Confronto 2ªtemporada escrita por Gabszinha FerCosta


Capítulo 146
Capítulo 145-Jantar de comemoração


Notas iniciais do capítulo

Oi gente!!
Eu não abandonei vocês, como vocês sabem, meu computador queimou. Eu não voltei definitivamente e nem recuperei meu computador. Eu estou usando o computador do meu pai, então não será sempre que eu vou estar postando, mas assim que der, eu posto.
Beijos, até o próximo capítulo.



  Isabella Marie Swan Cullen

 

  Eu estava me arrumando para o nosso jantar em família.

  Eu havia tido uma maravilhosa tarde com o Edward, e era maravilhoso estar em casa de novo, eu não quero mais sair daqui.

  -Vida, está pronta? –Edward perguntou.

  -Quase. –Respondi. –E as crianças?

  -Estão terminando de se arrumar. –Ele respondeu. –Como estou?

  Sorri.

  -Lindo, como sempre. –Disse.

   Ele sorriu e me deu um beijo no pescoço.

  -Eu vou descer, para esperar a nossa família. –Ele disse.

  Assenti.

  -Ok, eu já estou descendo. –Disse.

  -Tá.

  Edward saiu do closet e eu continuei me arrumando.

  Alguns minutos depois, eu fiquei pronta e saí do quarto. Fui até o quarto das crianças.

  -Marie. –A chamei, entrando no quarto.

  -Oi, mamãe. –Ela me olhou e sorriu. –Você está linda.

    Sorri.

  -Obrigada, querida. Você também está. –Disse. –Já está pronta?

  -Quase, eu só vou colocar meus brincos. –Ela disse, me mostrando os brincos.

  Sorri.

  -São lindos, é novo? –Perguntei.

  Ela assentiu.

  -Sim, ele me deu esse par de brincos ontem, ele deu brincos iguais pra Kris, e um relógio para o Thony. –Ela disse.

  Assenti.

  -E vocês agradeceram? –Perguntei.

  -Claro mamãe, você me deu educação. –Ela disse.

  Comecei a rir.

  -Está bem, não demore, por que daqui à pouco, todo mundo chega. –Disse.

  Ela assentiu.

  -Ok, mãe. –Ela disse.

  Dei-lhe um beijo na testa e saí do seu quarto.

  Fui até o quarto do Anthony, entrei no quarto e Thony estava quase pronto, ele só estava penteando o cabelo.

  Sorri.

  -Oi, gato. –Disse.

  Ele me olhou pelo espelho e sorriu.

  -Oi, gata. –Ele disse.

  Comecei a rir.

  Fui até ele e lhe dei um beijo na cabeça.

  -Você está lindo. –Disse.

  -E você está maravilhosa. –Ele disse.

  -Obrigada. –Disse. –Já está pronto?

  -Quase. –Ele respondeu.

  Assenti.

  -Marie me disse que o seu avô deu presentes pra vocês, onde está o seu.

  Ele estendeu o braço, me mostrando o relógio Rolex.

  Sorri.

  -É lindo. –Disse. –Seu pai tinha um desse, quando nos conhecemos. Pra falar a verdade, ele tem até hoje.

  Ele sorriu.

  -Eu sei, o vovô disse que deu um pra ele e para o tio Emm, quando tinham a minha idade. –Ele disse.

  -Hum, não sabia que ele tinha tradição de família. –Disse. –Bom, tome conta desse relógio, por que é um relógio bem caro.

  Ele assentiu.

  -Pode deixar. –Ele disse.

  -Eu vou indo, não demore muito. –Disse.

  -Tá. –Ele disse.

  Dei-lhe um beijo na bochecha e saí do quarto.

  Fui até o quarto da Kris.

  -Kris. –A chamei.

  —Aqui, mãe.—Ela disse, do closet.

  Fui até o closet.

  -Oi little. –Disse.

  -Oi. –Ela e me olhou e sorriu. –Uau, você caprichou.

  Sorri.

  -Obrigada, você também. –Disse.

  Ela sorriu.

  -Somos ótimas modelos. –Ela disse.

  Comecei a rir.

  -Já está pronta? –Perguntei.

  -Quase, só vou terminar a minha maquiagem. –Ela respondeu.

  -Ok. Os brincos ficaram lindos. –Disse.

  Ela sorriu.

  -Gostou? O papai que me deu. –Ela disse.

  -Eu sei, Marie me disse. –Disse.

  -E você viu o relógio que ele deu para o Anthony? –Ela perguntou.

  Assenti.

  -Vi, ele deu o mesmo relógio para o Edward e o Emmett, quando tinham a idade dele. –Disse.

  -Ah, eu sabia que aquele relógio me era familiar. –Ela disse.

  -É, Edward tem aquele relógio até hoje. –Disse.

  Ela assentiu.

  -É, presente dos homens da família. –Ela disse.

  Sorri.

  -E os das mulheres, são os brincos. –Disse.

  Ela riu.

  -Bom, eu vou descer. Não demore. –Disse.

  -Tá bom. –Ela disse.

  Saí do closet e do quarto da Kristen.

  A campainha tocou, pelo visto os nossos convidados chegaram.

  Desci e fui pra sala de estar, Edward estava com o Seth, que estava junto com a Felicity e o Gabriel.

  -Olá, meninos. –Disse.

  -Oi, Bella. –Eles disseram.

  -Você está linda, amor. –Edward disse.

  Sorri.

  -Obrigada, amor. –Disse e olhei para os meus genros e nora. –E como vocês estão?

