We Are Demigods escrita por Alice Kirkland, The duck next door


Capítulo 12
Especial Natal/Ano-Novo-Parte I: Natal


Notas iniciais do capítulo

Oi! Nova escritora! Titio Voldy me pediu para dizer sorry, mas eu estou aqui ( a prima step da autora!) Espero que gostem, sério
Esse cap foi escrito por mim, mas a Cat escreveu o começo da abdução e a parte do avião (além de que ela é minha especialista em comida)




Anthony

Eu não estava lá por vontade própria, só para esclarecer. Angel havia me sequestrado.

O que? Sequestrado? Todos sabemos que ela é capaz disso, mas não foi bem assim. Foi uma coisa tipo "CAN YOU DANCE LIKE A HIPPOGRIFF MA MA MA MA MA MA MA MA M... AAAH! ANGEL!" "Oi, Tony. Estou aqui para fazer uma intimação. Ah, conheça o outro Tony, o cão infernal bem ali." Tem um cachorro gigante no meu quarto?! E... Ele chama Tony?! Legal." *descendo as escadas* "Olá, senhores pais do Tony. Estou aqui para intimar o seu filho a fazer uma viagem de última hora, sem consentimento para a aprovação do mesmo, para passar as festas de final de ano na companhia de nossos amigos, passando pela França e pela Inglaterra, voltando apenas no dia primeiro de Janeiro. A viagem será sem custos, ele apenas precisará de dinheiro para presentes, por que se eu não ganhar um presente ele fica sem comida. Aviso: ninguém se responsabiliza por perda de membros, sanidade mental e/ou da vida." "..." "Aí, você tem um bom ar advogadial" "Obrigada, Anthony." "De nada!".

Meus pais estavam com uma cara "WTF?!". Não sei se eles estavam com essa cara por A) Ter uma garota baixinha no meio da sala de jantar falando rápido e com um ar advogadial; B) Ter um rabo de cachorro gigante aparecendo na escada; C) A garota baixinha ter invadido a casa.

"Ah, esqueci de uma coisa. Por favor!" Então Angel fez uma cara mais fofa que um bebê pelado na banheira. "Awwwn! Tony, arrume suas malas. Que garotinha mais adorável!" "Eu também sou adorável, né, pai?" "Não, vai fazer suas malas, senão eu não te dou dinheiro e a garotinha adorável..." "Pode me chamar de Angel, senhor." "Awwn. Eu não te dou dinheiro e a Angel te deixa sem comida." "Magoou..." "Era para magoar." "Ai." "Some logo daqui, moleque!" "To indo!"
E, então, chegamos a agora, quando Angel completou sua lista de "sequestrados" e estávamos todos no jatinho particular dos Vellar (Angel tem medo de aviões... Hi hi!) (N/Angel: Eu não tenho medo. E fala isso de novo que eu arranco suas tripas com um alicate) você é um doce, Angel (N/Angel: Beijinho). Posso voltar a narrar? Obrigado (N/Angel: De nada).

Tá, tá, aconteceram mais bagulhos antes de todo mundo chegar no jatinho, tipo eu derrubar algumas caixas no meu quarto e Angel entrar gritando e correndo enquanto gritava "Tony, meu bebê! Você está bem?!" eu todo inocente, achei que fosse eu, mas quando ela entrou no quarto me empurrou e foi abraçar a cachorro gigante que ocupava metade do meu quarto; o cachorro pular em uma sombra (WHAT THE FUCK, MAN?!) e ir parar no meio de um refeitório, onde as pessoas agiram como se aquilo fosse normal e um grupo de quatro pessoas com malas que chegaram perto do cachorro também foram sugados pelo animal GIGANTE para uma sombra; do nada o cachorro, as pessoas e eu aparecermos em uma pista de pouso (sou um bruxo chique, minha gente, entendo de coisas de trouxas u.u) e vermos mais oito pessoas com malas; eu reconhecer umas pessoas de Hogwarts (Leia, a lufana ruiva que me da medo, Catherine, artilheira da grifinória que eu nunca consigo derrubar da vassoura, e Lucy, uma corvina que já havia terminado Hogwarts) e essas pessoas que eu reconheci mais uma garota sinistra de cabelos castanhos que se apresentou como Savannah e um alguma coisa diva que se apresentou como Edu começarem a falar umas coisas esquisitas sobre deuses gregosexistirem e todo mundo ali ter uma ligação com os deuses, além de TDAH e pelo menos um pouco de dislexia; eu levar uma meia hora para entender tudo... Para resumir, depois que eu entendi direito o que elas estavam falando, Angel resolveu apresentar as pessoas falando quem eram os deuses com os quais elas tinham ligação.

