Confronto 2ªtemporada escrita por Gabszinha FerCosta


Capítulo 143
Capítulo 142-Acordada/ Contando o sonho




  Isabella Marie Swan Cullen

  Carlisle havia feito vários exames em mim, tantos que me deixaram cansada.

  Alguns enfermeiros me colocaram de volta na cama, depois de eu ter feito uma bateria de exames.

  -Podem ir. –Carlisle disse, para os enfermeiros.

  Eles saíram e Carlisle se aproximou de mim.

  -Como se sente? –Ele perguntou.

  -Bem. –Respondi.

  Ele sorriu.

  -Que bom. Graças à Deus. –Ele disse.

  -Como foi a cirurgia? Ocorreu tudo bem? –Perguntei.

  Ele assentiu.

  -Sim, ocorreu tudo bem. –Ele respondeu.

  -E Victor já começou a fazer o tratamento?

  -Sim.

  O olhei.

  -Carlisle. –O chamei.

  -Hum.

  -Eu conheço você, você está mentindo. –Disse. –Você me garantiu que o tratamento daria certo, que eu doar minha medula pra ele, o salvaria.

  -E eu não menti.

  -Não?

  -Não é sobre isso que eu estou escondendo. –Ele disse. –O tratamento deu certo. Há um mês. Victor já está em casa.

  O olhei.

  -O que?

  -Qual é a última coisa que se lembra?

  -Além de ter tido um sonho muito bizarro…

  Lembrei-me de quando eu acordei. Elizabeth.

  O olhei.

  -Elizabeth. –Disse. –Ela veio aqui como enfermeira, disse horrores pra mim, colocou a culpa em mim, por você não ter se apaixonado por ela. Ela queria se vingar, queria tirar tudo de mim, ela veio pra cima de mim com uma seringa, eu tentei detê-la, mas ainda estava muito fraca, não consegui detê-la. Ela aplicou algo no meu pescoço. Lembro-me da Esme entrando no quarto e também tentando impedi-la, depois disso, eu não lembro mais de nada. –Disse e o olhei. –O que aconteceu, Carlisle.

  Ele respirou fundo.

  -Bella, dessa vez, você passou perto da morte. –Ele disse.

  -Conte-me tudo o que aconteceu. –Pedi.

  -Elizabeth aplicou em você, uma droga em experimento, que foi mal sucedida. Essa droga foi projetada para a cura do Alzheimer, mas ela não deu certo. Ela foi aplicada em um macaco, por ele ter o cérebro mais parecido com a do ser humano, e ele teve morte cerebral. –Ele disse.

  O olhei.

  -Então… eu podia mesmo ter morrido? –Perguntei.

  -Sim.

  -E como eu saí dessa?

  -Eu te induzi ao coma, uma mancha se formou no seu cérebro e te tratei com os medicamentos mais fortes para quem fica em coma, para limpar essa mancha do seu cérebro e torci para você não ter morte cerebral. A mancha foi diminuindo aos poucos, e quando ela diminuiu completamente, eu resolvi te tirar do coma, pra ver se você não ficou com nenhuma sequela.

  -E… eu fiquei em coma por um mês? –Perguntei.

  Ele assentiu.

  -Meu Deus. Meus filhos devem estar péssimos, eles não mereciam isso, há alguns meses era o Edward, e agora eu?

  -Eles sofreram muito, ficaram com medo de te perder. Anthony e Marie até que foram mais fortes, mas quem não ficou nada bem, foi a Kristen. –Ele disse.

  -E… o que aconteceu com a Elizabeth? –Perguntei.

  -Depois que a Esme entrou, ela deu uma surra nela, os enfermeiro as separaram, chamaram a polícia e ela foi presa, e hoje eu fui até a delegacia, cobrei alguns favores lá e me deixaram a sós com ela, eu dei uma bela surra nela, ela estava merecendo, por tentar destruir minha família. –Ele disse.

  Sorri.

  -Fez muito bem. –Disse. –Eu vou ficar bem?

  -Você parece bem. Eu só preciso esperar o resultado dos seus exames, pra ver se você não está com nenhuma sequela. –Ele respondeu.