  -Bem. –Eles disseram.

  -E você , minha fã? –Perguntei.

  -Melhor agora, que você está bem. –Ela disse.

  Sorri.

  -Obrigada pelo carinho, Lilly. –Disse.

  Marie e Anthony desceram.

  -Oi. –Eles disseram.

  -Oi. –Felicity e Gabriel disseram.

  Anthony deu um beijo na bochecha da Felicity e Gabriel deu um beijo na bochecha da Marie.

  -Own, vocês são tão fofinhos. –Disse.

  -Mamãe! –Anthony chamou minha atenção, ficando vermelho.

  Edward, Seth e eu, começamos a rir.

  -Seth, espere um pouco que a Kris já está descendo. –Disse.

  Ele assentiu.

  -Ok.

  -Eu vou ver o já jantar. Ed, pode servir uns petiscos pra eles? –Pedi.

  Ele assentiu.

  -Claro, vamos lá. –Ele disse.

  Fomos pra cozinha, Edward pegou os petiscos.

  -Eu não posso demorar, vai que aquele garoto devora a minha garotinha. –Ele disse.

  O olhei.

  -Edward, a gente conhece o Gabriel, ele a respeita, ele não vai fazer nada com ela. E Seth está lá, para vigiar as crianças. –Disse.

  Ele me olhou.

  -E acha que eu confio no cara que dorme com a minha irmã? –Ele perguntou.

  -Acho, por que quando eu estava no hospital, você confiou nele, pra te ajudar aqui em casa. –Disse. –Estou mentindo?

  -É, não. –Ele disse.

  -Então para de reclamar, e vai servi-los. –Disse.

  Ele respirou fundo.

  -Tá. –Ele me roubou um selinho. –Eu te amo.

  Sorri.

  -Eu também te amo. –Disse.

  Ele voltou pra sala com os petiscos e eu cuidei das comidas, que já haviam esfriado.

  Coloquei para esquentar e voltei pra sala de estar.

  -Tudo certo por aqui? –Perguntei.

  -Sim. –Edward respondeu.

  Kristen desceu as escadas.

  -Olá, crianças. –Ela disse.

  -Oi. –Eles responderam.

  -Oi, amor. –Ela disse e deu um selinho no Seth.

  -Oi, linda. –Ele disse.

 A campainha tocou.

  -Eu atendo. –Disse e fui até a porta.

  Abri a porta, dando de cara com Carlisle e Esme, Esme estava com o Rob no colo.

  Sorri.

  -Olá. –Carlisle disse.

  -Oi, sejam bem vindos, entrem. –Disse.

  Eles entraram e eu fechei a porta.

  -Oi, meu amor. Como foi o dia com o vovô e a vovó? –Perguntei, pegando Rob no colo.

  -Foi ótimo, não é, meu amor? –Esme disse, beijando sua testa.

  Rob sorriu.

  -Olha o que eu trouxe, para comemorarmos? –Carlisle disse, mostrando a garrafa de champanhe.

  -Obrigada. Edward.

  Edward se levantou e se aproximou.

  -Oi pai, mãe. –Ele disse e deu um beijo na bochecha da Esme.

  -Oi, filho. –Carlisle disse.

  -Oi, querido. –Esme disse.

  Edward deu um beijo na testa do Rob.

  -Edward, coloque o champanhe no gelo. –Carlisle pediu.

  -Tá bom. –Edward disse, pegando a garrafa de champanhe e foi pra cozinha.

  -Olá, meninos. –Carlisle disse.

  -Oi. –Eles disseram e Kristen deu um beijo na bochecha de Carlisle.

  -Oi, crianças. –Esme disse .

  -Oi.

  Esme me olhou.

  -Bella, Rob deve estar com fome. –Ela disse.

  Assenti.

  -Ok, eu vou subir para amamenta-lo e já volto. –Disse.

  -Tá.

  Subi com o Rob e fui para o quarto dele, sentei-me na poltrona com ele e lhe amamentei.

  -Ah, meu amor, quanta saudade eu senti de ficar assim com você aqui em casa, é bem mais melhor eu te dar mamar aqui, na nossa casa. –Disse.

  Ele também parecia feliz, enquanto mamava e isso me deixava muito bem, por que eu também estava feliz em estar aqui, com todos os meus filhos e era bom estar viva e não perder nada disso.

  Terminei de amamenta-lo.

  -Pronto, querido. Agora vamos ficar com a nossa família. –Disse, saindo do quarto com ele.

  Descemos e fomos pra sala de estar, onde estavam todo mundo.

  -E ai? Como está o nosso caçula? –Edward perguntou.

  -Muito bem, pode segurá-lo? –Pedi. 

  -Claro. –Ele disse e pegou Rob no colo. –Eu liguei para o Jazz, ele disse que eles já estão chegando.

  Assenti.

  -Ok. –Disse.

  Fui até a cozinha e encontrei Esme, que estava mexendo nas minhas panelas.

  -Eu posso saber o que está fazendo na minha cozinha, Esme Cullen? –Perguntei.

  Ele se virou pra mim e sorriu.

  -Estou mantendo as comidas quentes, Isabella Cullen. –Ela respondeu.

  Sorri.

  -Pode deixar que eu faço isso, vá ficar com os outros. Você é visita, não tem que ficar aqui na cozinha. –Disse.

  Ela me olhou.

  -Ai, pelo amor de Deus, Bella. Vamos parar com isso, eu não vou ficar lá sentada esperando, eu não consigo ficar parada. –Ela disse.

