Confronto 2ªtemporada escrita por Gabszinha FerCosta


Capítulo 87
Capítulo 86-Defendendo/ Discussão




Kristen Swan Cullen

Algum tempo depois…

Desde o casamento do meu pai, eu estava pensando muito no que havia acontecido no casamento. Eu não disse nada a minha mãe, mas sabia que ela havia ficado chateada, em nenhum momento eu protestei, mas estava esperando o meu pai voltar para fazer isso, eu não iria deixá-lo humilhar a minha mãe desse jeito.

Peguei meu celular e mandei uma mensagem para a Rose.

De: Kris

Para: Madrinha

Oi madrinha linda, tudo bem?

K.C

Ela respondeu.

De: Madrinha

Para: Kris

Oi afilhada linda, eu to bem sim e você?

R.C

Respondi.

De: Kris

Para: Madrinha

Que bom. Eu to bem.

Eu posso te pedir uma coisa?

K.C

Ela respondeu.

De: Madrinha

Para: Kris

Você pode me pedir o que você quiser, meu amor.

R.C

Respondi.

De: Kris

Para: Madrinha

Eu queria passar um tempinho com você e com o Emm, eu posso dormir na casa de vocês?

K.C

Ela respondeu.

De: Madrinha

Para: Kris

Você não precisa nem pedir Kris, é claro que pode.

Venha dormir aqui hoje. Eu e o seu irmão, estaremos te esperando.

R.C

Respondi.

De: Kris

Para: Madrinha

Tudo bem, a gente se vê mais tarde.

K.C

Ela respondeu.

De: Madrinha

Para: Kris

Ok, até mais tarde.

R.C

Guardei meu celular e saí do meu quarto, desci e encontrei minha mãe e Edward de namorico na sala de estar.

–Preservem as crianças. –Disse.

Eles se afastaram.

–As crianças não estão aqui. –Edward disse.

–E onde elas estão?

–Rob está dormindo, Marie e Thony estão no quarto deles. –Edward respondeu.

Assenti e me sentei no colo da minha mãe.

–Você não acha que já está grandinha para sentar no colo da sua mãe? –Edward perguntou.

–Pra minha mãe, eu sempre vou ser pequena. –Disse e lhe dei um beijo na bochecha.

Ela sorriu.

–Isso é verdade. –Ela beijou minha bochecha.

Edward revirou os olhos.

–Não fala muito, Edward. Eu sei muito bem que quando a Marie estiver a minha idade, você ainda vai tratá-la como um bebê. –Disse.

Ele riu.

–Eu vim pedir uma coisa pra vocês. –Disse.

–O que? Se for dinheiro, eu já vou falando pra você esperar o papai voltar. –Edward disse.

–Não é isso. E se eu quisesse dinheiro, eu pedia pra minha mãe. –Disse.

–Tá bom, e o que você quer?

–Eu estava conversando com a tia Rosie e nós falamos sobre eu dormir lá, tudo bem pra vocês?

Minha mãe assentiu.

–Por mim tudo bem, afinal, você também tem que passar um tempo com o seu outro irmão e a sua madrinha. –Minha mãe disse.

–Quanto a Rosalie eu concordo, o Emmett nem tanto, eu sou o irmão predileto. –Edward disse.

Comecei a rir.

–Eu não vou ficar escolhendo entre irmãos, até por que se fosse pra eu escolher, escolheria entre o Anthony e o Robert. –Disse.

Edward riu.

–Então, eu posso ir? –Perguntei.

–Claro, querida. –Minha mãe respondeu.

–E você pode me levar, maninho? –Perguntei.

Ele assentiu.

–Claro, não se preocupe. –Ele respondeu.

–Ótimo, eu vou deixar vocês se pegarem e arrumar minhas coisas. –Disse.

–Eu acho que deveria passar mais de uma noite, isso sim. –Edward disse.

Comecei a rir, ignorando o seu comentário e subi para o meu quarto.

***

Emmett e eu estávamos sentados na grama do seu jardim, admirando as estrelas.

–Edward e eu sempre fizemos isso. –Ele disse.

–É mesmo?

–É, ver as estrelas foi a primeira coisa que fizemos quando viemos morar em Londres. –Ele disse.

Assenti.

–Emm, eu posso te perguntar uma coisa? É sobre o que aconteceu no casamento.

Ele me olhou.

–Quer saber o que eu acho do discurso do papai? –Ele perguntou.

Assenti.

–Olha, eu vou ser sincero com você, Ki. Eu achei o que todo mundo achou, menos ele e a minha mãe. Achei desnecessário isso, ele não ligou pra Bella naquele momento, pra falar a verdade, aconteceu tanta coisa na nossa vida, que ele aprendeu a se importar somente com a minha mãe. –Ele disse.

Respirei fundo.

–Eu não conversei com ela sobre isso, mas eu percebi que ela ficou bem chateada, e é horrível vê-la assim. –Disse.

–Eu sei, percebi que Edward também tomou as dores dela, e eu tenho certeza de que ele vai conversar com o papai, quando ele voltar. –Ele disse.

–Eu sei, mas eu também vou conversar com ele.

–E tem certeza de que quer isso? –Ele perguntou.

–É horrível ver a minha mãe triste, ele tem que se desculpar. Desculpe Emmett, mas vocês não fazem idéia de tudo que a gente passou, antes de nos conhecermos. –Disse.

Ele assentiu.

–Rosalie me contou um pouco, dos três anos que viveram sem a gente, eu não vou defender o meu pai Kristen, mas ele não sabia que a Bella estava grávida. –Ele disse.