  Assenti.

  O olhei e comecei a rir.

  -Que foi?

  -Antes de eu acordar, eu tive um sonho muito estranho. –Disse.

  -É mesmo? E qual era o sonho?

  -Parecia que eu tinha voltado no tempo, e era uma história diferente. –Disse. –Eu tinha 15 anos de novo, você tinha se separado da Esme pra ficar comigo, ela tinha ido embora com o Emmett, Edward tinha ficado para se vingar de mim, ele me odiava. Nós estávamos casados, Kris era recém nascida, nós vivíamos bem, mas minha relação com o Edward não era muito boa. Você tinha ido trabalhar, fui até o quarto da Kristen, para ver o que o Edward queria para o jantar, nós discutimos, por que ele estava falando mal de mim pra Kris, ele me agarrou e acabamos nos beijando, era como se o amor tivesse virado ódio.

  Ele riu.

  -Uau. Um garoto de 12 anos. –Ele disse.

  Sorri.

  -É, eu também me senti bem culpada. Nós nos desculpamos e tentamos seguir normalmente. Você chegou tarde, eu tentei te seduzir, você negou por que disse que estava cansado, nós discutimos e você foi dormir. Eu te pedi desculpas, fui para o quarto do Edward, e… tirei a virgindade dele. Depois disso, passamos meses tendo um caso, e eu engravidei, de gêmeos, e você achou que eram seus.

  Ele assentiu.

  -Então até a Marie e o Anthony entraram no seu sonho. –Ele disse.

  -É, eu estava péssima, Edward e eu ficamos com medo de você tirar os meus filhos de mim e decidimos fugir. Nós íamos de madrugada, e quando estávamos na porta, você apareceu, perguntando pra onde a gente ia. Então eu revelei tudo, sobre os gêmeos, ter me apaixonado pelo Edward. Você sorriu, disse que essa era um história diferente, mas ela acabou seguindo o mesmo destino, que o meu destino sempre foi ficar com o Edward, e que eu tinha achado o caminho de volta. De repente eu comecei a me lembrar o que tinha acontecido aqui comigo, e Edward pediu pra eu acordar. Eu fechei os olhos, tudo se apagou e quando eu abri, eu estava aqui no hospital, e vocês bem ali.

  Ele sorriu.

  -É, foi um sonho e tanto. –Ele disse. –Foi só o destino te mostrando um lado diferente da história, mas com o mesmo destino, você e o Edward. –Ele disse.

  Sorri.

  -É, mas eu não gostei. Você e a Esme não estavam juntos, ela tinha ido embora com o Emmett, e não puderam conhecer a Kris.

  -E esse não foi o destino que seguimos, então fique feliz com isso, que estamos todos juntos. –Ele disse.

  Sorri.

  -Obrigada por salvar a minha vida. –Agradeci.

  Ele sorriu.

  -De nada. –Ele disse. –Você tá confortável?

  Assenti.

  -Estou.

  -Então eu vou chamar as suas visitas. –Ele disse.

  Sorri.

  -Ok.

  Carlisle saiu do quarto, logo em seguida ele entrou, com a família inteira.

  -Oi. –Edward se aproximou de mim e me abraçou. –Eu senti tanto medo de te perder.

  -Não vai ser fácil me tirar da sua vida. –Disse.

  Ele riu e me olhou.

  -Como você está? –Ele perguntou.

  Sorri.

  -Bem e viva. –Disse.

  Ele pegou meu rosto com as mãos e me beijou.

  Afastei-me dele e olhei pra Kristen, atrás dele.

  -Vem cá. –A chamei.

  Ela se aproximou e me abraçou.

  -Mamãe. –Ela disse, chorando.

  -Hei, tá tudo bem. Eu estou aqui. –Disse e beijei seus cabelos.

  -Eu fiquei com tanto medo.

  -Eu sei, mas já passou. –Disse. –Eu não vou a lugar nenhum.

  -Eu disse que ela era bem forte. –Edward disse.

  -É, mas nós sabemos disso há muito tempo. –Esme se aproximou, com o Rob no colo. –Bem vinda de volta, Bella.