  -Então vai conversar com os seus netos. –Disse.

  Ela me encarou e até parecia o Edward.

  -Está bem, se quer ficar aqui, então fique. –Disse.

  Ela sorriu.

  -Obrigada. –Ela disse.

  Comecei a rir.

  Nós duas começamos a manter a comida quente.

  Algum tempo depois, a campainha tocou.

  -Vamos receber os convidados. –Esme disse.

  Fomos pra sala de estar, Jasper e Alice, tinham chegado com as crianças.

  -Oi, sejam bem vindos. –Disse.

  -Oi, Bella, Esme.

  -Oi. –Dissemos.

  -Oi, tia Bella, vovó. –As crianças disseram.

  -Oi. –Dissemos.

  -Bella, minha mãe fez aquele pavê de chocolate que você adora, eles não puderam vir, por que a casa de repouso não autorizou. –Jasper disse.

  Sorri.

  -Tudo bem, Jazz. Eu sei que a sua mãe está se cuidando. Depois eu faço uma visita pra eles, mas adorei sua mãe ter feito sua receita de pavê, eu sempre amei esse pavê.

  -E eu não sei? Você vivia desejando quando estava grávida da Kristen, e minha mãe vinha pra cá toda hora fazer pra você, por que tinha que ser ela fazendo. –Ele disse.

  Sorri.

  -Eu tenho uma fraqueza por doces. –Disse.

  Ele riu.

  Olhei pra Alice.

  -E como está esse bebê lindo? –Perguntei, lhe dando um beijo na testa.

  -Muito bem e estava sentindo falta da titia. –Alice disse.

  Sorri.

  -Eu também estava morrendo de saudade dos meus sobrinhos, e é bom tê-los aqui hoje. –Disse.

  -Bom, fiquem a vontade, eu tenho que olhar o jantar. –Disse.

  -Ok.

  -O meu pavê. –Disse e peguei das mãos do Jasper.

  -É todo seu. –Ele disse.

  -Obrigada. Edward, ligue para o seu irmão, pra saber onde ele está. –Disse.

  -Kris, liga você. –Edward disse.

  -Por que eu? Minha mãe mandou você. –Ela disse.

  -Por que ele é o seu irmão também, esqueceu?

  Kris sorriu.

  -Com os irmãos que eu tenho, é impossível esquecer. –Ela disse.

  -É, e de todos, eu sou seu predileto. –Anthony disse.

  Kristen riu.

  -Olha só, eu só não discuto isso, por que você é o meu filho. –Edward disse.

  -É, mas se depender do Emmett, ele discute. Ele gosta da opção de ser o predileto. –Disse.

  -Disputando com o Emmett, eu que sou. –Edward disse.

  Essa família, era muito engraçada.

  -Vamos, Esme. –Disse.

  Fomos pra cozinha e eu coloquei o pavê na geladeira. Continuamos mantendo a comida quente, depois fomos pra sala de jantar, pra ver se estava tudo certo com a mesa.

  Uns 20 minutos depois, a campainha tocou.

  -Os últimos convidados chegaram. –Disse.

  -Até que enfim, vamos. –Esme disse.

  Fomos pra sala de estar.

  Rosalie e Emmett entraram com as crianças.

  -Oi, tia Bella. –As crianças disseram.

  -Oi, meninos. –Disse.

  -Desculpem o atraso, Rosie me fez parar para comprar uma torta de limão. –Emmett disse.

  Rose sorriu.

  -Eu vi a torta na vitrine e não resisti, tive muita vontade de comer. –Ela levantou a caixa da loja de confeitaria. –Vai ser nossa sobremesa.

  -Uma delas, por que a mãe do Jasper fez o famoso pavê de chocolate, mas não se preocupe, vamos satisfazer seus desejos de grávida. –Disse, pegando a caixa de torta.

  Ela sorriu.

  -E eu vou dormir feliz comendo essas duas maravilhosas sobremesas, e a sua comida. –Rose disse.

  Comecei a rir.

  -Eu vou colocar a mesa, e poderemos comer. –Disse.

  -Que bom, por que estou morrendo de fome. –Emmett disse.

  Voltei pra cozinha, Esme veio comigo, coloquei a torta dentro da geladeira e fomos servir o jantar na sala de jantar.

  Depois que já estava tudo pronto para jantarmos, fomos pra sala de estar.

  -Prontinho gente, o jantar está servido, vamos. –Disse.

  -Beleza, então vamos. –Emmett disse.

  Fomos pra sala de jantar, sentamo-nos à mesa e nos servimos, começamos a comer.

  Eu havia feito para o jantar, uma salada, carne assada com arroz e alguns legumes. Eu não podia fazer uma coisa tão pesada, pois eu tinha acabado de sair do hospital, depois de acordar de um coma e tinha que pegar leve.

  Enquanto nós comíamos, nós conversávamos sobre tudo.

  -Querida, está mesmo pronta pra ir e deixar todos nós? –Alice perguntou, para Marie.

  Ela sorriu.

  -Sim, madrinha. Mas eu sentirei muitas saudades de vocês. –Ela disse.

  -E nós também sentiremos muito a sua falta, filha. –Edward disse.

  -É, você vai fazer muita falta aqui. –Disse.

  -E na escola também. –Gabriel disse, a olhando e ela ficou vermelha.

  -Ela puxou isso de você. –Edward sussurrou no meu ouvido.

  Dei uma tapa na sua coxa e ele riu.

  -E como está os preparativos pra tão esperada festa de 15 anos? –Carlisle perguntou.

