A Maldição Do Dragão escrita por Julie


Capítulo 11
Rainha dos Goblins


Notas iniciais do capítulo

Este capítulo foi feito com zelo, espero que apreciem. É pequeno, mas postarei outro ainda hoje...




POV Kenna.

O dia já tinha sido ruim o bastante, porém a situação piorou de vez. Quando chegamos perto da pequena floresta, várias ciraturas surgiram atrás da árvores e rapidamente nos cercaram.

Goblins. Seres odiosos e assustadores. Com toda certeza não queria ter me deparado com eles. Feo se viu obrigado a conversar com as criaturinhas verdes e medonhas, ele sabia várias línguas místicas e ainda bem por que não seria nada bom se tivéssemos que travar uma luta contra eles. É claro que venceríamos, mas o efeito colateral seria terrível, principalmente para Terry e Luc, já que eles não usam armas místicas e ficariam muito desprotegidos contra os ataques dos goblins. Resumindo, goblins usam magia negra e para estar protegido contra seus feitiços é preciso usar armas místicas.  Sendo assim, depois de uma longa conversa e com a noite surgindo mais negra do que o de costume,  Feo nos dá a o relatório.

- Tenho uma boa e uma má notícia- Disse ele quando ficamos ao seu redor

- Então diga a boa primeira- Falou Luc com seu ar divertido de sempre. Ele nunca leva nada á sério.

- A boa notícia é que os nossos amiguinhos asquerosos prometeram nos deixar passar a noite na floresta deles e partirmos amanhã cedo sem problema nenhum.- Tenho a impressão que isto não sairá de graça.

- E o que eles querem em troca- Eu sabia que eles pediram algo, goblins não são bonzinhos e muito menos hospitaleiros.

 - Isso é a má notícia- Feo deu uma pausa e acrescentou- Eles querem você Kenna- Eu? Só pode estar de brincadeira! Eu prefiro mil vezes lutar- E eu aceitei o acordo- Falou como se fosse a coisa mais natural do mundo. Entregar a irmã para goblins nojentos! Será que ele enlouqueceu?

- Você enlouqueceu?- Gritou Terry. Ele leu meus pensamentos!

- Fale baixo- Feo o fitou sério- Não quer que eles pensem que tem algo errado né?- Então me virei e vi os goblins nos olhando, estavam só me esperando.

- Eu espero que você tenha uma boa explicação para ter feito isso Feo- O olhei com raiva- E é melhor falar antes que eu começa a lançar minhas flechas naqueles seres nojentos!

- Fique calma Kenna, eu tenho um plano- Falou tranquilamente- Nós temos duas opções: Podemos lutar contra eles agora e correr o risco de seus amigos morrerem- Olhou para Terry e depois para mim novamente- Ou você vai com eles e me dá um tempo para preparar um encanto que vai acabar com eles sem precisarmos lutar.

- E porque você me ofereceu a eles? Com certeza vão querer fazer picadinho Kenna para o jantar- Trinquei os dentes.

- Eu não te ofereci, eles pediram que eu te entregasse. E não vão te comer.- As vezes meu irmão é tão burro!

-É mesmo? E como você sabe disso?- Felei entre dentes de novo.

-Simples irmãzinha. Eles querem que você seja a rainha deles?-  Eim?

- Rainha dos Goblins?- Só pode ser brincadeira.

- Sim e não temos mais tempo- Me segurou e me levou até as criaturas

- Espere, não pode fazer isso- Terry protestou

- Está tudo bem Terry, eu confio em Feo-  Falei e olhei Feo como quem diz ‘É melhor você saber o que está fazendo’

E lá fui eu, com meus recentemente adquiridos ,súditos. Ótimo. Agora eu sou a Rainha do Goblins.

Horas depois...

Eu.Vou. Matar. O. Feo! Era o que eu repetia em minha mente enquanto estava sentada no trono de barro, galhos e folhas, feito especialmente para mim. Ainda bem que usava minha calça de couro de Draken*, que é resistente e impermeável, senão estaria sentindo a umidade do barro em minha pele, coisa que seria bastante desagradável. Mas isso não melhora muito a situação, há horas que estou aqui, tendo que assistir as danças e apresentações dos goblins, e como se não fosse tortura suficiente, ainda tenho que comer tudo o que me é oferecido ou então eles ficam muito bravos, e acredite, goblins bravos são piores que a comida deles, que tem o gosto de lama com carne de porco. Se o Feo não aparecer logo eu vou ter um ataque e dar á esses goblins malditos o que eles merecem, minhas flechas no meio das testas deles!!

Nesse momento Feo surge por detrás da cabana que está a minha direita acenando para mim, eu lanço um olhar mortal para ele, que finge não ver meu descontentamento. Logo ele me chama com as mãos, quer que o siga. Como ele acha que vou fazer? Por acaso pensa que vou sair de fininho e as criaturas não vão perceber? Ele continua a acenar e eu não sei o que fazer, mas nesse momento ouço um barulho á frente, por entre as árvores, aproveito que goblins não estão mais voltados  para mim, mas sim para o barulho, saio em disparada na direção de Feo. Ele me segura pela mão e me leva para a floresta as pressas. Quando olho para trás, vejo o brilho que surge no acampamento dos goblins e depois da luz vêm uma grande explosão. A essa altura já estávamos longe o bastante e paramos para ver o trabalho de Feo.

- Eu não disse que tinha um plano- Feo sorri para mim.

- Nunca mais faça isso comigo- Respondo e dou um belo soco em seu braço.

- Vamos encontrar os outros- Diz ele ainda sorrindo. Belo irmão esse que eu tenho.



Notas finais do capítulo

* Draken- Uma espécie de serpente gigante, cujo pele é usada pelos Elfos na confecção de roupas de combate.



Bom, eu acho que todos sabem o que é um goblin né?



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A Maldição Do Dragão" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.