  Sorri.

  -Obrigada, Esme.

  Esme olhou para o Robert.

  -Quer ir com a mamãe?

  Rob me olhou e estendeu os bracinhos.

  -Mama. –Ele disse.

  Sorri.

  Kris me soltou e Esme me entregou o Robert.

  -Ah, meu bebê. –Disse, o abraçando.

  -Ele tem mamado no seu peito, por todo esse tempo. –Esme disse.

  -Sério? Então o meu leite não secou? –Perguntei.

  -Foi exatamente por isso que o mantivemos no seu peito. –Edward disse.

  -Rob ainda é muito pequeno, precisava de você. Eu o trouxe todos os dias para ficar perto de você e te sentir presente e para ele mamar, assim o seu leite não secou. –Esme disse.

  Sorri.

  -Que ótimo, pelo menos vou conseguir continuar o amamentando. –Disse e beijei sua testa. –E onde estão os gêmeos?

  -Eles virão mais tarde te ver, eles ainda não sabem que você acordou. –Edward respondeu.

  Assenti.

  -Prima. –Jazz se aproximou e me abraçou.

  -Oi, Jazz. Como estão os seus pais? –Perguntei.

  -Bem, eu os visito sempre que eu posso na casa de repouso, eu evitei de trazê-los aqui por todo esse tempo, por que eu não queria que a minha mãe se sentisse mal. –Ele disse.

  Assenti.

  -Fez muito bem. –Disse.

  Ele me deu um beijo na testa.

  Rosalie e Alice se aproximaram de mim e me abraçaram.

  -Aquela agencia não é a mesma sem você. –Rose disse.

  -É, você fez muita falta. –Alice disse.

  Sorri.

  -Eu sei, isso não vai se repetir. –Disse.

  -Não vai mesmo. –Edward disse.

  -É como diz o ditado, vaso ruim não quebra. –Emmett disse, se aproximando.

  O olhei.

  -Eu também senti sua falta, Emm. –Disse.

  Ele me deu um selinho na testa.

  -Eu senti sua falta também. A família não é a mesma, faltando uma integrante. –Ele disse.

  Comecei a rir.

  -Alguma sequela, pai? –Edward perguntou.

  Carlisle negou.

  -Não, ela está falando, ouvindo, enxergando, andando. –Ele respondeu.

  -E internamente? Algum órgão? –Esme perguntou.

  -Eu estou esperando o resultado dos exames, mas eu tenho certeza de que ela não ficou com nenhuma sequela. –Carlisle disse.

  -Tomara. –Esme disse.

  Beijei a testa do Robert.

  -Não quer descansar? –Edward perguntou.

  -Pelo que eu fiquei sabendo, eu descansei por um mês, eu estou bem. –Disse.

  Ele sorriu.

  -Tudo bem.

  -E o que vai acontecer com a Elizabeth? –Perguntei.

  -Aquela desgraçada, vai mofar na cadeia. –Esme disse.

  -Eu tenho que avisar ao delegado, que você acordou e está bem, eles virão recolher o seu depoimento. Você é a única que pode condená-la. –Carlisle disse.

  Assenti.

  -Ah, eu com certeza vou. –Respondi.

  -Conte-nos o que aconteceu. O que foi que ela disse pra você? –Edward perguntou.

  Eu comecei a contar tudo o que havia acontecido naquele dia, Elizabeth entrando no quarto como minha enfermeira, ela me dizendo várias coisas sobre eu ter sido a culpada por Carlisle não ter se apaixonado por ela e até sobre ela tentar algo com o Edward, depois da minha morte.

  -Essa mulher é maluca. –Rosalie disse.

  -É, se ela fez isso com a Bella, o que ela poderia ter feito com a mamãe? –Emmett perguntou.

  -Talvez Esme nunca tenha sido o foco dela, e sim a Bella. –Jasper disse.

  -Ela também fez isso com a Bella, por que a Bella mal conhecia ela, eu já a conheço muito bem. –Esme disse.

  -Ela não culpa a Esme por eu não ter me apaixonado por ela, ela culpa a Bella. –Carlisle disse.