  Kristen sorriu.

  -Está quase pronto. –Ela respondeu.

  -Será uma festa e tanto. –Edward disse.

  -E eu estou tão ansiosa. –Kris disse.

  -Faltam 1 mês. Passa rápido. –Disse.

  -Tomara. –Kristen disse.

  -Olha só, eu só acho que não poderei dançar de salto, sabe, meu estado não permite. –Rose disse.

  -Tudo bem, tia Rose. Eu sei que não pode dançar de salto, por causa da gravidez, você pode usar uma sapatilha, ninguém vai reparar, por que o seu vestido é longo.

  -Essa é a pior fase da gravidez, não poder usar meus preciosos saltos. –Rose disse.

  -Ai, Rose. Não reclame. Você não é baixa, ninguém vai reparar que está sem salto. –Disse.

  -Bella tem razão. –Emmett sorriu. –Reparariam se fosse a Alice.

  Alice o encarou.

  -Muito engraçado, Emmett. –Ela disse.

  Emmett riu.

  -Estou levantando a alto estima da minha mulher. –Ele disse.

  -Fazendo bullying comigo? –Ela perguntou.

  -Não se preocupe, Allie. Eu gosto do seu tamanho. –Jasper disse e lhe deu um selinho.

  -Ah, Allie, você sabe que eu te adoro. –Emmett disse.

  Alice riu e tacou o guardanapo nele.

  -Hei! Olha o exemplo para as crianças. –Disse.

  Eles riram.

  -Bella, quando pretende voltar a trabalhar? –Esme perguntou.

  -Vou ficar mais alguns dias trabalhando, depois eu volto pra rotina, quero passar um tempo com os meus filhos, ajudar a Kris com os preparativos para a festa dela.

  -Mãe, você já fazia isso trabalhando. –Kris disse.

  -É mãe, você sempre soube trabalhar e dividir o tempo com a gente. –Marie disse.

  -Você indo nos meus jogos, pra mim está ótimo. –Anthony disse.

  Sorri.

  -Eu sei. Mas eu acabei de acordar de um coma, né? Eu preciso de uns dias descansando. –Disse.

  -Eu concordo com isso. –Edward disse.

  -Eu também. Você precisa descansar, depois desses tempos difíceis. –Carlisle disse.

  -Os seus trabalhos não vão andar sem você, Mary guardou todas as suas campanhas e não colocará ninguém no seu lugar, a série, as gravações continuam, estamos gravando outras cenas em que você não aparece, depois, quando você voltar, gravaremos as cenas com você, mesma coisa com o filme. –Rose disse.

  Assenti.

  -Eu sei, estão só me esperando, é por isso que eu vou descansar, para eu poder voltar muito bem, vou tirar uma semana de descanso, depois eu volto com tudo. –Disse.

  -Essa é a minha garota. –Edward disse e me deu um beijo na bochecha.

  Comecei a rir.

  Terminamos de comer.

  -Bella, pegue o champanhe para fazermos um brinde. –Carlisle disse.

  -Ok.

  Levantei-me e fui até a cozinha.

  Peguei o champanhe, reparei que era sem álcool. Carlisle tinha pensado na Rosalie, isso era bom.

  Peguei as taças e fui pra sala de jantar.

  -Edward, você que é o homem da casa, faça as honras. –Disse, lhe entregando a garrafa.

  -Ok. –Ele disse, me entregando o Rob e se levantando, para estourar o champanhe.

  -Rose, você pode beber, por que é sem álcool. –Disse.

  -Não acham que eu me esqueceria da minha nora grávida, não é?

  Rose sorriu.

  -Obrigada.

  -Tá legal, então vamos logo abrir esse champanhe. –Edward disse.

  Ele começou a sacudir o champanhe e o estourou. Edward encheu as taças de champanhe e distribuiu a taça, ele deu até para as crianças, já que era sem álcool.

  -À recuperação da Bella. –Carlisle disse, levantando a sua taça.

  -E a essa família maravilhosa que nós temos. –Disse.

  -Um brinde. –Dissemos e brindamos.

  Depois do brinde, nós tomamos o champanhe e tomamos o resto da garrafa.

  -Bella, agora nós podemos partir pra sobremesa? –Rose perguntou.

  Sorri.

  Assenti.

  -Claro, Rose. Vamos partir pra sobremesa. –Disse, me levantando e indo pra cozinha.

  Peguei as duas sobremesas e levei para a sala de jantar.

  -Aqui está. –Disse, colocando-as em cima da mesa.

  -Perfeito. –Rose disse. 

  -Só um momento. –Disse e voltei pra cozinha.

  Peguei o jogo de vasilhas de sobremesa e voltei pra sala de jantar, distribuí uma vasilha e uma colher para cada um e nos servimos da sobremesa.

  Acabados com as duas sobremesas que estava maravilhosa, depois que comemos a sobremesa, todo mundo foi pra sala de estar, quer dizer, os homens foram pra sala de estar com as crianças, Esme, Alice, Rose e eu, tiramos a mesa do jantar e fomos lavar a louça, eu lavei a louça, Esme secou e guardou, Alice organizou a cozinha e Rose fez o café pra gente.

  -Ai, eu estou começando a ficar inchada. –Rose disse.

  -Eu não acho. –Alice disse.

  -Os meus pés estão ficando inchados, eu passei a usar dois números a mais. –Rose disse.

  Sorri.

  -Já deveria estar acostumada com isso, Rosalie. Não é a sua primeira gravidez. –Disse.

