Confronto 2ªtemporada escrita por Gabszinha FerCosta


Capítulo 139
Capítulo 138-Pedidos de desculpas/ Visitando Anthony/ Os 15 casais




  Isabella Marie Swan Cullen

 

  Alguns dias depois…

  Terminei de arrumar o Robert, Marie estava me ajudando, hoje ela não foi pra escola, para organizar tudo o que ela tinha que levar para o internato.

  -Você vai fazer tanta falta aqui. –Disse, terminando de vestir o Robert.

  Marie sorriu.

  -Eu também vou sentir muita falta de vocês, mas sempre que eu puder, virei visita-los e quero que vocês vão me visitar. –Marie disse.

  -Pode deixar. –Disse.

  -A gente vai visitar o Thony? –Marie perguntou.

  -Sim, seu pai e eu precisamos passar na agencia primeiro e depois iremos pra lá.

  Ela assentiu.

  -Então vocês voltaram a ser amigos? –Perguntei.

  -Não somos amigos mãe, somos irmãos, e gêmeos. –Ela disse.

  Sorri.

  -Tá, então vocês voltaram a se falar? –Perguntei.

  Ela assentiu.

  -Sim, nós já nos entendemos. –Ela disse.

  -E ele aceitou você e o Gabriel?

  -É, ele disse que está tudo bem e que ele agiu como um idiota e que nos apoiava. –Ela respondeu.

  -E vocês estão tendo alguma coisa? –Perguntei.

  -Não, com essa de eu ir para o internato, eu preferi não me envolver com ele, disse que era melhor não nos prendermos, nós somos novos demais pra isso, estamos entrando na adolescência agora, eu consegui uma bolsa para estudar em uma escola e só sairei de lá, depois da faculdade e lá me tornarei uma bailarina profissional, eu não quero isso pra mim agora, e Gabriel me entende, ele também quer que eu estude primeiro e depois pense nisso, nós planejamos voltar a falar sobre… relacionamentos, quando estivermos com uns 15 ou 16 anos. –Ela disse.

  -Você ainda vai estar no internato.

  -É, e nós podemos namorar a distância. Você acha que isso não vai dar certo? –Ela perguntou.

  -Claro, se vier esforço das duas partes e se vocês se amarem de verdade, isso vai dar certo. –Disse.

  -É daqui há 5 anos. –Ela disse.

  Sorri.

  -Como quiser. –Disse. –Seu irmão não pensa como você, não é?

  -É, Thony logo estará namorando com a Lilly.

  -Lilly é apelido para Felicity?

  -É.

  -Fale-me mais dela, por que eu só sei que ela é minha fã. –Pedi.

  -Tá. Ela entrou na escola ano passado e durante 1 ano inteiro, ela e Anthony ficaram só nas olhadas, sem se falar. Ai ela começou a te assistir, se apaixonou pela série, virou sua fã. Thony pediu para todos da sala não falar que éramos seus filhos, ele ficou com medo dela se aproximar dele, só para te conhecer, ai eles começaram a conversar, começaram a gostar um do outro e depois ele revelou que era seu filho, ela até disse que isso não faria diferença, que ela gostaria dele do mesmo jeito.

  Sorri.

  -Que bonitinho. –Disse.

  Marie riu.

  -É, ela e ele se aproximaram mais quando eu e Gabriel nos afastamos dele. Sabe, antes dele passar mal, estávamos na aula de história, ele tinha sentado no fundo da sala com a Felicity, estávamos assistindo as apresentações dos trabalhos, ai foi a nossa vez de apresentarmos os trabalhos e fomos chama-los, e eles estavam quase se beijando e atrapalhamos.

  -Ih, eles devem ter ficado bravos. –Disse.

  -Ficaram um pouco, mas foram apresentar o trabalho com a gente, ai tudo aconteceu. –Ela disse. 

  -Querida, isso já passou, seu irmão está bem. –Disse.

  Ela sorriu.

  -É, que bom. –Ela disse.

  -E você acha que a Felicity é a garota certa pra ele? –Perguntei.

  Ela sorriu.

  -Sim, ela gosta muito dele e ele gosta muito dela, eles formam um ótimo casal, é como se víssemos os próximos Edward e Bella. Thony quer ser jogador e ela quer ser atriz. –Ela respondeu.

  Sorri.

  -É, quem sabe. –Disse.

  Marie riu.

  -Que foi?

  -Nada, eu só conheço a mãe que eu tenho, eu sei o que vai aprontar. –Ela disse.

