Contos,ideias E Muito Mais. escrita por archer shiro


Capítulo 31
O herói renascido capitulo 2




Capitulo 2 encontro com o destino.

Em um quaro simples um jovem estava dormindo profundamente quando uma jovem empregada entrou.

–Tigre-sama! Falou a voz de uma menina.

Quando escutou a voz o corpo do jovem dormindo sacudiu um pouco antes de responder.

–Apenas um pouco mais. Falou o jovem.

–E quanto tempo é “um pouco mais” Tigre-sama? Perguntou a empregada.

–Não temos plano de ir para caça hoje, por isso apenas até o meio dia. Falou o jovem sonolento.

–Pare com isso e por favor acorde Tigre-sama! Gritou a jovem empregada, tirando o cobertor , e a jovem o pegou pelos ombros, balançando ele violentamente.

Quando ele olhou para a jovem empregada ainda meio dormindo, a imagem de um outra garota com longos cabelos violetas sorrindo gentilmente apareceu em sua mente, mas tão rápido como veio ela foi embora.

–Bom dia Titta. Falou o jovem antes de bocejar.

–Os soldados já terminaram os preparativos a pouco tempo e estão esperando por você Tigre-sama! Falou Titta seriamente.

–O merda. Falou Tigre se levantando rapidamente, Titta pegou um conjunto de roupas dobradas para ele e ao lado dos pés dela era um pequeno balde de água.

–Obrigado, você esta preparada com sempre Titta. Falou Tigre.

–Isso é porque eu esperava isso acontecer, vou preparar o café da manhã por isso lave seu rosto e troque de roupa em quanto isso. Falou Titta a raiva de antes sumindo do seu rosto, com um sorriso ela se curvou fazendo uma reverência e saiu da sala graciosamente.

Tigre sorriu com isso, ele sempre poderia contar com ela para tudo.

Pegando um pouco de água com as mãos Tigre jogou a água no rosto e depois de limpar bem ele começou a vestir a roupa como saia do quarto.

Ele decidiu pegar um desvio e foi a uma sala no final do corredor, era um quarto pequeno, em uma mesa requintada estava um arco preto.

Uma imagem de outro arco semelhante veio a sua mente, logo depois desaparecendo novamente, ele soltou um suspiro.

Desde que ele se lembrava ele tinha esses flashes de memoria s que viam e logo depois desaparecia, ele ainda não tinha certeza do que tudo isso significava, seu pai tinha uma teoria que isso poderia ser memorias de uma vida passada.

Isso ensinou muito a ele, com a magia que levou anos para aprender, e ele mesmo sabia que ela ainda não estava completa, ele ainda não sabia o que faltava, mas sabia que ainda faltava algo.

Tirando os pensamentos do passado e da sua vida passada ele foi para a sala de jantar antes que Titta ficasse com raiva novamente.

Earl Tigrevurmurd Vorn do reino de Brune era um jovem conde, como ele achava o nome muito longo pedia as pessoas para chamar ele apenas de Tigre.

Por um motivo ele sentia vontade de rir quando pensava muito no seu nome, e a imagem de uma jovem mulher de cabelo curto com raiva aparecia em sua mente, ele sempre achava seu rosto com raiva divertido.

Com um sorriso no ele entrou na sala de jantar, foi recebido com um delicioso aroma.

Havia um uma refeição simples, porem deliciosa e bem quente sobre a mesa de jantar simples, Titta estava em pé ao lado da mesa.

–Apenas sopa teria bastado Titta. Falou Tigre se sentando.

–Não teria bastado, você queria que seu estomago roncar na frente de todos. Falou Titta com voz de comando.

Tigre suspirou admitindo a derrota, Titta poderia ser sua empregada, mas ele não achava que era ele quem comandava sua casa, por que se fosse seria ele que faria o trabalho domestico, ele sempre o achou relaxante com caçar, mas Titta quando se tornou empregada nunca permitiu ele realizar nem um trabalho domestico quando ela estava de olho, e como ele tinha o trabalho de administrador das terras de Alsace não tinha muito tempo para isso, já era um milagre que ele conseguia tempo para caçar.

Resumindo Titta controlava a casa com mão de ferro.

Sabendo que ele perderia de qualquer forma ele tratou apenas de começar a comer rápido, e tomando muito com seus modos para não irritar sua empregada, pouco tempo depois ele terminou.

