Broken Flower escrita por Fleur dHiver


Capítulo 2
O Dia Mais Feliz de Todos


Notas iniciais do capítulo

Então o pessoal que já leu o primeiro cap, devo dizer para voltar ao inicio da fic. Porque enquanto eu escrevia os novos caps, me deu uma vontade louca de fazer uma mudança na estrutura da fic, então o antigo primeiro capítulo é esse aqui, o segundo e o novo cap é o primeiro. ;x
Espero que não se importem e curtam a estória.

Beijos e boa leitura a todos!



O tempo estava ameno, agradável, mas o Sol não brilhava mais como no começo daquela manhã. Agora o céu se encontrava parcialmente nublado. Em um outro momento, talvez ontem, ou, enquanto planejava, isso a teria incomodado bastante, mas não naquele instante. Instante esse que era repleto de felicidade, não havia espaço para incômodos, não mais.

Ino tinha acabado de dar os últimos retoques na maquiagem de Sakura que se erguia parando apenas em frente a um amplo espelho. Podia ver o reflexo de todo o seu contorno, um sorriso surgiu em seus lábios, tocou a saia de seu vestido, feliz demais para poder pronunciar qualquer coisa coerente.

O longo vestido branco se acentuava muito bem em suas curvas, não possuía uma longa cauda, ou era absurdamente armado. Possuía duas camadas, o vestido branco simples, tomara que caia com um pequenino ‘V’ nos seios, relativamente justo até o meio das coxas onde abria um pouco mais e por cima, uma camada toda de renda branca transparente que possuía alguns pequenos cristais em toda a sua extensão, na cintura uma fina fita de seda. A renda subia lhe pelos ombros formando uma manguinha curta e, nas suas costas tinha um vão, entre a parte um pouco a cima da cintura onde terminava o vestido, deixando as costas nuas até os ombros onde a renda se encontrava e fechava sobre as omoplatas.

Um véu fino foi preso aos seus cabelos que se encontravam arrumado em um coque que deixava as pontas soltas e levemente encaracoladas, tornando o penteado mais suave e delicado. Sakura parecia uma delicada boneca de porcelana.

Ino dava pulinhos de alegria, Hinata enxugava o cantinho dos olhos, Tenten apenas sorria ao ver o quão feliz sua amiga estava. Mas alguém naquela sala não sorria não se agitava, não se emocionava como as outras. Em seu rosto podia-se ver duas emoções contrastante o contentamento e a melancolia.

Sakura estava tão linda naquele vestido, sua felicidade era tão palpável que parecia formar uma áurea quase angelical em torno de seu corpo e isso dava um aperto tão grande ao coração de Tsunade.

Isso não estava certo, o rumo que as coisas estavam tomando não era certo, era rápido demais para o gosto da Hokage. E era com pesar que ela previa um fim tão rápido quanto esse começo, em suas melhores divagações, pois em suma só conseguia enxergar tragédia, nada encantado e eterno como Sakura tanto almejava. Mas quando sua menina virou-se em sua direção e a olhou bem nos olhos e sorriu, não pode deixar de sorrir de volta, agora já era tarde demais para tentar mudar algo, tarde demais para voltar atrás.

– Você está linda, Sakura. Mais que linda, perfeita. – Disse sincera Tsunade, a garota estava tão bela, tão graciosa.

O sorriso da rosada só fez aumentar. Tsunade era como uma mãe para a garota e agora após a Quarta Grande Guerra Ninja era a única que lhe restava. O elogio por parte da loira era como um alento ao seu coração, tão necessitado de um afago materno, às vezes sentia que precisava de uma pessoa para guia-la, para mostrar o quão estava avançando, alguém para se orgulhar dela e sabia que podia achar tudo isso em sua shishou.

– Obrigada, shishou. – Agradeceu com a voz um pouco embargada, genuinamente tocada. Estava tão sensível aquele dia.

– Sem choros, ou vai borrar o lindo trabalho de Ino e nós não temos mais tempos para reparos. Precisamos começar a caminhar, minha querida. – A loira estendeu a mão para sua pupila sorrindo de forma maternal. – Sakura apenas maneou a cabeça em resposta, pegando na mão da Senju, sendo acompanhada pela mesma para fora daquele quarto.

A cada passo o coração da Haruno palpitava mais forte, seu salto ecoando pelo assoalho de madeira fazia seu estomago remexer, por saber que estava cada vez mais próximo do momento que a marcaria para o resto de sua vida, porém algo mais a entorpecia nesse momento. Estava caminhando em seu lar, aquele era o seu cantinho, ela sempre soube que seu coração pertencia aquela casa e mais nenhum outro canto no mundo.