– Bem, Tony, vou começar pelas pessoas que você conhece, ok? A Cat é filha de Apolo, a Leia é filha de Marte, a Lucy é filha de Vênus e eu sou filha de Hades. O garoto de cabelo cacheado que não para de beber Kool-Aid é o Dakota, filho de Baco; o loiro não-oxigenado é o Malcolm, filho de Atena; a de cabelo castanho do lado dele, Savannah, é filha de Tânatos; a criatura brilhosa de cabelo castanho é o Edu, filho de Hécate; o oxigenado é o Octavian, legado de Apolo e sobrinho adotado pela Cat, e a criatura que precisa cortar o cabelo é o meu meio irmão Nico.Agora, fica ai assimilando tudo enquanto eu faço uma oferenda pra Zeus.

– O que?

– Não pergunta, você só vai ficar mais confuso. - Edu falou - Ainda acho que eu deveria ter explicado tudo.

– O garoto provavelmente teria tido alguma espécie de colapso, Edu. Você é a pessoa menos sutil que eu conheço pra dar notícias, e eu converso com a Angel. - Malcolm falou.

– Tanto faz, mas a gente pode entrar logo? Eu já estou ficando cansada! - Savannah (viu como eu sou inteligente? Já sei o nome das pessoas!) resmungou e Malcolm concordou.

– Sedentária! Eu nem demorei com a oferenda! Podem entrar. - E então Angel abriu a porta do jato particular dos Vellar.

20 MINUTOS DEPOIS...

– Octavian, você acha que eu ficaria bonita com essa roupa da revista?

– Você fica linda de qualquer jeito, Lucy.

– Awwn, você é tão perfeito!

– Você que é perfeita.

– Awwn! Me beija, Tavi.

– Eww, parem de se agarrar!

– Ah, vai se foder, Savannah!

– Com o Shadows eu vou!

– Então vai!

– ONDE TÁ O MEU KOOL-AID?! LEIA, DEVOLVE MEU KOOL-AID!

– NÃO!

– POR FAVOR!

– NÃO!

– Olha lá, briga de casal!

– Edu, só por que você é forever alone não precisa incentivar brigas de casais.

– Dakota, entenda, eu sou forever alone por opção.

– Uhum, vou fingir que acredito.

– Vocês sabiam que amendoim é um legume? Eu estou comendo um legum...

– DON'T STOP ME NOW! I'M HAVING SUCH A GOOD TIME! I'M HAVING A BALL!

– Por que sempre me interrompem?!

– O QUE? Ah, foi mal, Malcolm, não vê o escrito do fone? Eu não posso te escutar.

– Ha, ha. Cat, você é hilária. Nem todo mundo tem a sorte de ter pouca dislexia, igual a você.

– Beijo. E hilária é a Angel achando que se ela se mexer Zeus vai jogar ela pra fora do avião. Angel?

– Não fala comigo!

– Então acho que você não vai querer esse Doritos aqui...

– DORITOS?! É MEU! PASSA PRA CÁ!

– PEGA! DORITOS VOADOR!

Sabe quando alguém diz que tem TDAH? Acredite e não entre em um avião com essa pessoa. Principalmente se for um grupo de pessoas com TDAH. Oh, Merlin, onde eu estava com a cabeça?

...

Finalmente chegamos na França. Não exatamente na cidade da Angel, lá não tem aeroporto, mas perto, tipo uns 10 minutos de carro. Todos a olharam assim que desembarcamos, esperando instruções. Ela sorri.

– Precisamos passar pela alfandega - Todos a encaram - Brincadeirinha. O meu padrasto já cuidou de tudo.

Uns carinhas de preto aparaceram e nos escoltaram para uma "porta dos fundos".

– Quem vai vir nos buscar? - Pergunta Lucy, que está sem mala nenhuma pois Octavian está segurando todas as 7, olhando para os lados.

– Alguma tia minha.