–Obrigado pela refeição. Falou Tigre se levantando.

–Ainda ficou um pouco de sopa na sua boca, seja mais cuidadoso. Falou Titta limpado a boca de Tigre com o guardanapo.

Logo depois ela tirou um pente e começou a ajeitar o cabelo dele

Tigre suspirou, ele sempre via Titta que era um ano mais nova que ele com se fosse sua irmã mais nova.

Outra vez Tigre recebeu as imagens da garota de cabelos violetas, dessa vez era com um sorriso triste, e seu coração se encheu de tristeza e a sensação de total fracasso veio a ele, sentindo um pouco de dor de cabeça ele colocou a mão na cabeça.

–você esta bem Tigre-sama? Perguntou Titta cheia de preocupação em sua voz.

–Estou bem, é apenas uma daquelas memorias, nada demais. Falou Tigre.

Dessa vez foi Titta que suspirou, ela sabia “daquelas memorias” como mesmo em algumas ocasiões bem raras Tigre tinha chamando ela de Sakura quando ainda estava meio acordado, Titta ficava irritada por bastante tempo quando isso acontecia.

–Tigre-sama. A voz de Titta foi mais baixa e feminina do que o normal ganhando a atenção de Tigre que se virou para ela.

–Tigre-sama tem mesmo que ir para a batalha? Perguntou Titta sem conseguir esconder o quanto ela estava preocupada.

–Você uma ordem de sua majestade Titta, não era algo que eu como chefe e único herdeiro da casa de Vorn posso negar, eu também não gosto dos motivos para essa batalha, mas no final não a nada que eu possa fazer sobre isso. Falou Tigre amargamente.

Ele mesmo se surpreendeu disso, ele sentia um sentimento horrível de impotência quando sabia que não poderia fazer nada, ele odiava pessoas perdendo a vida sem motivos, ele mesmo detestava quando elas tinham que morrer por algum motivo.

Por isso ele assim que soube que o reino estava se preparando para uma batalha contra seu vizinho, ele tentou se informar o melhor possível da situação atual com um amigo da sua família.

Dizer que ele não gostou do que escutou foi pouco.

Tudo começou quando um rio trasbordou na fronteira entres os dois reinos, depois disso ambos os lados começaram a culpar o outros dizendo que eles não fizeram seus trabalhos para evitar uma situação dessas e o fato de que várias pessoas ficaram desabrigadas do ocorrido em dada reino.

Logo depois o rei mandou um “convite” para cada nobre para reunir suas tropas e manchar para a batalha contra o reino de Zhcted, mas o verdadeiro motivo para tudo isso era que o rei queria dar experiência de uma batalha ao seu filho que estaria liderando a batalha, por isso o rei mandou reunir o máximo de tropas para essa batalha, que mais parecia uma tentativa de massacre pois estariam o exercito de Brune varias vezes maior do que os dos seus oponentes.

Tigre odiava saber que tantas pessoas morreriam por tal motivo bobo, quando mesmo assim varias pessoas desabrigadas continuavam a sofrer e nada de verdade estava sendo feito por elas, Tigre odiava mais do que tudo que ele não poderia fazer nada por isso.

Tigre não poderia ver seu rosto, mas nesse momento ele estava serio, frio e amargo.

–Perdão Tigre-sama, eu sabia que o senhor detesta esse tipo de coisa e mesmo assim eu perguntei isso. Falou Titta meio arrependida vendo o rosto de Tigre no momento.

O rosto de Tigre logo volta ao normal quando escuta as palavras vindas de sua empregada.

–Não foi culpa sua, é que eu apenas não gosto nada dessa situação Titta, você me conhece bem para saber o porque. Falou Tigre.

–Isso porque Tigre-sama odeia mortes sem sentido, o senhor sempre foi assim. Falou a empregada voltando a sorrir.

–É verdade eu sempre fui assim mesmo. Falou Tigre.

–Mas, por favor apenas volte bem e com saúde Tigre-sama. Falou Titta suplicante.

–Sim eu vou fazer isso, não se preocupe Titta sem falar que eu vou ficar na parte traseira da força principal em um lugar seguro, não somos nem menos esperados para participar ativamente da batalha de qualquer forma. Falou Tigre.

