We Are Demigods escrita por Alice Kirkland, The duck next door


Capítulo 34
A Briga - Part I


Notas iniciais do capítulo

Demoramos, mas chegamos! Anti-penúltimo cap da fic! Espero que gostem, nós duas escrevemos!



EDU

– EU PENSEI QUE VOCÊ ERA MINHA AMIGA! COMO VOCÊ PÔDE? - gritou Angel, fazendo uma cara dramática.

– COMO VOCÊ PODE? COMO...COMO VOCÊ PREFERE ELE DO QUE ELE?! - berrou Cat.

– Fiquem calmas! O que está acontecendo, criaturas? - falei, tentado apartar aquela briga.

– VOCÊ ACREDITA QUE AQUELA CRIATURA LOIRA - Angel apontou para Cat acusatoriamente - PREFERE O POWER RANGER AZUL DO QUE O VERDE?! ABSURDO!

– ... E sério isso?

– Claro que sim. Discutir qual é o segundo Power Ranger mais divo é muitíssimo importante! - Cat fez uma cara séria de quem discute coisas importantes.

– Segundo?

– Sim, todos sabem que o preto é o mais divo. MAS DEPOIS DELE VEM O VERDE!

– AZUL!

– VERDE!

– AZUL!

– VERDE!

– LARANJA! - gritei. Então as duas pararam e começaram a me encarar.

– Laranja? Não existe Power Ranger laranja! -Angel fez cara de superior. Pff, iludida.

– Existe sim. Em Power Rangers Space Patrol Delta. - expliquei.

– O QUE?! COMO... - Angel gritou ainda mais alto (se é que isso é possível).

– Ele não existia exatamente! Só em sonhos! - Cat disse cruzando os braços.

– O QUE?! MINHA VIDA FOI UMA MENTIRA! - um segundo depois disso nós estávamos no chão rolando e chorando.

– MINHA VIDA TODA FOI UMA MENTIRA! UMA MENTIRA!

– POR QUE, MUNDO CRUEL? POR QUÊ? EU NÃO MEREÇO ISSO!

– Hey, querem comer lasanha na padaria do Joaquinzim?

– Claro, vamos lá.

As duas se levantaram e fomos em direção à padaria. Sim, eu, Gorfinhuli Edivudunaldo Clocau, também vou na Padaria do Joaquimzim, mas só por causa do suco de melão com mamão e ovos de codorna que eles fazem. É uma delícia.

***

Depois da padaria, voltamos para o Acampamento. Eu fui para o meu chalé divo produzir brilho enquanto Angel e Cat correram para o chalé 13 gritando algo sobre assistir de novo Black Bullet. Estava quase na hora do almoço, então fui chamar as duas, porque quando elas resolver assistir alguma coisa... Hécate que me ajude!

– Cat, Angel, está na hora do... - comecei a falar, mas então percebi a situação. Cada uma estava de um lado do chalé encarando a outra. Cat estava com os olhos dourados e Angel estava com aquela cara psicótica que ela faz quando está muito irritada.

– VOCÊ É UMA IMBECIL! - Cat gritou.

– IMBECIL? ISSO É O MELHOR QUE VOCÊ TEM?!

– GRR... ARGH! VOCÊ ÉIMPOSSÍVEL!

MUITO OBRIGADA! - Angel disse com desdém. Deuses...

– Se vocês estão brigando por causa de Power Rangers... - comecei.

– Não é por causa disso. - Angel respondeu, fria.

– Eu vou embora. - Cat falou entredentes e saiu.

– O que aconteceu? - perguntei enquanto me sentava.

– Eu não quero falar sobre isso. - Angel bufou e se jogou na cama.

Levantei uma de minhas sobrancelhas divas e Angel continua me ignorando. Deve ter sido uma briga muito grave para isso acontecer...

– Angel... Me conta! Talvez eu possa ajudar e... - Angel me encarou com olhos psicopatas e se levantou da cama.

– Você tem cinco segundos para sair daqui! - Sua voz estava estranhamente baixa e seu olhar estava amerceador. Resolvi sair antes que eu fosse acertado por uma voadora da Angel.

No fim, fui pedir ajuda para Leia e Lucy. Elas passam mais tempo com Angel e Cat do que eu...

– LAMMOR, MARTINEZ, REUNIÃO! - gritei, invadindo o chalé 10. Bem, assim como o chalé 13 é invadido pela Cat, o chalé 10 é invadido pela Leia.

