O Lado Bom De Ser Invisível escrita por Maga Clari


Capítulo 13
Capítulo 13 - Você me tornou infinito


Notas iniciais do capítulo

Último capítulo, pessoal. Espero que comentem, tá?
Foi super legal escrever essa fanfiction, e talvez ela fosse maior se houvessem mais estímulos, mas não sei bem se ela seria melhor ou pior. Gosto dela assim. Espero que se divirtam :]



********************************************************

3 de Novembro de 1991

Querido amigo. Querida amiga. Querida qualquer pessoa que tenha acesso às minhas cartas,

Primeiramente, gostaria de dizer que você é a pessoa mais importante na minha vida. Hoje eu agradeço a minha médica por ter me sugerido começar a escrever para você. Ela é uma pessoa incrível, sempre costuma dar essa ideia para alguns de seus pacientes mais problemáticos e, como você já deve ter percebido, eu sou completamente problemático.

Hoje eu entendo que você é uma pessoa real embora não seja. Eu sei, é confuso. Eu também demorei de entender o conceito do que é você; não se sinta mal por não entender. Olha, eu não sei o que eu estou sentindo no momento. Estou feliz e triste ao mesmo tempo. E gosto disso. Mas não estou bem certo, sabe? Há tanta dor no mundo, e quando você anda pelas ruas, sua emoção passa da água para o vinho e vice-versa; é mais ou menos isso que sinto agora.

Ontem, eu fui visitar a minha tia Helen. E o Michael também. Estavam todos lá, enterrados, nem podemos vê-los mais. E se pudéssemos, aposto que estariam sorrindo com a nossa visita. Eu coloquei orquídeas ao lado dos dois e comecei a chorar. Minha mãe começou a chorar também e me abraçou. Daí todo mundo imitou a gente. Escuta, eu sei que você também já deve ter passado por isso em algum desses feriados em sua vida; você com certeza me entende ou entenderá.

Em todo o caso, quando me dirigi à saída, adivinha quem eu encontrei sentada na calçada? Isso mesmo, a Sam. Assim que passei perto dela, Sam gritou um "CHAR-LIE", com aquele sotaque dela de sei lá onde. Sotaque de garota histérica, para ser mais específico. Ela me abraçou muito forte e eu correspondi. Ela ainda estava com o mesmo perfume de rosas no cabelo; eu disse que a conhecia.

"Charlie, me desculpa"

"Tudo bem. Vamos embora, eu não consigo ficar mais tempo aqui"

"Mas eu ainda tenho duas flores pra distribuir"

"Como assim?"

Sam puxou minha mão e nós fomos para um canto mais afastado do cemitério. Lá perto do jardim, ela cavou um montinho de terra e escreveu com o dedo "Velha Sam" e deixou uma flor em cima. A outra ela me deu como um pedido de desculpas. Quando eu perguntei o que ela estava fazendo, Sam me disse que queria que eu a perdoasse por ser tão idiota e infantil. E que de agora em diante ela seria uma nova pessoa. Eu sorri e disse que ela era mais do que bem vinda. Nós fomos para minha casa de mãos dadas, e assim que chegamos, encontramos algumas visitinhas à nossa espera: Patrick, Noe, Craig (o Craig do hospital) e Bobby.

"Os pombinhos querem dar um passeio de carro?"

A gente riu e todo mundo subiu na picape de Patrick. Deixa eu te falar uma coisa, amigo. Você se lembra quando eu disse que eu tinha um trauma da música de David Bowie? Pois então. Patrick pegou uma fita com essa música, e antes de chegarmos no túnel, ele falou:

"Escuta, Charlie. A Noe gatinha aqui disse que você se descontrola com uma certa música, correto, Noe?"

"Isso mesmo"

"Pois agora você vai transformar a lembrança ruim numa lembrança perfeita, pode ser? Assim que eu aumentá-la, você vai pensar que seu amigo está num lugar melhor e feliz por ter sido seu amigo. Depois, você vai respirar e pensar em como todos nós te amamos e gritar meu grito de guerra, pode ser?"

"E qual é esse grito de guerra?"

"Ah, super fácil, Charlie", Noe sorriu sapeca e me olhou nos olhos, " *AND IM A HOT HEROOOE. IM ON FUCKING BROADWAY!"

Eu comecei a chorar e rir, como sempre faço. De fato, eu fui chamado para o elenco do musical do SpiderMan, mas eu não queria aceitar, o estrelado era só da Noe, entende? Eu nunca quis roubar o brilho dela. Ainda não me decidi, mas sei lá, estou muito confuso com isso. Mas voltando ao túnel, eu superei meu trauma. Fiz como Patrick mandou e deu certo. DEU CERTO, AMIGO! Eu parei de me descontrolar, isso não é demais?

