Broken Flower escrita por Fleur dHiver


Capítulo 3
O Dia Mais Feliz de Todos. Parte 2


Notas iniciais do capítulo

Cheguei com a dose de drama do dia. *--*'
Ai Broken Flower é um dramalhão sem fim, e agora vamos a festa, quem casa, que casa e festa. qqq
Parei, com as piadas ridiculas, enfim. Vou deixar vocês em paz. Preciso arrumar a capa dessa fic. ~~

Um beijo bem grande no coração de quem acompanha, comenta e favorita a história e aos novos leitores um seja bem-vindo e enjoy.

Boa leitura a todos ♥



– Então... Nem acredito que eu estou aqui. No casamento da testuda. – Todos riram, e Sakura apenas revirou os olhos.

Os brindes para o casal feliz tinham começado. A atenção de todos estava voltada a Ino, uma das damas de honra e a madrinha ‘principal’ como a loira gostava de se intitular. Sasuke bufou ao lado de Sakura, claramente entediado, verificou pela milésima vez que horas eram e sem aviso, levantou-se da mesa, afastando-se da garota, sua esposa.

A rosada apertou o vestido branco, tentando não transparecer o nervosismo e até mesmo descontentamento, era só o Sasuke, sendo Sasuke, ele não gostava dessas coisas, sempre soube, não era nada demais. Forçava-se a pensar nisso, quando cogitou levantar e ir atrás dele, as palavras de Ino voltaram a serem ouvidas por ela.

– Nem acredito que estou aqui acompanhado o sonho da minha melhor amiga. – Sakura sorriu. – Você é muito especial para mim, Sakura e saber que você se lembrou de mim para partilhar esse momento com você, é mais que maravilhoso e perfeito. Você ta realizando seu sonho amiga. Um brinde pela testuda ter fisgado o gato, mais gato de todos. – As risadas voltaram a ecoar e as taças se ergueram, Sakura também levantou a sua, tomando uma pequena golada, disfarçando muito bem o desconforto que causava a cadeira vazia ao seu lado.

– Talvez eu tenha umas histórias antigas da testa, quando a gente era criança, ou bêbadas e...

– Chega, Ino. – A loira fez uma curta reverência, quando a Godaime surgiu tomando-lhe o lugar.

Tsunade observou com atenção a taça em suas mãos e depois se voltou para a bela garota sentada na mesa principal, não usava mais o véu, porém a roupa continuava a mesma, sorriu de forma terna para ela, mas seu olhos se desviaram para a cadeira ao lado, vazia. Procurou pelo Uchiha, até encontra-lo, surgindo por uma das pilastras e escorando na mesma. Parece que o discurso da Hokage até ele queria ouvir.

– Sakura, já não é mais segredo que eu te tenho como uma filha. E por essa razão eu estou aqui hoje, brindando a sua escolha. Como uma mãe, minha vontade é de te prender, mas como uma boa mãe eu sei que preciso deixar você voar, cair e levantar sozinha. – Voltou sua atenção para a taça novamente. – Eu desejo de todo o meu coração que a sua vida, seja plena, que quando suas quedas vierem, você saiba levantar e ir embora. Minha porta sempre estará aberta a você e se alguém ousar te machucar pode ter certeza que eu mesma acabarei com ele. – Olhou fixamente o Uchiha que mantinha um sorrisinho irônico depois das palavras da loira, tomando sua taça. – Um brinde, as nossas quedas, pois sem elas nunca saberemos o que realmente é a felicidade para nós.

Todos brindaram, mas claramente o clima ficou pesado. Sakura tinha notado sua shishou olhando para um ponto especifico e quando virou o rosto, encontrou Sasuke parado observando o discurso, por mais que tenha se sentindo mais calma por vê-lo ali, foi inevitável não sentir uma pontada, o lugar ao seu lado ainda estava vazio. Respirou fundo e manteve o sorriso.

