P.s.: Eu Te Amo escrita por Dreamy


Capítulo 38
Vida


Notas iniciais do capítulo

Olá minhas flores...
Tenho que confessar para vocês que eu estou com uma dorzinha no coração... Foram quase dois anos escrevendo e vivendo Hestia e James, e agora que tudo está acabando, eu estou meio perdida... Não estou exatamente triste, por que, primeiro a fic ficou como eu imaginei, quer dizer, teve algumas partes que, simplesmente apareceram e eu não pude ignorar. Alguns personagens que tiveram vida própria e eu não consegui segurá-los.
Em segundo lugar, eu sei como é difícil uma fic,quase totalmente OC conseguir leitores, mas eu não poderia pedir leitores melhores que vocês...
Em terceiro... Harry Potter é mais do que apenas livros. Ele me ensinou muitas coisas e mais do que isso, nunca me deixou sozinha. Por que quando eu me sinto solitária, eu pego um livro e vejo que não estou sozinha, ou então eu começo a escrever, mesmo que seja uma fic boba, e começo a interagir com vocês e tenho a certeza de que eu não estou sozinha de maneira nenhuma.
Esse era para ser o último capítulo, mas graças a um pedido muito especial de uma leitora, tenho um capítulo surpresa para vocês...
Então, sem mais delongas... Aproveitem!



Capítulo 38 – Vida

–Eu odeio você. Odeio você seu intrometido. Por que você foi mexer nas minhas coisas? Quem deu permissão para você abrir uma carta minha? Seu estúpido, eu odeio você!

–Helena chega! – disse me aproximando da sala.

–Mas mãe, ele abriu uma carta minha! – ela resmungou olhando feio para o irmão – Esse idiota!

–Idiota é você. – atacou Brian – Por isso o John está com a Penny, você é insuportável.

Eu vi Helena mudar de cor e sabia que a coisa ia ficar pior ainda.

–Vocês estão brigando de novo? – disse um toquinho de gente descendo as escadas correndo.

–Sabe Brian – começou Helena olhando a irmã caçula – eu preferia que você não existisse. Eu preferia ter só a Olívia como irmã, eu odeio você!

James estava entrando em casa quando Helena subiu as escadas correndo e bateu a porta do quarto. Vi Brian ficar com os olhos úmidos, mas ele não ia chorar assim, eu sabia disso, ele piscou várias vezes e fechou a cara.

–Helena volta aqui! – ela não me obedeceu, me virei para meu filho – Bry, sua irmã não falou sério. – disse chegando perto dele.

–Eu não me importo, não gosto dela mesmo. – e ele também saiu correndo escada a cima.

–O que foi isso? – perguntou James dando um beijo na nossa filha caçula e em seguida me beijando.

–Brian queria mandar uma carta para o Adam e quando foi procurar a coruja, ela estava chegando com uma carta. Ele leu, só que era uma carta da Holly dizendo a Helie que John estava namorando com a Penny. Algo assim. – respondi.

–Quem é John? – perguntou James desconfiando.

–John Wood, irmão da Holly. – disse.

–Porque eles brigam tanto? – perguntou Olívia indo para a cozinha de mãos dadas com o pai e fazendo uma careta.

–E o que o John tem haver com a Helena? – James indagou fechando a cara.

–Helena não é mais um bebê Jay. – respondi sorrindo e servindo Olívia.

–Ora, ela não tem idade para ficar se preocupando com garotos. – ele resmungou se sentando – Além do mais, John é bem mais velho que ela.

–Ele é só um ano mais velho que ela. – lembrei-lhe.

–Que seja. – eu ri.

Nem Helena, nem Brian quiseram descer para jantar. Eu suspirei resignada, os dois viviam em pé de guerra desde sempre. James tinha colocado Olívia para dormir e eu estava olhando os cômodos para ver se nenhum dos dois tinha esquecido alguma coisa largada por ai. Helena iria embarcar para o sexto ano em Hogwarts e Brian ia começar o primeiro ano. A casa ia ficar estranha apenas com Olívia, se bem que ela em matéria de bagunça estava lado a lado com Brian e Helena.