  -E como ela poderia ter achado, que eu teria alguma coisa com ela? Ela acha que eu fico com toda ex namorada do meu pai? Isso só aconteceu uma vez. –Edward disse.

  -É, espero que sim. –Disse. –Ela queria roubar o meu lugar. Eu fiquei com o Carlisle, fui rejeitada, tive uma filha com ele, e hoje sou feliz com o filho dele, ela não teve essa sorte e queria tirar de mim.

  -Olha, vamos tentar entender o lado dessa mulher. Ela ficou com o papai, descobriu que ele só estava com ela, para relembrar da minha mãe, ela ficou com raiva, com mais raiva ainda, por mais uma vez ele preferir a Esme, ela vai embora, volta, descobre que a minha mãe está casada com o filho dele e está feliz, fica com inveja da minha mãe e obcecada por destruir a família inteira. –Kristen disse.

  -Não tem o que entender Kris, essa mulher é louca. –Emmett disse.

  -O que não dá para entender, é que essa história dela com o Carlisle, aconteceu há 15 anos, ela devia ter refeito a vida dela, ela teve 15 anos pra isso. –Disse.

  -É, talvez ela tenha passado todos esses anos pensando no Carlisle e voltou para reconquistá-lo. –Esme disse.

  -Ai ela viu que a Bella estava aqui, casada comigo e feliz, a felicidade que ela, que também era ex amante do papai não teve.

  -Ainda mais com alguém que era da família. Isso só significa uma coisa, além da obsessão dela com o papai, ela ficou com inveja da Bella. –Emmett disse.

  -E para se sentir melhor, ela ficou obcecada em destruí-la. –Rosalie disse.

  Respirei fundo.

  -Essa mulher é uma psicopata. Eu a quero mofando na cadeia. –Disse.

  -Ela vai, meu amor. Ela vai com certeza. –Edward disse e beijou minha testa.

  -Bom, Jazz. Vamos buscar as crianças, para verem a Bella, Thony e Marie merecem ver a mãe. –Alice disse.

  Ele assentiu.

  -Vamos. –Jasper disse. –Logo traremos seus gêmeos, prima.

  Sorri.

  -Obrigada, primo. –Disse.

  Jasper e Alice foram embora, para buscarem as crianças.

  -Por que vocês também não vão? Você precisa descansar um pouco, Rose. –Esme disse.

  Rose assentiu.

  -Claro. –Rose me olhou. –Eu vou avisar na agencia, que você acordou.

  Assenti.

  -Ok.

  -Tchau, Bellinha. Se cuida. –Emmett disse e me deu um beijo na testa.

  -Tchau Emm, Rose. –Disse.

  Emmett e Rosalie foram embora.

  -Bom, eu vou ver se consigo o resultado dos exames. –Carlisle disse.

  -Eu vou com você. –Esme disse.

  -Se sentir alguma coisa, me chame. –Carlisle disse.

  Assenti.

  -Ok, eu estou em boas companhias. –Disse, olhando pra Kristen e para o Edward.

  -Ok, venha, meu bem. –Carlisle disse, para Esme e os dois saíram do quarto.

  Beijei a testa do Robert, que estava aconchegado no meu colo e olhei pra Kris.

  -Soube que tem andado bem mal. –Disse.

  Ela respirou fundo.

  -Eu fiquei com medo te de perder. –Ela disse.

  Sorri.

  -Querida, eu não sou destruída com facilidade, mas eu quero que fique bem. –Disse. –Como andam os preparativos para o seu aniversário? Espero que não tenha adiado nada.

  Ela sorriu.

  -Eu dei continuidade, por que tinha esperanças de você acordar, antes da minha festa. –Ela disse.

  Sorri.

  -E fez muito bem. E os gêmeos? Como eles ficaram? –Perguntei.

  -Eles foram bem fortes, estavam aguentando bem a barra. Acho que é por que eles já passaram por isso, quando eu estava em coma. Anthony foi o mais forte, estava cuidando das duas irmãs. –Edward disse.

  -E ele cuidava só delas, e o Rob?

