A Luz E A Escuridão escrita por Madame Baggio


Capítulo 4
Capítulo 4




Lily descobriu que eles estavam na França. Em uma pequena cidade por onde o trem que vinha da Inglaterra passava. Eles estavam bem longe de Ibiza, para ser otimista. Se eles fossem ser realistas poderia-se dizer que eles estavam a anos-luz da ilha espanhola.

Já era meio da noite quando eles deixaram o pequeno hotel e saíram pelas ruas.

-Como nós vamos viajar agora? –Lily perguntou.

-Nós vamos arrumar um carro. –Sirius informou.

-Vocês sabem dirigir? –ela perguntou desconfiada.

-Claro que sim. –Sirius respondeu irônico –Que tipo de bruxos você pensa que nós somos?

Lily achou melhor não responder essa.

-Onde nós vamos arrumar um carro? –ela perguntou.

-Aqui mesmo. –Sirius respondeu de novo.

Lily olhou para os lados e percebeu que eles estavam num tipo de estacionamento.

-Por favor, não me digam que nós vamos roubar um carro. –ela pediu preocupada.

-Ok, se você prefere que a gente não fale... –Sirius gracejou.

-Nós não estamos roubando. –Remus falou enfático –Estamos confiscando.

Lily ergueu a sobrancelha de forma divertida.

-Ah é?

-Exatamente, senhorita Evans. –James falou –Além do mais vocês trouxas tem aquela coisa de seguro, então ninguém vai sair prejudicado. –ele falou enquanto olhava para os carros.

James se aproximou de um carro e começou a olha-lo pelo lado de fora.

-Será que esse ta bom?

-Claro que não. –Lily falou rapidamente –Você não vê as rodas? O pneu esta careca e esse carro é muito velho. Não vai agüentar uma viagem desse tamanho. –ela falou como se fosse óbvio.

-Então ta senhora espertinha. –James falou irônico –Por que você não escolhe um carro?

-É uma excelente idéia. –ela falou satisfeita –Você finalmente falou algo que preste.

James tentou contar até dez antes que resolvesse esquecer que sua missão era protege-la e resolver matar a ruiva.

Ela andou pelo parque do estacionamento olhando para os carros. Até parar próximo a um modelo sedan prata de vidros negros.

-Esse é um bom carro. –ela falou –Os pneus estão em boas condições e esse é um modelo comum e popular na Europa. A cor também não chama a atenção, sem contar que ele não é velho demais assim deve ter um bom motor. –ela falou analisando o carro.

-Uau! –Peter falou impressionado –De onde você tirou todas essas coisas?

-Meu pai sempre gostou de carros. –ela falou dando de ombros –Ele comprava uma revista e ficava falando das matérias por uma semana. E ele era super preocupado com segurança também... –ela parou por um minuto –Quem vai dirigir?

-Nós vamos revezar entre nós quatro. Eu quero parar o mínimo possível. É um longo caminho daqui até Ibiza. –James falou –Sirius você começa e dentro de duas horas troca com o Remus, depois Peter e eu vou por último. Enquanto um de nós dirige os outros tentem descansar. E você –ele falou virando-se para Lily –tente não me arrumar problemas ou atrapalhar.

Lily olhou para James com uma expressão assassina, mas logo ela pareceu mudar de idéia e respirou fundo algumas vezes, antes de dar as costas para ele ignorando-o totalmente.

-Sabe, Pontas... –Sirius começou com um sorriso debochado –Essa ai é dura na queda. Cuidado para não apaixonar.

-Cala a boca, Sirius. –James falou mal humorado.

Remus trocou a placa do carro com um aceno de varinha e eles decidiram começar a viagem. Sirius sentou no banco de motorista, com Peter ao seu lado. Atrás foram Remus, Lily e James.

-Senhorita Evans talvez você deva descansar. Não creio que esteja sendo um dia fácil para você. –Remus falou educado.

-Ok, Lupin. Você tem razão. Mas por favor, pare de me chamar de senhorita Evans. Eu me sinto uma esnobe assim. –ela riu –Pode me chamar só de Lily.

-Só se você concordar em me chamar de Remus. –Remus falou rindo.

-Fechado. –ela concordou –Ah e me desculpem se eu falar dormindo. Eu não sei se eu ainda faço isso...

-Você falava dormindo? –Peter perguntou curioso.

-Sim... Até os dezessete eu tinha certeza que eu fazia isso, porque minhas colegas de quarto sempre me contavam, mas depois que eu passei a viver sozinha eu nunca mais soube.

-E que tipo de coisas você falava? –Remus perguntou.

-Na verdade eram mais pesadelos. –Lily falou pensativa –Mas pareciam tão reais que às vezes eu acordava sentindo as dores dos tapas que eu levava em sonhos... As meninas diziam que eu gritava muito durante a noite... Eu não me lembro de gritar, mas me lembro dos sonhos. Eram horríveis.

-E essa pessoa que te batia era alguém que você conhecia? –Remus insistiu.

-Não. Eu nunca vi aquele homem em toda a minha vida. Pelo que eu sou totalmente grata. –ela reforçou.

-Isso é estranho... –Peter pensou alto.

-Bastante. –Lily concordou –E essa outra pessoa que nós estamos indo buscar? O que ela tem de importante? –ela perguntou mudando de assunto.

-Como aconteceu com você nós não temos a mínima idéia. –Sirius respondeu –Dumbledore simplesmente meteu a gente nessa sem explicar o que estava rolando.

-Será que ela vai ser complicada como eu?

-Acho que vai ser pior. Nós estávamos lendo a ficha dela. O nome é Samantha King. A garota é barra. Criança problema, adolescente problema e adulta desaparecida. Sabe-se lá o que ela ta fazendo em Ibiza, mas pela ficha dela ela deve ser torturadora da máfia. –ele completou debochado.

-Como você é trágico, Sirius. –Remus falou revirando os olhos.

Lily riu, então bocejou.

-Pode dormir Lily. –Remus falou –Nós temos um longo caminho pela frente.

-Ok... –ela falou com a voz meio grogue, os olhos já se fechando.

XxX

Duas horas depois Sirius ainda estava dirigindo. Lily ainda estava adormecida, a cabeça repousada no ombro de Remus.

-Cara, meu tempo deu e eu to morrendo de cansaço. –Sirius falou.

-Ok, encosta o carro que eu assumo. –Remus falou.

-Ah, mas sua nova amiguinha não vai gostar de perder o travesseiro. –James falou irônico.

-Ela não precisa ficar sem apoio. –Remus respondeu ignorando a ironia de James –Aqui. –ele arrumou Lily com delicadeza de modo que ela agora estava com a cabeça encostada no ombro de James.

-Remus! Nem pense nisso! –James tentou não gritar para não acordar Lily.

-James, é só o tempo de eu dirigir. –Remus falou tranqüilo saindo do carro e trocando de lugar com Sirius, que tinha um sorriso maroto –E também não vai te matar. Ela esta dormindo.

James bufou, mas acabou aceitando. Lily se mexeu e ele achou que ela ia acordar, mas ao invés disso ela apenas acomodou-se melhor no ombro dele, afundando o rosto na curva do pescoço do maroto. Ele aspirou mesmo sem querer o perfume que ela usava, que tinha um cheiro cítrico que combinava com ela perfeitamente. Quase sem perceber seus olhos começaram a pesar e ele acabou por dormir.



Notas finais do capítulo

Por hoje é só amiguinhos ;) hhahaha



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A Luz E A Escuridão" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.