–Mas ninguém sabe o que pode acontecer em um campo de batalha, sem falar que o senhor poderia acabar dormindo demais, não se alimentando o bastante. Titta começou a falar sem parar.

“Bem acho que depois de todo o trabalho que eu dou a ela, Titta tem motivos para estar preocupada comigo” pensou Tigre

Ele abraçou a garota que parou e falar e aceitou o gesto de carinho.

–Não se preocupe, eu vou ficar bem e vou voltar para você, até lá cuide bem da casa. Falou ele deixando ela ir.

–Sim Tigre-sama e cuide de si mesmo. Falou Titta.

Tigre saiu de casa e foi recebido pela visão de seus 100 soldados, todos usando armadura de couro simples, o líder deles Bertrand era um servo antigo da família e muito experiente também além disso sabia bem como montar a cavalo.

–Jovem mestre, todo mundo estão montados e os preparativos estão completos. Falou Batran.

–Bom trabalho Bertand. Falou Tigre.

Como Tigre e seus homens trocavam brincadeiras Tigre começou a pensar em seus números, 100 homens foram difíceis de conseguir, mas no final era esperado pelo menos mais de vinte mil homens para essa batalha, olhando por esse lado eles eram muito poucos e a ultima batalha que eles viram fora a três anos atrás.

Não que ele era para esperar uma derrota, seu inimigo era para ter uma força de apenas cinco mil contra, eles estavam muito superados em números, mas Tigre tinha uma sensação muito ruim que isso não ia acontecer, ele não mostrava isso no rosto, mas ele sentia que essa batalha não seria como todos esperavam.

“Talvez eu esteja apenas muito paranoico” pensou Tigre sorrindo juntos com seus homens mesmo que sua intuição estivesse avisando do perigo.

Sua intuição sempre estava certa, como na vez que estava caçando na floresta e foi cercado por lobos, ou quando encontrou um dragão na montanha e todas as vezes que foi dormir sem roupa.... isso salvava sua vida quando Titta vinha de manhã e ele acordava com tempo de colocar alguma coisa.

Resumindo sua intuição sempre foi muito boa e salvou sua pele varias vezes.

Mais tarde acampamento

Tigre estava sentado junto com seus homens quando viu alguém se aproximar deles, eu deu um suspiro cansado com quem era.

–O quê? Você também veio, Vorn? Perguntou um jovem vestido uma armadura rosa(e mesmo Shun é melhor do que esse cara, isso é tão triste que nem tenho palavras) de forma arrogante.

Tigre vendo a situação preparou o sorriso que veio de uma das suas memorias do passado, não era perfeito, mas era uma copia do sorriso falso mais perfeito que ele tinha.

–A que devo a honra de sua visita lorde Zion Thenardier? Perguntou Tigre com um sorriso, mas Zion sentiu sua confiança diminuir um pouco, mas continuou a falar logo depois.

–Eu quero saber o que um covarde como você veio fazer aqui Vorn. Falou Zion

Bertand que estava sentando ao lado de Tigre começou a se levantar para defender a honra de seu senhor quando Tigre fez sinal para ele se sentar.

–Como você deve saber como um nobre eu tenho que vir ao chamado de nosso rei, por isso vim, não nego que preferia que não tivesse que essa batalha acontecer, mas não tenho poder para isso como esta claro para o senhor. Falou Tigre.

Zion tinha um sorriso de escarnio no rosto.

–Que maneira é essa de falar Vorn? Seus homens veste esses trapos, armaduras de couro? O que são eles soldados ou caçadores? Falou Zion rindo

Bertand tentou novamente se levanta para responder, mas Tigre o para novamente, o velho olha irritado a situação atual.

–E veja que arma você usa, um arco! A arma de um covarde, apenas caçadores e bandidos usariam algo assim. Falou Zion rindo junto com seus acompanhantes.

Em Brune o arco era visto como uma arma de um covarde, tanto que apenas caçadores, bandidos e mercenários eram visto usando esse tipo de arma, em Brune eram todos os arqueiros muito discriminados a gerações

Mas para a surpresa de Zion Tigre sorriu um sorriso maior, tirando a confiança do nobre arrogante, e depois rindo da piada dele.