  -O Rob não ficava muito tempo em casa, minha mãe passava o tempo todo aqui com ele. –Edward respondeu.

  Sorri.

  -Thony, meu pequeno homenzinho. –Olhei para o Rob. –Espero que você seja como ele, meu amor.

  Rob sorriu pra mim.

  -Rob, por não deixamos a mamãe e o seu pai sozinhos um pouco? Vamos esperar nossos irmãos e o Seth chegarem lá fora. –Kris disse, o pegando do meu colo. –Eu o trago mais tarde.

  Assenti.

  -Ok.

  -Cuida bem dela, Ed. –Kris disse.

  -Pode deixar.

  Kristen saiu do quarto com o Rob e eu fiquei sozinha com o Edward.

  O olhei.

  -Sente-se aqui do meu lado. –Pedi.

  Ele se sentou ao meu lado e passou o braço envolta dos meus ombros.

  -Eu senti tanta falta de te abraçar assim. –Ele disse.

  Sorri.

  -É, acho que já faz algum tempo. –Disse.

  -Um mês. –Ele disse.

  Comecei a rir.

  -Você passou bem mais tempo em coma. –Disse.

  Ele riu.

  -Tá, não é uma disputa. E você sabia que algum dia eu iria acordar, e eu sabia que você tinha grandes chances de morrer. –Ele disse.

  -Hei. O importante é que eu estou aqui, inteirinha. –Disse.

  Ele sorriu.

  -É. –Ele me olhou nos olhos. –Eu te amo tanto.

  Sorri.

  -Eu também amo você. –Dei-lhe um selinho. –Muito. –Dei mais um selinho. –Muito.

  Ele riu.

  -Obrigado por ficar. –Ele disse.

  O olhei.

  -E obrigada por nunca ter desistido de mim. –Disse.

  Peguei seu rosto com as minhas mãos e o beijei. Então aproveitamos que ficamos sozinhos no quarto, para namorar, mas é claro, isso incluía só beijos, mas já era o suficiente, o importante é que eu estava bem, e aqui, com as pessoas que eu amo.

***

  Eu estava olhando o céu estrelado pela janela do meu quarto, admirando as estrelas e agradecendo por estar viva.

  -Oi. –Edward entrou no quarto.

  -Oi. –Disse, olhando para o céu.

  Ele se aproximou e me abraçou por trás.

  -Acordou há algumas horas e já está de pé?

  Sorri.

  -Claro, eu já passei muito tempo deitada, eu tenho que me movimentar. –Disse.

  Ele riu.

  -É, confesso que estou feliz em te ver fora da cama. –Ele disse.

  Virei-me de frente pra ele e o olhei.

  -Enquanto eu estava em coma, eu tive um sonho. –Disse.

  -É mesmo? Sonhou comigo?

  -Sim, e com o seu pai.

  Ele arregalou os olhos.

  -O que?

  -Vem, eu vou te contar tudo. –Disse.

  O puxei para a poltrona ao lado da minha cama, ele se sentou e eu me sentei no seu colo.

  -Eu tinha 15 anos, você 12.

  Ele assentiu.

  -A época em que você estava com o meu pai. –Ele disse.

  Assenti.

  -É, mas foi diferente. –Disse.

  -Diferente como?

  -Bom, no sonho, seu pai não tinha terminado comigo, ele tinha se divorciado da sua mãe e se casado comigo.

  Ele assentiu.

  -Então foi ruim pra mim. –Ele disse.

  -Eu não terminei de contar.

  -Ok, então termina.

  -O sonho começou comigo transando com o seu pai…

  -Sério, Bella?

  -Fica quieto e me deixa terminar. –Disse. –Nós estávamos casados, Kristen já tinha nascido, você resolveu morar com a gente, para fazer da minha vida um inferno, Emmett tinha ido embora com a sua mãe.

  -Então eu te odiava? –Ele perguntou.

  Assenti.

  -Eu não me vejo te odiando. –Ele disse.

  -Quando você descobriu sobre eu e o seu pai, você me odiou. –Disse.

  -Eu não te odiei, só fiquei bravo, e com ciúmes. –Ele disse.