  -Não tem como se acostumar com isso, tem certas coisas na gravidez, que é muito difícil.

  -É, tenta ficar grávida de gêmeos, você fica bem mais cansada. –Disse.

  -E eu não sei? Eu me lembro de quando a minha mãe engravidou dos meus irmãos, ela ficava exausta, foi nessa época que eu aprendi a cuidar da casa, ela não conseguia fazer nada e eu fazia por ela. –Ela disse.

  -Você ainda tem grandes chances de ter gêmeos. –Alice disse.

  Rose sorriu.

  -Eu sei, até que não seria ruim. –Ela disse.

  Terminei de lavar a louça e Esme de secar e guardar, nos aproximamos delas.

  -Quando você descobre que está grávida de gêmeos, primeiro, você fica apavorada, imaginando como é que você vai dar à luz à dois bebês, ou como você vai cuidar de dois bebês ao mesmo tempo, mas depois, quando a sua ficha caí, é só alegria, e quando você está com os dois no colo, é melhor ainda. –Disse.

  -É, mas tome cuidado com o que deseja, Rosalie. Lembre-se que serão filhos do Emmett. Quando ele era criança, equivalia para duas crianças juntas. Se seus filhos puxassem para o pai, duas crianças equivale…?

  -A quatro crianças. –Disse.

  Rose riu.

  -E acham que eu não sei? Eu conheço o marido que eu tenho. –Rose disse.

  Começamos a rir.

  -Bom, mas eu estou grávida apenas de um bebê, mas se algum dia virá gêmeos, será muito bem vindo, assim como foi com Marie e Anthony, certo?

  Assenti.

  -Certíssimo. E foi o sonho do Edward realizado, ele sonhava em ter um casal de gêmeos, eu não, pra mim, não fazia, diferença, podia vir um, dois, três, quatro. –Disse.

  -É, você é bem corajosa pra ter filho. –Alice disse.

  -É, ela prefere sentir dor não hora do parto, do que ter uma cesárea. –Rose disse.

  -Eu tenho um trauma com cesáreas, Anthony quase morreu. –Disse.

  -Alguns problemas acontecem, mas não é sempre que é assim. Quando se tem mais de um bebê, o parto é mais complicado. –Esme disse.

  -Bom, eu prefiro ter um parto natural, que os riscos são menores. –Disse.

  Rosalie respirou fundo e passou a mão na barriga.

  -Que vontade de ver o rostinho dele logo. –Rose disse.

  Sorrimos.

 -Mais alguns meses, querida. E teremos um novo Cullen. –Esme disse.

  -Isso mesmo, vai passar rápido. –Disse.

  Rose sorriu.

  -A cozinha está arrumada, Bella. –Alice disse.

  -Obrigada, Allie. –Agradeci.

  -De nada.

  -Rose, e o café? –Perguntei.

  -Está prontinho. –Ela respondeu.

  -Então vamos servir, por que os rapazes devem estar bebendo. –Esme disse.

  -Vamos.

  Colocamos o bule na bandeja e as xícaras.

  Fomos pra sala de estar.

  -Trouxemos café, lembrando que foi em que fiz. –Rose disse e colocamos as bandejas em cima da mesa de centro.

  -Onde estão as crianças maiores? –Alice perguntou.

  -Foram brincar no quarto do Thony. –Kris respondeu.

  Carlisle, Emmett, Edward e Jasper, terminaram de beber whisky e servimos o café.

  Nós nos sentamos e continuamos conversando.

  -Tia Allie, como vai a faculdade de moda? –Kristen perguntou.

  Alice sorriu.

  -Está ótima, eu estou adorando. –Alice disse.

  -Sempre foi o seu sonho fazer moda, eu não sei por que não fez antes. –Edward disse.

  -Era mesmo o meu sonho, mas ai eu engravidei da Mellanie. Eu tive que terminar a escola, e precisava ajudar o Jazz, a sustentar a nossa filha, então eu comecei a trabalhar de maquiadora, e quando eu me formei na escola, não quis fazer faculdade, para não deixar a Mellanie de lado.

  -E hoje? Você tem um bebê pequeno. –Rose perguntou.

  -Hoje em dia, nós temos condições de deixa-lo com uma babá. –Jasper disse.

  -E Mary mudou minha hora de trabalho, fazendo eu trabalhar apenas meio período, pra eu poder ter tempo com os meus filhos. –Alice disse.

  -Eu gosto da ideia de você virar estilista. –Disse.

  -É, e você tem talento, por que os vestidos pra minha festa, estão ficando lindos. –Kristen disse.

  -E você também tem uma ótima vantagem, Mary quer você trabalhando com ela. –Disse.

  -É, não é sempre que uma novata estudando de moda, tem uma das melhores estilistas pagando sua faculdade e querendo trabalhar com você. –Rose disse.

  Alice sorriu.

  -Eu sei, Mary é um anjo. –Ela disse.

  -Eu acho que ninguém fez isso pela Mary. –Rose disse.

  -É por isso que ela está ajudando a Alice, ninguém fez por ela, e como ela reconheceu o talento da Alice, ela quis ajudar. –Disse.

  -Mary é incrível, não é? –Kris perguntou.

  Sorri.

  -É, não podíamos ter uma chefe melhor do que ela. –Disse.

  -Se eu não fosse modelo, eu faria moda. –Kristen disse.

  -Bom, se você quiser.- Alice disse.

  Kristen sorriu.

  -Não, eu quero seguir os passos da minha mãe, começar como modelo e virar uma maravilhosa atriz. –Kris disse.