Todos se sentaram no chão, menos Cat que ficou dançando Macarena. Mesmo depois de 5 minutos todos se cansaram e Savannah começou a reclamar sobre nuvens em forma de bebês, com Malcom apoiando/babando.

Um carro finalmente chegou, Angel se levantou e fez uma careta. O carro parou e outro chegou e parou do lado do outro. Do primeiro saiu um garoto loiro e alto e do segundo apareceu um homem mu(uuuuuuuuuuuuuu)ito parecido com a Angel.

Eles vem até a gente sorrindo.

– Hey Angie - O homem que parece muito com ela ganhou um olhar fulminante.

– É Angel, Terence - Ele mostra a língua para ela.

– Gente esses são meus primos Terence e Brandon. Ter e Bran esses são meus amigos Cat, Lucy, Leia, Evelyn, Savannah, Dakota, Malcom, Tony e esse é meu meio-irmão Nico. O oxigenado é o namorado da Lucy, Octavian

Todos se cumprimentam. Fiquei meio ressentido quando ela me chamou de amigo. Eu sou tipo a alma gêmea dela [n/Angel: Não é, não] sou sim, você só não percebeu ainda [n/Cat: Que frase de stalker] shiu! Estou tentando narrar [n/a: Não mais muhahahaha]

Angel

Terence explicou que só cabia mais quatro pessoa além do motorista no carro além de que minha tia Jackeline ia vir para buscar as malas. Assim que ele terminou de falar eu pulei no banco da frente do carro de Ter, minha tia é um monstro.

– Os loiros com Brandon, Savannah, Tony, Nico e eu no carro do Ter e Leia, Dakota e Edu com as malas.

– E a sua tia? - Pergunta Dakota. Dou de ombros.

– Ela é uma mala.

Então acabou que ficou assim:

Carro 1: Brandon, Cat, Malcom, Octavian e Lucy.

Carro 2: Terence, Tony, Nico, Savannah e Eu linda e fabulosa.

Carro: Dakota, Leia, Edu, malas e minha tia Jackeline (Lê-se M-A-L-A)

Infelizmente eu perdi no cara ou coroa com a Savannah, ou seja eu fui atras com o Nico e o Tony (Detalhe: Nico ficou no meio de nós com uma cara de peixe morto ciumento)

Assim que eu avistei um carro chegando obriguei Ter a acelerar. Eu que não quero falar com minha Tia Mala!

Cat

Primeiro de tudo, é muito preconceito deixar todos os loiros em um carro. E segundo, o Malcom precisa fazer uma dieta. Sério, na ida para a cidade tem algumas curvas e ele só caia em MIM!

Quando chegarmos na cidade da Angel eu irei flecha-lo com as minhas flechas machuca-mas-não-mata. Eu só não irei mata-lo porque a Savannah é minha amiga. Sim eu sei que eles não namoram, mas os dois tem um sério caso de desidratação( Savannah por ser secada 24 horas por dia e Malcom por babar nela 24 horas por dia)!

Falando em cidade, qual é o nome da cidade da Angel?

– Hey primo da Angel

– É Brandon!

– Tanto faz. Qual é o nome da cidade que estamos indo?

Brandon me olha pelo retrovisor.

– Antony. Por quê?

Lucy se vira sorrindo maliciosamente e faço o mesmo.

– Anthony? - Pergunta Lucy. Essa quem respondeu foi Malcom

– Antony é uma cidade francesa localizada no sul 11,3 km do centro de Paris. Antony é um sub-prefeiturado Hauts-de-Seine-departamentoe sede do Arrondissement de Antony. Antony é conhecido como...

– Chato! - Falou Brandon - Um calmante me deixa com menos sono do que você!

Eu rio e tento apontar para a cara de Malcom, só que acabo acertando o olho de Octavian, ele é claro começa a gritar que iria me processar por lesão corporal. Pegue uma ficha querido.

Leia

Quando Angel disse que a tia dela é uma mala, eu não esperava que ela fosse tão parecida como uma mala. Ela é quadrada, gorda e cheira a naftalina! Edu parecia prestes a se matar e Dakota se juntou a essa seita quando a Jackeline o proibiu de beber kool-aid no carro. Como os três são uns fracotes eu tive que carregar todas as malas, menos a tia da Angel, e coloca-las no porta malas.