  Comecei a rir e lhe dei um selinho.

  -Continuando. Você amava a Kris.

  -Isso realmente é verdade. –Ele disse.

  -Seu pai se arrumou pra ir trabalhar e eu fiquei em casa com você e a Kristen. Depois que o seu pai saiu, eu pedi pra você levar a Kris para o quarto dela e fui fazer o jantar, e claro, você só fez o que eu pedi, por que ela pra Kris. –Disse.

  Ele riu.

  -Quando eu fui fazer o jantar, eu não tinha ideia do que você gostava, então eu fui perguntar pra você. Encontrei você no quarto da Kristen, você estava falando com ela, e falando mal de mim, pra ela.

  -Acho que isso já aconteceu em alguma vez que a gente brigou. Kris é boa para conversar. –Ele disse.

  -É, mas nesse sonho, ela tinha 2 meses de vida. –Disse.

  Ele riu.

  -Tá, então o que você fez comigo?

  -Nós dois começamos a discutir. –Respondi.

  -Na frente da Kris?

  Assenti.

  -Sim, a discussão foi feia. Trocamos várias ofensas, você disse que não tinha medo de mim, eu disse que não tinha medo de você, você disse que eu tinha sido expulsa de casa e eu disse que sua mãe e seu irmão tinham ido embora, você ficou bravo, me segurou pelos braços e me prensou na parede. –Disse.

  -Eu te machuquei? –Ele perguntou.

  Neguei.

  -Não. Eu disse pra você fazer o que queria, então nós nos olhamos nos olhos, eu senti uma coisa estranha e você me beijou. –Disse.

  Ele assentiu.

  -Então no seu sonho, o nosso ódio virou amor. –Ele disse.

  -É, depois a Kris começou a chorar, nos afastamos, você foi pedir comida e eu fiquei cuidando da Kris. Eu fiquei péssima, pois tinha beijado o irmão da minha filha.

  -Isso você já faz. –Ele disse.

  -E também o meu enteado. –Disse. –Depois que eu fiz a Kris dormir, desci e te encontrei na sala de estar, você estava lá e já tinha pedido comida. Nós nos desculpamos pelo beijo e prometemos não contar nada para o seu pai, depois esperamos a comida. Seu pai tinha chegado tarde, estava cansado e eu tentei seduzi-lo, mas ele me esnobou, nós discutimos e ele foi dormir. Eu fui para o seu quarto, nós conversamos sobre aquele beijo, percebemos que estava rolando alguma coisa e então… -O olhei. –Eu tirei sua virgindade.

  Ele sorriu.

  -Mais um acontecimento real. –Ele disse.

  Comecei a rir.

  -Nós passamos meses tendo um caso, até que eu engravidei, e era de gêmeos. –Disse.

  -Olha só, fizemos a Marie e Thony. –Ele disse.

  -É, e a Kristen não tinha nem 1 ano de idade. –Disse. –Seu pai achava que ele era o pai e ficou bem feliz. Depois que ele saiu pra trabalhar, eu fui falar com você. Falei com você, eu estava desesperada e você bem feliz com a minha gravidez. Nós ficamos com medo, você me disse que seu pai nos mataria se soubéssemos da verdade, e como éramos menores de idade, ele podia tirar a Kris e os gêmeos da gente, então decidimos fugir, e levar a Kris. Nós íamos de madrugada, com a ajuda da Rosalie, quando já estávamos na porta da entrada, seu pai apareceu, nos perguntando pra onde a gente ia.

  -Ele nos matou?

  Neguei.

  -Não. Eu revelei tudo pra ele. Que estávamos tendo um caso, que o gêmeos eram seus, que tínhamos nos apaixonado e estávamos indo embora. Ele sorriu, dizendo que eu tinha achado o caminho de volta, e que o meu destino era com você. De repente eu comecei a ver que aquilo não era real, lembrei-me do que aconteceu comigo, de Elizabeth, e você pediu pra eu acordar, eu fechei os olhos, tudo se apagou, abri os olhos e estava aqui no quarto, com vocês. –Disse.

  Ele sorriu.