–Como você falou Lorde Zion, eu sou apenas um caçador e um covarde, mas agora eu me pergunto o porque de alguém como você esta perdendo tempo como um misero caçador humilde como eu, pensei que alguém da sua posição deveria estar em algum lugar mais importante lorde Zion. Falou Tigre.

Zion e seus homens deram um passo para trás depois de escutar, como sentiram uma forte intenção hostil na direção deles, sua confiança caindo rapidamente perante o que Tigre chamada sorriso do diabo vermelho, ele amava muito aquele sorriso, poderia ser usando para esconder seus verdadeiros sentimentos ou usando com intimidação de uma hora para outra.

–V-você tem razão, eu tenho um compromisso que acabei de lembrar vamos logo. Falou Zion recuando.

Pouco depois que ele não estava mais a vista Tigre ouviu uma risada divertida com a situação.

–Seu sorriso do diabo continua assustador como sempre, bom trabalho em lidar com lorde Zion Tigre.

–Sir Mashas. Falou Tigre vendo o velho cavaleiro.

Mashas eram um homem velho porem forte, um nobre menor como Tigre e um amigo da família de Tigre a muito tempo.

–Não não eu ainda não sou tão bom como quem usava ele de verdade, ainda falta muito. Falou Tigre.

–Seja lá quem for a mulher que você lidou na sua vida passada, seu eu do passado merece respeito por suportado algo assim constantemente. Falou Mashas divertido.

–Sim ele deveria ter sido durão, eu mesmo ainda tenho medo quando essa memoria volta. Riu Tigre.

Muito tinha pelo menos escutando sobre as memorias da vida passada de Tigre, mas poucos sequer davam atenção a elas ou acham que eram apenas bobagem, não era um segredo, mesmo que Tigre tinha alguns segredos que apenas pouco em que ele confiava sabiam, como a magia que ele tinha aprendido a usar, ou o que sua magia era capaz.

–Eu vim aqui para ajudar você com lorde Zion, mas vejo que lidou bem com a situação. Falou Mashas.

–Obrigado de qualquer forma Sir Mashas, gostaria de sentar com a gente? Perguntou Tigre

–Isso seria um prazer. Falou o velho cavaleiro.

Eles conversaram por um tempo antes de Mashas pergunta uma coisa.

–Você parece preocupado com alguma Tigre, o que é? Perguntou o cavaleiro.

Tigre soltou um suspiro.

–Eu tenho um mau pressentimento sobre isso tudo, sinto que algo vai dar muito errado.

Mashas assentiu em aprovação.

–Querendo ou não uma guerra ou mesmo uma simples batalha poder acontecer qualquer coisa, mesmo tendo números superiores devemos ficar atentos para evitar sermos pegos de surpresa, mas sua intuição é muito boa, talvez devemos deixar nossos homens me vigilância para causo algo aconteça, sem falar que nosso oponente é uma das Vanadis. Falou Mashas.

Tigre assentiu em reconhecimento desse nome, Vanadis as amazonas de Zhcted, mulheres fortes que lideravam as forças de Zhcted, seus contos de força e inteligências delas eram conhecidas em todos os lugares, em Brune eram proibido mulheres entrarem nos exércitos, a não ser as mulheres de famílias mais nobres que poderia, e até agora Tigre ainda tinha que encontrar alguma delas.

Mas pensar nisso trazia uma imagem de uma jovem loira de olhos verdes a mente de Tigre, junto com uma espada dourada, um arrepio percorreu o corpo de Tigre, a mulher era linda, mas Tigre sabia que se alguém como ela fosse seu oponente e liderando seus inimigos, Tigre não tinha certeza se eles poderia ganhar.

–Outra daquelas memorias Tigre? Falou Mashas.

–Sim, era de uma mulher guerreira como uma vanadis, e eu sinto que se fosse para lutar contra alguém como ela, é melhor nos apenas desistimos antes mesmo da batalha começar. Falou Tigre serio.

–Devo dizer que sua vida passada parecia ser um homem que vivia cercado por mulheres, pobre Titta deve ser difícil para ela, ainda mais quando você começa a descrever essas mulheres. Falou Mashas muito divertido.

–O que você quer dizer com isso? Perguntou Tigre sem entender nada, recebendo risadas dos seus homens e de Mashas.

Mais tarde.

