P.s.: Eu Te Amo escrita por Dreamy


Capítulo 6
Capítulo 6


Notas iniciais do capítulo

Mais um capítulo... e as coisas esquentam entre Hestia e James...
Ah a linguagem vai ser um pouco "insinuativa" nesse capítulo, então fiquem preparados...



Capitulo 6

Declaração

11/06/2023

Meio da semana, quarta-feira e acabei de fazer a prova de feitiços. Terça-feira nem sai das masmorras, Amy e Ian trouxeram comida para mim, e ficamos estudando o dia todo. Amanha tenho prova de transfiguração e sou a única que tenho de nos três. E por três eu quero dizer eu, Ian e Amy.

Depois de estudarmos um pouco eu e Amy fomos para o nosso dormitório. O dormitório feminino da Slytherin era realmente meu quarto, enquanto Hogwarts era minha casa e o salão comunal meu lar, o dormitório era meu quarto. Pode ser sem logica, mas é perfeitamente normal quando se mora há sete anos em um castelo.

Eu comecei a me trocar, quando fui interrompida por Amy:

–O que foi isso nas suas costas? – ela perguntou se aproximando.

–Ah, nada. – eu disse, apesar de ter certeza que era por causa da maldita queda no corredor do sexto andar.

–Como nada Hestia? Suas costas estão cheias de hematomas. – ela retrucou fazendo uma careta. – O que aconteceu?

–Já disse: nada. Eu arranhei só isso.

–Arranhou? – falou Amy me puxando para o banheiro, parando em frente o espelho e me virando.

Realmente a coisa estava feia, eu já tinha visto. Minha pele era bem clara e as paredes do castelo bem ásperas, resultado: minha costa estava cheia de hematomas. Eu não tinha falado nada sobre o incidente com James. Eu não queria que Amy ficasse me adormentando ainda mais do que ela fazia.

–Então? – insistiu ela.

–Já disse, eu arranhei, agora você acredita se quiser. – eu disse saindo do banheiro e colocando meu pijama verde.

–Hestia, eu quero saber o que aconteceu com você e eu vou saber nem que para isso eu tenha que colocar Veritasserum no seu suco de abobora. – me ameaçou Amy.

–Nem se atreva a isso Ammelyne.

–Ah eu me atrevo sim – disse ela se sentando na cama dela que por sinal era ao lado da minha – Me conte o que houve. – ela exigiu.

Eu ate pensei em conta-la, mas como dizem os trouxas fui salva pelo gongo, as meninas que dividíamos quarto conosco entraram fazendo a maior bagunça e eu escapei por hora de Amy. Mas eu sabia que teria que contar, ela não estava brincando sobre a historia da Veritasserum.


... ... ... ... ...


11/06/2023; 23h47min

Você estava na aula de feitiços, mas nem me olhou quando entrei na sala. Você agiu como se eu não fosse nada e isso me magoa, mesmo depois de meses.

Estou tentando não pensar que em menos de duas semanas estarei indo embora de Hogwarts para sempre. É muito estranho pensar que depois das férias não vou mais pegar o trem e vir para Hogwarts, estou ansiosa que acabe, mas ainda assim tenho medo do desconhecido. Medo do que vou enfrentar sozinha lá fora...

Amy viu os arranhões, e me perturbou por isso. Parece que ela acha que tem algum direito de saber o que aconteceu comigo. Quem ela pensa que é? Minha melhor amiga... E daí?

Isso não dá direito de querer saber da minha vida, dá?

Nunca gostei que as pessoas ficassem fuçando nos meus assuntos, nem você James. Nem mesmo Peter quando estávamos namorando. Minhas coisas não dizem respeito a ninguém, pelo menos é o que eu acho. Mas as pessoas insistem em se meterem nos meus assuntos. É irritante.

Amy deveria saber disso, afinal é minha melhor amiga, ela me conhece, quase ou tão bem quanto você. Não, isso é mentira minha, ninguém me conhece tão bem quanto você. Acho que nem eu me conheço tão bem quanto você me conhece...

P.S.:Queria que olhasse para mim novamente.


... ... ... ...


04/09/2022 sétimo ano

Eu estava sentada em um canto afastado do grande salão, estava lendo um livro de herbologia, estávamos no começo de setembro, era quinta-feira e passava das onze da noite. Eu era a única ali, era proibido que os alunos ficassem fora dos seus salões comunais depois das nove, mas eu era monitora, tinha alguns privilégios.

Estava tão concentrada na leitura que nem percebi que alguém se aproximava.

– Você não deveria estar aqui há essas horas. – disse James me assustando.

– Ora senhor monitor-chefe eu sou monitora também. – eu disse sorrindo.

–Ah, é verdade. – ele falou se sentando ao meu lado. – Então como você ta?

–Bem – respondi sincera – E você?

–Você e o Davies se separaram em julho né? – perguntou sem responder a minha pergunta.

–Sim, nos terminamos.

–Vocês ficaram muitos tempo juntos não é?

–Sim, muito tempo. – respondi achando aquele assunto estranho.

–E você gostava dele? – tornou a perguntar.

–Isso não é sua conta James. O que eu sentia por Peter só diz respeito a mim e a ele.

James apesar do meu tom azedo, começou a rir o que me irritou bastante.

–Do que esta rindo?

–Você disse que gostava, o que quer dizer que não gosta mais, o que é ótimo. – ele disse.

