Who I Really Am? escrita por CarolBlackPotter, Gii


Capítulo 21
Ei! Calma Mika!


Notas iniciais do capítulo

Queridas Leitoras!! Obrigada por nos acompanharem até aqui. Esse é o ultimo capitulo e teremos mais um prólogo e o anuncio da próxima temporada! Quem quiser saber um pouco mais sobre a nova temporada leia as notas finais!!
Obrigada de coração por todos os Reviews e por todo o carinho!
Um grande beijo! Boa Leitura!



Capitulo 20 – Ei! Calma Mika!

.

POV Renesmee

.

Fiquei por alguns segundos, paralisada, não acreditando no que via. Eu estava vendo mesmo aqueles olhos brincalhões novamente? Ou era uma breve sombra?

— Que foi monstrinha? Vai ficar só olhando? — Ele já fazia outra bola de neve, a enrolando com agilidade nas mãos.

Um sorriso se formou fácil no meu rosto e eu me lembrei dos velhos tempos. Decidia que não valia a pena ficar ali parada — e perder aquele momento feliz raro do meu tio — ao mesmo tempo que Jacob pulava o sofá soltando um grito de guerra.

Eu levantei o mais rápido que eu pude, vendo que o pessoal da sala de jantar parecia começar a se interessar na nossa brincadeira ao passar em frente a porta e me ver correr pela neve do lado de fora, rolando para não ser atingida quando vi uma voando na minha direção.

Aproveitei que havia rolado na neve, agarrando um bolinho com a mão e o comprimindo. Eu me esforcei para não usar muito o meu lado vampírico — como vi que tio Emm também não usava por conta de Mika. Eu lancei várias bolas na direção de Jacob e Emmet, infelizmente sem acertar nenhuma, antes de todos os outros entrarem.

Eu gargalhava quando Jacob conseguiu acertar uma bola certeira bem nas minhas costas. Eu fingi cair, como se baleada e morrer enquanto ele gargalhava e era acertado bem na orelha por uma bola da Alice.

Deitada na neve, vi todos saindo de cara — até mesmo Mika — ou para assistir ou para participar da guerra que se iniciava. Vi Esme com a mão na frente da boca, olhado como se emocionada na direção de Emmet.

— THIS IS SPARTAAAA — Gritou Jacob e eu não conseguia parar de rir.

Eu quase não jogava nenhuma bola depois que todos os outros entraram, uma paz enorme me tomava ao ouvir a risada estrondosa de Emmet no fundo, ver meu pais, juntos, trapaceando para contra Alice e Jazz e Mika no canto, lendo o livro que eu dei.

Jacob me protegia, ao mesmo tempo que acertava os outros. Eu fiquei sentada na neve gelada, que molhava completamente minhas roupas, observando o quão doce era o seu sorriso quando ele acertava alguém e olhava para mim perguntando se eu havia visto e quanto sua risada era incrível quando alguém o acertava.

As coisas pareciam tão certas naquele segundo.

Foi quando, sem mais nem menos, todos começaram a gritar. Todos ao mesmo tempo, berrando, rindo ou falando os seus planos de acertar alguém em voz alta. Gritavam, como uma multidão em um estádio de futebol, falando coisas paralelas. As risadas ficaram mais altas.

Minha cabeça começou a doer. Por que eles estavam falando tão alto?

Eu olhei para eles, com aquelas caras felizes de um segundo atrás. Porque raios eles estavam falando tão alto?

Minha cabeça latejou mais forte, com todo aquele barulho. Eu me apoie em Jacob.

— O QUE? RENESMEE PARECE MAL. O QUE ACONTECEU? ELA ESTA BEM?

Eu pisquei atonia, olhando para a cara preocupada de Jacob.

— Renesmee? Aconteceu alguma coisa?

— SERÁ QUE ALGUMA BOLA FORTE ACERTOU A CABEÇA DELA? POR QUE ESTÁ ASSIM?

— Porque você está gritando, Jacob? — Eu me senti meio zonza.

— GRITANDO? EU NÃO ESTOU GRITANDO. O QUE HÁ DE ERRADO COM ELA?

— Está gritando sim! Pare com isso!

— Mas eu não estou gritando, Ness!

— O QUE NESS TEM?

— ACONTECEU ALGO COM A RENESMEE?

— O QUE? PORQUE PARARAM DE JOGAR BOLAS?

— O QUE ESTÁ ACONTECENDO?