–Eu sei, mas se ele não tivesse ido embora correndo, ele saberia, e minha mãe não precisaria sofrer tudo o que ela sofreu, então o papai não tem direito de expô-la daquele jeito, você sabe que Anthony e Marie não sabem da história completa, e minha mãe morre de medo de contar, e eles a julgarem mal. –Disse.

–É, acho que o papai não pensou nas crianças. –Ele disse.

–Quando ele volta? –Perguntei.

–Daqui à quatro dias. –Ele respondeu.

Assenti.

Era bom saber, eu teria uma longa conversa com o papai.

–Emm, Kris. –Rose se aproximou da gente, nos viramos. –Desculpe interromper a admiração pelas estrelas, mas o jantar está pronto.

–Ôpa, então vamos comer que eu to cheio de fome. –Emmett disse, se levantando.

Levantei-me.

–Ah, eu estava morrendo de saudade da sua comida, madrinha. –Disse a abraçando.

Ela sorriu e beijou meus cabelos.

–Então vamos comer.

Entramos na casa e fomos para a sala de jantar.

Alguns dias depois…

Terminei de arrumar o meu cabelo e respirei fundo ao me olhar no espelho.

Meu pai já devia ter chegado de viagem e eu iria pra lá, não agüentava mais esperar por essa conversa.

Saí do quarto e desci, encontrei minha mãe ajudando Marie e Anthony com o dever de casa.

–Oi. –Disse.

Ela me olhou.

–Oi, querida.

–Onde está o Edward?

–No treino. Vai sair?

Assenti.

–Sim, eu vou ver o meu pai, ele já chegou de viagem. –Respondi.

Ela assentiu.

–Ok, mande lembranças pra ele. –Ela disse.

–Ok, tchau, te amo. –Disse e lhe dei um beijo na bochecha.

–Tchau, eu também te amo. –Ela disse.

Dei um beijo na bochecha do Thony e da Marie e fui pra casa do meu pai.

Cheguei a casa e entrei com a minha chave, fui pra sala de estar.

–Esme? Papai? –Os chamei.

Eles desceram as escadas, sorridentes.

–Kris, que bom que veio nos ver, filha. –Meu pai disse e me abraçou.

–Oi pai. Oi Esme. –Disse e a abracei.

Os soltei.

–Como estão as coisas? –Esme perguntou.

–Tudo bem. E como foi a lua de mel?

–Muito boa. –Meu pai respondeu.

–Que bom, por que eu preciso conversar com vocês. –Disse.

–Sobre o que? –Meu pai perguntou.

–Sobre aquele discurso ridículo que você fez no casamento. –Disse.

Ele me olhou, meus próprios olhos azuis me encaravam com surpresa.

–Eu não entendo, por que está tão brava com o meu discurso? –Ele perguntou.

–Ah, vai me dizer que não sabe? Você não percebeu que humilhou minha mãe na frente de todos? –Perguntei.

–Kristen, em nenhum momento Carlisle citou o nome da sua mãe. –Esme o defendeu.

–Ah, e nem precisava. Todo mundo ali sabe que eu sou filha do sogro da minha mãe, todo mundo ali sabe que ela foi amante do meu pai, mas o que não pensaram, foi nos meus irmãos, pararam ao menos para pensar que alguém poderia ter feito algum comentário sobre isso e os meus irmãos poderiam ouvir?

–Kris…

–Vocês não pararam pra pensar nele.

–Kristen, vamos conversar. –Esme disse.

–Não, eu não quero conversar. Minha mãe morre de medo de contar a verdade, ela tem medo deles a rejeitarem. –Disse.

–Kris, eu não tinha idéia que um simples discurso à minha esposa, faria tanto mal. –Meu pai disse.

–Até o Edward não gostou nada, tanto é que ele tirou minha mãe de lá, antes do discurso da Esme. –Disse.

–Eles não quiseram ouvir o meu discurso? –Esme perguntou.

Neguei.

–Edward achou que seria pior do que o do meu pai.

–Kristen!

–O que? Vai chamar a minha atenção quando estou certa? A minha mãe ficou muito chateada com você.

–Eu não sabia que ela iria se ofender. –Ele disse.

Assenti.

–Claro, você nunca sabe de nada papai, não sabia que ela tinha engravidado.

–Kris, não misture as coisas.

–Eu não estou misturando nada, estou falando a verdade. Se for pra defender a minha mãe de você eu vou, por que eu sei tudo o que ela fez por mim, quando você não sabia que eu existia. Minha mãe, Jasper e Rosalie sofreram muito para me criar, o salário de meio período deles, mais o dinheiro que os pais da Rosalie e os pais do Jasper mandavam, não eram o suficiente, eles passaram fome pra que eu não ficasse com fome!

–Chega, Kristen! Você não pode me culpar de tudo isso. –Ele disse.

–Posso sim, por que se não tivesse vindo correndo para Londres, saberia que ela estava grávida e teria a ajudado, mas não, você só foi ajudar 3 anos depois, dando a entender que era um cretino!

Ele desferiu um tapa na minha cara.

–Carlisle!

–Tudo bem Esme, deixa ele me bater. Esse tapa não é nada à tudo que a minha mãe sofreu. –Disse. –Eu era uma criança quando te conheci, mas eu tinha ciência de muita coisa, e já desejei que o Jasper fosse o meu pai, pois ele foi por três anos, era namorado da minha mãe e Rosalie era minha segundo mãe. E agora nesse momento, e desejo ser filha do Edward, afinal ele cuida mais de mim do que você! –Fui em direção a porta e me virei pra eles. –Não precisa mais me procurar se não quiser, você não me faz falta.

Saí da casa do meu pai e fui embora, eu estava abalada, chorava muito e fui para a casa do Seth, só ele iria me acalmar.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Confronto 2ªtemporada" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.