Quase todos os soldados estavam dormindo apenas poucos soldados de vigia no acampamento, foi nesse momento quando eles sofreram o ataque do inimigo.

As forças da vanadis foram rápidas e impiedosas cortando tudo em seu caminho, a frente das tropas estava um bela mulher de cabelos prateados e grandes olhos vermelhos, ela com sua bela espada cortavam tudo em seu caminho.

Tigre acordou mais rápido do que nunca em sua vida, ele logo percebeu que o exercito que ele faz parte não estava mostrando nem uma forma de resistência ao ataque.

“Isso virou mesmo um massacre, mas somos nos que estamos sendo massacrados aqui” pensou Tigre.

–Todos mantenham a calma! Vamos recuar por agora! Tigre ordenou para seus soldados.

Mesmo falando isso ele sabia que era difícil, no momento eles corriam mais perigo de serem pisoteados pelos outros soldados do que ser mortos pelos inimigos.

Ele precisava de uma abertura para permitir que ele e seus homens conseguissem sair da zona de perigo, e quando ele viu o líder inimigo, ele sabia que tinha que parar ela mesmo que por apenas alguns segundos.

Por isso ele pegou uma flecha e disparou.

Atravessado todo o campo de batalha cheio de caos, passado bem ao lado da cabeça de tanto aliados como inimigos pegos se surpresa, a flecha ia acertar bem na cabeça do cavalo da vanadis, apenas se a vanadis não tivesse golpeado a flecha no ultimo segundo.

Tigre se viu encontrando o olhar da vanadis olhando diretamente para ele apesar da grande distancia entre eles dois, e ela estava sorrido.

Duas coisas chamavam a atenção de Tigre na vanadis, uma foi sua aparecia, que o fazia ter o vislumbre de uma garota menor vestida de roxo, e outro foi a espada dela, Arifar uma espada que escolhe seu mestre e tinha o poder de controlar o vento sem falar de uma alma de um dragão muito poderoso dentro dela, Tigre soube disso apenas com um olhar para a espada.

Tigre se livrou desses pensamentos, não era o momento para pensar nisso, ele aproveitou que vários cavaleiros ficaram na frente deles impedindo dela poder ver ele por um instante.

Tigre mirou para o alto e disparou uma flecha, logo depois que ele conseguiu uma visão da vanadis ele disparou duas flechas ao mesmo tempo, contra isso um escudo de vento se formou broqueado as duas flechas, quando o escudo caiu outras duas estavam logo atrás delas.

A vanadis teria defendido as outas duas facilmente se não fosse uma terceira flecha caindo do céu que acertou a traseira do cavalo dela, machucando e assustando o animal que empinou recebendo as duas flechas bem entre as pernas fazendo ele cair e derrubando a vanadis confusa com o ocorrido.

Aquilo fez o exercito inimigo parar por um instante e os aliados tentarem um contra ataque, Tigre não participou disso penas continuou ordenado seus soldados para recuarem o mais rápido possível saindo do perigo de serem pisoteados e dando uma chance para seus aliados para contra atacar.

–Não parem! continuem atacando! Gritou a vanadis para seus soldados.

Por um instante as forças da vanadis foram empurradas de volta quando ela caiu, logo estavam segurando seus oponente e depois tendo a vantagem novamente, tudo isso durante a queda dela e o momento em que ela recebeu outro cavalo para montar.

Tigre sabia que isso não mudou muito o resultado da batalha, apenas ajudou mais alguns homens a fugirem em seguranças como os seus, ele ficou um pouco feliz com isso.

“Mas tantos vão morrer e eu não posso fazer nada” pensou Tigre.

Ele não sabia, mas a vanadis estava olhando para a direção dele com um sorriso predatório em seu rosto.

“Achei algo interessante” pensou a vanadis enquanto dava ordens para seus homens e olhava para Tigre e seus homens em fuga.

–Vamos nos separar, duzentos homens venham comigo. Falou a vanadis com seu sorriso.

Minutos mais tarde.

Tigre e seus homens tinha conseguido se separar dos outros com a intenção de fugir quando parou.

Ele virou e viu ao longe a vanadis junto com pelo menos duzentos homens os perseguindo, ele não gostou do sorriso nos rosto dela mesmo que era um sorriso muito bonito ele pensou.