Quando estava subindo as escadas ouvi vozes no quarto de Brian.

–Sabe que não odeio você de verdade – estava dizendo Helena – não sabe?

A porta estava entreaberta e eu observei meus dois filhos, Helena estava sentada na beirada da cama e Brian deitado olhando para o teto.

–Bry...

–Droga Helena, eu não ia contar para ninguém – ele resmungou.

–Eu sei, mas eu... – Helena se deitou também – eu gosto dele.

–Por quê? – Brian perguntou como se isso fosse impossível.

–Eu não sei, eu gosto de como ele anda e como ele se veste – Bry fez uma careta, mas Helena não notou – gosto da forma como ele fala e gosto do sorriso dele.

–Eu não sou a Holly – meu filho resmungou.

–Mas você é meu irmão. – disse Helena – Eu confio em você Bry.

–Isso é nojento! – disse meu menino e eu sorri.

–O que? – perguntou Helie sem entender nada e eu me segurei para não rir. Quer dizer, eu sabia que não deveria estar escutando escondido, mas não pude resistir. Meus bebês iriam embora no dia seguinte, eu tinha todo o direito de escutar atrás da porta.

–Você e John.

–Quando você estiver apaixonado vai me dizer se é nojento ou não.

–Eu não vou me apaixonar – disse Brian fazendo uma careta como se aquilo fosse a pior ofensa possível – e duvido que uma garota vá me fazer mudar de ideia.

–Eu aposto que vai.

–Eu aposto que não vai.

–Nem se essa garota for a Jane? – perguntou Helena e apesar de não ver eu tinha certeza que Brian estava corando.

–Não sei do que você está falando, eu não gosto dela.

–Ah então está bem, eu não vou contar o que ela me falou de você. – disse Helie e eu podia jurar que ela estava jogando verde.

–Ela falou de mim? – perguntou meu menininho esperançoso, o pobrezinho caiu direitinho!

–Não – Helena riu – mas agora eu tenho certeza que você gosta dela!

–Eu não...

–Brian gosta da Jane... Bry gosta da Jane! – Helena começou a cantarolar e Brian a empurrou da cama.

–Cala a boca Helena. – ele resmungou quando ela voltou para a cama.

–Admiti que você da Jane Zabine? – ela pressionou.

–Não. – ele disse decidido.

–Ouvi ela dizendo que quer ir para Slytherin. – comentou Helena.

–Eu...

–Se você também for para a Slytherin, vocês vão ficar bem próximos. – Helena ria.

–Eu não vou para Slytherin.

–Você não pode ter certeza. – disse Helie.

–Eu só sei que não vou para a mesma casa que você e a mamãe. – ele disse parecendo contrariado.

–Vai para a casa do papai, então?

–Não sei. – ele murmurou, quase não consegui ouvir.

–Você está com medo Bry? – Helena perguntou, a gozação já esquecida.

–Não... e se eu não for para nenhuma casa? – ele perguntou com um suspiro – E se eu tiver que voltar por que eu não sirvo para nenhuma das casas? Eu não sou corajoso, nem inteligente, não sirvo para a Lufa-Lufa e nem para a Slytherin.

–Não seja bobo Brian. – ela resmungou – Você é um bruxo!

–Mas talvez eu não sirva para...

–Tenho certeza que serve para alguma das casas.

–Como você pode ter certeza?

–Por que você é meu irmão! – disse Helena como se fosse óbvio.

Eu fui para meu quarto sorrindo. Esses dois sempre foram assim, bate e assopra! Brigam e fazem as pazes, mas eu tinha que admitir que estava pensando no que Helena tinha falado. Como assim Brian gostava da Jane? Eles foram criados juntos, Amy e Ian viviam em casa, assim como nós na casa deles. Como assim Brian gostava da Jane?

