My Beloved Prince escrita por GabVamp


Capítulo 11
Noite Longa


Notas iniciais do capítulo

Até que ponto conseguimos diferenciar raiva e irritação de atração? Lia está passando por momentos até então complicados, tudo dentro dela se revira, ela começa a ficar perdida, sem saber ao certo o que está sentindo.




"Ela é surpreendida, quando Rikku coloca o braço em cima dela, e se aproxima a abraçando e diz sonolento. – Relaxa e dorme caipira. Eu já te disse que não vou fazer nada. – E ele volta a dormir, mas continua abraçado com ela. Lia fica um pouco mais tensa. Mas lembra que Rikku é seu amigo e além do mais é gay e gosta do Lain-sama. Ela também gosta do Lain-sama, não tem porque ficar perturbada assim... Ela adormece com esse envolvente cheiro de maçã."

Lia sente um calor penetrando sua pele, um cheiro agradável entrando em suas narinas. O dia está belo, ensolarado, o vento sopra, pétalas de flores dançam com a brisa refrescante. Ela sente uma agradável felicidade, deitada num belo jardim, com uma cesta de frutas ao seu lado. Ela vê então uma maçã caída. Uma maçã verde que parece saborosa, tem um cheiro tão suave e agradável. Lia sente uma vontade louca de comê-la. Mas ela brilha tanto por conta dos raios de sol, isso faz o cheiro exalar ainda mais. Ela fica com tanta vontade dessa maçã que chega bem perto dela, esfrega seu rosto, a cheira, e a lambe. Tem um gosto tão bom. Lia a lambe novamente, a lambe com tanta vontade...
— Waaaaaah!
Lia ouve um grito. Ela abre os olhos lentamente, vê a imagem da maçã verde se tornando vermelha. Ainda sonolenta ela diz. — Oh! A maçã amadureceu. — Ela fica um pouco confusa quando vê Rikku com cara de assustado, totalmente corado.
Rikku fica no auge do vermelho, com os olhos arregalados. — C-ca-ca-caipira, o-oque você e-está fazendo?
Lia não entende direito o que está acontecendo. Quando ela nota que está totalmente agarrada com Rikku, com a perna entrelaçada na dele... A mão segurando a nuca dele... O rosto bem perto do dele... Ela também grita — Ahhhh! — E se afasta, encostando-se à parede.
— O-o-o-o-o que, o que, o que...? — Ela fica sem saber o que dizer. Agora ela entendeu, a maçã do seu sonho era Rikku. Culpa do cheiro, do cheiro de maçã que exala tão fortemente dele. Culpa do cheiro ela ficou hipnotizada dessa forma. Ela lambeu a maçã, então... Ela lambeu Rikku? ONDE? No pescoço? Na bochecha, ou... Na boca? Ela fica totalmente estática, no auge do constrangimento sente suas pernas bambas, e acaba sentando ajoelhada na cama, com medo de ter perdido seu primeiro beijo assim.
Rikku ainda a olha com os olhos arregalados, sentado na cama, com cara de espanto ainda vermelho. Eles ficam uns segundos, que parecem uma eternidade, sem saberem o que dizer.
— O-o que exatamente e-e-e-eu fiz? — Lia tenta perguntar a Rikku totalmente tímida. Rikku a olha, coloca a mão bem perto da boca.
— C-como assim...? Você não sabe o que fez? — Ele pergunta pasmo.
Ela pisca umas três vezes seguidas. — Eu, eu estava sonhando com uma maçã...
— Caipira você é louca? Você está louca? Você, você, você...! E eu preocupado com você, p-porque pensei que você estava com vergonha de dormir comigo, m-mas... Na verdade eu que tinha que ter tomado cuidado! Você quer abusar de mim! SUA PERVERTIDA! — Rikku começa a falar mais alto.
— Ehhhh! Eu abusar de você? Se toca, eu quero o Lain-sama! — Lia se defende irritada.
— A-HÁ-HÁ-HAHA! Estou vendo! Quer o Lain-sama me tarando! Sua pervertida! — A acusa cinicamente.
Lia fica com mais raiva e vai para perto dele. — Eu pervertida? Você que quis dormir na minha cama. O único pervertido aqui é você, seu idiota!
Ele também vai mais para perto. — Idiota é você caipira! Caipira, caipira, caipira, mil vezes caipira!
— Ahhhhh! Mas que droga! Tudo culpa desse cheiro idiota! — Lia fala com muita raiva, com os olhos lacrimejando e dá vários socos na cama, o que assusta um pouco Rikku.
— C-cheiro...? Que cheiro caipira...? — Rikku fala hesitante.
— Essa droga de cheiro de maçã! Por que você tem que cheirar tão forte? Por que esse cheiro me incomoda tanto? QUE RAIVA! — Ela fala mais nervosa ainda. Quando ela se da conta do que disse... Ela para e fica mais constrangida.
— D-do que você está falando caipira...? — Rikku pergunta com a voz mais baixa, com o rosto vermelho.
Ela fica parada olhando para baixo, e lágrimas escorrem dos seus olhos.