Olhando para seus homens viu que eles tinham apenas alguns cavalos e seus outros homens estavam todas a pé, contra uma força inimiga duas vezes maior que eles e todos a cavalo.

Tigre sabia que ele tinha três opções normais para tomar, a primeira era sacrificar vários dos seus homens enquanto montava duas pessoas em cada cavalo para conseguir fugir com o máximo de pessoas possível, outra era se render e esperar clemencia do inimigo, a terceira era tentar lutar terminando com a morte de vários dos seus homens junto com os inimigos.

Tigre não gostava de nem uma delas, por isso ele decidiu tentar uma quarta opção.

–Eu vou encontrar com os inimigos, seu virar para vocês e gritar não importa o que apenas fujam! Ordenou Tigre para seus homens.

–O que esta dizendo senhor? Bertand quase gritou de surpresa.

–Sim! Nos vamos lutar ao seu lado. Vários homens gritaram.

Tigre estava feliz por tamanha lealdade dos seus homens para mesmo nesse momento estavam dispostos a morrer junto com ele e mesmo morrer por ele, claro que ele não permitiria que nem um dos dois acontecer.

–Isso é uma ordem, se eu virar e gritar para vocês fujam e nem olhem para trás, eu vou tentar negociar com eles, se não conseguir vou fazer o possível para segurar eles enquanto vocês fogem. Falou Tigre saindo do seu cavalo.

Vários homens estavam chocados com a escolha de Tigre, alguns mesmo chorando como Bertand pelo fato de seu senhor estava disposto a se sacrificar por eles.

–O que o senhor pretende fazer? Bertand perguntou.

Sua resposta fez todos ficarem todos pálidos e totalmente chocados.

A vanadis com seus homens pararam na frente de Tigre, os homens de tigre a uma boa distancia olhando atrás cheios de preocupação.

A vanadis fez um movimento para seu homens não atacar o jovem a sua frente, caminhando com o cavalo emprestado a ela, a vanadis se apresentou.

–Eu sou Ellenora Viltara, arqueiro qual é seu nome? Perguntou Ellenora.

– Earl Tigrevurmurd Vorn, antes de tudo você poderia deixar eu e meus homens irem embora? Perguntou Tigre.

–Infelizmente para você depois que eu passei esse tempo todo perseguindo vocês não estou disposta a fazer isso. Falou Ellenora.

Tigre passou a mão atrás da cabeça.

–Eu sabia que apenas pedir não daria certo, bem continuar com o plano original, Ellenora Viltara eu a desafio a um duelo, se eu ganhar você e seus homens vão nos deixar ir, se eu perder nos vamos nos render a você sem nem uma resistência. Falou Tigre.

O olhar de incredulidade que ele estava recebendo e os queixos caídos de todos e o silencio total e absoluto foi tudo que ele recebeu.

Até que um riso divertido quebrou o silencio, Ellenora estava rindo com gosto e por um momento Tigre ficou preocupado que ela poderia cair do cavalo.

–O Deus quando foi a ultima vez que ri tanto assim? Muito bem eu aceito seus termos. Falou Ellenora descendo do seu cavalo.

–Ellenora-sama! Vários cavaleiros gritaram juntos.

–Silencio! Não importa o resultado se eu perder vocês vão respeitar os termos do nosso acordo, vocês ouviram? Falou a vanadis.

–Sim Ellenora-sama. Falam os homens de forma obediente.

–Antes de começamos eu tenho uma pergunta, o que teria feito se eu não tivesse aceitado? Perguntou ela curiosa.

–Eu teria gritado para meus homens fugirem e teria segurando todos vocês até eles conseguirem fugir. Falou Tigre sem se importar com os olhares que estava recebendo dos soldados.

–Você deve ter muita confiança em sua habilidades ou ser estupidamente arrogante. Falou Ellenora divertida.

Com isso dois se preparam para seu duelo, com resultados surpreendentes.

Vai continuar

Taiga dojo.

–Bem vindo queridos leitores, estamos nos reunidos novamente aqui, nossa o autor esta cheios de inspiração já que ele esta escrevendo e atualizando tão rápido não é Illya-chan? Falou Taiga.

–Sim, pena que a inspiração não aparece para as outras historia deles, é meio triste ver elas paradas tanto tempo, o autor pedi desculpas a todos os leitores que gostam de suas historia por isso, e ele também agradece a todos aqueles que continuam a apoiar seu trabalho. Falou Illya.

