dizer? Deixa nosso príncipe em paz caipira! – Dizendo isso as duas caem na gargalhada.

Lia ficou morrendo de raiva, mas foi se sentar. Ela reparou que todas as garotas estavam olhando o tempo inteiro para ela, sempre com um olhar de ameaça. Ela ficou com vontade de sair dali correndo. “Se não bastasse o que aconteceu ontem, eu tenho que aguentar isso hoje!” ficou pensando, se segurando para não chorar.

No intervalo, agora mais calma, ela resolve ir procurar por si mesma o belo príncipe. Para enfim o agradecer pelo incomodo de ontem. Mas como Lia o encontraria? Nem seu nome ela sabe.

– Bem sei que ele é da sala 12, pois ouvi aquelas garotas comentando, então deve ser no andar de cima... – Falou baixinho com ela mesma. Subindo as escadas ela ouve algumas vozes.

– Você não se toca? Não vê o quão ridículo é?

Lia se esconde atrás da parede, para que não a vissem. Ela deu uma espiada, e viu duas garotas e um belo garoto, ele era muito lindo, com cabelos super compridos na cor preta, magrinho com pele branca. Lia o achou tão lindo, que ele parece até uma menina, ainda mais por estar com uma bela fita prendendo parte do cabelo. Em todo caso, elas pareciam o estarem intimidando. Lia ficou curiosa e continuou espiando.

– E ainda por cima colocas essa fitinha no cabelo. Asqueroso! – Disse a ruiva de cabelo curto, num tom de deboche. Lia notou que o garoto estava com um olhar de raiva, porém triste.

– O príncipe-sama é de TODAS nós, nenhuma tem o direito de se aproximar mais do que deve dele. Ai você acha, que um cara irá poder? Coloque-se no seu lugar, seu pervertido!

Ele continuou com seu olhar para elas.

– Você não vai dizer nada aberração? – perguntou furiosa a de cabelo escuro escorrido.

Então com a mesma expressão em seus olhos, ele diz com uma voz firme. – Vejo que vocês estão com muita inveja da aberração!

– Ahahaha, coitado está delirando!

– Eu delirando? Então porque vocês estão perdendo tempo comigo? A aberração...? – Antes que elas pudessem responder, ele continuou – Ah! – Agora falando com um sorrisinho malicioso. – Será porque o Lain-sama me deu a fita que ele fez na aula de costura? Então as perdedoras estão mordidas de inveja? – Falando assim ele se aproxima bem perto delas, com olhar de vitorioso.

– Inveja? De um gay? Tenho certeza que você sabe que o príncipe-sama só tem pena de um pobre coitado como você!

– E não o chame pelo nome! Você não tem esse direito, ridículo!

– Deixe ele Yumi, agora ele vai se ver com o presentinho, HAHA! – Com ela falando isso, saiu três rapazes fortes de dentro da sala da frente, pelo porte eles parecem ser do time, já que são altos e fortes.

– Hummmmm, então esse é o famoso Rikku, mais lindinho do que imaginei! – Ao louro dizer isso os outros caem na gargalhada.

– O-o que pensam que vão fazer? – Perguntou Rikku nervoso.

Quando os três partem para cima dele. Segurando seus braços para cima e o prensando na parede.

– Me-me larguem seus animais!

–Já que você quer homem, iremos te mostrar o que homens fazem com outro afeminado como você, HAHAHAHAHA!

– Me soltem imbecis!

– Meninos, antes, vamos acabar com essa alegria dele, já que ele está se achando tanto! – Disse a de cabelo escuro.

– Isso mesmo Yumi, ai quero ver a confiança dele agora! – Disse a ruiva sorrindo.

– OK meninas. Então delicado Rikku, essa fitinha é preciosa né? – O louro perguntou em tom de deboche já sabendo a resposta.

– VOCÊS NÃO OUSARIAM! - Gritou Rikku ainda preso, mas dessa vez mais forte ainda. O louro então puxou a fita no cabelo de Rikku. Eles todos gargalharam ao ver o rosto desesperado de Rikku.

– Humm, Din-kun dei-me essa fita. - Ele entrega a Yumi. – Nina-chan cadê o isqueiro?

Quando Rikku ouviu isso já imaginou o que eles pretendiam e gritou com lágrimas nos olhos – PAREM!

– Aqui Yumi-chan!

Então ela acende o isqueiro.

– Parem, por favor... – Suplicou Rikku desesperado.

Yumi coloca o fogo cada vez mais perto da fita, até que o fogo começa a subir pela fita. Rikku fica estático, até esquece, que está preso pelos outros.

Lia que ainda assistia, num momento de desespero pega a garrafa de água que estava dentro de sua mochila, e taca a água em cima de Yumi, na intenção de apagar o fogo. Todos a olham sem entender.

– Mas... MAS O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO GAROTA? – Yumi pergunta aos berros.

