Confronto 2ªtemporada escrita por Gabszinha FerCosta


Capítulo 155
Capítulo 154-Festa da Kris Prt. I




  Isabella Marie Swan Cullen

  Edward parou o carro em frente ao hotel.

  -Nossa, olha como está isso aqui. –Jasper disse.

  Em frente ao hotel, havia vários paparazzi.

  -É, eles vieram registrar a festa de 15 anos da primogênita de Bella Cullen. –Edward disse.

  -Todos eles vão entrar?

  -Claro que não. Eu coloquei uma lista restrita de alguns que poderão entrar e eu escolhi à dedo cada um. –Respondi.

  -É, esses aqui, devem estar bem desesperados. –Jasper disse.

  -Tá legal. Teremos que tirar umas fotos, pra eles se contentarem. –Disse.

  -Eu posso entrar com o Rob, eu não faço parte desse mundo. –Jasper disse.

  -Você é marido da minha empresária, então, está nesse mundo. –Disse.

  -Ah, sério? Alice nem está aqui. –Ele disse.

  -Ah, também tem o fato de você ser o meu primo. –Disse. –Então você está mesmo nesse mundo.

  Ele revirou os olhos.

  -Espero que ser da sua família, me dê vantagens com a sua herança. –Ele disse.

  -Como se eu fosse morrer antes de você. –Disse. –Mulheres vivem mais que os homens.

  -Eu viverei mais que os dois, sou mais novo. –Edward disse.

  -Muitas pessoas mais novas morrem. Você pode cair jogando e bater a cabeça. –Jasper disse.

  -Que horror, Jasper. –Edward disse.

  -Tá legal, gente. Vamos logo. –Disse. –Jazz, leva o Rob pra mim.

  -Tá legal, vem sobrinho. –Jasper disse, o pegando no colo.

  Saímos do carro e tiraram várias fotos da gente.

  -Lembra-se da época que saiamos do carro normalmente? Sem essa confusão toda? –Edward perguntou.

  -Sim, no começo do nosso namoro.

  Ele riu e me deu um selinho, e foi ai que tiraram mais fotos nossas.

  Fizemos várias e várias poses para as fotos, isso aqui estava bem animado.

  -Tá legal, já chega. Jasper, vamos.

  -Já chega gente, a próxima foto, valerá um processo. –Jasper disse.

  Todos pararam com as fotos e entramos no hotel.

  -Valeu, Jazz. –Agradeci.

  Ele sorriu.

  -De nada, eu sei que eu sou um ótimo advogado. –Ele disse.

  Começamos a rir.

  -Sra. Bella Cullen, Sr. Edward Cullen, Sr. Hale e o pequeno Rob. –Um cara vestido com o uniforme do hotel pronunciou nossos nomes. –Sou Rick, o gerente do hotel.

  -Oi, Rick. –Dissemos.

  -Ficamos muito honrados por terem escolhido o nosso hotel, para a festa da sua filha. –Ele disse.

  Sorri.

  -Nós só escolhemos o melhor. –Disse.

  -E então? Está tudo ocorrendo bem por aqui? –Edward perguntou.

  -Sim, a maioria dos convidados já chegaram e a festa já começou. –Ele respondeu.

  -Ok, então nós vamos para o salão, esperar o resto dos convidados chegarem. –Disse.

  -Claro, é por aqui. –Ele disse e nos acompanhou até o salão. –Aqui está. Tenham uma boa festa.

  Sorri.

  -Obrigada.

  Entramos no salão e várias pessoas vieram nos cumprimentar, alguns paparazzi vieram tirar fotos nossas.

  -Mãe. –Marie se aproximou de mim.

  -Oi, querida. –Disse.

  -James quer tirar umas fotos da nossa família. –Marie disse.

  -Estão faltando a Alice e a Kris. –Disse.

  -É, mas ainda podemos tirar algumas fotos, enquanto elas não chegam. –Marie disse.

  Assenti.

  -Tudo bem, então vamos. –Disse.

  Fomos até o cenário de fotos que James montou.

  -Olá. –Disse.

  -Oi, olha só. A família Cullen toda elegante. –James disse.

  Sorri.

  -Obrigada. Onde está a Mary? –Perguntei.

  -Por ai. Vamos começar? Marie, vá chamar seus avós, querida. –James pediu.

  -Ok.

  Marie foi procurar por Esme e Carlisle.

  -Tá legal, enquanto a aniversariante não chega, eu vamos fazer uma foto. A mãe, e o padrasto, que também é irmão. –James disse.

  Assenti.

  -Ok.

  Edward e eu nos aprontamos e pousamos pra foto. James tirou a foto.

  -Perfeito.

  -Nos mande essa foto, farei um enorme quadro pra sala. –Edward disse.

  James sorriu.

  -Pode deixar. –Ele disse.

  -Oi.

  Marie voltou com Esme e Carlisle, acompanhados de Emmett, Rosalie e Anthony.

  -Que bom que chegaram todos. Eu preciso de uma foto dos pais da aniversariante, tudo bem pra vocês, Edward, Esme? –James perguntou.

  -Tudo. –Eles responderam.

  -Não se preocupe com isso. –Edward disse.

  -Tudo bem, Bella, Carlisle.

  -Ok. –Carlisle disse.

  Nós nos abraçamos e James tirou a foto.

  -Tá, agora os padrinhos.

  -Bella, toma que o filho é seu. –Jasper me entregou o Robert.

  -Obrigada.

  Jasper e Rosalie se abraçaram e James tirou a foto.

  -Tá, agora juntem todos. –James disse.

  Nós nos juntamos e ele tirou a foto de todo mundo.

  -Pronto.

  -Onde estão as crianças? Podíamos tirar uma foto dos primos e irmãos da aniversariante. –Disse.

  -Ah, eles estão espalhados por ai, vamos tirar quando a Kristen chegar. –Esme disse.

  -Bom, eu tenho que tirar algumas fotos dos convidados. Curtam a festa. –James disse.

  -Tchau. –Disse.

  James foi tirar foto da festa.

  -A festa está maravilhosa, Alice e Kristen deviam chegar logo. –Rosalie disse.

  -Calma, a festa vai durar até amanhecer, então, ainda temos muito tempo.  –Edward disse.

  -A Alice com certeza vai enrolar bastante com a Kristen, até parece que ela está casando. –Jasper disse.

  -É, imagine o que ela fará, quando for o casamento dela. –Disse.

  -Ou no da Mellanie. –Edward disse.

  Jasper fez uma careta.

  Começamos a rir.

  -Bom, já que isso é uma festa, vamos dançar? –Edward perguntou.

  -Vamos. –Disse.

  -Eu não vou, não tenho condições de dançar essas músicas agitadas. –Rosalie disse.

  -Tá, então a gente fica sentados na mesa, com o nosso sobrinho. –Emmett disse, pegando o Rob de mim.

  -Bom, eu vou procurar os meus pais e as crianças. Quero ver se eles estão apresentáveis, senão Alice me mata. –Jasper disse.

  -Tá, vai lá. Aproveita e vê os nossos filhos também. –Rose disse.

