Confronto 2ªtemporada escrita por Gabszinha FerCosta


Capítulo 93
Capítulo 92-Dias em Forks




  Isabella Marie Swan Cullen

  Eu estava terminando de arrumar as minhas coisas, a mãe da Rosalie estava junto comigo, com o Robert no colo.

  -Ele é tão parecido com você. –Ela disse.

  Sorri.

  -É, é o único. –Disse.

  Ela riu.

  -Você pretende ter mais filhos?

  -Olha, apesar de já ter quatro, eu quero dar mais uma menininha para o Edward. Depois disso, fecharemos a fábrica. –Disse.

  Ela riu.

  -Mas mesmo depois de quatro filhos, você continua com um ótimo corpo.

  Sorri.

  -É, vida de modelo e atriz não é fácil. –Disse.

  Ela riu.

  -Pelo visto Marie e Anthony fizeram as pazes com você. –Ela disse.

  Sorri.

  -É, ainda bem. Eu estava morrendo de saudades deles. –Disse.

  -E o Carlisle?

  -Ainda está no hospital se recuperando, ele receberá alta daqui há alguns dias e depois ainda terá que ficar aqui em Forks por mais uns dias, antes de viajar. –Disse.

  Ela assentiu.

  -Me impressiona ele ficar assim, Carlisle sempre foi um bom médico, com uma ótima saúde.

  Sorri.

  -É mesmo, eu lembro de várias vezes em que ele ficou bem gripado, e mesmo com o corpo todo dolorido, ele foi trabalhar. Ele adora o trabalho dele. –Disse.

  -É, eu nunca vi uma pessoa tão apaixonada pelo que faz, como ele.

  -Pois é.

  Terminei de arrumar minhas coisas.

  -Pronto, está tudo pronto. –Disse.

  -Sentirei sua falta aqui. –Lillian disse.

  Sorri.

  -Ah, tia Lilly, eu também vou sentir a sua falta. –Disse e lhe dei um beijo na bochecha. –Mas você terá a casa bem cheia, com a sua filha, seu genro, seus netos.

  Ela sorriu.

  -É, tem razão. –Ela disse. –Mas não deixe de vir aqui enquanto está aqui em Forks.

  Assenti.

  -Pode deixar, eu não deixarei de vir. E tente se resolver com o tio Rick, o casamento de vocês é lindo. –Disse.

  Ela sorriu.

  -Farei o possível. –Ela disse.

  Peguei as malas.

  -Vamos.

  Lillian e eu descemos e encontramos Emmett com Vinícius e Anie.

  -Emm, pode me levar? –Perguntei.

  Ele assentiu.

  -Claro, eu só vou avisar a Rosie. –Ele disse.

  -Ok, te espero no carro. –Disse.

  Emmett subiu para o quarto.

  Fui até a Anie e o Vinícius.

  -Tchau, queridos. A gente se vê mais tarde. –Disse.

  -Tchau, tia Bella. –Eles disseram e me deram um beijo na bochecha.

  Saí da casa e coloquei minhas malas dentro do porta malas, peguei Robert do colo de Lillian.

  -Ele vai atrás sozinho? –Ela perguntou.

  Neguei.

  -Não, Emmett está sem cadeirinha, eu vou atrás com ele. –Respondi.

  Ela assentiu.

  Alguns minutos depois, Emmett saiu da casa com Rosalie.

  -Está pronta, Bellinha? –Ele perguntou.

  -Estou. –Despedi-me de Rosalie. –Tchau, amiga.

  -Tchau. Vemos-nos depois. –Ele disse.

  -Até. –Disse e dei um beijo na bochecha da Lillian. –Tchau, tia Lilly.

  -Tchau, querida.

  Emmett abriu a porta traseira pra mim e eu entrei. Ele deu um selinho na Rosalie e um beijo na bochecha da Lillian e entrou.