A viajem demorou uns 15 minutos, mas pareceu umas 10000000000000000000000 horas, o carro dela era lento, cheirava mal e ela ouvia uma música tão horrível que parecia uma mistura dos roncos dos meus irmãos e mil vasos entupidos por gremelins.

Se a tia da Angel tinha um cheiro de naftalina o carro dela é a fonte de todo o poder naftalistico das velinhas que cheiram mal. E foi assim que eu me juntei a tentativa de suicídio com Edu e Dakota. Que horrível! Quando chegarmos eu irei dar uma voadora na cara da Angel, uma beeeeeem vingativa.

Angel

Ser esmagada não é legal, levar uma voadora na cara é no minimo chato, mas ter abraçar todas as minhas tias, velhas e enrugadas, e os meus tios, com mais plastica que a Barbie viva, é tão horrível que chega a ser indescritível.

O pior foi ver a minha mãe chegando e sorrindo para todos, menos eu. Não, isso não é ciume. Eu odiei porque eu sabia o que vinha depois.

– Olá crianças! Meu nome é Zira Vellar ou, como a Angel insiste em me chamar, mãe.

Depois de todos se apresentarem o mordomo saiu da porta-de-mordomo, não era o Garfield, e pegou as malas.

– Nossa Angel! pensei que sua casa ia ser mais... Sombria - Comenta Cat

– Essa é a mansão da família. A minha é fora da cidade.

– Falando nisso, qual é o nome da cidade? - Pergunta Tony. E lá se vai o segredo.

– Antony - Murmuro.

Todos me lançam um olhar malicioso. Não tenho que ficar aqui a mercê dos meus amigos.

– Irei dormir. Quem precisar da minha ajuda vão se fuder na esquina.

Subi as escadas e entrei no meu quarto, que tinha mais duas camas de casal. Pulo na maior e vou dormir. Como eu amo minha cama!

Cat

Assim que Angel desapareceu na escada todos se voltaram para nós. A sala ficou cheia e todos começaram a se cumprimentar. Eu nunca apertei tantas mãos( e eu já cumprimentei um centímano!)

E como se você ensaiado eu, Lucy, Leia e Savannah fomos empurradas para a cozinha e os meninos para fora da casa. Sinto cheiro de esteriótipo no ar, ou talvez seja o cheiro de naftalina da tia da Angel, ainda não me decidi.

Elas mandam nós sentarmos nas cadeiras e apagam as luzes, menos uma potente luminária. É estão nos interrogando.

– Então, como vão os namoradinhos?

Agora eu sei porque a Angel é tão estranha

– Sem problemas com meu namorado - Responde Lucy lentamente.

– Nem com o meu. - Leia concorda do mesmo jeito.

– Eu e Savannah não temos namorados. - Respondo. Elas nos olham desconfiadas

– Tuuuuuuuudo bem - Elas acenderam as luzes e foram embora em menos de um minuto.

Trocamos olhares e fomos para a sala. O mordomo apareceu e nos levou para nosso quarto. São só duas horas da tarde, mas estou exausta. Todas de arrastaram para a cama e dormimos. Ah, Mauricio, quanto tempo!

...

Acordei e vi uma coisa terrivelmente terrível. Não pude aguentar, tive que gritar

Lucy

Acordei com um grito, e logo percebi que veio de Catherine.

– O que aconteceu? - Pergunta Leia que, assim como eu, tinha sido acordada pelo grito.

– A Angel fez clones de si mesma!

– Cala a boca, Cat! Essas são só as minhas primas! Meus clones brilham!

Angel entrou no quarto sendo seguida por mais duas garotas, uma morena e uma loira.

Felicity e Amy. Umas chatas devo dizer.

A loira, Felicity acho, olhou feio para Angel.

– Então, foi muito exaustivo falar com a nossa família?

– Que nada, nós só dormimos a tarde inteira porque uma iguana gigante atacou Tóquio! - Cat falou sarcástica. Angel ficou processando por um tempo e rolou os olhos. Depois fala que não é lerda!

– Tanto faz! Vocês tem que se arrumar para a festa de Natal. Só que tem uma regra: Só pode usar uma cor.

– Por quê? - Pergunto.

– Fica mais legal. Ano passado só podíamos usar roupas relacionadas a animais.

– E o que você usou? - Pergunta Cat curiosa. Angel dá de ombros.