  -Tá bom, até mais tarde. –Ele disse.

  -Tchau.

  Jasper foi em direção a saída do salão, fui até a Rosalie e aproximei minha boca do seu ouvido.

  -Depois eu preciso falar com você. –Sussurrei e olhei na direção do Jasper.

  Rose me entendeu e assentiu.

  -Ok.

  -Vamos pra pista? –Edward perguntou.

  -Vamos.

  Edward, eu, Carlisle e Esme fomos pra pista de dança e começamos a dançar. Essa festa já estava ótima, imagine quando a aniversariante chegar.

  Kristen Swan Cullen

  Eu estava sentada no sofá da sala, esperando dar a hora pra eu ir pra moinha tão sonhada festa de 15 anos, eu estava cada vez mais ansiosa.

  Tia Alice foi fazer alguma coisa lá em cima e eu fiquei esperando por ela, enquanto isso, eu conversava com o Seth pelo celular.

  -Então você já está indo? –Perguntei.

  —Sim, estamos saindo de casa. Você já chegou?

  -Ainda não, mas logo eu sairei. Avisa-me quando você chegar? –Pedi.

  —Claro, a princesa tem que chegar depois do príncipe, e eu estarei te esperando.—Ele disse.

  Sorri.

  -Ok, então até mais tarde. –Disse.

  —Até, tchau. Eu te amo.

  -Tchau, eu também te amo. –Disse e desliguei.

  -Ownt!

  Dei um pulo de susto.

  -Ai, tia!

  Ela riu.

  -Desculpe Kris, vocês são tão fofinhos. –Ela disse.

  Sorri.

  -Obrigada.

  -Ele já chegou ao hotel? –Ela perguntou.

  -Ainda não, eles estão indo pra lá agora. –Respondi.

  Ela assentiu.

  -Eu acabei de falar com o Jasper, ele deu uma olhada na lista de presenças e já chegaram todos, os poucos que faltam, são menos de 10 pessoas. –Ela disse.

  -Ah, então vamos. –Disse.

  -Calma, vamos esperar mais um pouco e ver se essa lista de presença muda. –Ela disse.

  -Sério? –Perguntei.

  -Sério, Kris. A gente já vai, espera mais um pouquinho. –Ela disse.

  Respirei fundo.

  -Está bem, mas sente aqui comigo. –Disse.

  -Ok.

  Ela se sentou ao meu lado e ficou esperando junto comigo, e esperar era muito chato.

  Uma hora depois…

  Saí do banheiro junto com a minha tia, ela tinha me ajudado a ir no banheiro, era meio difícil de fazer xixi, com todo esse vestido.

  -Pronto, já está apresentável. –Tia Alice disse.

  Sorri.

  -Obrigada pela ajuda. –Agradeci.

  Ela sorriu.

  -Tudo bem, agora me espere lá embaixo. –Ela disse.

  -Tá.

  Desci e fui pra sala de estar, sentei-me no sofá.

  Uns 5 minutos depois, Alice desceu.

  -Kris, vamos. –Ela disse.

  -Aleluia. –Disse, me levantando.

  -Jazz me ligou, ele disse que ainda faltam chegar umas 3 ou 4 pessoas, mas não podemos esperar mais. –Ela disse.

  -Então vamos!

  -Tá legal, vamos. –Ela disse, pegando sua bolsa.

  Saímos de casa e havia uma limusine me esperando.

  -Uma surpresinha do seu pai. –Alice disse.

  Sorri.

  -Eu não acredito nisso. –Disse.

  -É, pode acreditar. –Ela disse. –Vamos, princesa.

  Alice abriu a porta da limusine pra mim e eu entrei, ela entrou logo depois e o motorista dirigiu em direção ao hotel.

  -Será que estão gostando da festa? –Perguntei.

  -Seria impossível não gostarem, Kris. Relaxe. –Alice disse.

  Assenti.

  -Tem razão. –Sorri. –Eles estão adorando.

  Alice assentiu.

  -É isso ai.

  Eu fui o caminho inteiro nervosa e ansiosa, esperando para chegar logo no hotel.

  Alguns minutos depois, chegamos em frente ao hotel.

  -Está cheio de paparazzi aqui. –Disse.

  -É isso que dá ser uma modelo famosa. –Alice disse.

  -Eu não sou tão famosa assim, tia. Minha mãe é super famosa. –Disse.

  -E você é filha dela. –Ela disse. –Olha, estes são os que a sua mãe não convidou, então pose para algumas fotos, pra eles ficarem tranquilos.

  Assenti.

  -Ok.

  -Vamos lá. –Alice disse e saiu da limusine, eu saí logo atrás dela.

  Todos começaram a tirar fotos nossas e eu tive que fazer pose, Alice também, por ser a empresária da minha mãe, e depois de milhares de fotos, nós finalmente entramos no hotel.

  -Olá, Srta. Cullen, Sra. Hale. Sejam bem vindas, e feliz aniversário, Srta. Cullen.

  -Obrigada. –Agradeci.

  -Eu sou Rick, gerente do hotel. O salão fica por ali. Eu vou avisar o mestre de cerimonia. –Ele disse.

  -Ok, obrigada. –Alice disse. –Vamos, Kris.

  Fui com a minha tia em direção ao salão.

  -Tá legal, está pronta? –Alice perguntou.

  -Mais ou menos, eu queria dar um abraço na minha mãe primeiro. –Disse.

  -Ok, eu vou chamar ela, e quando vocês conversam, eu peço para o mestre de cerimônia arrumar tudo pra sua entrada. –Alice disse.

  Assenti.

  -Ok, eu vou ficar esperando aqui. –Disse.

  -Tá. –Alice me deu um beijo na bochecha. –Boa sorte.

  -Valeu, tia.

  Alice entrou para o salão e eu fiquei ali, esperando.

  Cinco minutos depois, minha mãe apareceu.

  -Kris.

  -Mãe. –A abracei.

  -Querida, você está bem? –Ela perguntou.

  Assenti.

  -Está sim, mas eu não queria entrar, sem falar com você.

  Ela sorriu.

  -Minha princesa. –Ela acariciou meu rosto. –Estou tão orgulhosa, você cresceu tanto. E se tornou uma mulher incrível.

  -Por 3 anos foi graças à você, tia Rose e tio Jazz, os outros 12 anos, foram graças a todos vocês. Eu só… queria agradecer, agradecer por não ter se livrado de mim. Outras garotas da minha idade, poderiam ter abortado, entregado pra adoção, abandonado por ai, e você não fez nada disso, você assumiu os riscos de ser uma adolescente sozinha, cuidando de um bebê.

  Ela sorriu.

  -É, foi arriscado, mas eu não me arrependo de nada, nem mesmo de ter me envolvido com o seu pai, isso me deu você, o Edward. –Ela disse. –Eu jamais abandonaria você, nem você, nem os seus irmãos.

  -Eu tenho a melhor mãe do mundo. –Disse.

  -Eu não posso dizer que você é a melhor filha do mundo, como ficarão seus irmãos?