— E JOHN DISSE: SE VOCÊ NÃO ARRANJAR LOGO ISSO, CONSIDERE-SE DEMITIDO!!!

Eu tentei tampar os ouvidos, abafando o som, mas aquilo só pareceu aumentar mais o som. Eu dei alguns passos para trás, quando todos começaram a me cercar. Eles tinham olhares preocupado e gritavam e gritavam perguntando o que eu tinha. Ninguém mais estava percebendo o quão alto aquilo estava?

Meus tímpanos iriam explodir. Minha cabeça iria explodir.

— PAREM DE GRITAR!!!! — Eu gritei com todas as forças.

A dor parou no mesmo instante que todas as vozes. Eu me abaixei no chão, abraçando os joelhos. Meu coração pulava no peito e eu percebi que eu sentia muito, muito medo. Minha respiração estava desregular.

Por um grande momento, tudo ficou em completo silêncio.

— Ness? — a voz de mamãe foi tão baixa que pareceu um sussurro comparado aos gritos anteriores.

Eu não conseguia regular minha respiração quando levantei meus olhos. De repente notei que a maioria tinha uma expressão de preocupação. Mikaelly abandonara o livro e me olhava assustada.

— Por que estavam gritando? — perguntei com a voz trêmula. Jacob — que estava ajoelhado ao meu lado disse:

— Ness, ninguém estava fazendo nada, não ser rir.

Olhei para Bella — que estava inquieta — e depois Edward que parecia assustado ou de algum modo frustrado, até que disse:

— Eu não consigo mais ler a mente dela. — Ele falou tão baixo que mal pude ouvir. Percebi que Mikaelly fazia uma careta e entendi porque ele falou tão baixo.

Bella olhou surpresa na direção dele.

— Como assim? Eu não estou com o escudo.

Jacob veio um pouco mais na minha direção, tocando suavemente o meu braço. Ele olhou no fundo dos meus olhos.

— Nessie?

E eu não sabia o porquê, mas meus olhos se encheram de lágrimas e eu não consegui pensar em nada, como se houvesse um zumbido na minha mente que me impedia de qualquer coisa. Eu me joguei nos braços de Jacob, me escondendo no seu peito e chorando.

Uma curta conversa se seguiu, mas eu não conseguia mais ouvir qualquer coisa. Eu só sentia a mão de Jacob passando em meus cabelos.

— O que aconteceu com a Rê? — Ouvi a Mikaelly perguntar depois de alguns segundos.

Eu levei um leve susto com a voz dela, que estava mais alta do que os sussurros. Eu levantei a cabeça imediatamente, olhando para ela que estava bem do meu lado.

Vi todos os vampiros, olhando para Edward e Eleazar que pareciam que tinham uma conversa alguns minutos antes.

— Bom, todos estão muito molhados, né? Porque todos não vamos trocar essas roupas antes que peguem um resfriado? — Esme falou — Principalmente você Mikaelly, porque não vai tomar um banho? Seus pais me matariam se você voltasse pra casa resfriada.

Então eu notei quão estranha era aquela situação. Eu olhei para a cara que Esme fazia e todos os outros e entendi. Eles estavam disfarçando.

Eu assisti Mikaelly olhar incrédula a ela.

— Tomar banho? Mas Renesmee…

— Ela só está sendo um pouco dramática porque levou uma bolada — Disse Jasper em tom curtidor

— Bolada? Ela está chorando e tenho certeza que falou para pararmos de gritar quando sequer falávamos alto. Vocês não estão preocupados com ela?

— Claro que estamos, querida…

— Mas não parece!! — Ela disse um tom mais alto, se agachando do meu lado e tocando o meu ombro. Aquilo só provocou mais o meu choro. Eu simplesmente não conseguia fazer mais nada além de abraçar o Jacob e chorar.

— Temos que ter calma, ela só se assustou com alguma coisa. — Disse Carlisle, apaziguador — Acalme-se também Mika, vamos descobrir o que aconteceu depois que ela se acalmar.

Mikaelly estreitou levemente os olhos na direção dele.

— Vamos para dentro — disse Jacob, parecendo alheio á todo o resto. Ele me pegou no colo rapidamente e eu me aninhei no seus braços. Eu me sentia muito pequena quando ele fazia isso.

.

POV Jacob

.

Depois de algumas horas com ela aos soluços nos meus braços, deixei ela dormindo em um dos quartos. Minha cabeça estava um turbilhão desde quando ela me contou que simplesmente todos gritavam a ponto de fazer a cabeça dela doer tanto que ela achou que não aguentaria. Disse que eu gritava com ela.

