My Beloved Prince escrita por GabVamp


Capítulo 13
Sabor Amargo


Notas iniciais do capítulo

As vezes em nossos corações brotam sentimentos que desconhecemos, que nos fazem ficar fora de nós mesmos... Confundem nossas mentes e desalinham nossos corações. A vida é uma caixinha de surpresas, tanto boas quanto ruins.
Lia enfim reencontra seus antigos amigos. Mas será que tudo sairá como ela imaginou? Esses novos momentos em sua antiga cidade serão proveitosos e inesquecíveis?




"A viagem acaba quando eles enfim chegam à antiga cidade de Lia. Uma cidadezinha bem fofa, cheia de verde, com casas bem separadas uma das outras! Lia sente seu coração apertado."

Enfim eles saem do trem, com as mochilas nas costas eles param na estação. O lugar é pouco movimentado, só eles e mais umas três pessoas desceram.
— Ei, Lia você avisou alguém que viria? — Rikku pergunta a Lia olhando em volta.
Ele se da conta que ela está olhando com cara de paspalha para uma garota e um garoto bem parecidos. Eles vêm em direção a Lia sorridentes.
— Lia-chii! — A garota vem toda animada.
— Lia-chaaaaaaan! — Diz o garoto todo entusiasmado aos berros.
— Ahhh pessoal! — Lia diz animada.
Rikku os olha com uma cara pouco simpática.
O garoto vai para cima de Lia e a abraça, quase a derrubando. — Lia-chan que saudades de você! — Ele diz com lágrimas nos olhos.
— E-eu não sabia que vocês viriam nos pegar. — Lia confessa.
— A vovó Zira nos avisou que você viria. Daí viemos correndo te buscar! — Explica a garota.
— Waaaaaa! Quem é essa garota que está com você? Mas que linda! — O garoto diz isso se aproximando de Rikku.
Rikku faz uma cara de ódio mortal.
Lia nota que o mal entendido estourou a cota de simpatia dele, ela se apressa tentando fazer as coisas se ajeitarem. — Deixem-me apresentá-los, esses são meus amigos de infância, Toni e Tônia! — Ela vai para perto de Rikku e enrosca seu braço no dele. — Esse é meu novo amigo Rikku!
Os dois olham para Rikku com caras curiosas. Toni se aproxima novamente. — Ehhhh você é um garoto?
Tônia vai perto de Toni e o puxa pela orelha. — Não seja indelicado!
— Aiii! M-mas ele parece uma garota...
Rikku espreme a cara o encarando, e vira o rosto para o lado empinando o nariz. Lia ainda de braços dados com Rikku, se aproxima do ouvido dele e diz baixinho. — Ahh Ri-chan desculpe! Eles são um pouco curiosos, não estão acostumados com pessoas diferentes... Tente relevar, por favor! — Ele faz uma cara mais emburrada ainda e olha para Lia. — Ok! Caipiras são complicados né? A burrice do mato afeta o cérebro e os tornam jegues! — Ele finaliza com um sorrisinho. Lia da um beliscão em seu braço. — AIII! Sua caipira! — Ele berra.
— Lia-chii algum problema...? — Tônia pergunta.
— É-é não, imagina! — Lia responde forçando um sorriso.
— Vamos ficar parados nessa estação derretendo no sol o resto da tarde mesmo? — Rikku pergunta ironicamente. Lia o olha de cara feia.
Toni corre grudar em Lia empurrando Rikku, e a puxa para eles andarem juntos. Assim eles seguem para a casa da avó Zira, a avó de Lia. Como os ônibus demoram a passar eles tem que ir caminhando, e é uma boa caminhada numa ruazinha de terra, com campos verdes dos dois lados, mas de um lado tem um rio que corta, e ao longe se vê as casas.
Toni anda abraçado com Lia, tagarelando sem parar. Tônia e Rikku andam um pouco mais atrás. Rikku aparenta estar mais mal humorado do que o normal.
— Então você é da mesma escola que a Lia-chii? — Tônia pergunta, mesmo já sabendo a resposta.
Rikku faz cara de azedo, pois é OBVIO que eles são da mesma escola, como Lia iria fazer amizades com pessoas fora da escola, sendo que o horário da escola é integral? Ter que responder uma pergunta da qual já se tem a resposta irrita muito Rikku. Ainda mais o sol torrando sua pele. — É o que parece né?
Tônia da um sorrisinho, que incomoda Rikku. — Toni é insistente, ele só ficou falando da Lia-chii todos os dias desde que ela foi embora. Ele sempre gostou muito dela.
Rikku acaba ficando mais mal humorado... Quem disse que ele está interessado no que o tal “Toni” sente ou deixa de sentir. Dane-se ele! Ele pensa furioso.
Tônia continua. — Ele ainda não desistiu de fazê-la notar seu amor. Desde crianças todo mundo diz que eles irão se casar. Mas a Lia-chii é ingênua e nunca reparou no amor do Toni. Ela sempre gostou dele, mas é inocente demais para notar isso, hehe.
— No meu ponto de vista, não é porque ela seja ingênua, e sim porque ela nunca o viu de forma romântica. Mesmo ele correndo atrás dela igual um cachorro, tenho certeza que ela não gosta de caras assim. Ele deveria desistir, já que é um fracassado. — Rikku responde.