–Não sei o que tem de tão ótimo nisso e também não me interessa, mas afinal você não deveria estar patrulhando os corredores?

–É, mas eu te vi aqui e... eu sinto falta de você me xingando a cada final de frase. – disse James mudando de assunto e me deixando sem ação.

Eu não disse nada e voltei a prestar atenção no meu livro. James vendo que eu não diria nada continuou.

–Queria que voltássemos a ser como éramos antes.

–Acho que não é possível – eu disse olhando para ele. – As coisas mudam James e não voltam a ser como eram antes.

James pareceu murchar um pouco, parecia que queria outra resposta de mim, talvez quisesse que eu dissesse que nada tinha mudado e começasse a xinga-lo, mas isso já não era mais possível, uma vez que eu já não o sentia como meu melhor amigo.

–Amanha é sexta.

–É, e dai? – disse rude.

–Te espero na sala precisa na hora de sempre. – ele falou. – Por favor, vai lá.

Ele me deixou sozinha e retornou a patrulha. Eu sai em seguida, indo para o meu salão comunal.

... ... ... ... ...


05/09/2022

Eu estava perturbada desde a minha conversa com James. Ainda não tinha decidido se ia ou não na sala precisa. Estava conversando com Ian, ou melhor ele estava falando por que eu só estava ouvindo.

Olhei para a janela e vi que o sol estava prestes a se por, foi então que decidi. Sem mais nem menos, sem nenhuma razão, eu apenas decidi ir lá.

–Ian que horas? – perguntei o interrompendo.

–17h50min. – respondeu ele depois de olhar no relógio de pulso. – por quê?

–Tenho que sair. – disse pegando meu casaco. – Não se preocupe comigo e diga a Amy para não me esperar.

Sai de lá correndo. O sétimo andar estava longe e eu estava atrasada. As escadas não queriam cooperar, pois ficavam mudando a cada segundo. Quem tinha sido o imbecil que teve a brilhante ideia de colocar escadas que se movem em Hogwarts? Esse cara merecia o premio de ideia mais estupida do milênio.

Amy tinha a mania de me esperar para conversar – fofocar – antes de dormir, então sempre que eu chegava tarde ao dormitório – o que era comum – ela ficava me enchendo. Ela era pior que minha mãe.

Depois de 20 minutos, uma quase queda, vários esbarrões e xingamentos eu finalmente tinha chegado ao sétimo andar. Respirei fundo algumas vezes para controlar a respiração e entrei após visualizar o que eu queria.

Por um momento eu pensei que James tivesse cansado de esperar e tivesse ido embora, mas então ele apareceu de um canto que eu não tinha reparado antes.

–Pensei que não viesse. – ele disse aparentemente feliz e aliviado em me ver.

–Eu não vinha. – respondi sincera – decidi de ultima hora.

–Que bom que decidiu vir então.

–O que você quer comigo? – perguntei.

–Quer comer? – ele falou, sem se importar em responder minha pergunta. – Trouxe a bolsinha da Rose.

–Eu não quero comer. Quero saber o que você quer comigo.

–Vamos comer primeiro sim? – ele pegou na minha mão e me levou ate o sofá. As delicias que os elfos faziam estavam espalhadas pelo tapete.

James começou a comer e eu depois de tentar resistir acabei cedendo e comendo também. Terminamos comendo uma torta de frutas vermelhas e bebendo cerveja amanteigada. A conversa que tivemos enquanto comíamos não pode ser considerada conversa. Apenas trocamos algumas palavras.

–Agora você pode me dizer o que quer? – perguntei tomando mais um gole de cerveja.

–Ficar com você. – ele respondeu – de todas as formas que você esta pensando. – completou ao ver minha expressão.

–Acho que não estou entendendo. – eu disse.

–Esta sim. – ele confirmou – eu estou apaixonado por você Hestia. Quero ficar com você como amiga, como namorada, como amante e o que mais você quiser.

Eu fiquei boquiaberta com o modo como James disse isso. Era bem a cara dele: nada de romantismo.

–O que você quer não significa nada pra mim. – eu disse me levantando – E o que eu quero você não acha que tem que ser dito. Afinal é o meu corpo que você esta desejando.

–E o que você quer? – ele perguntou se aproximando de mim com um sorriso safado.

Eu não sabia o que queria, eu gostava dele, mas a forma como ele disse tirou o encanto de tudo. Não era assim que eu imaginava uma declaração.

–Isso não é da sua conta. – eu falei – Olha, muito obrigada pelo jantar, estava delicioso, ficar sabendo que você deve bater uma pensando em mim levantou muito meu alto estima. E a forma como você falou fez eu me sentir como uma vadia. Então não temos nada mais que conversar, boa noite.

Eu já estava a caminho da porta quando o ouvi falar.

–Eu gosto de você. Acho que sempre gostei, esse tempo em que estamos sem nos falar direito tem sido muito ruim e eu realmente bato uma pensando em você, mas não quis que você se sentisse como uma vadia.

Eu olhei para ele que segurava meu braço e não acreditei no que tinha ouvido.

–Essa foi a pior declaração de amor que eu já escutei. – falei enquanto pulava no pescoço dele e o beijava tão profundamente que nem reparei quando ele me levou para uma cama.

Peraí eu disse cama?

Não tinha uma cama na sala precisa, pelo menos não tinha quando víamos aqui...



Notas finais do capítulo

Então o que acharam?
Mereço comentários?
Obrigada a Lily pela review, James está "bem" vivo... kk