Quando cheguei no quarto parei a porta olhando James que estava deitado na nossa cama. Ele não era mais um jovem bruxo, era um homem maduro, experiente, pai de família. E deitado, com os olhos fechados, parecendo imensamente sereno eu não podia deixar de achá-lo perfeito. Não apenas força de expressão, mas inteira e completamente perfeito. Meu homem! Meu James!

–Vem para cama. – ele chamou abrindo os olhos e me vendo em pé na porta.

–Estava te olhando. – disse subindo na nossa cama – Olívia já dormiu?

–Estava inconsolável por que vai ficar sozinha, mas consegui convencê-la a dormir.

–O que você prometeu a ela? – perguntei arqueando uma sobrancelha.

–Que compraria uma vassoura nova – ele riu.

–James...

–Não brigue. – ele me puxou para si – Aliais o que você estava me olhando?

–Primeiro, você não vai comprar uma vassoura nova para Olívia – respondi me afastando dele – Segundo, nós vamos juntos com os Wood para King´s Cross amanhã e você não vai fazer cara feia para o John. Terceiro, desde quando Brian gosta da Jane?, ele tem 11 anos, não tem idade para ficar atrás de meninas e... para de rir!

–Hex meu amor, tem noção do que acabou de falar?

–Helena tem 16 anos James, é completamente diferente. – respondi entendendo na hora a que ele se referia – Além do mais, Jane e Brian foram criados juntos.

–Bem, Lily e Hugo também foram e veja só no que deu. – disse James fazendo uma careta muito parecida com a que Brian estava fazendo – Eles se reproduzem mais que coelhos!

Eu comecei a rir.

–Quarto...

–A lista é grande hein!? – ele comentou rindo.

–Quarto – continuei, ignorando-o – eu estava te olhando porque estava me lembrando de tudo que nós passamos. Hogwarts, Olívia, Helena, nosso casamento... Nós não somos mais dois jovens.

–Não, não somos, mas você continua linda.

–Eu estou entrando na meia idade James, certamente não estou mais uma beldade. – resmunguei.

–Já se olhou no espelho nos últimos anos? – ele perguntou balançando a cabeça incrédulo – A cada ano você fica mais bela... mesmo com cabelos brancos.

–Eu não tenho cabelos brancos. – respondi dando um tapa em seu braço.

–Porque você uma aquele feitiço de...

–Cala a boca Potter. – disse rindo.

–Sabe de uma coisa? – ele perguntou.

–Saberei quando você me contar.

–Eu te amo cada dia mais. – ele sorriu.

–Eu sei. – comecei a beija-lo calmamente, lentamente. Eu nunca me cansava dele, mesmo em dias que o que eu mais queria era algumas horas para mim mesma sozinha, sem filhos e marido, eu o queria perto de mim. Antes, porém que eu ou James avançássemos um pouco mais, Olívia abriu a porta do quarto correndo e pulou na nossa cama.

–Eu tive um pesadelo. – ela contou se aninhando entre nós dois.

–O que foi meu amor? – perguntei a embrulhando.

–Eu não quero ficar aqui sozinha, quero ir com o Bry e a Helie. – ela resmungou chorosa.

–Quando você tiver idade você também vai para Hogwarts. – disse James me olhando meio frustrado.

–Eu quero ir amanhã. – ela disse teimosa.

–Pelo que eu sei você tem uma vassoura para comprar amanhã. – disse e de repente os olhinhos dela se iluminaram.

–Eu vou ser a melhor artilheira do time. – ela disse contente. Eu sorri.

–Mãe, pai... – chamou outra vozinha vindo da porta.

–Entra filho. – respondi, eu, James e Olívia nos apertamos um pouco e Bry se deitou ao meu lado – Não devia estar dormindo?