  Ela riu.

  -Tem razão. Eu não sou a melhor filha do mundo. Eu, Marie, Anthony, Robert e os muitos que eu sei que ainda virão. –Ela riu. –Somos todos, todos somos os melhores filhos.

  Ela sorriu.

  -É, tem razão.

  -Agora, quanto ao Edward, eu não sou sua filha, mas eu sou a melhor irmã dele. –Disse.

  Ela riu.

  -Por enquanto, por que logo vocês ganharão uma irmã. –Ela disse.

  Sorri.

  -Eu não me importo de dividir isso com ela. –Disse.

  Nós duas rimos juntas e eu a abracei.

  -Eu te amo mãe, mais do que tudo nesse mundo. –Disse.

 -Eu também te amo, querida. Muito, muito. –Ela disse e me soltou. –Agora chega, antes que comecemos a chorar e Alice acabe nos matando.

  Sorri.

  -É, tem razão. –Disse.

  -Oi, desculpe interromper, mas já está tudo pronto pra entrada, Kris. –Alice disse.

  Assenti.

  -Tá legal, é hora de ir. –Disse.

  -Boa sorte, Little. Estaremos te esperando. –Minha mãe disse.

  -Obrigada, mãe.

  Ela me deu um beijo na bochecha.

  Alice me olhou.

  -Arrasa, querida. –Ela disse.

  Sorri.

  -Pode deixar, tia. –Disse.

  Minha mãe e Alice entraram no salão e eu fiquei esperando.

  —Atenção, atenção. –O mestre de cerimônia disse. —Senhoras e senhores, o tão momento chegou. A princesa da festa, está aqui.

  Escutei a gritaria em comemoração dos meus convidados.

  —Então recebam-na, a magnifica, a extraordinária, linda e “Bela”, Kristen Swan Cullen!

  Apareci na ponta da escada e todos aplaudiram. Eu desci as escadas, e no final, Seth estava me esperando, meu belo príncipe azul estava me esperando.

  Ele estendeu a mão pra mim.

  -Está linda, minha princesa. –Ele disse.

  Sorri.

  -Você também, meu príncipe. –Disse, pegando em sua mão e descendo o último degrau.

  Ele se ajoelhou e beijou minha mão, depois se levantou e me levou para o meio da pista de dança.

  A música começou, nós dois começamos a dançar a valsa, envolta da gente, estavam minhas debutantes e seus pares. Entre eles, minha mãe, meu irmão Edward, minha madrinha Rosalie, e meu irmão Emmett, meu irmão Anthony e sua namorada Felicity, Marie e seu namorado Gabriel, meu padrinho Jasper e minha tia Alice, minha prima Mellanie e seu namorado Daniel, minha cunhada Leah e seu acompanhante, que não era mais a Victória e sim um amigo dela. Os outros debutantes, eram amigos meus da escola e da agencia, e todos eles dançavam envolta de mim.

  Enquanto eu estava dançando com o Seth, nós dois nos olhávamos nos olhos, e não escutávamos e víamos mais nada, parecia que estavam somente nós dois ali, mais ninguém. Isso comprovava o quanto eu o amava, no quanto ele era maravilhoso, perfeito pra mim. Nós nos amava mais do que tudo na vida, e a próxima dança que teríamos como essa, seria do nosso casamento, que ainda iria demorar para acontecer, mas algum dia iria acontecer sim.

  A dança terminou com um beijo meu e do Seth, depois nos afastamos e todos aplaudiram.

  O olhei nos olhos.

  -Eu te amo. –Disse.

  Ele sorriu.

  -Eu também te amo. –Ele disse e me deu um selinho.

  Seth saiu da pista de dança, assim como os meus 15 casais, colocaram uma cadeira atrás de mim e eu me sentei. Meu pais se aproximou com, uma almofada, onde tinham o par de sapatos.

  Sorri.

  Ele ajoelhou-se a minha frente, sorrindo. Tirou os sapatos que eu estava usando e calçou com os sapatos que estavam na almofada.

  Depois da troca de sapatos, um dos garçons levou a almofada e os meus outros sapatos, meu pai estendeu a mão pra mim, eu a peguei e me levantei, ele beijou minha mão e se levantou. Ele pegou uma caixinha no bolso e a abriu, a minha frente, onde havia meu anel de debutante.

  Ele pegou o anel e colocou no meu dedo, depois ele beijou meu dedo e me olhou.

  Ele estava emocionado, e olha que eu nunca vi meu pai chorar.

  Emmett e Edward subiram na pista, eles estavam segurando uma almofada, onde havia uma tiara de princesa. Eles se aproximaram, os dois beijaram a coroa, meu pai a pegou e colocou na minha cabeça.

  Meu pai me olhou e sorriu.

  -Pronto, uma completa princesa. –Ela disse e soluçou. –Eu te amo, filha.

  Não me contive e comecei a chorar também.

  -Eu te amo, papai. –Disse e o abracei.

  Olhei para os meus irmãos mais velhos.

  -Eu amo vocês. –Disse.

  Eles me abraçaram, também emocionados. E nós três quatros acabamos ali, chorando.

  Depois que nos recuperamos, Emmett e Edward saíram da pista de dança, tiraram a cadeira, liberando o espaço, e começou a música, eu comecei a dançar com o meu pai.

  Ele me olhou e sorriu.

  -Você se tornou uma garota linda. –Ele disse.

  Sorri.

  -Obrigada. –Agradeci. –Essa beleza, eu herdei de você.

  -Sua mãe também é linda. –Ele disse.

  -É, ela é linda. Mas eu sou parecida com você. –Disse.

  Ele sorriu.

  -É, tem razão. –Ele disse.

  O olhei.

  -Obrigada, por proporcionar esse dia comigo. –Disse.

  Ele sorriu.

  -Eu também estou muito feliz em estar nesse dia com você. –Ele disse. –Você sabe que quando eu me casei com a Esme, ela estava grávida, não sabe?

  Assenti.

  -Sim.

  -Nós tivemos o Emmett, e quando ela engravidou do Edward, desejávamos ter uma menina, mas ai veio o Edward e decidimos fechar a fábrica. Quando os dois fizeram 15 anos, perdemos as esperanças de realizar tudo isso com uma menina, ai, meses depois que o Edward fez 15, Bella aparece com você. –Ele disse.

  Sorri.

 -É, e aqui estamos nós. Mas eu não serei a única. Você e a Esme adotarão uma menina, daqui há alguns anos, viverão tudo isso de novo. –Disse.

  Ele sorriu.

  -É, tem razão. –Ele disse.

  O olhei.

  -Obrigada, pai. Por não me rejeitar, quando soube sobre mim. Eu vivi por 3 anos com a minha mãe, tia Rose e o tio Jazz, mas eu sabia, que o único homem com quem eu morava, não era o meu pai, e minha mãe nunca queria falar sobre você. –Disse.

