A Maldição Do Dragão escrita por Julie


Capítulo 12
O Jardim Selentes


Notas iniciais do capítulo

Já são 01:29 da madruga, mas cumpri com prometido e taí outro capítulo. Bem interessante, espero que gostem.




Pov Terry

O plano foi um sucesso. Ainda bem, pois se algo tivesse acontecido com Kenna o elfo-idiota-metido-a-sabe-tudo teria que se ver comigo. Tenho que confessar porém, que tudo saiu perfeito, apesar de ele ter demorado bastante pra fazer o tal encantamento, mas isso é por que precisa reunir muita energia mística, foi o que Feo disse. Quando tudo estava pronto ,ele nos deu umas pequenas pedras azuis e madou que jogassemos ao redor do acapamento dos goblins enquanto ele iria buscar Kenna. Eu protestei é claro, queria ir pessoalmente resgata-la, mas o elfo disse que era melhor eu ficar de olho por detrás das árvores em frente ao trono para ajudar caso algo desse errado. E deu, Kenna ficou sentada no trono olhando para sua direita de onde Feo certamente estaria sinalizando para que ela fugisse, mas ela exitava e pude ve ro porque, os goblins estavam todos a sua frente, dançando para ela, se tentasse escapar eles veriam. Então eu tive a ideia de destraí-los batendo minha espada na de Luc, e funciou, percebendo a oportunidade Kenna saiu em disparada até Feo. E eu e Luc saímos correndo também porque já sabiamos o que aconteceria em seguida, uma bela explosão.

Pouco tempo depois nos reúnimos novamente, e agora sem goblins para nos atromentar, pudemos dormir o restante da noite tranquilamente. 

No dia seguinte, depois se sairmos da pequena floresta, seguimos para o  desfiladeiro de Torka, um lugar não muito seguro, mas era o caminho mais rápido para se chegar ao Jardim Selentes, e logo depois do Jardim, estaria a Montanha Que Foge, bem pelo menos tecnicamente, já que a Montanha Que Foge é, digamos assim, um pouco escorregadia. Como o nome bem sugere, a montanha foge daqueles que não são dignos de subi-la, se nosso pequeno e estranho grupo é digno de tal aprovação da montanha, isso só saberemos quando  atravessarmos o Jardim e nos depararmos ou não com a imponente montanha. E tirando o fato de termos que subir a montanha, posso dizer que estamos na metade do caminho. 

Estranhamente, tudo ocorreu bem quando atravessamos o desfiladeiro, nada criaturas místicas ou qualquer outro tipo de problema. Esse fato é claro, nos deixou bastante apreensivos. A sensação é que uma coisa bem pior nos esperava a frente. Mas esse mal pressentimento passou no minuto que pudemos ver o Jardim Selentes, um lugar de beleza extraordinária. Observamos todo tipo de flores e plantas quando adentramos o Jardim, as cores eram maravilhosas, vivas e exuberantes. O perfume inebriante,  trazia consigo uma sensação de alívio e bem estar. Logo sem perceber, todos descemos dos cavalos e começamos a apreciar o lugar. Minha vontade era ficar ali para sempre, e depois de provar uma doce fruta azul que pendia em cachos na pequena árvore a frente, eu sentia que podia sim permanecer ali eternamente, feliz e em paz. Só que o mais incrível de tudo surgiu depois, belas mulheres* com lindas asas coloridas apareceram de todos os lados. Todas tinham uma beleza que nunca vi antes, seus corpos eram perfeitos, seus cabelos esvoaçantes dançavam no ar, e suas mãos eram macias e calorosas. Várias delas me cercaram e sussurraram em meu ouvido palavras que qualquer homem gostaria de ouvir. Eu me sentia realizado e cheio de desejo. Quando estava totalmente extasiado e pronto para o que imaginei que  viria a seguir, a coisa mais bizarra aconteceu, as lindas criaturas se transformaram totalmente, seus rostos, antes lindos e angelicais, adquiriram um aspecto medonho e demoníaco. Enquanto várias delas me cercavam, duas mostraram seus dentes pontudos e vinham com fúria para meu pescoço. Eu fechei os olhos diante daquela cena, não podia fazer nada para impedi-las pois eram fortes demais, esperei pelo ataque mas não senti nada. Será que já morri? Foi o que pensei, mas quando abri meus olhos tudo o que vi foram as criaturas caídas no chão, muitas com flechas no peito e outras decapitadas, e vi também Kenna com sua espada na mão nos olhando com desaprovação e algo mais que não consegui distinguir. Nojo? Talvez.

- Homens...- Ela murmurou irritada.

Olhei para Feo e Luc e pude ver que como eu, estavam perplexos e envergonhados. Se Kenna não estivesse ali, certamente nós teríamos morrido nas garras daqueles monstros.

Nos recompomos e cavalgamos rapidamente pelo Jardim. Kenna não nos disse mais nenhuma palavra. O Jardim era imenso e facil de se perder, refizemos o caminho muitas vezes e por fim depois de horas naquele lugar chagamos ao final.  Atravessamos as últimas árvores e todos ficamos visivelmente aliviados quando vimos a imponente montanha a nossa frente. 

-Bem vindos a Montanha Que Foge- Eu disse depois de minutos apreciando nossa conquista. 

- Finalmente- Sussurrou Kenna.



Notas finais do capítulo

*As belas mulheres são fadas. Do tipo malvadas é claro.




Nunca gostei de fadas, então decidi fazer umas bem mavaldinhas...



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A Maldição Do Dragão" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.