A Maldição Do Dragão escrita por Julie


Capítulo 18
A Verdade Sempre Abala...


Notas iniciais do capítulo

E aí amores e amoras? Como vai a vida de vcs? A de Kenna está parecendo uma montanha russa!! E neste momento ela está numa daquelas quedas bruscas!

Fiz este capítulo com tanto entusiasmo que nem revisei direito, estou ansiosa pela reação de vcs.
Reyna e Adelia antes de tentarem me matar, respirem fundo e se lembrem que se eu morrer vcs nunca saberão o final desta história...


Divertam-se se puderem! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk




POV Kenna

Terry olha para meu ombro incrédulo, posso ver em seus olhos o quanto está confuso; é claro, quem não ficaria confuso? Eu fiquei sem saber o que pensar quando ví aquela marca em seu ombro, uma marca em forma de um pássaro com as asas abertas, uma marca de nascença em seu ombro esquerdo igualzinha a minha. E depois que a confusão em minha mente passou, me lembrei das palavras de Valera “querida é no Palácio que você encontrará seu verdadeiro pai.” Eu sou muito burra para não ter percebido isso antes. 

    Tento erguer o vestido para cobrir meu ombro, mas Terry segura meu braço e se aproxima de mim, ele olha fixamente para a marca como se quisesse ter certeza do que vê.

     - Este sinal de nascença somente os herdeiros diretos da família real de Hommes possuem.

    - Eu não sabia disso.. - Sussurrei.

    - Como você pode ter este sinal? - Terry pergunta mas eu não respondo, então ele sacode com força. - Me diga!

    - Você não imagina? - Questiono.

    - Pare de me enrolar Kenna e fale logo de uma vez . - Implora e me solta ao perceber a força com que me apertava.

    - Somos irmãos Terry. - Declaro por fim.

    - Mentira. - Nega e anda de um lado para o outro. Não imaginei que fosso uma notícia tão ruim para ele.

    - Terry. - Me aproximo mas ele se afasta. - Terry, eu sou sua irmã! - Afirmo.

   -  Não. Você não pode ser minha irmã. - Grita. Ele está muito nervoso.

    - E porque não? - Grito também. - Provavelmente minha mãe deve ter ido pedir ajuda ao seu avô para encontrar o Coração de Ônix, e foi assim que ela e seu pai, não nosso pai se conheceram.

    - Quantos anos você tem Kenna? - O quê? Por que mudou de assunto?

    - Que importância isso tem Terry?- Indago sem entender o que ele pretende.

    - Tem importância para mim. - Brada com fúria. - Me diga, quantos anos você tem?

    - Acabei de completar vinte e um. - Balbucio confusa com essa reação dele. 

    Terry se vira passando as mãos no rosto, ele parece saber de algo que eu não sei.

    - Terry. - Me aproximo e o toco.

    - Não me toque! - Se vira com força e me olha com ódio. 

    - Qual é o problema? Por que me olha com tanta raiva? Só por que somos irmãos?

    - Quer mesmo saber? - Pergunta mas não me dá a chance de responder. - Você é filha da amante do meu pai! - Grita novamente e eu fico sem reação.

    - O que? Mas me disse que sua mãe morreu quando você ainda nem sabia andar direito.

     -  Faça as contas Kenna! Você tem vinte e um anos, eu tenho vinte e três, minha mãe morreu quando eu tinha três anos! - Me olha com fúria novamente e continua. - Sabe o que isso quer dizer?  Que enquanto minha mãe estava  definhando numa cama, sua mãe estava se esfregando com meu pai em outra! - Acusou me lançando todo o seu ódio.

     - Eu compreendo então que me odeie. - Digo olhando para o chão. Como minha mãe pode ter feito algo tão terrível assim?