Rikku continua imóvel, apensar dos outros o estarem segurando mais suavemente. De repente Lia começa a falar. – Asquerosos, como podem agir assim com um colega? Machucar os sentimentos dele dessa forma?

– CALADA! Quem você pensa que é garota?

– Yumi-chan, essa é a novata que foi salva pelo príncipe-sama.

Ao Nina dizer isso Rikku parece voltar à realidade e olha fixamente para Lia.

– Ótimo, vamos matar dois coelhos com uma cajadada só, peg... – Antes que Yumi terminasse a frase, Lia a interrompe. – Se eu fosse você não faria isso, pois eu já liguei na direção e tem um professor vindo para cá.

– O-o que? Vamos vazar rapazes! – Diz o louro olhando para os outros dois.

– Mas vocês disseram que nos ajudariam.

– Olha aqui Yumi, dissemos que ajudaríamos desde que não nos metêssemos com a direção. Até.

E os três rapazes saem rapidamente.

– Garota, você me paga, vamos Nina-chan.

As duas também se vão, sobrando apenas Lia e Rikku, que ainda continuava parado.

– Ahh, que droga! Queimou um pouco... – Lamentou tristemente Lia. Ela se aproximou de Rikku com a fita um pouco queimada na ponta. Rikku não parava de olhá-la.

– V-você está bem? Não se preocupe, não avisei nenhum professor não. – Disse sorrindo. E se aproximou de Rikku lhe devolvendo a fita.

Rikku ainda a encarando, pega a fita. – A garota que Lain-sama salvou... Isso quer dizer...

– Eh?

– Quer dizer que você é minha rival!

– Eh? Eh... EH? - Lia confusa continuou dizendo. – M-mas do que você esta falando? Por que eu seria sua rival? Eu nem te conheço! E-eu realmente não entendo o pessoal dessa escola, vocês agem e falam coisas estranhas demais para minha cabeça, e-eu realm... – Antes que terminasse Rikku se aproximou de Lia, o que a incomodou, já que se aproximou DEMAIS, colocando a mão na parede bem junto dela, e o rosto de frente bem perto do dela.

– O que faria Lain-sama ter olhado para você? Uma garota sem graça, caipira, feia... – Dizia isso com um olhar sério, mas um ar de provocação, com um sorriso malicioso.

– F-F-FEIA? Quem você p-pensa que é para falar assim de mim? – Interrogava Lia nervosa com a situação toda, tentando desviar seu olhar do de Rikku.

– Um cara lindo! – Falou todo convencido, com um sorriso superior, se aproximando mais ainda de Lia, se é que tinha como se aproximar MAIS. Lia ficou vermelha ao extremo, afinal ele realmente era muito lindo, ela nem sabia o que dizer, e sua cara vermelha estava super aparente, ela podia sentir a respiração quente dele bem perto de sua boca. Rikku se tocou que a forma como estava agindo causará uma situação mega estranha, e acabou ficando mais vermelho que Lia. Os dois se olharam por alguns segundos que pareciam uma eternidade, vermelhos, sem saberem como agir. Rikku vira seu rosto rapidamente, tira seu braço de cima de Lia, e diz.– É-é-é melhor n-não ir se achando e f-f-ficar longe do Lain-sama. – Dizendo isso tentou manter a pose de rude, mas não conseguiu muito, ainda estava super constrangido e tentava por tudo desviar o olhar para o lado.

Lia se afastou um pouco também, ainda super vermelha, sentindo suas pernas bambas.

– V-você é muito estranho. Ahhhh olha o que eu ganho em tentar ajudar os outros... – Lamentou baixinho com ela mesma, corada, morrendo de vergonha, com os olhos molhados.

Rikku começa a ir embora, mas de repente Lia nota que ele parou.

– Obrigado! – Disse Rikku tímido, o que fez Lia parar. Mas ela quase morreu quando Rikku depois de agradecer se virou, fazendo seus longos cabelos se moverem de uma forma graciosa por conta da brisa vinda das janelas e olhou para ela fixamente e deu um enorme sorriso com a sua fita nas mãos, como se estive radiante, depois se virou e foi embora. Lia ficou ali, parada alguns instantes, hipnotizada pela beleza dele...



Notas finais do capítulo

Rikku... Ele tem muitos problemas, e eu quis mostrar isso logo de cara, afinal as pessoas gostam de zombarem com pessoas diferentes, que pensam ou agem de outras formas. É complicado, mas com a ajuda das pessoas queridas, podemos superar quase tudo! E sim, ele é apaixonado pelo príncipe da Lia, e já aparece brigando pelo seu amor, mas mesmo assim acaba causando um grande impacto em Lia.
Espero que tenham gostado. O próximo capitulo aparecerá mais uma personagem importante para a história, com um passado também, muito complicado.
Espero que vocês acompanhem!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "My Beloved Prince" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.