–Não consegui – ele respondeu, levantando a cabeça e olhando para a irmã caçula – o que faz aqui Liv?

–Tive um pesadelo, quero ir com você. – disse minha pequena, olhando pidona para o irmão.

–Eu estou com medo de ir. – sussurrou Brian somente para mim.

–Hogwarts é maravilhosa, tenho certeza que você vai amar Bry e quando chegar a hora você também vai amar Liv. – disse tentando acalmar os dois.

–O que vocês estão fazendo ai? – perguntou outra voz entrando impetuosa no quarto e se jogando entre James e Olívia.

–Ai Helie. – resmungou Olívia se contorcendo para sair de baixo da irmã.

–Desculpa – ela pediu automaticamente – o que vocês estão fazendo aqui?

–Nada em particular. – respondi.

–E por que não me chamaram para fazer ‘nada em particular’? – perguntou contrariada.

–Por que pensamos que você estava dormindo. – respondeu James que só não estava no chão por que nossa cama era maior do que o tamanho padrão.

–Eu não consegui. – ela respondeu espelhando a resposta de Brian.

–Esta com medo de encontrar o John? – alfinetou Bry.

–Cala a boca Brian, seu idiota...

–Hei, hei, hei. – disse James – sem brigas, ou todo mundo vai voltar para suas camas.

–Mãe, fala para o Brian parar de me provocar. – disse Helena.

–Só se ela parar de me chamar de idiota. – resmungou Bry.

–Papai, compra uma vassoura adulta para mim? – perguntou Olívia alheia a discussão dos irmãos.

–Por que o senhor vai comprar uma vassoura para ela? – protestou Helena – Eu sou a melhor artilheira do time, eu mereço uma vassoura nova!

–Você ganhou uma vassoura nova no seu aniversário. – disse James.

–Quando eu puder entrar no time vou comprar uma Quickness 2.0. – comentou Brian sonhador.

–Quem disse que você vai entrar no time? – provocou Helena.

–Aposto que vou ser melhor que você. – ele se defendeu.

–Aposto que não vai. – disse Helena sorrindo.

–Mas quem vai ganhar uma vassoura nova sou eu, não vocês. – disse Liv.

–Só por que você é uma chorona.

–Aposto como chantageou a mamãe.

–É o papai que vai me dar a vassoura nova.

–Pai, não é justo.

–Se a Olívia pode ter, eu também quero uma.

–Você não pode levar uma vassoura para Hogwarts, seu idiota.

–Mãe, olha ela. – resmungou Bry.

–Helena... – alertei, ela fez uma careta para o irmão.

–O vovô foi do time no primeiro ano.

–Você não é tão bom quando o vovô, eu sou boa.

–Não é não.

–Sou sim.

Olhei para James e sorri enquanto nossos filhos continuavam a falar e falar e falar. Nossa noite romântica tinha ido para o ralo, mas em compensação ali estavam nossos filhos, não podia ser melhor do que isso. Eu não podia pedir mais do que isso, por que para mim aquilo era a perfeição, era o paraíso, era a felicidade...

Conforme a noite avançava, as crianças finalmente adormeceram – ainda na nossa cama. Me levantei, ajeitando Brian o lado de Olívia para não tem perigo dele cair da cama. Olhei o quadro a minha frente: James, Helena, Olívia e Brian. Minha família, minha vida. Eu nunca imaginei que pudesse ser tão feliz, então veio o casamento com James, nesse dia eu tive certeza que estava realizada, mas então veio Brian e então eu sabia que era a pessoa mais feliz do mundo com meu marido e meus dois filhos. Contudo, foi só quando peguei Olívia nos braços que eu soube que estava completa a minha felicidade.

Quando Olívia nasceu eu me lembrei do sonho que tive quando Helena estava entre a vida e a morte. Até hoje me arrepio quando penso que poderia ter perdido a minha Helena! Quando olhei o rostinho da Olívia, eu soube que não poderia ser outro nome, por que eu finalmente tinha entendido tudo.