  Emmett dirigiu para a casa dos Cullen, um lugar que eu jamais havia pisado, pelo menos não aqui em Forks.

  Não demorou muito para chegar à casa, que de fachada não era muito diferente da casa em Londres, e dentro devia ser igual.

  -Pronto, está entregue. –Emmett disse.

  -Valeu Emm, já pode voltar para a Rosie. –Disse.

  -Calma, eu vou te ajudar com as malas. –Ele disse, saindo do carro.

  Saí do carro com o Rob e Emmett pegou as minhas malas.

  -Vamos.

  Entramos na casa e encontramos Edward, juntos com a Kristen, Seth, Marie e Anthony.

  -Olá. –Disse.

  Eles me olharam.

  -Oi, você demorou. –Edward disse.

  -Foi mal, eu estava arrumando minhas coisas. –Disse, lhe dando um selinho e lhe entregando o Robert.

  -Trouxe tudo? –Edward perguntou.

  Assenti.

  -Sim, está tudo aqui. –Respondi.

  Ele assentiu.

   Virei-me para o Emmett.  

  -Já pode ir agora Emm, obrigada. –Disse.

  Ele sorriu.

  -De nada, Bellinha. Tchau gente, não taquem fogo na casa. –Ele disse.

  -Tchau. –Eles disseram.

  Sentei-me ao lado do Edward.

  -Quer conhecer o quarto? –Edward perguntou.

  Assenti.

  -Claro.

  -Então vamos. –Ele disse e se levantou. –Cuida do seu irmão, Kris. –Edward entregou Robert para Kris.

  -Pode deixar.

  Levantei-me e segui o Edward.

  Subimos para o segundo andar e fomos para a segunda porta do corredor.

  Ele parou antes de abrir a porta.

  -Antes de entrarmos, quero te pedir para não rir do quarto. A última vez que estive aqui, eu tinha 12 anos. –Ele disse.

  Assenti.

  -Claro, tudo bem. –Disse.

  Ele abriu a porta e entramos.

  O quarto era cheio de pôsteres de Rock, coleções de carros.

  Sorri.

  -Nossa, que quarto mais… adolescente. –Disse.

  Ele riu.

  -Eu tinha 12 anos quando saí daqui. –Ele disse.

  -E eu tinha 15, meu quarto era normal. –Disse.

  Ele revirou os olhos.

  -Para de criticar. –Ele disse.

  Sorri.

  -Tudo bem. –Disse, passando os braços envolta do seu pescoço. –A gente ainda não matou as saudades.

  Ele sorriu.

  -Então vamos resolver esse problema. –Ele disse e me jogou na cama, que estava com um lençol infantil de carro.

  Mas isso não foi problema pra gente deixar de fazer amor.

No dia seguinte…

  Hoje o dia começou muito bem, eu acordei ao lado do Edward, como eu sentia falta disso.

  Levantei-me e fiz a minha higiene matinal, me arrumei para tomar café e fui acordar o Edward, que dormia em sono profundo.

  -Edward, acorda bebê. –Disse.

  Ele abriu os olhos e me olhou.

  -Bom dia. –Ele disse.

  Sorri.

  -Bom dia, amor. –Disse e lhe dei um selinho.

  Ele sorriu.

  -Eu senti tanta falta de acordar ao seu lado. –Ele disse.

  Sorri.

  -Eu também senti, meu amor. –Lhe dei outro selinho. –Levanta, nós precisamos ir tomar café.

  Ele assentiu.

  -Tudo bem. –Ele disse, se levantando.

  -Eu vou te esperar lá embaixo, preciso amamentar o Rob. –Disse.

  -Tá, pode ir. –Ele disse e entrou no banheiro.

  Saí do quarto e desci.

  Na sala de estar, Rob dormia em seu carrinho, dei um beijo em sua bochecha e fui para a sala de estar.

  Encontrei tomando café, Kristen, Seth, Marie e Anthony.