  -É, acho que foi o destino, te mostrando uma história diferente, que acabou com nós dois juntos. –Ele disse.

  Sorri.

  -É, seu pai me disse a mesma coisa, mas eu não gostei dessa história. –Disse.

  -Por que não? Nós ficamos juntos. –Ele disse.

  -É, mas eu destruí o casamento dos seus pais, afastei sua mãe e seu irmão de você, Emmett não teve a oportunidade de conhecer a Kristen, eu me casei com o seu pai e tive um caso com o filho dele, de 12 anos. Eu te deflorei. –Disse.

  -Bella, a nossa diferença de idade, não mudou em nada, você ainda era 3 anos mais nova do que eu, a diferença, é que nos envolvemos mais cedo. Com 12 ou com 15 anos, você me deflorou. –Ele disse.

  Dei-lhe um tapa no braço.

  Ele riu.

  -Tá bom. Tem algumas coisas que não seriam legais, eu te entendo. –Ele disse.

  -É, principalmente ter um filho atrás do outro. –Disse.

  Ele sorriu.

  -É, que sorte que os gêmeos são 5 anos mais novos que a Kristen. –Edward disse.

  -E o Rob é 10 anos mais novo que os gêmeos. –Disse.

  -Olha, eu não quero demorar tanto tempo para ter outro filho, quero que você engravide logo, eu quero ter mais uma menina. –Ele disse.

  -Calma, vamos esperar o Rob crescer mais um pouco. –Disse.

  -Ele logo fará 1 ano. –Ele disse.

  -Calma Edward, eu acabei de acordar e você já está falando em ter outro filho. –Disse.

  Ele riu.

  -Mas seria muito bom praticar. –Disse, beijando o seu pescoço.

  -Bella, você acabou de acordar. –Ele disse.

  -De um coma de um mês. Eu preciso tirar o atraso. Você também está no atraso, não é? Ou por acaso andou saindo com alguém? –Perguntei, o encarando.

  -Claro que não! Eu também estou na seca, então pare de me tentar. Vamos esperar você sair daqui primeiro.

  Revirei os olhos.

  -Tá bom. –O olhei. –Você não estava totalmente recuperado, lembro-me de você, começando a usar a bengala.

  Ele sorriu.

  -Eu ainda manco um pouco. Nesse tempo em que esteve em coma, eu me dediquei, para quando você acordasse, me visse recuperado. –Ele disse.

  Sorri e acariciei seu rosto.

  -Estou orgulhosa de você. –Disse.

  -Essa era a intenção. –Ele disse.

  Comecei a rir e o beijei.

  Escutamos o barulho da porta e nos afastamos. Kristen e Seth entraram junto com os gêmeos.

  Levantei-me do colo do Edward.

  -Mamãe! –Os dois correram até mim e me abraçaram.

  -Cuidado, meninos. A mamãe ainda está fraca. –Edward disse, se levantando.

  Ajoelhei-me e os enchi de beijos.

  -Meus amores. –Disse.

  -Sentimos sua falta, mãe. –Thony disse.

  Sorri.

  -Eu também senti falta de vocês. –Disse.

  -Ficamos com medo de te perder. –Marie disse, chorando.

  -Oh, meus amores. Vocês não vão me perder. Jamais. –Disse.

  Eles me abraçaram, chorando.

  -Tá tudo bem agora. –Disse.

  -Vem. –Edward me puxou e eu os soltei.

  -Sogrinha, é bom te ter de volta. –Seth disse, me entregando um buquê de orquídeas.

  -Obrigada, querido genro. –Agradeci, colocando o buquê em cima da mesa.

  -Mãe, Rob está com fome. –Kristen disse, se aproximando com ele no colo.

  -Vem cá, meu amor. –O peguei no colo.

  Arrumei-me na cama e o amamentei.

  -Vamos contar tudo o que a mamãe perdeu. –Edward disse.

  Então nós começamos a conversar sobre esse mês que fiquei fora, era bom saber que tudo tinha corrido bem e que eles se mantiveram firmes, e o Edward, ele foi e é um excelente pai e um excelente irmão, e era bom estar de volta.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Confronto 2ªtemporada" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.