  -Só da sua mãe? –Rose perguntou.

  Kris sorriu.

  -Você também, madrinha. –Ela disse.

  Começamos a rir.

  -E você, Seth? Já pensou que faculdade cursará? –Edward perguntou.

  Ele assentiu.

  -Sim, eu quero fazer direito. –Ele respondeu.

  -É uma ótima escolha. –Jasper disse.

  -Você é suspeito pra falar, Jasper. –Disse.

  Ele começou a rir.

  -Seth fez um simulado. Ele tirou 98% . –Kristen disse.

  -É, mas eu ainda pretendo melhorar essa nota. –Ele disse.

  -98% é uma oba nota, você pode entrar em uma boa faculdade com essa nota. –Edward disse.

  -Ele quer entrar com 100%. –Kristen disse.

  -Isso mostra que ele é um bom aluno, eu também era assim. Se eu não fosse jogador, eu teria feito medicina. –Edward disse.

  -Você era o único da família que gosta de estudar. –Emmett disse.

  -Ainda é o único. –Kristen disse.

  -Marie e Thony são bons alunos também. –Disse.

  -É, e o Rob? Será que vai ser também?

  -Eu acho que sim. –Disse.

  -Bom, o papo está bom, mas tá na minha hora, eu tenho que deixar a Felicity e o Gabriel em casa, e depois ir pra casa. –Seth disse, se levantando.

  -Deixa que eu levo vocês. –Edward disse, se levantando.

  -Não precisa se incomodar. –Seth disse.

  -Não é nenhum incomodo, vocês são nossos convidados. –Edward disse.

  -Eu acho melhor todos irmos embora, por que a Bella ainda precisa descansar. –Esme disse.

  -É, eu também preciso, estou exausta. –Rose disse.

  -Também, o tanto que você comeu. –Emmett disse.

  -Eu tenho motivos, como por dois, e você? –Rose perguntou.

  -Eu sou grandão, preciso comer bastante. –Emmett respondeu.

  Rosalie revirou os olhos e nós rimos.

  -Bella, pode ir chamar as crianças? –Alice pediu.

  Assenti.

  -Claro. –Disse, me levantando.

  Subi e fui direto para o quarto do Anthony. As crianças estavam lá, jogando videogame.

  -Crianças, hora de ir. –Disse. –Thony, desligue o videogame e desçam para se despedir dos seus tios e dos seus avós.

  Ele assentiu.

  -Ok.

  Anthony desligou o videogame e eu desci com eles.

  -Pronto, aqui estão eles. –Disse.

  -Tá legal, vamos embora, por que já está tarde. –Rose disse, se levantando com a ajuda do Emmett.

  -Nós levamos vocês até a porta. –Disse, pegando o Rob no colo.

  Fomos até a porta.

  -Bella, amanhã eu volto pra te ver. –Rose disse.

  Assenti.

  -Ok.

  -Tchau. –Rose e Emm se despediram da gente, assim como as crianças.

  -Tchau. –Dissemos.

  Rosalie e Emmett entraram no jipe com as crianças e foram embora.

  -Nós também vamos. –Alice disse.

  -Tchau, gente. –Alice e Jasper se despediram da gente.

  -Tchau. –Dissemos.

  As crianças se despediram da gente e eles entraram no carro do Jasper e foram embora.

  -Bella, qualquer coisa, você sabe que pode ligar. –Esme disse.

  Assenti.

  -Ok Esme, não precisa se preocupar, eu vou ficar bem. O pior já passou. –Disse.

  -Tem razão, mas mesmo assim, descanse. –Carlisle disse.

  Assenti.

  -Eu irei. –Disse.

  -Tchau, queridos. –Eles se despediram da gente.

  -Tchau. –Dissemos.

  -Tenham uma boa noite. –Edward disse.

  -Vocês também. –Carlisle disse.

  Carlisle e Esme entraram no carro do Carlisle e foram embora.

  -Bom, Seth, Gabriel, Felicity, vamos, eu levo vocês pra casa. –Edward disse.

  -Os três casais querem privacidade para se despedirem? –Perguntei.

  -Não começa, mãe. –Thony disse.

  Comecei a rir.

  -Bom, como eu já tenho um namoro assumido, eu não tenho vergonha. –Kristen disse e deu um beijo no Seth.

  -Tá legal Kristen, já chega! –Edward disse. –Pelo menos os seus irmãos nos respeitam.

  Kristen se afastou do Seth e riu.

  -Boa noite, amor. –Ela disse.

  -Boa noite, linda. –Seth disse. –Boa noite Bella, crianças.

  -Boa noite. –Dissemos.

  -Tchau, Lilly. –Thony disse, lhe dando um beijo na bochecha.

  -Boa noite, Thony. –Ela disse e lhe roubou um selinho.

  Sorri.

  Eu gostei dessa garota, ela tinha atitude.

  -Tchau Bella, Kris, Marie. –Felicity disse.

  -Tchau. –Dissemos.

  Gabriel deu um selinho na Marie.

  -Boa noite, Mer. –Ele disse.

  Marie sorriu, ficando corada.

  -Boa noite, Gabbe. –Ela disse.

  Ele nos olhou.

  -Boa noite, Bella, Thony, Kristen. –Ele disse.

  -Boa noite. –Dissemos.

  -Vamos lá. –Edward disse e me deu um selinho. –Eu já volto.

  Assenti.

  -Ok, dirija com cuidado. –Disse.

  -Tá.