Juntas, Tsunade e Sakura entraram em uma sala ampla, preenchida pela luz do dia que entrava pelas janelas frente a elas, que iam do teto ao chão. Parado em frente às vidraças estava o Hatake, como em raras ocasiões fora visto. Usava um fraque preto bem moldado ao seu corpo, às mãos nos bolsos, os cabelos permaneciam bagunçados, mas aparentemente menos arrepiados, usava sua costumeira mascara, mas a bandana não estava lá. No local tinha um simples tapa-olho preto. Parecia observar a vista do frondoso jardim tão ricamente decorado, mas a verdade é que sua mente estava longe, muito longe dali. Sons atrás de si o levaram a se virar para ver o que não estava pronto, talvez nunca estivesse pronto para aquela imagem, Sakura, sua Sakura, sua garotinha, pronta para se casar. Ele não estava mesmo preparado para isso.

Ela estava tão bela, tão radiante, que o copy-ninja temeu se aproximar por alguns instantes e estragar todo o encanto envolta de sua aluna, sua aluna favorita. Com passos lentos se aproximou da rosada, tomando-lhe as mãos e depositando um beijo casto a testa dela.

Não importa o que dissessem, ele sabia que não existia pessoa no mundo que a merecesse, principalmente ele, talvez ainda pudesse persuadi-la, nunca seria tarde demais para desistir, até o ultimo instante, até o sim.

– Você está linda, Sakura-chan. A noiva mais linda que eu já vi. – A rosada se acanhou, abaixando um pouco a vista, o tempo passava e o homem continuava a vê-la como uma criança, seu velho sensei era uma pessoa irreparável.

– Você também sensei, nunca o vi tão belo. Mas, eu estou tão nervosa. – Sorriu sem graça, levando uma das mãos a cabeça, mas parou no meio do caminho, lembrando-se que não poderia bagunçar o cabelo.

– Ainda pode desistir. – Sakura voltou seus belos olhos verdes para o homem que não tinha mais o tom ameno e carinhoso.

– Não, não posso. Nem quero. Nunca estive tão certa de algo em toda minha vida, nunca estive tão feliz. Você não vê? Isso tudo é tão bom, que nem parece real, às vezes acho que estou sonhando. – Um sorriso bobo ordenava os lábios da menina-mulher, as bochechas coradas, os olhos brilhantes. Aos olhos do mais velho ela ainda parecia ter 12 anos almejando e desejando algo que não tinha, a não ser em sua mente.

– O problema é quando você notar que a realidade não é como você está idealizando agora, Sakura. – Tocou a face da jovem com a parte de trás das mãos em uma caricia suave que o levou a tocar o véu dela e puxar um pouco para frente. – Não poderei te proteger das suas próprias escolhas e do que elas vão te remeter.

– Pare... Agora... Não preciso ouvir isso hoje, já cansei de toda essa história e... – A Haruno foi interrompida.

– Tudo bem, não se chateie com isso agora. São apenas divagações de um velho, tolo e paranoico. – Sorriu, abraçando sua pequena aluna, desejando que nada fosse como ele estava imaginando. Sakura não merecia isso. – Você já é grandinha, sabe muito bem o que faz.

– Dói muito dizer essas palavras? – O clima voltou a se tornar mais calmo e extrovertido.

– Um pouco, admitir que você seja grande é o mesmo que dizer que estou ficando velho, isso sempre vai doer.

Kakashi se afastou um pouco, quando ia checar a hora em seu relógio, Shizune surgiu abrindo uma das janelas a procura de Tsunade. A hokage os havia deixado a sós, para conversarem, sabia que ambos precisavam desse momento, principalmente o copy-ninja, que também se sentiria muito desconfortável na presença das amigas da Haruno.

Tsunade pôs seu traje de Hokage sobre a roupa de gala, afinal, ela realizaria uma parte da cerimônia e saiu acompanhada de Shizune. Não demorou muito para a musica começar a tocar e as meninas passarem a frente tanto de Kakashi quanto de Sakura, antes de ir, Ino entregou um boque de rosas brancas e vermelhas a Haruno, piscando para mesma.

– Acho que está na nossa hora. – Kakashi pegou a pequena e tremula mão de sua aluna e passou por seu braço, segurando-a começou a caminhar para fora daquela residência em direção ao jardim.