Ele já não estava mais aguentando aquela situação patética, aquela encenação de quinta, virou o copo de whisky que tinha em mãos, sentiu a bebida descer queimando e levantou de uma vez, chamando a atenção de todos, seu braço foi segurado, alguém queria para-lo, mas ele apenas sacudiu com displicência depois se desculparia, mas agora que a coragem o munira ninguém o pararia, pegou uma das taças e se encaminhou ao palco, onde a banda estava, onde os discursos estavam sendo feitos.

– Acho que agora esta na hora do padrinho fazer o seu brinde. – O Uzumaki voltou seus olhos para sua amiga, sua irmã. – O Sasuke e a Sakura são como irmãos para mim, eu não podia deixar de vir, mesmo quando um dos nossos irmãos está fazendo uma babaquice. É isso ai. Babaquice, tudo isso é uma babaquice mesmo– E riu de escárnio, e todos riram com ele, afinal era o Naruto. Poucos realmente conseguiam distinguir que o discurso era para Sakura e não para o recém ‘encoleirado’ como todos achavam ser a piada que o loiro fazia – E eu avisei! Por que ninguém me escuta? Sakura você ta tão linda, ta tudo lindo. Sério. Imagino todo o trabalho que você deve ter tido aqui, da ideia a concepção... Mas Sakura... – E ele parou, olhou para Hinata que estava quase correndo para tira-lo do palco. Depois para sua amiga que estava quase aos prantos e a coragem se esvaiu, apertou a taça. – Isso é uma merda. – Abaixou à cabeça, a frase deveria ser um sussurro, mas com o microfone a sua frente todos ouviram, mas ele não tardou a erguer o rosto – Um brinde, a merda! Opa, ao casamento do teme. – Naruto ia falar mais algumas palavras, mas Kakashi já estava lá, arrancando-o do palco. Hinata não conseguiria afinal.

– O resto dos brindes pode ficar para depois da valsa do casal. – Disse o Hatake, segurando Naruto bem distante do microfone.

Sakura observava enquanto Kakashi tirava Naruto de cima do palco e o entregava para uma preocupada Hinata. Levantou para ir atrás do loiro, falar com ele, querer entender porque até Naruto estava contra ela. Contra sua decisão. Mas antes que desse um passo sequer, sentiu seu cotovelo ser puxado por Sasuke arrastada até o centro da pista. Passou os braços em torno do pescoço dele. As mãos quentes e pesadas repousaram em torno da sua cintura.

Tentava manter o sorriso, mas estava tão difícil, tão complicado. Aquele era o dia mais feliz de todos, aquele era o seu maior momento, mas as pessoas mais importantes para ela pareciam alheia a sua felicidade.

Escorou a cabeça sobre o ombro dele, segurando-o com força, não sabia quando poderia contar com Sasuke, mas ao menos ele estava ali, com ela naquele momento, sentiu o contato com sua cintura apertar um pouco e afrouxar até que uma das mãos subiu até suas costas nuas, afastou um pouco a cabeça do ombro dele, olhando no fundo dos olhos negros dele, que pareciam querer ler sua alma, que ele momento parecia ser tão deles, então ouviu os aplausos e a musica parou, a pista foi tomada e da mesma forma que chegou, Sasuke se foi como uma sombra.

Passou por algumas pessoas, sorriu para outras, quase dançou com mais algumas, mas enfim havia parado em frente à mesa que desejava. O garoto estava pronto para levar um copo da bebida alcoólica à boca, mas Sakura interrompeu, colocando a mão em frente à boca do copo. Naruto voltou seus olhos azuis para a amiga.

– Acho que precisamos conversar. – Naruto concordou largando o corpo na mesa e acompanhou Sakura para fora da tenda que tinha sido posta no jardim dos Uchiha no total eram três tendas onde ficava a pista, o palco e as mesas, mas algumas pessoas se encontravam como eles caminhando pelo belo jardim. Quando estavam a uma boa distância, mas não muita para causar burburinho. Sakura se voltou ao amigo. – Por que tudo isso? Por que falou aquelas coisas no palco? Você é casado, porque falar que o casamento é uma merda. É algum tipo de piada masculina?

– Não, não é nada disso. – O Uzumaki olhou com pesar para a menina e Sakura se sentiu muito incomodada com aquele olhar.