  Edward foi para o seu carro com Seth, Felicity e Gabriel, eles entraram no carro e Edward os levou pra casa.

  Olhei para os meus lindos filhos.

  -Tá legal, agora, cama, por que amanhã vocês tem aula. –Disse.

  -Ah, eu não posso jogar mais um pouco de videogame? –Thony perguntou.

  Neguei.

  -Não, querido. Você tem aula amanhã, então pra cama. –Disse. 

  -Mãe, pode levar pra mim, leite com biscoitos? –Marie pediu.

  -Claro, querida. –Respondi.

  -Eu também quero. –Anthony disse.

  -Se for levar pra eles, eu também quero. –Kris disse.

  Sorri.

  -Ok, vão se preparar para dormir, que eu levo leite com biscoitos para os meus filhos lindos. –Disse.

  Eles assentiram e subiram.

  Coloquei Rob no carrinho.

  -Fique aqui, meu amor. –Disse.

  Peguei a bandeja com o bule e as xicaras e levei para a cozinha. Lavei o bule e as xicaras e guardei.

  Voltei pra sala.

  -Agora você vai ficar com a mamãe. –Disse, empurrando o carrinho pra cozinha.

  Coloquei dois biscoitos em cada prato e enchi três copos de leite, esquentei e coloquei os pratos e os copos na bandeja.

  Empurrei o carrinho do Rob pra sala de estar, liguei a TV nos desenhos e o deixei assistindo.

  -Fique aqui assistindo, enquanto a mamão leva o leite e os biscoitos para os seus irmãos. –Disse.

  Voltei pra cozinha e peguei a bandeja, saí da cozinha e olhei para o Rob, que estava concentrado, assistindo.

  Subi e fui para o quarto da Kris, entrei no quarto.

  -Kris. –A chamei.

  Ela apareceu do banheiro, já vestindo um baby-doll.

  -Oi.

  -Aqui está. –Disse, colocando o prato e o copo no criado mudo.

  -Obrigada, mamãe. –Ela agradeceu.

  -De nada. –Disse. –Eu vou levar para os seus irmãos.

  -Tá.

  Saí do quarto e fui para o quarto da Marie.

  -Mer. –Disse, entrando no quarto.

  -Só um minuto. –Ela disse, do banheiro.

  Alguns minutos depois, ela saiu, vestindo o seu pijama.

  -Aqui está, querida. –Disse, colocando o prato de biscoitos e o copo de leite no criado mudo.

  -Obrigada, mamãe. –Ela agradeceu.

  -De nada, querida. –Disse. –Coma tudo, eu vou levar para o seu irmão.

  Ela assentiu.

  -Ok.

  Saí do quarto da Marie e fui para o quarto do Anthony, entrei no quarto e ele estava deitado na cama, já de pijama, mexendo no seu celular.

  -Está mandando mensagem de boa noite pra Lilly? –Perguntei.

  Ele me olhou.

  -Não, estou questionando o Gabbe, ele beijou a minha irmã. –Ele disse.

  Sorri.

  -Thony, eu pensei que você já tinha superado isso. –Disse, colocando o prato e o copo no seu criado mudo.

  -E eu superei. –Ele disse, se sentando na cama e pegando um biscoito.

  Sentei-me a sua frente e coloquei a bandeja na cama, ao nosso lado.

  -Então pra que isso? Proteção de irmão? E olha que ela é alguns minutos mais velha que você. –Disse.

  Ele me olhou.

  -Gabbe é meu melhor amigo e Marie é minha irmã. Eu estou preocupado com eles. –Ele disse.

  Assenti.

  -E por quê? –Perguntei.

  -Marie logo vai embora, e o que vai ser desse namoro? –Ele perguntou.

  -Isso é eles que tem que resolver. –Disse. –Meu amor, eu sei que está preocupado com eles, mas Gabbe entende a situação e se ele gosta de verdade da sua irmã, ele vai esperar por ela. Você não esperaria pela Lilly?

  -Claro que esperaria. –Ele disse.

  -Então, deixa isso com eles. Gabbe pode falar com a Marie, como a gente vai. Por telefone, e-mails, mensagem.

  Ele assentiu.

  -É, tem razão. –Ele disse.

  Sorri.

  -É uma pena que ele vai ficar segurando vela pra você e a Lilly. –Disse.

  -Mãe!

  Comecei a rir.

  -Tá legal, eu não vou insistir pra vocês assumirem logo esse namoro. –Disse. –Agora termine de fazer o seu lanche.

  Ele comeu os biscoitos e tomou o leite.

  -Pronto.

  -Vai escovar os dentes. –Disse.

  -Sério?

  -Se fosse beijar a Lilly, você não iria escovar os dentes? –Perguntei.

  -Eu vou, só pra encerrar esse assunto. –Ele disse e se levantou, indo para o banheiro.

  Comecei a rir.

  Peguei a bandeja e coloquei o prato e o copo vazio na bandeja e deixei em cima do criado mudo.

  Arrumei o travesseiro e o cobertor do Anthony.

  Thony voltou alguns minutos depois.

  -Escovou os dentes? –Perguntei.

 Ele assentiu.

  -Sim.

  -Agora, pra cama, jogador. –Disse, me levantando da cama.

  Anthony se deitou e eu o cobri.

  -Pronto. –Disse.

  -Mãe. –Ele me chamou.

  -Hum.

  -Obrigado. –Ele agradeceu.

  -Pelo que? –Perguntei.

  -Por ter lutado e ficado aqui com a gente. Não seríamos felizes sem você. –Ele disse.