  -Bom dia, meus amores. –Disse e dei um beijo na testa de cada um dos meus filhos.

  -Bom dia, mãe. –Eles disseram.

  Dei um beijo na bochecha do Seth.

  -Bom dia, querido genro. –Disse.

  -Bom dia, querida sogra. –Ele disse.

  Sentei-me e comecei a tomar café.

  -Onde está a Esme? –Perguntei.

  -Passou a noite no hospital, com o papai. –Kristen respondeu.

  Assenti e comecei a tomar café.

  -Edward ainda está dormindo? –Kristen perguntou.

  Neguei.

  -Não, ele está se arrumando, já está descendo. –Respondi.

  Kris assentiu.

  -Mãe, eu ouvi falar sobre uma praia que tem aqui perto, chamada La Push, pode nos levar lá? –Kris perguntou.

  -Claro, todos vocês querem ir?

  -Sim. –Eles responderam.

  -Ok, eu vou ver se o Edward vai querer ir. –Disse.

  Continuamos tomando café, Edward apareceu na sala de jantar.

  -Bom dia! –Ele disse e se sentou à mesa.

  -Bom dia.

  Edward se sentou ao meu lado e começou a tomar café.

  -Minha mãe não dormiu em casa? –Edward perguntou.

  Neguei.

  -Não, ela ficou no hospital com o seu pai. –Respondi.

  Ele assentiu.

  -Eu vou levar as crianças em La Push, quer vir com a gente? –Perguntei.

  Ele negou.

  -Não, eu vou fazer companhia para o meu pai, junto com a minha mãe e a minha avó. –Ele respondeu.

  Assenti.

  -Tudo bem.

  -Mas podem ir na Mercedes do meu pai. –Edward respondeu.

  -Ok. –Disse.

  Terminamos de tomar café e eu fui me arrumar, estava terminando de me arrumar, quando Marie entrou no quarto.

  -Mamãe. –Ela disse.

  -Oi, amor. –Disse.

  -O Rob acordou. –Ela disse.

  Assenti.

  -Ok, eu já estou descendo. –Disse.

  -Tá bom. –Ela disse e saiu do quarto.

  Terminei de me arrumar e saí do quarto, desci e fui pra sala de estar, Marie e Anthony estavam assistindo TV na sala de estar, peguei Rob no carrinho e dei um beijo em sua bochecha.

  -Bom dia, meu amor. –Disse e me sentei ao lado do Anthony, comecei a amamentar o Rob.

  Terminei de amamentá-lo e fiquei ali com os meus filhos, Kristen apareceu com o Seth.

  -Mãe, estamos prontos. –Kristen disse.

  Olhei para os meninos.

  -Vocês também estão prontos? –Perguntei.

  Eles assentiram.

  -Ok. Edward!

  Edward apareceu da cozinha.

  -Sim?

  -Estamos indo. –Disse.

  Ele assentiu.

  -Ok, vou levar vocês até o carro.

  Levantei-me e peguei a minha bolsa e a bolsa do Robert, fomos pra garagem.

  Chegamos na garagem e ali havia uma Mercedes preta e um Audi preto.

  -Aqui, vá com a Mercedes do meu pai. –Edward me entregou as chaves.

  Olhei para o carro. Espera, eu conhecia bem aquele carro, já me diverti muito ali dentro com o Carlisle.

  -Tudo bem? –Edward perguntou.

  O olhei e assenti.

  -Claro, tudo ótimo. –Disse e peguei as chaves.

  Se eu dissesse a ele o que havia acontecido naquele carro, ele jamais iria me deixar entrar nele.

  Dei um selinho em Edward.

  -Tchau, até mais tarde. –Disse.

  -Tchau.

  Os meninos se despediram deles e entramos no carro, dirigi para La Push.

  Chegamos à praia de La Push e eu me sentei na areia com o Rob, Kristen e Seth foram brincar com Marie e Anthony.