POV Rei Akeen

Dez dias sem noticias de Terry. Como meu filho pode ser tão irresponsável? Partir para uma viagem perigosa já é o ruim o bastante, mas não dar nenhuma notícia isso aí já é demais! Será que chegaram  bem na casa de Lira? E se chegaram por não mandou ela me dar algum recado. ela tem poder suficiente para isso!

    - Calma irmão, eles estão bem! - Declara uma voz irritantemente conhecida. Me viro e Lira está atrás de mim com um sorriso inocente.

    - Você não devia estar aqui. - Digo mas fico aliviado por dentro.

    -  Mas eu não estou. - Afirma. - Bom, ao menos ninguém sabe que estou aqui! 

    - Eu sei e devia mandar te decapitar - Ela me olha divertida e eu continuo. - Essa é lei, você foi banida e não sair de sua montanha e muito menos vir até aqui.

    - Mas você não mandar me decapitar. - Diz confiante. Ela tem razão, não a mataria. - Mas se fosse um bom irmão já teria revogado a sentença que nosso querido pai me deu.

    - Não posso fazer isso sem provas de sua inocência. 

    - Isso eu já estou providenciando.- Sorri.

    - E mesmo? E posso saber o que está aprontando?

    - Contei a Kenna sobre a Maldição e dei o mapa a ela.

    - Você não devia ter feito isso Lira! - Grito nervoso com a imprudência dela. - Onde eles estão agora? Onde está Terry?

    - Estão cumprindo o destino deles. - Susurra e eu a olho incrêdulo.

    - Mandou meu filho para uma missão suicida? - Seguro forte em seus braços. 

    - Não. Ela mandou seus dois filhos para salvarem a todos nós. - Ouço uma voz atrás de mim. E eu sei quem é mesmo depois de tanto tempo. Não se pode esquecer da voz daquele que um dia foi seu melhor amigo.

    - Felon. - Falo sem me virar. - O que pensa que está fazendo aqui?

    - Eu o chamei. - Lira me faz soltá-la.

    - Porquê? - A olho já com raiva. Ela está passando dos limites.

    - Vocês precisam conversar.-  Declara ela com calma.

    -  Não tenho nada para falar com este traidor. - Murmuro entre dentes.

    - Você não ouviu o que ele disse irmão? Que seus dois filhos vão nos salvar? - Ela fala e me viro para Felon.

    - O quis dizer com isso? - Questiono. - Fale logo.

    - Sei que tem me odiado todos esses anos Akeen. - Me olha firme e continua. - Sei que pensa que eu tive um romance com Kenzie.

    - E não teve? - Sorrio. Ele acha que pode me enganar.

    - Não. Não tive. - Afirma. - E sabe o que isso significa? Que Kenna é sua filha.

    - Está blefando. - Contesto. - Kenna é sua filha, ela mesmo me disse.

    - Ela não sabia que você é o pai dela. - Fala e olha para Lira. - Mas agora ela sabe não é?

    - Sim.- Lira responde. - Na verdade ela e Terry descobriram que são irmãos há poucos minutos.

    - Como sabe disso. - Pergunto mas não espero a resposta. - Deixa pra lá. As vezes me esqueço que és uma bruxa.

    - Feiticeira por favor. - Retruca. - E sim, uso meus poderes para acompanhar a jornada deles, não posso ajudar realmente, mas preciso saber como as coisas se encaminham.

    - Ainda não sei se acredito no que dizem. - Afirmo.

    - Você é um tolo se pensa que Kenzie teve outro homem na vida dela.- Felon declara com fúria. - Ao contrário de você ela foi fiel.

    - O que está insinuando? - Me aproximo dele.

    - Não estou insinuando. Estou afirmando que você enganou Kenzie, que mentiu pra ela dizendo que estava tinha se divorciado de sua esposa, que só faltava seu pai anunciar oficialmente.

    - Mas essa é verdade! Eu não menti para Kenzie!- Contesto sua acusação descabida. Ele não sabe do que está falando.

    - Curioso isso. Por que até onde eu sei, Nádia morreu sendo sua esposa.- Me acusa novamente.