  -Quando eu vi a sua mãe, quando ela apareceu na minha casa, como a namorada do Edward, foi um choque pra mim, minha ex amante com o meu filho, foi um choque, até por que seus irmãos não sabiam que eu havia tido uma amante e foi um choque pra todos. Quando Edward me disse sobre você e a sua idade, eu sabia que você podia ser minha filha, até por que eu fui o primeiro homem da sua mãe, e batia com o tempo que havíamos ficado juntos. –Ele disse. –Depois que ela foi embora, eu fui atrás dela, e ela acabou revelando que você era minha filha. No dia seguinte fizemos o exame de DNA e cheguei a oferecer dinheiro pra sua mãe, pra sumir com você, ela me deu um tapa, e não sabe o quanto eu me arrependo de ter feito isso, e até mesmo de ter estragado a relação dela com os pais.

  O olhei.

  -Pai, você conhecia aqueles dois. Algum dia, Renée iria surtar com o ou sem a Bella, e tentaria infernizar de algum jeito você e a Esme. –Disse.

  Ele assentiu.

  -É, talvez você tenha razão. Eu pensei melhor, Esme pensou melhor, vimos que o que havia acontecido entre sua mãe e eu, havia ficado no passado, e que agora, a única pessoa que ela amava, era o seu irmão, e ela estava sofrendo quando viu que ele não queria mais nada com ela. Então, Esme concordou em você entrar pra família, e foi o que aconteceu, e abrimos todas as brechas, pra sua mãe reconquistar o cabeça dura do seu irmão.

  Sorri.

  -E ela conseguiu. –Disse. –Você nunca foi contra a relação deles, não é?

  Ele sorriu.

  -É. Olha, longe da sua mãe, eu voltei a me apaixonar cada vez mais pela Esme, e apesar de ter errado com ela mais uma vez com a Elizabeth, eu percebi que ela era a única, resolvi de vez ficar com ela e somente com ela, é por isso que eu entrei naquela com a Renée, pra ela não machuca-la, por que ela ameaçou machuca-la. –Ele disse. –Quando a sua mãe e o Edward, aqueles dois não conseguem ficar um sem o outro, os dois se entregam ao amor que sentem, não tem medo de nada, eles nasceram pra serem almas gêmeas, e tanto eu, quanto você, bom, nós fomos o caminho para eles.

  Sorri.

  -E eu sou muito grata por ter vindo só pra fazê-los se unirem. Vocês se envolveram, você veio embora pra Londres, ela descobriu que estava grávida, e decidiu refazer a vida dela, coincidentemente em Londres, e os destinos começaram a serem traçados, eu nasci, e anos depois ela conheceu o Edward e nós nos aproximamos. –Disse.

  Ele sorriu.

  -É, foi um ano de mudança pra todo mundo, e a mudança foi pra melhor. Você é tudo pra mim, querida. E eu jamais, deixarei você de novo. –Ele disse.

  Sorri, emocionada.

  -Eu te amo, papai. –Disse.

  Ele sorriu.

  -Eu também te amo, querida. –Ele disse.

  Dançamos mais um pouco e depois a música terminou. Eu e meus pais nos abraçamos.

  -Com licença. –Nos afastamos e olhamos para o Emmett. –Edward pode também ser o seu padrasto, mas não merece ser o próximo, até por que eu sou o mais velho, então vamos fazer tudo pela ordem.

  Sorri.

  -Tudo bem, irmão. –Disse e olhei para o meu pai. –Obrigada, papai.

  Ele sorriu.

  -Eu é que agradeço. –Ele disse e me deu um beijo na testa. –Emmett, não ouse pisar no pé da sua irmã.

  Emmett sorriu, mostrando suas covinhas.

  -Pode deixar.

  Meu pai me entregou ao Emmett e saiu da pista de dança, então eu comecei a dançar com o Emmett. Eu ainda tinha muitos para dançar. Emmett, Edward, Jasper, Anthony, essa festa seria longa, o que era maravilhoso, pois ainda tínhamos muito pra curtir.

  Isabella Marie Swan Cullen

 

  Algum tempo depois…

  Edward fechou o zíper do meu vestido.

  Nós havíamos fugido um pouco da festa, subido para um dos quartos do hotel e havíamos feito sexo.

  -Você está tão gostosa com esse vestido. –Ele disse.

  Sorri.

  -Há mais 14 mulheres com o vestido iguais aos meus, Edward.

  -Sim, você, Alice, que é minha melhor amiga, Rose, que é minha cunhada, Marie, que é minha filha, Mellanie, que é minha afilhada, Felicity que é minha nora, e o resto eu nem faço ideia de quem seja.

  -Tem a Leah, irmã do Seth. –Disse, arrumando meu cabelo.

  -Sim, e ela não curte homens e mesmo se curtisse, eu só tenho olhos pra uma modelo. –Ele disse.

  -Há outras modelos. O resto das debutantes, são amigas de escola da Kris e amigas delas da agencia, essas são as modelos.

  -E acha que eu vou trocar a modelo mais linda do mundo, por outras modelos?

  Sorri.

  -Não, por que eu sei que você é louco por mim.

  -Ah, com certeza. Você com certeza me deixa louco. –Ele disse, me agarrando por trás.

  -Não, Edward. Se começarmos tudo de novo, perderemos a festa inteira, agora vamos logo voltar pra lá. –Disse.

  Ele sorriu.

  -Tudo bem, fazer o que. –Ele disse e foi calçar os sapatos.

  Retoquei minha maquiagem e fiquei pronta para voltar.

  -Pronto.

  Ele assentiu.

  -Sim, vamos.

  Saímos do quarto e descemos para o salão. A festa estava rolando solta, todo mundo estava dançando.

  -Estou morrendo de fome, vamos comer? –Edward perguntou.

  Assenti.

  -Vamos sim.

  Fizemos um prato e fomos nos sentar em nossa mesa.

  As únicas pessoas que estavam na mesa, era Esme, que estava com o Rob no colo, Carlisle e Rosalie.

  -Oi, essa família está espalhada pela festa? –Edward perguntou, ao nos sentarmos.

  -Sim, estão todos na pista de dança. –Esme respondeu.

  -E o meu irmão te deixou aqui sozinha, Rosie? –Edward perguntou.

  Rose sorriu.

  -Bom, nossos filhos queriam que ele dançasse com eles, então ele foi. –Rose disse.

  -E vocês? Onde estavam? –Carlisle perguntou.

  -Bom, já que vamos passar a noite aqui no hotel, devido a festa, nós fomos conhecer melhor o hotel. É maravilhoso aqui. –Edward disse.

  -É, tem que ser mesmo, pelo valor que é tudo isso. –Carlisle disse.

  -Ai, Carlisle. Você ainda saiu no lucro, eu consegui um bom desconto por causa da minha profissão, eu só tenho que recomendar o hotel.

  -É, sem esse desconto, seria uma fortuna, eles cobraram metade do preço. –Edward disse.

  Carlisle sorriu.

  -Obrigado pelo desconto, mas fez mais que a sua obrigação, é a sua filha também. –Carlisle disse.

  -Ah, mas que abuso. –Disse.

  Ele começou a rir.

  Edward e eu começamos a comer.

  -Olha lá, Anthony está bem animado. –Rose disse.