  A última vez que vim à essa praia, foi aos 15 anos, um tempo antes de conhecer o Carlisle, Rose e eu viemos à um luau aqui e ficamos tão bêbadas, que adormecemos aqui mesmo.

  Kristen veio se sentar ao meu lado, enquanto Seth ficou jogando bola com Anthony e Marie.

  -Não vai jogar com eles? –Perguntei.

  Ela negou.

  -Você sabe que eu não sou boa no futebol. –Ela disse.

 Sorri.

  -É, isso você não puxou do seu irmão. –Disse.

  Ela riu.

  -A paz aqui é tão boa, não é?

  Sorri.

  -É sim, eu gostava muito de morar aqui. –Disse.

  Ela me olhou.

  -E voltar pra cá, não te faz lembrar-se de nada? Nem do que ouve entre você e o papai?

  Sorri.

  -Sabe, quando morava aqui, eu tinha uma boa relação com os seus avós, éramos uma família, e os últimos momentos em que estive aqui, foi quando me envolvi com o seu pai, engravidei e fui expulsa de casa. E sobre o que eu senti pelo seu pai, pra falar a verdade, eu voltei pra cá, relembrei de tudo e não senti nada, ficou tudo no passado. –Sorri. –O que eu vivi com o seu pai, me fez perceber duas coisas, a primeira, foi ter me dado um presente maravilhoso que foi você, por sua causa eu mudei totalmente e não me arrependo disso e a segunda, foi o destino.

  -O destino? –Ela perguntou.

  -Sim, o destino fez eu acreditar que o seu pai era o homem da minha vida, mas na verdade…

  Ela riu.

  -Ele era apenas o pai do amor da sua vida. –Ela disse.

  Sorri.

  -Exatamente.

  Ela riu.

  -É eu tenho que concordar com você. Quando eu era pequena, antes de conhecer o papai e que eu o imaginava, eu imaginava vocês dois juntos, mas desde o momento em que eu conheci o Edward, que eu o vi com você, eu virei fã de vocês dois, eu tive muita simpatia com ele e com o Emmett, e fiquei muito feliz quando soube que eles eram meus irmãos, e quando conheci o papai, eu não quis mais que ele ficasse com você, eu sempre quis isso, que ele continuasse com a Esme e você com o meu irmão.

  Sorri.

  -Achei que ficaria feliz se eu ficasse com o seu pai. –Disse.

  Ela riu.

  -Não, com você, eu prefiro o Edward. –Ela disse.

  Comecei a rir.

  -Ah, meu amor. Você é incrível. –Disse e a abracei.

  -Você também mamãe. –Ela disse e me olhou. –Olha, quando voltarmos pra casa, eu quero que nos dediquemos a minha festa.

  Sorri.

  -Pode ter certeza que faremos isso. –Disse e beijei sua bochecha.

  Seth se aproximou com as crianças.

  -Mamãe, nada com a gente? –Marie pediu.

  -Eu não estou de biquíni. –Disse.

  -Mergulhe de calcinha e sutiã. A praia está deserta mãe e o seu corpo é lindo. –Kris disse.

  -Não sei. –Disse.

  -Vai mamãe. –Marie e Thony pediram.

  Sorri.

  -Ai, pedindo assim, eu não resisto. –Disse e olhei pra Kris. –Vocês cuidam do Rob?

  Ela assentiu.

  -Claro. –Ela disse, pegando ele do meu colo.

  Levantei-me e comecei a tirar minha roupa, eu estava com uma lingerie preta, então era mais fácil pra ninguém ficar reparando muito.

  -Vamos lá! –Disse e nós três corremos para o mar.

  A água estava um gelo, como sempre foi aqui em La Push, mas a sensação de felicidade que estava sentindo por estar assim com os meus filhos era incrível, e eu espero que daqui pra frente seja sempre assim, sem brigas e com muita felicidade.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Confronto 2ªtemporada" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.