– Um vestido feito dos cabelos da vizinha aqui da frente. Ela nunca mais me incomodou. Sabe ela é uma vaca!

Angel e seu meio-humor sádico.

– Sério.

Okay, agora eu fiquei com medo! (n/Cat: Você não tem permissão de dizer okay! Okay não é para impuros)

Me levanto da cama, ainda estava sentada nela, e começo a procurar nas minhas malas algum conjunto bonito

...

– Lucy? Você está pronta? Preciso comer alguma coisa! - Grita Cat da porta do quarto. Esfomeada! Ainda não sei como ela não engorda!

– Já estou indo Cat - Digo colocando a minha mão no ombro dela

– Você acabou de tocar meu suéter Weasley?

– Sim?

Cat faz uma cara sinistra, que faria a Angel se orgulhar, e sussurrou umas palavras que pareciam Urdu

– Vai ter vingança! Vai ter vingança!

Cat saiu correndo e eu desci já pronta e Octavian sorriu para mim.

– Você está parecendo a minha mãe - Cat diz espalhando farelos de biscoito de gengibre pelo chão

– Pois eu acho que você está gloriosa!

– Quem fala gloriosa? - Angel disse meio curiosa meio esnobando.

Cat

Antes que qualquer um pudesse responder a gloriosa pergunta da Angel, a vó da própria entrou com uma cara severa e enrugada (n/Angel: Hey!) (n/Cat: Calada Angel!)

– Estão todos aqui? - Ela perguntou.

– Não. Savannah ainda está dormindo e Edu está criando cogumelos ali no canto - E o premio da resposta mais sem graça vai para... Malcolm!

Nessa hora Savannah desceu as escadas. Ela, por incrível que pareça, não está usando nada muito bitch.

– Agora vamos para a festa - Diz a vó da Angel. Festa? E a comida? Olhei para Angel e ela dá de ombros confusa

– Mas e a ceia?

– A ceia só será servida a meia noite.

Olho no meu relógio.

– Mas são 23:59!

A senhora me olhou "minervamente" e eu calei a boca. Lembrete: Senhoras podem dar medo tanto quanto menininhas em casacos vermelhos (Entendedores de Ravenswood entenderão).

Quando finalmente chegamos no salão a vó da Angel se virou sorrindo e fomos mais fundo no corredor até chegarmos em uma enorme sala onde uma enorme mesa cheia de comida me aguardava. Nos sentamos nos lugares nos resignados (sou chique!) e comemos. A carne estava realmente deliciosa.

– Qual é essa carne que estamos comendo? - Pergunta Leia

– Pato - Responde um tio da Angel, ou primo sei lá. Esperaí... PATOS??????? Todos, amigos e Octavian, se viram para a Angel que que está parada em choque com uma garfada em caminho da boca.

– Angel? Angel, querida? - A mãe e o padrasto tentam chamar Angel, mas ela continua parada. Sorte que eu tenho um truque na manga.

– Di Imortales! Aquele é o Tony Stark vestido de paçoca? - Gritei perto da Angel. Ela pulou da cadeira em alerta.

– Onde?

– Eu só estava tentando te tirar do choque. E consegui.

Ela me lançou um olhar magoado e foi para o canto com o Edu, que tinha se arrastado até a sala.

Depois de todos terminarem de comer, ninguém comeu o pato por causa do olhar da Angel, o povão legal e eu fomos para uma sala para tomar chocolate quente e trocar os presentes, íamos sair beeeem cedo de manhã. Eu ganhei o CD do Imagine Dragons, Night Visons (*----* Valeu Angel), 8 all stars de cores diferentes ( Valeu Sobrinho, Lucy, Leia, Savannah, Edu, Dakota, Malcolm e Nico), um Destrua este Diário (valeu Angel de novo) e uma cesta da Dedos de Mel ( valeu Tony). Depois disso fomos todos dormir. Sim, meu sono é infinito!

Até que foi um Natal legal.



Notas finais do capítulo

Coments? Please?
NO PRÓXIMO CAPÍTULO DE WE ARE DEMIGODS....
— Você acabou de nocautear meu namorado?
— Não. Ele tropeço em uma formiga e um elefante tocou uma trompa e... E... Ah! Eu adimito: Eu roubei gelo do Alasca! Felizes agora?