  Olhamos em direção onde Rose olhavam e vimos Anthony, prensando Felicity na parede e a beijando.

  -Nossa, como se parece com o pai. –Disse.

  -Hei! –Edward chamou minha atenção.

  O olhei.

  -Que foi? Por acaso eu menti?

  Ele sorriu e me roubou um selinho.

  -Tá vendo?

  Ele riu.

  -Olha, na época dele, eu nem pensava em garotas, a única coisa que eu fazia, era estudar e pratica minhas aulas de piano. –Ele disse.

  -E o Emmett?

  -Por incrível que pareça, ele também não pensava, muito pelo contrário, ele só ficava com a cara enfiada no videogame dele. –Edward respondeu.

  -Bem, na minha época, não tinha nada disso. Com 10 anos, eu me focava nos estudos, e as brincadeiras de lazer, eram bem diferentes, carrinhos, futebol, peão, eu também jogava muito xadrez. –Carlisle disse.

  -É, bem coisa do século passado. –Edward disse e Carlisle lhe acertou um guardanapo.

  Edward riu.

  -Bom, já eu. Estava aprendendo a cozinhar com a minha avó. –Esme disse.

  -Tá vendo? E você, querida esposa? O que fazia aos 10 anos de idade?

  -Estava sendo obrigada a fazer balé, pela minha mãe. –Respondi.

  -E é por isso que hoje você tem uma filha bailarina, e que ama o balé. –Edward disse.

  Assenti.

  -É, talvez. –Disse.

  -E você, Rosie? –Edward perguntou.

  Comecei a rir.

  -Tudo bem, Bella. Não precisa me entregar. –Rosalie disse. –Tudo bem, eu fazia coisas piores que esse beijo que o filho de vocês estão dando. Sempre fui bem festeira.

  -Até demais. –Disse.

  -Como é que a Bella acabou engravidando na adolescência e não você? –Edward perguntou.

  -Quando a Bella perdeu a virgindade, eu já tinha anos de experiência.

  -E bota anos nisso. –Disse.

  -Eu sabia me cuidar. E isso não significa que eu nunca tive suspeitas, na adolescência, eu tive várias, e até me casar com o Emmett, também tive minhas suspeitas com ele, a primeira, foi depois da primeira vez que a gente ficou.

  -Nossa. –Disse. –Isso é verdade. Em Forks, ela era paga para comprar testes de gravidez na farmácia.

  -Morávamos em uma cidade pequena, qualquer coisa que fazíamos, a cidade inteira comentavam.

  -Isso era verdade. –Carlisle concordou.

  -Era a única coisa ruim que tinha na cidade, quando eu engravidei, fiquei bem mal falada. –Esme disse.

  -É por isso que eu saí de lá, assim que soube que eu estava grávida. –Disse.

  -Os meus pais sempre foram bem liberais comigo, eles sabiam exatamente quando eu tinha perdido a virgindade, confiavam em mim e não ligavam quando iam fofocar que eu havia ido a farmácia comprar um teste de farmácia, e chegou ao ponto que ninguém ligava em me ver comprando um teste, é por isso que me pagavam pra ir buscar o teste. E eu comprei o seu também.

  -E eu agradeço. Imagine contarem para os meus pais, se eu tivesse ido? Eles já quase me mataram quando souberam por mim. –Disse.

  Rose sorriu.

  -Obrigada, eu sei que sou uma ótima amiga. –Ela disse.

  Revirei os olhos.

  -É, como as coisas mudaram. –Edward disse, olhando para o nosso filho.

  Alice se aproximou do casal, disse alguma coisa e depois os dois se afastaram.

  -Pelo visto a madrinha foi chamar a atenção. Por que não os pais? –Rosalie perguntou.

  -Por que Alice não é uma Cullen e tem juízo. –Disse.

  -Hei! –Carlisle chamou minha atenção.

  -O que? É verdade. –Disse.

  Esme riu.

  -Você também é uma Cullen, Esme. –Carlisle disse.

  -As mulheres dessa família são mais inteligentes. –Ela disse.

  -É isso ai. –Disse.

  -Eu também concordo. –Rose disse.

  Edward e Carlisle balançaram a cabeça.

  -Oi, família. Venham todos, vamos tirar as fotos. –Kristen disse.

  -Vamos.

  Levantamo-nos e fomos pra sessão de fotos.

  Juntaram-se a nossa enorme família para as fotos, Carlisle e eu tiramos fotos com a Kris, assim como toda a família, e depois das fotos, voltamos para os nossos lugares.

  —Família, amigos, todos os convidados da Kristen. —O mestre de cerimonia disse. —Sentem-se nos seus lugares, por favor. A retrospectiva vai começar.

  Todos os convidados se sentaram, nossa família veio se sentar em nossa enorme mesa, Kristen na ponta da mesa e nos preparamos para assistir a retrospectiva dela.

  A trilha sonora começou, e veio a primeira foto no telão. Já no apartamento da Rosalie, aqui em Londres, meus primeiros meses de gestação, Rose beijando minha barriga, e assim continuaram as fotos, até meu último mês de gestação. Em seguida, vieram as fotos do hospital, quando Kris nasceu, no apartamento, e vieram as fotos com o Jasper, e foi assim, até os 3 anos dela. Depois vieram as fotos com a família Cullen, o seu aniversário de 4 anos, mesmo tema da festa de hoje, e continuaram passando as fotos, até os seus 14 anos. Por último, nossas fotos tiradas nesse ano, fotos da Kristen com o Seth, fotos dos nossos almoços de domingo, fotos da nossa família.

  Foi impossível não chorar, sim, toda a família chorou, eu chorei, Kris chorou. Todo mundo.

  O tempo passou tão rápido. Há 15 anos atrás, eu estava desesperada em ter um bebê na adolescência, agora aqui estávamos, 15 anos depois. Como eu iria imaginar, uma família tão grande dessas?

  No final da retrospectiva, apareceu a mensagem: “Feliz aniversário, Kiki. De toda sua família e seu namorado Seth. Nós amamos você.”

  Kris chorou ainda mais.

  —Muito bem, um salve de palmas pra aniversariante.—O mestre de cerimônia disse.

  Todos aplaudimos.

  —DISCURSO! DISCURSO! DISCURSO!—Todos começaram a gritar.

  Kris se levantou e subiu na pista de dança. O mestre de cerimônia entregou o microfone pra ela e saiu da pista. Kris respirou fundo e começou a falar:

  —Eu quero agradecer à todos por estarem aqui nesse momento comigo, meus amigos, familiares, namorado e sua família, à todos, muito obrigada. Bom, ainda teremos algumas coisas, como a minha dança com meus 15 casais, o corte do bolo, mas agora, nesse momento, eu queria dizer algumas palavras. Vou falar sobre as pessoas que me fizeram estar aqui. A primeira delas, que me fez mais do que tudo estar aqui. —Ela olhou diretamente pra mim. —Mamãe.

  Sorri.