    - Você não sabe de nada Felon. - Digo o encarando.

    - Então me conte. - Desafia devolvendo o olhar.

    - Eu amei Kenzie no memento que botei meus olhos nela. Ela tinha vindo de longe para falar com meu pai, contou a ele sobre o mapa e disse que era o dever dela acabar com a Maldição, porém precisava de ajuda. Mas meu pai não acreditou nela, ninguém levava mais a Maldição á sério e exigiu uma prova de que ela dizia a verdade, ele queria ver o mapa. Kenzie lhe disse que não o tinha ainda, entretanto sabia onde estava, logo eu me ofereci para ir com ela, era uma viagem perigosa e não podia deixá-la sozinha. Antes de partir, pedi que meu pai me divorciasse de  Nádia, eu nunca a amei e ela tinha feito de minha vida um inferno; depois que ela deu a luz a Terry ficou muito doente e eu esperei que ela ficasse boa para me separar dela de uma vez, mas quando Kenzie surgiu eu a amei mais que tudo e não podia esperar mais. Quando voltamos com o mapa, Nádia tinha piorado e mesmo meu pai já tendo nos divorciado ele  pediu que eu esperasse um pouco e que depois ele anunciaria a todos que Nádia não era mais minha esposa. Mas meu pai sabia que eu estava apaixonado por Kenzie, ele não queria que ficássemos juntos por que assim que ela encontrasse o Coração de Ônix, ele o tomaria para si e seria poderoso. Não acreditei quando ele me pediu que roubasse o Coração de Kenzie e a matasse, eu disse que faria, pois ele estava louco e eu precisava de tempo para que Kenzie fugisse. Porém quando fui avisá-la, ela já tinha partido e o mapa desaparecido, pouco tempo depois veio a notícia que ela estava em Alfhanor e que teria um filho com você. - Contei o que me atormentava há anos.

    - Isso explica muita coisa. - Felon disse depois de um tempo em silêncio. - Kenzie ouviu a conversa entre você e seu pai, ela fugiu as pressas e foi para Alfhanor, sabia que lá estaria segura. Quando soube que estava grávida, temeu pela vida criança e eu fiz todos pensarem que o filho que ela carregava era meu.

    - Então Kenna é mesmo minha filha. - Constato o óbivio.

    -Sim Akeen, Kenna é sua filha e mesmo eu tendo tentado impedir, agora ela está fazendo o que Kenzie não pode, ela está em busca do Coração de Ônix.

    - Isso é loucura, temos que impedi-la. - Falo sem pensar duas vezes.

    - Vocês não podem impedir que Kenna cumpra o destino dela. - Lira interrompe depois de ter ficado só nos observando.

    - Lira está certa Akeen, não podemos fazer nada agora.- Concorda Felon. - Não há mais tempo, não percebeu que as criaturas mágicas estão sendo corrompidas, que mais monstros aparecem a cada dia? Logo todos nós estaremos mergulhados na escuridão.

    - Felon tem razão. - Lira esclarece. - Mas existe algo que vocês podem fazer por Kenna.

    - O que é ? - Eu e Felon perguntamos ao mesmos tempo.

    - Vocês devem se unir e preparar seus exércitos para a batalha.- Propõe Lira.

    - Batalha? Onde será isto? - Interrogo minha irmã. - E como sabe que haverá uma batalha?

    - Uma batalha sim, onde ocorrerá eu não ainda, mas Moriá me avisou que um antigo inimigo também está atrás Coração de Ônix e ele está reunindo um exército de criaturas corrompidas, que cresce mais a cada dia.- Lira diz por fim.

    - Então não temos escolha. - Digo e estendo o braço direito para Felon. - Por Kenna?

    - Sim. - Ele segura em meu braço e eu seguro no seu, selamos assim uma aliança. - Por Kenna!



Notas finais do capítulo

Respiraram fundo? Contem a dez antes de comentarem....