Eu desci para a sala, onde uma discussão acontecia fazia um bom tempo. Assim que entrei na sala, eu notei as caras de preocupados de um lado e Mika emburrada do outro. A amiga de Renesmee tinha um ar de desconfiança.

Ela estava de olho em Esme e Alice, que conversavam sobre qualquer coisa banal, como se para manter as aparências. Entendi no mesmo instante o que eles tentavam fazer ao ouvir as vozes baixas em discussão na garagem da casa dos Cullen.

Eles tentavam segurar Mikaelly. A garota que agora me encarava. Ela se inclinou na minha direção, sussurrando.

— Vocês estão escondendo de mim; Eu podia ver na cara de vocês que sabiam o que estava acontecendo. — ela tinha os olhos estreitos e uma carranca — Pois saibam que eu não sou burra, muito menos uma criança para os “adultos” ficarem escondendo as coisas de mim.

Eu olhei espantado para ela

— Ei, calma garota. Ninguém está escondendo nada. Renesmee apenas se assus…

— Não vem com esse papo você também. Carlisle disse que é apenas alguma coisa que assustou ela ou alguma coisa psicológica, mas eu sei que é mentira. Renesmee é tudo, menos mentalmente perturbada!

— Ow, ninguém disse nada que ela é perturbada! — Agora, nós já falávamos alto e Alice e Esme prestavam atenção na nossa pequena discussão.

— Exatamente! Ela não é! E eles sabem o que aconteceu — Ela aponto com o indicador para o fundos da casa — Estão desde aquela hora discutindo!

— Mikaelly, nós não estamos escondendo nada. — Disse Alice, com segurança.

Mikaelly trincou os dentes, estufando as narinas.

— Eu sei que estão, porque eu sei o que aconteceu! E poderia muito bem ajudar nisso!

Eu ri pelo nariz, fazendo ela olhar feio para mim.

— Pois eu poderia mesmo!

— Tenho certeza que sim — disse cínico.

— Pois saiba, que Renesmee estava ouvindo o que todos estavam pensando! Eu sei porque ela já fez isso comigo um pouco antes de voltarmos a nos falar! E eu sei que vocês todos sabem disso, mas ficam escondendo de mim, sendo que eu poderia estar ajudando!

Todos a olhavam sem entender. De que é que ela estava falando e COMO ela sabia o que ela estava lendo mentes?

— É. — disse petulante. — Eu sei disso. Ela simplesmente entrou na minha mente um dia enquanto eu estava na escola, e começou a me chamar e a dizer coisas, e eu do mesmo modo pude ver o que ela estava sonhando. Então por favor não venham me dizer que não tem nada de errado, por que eu sei que tem. — A esse ponto ela já andava de um lado para o outro, enquanto todos ainda estavam atônitos demais para dizer alguma coisa. — Eu nunca contei isso, porque é claro que pensei que talvez tivesse maluca, mas tudo só faz mais e mais sentido! Tudo se encaixa, mesmo achando que não existe como isso acontecer! Mas ainda assim tenho plena certeza de que sabem mais do que eu e, me chamem de infantil, mas eu odeio ser deixada de fora, ainda mais em assuntos que envolvem a minha família e os meus amigos. E é isso que ela é, o que ela sempre foi. Meus pais são ausentes então ela é literalmente a única que um dia teve coragem de vir falar com a esquisita do fundo da sala, a única que me convidou pra sentar com ela no almoço, e a única a quem e sempre confiei. E em todos esses anos ela nunca, nunca, chorou daquele jeito. Nem quando ela caiu de um brinquedo no parquinho e ralou a cara toda. Então por favor…. — sentou—se de volta no sofá parecendo frustrada. — me contem de uma vez.

Carlisle naquele momento estava na porta da sala. Ele comprimiu os lábios escondendo um pequeno sorriso, olhando para Edward.

— Vamos contar para ela.

E aquilo não foi uma pergunta.

***

POV Renesmee

.

Eu não tinha certeza se o que me acordou foi o sol da manhã que passava janela e atingia meu olhos ou se era pelo estrondo que fez quando algumas malas caíram no chão. Eu abri os olhos devagar, com um pouco de dor de cabeça. Tinha certeza que era por causa do choro da noite passada.