  —Você é muito especial pra mim, mãe. Você foi tudo, guerreira, batalhadora. Há 15 anos atrás, você era uma garota adolescente perdida, que estava grávida, e arriscou tudo pra cuidar de mim, você teve ajuda, a ajuda dos meus padrinhos, mas eu tenho certeza que se também estivesse sozinha, iria conseguir, por que você é durona. –Sorri, emocionada. –Obrigada, obrigada por batalhar e nunca deixar nada me acontecer, obrigada por não ter se desfeito de mim, eu sou a princesa da noite, e você é minha rainha. Eu te amo, mãe.

  Não contive as minhas lágrimas.

  Levantei-me e subi na pista de dança, eu a abracei.

  Ela me entregou o microfone. Respirei fundo e comecei a falar:

  —My Little, decidir ter e cuidar de você, foi a melhor coisa que eu fiz. Eu não me arrependo de nada, faria tudo de novo. Você é maravilhosa e eu amo você, e hoje, você está fazendo 15 anos e também vai amadurecer, eu espero que não do jeito que eu amadureci, mas você vai. Eu te amo, querida. Muito.—Disse.

  Ela sorriu, chorando e me abraçou.

  Todos nos aplaudiram.

  Kris me soltou e pegou o microfone da minha mão.

  -Obrigada. –Ela agradeceu.

  -De nada. –Disse, dei-lhe um beijo na testa e saí da pista de dança, voltei pra mesa.

  -Tudo bem, continuando.—Ela sorriu. —Madrinha linda e gravidinha.

  Rose sorriu.

  —Eu acho que não existe amiga melhor do que você foi. Não é sempre que alguém deixa tudo pra acompanhar a amiga grávida. Você foi uma amiga maravilhosa pra minha mãe. Obrigada por tudo. Por sempre ter sido uma ótima madrinha pra mim e por sempre ter cuidado de mim, eu te amo, madrinha.—Kristen disse.

  Rosalie começou a chorar.

  -Vai lá, madrinha. –Emmett disse.

  Rose se levantou com dificuldade e subiu na pista de dança, ela abraçou a Kris e pegou o microfone.

  —Olha, confesso que não foi fácil. De um dia, Bella e eu éramos duas adolescentes festeiras e no outro, estávamos mudando de país, e prestes a aprender a ser adolescentes cuidando de um bebê, e apesar termos passado muitas dificuldades, foi muito divertido. Você foi a minha primeira experiência com bebês e me ajudou quando eu tive os meus, eu te amo, afilhada.—Rose disse e a abraçou.

  Depois do abraço, Rose devolveu o microfone pra Kristen e voltou para o seu lugar.

  —Padrinho.

  Jasper sorriu.

  —Você foi um pai maravilhoso pra mim por 3 anos e os meus primos tem muita sorte em te ter como pai. Obrigada, por não deixar três garotas sozinhas e ter sido o homem da casa. Você também foi incrível pra mim, e ainda é. O melhor padrinho do mundo. Eu te amo.—Kristen disse.

  Jasper se emocionou, se levantou e foi até a pista de dança, ele a abraçou e pegou o microfone da sua mão.

  —Kris, você foi a Swan mais bonita que existiu e menos chata que a sua mãe.—Começamos a rir. —Mas, você foi um anjo nas nossas vidas e nos fez muito feliz naquele pequeno apartamento. Eu te amo, querida.

  Kristen o abraçou. Depois Jasper voltou para o seu lugar e Kris continuou com os discursos.

  Kris olhou pra nossa mesa.

  —Papai.

  Carlisle sorriu.

  —Os meus 3 primeiros anos não foram ao seu lado, mas quero que saiba que a mamãe, tia Rosie e tio Jazz, me fizeram muito felizes. E quando eu te conheci, você também me fez muito feliz, me deu uma madrasta maravilhosa, irmãos maravilhosos e logo vai me dar mais uma irmã maravilhosa, por que agora o que eu mais tenho, é irmãos.

  -Isso ai, é com vocês. –Emmett disse.

  Edward e eu começamos a rir.

  —Todos, todos que conhecem a nossa história, sabem que você cometeu alguns erros, eu sei que cometeu alguns erros. Sei que um dia minha mãe sofreu muito por você, e você se arrepende de tudo do jeito que aconteceu, mas sabe o que eu sei? Que se você soubesse sobre mim, você ajudaria a me criar, e não estou dizendo que foi culpa da minha mãe, pois ela só não te contou, por que não sabia onde estava, e por ironia do destino, estávamos todos na mesma cidade, aqui, em Londres, e ainda foi preciso 3 anos para nos encontrarmos. E ali, foi quando a minha vida mudou completamente, foi quando eu me tornei uma Cullen. Foram 3 anos sem você, mas os outros 12 anos, recompensaram e muito esse temos que ficamos longe.—Kristen disse. —Eu te amo, papai.

  Carlisle chorou, emocionado. Ele se levantou e foi abraçar a nossa filha, pegou o microfone e falou:

  —Ter você, em meio a dois garotos completamente rebeldes, foi muito bom, você perto deles é um anjo. –Emmett e Edward bateram palmas. –Quando eu soube da sua existência, quando eu soube que você era minha filha, de começo agi errado com a sua mãe, e depois eu percebi que eu tinha que te ter na minha vida, você não merecia nada disso, eu então eu te assumi como minha filha, e foi a melhor coisa que eu fiz. Obrigado por ser minha filhinha, e agradeço sua mãe, por ter me dado você. Eu te amo, filha.

  Kris o abraçou.

  Com esse depoimento dos dois, eu me emocionei mais ainda.

  Carlisle lhe deu um beijo na bochecha e voltou para o seu lugar. Kristen respirou fundo.

  —Ainda não acabou, ainda tem mais gente.—Ela disse. —Ed.

 Edward sorriu.

  —Meu irmão do meio por parte do meu pai. –Kristen disse. –Quando eu conheci você e o Emmett, nós três não fazíamos ideia que éramos irmãos, eu conheci vocês como namorados da minha mãe e da tia Rose, e de cara, nós já tínhamos nos dado bem, e quando descobrimos que éramos irmãos, nos demos ainda melhor. –Disse. –Edward, você e a minha mãe também já passaram por muita coisa. Eu sei que não foi fácil pra você, saber que seu próprio pai teve um caso e teve uma filha com a garota por quem você estava apaixonado, e demorou um pouco pra você aceitar isso, mas você nunca me tratou mal por isso. Quando a minha mãe foi pra Paris, para ser modelo, você estava mal, mas ainda assim, fazia com que eu não sentisse falta dela, pois é, eu me lembro disso. E você tem algo especial, você tem um dom, o dom de cuidar das pessoas, como se elas fossem frágeis, você cuida de todos, de mim, dos meus irmãos, da minha mãe, e eu amo isso em você, e sei que herdou isso da Esme, que também cuida das pessoas.—Esme sorriu. —Obrigada, obrigada, por apesar de ser 3 anos mais novo que a minha mãe, ainda ter cabeça pra cuidar dela, obrigada por ter me dado 3 irmãos maravilhosos, obrigada, por ser esse irmão-padrasto, que está sempre ali, 24 horas por dia. Eu te amo. Eu te amo, Edzinho.