Eu sei que não deveria estar te enchendo de informação, principalmente porque talvez seja a última carta que eu escreverei por uns tempos, mas eu preciso de um ouvinte, entende? Ou melhor, um leitor. Mas de qualquer forma, eu segui o conselho da Noe e vou começar a "participar". Nós dois resolvemos criar o projeto "Querido amigo" e vamos fazer um correio pelo hospital e pela escola, sabia? Vamos fazer as trocas das cartas aleatoriamente e assim todo mundo vai ter um amigo imaginário-real, deu pra entender?

Por falar nisso, descobri quem nos deu as cartas. Foi a Mary Elisabeth. Sabia que a irmã dela trabalha aqui? Ela nunca me disse que tinha uma irmã, para falar a verdade. Não sei porque ela omitiu esse fato, mas Mary acabou me contando depois. Ela sabia de tudo em segredo, e de um dia para o outro teve a brilhante ideia de trocar nossas cartas. E ela arrancava a nossa assinatura, acredita?

Antes que eu me esqueça: Noelle e Craig estão namorando. Sério. Ele a pediu em namoro no Halloween quando a gente estava atrás de doce na rua. Sim, Noe conseguiu me tirar da cama e me arrastar, literalmente, para a rua. Segundo ela, minha fantasia era de "paciente de hospital" haha. Eu estava mal mesmo por causa da Sam, mas a Noe acabou melhorando meu humor.

Não sei por quanto tempo ainda vou ficar neste hospital, nem se um dia eu vou sair. Mas eu posso te garantir que estou tentando. E pretendo melhorar. Peço desculpas por parar de escrever pra você, mas eu estarei gastando tempo demais sendo o amigo de outros amigos; estarei ajudando pessoas como eu. Que não tentam dormir com aquela garota que conheceu na festa só porque teve oportunidade. Porque eu ouço, leio e entendo o que o outro está passando.

Quanto à Sam, eu não sei se estamos num relacionamento ou não. Eu continuo me encontrando com ela e pensando nela daquele jeito. Mesmo sem saber se devo ou não fazer isso. Mas é algo do qual eu não controlo, entende? Continuo sonhando com a Sam algumas vezes também. Mas de qualquer forma, acho que ela desistiu de se mudar e vai continuar aqui. Graças a Deus!

Bom, está chegando a hora de me despedir. Quero lhe agradecer por tudo que você me fez todos esses meses, e desejo, do fundo do meu coração, que seja feliz. Noelle também deseja o mesmo, e embora a gente saiba que somos o correspondente um do outro, estamos escrevendo esta carta juntos. Futuramente, mostraremos a carta para as pessoas que nós vamos ajudar.

Noe pediu para avisá-lo que se não fosse por você, ela certamente seria mais uma a quem eu estaria visitando no 2 de Novembro. Ela diz também que entende o porquê da médica ter pedido para que ela se desvinculasse de você; era para que ela pudesse ser feliz sozinha. Assim como voamos para longe dos nossos pais quando crescemos; é mais ou menos isso.

Noe prometeu que ia parar com as cartas quando melhorasse.

Ela parou de te escrever, não foi?

Da mesma forma, essa é a minha deixa. Muito obrigado mais uma vez. Eu sei que sempre que eu precisar, você estará aberto para me ouvir, e eu também estarei. Talvez mais aberto ainda que você. Ou não, sei lá, tanto faz.

Obrigado por me tornar infinito.

Com todo amor,

Charlie e Noelle

PS: Assim que eu aprender a dirigir, irei chamar a Sam para sair, então não se espante se sua caixa de correio aparecer cheia com uma carta minha. Eu preciso dividir isso com alguém.

**********************************************************



Notas finais do capítulo

* Traduzindo, ficaria "E eu sou um herói quente (gostoso), e estou na porra da Brodway". É uma frase-paródia só pra rimar com o verso da música "Heroes", que é : "We can be heroes, just for one day".


Pessoal, esse projeto existe mesmo, só que com o nome em inglês (Dear Friend). Tem lá no facebook, na página "Wallflower". Eu acho super legal. Bom, eu não estou envolvida nele, mas estou totalmente receptiva a receber e responder cartas de pessoas como o Charlie. Todos nós temos um pouco desse jeito dele e acho legal cada um se ajudar, não? Caso queiram mais informações, me mandem uma MP
Beijo grande ^^



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Lado Bom De Ser Invisível" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.