— O que foi caipira? — Ele pergunta preocupado.
— O-o que e-eu estou faz-zendo...? Que r-raiva...! — Ela diz chorando.
— Você é idiota? Por que está chorando?
Ela coloca as mãos nos olhos, tentando secar as lágrimas. — E-eu acabei fazendo essas c-coisas... D-desculpa, eu sonhei e... Ai eu quis e... E... — Ela mais chora do que fala.
Rikku olha para o lado. — Está tudo bem. Nem foi nada demais mesmo. Eu só me assustei porque você veio me agarrando... Tudo bem...
Ela continua chorando. — Mas eu... Eu... Eu acabei perdendo o m-meu primeiro b-b-b-beijo assim... Eu... — Ela chora mais ainda e não consegue falar mais nada. Rikku arregala os olhos, e logo em seguida olha para baixo. Seus olhos tremem um pouco e ele aperta as mãos. — Do que você está falando? Beijo? Que beijo? Não aconteceu nada disso. Você está louca. Você apenas lambeu minha bochecha.
Lia para de chorar e o olha. — É-é sério?
Rikku ainda olhando para o lado responde. — S-sim...
— Mesmo, mesmo? — Ela insiste na pergunta.
— Hum... Sim...
Lia sente tudo se acalmando dentro de si. Ela por um momento tinha achado que seu primeiro beijo tinha sido desperdiçado. Ela fica tão feliz em saber que não aconteceu nada, que ainda pode perder seu primeiro beijo com seu príncipe!
— M-mas mesmo assim, eu te l-lambi... E fui para cima de você daquela forma... Ahh que vergonha! — Ela fala tímida. — Desculpe.
— T-tudo bem caipira... — Ele responde vago.
— Verdade né? Até porque você é gay! Hahaha. — Ela diz isso sorrindo, porque enfim lembra que Rikku gosta da mesma coisa que ela, e que jamais sentiria algo por ela, ou iria querer fazer algo ou se aproveitar dela. JAMAIS né? Tanto da parte dele, quanto da parte dela... Jamais... Né...?
— C-CLARO! Eu quero o Lain-sama! — Responde ele rispidamente.
— SIM! Eu t-também...! — Ela também responde.
Eles se acalmam um pouco. Lia olha a hora, ainda falta tempo para sua prima Amara chegar, da para eles dormirem um pouco mais.
— Bem, ainda é cedo. Vamos continuar a dormir? Dessa vez vou desligar o abajur está bem? — Ela diz isso se inclinando sobre Rikku para alcançar o abajur no criado-mudo. Ao fazer isso ela fica um pouco tímida, pois sente o corpo dele tão quente próximo do dela.
Lia então se deita rapidamente. Quando começa a fechar seus olhos, Rikku pergunta. — Você nunca beijou...?
Lia abre os olhos bem rápido, fica em silêncio.
— Seu silêncio significa um sim? — Ele insiste.
— B-bem... É... Hum... Sim... — Ela acaba assumindo.
— Mas você não acha que já está velha demais para nunca ter beijado? Ainda por cima sonhar com o príncipe encantado te beijando? Você é mesmo uma caipira!
— C-cala a boca! Eu não sou igual a essas garotas da escola... E-eu nunca t-tive um n-n-namorado, nem coisas do tipo... — Lia fala totalmente tímida e ouve um som abafado — Pffuee! — Ela percebe que Rikku está segurando riso. Ela fica com raiva. — S-seu idiota! Está querendo rir de mim?
Ele então não aguenta e começa a rir. Lia fica com mais raiva.
— Você é um idiota mesmo! Idiota! — Ela o xinga.
— Desculpa, desculpa. É que é demais pra mim caipira! — Ele fala isso ainda gargalhando.
Ela se vira para a parede irritada. Rikku então para de rir.
— Sabe... Você deveria perder logo esse primeiro beijo...
— N-não pedi sua opinião! — Lia responde secamente.
— Está bem, está bem. Eu fico quieto! — Ele então fica em silencio.
Lia depois de tanto estresse quer estrangular Rikku. Sempre por culpa dele. Desde que ela chegou nessa escola tanta coisa aconteceu, ainda mais por Rikku estar sempre por perto. Ainda por cima esse cheiro de maçã. Lia fica perdida em pensamentos, temendo adormecer e acabar sonhando novamente com coisas estranhas e fazendo coisas mais estranhas ainda. Ela acaba por não conseguir dormir. Só se da conta do tempo que passou quando vê a claridade entrando pelas frestas da janela.



Notas finais do capítulo

O que está acontecendo aqui? Nossa Lia tão tímida e inocente está começando a ficar confusa. Por que Rikku tem o cheiro de maçã? Por que ele é bonito? Ou será algum outro motivo... Bem, ainda iremos descobrir isso. Acho divertido ver ela assim, toda sem saber como agir, tentando entender o que está acontecendo. Não deixe de conferir o próximo capítulo, as coisas estão começando a se aprofundar e amizade deles a crescer.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "My Beloved Prince" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.