  Edward se emocionou.

  —Ah, Kiki.—Ele disse, se levantando.

  Ele foi pra pista de dança e abraçou a Kris, ele pegou o microfone para falar.

  —Sabe, quando eu te conheci, apenas sendo a filha da minha namorada, me fez te amar, e quando eu soube que era minha irmã, só fez com que eu te amasse mais, e lá no fundo, eu sempre vou ver você como aquela garotinha de 3 anos. Eu amo que seja minha irmã, amo ser seu irmão, amo ser seu padrasto, e saiba, que quando o papai não estiver mais entre nós, eu prometo, que substituirei muito bem ele, por que ele me ensinou a ser pai, e eu jamais deixaria minha irmãzinha na mão, eu sempre vou estar pra você, minha princesa.—Ele disse, chorando.

  Kris soluçou e o abraçou, os dois ficaram abraçados por um bom tempo.

  Edward soltou a Kris e voltou para o seu lugar, ao meu lado. Dei-lhe um beijo na bochecha.

  -Meu grandão. —Ela disse. —Emm.

  Emmett sorriu, mostrando suas covinhas.

  —O mais velho, aquele que coloca juízo na cabeça dos mais novos. –Todos rimos, inclusive o Emmett. –Falando sério. Emmett, você muitas vezes age como crianças, é aqueles adultos que se diverte com coisas de crianças, videogame, desenhos, sorvete. E desce pequena, eu adoro isso em você, por que você sempre me fez rir. E quando eu precisei de um irmão mais velho, pra me defender, você sempre esteve lá. E apesar de você ter esse jeito palhaço, você é uma inspiração pra mim e para o Edward, por que é isso que os irmãos mais velhos são, nós admiramos muito você, e eu te amo muito, te amo mais ainda, por fazer feliz a mulher que ajudou a minha mãe. Nós nunca contamos isso a ninguém, mas no dia do seu casamento, eu me arrumei, fui até o seu quarto e pedi pra você fazê-la feliz e não decepcioná-la, e você me prometeu isso e vem cumprindo até hoje, então, obrigada por fazê-la feliz, e obrigada por cumprir essa promessa, obrigada por ser um ótimo irmão mais velho.

   Emmett chorou e foi até ela abraça-la.

  -Ownt, meu ursão está chorando. –Rose disse.

  Emmett pegou o microfone.

  -Olha, confesso que você, entre Edward e eu seria muito estragada, mas até que você se salvou, pelo menos um pouquinho, mas você se salvou.—Ele disse. —Foi uma grande surpresa, eu, aos 18 anos saber que eu tinha uma irmã de 3 anos, e que eu tinha conhecido como a afilhada da minha namorada, no começo foi chocando, mas depois, depois foi só alegria, eu amo que seja minha caçulinha, amo cuidar de você, e saiba que sempre terá Edward e eu no seu pé, eu te amo, e sempre vou amar, gatinha.—Ele disse e a abraçou.

  Emmett lhe deu um beijo na bochecha, se recuperou e voltou para o seu lugar.

  —Esme.—Kristen disse.

  Esme sorriu.

  —Por causa dos contos de fadas, todos acham que madrasta, significa uma pessoa má, uma bruxa, mas você não é nada disso. Você é a melhor pessoa do mundo, é aquela que sempre vai oferecer o ombro amigo, e quando minha mãe está longe, é em você que eu procuro o colo de mãe, então, obrigada, obrigada por ter me aceitado e não ter me rejeitado, obrigada por não ser má comigo e por me amar, você é um anjo e eu sempre vou amar você. Eu te amo, Meme.—Kristen disse, a chamando pelo velho apelido de infância.

  Esme se emocionou e se levantou, foi até ela, lhe deu um abraçou e um beijo na testa e pegou o microfone.

  —Kris, como eu poderia ser má com uma pessoa maravilhosa como você? Você foi uma grande surpresa pra família, mas eu te amei, e sempre vou amar, tanto você, quanto a sua mãe, vocês são especiais e sempre seremos uma família, eu te amo querida, e continue sendo essa pessoa maravilhosa.—Esme disse e a abraçou.

  Esme saiu do palco e voltou a se sentar no seu lugar.

  —Tia Alice.

  Alice sorriu.

  —Você é muito mais do que uma maquiadora, do que uma empregada. Te conheci como namorada do meu padrinho, você foi minha babá também pra minha mãe e minha madrinha poderem ir namorar os meus irmãos, e quando você engravidou, achei que estaria pegando meu lugar de princesinha da família, pra dar a sua filha, mas muito pelo contrário, você me deu a minha melhor amiga.

  Nessa hora, eu tive que olhar pra cara da Victória, que estava sentada em uma mesa com a Leah, seu rosto ficou vermelho, combinando com o seu cabelo. Voltei a prestar atenção no discurso da Kris.

  —Obrigada por também entrar pra família e ser essa pessoa tão especial na minha vida, eu te amo, tia. Você é maravilhosa.—Kristen disse.

  Alice chorou como uma manteiga derretida e foi abraçar a Kristen, ela pegou o microfone para falar.

  —Kris, cuidar de você foi muito bom, me ajudou com a Mellanie, e você sempre teve uma carinha de anjo, que é impossível não gostar, eu te amo muito, e fazer parte da sua vida, da sua história, é maravilhoso, por que você é uma pessoa maravilhosa, e sempre fará parte da minha vida.—Alice disse e Kristen a abraçou.

  Alice voltou para o seu lugar e Kristen continuou.

  —Marie, Anthony e Robert.—Kristen disse. –Meus irmãos mais novos. O que eu seria sem vocês para fazerem bagunça?—Começamos a rir. —Eu amei ter ganhado vocês. Duas coisinhas que chegaram de uma vez só, para alegrar a vida de um casal recém casados, agora olha só vocês, vocês estão até namorando. Thony, você é a cara do seu pai, gosta de proteger e se preocupa com as pessoas, além de ser um ótimo jogador e jogar bem melhor do que o Edward.—Começamos a rir. —Você é um amor, maninho. Eu te amo.—Kristen disse. —Marie, você é a versão feminina do seu pai, só que mais bonita. Você é perfeita, maravilhosa e vai longe no balé, só saiba que sentimos muito a sua falta, e eu te amo muito, saiba que pode contar comigo pra tudo, eu te amo.—Kristen disse. —Rob, você ainda é um bebê, um bebê sapeca que eu amo muito, mas saiba que estou aqui pra cuidar de você também, eu te amo, caçulinha.

   Marie e Anthony se levantando e Marie pegou o Rob no colo, eles subiram na pista de dança e abraçaram a Kristen, depois falaram no microfone.

  —Nós te amamos, Kiki. E eu sempre vou cuidar dos meus irmãos, mesmo uma delas sendo mais velha que eu.—Thony disse.

  —E assim como você e o papai admiram o tio Emm, nós admiramos você.—Marie disse.

  —Nós te amamos. —Thony e Marie disseram juntos e a abraçaram, Rob lhe deu um beijo na bochecha.