–Bem como podem ver eu consegui ensinar um pouco de humildade a minha pequena aluna numero 1. Falou Taiga arrogantemente.

Illya fez beicinho com isso.

–Pare com isso! E Taiga comece a falar um pouco sobre o nível de poder do Tigre e porque ele é tão forte. Falou Illya.

–QUEM VOCÊ ESTA CHAMANDO TIGRE?! Taiga rugiu.

–Eu estava chamando Tigre de Tigre, você sabe aquele que se chama Tigre tigre-sensei, já é a segunda vez que você se engana. Falou Illya escondendo seu sorriso.

–Ah é mesmo, eu pensei que você não tinha aprendido sua lição, bem vamos começar, primeiro o espirito heroico EMIYA ou futuro potencial de Emiya Shirou que é a reencarnação de Tigre era mais próximo de um deus do que um humano atualmente antes de sua “morte”, como Tigre possui uma alma como essa mesmo com as lembranças em sua maioria destruídas, ele ainda tem muito mais poder do que um ser humano poderia esperar para ter, seus circuitos de magia e reservas são vastamente superiores ao de qualquer ser humano poderia possuir também, tudo isso permite ele usar suas habilidade de uma forma que Emiya Shirou nem poderia sonhar me fazer, sim ele esta acima mesmo da maiorias dos servos de uma guerra do graal. Falou Taiga seria.

–Com esse nível de poder não é possível esperar que uma vanadis possa derrotar ele, em termos de poder puro ele poderia mesmo vencer todas elas juntas, ainda mais porque mesmo com todo o poder delas, as vanadis ainda estão presas aos limites de corpos humanos normais, se forem lutar contra as habilidades de super humanas de um servo... Illya falou.

–Elas seria destruídas ou pelo menos muito superadas, elas não poderia vencer algo como a força de Hércules ou velocidade de Lance, ou mesmo talvez a técnica pura apenas de alguns servos mesmo sem a força e velocidade super humanas deles, Tigre não merece nada além de ser chamado de um monstro, Emiya Shirou tinha potencia de ser um monstro quase imparável se não fosse por muitas limitações que ele tinha, Tigre tem tudo isso sem nem uma das limitações de Emiya Shirou, ele apenas não dominou a forma final da magia dele porque seus ideais ficam se chocado. Falou Taiga.

–Taiga pode explicar melhor essa parte dos ideais dele? Falou aluna numero 1

–Claro Illya-chan, seisei esta aqui para isso, bem os ideias de EMIYA eram salvar o maior numero de pessoas, Tigre estava muito disposto a isso, mas sua criação diferente e o fato que ele quer proteger seu povo se choca com esse ideais de Emiya que estaria disposto a deixar o povo de Tigre morrer si isso você salvar a vida de mais soldados do que o numero de aldeãos. Falou Taiga.

–Ou seja mesmo que Tigre tenha os ideias de EMIYA, ele também tem seus próprios que podem ir contra os ideais de EMIYA não é? Falou Aluna numero 1.

–Exatamente, enquanto ele não resolver isso escolhendo um ou outro ele nunca vai poder começar a aprender a manifestar o mármore realidade no mundo real, ele ainda tem um longo caminho para isso, já que ele vai tentar sempre manter os dois ideais satisfeitos, ele não vai passar para o próximo nível até ser forçando a escolher entre os dois ideais. Falou Taiga.

–Bem eu acho que isso é tudo por hoje, e o autor que pedir desculpas pelos erros, a internet dele esta dando trabalho mesmo para enviar os capítulos, fica difícil corrigir eles, ele tentou varias vezes corrigir o capitulo passado e não deu certo, por isso perdoem os erros dele. Falou Illya.

–Bem acho que é isso por hoje... espera! Você não me chamou de Tigre-sensei novamente?! Falou Taiga pegando sua shinai.

–Não sensei eu não fiz isso, eu juro! Mentiu Illya.

–Bem se você esta jurando, bem isso é tudo queridos leitores esperamos que tenham gostado de tudo, e comentem para deixar o autor muito feliz. Falou Taiga.

Taiga dojo termina.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Contos,ideias E Muito Mais." morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.