  Sorri e acariciei seus cabelos.

  -Meu filho, eu jamais irei deixar vocês. Eu prometo. –Disse.

  -Então eu espero que cumpra essa promessa. –Ele disse.

  Comecei a rir.

  -Eu vou. –Dei-lhe um beijo na testa. –Agora vai dormir.

  Ele assentiu.

  -Boa noite, mamãe. –Ele disse.

  -Boa noite, querido. –Disse.

  Anthony fechou os olhos.

  Peguei a bandeja e fui até o quarto, olhei pra ele dormindo e sorri. Ele até parecia um anjinho, como o pai.

  Apaguei a luz, saí do quarto e fechei a porta.

  Fui para o quarto da Marie.

  Entrei no quarto e ela já estava indo se deitar.

  -Escovou os dentes, querida? –Perguntei.

  Ela assentiu.

  -Sim, acabei de escovar. –Ela disse.

  Assenti.

  -Ok.

  Coloquei o copo e o prato na bandeja e o deixei no criado mudo. Cobri a Marie.

  -Agora pode ir dormir. –Disse.

  Ela me olhou.

  -Eu amo você e vou sentir muito a sua falta. –Ela disse.

  Sorri.

  -Eu também te amo, meu amor. E também sentirei a sua falta. –Disse.

  -Bem vinda de volta. –Ela disse.

  -Obrigada. –Agradeci. –Agora vá dormir.

  -Tá bom, boa noite. –Ela disse.

  -Boa noite, querida. –Disse e lhe dei um beijo na testa.

  Peguei a bandeja e a olhei, ela já estava dormindo.

  Apaguei a luz e saí do quarto.

  Fui para o quarto da Kristen e ela estava sorrindo, no celular.

  -Dê boa noite para o Seth por mim. –Disse.

  Ela sorriu.

  -Pode deixar. –Ela disse.

  Coloquei o copo e o prato vazio na bandeja.

  -Ele te desejou boa noite também. –Ela disse.

  Sorri.

  -Obrigada. –Agradeci. –Já escovou os dentes?

  Ela me olhou.

  -Claro. Eu não sou mais nenhuma criança. –Ela respondeu.

  Comecei a rir.

  -Está bem, então vai dormir, por que você também tem aula amanhã. –Disse.

  -Ok. –Ela disse e colocou o celular no criado mudo e se deitou.

  Eu a cobri.

  -Você fez muita falta. –Ela disse.

  Sorri.

  -E eu não saio mais de perto de vocês. –Disse.

  Ela assentiu.

  -Eu sei. –Ela disse. –Eu te amo, mãe.

  -Eu também te amo. –Disse e lhe dei um beijo na testa. –Vai dormir. Boa noite.

  -Boa noite. –Ela disse.

  Peguei a bandeja, apaguei a luz e saí do quarto.

  Desci e fui pra sala de estar, Rob continuava assistindo TV. Fui até a cozinha, lavei a louça do lanche e guardei, voltei pra sala de estar.

  -Filho, chega de TV por hoje. Vamos dormir. –Disse, desligando a TV e o peguei no colo.

  Subi com e ele e fui para o seu quarto. Troquei a roupa dele, colocando uma mais confortável e o amamentei.

  Depois que o Rob mamou, ele dormiu. O coloquei no berço e lhe dei um beijo na testa.

  -Boa noite, meu amor.

  Liguei a babá eletrônica e saí do quarto.

  Fui para o meu quarto. Entrei no quarto, tirei os sapatos e fui para o banheiro, tirei minha maquiagem e fui para o closet, tirei meu vestido e procurei uma camisola para vestir.

  -Nossa, cheguei em uma boa hora. –Edward disse, entrando no closet.

  Sorri.

  -Oi, deixou todas as crianças em casa? –Perguntei, vestindo minha camisola.

  Ele assentiu.

  -Todas entregues. –Ele disse, abrindo seu armário. –Eu conheci os pais da Felicity e os pais do Gabriel. Eles querem nos conhecer. Nos ligarão para marcar um jantar.

  Assenti.

  -Ok. Vai ser bom jantar com eles. –Disse.

  -Concordo. –Ele disse, tirando a roupa e ficando de cueca.

  Ele veio até  mim e me abraçou por trás, beijando meu pescoço.

  Sorri.

  -Vem.

  Ele e puxou pra fora do closet e me levou até a cama.

  -Vamos curtir a noite? –Ele perguntou.

  Sorri.

  -Claro. –Disse e o beijei.

  Ele me jogou na cama e veio pra cima de mim.

  Depois de um longo jantar, para comemorar a minha volta, agora teríamos o nosso momento. Pelo visto eu estava mesmo de volta.



Notas finais do capítulo

Edward: http://photos.laineygossip.com/articles/pattinson-twigs-nyt-19may15-07.jpg

Brinco: https://brilhofolheados.com.br/wp-content/uploads/2015/08/brinco-coracao-cravejado-zirconia-folheado-ouro-brilho-folheaados-sabrina-joias-1689189.jpg

Relógio: http://www.replicaserelogiosfamosos.com.br/media/catalog/product/cache/1/image/1200x1200/9df78eab33525d08d6e5fb8d27136e95/1/3/1371670186_1_3.jpg

Seth: http://images4.fanpop.com/image/photos/20600000/-New-Booboo-Stewart-pics-boo-boo-stewart-20641220-733-1422.jpg

Carlisle: http://galeri4.uludagsozluk.com/103/peter-facinelli_161607.jpg



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Confronto 2ªtemporada" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.