  Eles voltaram pra mesa e Marie devolveu o Rob pra Esme.

  —Primos: Mellanie, Christopher, Enzo, Vinícius, Annie e bebê. Obrigada por serem meus primos, obrigada por virem e aumentarem a família, obrigada por serem maravilhosos comigo, eu amo todos vocês.

  Eles subiram na pista de dança e abraçaram a Kristen.

  —Nós te amamos, Kiki.—Eles disseram, no microfone.

  Kris sorriu e os abraçou de novo, depois eles voltaram pra mesa.

  Kris tirou o olhar da gente e olhou para a mesa da família do Seth.

  —E por último, Seth, meu amor.—Ela disse e ele sorriu. —Obrigada por ser um namorado incrível, por aturar minha família e por me amar, eu te amo.

  Seth se levantou, subiu na pista de dança e a beijou, ele pegou o microfone.

  —Kris, estar aqui com você nesse dia, é maravilhoso. Eu te amo mais do que tudo nesse mundo, e espero estar presente na sua vida, em todos os momentos especiais da sua vida. Eu te amo.—Ele disse e a beijou.

  Depois do beijo, ele desceu do palco.

  —Bom, é isso gente, obrigada, e continuem curtindo a festa.—Ela disse e saiu da pista de dança.

   A música começou a tocar.

  As crianças, Jasper e Alice, foram dançar.

  Rob começou a chorar.

  -Mama. –Ele disse, chorando.

  -Ihh, é o choro de fome. –Disse, me levantando e me aproximando da Esme. –Vem cá, filho. –O peguei no colo.

  -Sobe com ele, vá para o quarto da Alice e do Jasper, Alice contratou uma babá do hotel, para ficar com o Enzo. –Esme disse.

  Assenti.

  -Ok.

  -Eu vou com você, Bella. Preciso colocar meus pés pra cima. –Rose disse.

  -Ok. –Olhei para o Edward. –Eu já volto.

  Ele assentiu.

  -Tá bom.

  -Eu já vou ver como você tá. –Emmett disse, pra Rosalie.

  -Tá. –Rose disse, se levantando com dificuldade.

  Saímos do salão e fomos até a recepção, onde estava o gerente.

  -Oi, é Rick, certo?

  Ele assentiu.

  -Isso mesmo.

  -Pode me informar onde é o quarto de Alice e Jasper Hale? –Pedi.

  -Claro. É no 32º andar, tem uma placa na porta com o nome de convidado. –Ele respondeu.

  Assenti.

  -Ok, obrigado.

  Fomos em direção ao elevador, entramos e subimos até o andar, saímos do elevador e logo encontramos o quarto, com a plaquinha na porta, escrito: “Hale.”

  -É aqui. –Disse.

  Entramos no quarto e encontramos a babá, com o Enzo, que estava no berço.

  -Oi. –Dissemos.

  -Oi, Sras. Cullen. –Ela disse.

  -Eu vou amamentar o meu filho aqui, tudo bem? –Perguntei.

  Ela assentiu.

  -Tudo. Enzo acabou de dormir, então eu vou sair para dar mais privacidade pra vocês, qualquer coisa, é só me chamar. –Ela disse.

  -Obrigada. –Agradecemos e ela saiu do quarto.

  Sentei-me na poltrona e comecei a amamentar o Rob. Rosalie sentou-se na cama, com os pés pra cima, que estavam bem inchados.

  -E então? O que queria conversar sobreo Jazz? –Ela perguntou.

  Respirei fundo e contei a ela, sobre as minhas desconfianças, em relação ao meu primo.

  -Eu não acredito nisso, depois de tantos anos. –Rose disse,

  -Pois é, mas olha só o que está acontecendo com a mãe dele, ele está sem rumo. –Disse.

  -Sim, e da primeira vez, foi a crise que estávamos passando, pra nos sustentar e ele caiu nessa, por que estávamos sem opções que você estava considerando voltar pra Forks pra saber pistas de onde o Carlisle estava e ir atrás dele, pra ele pagar uma pensão pra Kris. E ele não queria isso, por que vocês namoravam, então ele se afundou.

  -É, e eu tenho medo dele estar seguindo por esse mesmo caminho de novo, você se lembra do que aconteceu. –Disse.

  -Como eu poderia esquecer? –Ela me olhou. –Tentou confrontá-lo?

  -Sim, mas ele disse que estava bem. O pior é que Alice não sabe de nada. –Disse.

  -Se ele estiver mesmo recaindo, ela vai saber. –Rose disse.

  Respirei fundo. 

  -Eu espero mesmo que ele esteja bem, senão será um grande problema. –Disse.

  Ela assentiu.

  -É.

  A porta do quarto se abriu e Alice entrou.

  -Oi, vim dar uma olhada no Enzo. –Ela disse.

  -Ele tá dormindo. –Rose disse.

  Alice foi até o berço e viu que o filho estava dormindo, ela lhe deu um beijo na testa e nos olhou.

  -Nós temos que nos preparar pra dança dos debutantes. –Ela disse.

  -Tá, eu só vou terminar de dar mamar para o Rob e já desço. –Disse.

  -E você, Rosie? Está bem pra dançar? –Ela perguntou.

  Rosie assentiu.

  -Estou, não se preocupe. Eu consigo. –Ela disse.

  -Tudo bem, então eu vou descer para organizar todos os casais, nos vemos lá embaixo. –Ela disse.

  -Tchau. –Dissemos.

  Alice saiu do quarto.

  Eu terminei de amamentar o Rob e ele acabou dormindo, o coloquei na cama e coloquei travesseiros envolta dele.

  -Pronto, vamos. –Disse e dei um beijo na testa do Rob.

  -Vamos. –Rose disse, se levantando.

  Saímos do quarto e encontramos a babá no corredor.

  -Oi, eu deixei o meu filho dormindo na cama, tudo bem você cuidar dele também? Eu te pago. –Disse.

  Ela assentiu.

  -Claro, não se preocupe, podem voltar pra festa. –Ela disse.

  -Obrigada. –Agradeci.

  -De nada, agora eu tenho que trabalhar, com licença. –Ela disse e entrou no quarto.

  -Vamos lá. –Rose disse.

  Fomos para o elevador e voltamos pra festa, nós ainda tínhamos que dançar e a festa não estava nem na metade ainda.



Notas finais do capítulo

Limusine: http://www.emperorlimousine.com/wp-content/gallery/town-car-exterior/lincoln_town_car_stretch_chicago_limo_12.jpg

Seth: http://www.comercialmoyano.com/6678/2025.jpg

Sapatos: http://cdn.shopify.com/s/files/1/1116/9318/products/Sapato_Louboutin_Cristais5_1024x1024.png?v=1453602651

Anel: http://4.bp.blogspot.com/-WLu5xOb72HU/UIUqIG7OFnI/AAAAAAAAE1o/bTmjB0sqz1k/s1600/anel3.jpg

Tiara: https://modaebeleza.org/wp-content/uploads/2015/03/tiara-de-princesa-1.jpg



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Confronto 2ªtemporada" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.