O Lado Bom De Ser Invisível escrita por Maga Clari


Capítulo 2
Capítulo 2 - A música




********************************************************

28 de Agosto de 1991

Querido amigo,

Por que sou tão idiota?

Não sei qual o meu problema, eu simplesmente não suporto ouvir aquela música. Ela desperta algo no meu inconsciente e eu não aguento ouvir nem metade dela, sabe. Costumava ser a música favorita do Michael; ele amava David Bowie...

E ouvi-la tão de repente assim, no estado em que me encontro, só poderia resultar numa coisa: choro. Michael costumava dizer que ia comprar qualquer dia desses uma piscina, só para ter onde guardar tanta água que eu derramo haha. Droga! Olha ele aparecendo nos meus pensamentos de novo...

Desculpa... Eu sou tão egoísta que acabo te envolvendo nos meus problemas pessoais. Aposto que você deve me achar mais um garoto idiota e criança e que deve estar talvez até rindo de mim agora. Ou talvez, você nem tenha lido tudo e tenha amassado e jogado esta carta fora.

Mas quem liga? Já cheguei até aqui, então vou continuar escrevendo. Mas voltando ao meu problema, eu realmente tentei não chorar, sabe. Mas a música estava cada vez mais alta e a garota - aquela garota estranhamente sorridente - inventou de chamar todo mundo mais para perto de mim. Para quê?

Eu já tentava fortemente evitar minhas lágrimas sozinho e a sensação de estar sendo observado só as influenciou ainda mais. O fato é que eu não aguentei e saí correndo antes que a coisa só piorasse, como realmente aconteceu. A minha médica me viu correndo e me seguiu; ela foi lá conversar comigo e terminou me dando um calmante.

Engraçado, alguns dias atrás o que eu mais queria era sair dessa sala, vulgo prisão. Hoje, o que eu mais quero é ficar nela. Quero ficar aqui e esperar o pior. Pelo menos aqui não tem música nenhuma para perturbar meu juízo...

Ah, droga, lá vem a enfermeira de novo... Falo com você outra hora. Agora preciso "comer".

Mais uma vez, muito obrigado por ter sido compreensivo e paciente comigo.

Com amor,

Charlie

**********************************************************

29 de Agosto de 1991

Querido amigo,

Passei a noite pensando naquele garoto esquisito. Por que será que me sinto tão culpada? Isso não sai da minha cabeça, sabe. Estou tão acostumada com o contrário (pessoas me magoando) que ainda é muito estranho para mim quando EU sou a pessoa que magoa.

Hoje de manhã, o Craig veio me ver. Ele disse que sentiu minha falta na oficina de recortes e achou que seria legal saber o que tinha acontecido. Eu disse que não era nada demais, que era simplesmente mais um daqueles meus ataques de tristeza.

Ele me olhou com uma cara séria, como meu pai costumava fazer quando eu era pequena. Eu entendi claramente o porquê. Levantei as mangas da minha camiseta e estendi minhas mãos num sinal de "estou limpa"; ele sorriu para mim. Eu retribui.

Fechamos a porta e saímos correndo como sempre fazemos quando ninguém está olhando. Subimos a escada giratória e chegamos ao telhado. Há alguns meses, quando Craig chegou aqui, eu estava mal mesmo; meus pulsos e rosto estavam mais vermelhos e marcados do que nunca e eu me lembro que sua companhia me fazia bem...

Desde então, tenho melhorado bastante, embora não cem por cento... Como você mesmo já deve estar careca de saber, né? Haha. Em todo caso, chegamos no telhado e já tinha alguém lá. Aquele garoto de novo! Quando ele me viu, foi correndo pro outro lado, bem longe. Qual o problema dele?

Craig acha que ele deve estar afim de mim, vê se pode! Haha mas é claro que não é isso... senão ele viria aqui falar comigo, não é?

Ou não?

Ai, por favor me escreva, eu não aguento mais esse relacionamento unilateral, preciso de alguém que ouça, entenda, mas também responda!!! Preciso de um amigo assim...

Com amor,

Noelle

**********************************************************

30 de Agosto de 1991

Querido amigo,

Aquela garota me persegue! E se ela for uma maluca, uma psicopata??? Esse é o lugar mais fácil de encontrar alguém assim, né? Haha palmas para o Charlie, usando a ironia para tentar se sentir melhor quando na verdade nada vai adiantar.

Sabe qual foi a última? A médica tem me achado mais magro, talvez suspeite que eu não esteja comendo... Então por favor, guarde segredo, certo? Falando nisso, minha irmã veio aqui e disse que a escola toda já esta sabendo, que ótimo. Agora deixei de ser apenas o garoto esquisito pra ser o garoto esquisito E doente.

Mas, como a minha vida nunca são flores, adivinha quem vai voltar pra escola? Exatamente. A mamãe acha que eu devo ir apenas nos primeiros dias e dormir aqui,entende? Só pra eu não perder o contato com as pessoas... Mas que contato? Eu nunca tive contato com elas mesmo, por que teria agora?

Acho que já devem ter contado pra ela sobre o incidente da música. A doutora deve ter pensado que era saudades da escola... Coitada. A última coisa que eu queria fazer era voltar para aquele lugar, sabe. É uma tortura tão grande quanto aqui. Pelo menos aqui as pessoas me deixam em paz.

Foi por isso que resolvi ir pro telhado escondido. Eu só queria ficar comigo mesmo e estruturar meus pensamentos. Esperei dar meia noite e subi. Assisti ao sol nascer, meio hipnotizado. O que me tirou do transe foi o barulho de sapatos e risos. Quando virei, ela estava lá com aquele menino da "banda".

Resolvi sair de perto antes que inventassem de cantar a tal música outra vez. Eu sei, pareço um menino babão mas eu sou assim... Além disso, precisava me preparar psicologicamente para voltar à escola.

Me deseje sorte.

Com amor,

Charlie

**********************************************************

30 de Agosto de 1991

Querido amigo,

Desconsidere tudo que eu falei, eu não preciso de respostas, desculpa se eu fui muito exigente... Eu sempre faço isso... Eu perco os amigos por bobagens então esqueça que eu te pressionei, okay?

Eu sou muito grata por você me ouvir e tenho medo de não ter mais você. Eu quase enderecei este envelope, mas aí eu caí na real e desisti. Esqueça.

Além do mais eu tenho o Craig e o Bob, não é? Eles são muito legais também...

Falando em Bob, ele vai dar uma festa amanhã. Ninguém pode saber haha então... shiu shiu! Vai ser muito legal porque todo mundo vai lá, vai ser na sala de música, ou melhor, no nosso quartel general. Porque praticamente não saimos de lá...

E eu estava pensando... em finalmente procurar o quarto do garoto esquisito e chamar ele. Temos que parar com isso ou então eu não vou parar de ter insônia. Embora eu tenha sem motivos normalmente...

Enfim. Vou por uma convite embaixo da porta dele,o que acha?? Craig que desenhou na capa, ficou lindo. Ele é um ótimo desenhista, né? Lembra daquele retrato que ele fez meu? Eu te enviei uma foto um dia desses...

Bom, deixa eu parar de papo furado porque eu preciso procurar o quarto dele.

PS: Eu até te convidaria para festa, mas eu sei que você nunca viria pra uma festa de malucos, né? Te chamei tantas outras vezes... Prefiro não me decepcionar outra vez.

Com amor,

Noelle

********************************************************





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Lado Bom De Ser Invisível" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.