Voltei ao presente vendo-os dormindo serenamente. Me sentei numa poltrona após pegar em um velho baú meu antigo diário e uma pena na mesa de cabeceira. Respirei fundo e comecei a escrever...

01/09/ 2047 – 02h15min

A minha historia foi igual a tantas outas que existem por ai. Não houve uma vilã não minha história... a não ser eu mesma. Ninguém fez planos engenhosos para acabar com a minha felicidade... a não ser eu mesma. Eu não fui a princesa dos contos de fadas trouxas e nem a heroína dos contos bruxos. Não fui a mocinha da história que sempre colocava a vontade dos outros acima das próprias, meus desejos sempre vieram em primeiro lugar. A minha história não teve um vilão que queria me roubar do meu grande amor, nem uma vadia qualquer que quisesse me roubar esse amor – pensando bem, talvez tiveram algumas... Eu não tive um herói perfeito, que sempre aparecia para me salvar e dizia que me amava a todo o momento.

Na minha vida eu fui a única vilã, eu não precisei que alguém destruísse a minha felicidade, eu mesma fiz isso várias e várias vezes, mas eu também fui aquela que correu atrás da felicidade. Eu não tive o príncipe perfeito, tive um cheio de defeitos, orgulhoso e muito, muito teimoso, mas eu nunca sonhei com outro que não fosse ele. Eu não tive a melhor amiga de todas, que fosse compreensiva e sempre falasse coisas boas para mim, mas eu não trocaria sua prepotência e seu cinismo por alguém ideal nunca.

Não tive a melhor amiga do mundo... tive a minha melhor amiga.

Eu não tive o melhor amigo, aquele que nunca demonstrou interesse por mim e que estava sempre disposto a me proteger, mas eu não o trocaria por ninguém.

Eu nunca tive as melhores notas, não fui monitora chefe e não fui atração no time de quadribol. Não fui a melhor aluna, nem a melhor amiga e com toda a certeza não fui a melhor pessoa. Eu tentei ser a melhor... a melhor sonserina. A melhor curandeira. A melhor amante. Acima de tudo a melhor mãe. Mas eu falhei inúmeras vezes. Minha história não foi a melhor de todas, não foi a mais empolgante, nem a mais sombria ou a mais engraçada, mas foi a minha história e eu não a trocaria por nenhuma outra.

Eu sofri com a mesma intensidade com que sorri e fui feliz. A única vilã que eu enfrentei fui eu mesma. A única armação que eu cai, foi eu mesma que armei. Ninguém interferiu na minha história, ela aconteceu exatamente como tinha que acontecer...

Meu nome é Hestia Sammer Potter e sou sonserina. Sou mãe, sou esposa, sou mulher. E mais ainda, eu sou feliz... Eu sou Hestia Potter e sei que já errei muito, contudo, para cada um dos meus erros eu tive um acerto. Nunca me arrependerei das minhas decisões, pois elas me trouxeram minha Helena e se eu tivesse que passar por tudo de novo para tê-la eu faria isso.

Sinto que ainda tenho muito a aprender, muitas e muitas lições, mas estou disposta a enfrentar a vida de cabeça erguida e junto com você, sempre junto com você meu amor. Por que você é e sempre será o único que eu amo. Por que quando eu mudei, foi com ajuda da Helena, mas foi por você.

Nunca em minha vida me esquecerei das pessoas que passaram e cada qual me ensinou uma lição diferente e todas elas me trouxeram onde estou hoje. Com você... com nossos filhos. Helena, Brian e Olívia. Sinto-me completa por que sei que te faço feliz. Sinto-me feliz por que sei que estou com você.

Sempre. Sempre. Sempre.

P.S.: Eu te amo.



Notas finais do capítulo

Reviews??