Assim que abri os olhos, dei de cara com uma Mikaelly desengonçada. Ela tentava erguer a mala que havia deixado caído tudo.

— Mika, o que está fazendo? — Eu disse enquanto me espreguiçava.

Mikaelly pareceu surpresa por me ver acordada, mas ainda assim sorriu grandiosamente vindo até a cama e se jogando em cima de mim.

— Bom dia meia—vampira mais linda da minha vida.

O QUE ?!

— O QUE VOCÊ DISSE??

Mikaelly riu. Eu olhei bem pra ela e ela não estava blefando. E além do mais, estava com aquele sorriso que ela sempre exibia quando provava que estava certa.

— Já sei de tudo. Eu estava sabendo de umas coisa, ai eu botei uma pressão na sua família e eles me contaram.

— Eles te contaram tudo? — perguntei

— Todo mundo falou um pouco e contou sua história, até o Jacob. Aliás… Como você tem coragem de beijar um cara que vira um cachorro gigante? Isso é tão nojento! Eu acho que seria melhor se você namorasse um estuprador assassino. Credo.

— Mikaelly! Ele é um lobo, não um cachorro. E também é uma boa pessoa. — repreendi-a.

— Que seja, o ponto é: — ajoelhou—se na cama. — Como você não me conta uma coisa dessas? Oh, Era por isso que você ria sempre que eu falava que queria conhecer um vampiro! E me deixou acreditar que a sua família era só muito conservada. Sua cínica. Mentiu pra mim todos esses anos.

Ela falava, falava, mas ainda assim estava com um sorriso enorme no rosto. Como se alguém tivesse realizado seu maior sonho de infância, o que tecnicamente era verdade. E caramba, eu nunca vira Mikaelly falar tanto em toda a minha vida.

— Eu não menti, eu omiti. Bem diferente. — disse me levantando. — Além do mais, como eu iria te contar? Iria chegar no ônibus, as sete da madrugada e falar: “Ah, só pra constar, sou um meia—vampira, e sendo assim tomo sangue de vez em quando. Mas não precisa se preocupar, é só sangue animal. E também tipo tenho um poder legalzinho que me deixa te passar as coisas pelo toque, mas as vezes consigo fazer sem tocar também.” — falei olhando pra ela ironicamente. — Fala sério não é? Era capas de você jogar o objeto mais próximo na minha cara — o que provavelmente seria um livro. — e me mandar calar a boca e parar com a zoeira.

Ela me olhou com aquela cara quase tão cínica quanto a minha por alguns instantes e nós nos encaramos até que, por fim, caímos na risada. Eu pulei em cima dela, a abraçando. Eu mal acreditava que aquilo tinha acontecido mesmo.

— Ei, ei, vai com calma vampirinha camarada. Você tem um sério problema ontem, nada de movimentos bruscos. — Disse ela, me colocando sentada na cama.

Eu havia esquecido daquilo até ela me lembrar. Eu abaixei a cabeça, olhando para as mãos.

— Eu não sei o que aconteceu direito. Tudo era muito confuso.

— Não se preocupa com isso, Ness. Seu pai disse que era só você acordar que ele explicaria tudo. Aparentemente, aquele seu tio — que é vampiro também — soube de alguma coisa. Então levanta logo daí que eu quero saber o que é.

Eu a olhei surpresa enquanto levantava da cama, mais uma vez.

— Ei, você me chamou de Ness.

— É claro que chamei.

Ela sorriu.

Eu soube que tudo estava bem.



Notas finais do capítulo

Então é isso queridas. Temos só mais o Epilogo que postarei na quarta feira! Eu e a Carol nos divertimos muito escrevendo essa Fic e nós pegamos um jeito muito gostoso de escrever cada capitulo. Graças a ela chegamos até aqui! Obrigada por nos acompanharem nessa aventura!
Sobre a segunda temporada: Bom, o principal á saber para quem vai querer acompanhar é que não é sobre Ness e Jacob! A Fanfic vai ser sobre o Seth e P.O; Para me conhece (Giie/Bola de Pelos) sabe que já tenho uma fanfic do Seth bem longa - 80 capitulos - e que sou apaixonada por esse personagem, assim como a Carol! Então iremos iniciar a Segunda Temporada com as mudanças nos personagens dessa, mas tudo rodara em torno de Helena, uma garotinha muito estranha que literalmente caiu na vida de Leah.
Espero ver vocês por lá!
Um grande beijo para vocês!
Bola de Pelos



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Who I Really Am?" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.