– Pare de me olhar assim. – Pediu ela desviando olhar. – Por que vocês insistem em me olhar de forma apieada?

– E como quer que eu olhe? – Perguntou o Uzumaki sem encara-la, estava com vontade de chorar, tinha bebido demais.

– Está com pena de mim no dia do meu casamento? – Perguntou a garota com a voz embargada.

– Estou com pena de você no dia do seu teatrinho. – Falou ríspido, não queria conversar com ela ou falaria algo pior que isso.

– Não é um teatro Naruto, é a verdade, são as nossas vidas. – Sakura se exaltou um pouco, mas logo tratou de diminuir o tom para que ninguém notasse o teor de sua conversa com o melhor amigo.

– Não! É o Sasuke deixando você fingir que está realizando um sonho, para ele pode brincar de casinha e foder com você até ter Uchihinhas e não servir para mais nada. – As palavras foram duras demais e o Uzumaki se arrependeu delas assim que olhou o espanto e assombro sobre as feições delicadas da sua amiga. Tocou os braços dela em uma caricia suave, abraçando-a em seguida. – Desculpa, desculpa. Eu não queria dizer, isso, esquece. Eu sou um idiota mesmo, Sakura você tem...

– Ele podia ter me impedido, podia ter dito que seria só no cartório, podia ter escolhido qualquer uma... – As palavras começaram baixas e incertas, a cabeça também estava abaixada, mas foi se erguendo junto com o tom de voz, firme e forte, mesmo que olhos estejam marejados. – Ele me pediu em casamento, da maneira como se pede, ele, ele, não me impediu de querer casar assim, da forma como ele odeia e acha desnecessário. Eu sei... Eu sei que... que... ele... – As palavras prenderam em sua garganta não conseguia dizer que ele a amava. – Ele só precisa de tempo, isso não é um sonho. Por que todos ficam me dizendo isso? Eu vou provar para todos vocês que vou ser muito feliz com Sasuke. E eu não entendo você, lutou tanto, acreditou tanto nele, fez tanto por ele e agora está o julgando como os outros.

– Não, não é isso. Por conhecê-lo e saber como ele é e como você é, o que você sente, eu digo essas coisas. A questão não é mais o Sasuke e o mundo, é o Sasuke e você, as pessoas mais importantes para mim... Eu não sei o que fazer se um dia tiver que escolher entre os dois... – A voz do Uzumaki saiu baixa, a encarava um pouco temeroso.

– Você não vai precisar escolher entre nós, não tem porque isso acontecer. – Ambos ficaram em silêncio apenas se encarando, até Sasuke surgir e puxar Sakura contra o seu corpo. Seus olhos presos aos azuis de Naruto.

– Acho que a Ino está chamando você e não tem porque ficar dando atenção a esse dobe. – Naruto trincou os dentes e Sakura ficou aflita pensando em apartar qualquer coisa que pudesse vir a acorrer, mas olhos frios de Sasuke se voltaram a ela novamente como um aviso mudo de que ela deveria ir e foi o que fez. Olhando para trás e vendo duas pessoas tão importantes para si ainda na mesma posição encarando-se como se fossem matar um ao outro a qualquer instante. – Não quero você próximo a ela, agora Sakura pertence a mim.

– Caso você não tenha notado ela não é um objeto decorativo da sua casa, teme. – Disse Naruto bastante irritado.

– É a minha esposa, e você têm a sua para se preocupar, porque não está lá com ela? –Perguntou o Uchiha bastante ríspido.

– Hinata está ótima e Sakura é a minha amiga. Posso falar com ela quando eu quiser. – Naruto estava se segurando para não soca-lo bem ali.

– Fique longe e pare de por coisas na cabeça dela. – Ameaçou o Uchiha mais jovem.

– Ou o que? Está com medo de perder aquela que vai carregar os seus bebês? Ou você acha que eu não sei que para você a Sakura não passa da porra de uma incubadora? – Eles estavam quase se digladiando quando uma mão surgiu no meio dos dois.