Tônia fica com raiva e para deixando a sacola que carrega cair. Toni e Lia notam que algo esta acontecendo, como eles estavam numa certa distancia para frente, eles voltam até Rikku e Tônia.
— Quem você pensa que é para falar assim? — Tônia pergunta furiosa.
— O-o que foi pessoal...? — Lia pergunta, já imaginando que Rikku disse algo rude a Tônia.
— Alguém muito mais perceptivo que você. Ou alguém que vê a realidade e a encara de frente. Não fico me iludindo com pensamentos forçados. Se uma coisa não é, ela não é e PRONTO! — Ele responde com raiva.
— Você se acha muito sabidão. Você nem sabe nada sobre o assunto! Quem você pensa que é? Um garoto estranho e afeminado como você. O que entende de amor? Aposto que nada! Idiota!
Rikku fica com muita raiva, ele foi obrigado a ouvir coisas que ele nem queria e agora está sendo insultado por uma qualquer! — Olha aqui sua caipira do mato, você me obrigou a ouvir os problemas alheios que eu não estava nem um pouco a fim de escutar. Agora reclama deu estar me intrometendo! Tinha que ser caipira mesmo, é ignorante no ponto certo, honra o lugar da onde veio, sua mula!
— Seu...! — Rapidamente a cara de irritada de Tônia muda para uma risadinha irônica. — Heeeeeh, não me pareceu que você não estava interessado! — Ela diz sinicamente.
— Irmã, por favor, pare... — Toni tenta dizer algo.
— Ri-chan, você também... — Lia também tenta dizer algo.
— Huuuuuummm... “Ri-chan”... Vejo que vocês já estão bem amiguinhos não é? — Tônia debocha.
— T-Tônia-chan, por que você...? — Lia se espanta.
— Não eu não estava e nem estou interessado no que fulano sente ou deixa de sentir. Para mim dane-se. Não estou nem ai. Não me importo! Não ligo! – Rikku revida.
— Você é um grande mentiroso! — Tônia continua com a provocação.
— GENTE PARA! Vocês mal se conheceram e já estão brigando! Hoje é para ser um dia feliz. Um fim de semana feliz! A Lia-chan veio nos visitar. Não estraguem isso! — Toni fala firmemente!
— Toni-kun... – Lia diz sorrindo.
Rikku e Tônia ficam quietos, Toni irritado puxa Tônia para ir andando com ele um pouco na frente. Lia e Rikku andam atrás.
— Ri-chan... O que aconteceu? — Lia pergunta curiosa.
Rikku novamente fecha a cara. — Nada.
— Como nada? Depois do barraquinho de vocês dois... — Ela insiste, mas Rikku fica em silencio.
Eles andam assim por quase meia hora, e enfim chegam à casa da avó Zira. É uma casa grande, com um belo campo verde com flores em volta.
Vovó Zira está parada logo na entrada esperando Lia. Lia ao vê-la sai correndo e a abraça! Ela é uma senhora simpática, e trata todos amorosamente. Eles entram conversam um pouco na varanda. Mas Lia nota que Rikku está bem quieto ainda. Ela fica preocupada, está tão feliz de voltar em sua antiga cidade, que quer compartilhar esse sentimento com Rikku. Ela acaba se sentindo triste em ver ele assim.
— Lia-chan, eu quero fazer uma comida especial para vocês, mas preciso de ingredientes, será que você pode me ajudar? — Vovó Zira pergunta a Lia.
— Claro vó! — Lia responde sorrindo.
— Ótimo querida. Vá ao mercadinho da praça e compre esses ingredientes da lista. — Ela diz isso e entrega um papel e dinheiro para Lia.
— Ahh eu vou com você Lia-chaaaaan! — Toni já levanta correndo indo em direção a Lia. Mas ele é parado pela vovó Zira. — Não, não. Você e a Tônia vão me ajudar na cozinha. — Ela os leva para a cozinha.
— Haha Toni sempre tão animado! — Lia comenta sorrindo. Ela olha para Rikku que estava sentado no banco olhando os campos verdes emburrado. E novamente ela sente algo estranho em seu peito. Ela vai perto dele e pega em sua mão o puxando para se levantar e diz sorrindo. — Ri-chan você vem comigo! — Rikku arregala os olhos e fica um pouco corado.
Eles caminham novamente por uma rua de terra, a paisagem é bem bonita, ainda mais com o vermelho do crepúsculo.



Notas finais do capítulo

Novamente nosso Rikku solta os "cachorros" em cima das pessoas. Mas Tônia é bem esperta e pega as coisas no ar, sentimentos que as próprias pessoas nem deram conta ainda, pelo jeito ela é uma pentelha e vai fazer o que puder para realizar seus objetivos.
Não descrevi fisicamente os gêmeos, mais para deixar na imaginação de vocês, a única característica física marcante é que os dois são louros de olhos cor de mel.
O que será que nos espera nos próximos capítulos? Não deixe de acompanhar!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "My Beloved Prince" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.