Ao atravessarem a janela desceram alguns degraus de madeira até o gramado, um caminho de pétalas brancas e vermelhas era formado até uma parte mais a frente, ladeado por colunas brancas com mais flores e no teto panos soltos caídos pela lateral. A cada passo, a apreensão da menina aumentava, apertou de leve o braço de seu sensei, virando-se em direção a onde estavam os convidados, seus olhos chegando até o pequeno altar, onde pode vislumbrar um pequeno pedaço de Naruto, ele estava bonito, sem sua costumeira roupa laranja e estava sério, muito sério para seu gosto, mas quando parou de frente a tapeçaria clara, agora ladeada pelos convidados, sentados em seus bancos de madeira rústica, os olhos verdes de Sakura não enxergavam mais nada a não ser os onixis que a fitavam de volta, esperando por ela, ironicamente, aos pés de uma cerejeira. Tsunade também estava lá e um homem santo que fora chamado para fazer a parte religiosa da cerimônia, a pedido de Sakura.

Sasuke estava perfeito, em seu fraque, todo de negro, só a camisa por dentro era branca e a rosa vermelha na lapela, ele a olhava, seus olhos não desviavam dos de Sakura e ela achou por alguns instantes que perderia as forças antes mesmo de alcança-lo. Mas isso não aconteceu, Kakashi a entregou ao moreno, não sem antes soltar um baixo rosnado e um aviso, que Sakura não entendeu, não conseguia mais prestar atenção em outra coisa que não fosse em Sasuke ao seu lado.

A cerimônia religiosa teve inicio, com um discurso do homem que fora chamado para celebra está parte, Sakura sabia que de onde seus pais estivessem ficariam felizes por isso. Ele falava sobre a importância do matrimônio, deveres e virtudes. Abençoou as alianças e então Tsunade tomou a palavra.

– É por livre e espontânea vontade de ambas as partes que hoje estamos aqui, para celebrar a união de Uchiha Sasuke e Haruno Sakura no sagrado matrimônio. – Tsunade sorriu. – Sakura, seus votos.

As alianças foram postas a frente do casal, entre eles e Tsunade. A Haruno pegou um dos pequenos anéis e levou até a mão esquerda de Sasuke.

– Você pode não ser feito apenas de virtudes, pode ser cheio de defeitos, alguns podem até dizer que você é insuportável, mas eu, desse dia em diante escolho dividir minha vida e amar todos os defeitos que você tem e todas as suas manias, pois elas fazem parte do todo que é você e eu amo e sempre amarei a elas, como amo a você. – E ao terminar de dizer a garota sorriu e colocou a aliança no dedo anelar de Sasuke.

– Uchiha, sua vez. – Disse a Senju de forma mais séria e até mesmo um pouco enraivecida.

Sasuke não se importou muito. Tomou a mão da Haruno, aproximou a aliança de seu dedo e voltou seus olhos a menina a sua frente.

– Eu prometo que daqui por diante eu não deixarei que nada lhe falte, protegerei e zelarei pelo seu bem estar, nenhum mal te afligirá de agora para sempre. – Então ele pôs a aliança no dedo da rosada. Aquelas ainda não eram as palavras que Sakura gostaria de ouvir, mas ele estava ali, em publico, tomando a mão dela em matrimônio, ela não podia pedir mais, podia?

– Pelo poder a mim concedido pelo País do Fogo, eu os declaro: marido e mulher. Pode beijar a noiva.

O beijo foi rápido, fugaz, mas o formigamento permaneceu nos lábios de Sakura, e assim que Sasuke tomou-lhe a mão e caminhou junto dela pelos convidados ela teve certeza absoluta de que não poderia está mais feliz que agora, sentindo a aliança dele roçar em sua pele, enquanto seu polegar brincava com a sua própria. Ela não era mais Haruno Sakura, agora era Uchiha Sakura, unidos sobre os olhos dos homens e de Deus. Tudo estava perfeito, tudo daria certo, ela acreditava nisso com todas as suas forças.



Notas finais do capítulo

Para quem não conseguiu imaginar o vestido da Sakura: http:// elamundo.files.wordpress.com/2011/08/renda-1.jpg e http:// www.muitochique.com/wp-content/uploads/2011/06/vestido-de-noiva-de-renda-1.jpg
Só juntar o // ao www

Enfim, espero que não tenham se incomodado com a mudança.

Comentem. Beijinhos.;*



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Broken Flower" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.