– Meninos, por favor. Isso é uma festa, Naruto, vá falar com a Hinata antes que o pai dela venha aqui te dá uma surra. – Naruto se afastou a contragosto, e quem tomou seu lugar foi o Hatake, com um copo de whisky em mãos fitou o seu antigo aluno. Diferente de Naruto ele não perderia a cabeça. – Estamos todos de olho em você, Sasuke.

– Tsc. Poupe-me não a ameacei, nem forcei a casar comigo, ela fez porque quis então parem de me tratar como o lobo que atacou o pobre e indefeso cordeirinho.

– É a Sakura, Sasuke. O cordeirinho apaixonado pelo lobo. Ela iria até se você a obrigasse, até se você não pedisse. – O Hatake voltou para o meio da festa enquanto Sasuke se afastou bufando, cansado de tudo aquilo sem duvida alguma queria que essa festa acabasse agora, já tinha suportado mais que o aceitável.

Quando Sakura chegou ao meio da pista Ino e Tenten a puxaram e por mais que tentasse sair elas a mantinham no meio forçando-a a dançar e Sakura acabou entrando no embalo, sorriu, dançou e comeu um pouco, até ver Naruto de cara fechada ir para junto de Hinata esperou até que Sasuke aparecesse, mesmo que fosse para ficar entre os cantos, mas ele não veio.

Deu uma desculpa qualquer e se afastou da pista, observando em volta em busca dele, voltou a sair da tenda, e logo o avistou, mas todo o seu sangue gelou ao tomar consciência quem estava próximo a ele.

Sakura caminhou até onde eles estavam Sasuke não demorou a notar sua presença, voltou seus olhos para ela, mas logo ignorou, virando-se para o grupo a sua frente, o que fez com que a ruiva ao seu lado apenas sorrisse, olhando zombeira para Sakura que estava quase bufando de ódio.

– Sasuke! – Chamou a Haruno, quando já estava a uma distância significativa, pode ver melhor a roupa que Karin usava, um vestido vermelho como seus cabelos, justos e decotado, com uma fenda na lateral. O moreno falou algo aos três que se afastaram enquanto Karin ainda jogava alguns olhares e sorrisinhos a Sakura, sendo empurrada por Juugo que simpatizava e se sentia penalizado com a esposa do Uchiha.

– O que foi? – Perguntou Sasuke ao ver sua equipe ir embora.

– O que foi? Eu pedi a você, era a única coisa que você deveria fazer por essa festa que era não convida-la, eu não a quero aqui... – A vontade era de gritar que não a queria perto dele, mas não tinha como, ele não daria ouvido, ou desprezaria e isso a mataria.

– Eu não a convidei, ela só veio falar sobre uma missão. – Deu de ombros, como se aquilo fosse uma bobeira sem fim e na opinião dele realmente era.

– Com aquela roupa? – Mordeu o lábio inferior tentando se conter, seus olhos começaram a arde.

– Não sou eu que devo ditar a forma como ela se veste ou deixa de se vestir. – Falou Sasuke já perdendo sua pouca paciência.

– Sobre que missão eles vieram falar com você? – Desviou o assunto tentando se acalmar. Sasuke a fitou intensamente.

– Uma que eu vou sair, com eles, daqui há uma hora. – E ao ouvir essas palavras, todo o mundo de Sakura parou.



Notas finais do capítulo

Opa! Acho que tudo que eu postei hoje teve um fim meio dramático. Nada acabou feliz. To triste. #sqn

Enfim o que acharam? Será que eu sou uma autora tão ruim que vai deixar a Sakura passar alua de mel dela sozinha? E o Naruto? Ele foi muito duro com a Haruna? Acham que todo mundo tá pegando muito no pé do Sasuke e na verdade ele é um cara muito legal? E a Karin, é a amante ou só a vadia de sempre que quer dá para o Uchiha?

Não percam o próximo capitulo de Broken Flower. 'Alá final de episódio de novela mexicana'

No mais, espero a opinião gostosa de vocês, um beijo grande e comentem, favoritem, acompanhem, whaterever

Beijose até a próxima.