– O que deseja, Eduvudunaldo Clocau? - Leia perguntou rindo.

– Biscate. Não me chame assim! - resmunguei me sentando - Eu preciso que vocês me ajudem...

– Com o que? - Lucy perguntou, levantando os olhos daquela revista (que eu tenho que pegar emprestada... Aquela lá é ótima, pena que já tinha esgotado na padaria...)

– Cat e Angel.

– Por acaso é com o cabelo delas? Ou roupas? Eu já tentei de tudo, estou pra desistir daquelas lá! - Lucy resmungou.

– Não, mas eu concordo. Elas conhecem escova de cabelo? - Espera, o que eu ia falar mesmo? Ah, lembrei - Não é isso. Elas meio que... Brigaram. E foi sério!

– Tem certeza? - Leia estreitou os olhos - Elas sempre brigam por umas coisas estranhas como animes, meias, comida, livros, cadeiras de plástico... E depois de dois segundos agem como se nada tivesse acontecido.

– Tenho certeza sim! Foi uma coisa bem séria!

– E o que foi tão sério?

– Argh, elas não me contaram!

Nós três fizemos caras pensativas e nos pudemos para pensar. Qual poderia ter sido o motivo da briga das duas? Complôs de borboletas? Complôs de jumentos? Complôs de jumentos com borboletas? Batatas com ricota?

Nem um deles faz sentido, mas estamos falando da Angel e da Cat, pelo amor de Magnus Bane!

– Vamos até o chalé sete – Sugere Lucy.

Fomos em direção ao chalé e encontramos Cat saindo do mesmo. Ela nos viu, mas não disse nada. Apenas continuou andando... EM DIREÇÃO AO CHALÉ 13!!!!!!!!!

– Cat, o que você está fazendo? – Pergunto.

– Eu? Nada muito importante... Apenas ensinando uma lição para certa francesa maldita... – Cat respondeu. Ela chega ao chalé de Hades e, como toda pessoa loira, normal e stalker, ela entrou pela janela. Nós entramos pela porta mesmo.

– Olá, Meredith Lorena! – Disse Cat chegando perto de Angel, que estava no canto do chalé, debruçada sobre uma mesa. Angel se virou com um sorriso maligno ft. Psicopata ft. Medonho.

– Olá, Destiny... Como vai a vida? – Pergunta Angel simpaticamente.

– Quem é você e o que fez com a Angel de verdade? – Implica Cat.

– Eu a comi no jantar. – Responde Angel casualmente.

– Deve ser por isso que você está com essa cara de feia... Afinal, você é o que você come...

Angel se levanta e decido que está na hora de intervir.

– Cat! Angel! Parem de brigar agora! – Grito, ela nem me olham. Começam a andar uma em direção à outra. Angel estava com uma seringa que continha um líquido estranho e Cat tinha um bisturi e repetia baixinho “Eu vou dissecar você...”.

As duas estavam quase se encontrando quando eu me lembrei do feitiço de paz que um dos meus irmãos me ensinou (ele descobriu que eu andava com um filha de Hades psicótica, uma filha de Apolo doninha vingativa e uma filha de Ares ruiva).

Dou o meu jeito e logo as duas estavam sentadas no chão com as faces serenas. Pena que isso não durou por muito tempo. Alguns segundos depois Cat estava gritando “Oxenti”, que nem a doida que ela é, e Angel estava esfregando na cara de Cat várias fotos de borboletas escrevendo gramaticalmente errado.

– Quer saber? Eu não preciso disso! O marido da Rochelle tem dois empregos! – Grita Cat indignada.

– Querida, EU SOU TÃO RICA QUE NEM ME IMPORTO! – Grita Angel, que também estava indignada.

As duas viram uma para cada lado, Angel voltou para o seu projeto de sei-lá-o-que e Cat saiu do chalé (e adivinhem?) pela janela (quem falou janela vai ganhar um prêmio!).

Troco olhares com Lucy e Leia, eu nunca fui muito chegado nelas, mas acho que nesse momento, a situação grave nos conecta.

Leia saiu do chalé já com o celular na mão, ela iria ligar para Nico (que nesse momento está no Mundo Inferior) e Lucy e eu ficamos no chalé.

Agora só falta descobrir o que aconteceu com elas...



Notas finais do capítulo

Gostaram? Hehe desculpe a demora, mas final de fanfic e final de férias não é fácil...