  -Eu não apronto. É você e os seus irmãos que aprontam e me enlouquecem. –Disse.

  Ela assentiu.

  -Aham, sei. –Ela disse.

  Comecei a rir.

  -Ai meu amor. –A abracei. –Que falta você vai me fazer. Você é com certeza a versão feminina do seu pai.

  Ela riu.

  -Eu também vou sentir sua falta, mamãe. –Ela disse.

  Beijei sua testa.

  -Bom, vamos logo, eu preciso apressar o seu pai.

  Peguei o Rob no colo e saímos do quarto.

  -Mer, desce com o seu irmão, eu vou chamar seu pai. –Disse, lhe entregando o Rob.

  -Tá, não demorem. –Ela disse.

  -Ok.

  Marie desceu com o Rob e eu fui para o meu quarto.

  Entrei no quarto e Edward estava treinando seus passos, com a bengala.

  -Tá gato. –Disse.

  -Mesmo com essa bengala? –Ele perguntou.

  -Você fica lindo de qualquer jeito. –Respondi.

  Ele sorriu.

  -Já está pronto para ir? –Perguntei.

  -Sim, vamos. –Ele disse, se sentando na cadeira de rodas e largando a bengala.

  -Quando você vai começar a sair com a bengala? –Perguntei.

  -Eu quero treinar mais um pouco em casa, pra que não me vejam por muito tempo andando com ela. –Ele disse.

  Peguei a minha bolsa e fui até ele.

  -Logo você voltará a andar normalmente e não precisará nem da cadeira e nem da bengala, e poderá voltar para o futebol. –Disse.

  Ele sorriu.

  -Eu sei.

  Ele levantou a cabeça e eu lhe dei um selinho.

  -Vamos.

  Saímos do quarto e descemos, Marie estava brincando com o Robert.

  -Oi, meus amores. –Rob disse.

  -Oi papai. –Marie disse.

  -Vamos? –Perguntei, pegando o Robert no colo.

  -Vamos. Mãe, a Kris mandou mensagem e disse que nos encontrará no hospital, ela tem uma coisa para nos contar. –Marie disse.

  -E ela não disse o que? –Perguntei.

  -Não.

  -Isso até me dá medo, uma adolescente de 15 anos querendo me contar algo. –Disse.

  -Calma vida, Kris não é descuidada. –Edward disse.

  O olhei.

  -E eu ou? –Perguntei.

  Ele sorriu.

  -Um pouquinho. –Ele respondeu.

  Comecei a rir e revirei os olhos.

  -Vamos logo.

  Fomos pra garagem, Marie entrou no meu carro e eu coloquei Robert na cadeirinha, Edward entrou no quarto e eu guardei sua cadeira no porta malas, entrei no carro e o liguei, dirigi pra agencia, para conversar com a Mary.

  Chegamos em frente a agenciam, parei o carro e virei-me pra trás.

  -Marie, fique aqui no carro com o Rob, nós não vamos demorar, qualquer coisa, pode ligar no meu celular. –Disse.

  Ela assentiu.

  -Está bem. –Ela disse.

  -Ok.

  Saí do carro e peguei a cadeira de rodas do Edward, coloquei a cadeira ao lado da porta do carona, ele saiu do carro e sentou-se na cadeira, peguei minha bolsa e fechei a porta.

  -Vamos? –Perguntei.

  -Vamos. –Ele disse.

  Entramos na agencia e fomos para o elevador, subimos para a sala da Mary, saímos do elevador e encontramos a Alice.

  -Oi. –Ela disse.

  -Oi. –Dissemos.

  -Onde está a Rose? –Perguntei.

  -Emmett ligou e disse que ela não vinha, ela acordou se sentindo mal. –Alice respondeu.

  -E você falou com ela? –Perguntei.

  Ela negou.

  -Não, mais tarde eu irei lhe fazer uma visita, pra ver como ela está. –Alice disse.

  Assenti.

  -Ok, qualquer coisa me avisa. –Disse.

  -Tá. –Alice disse.

  -Eu vou falar com a Mary. –Disse.

  -Ok, tchau. –Alice disse.

  -Tchau.

  -Bella, Edward, Mary está esperando vocês, podem entrar. –A secretária da Mary disse.

  -Ok, obrigada.

  -De nada. –Ela disse.

  Fomos pra sala da Mary e batemos na porta.

  -Entra.

  Entramos na sala.

  -Mary.

  Ela nos olhou.

  -Oi, podem se sentar.

  Fechamos a porta, sentei-me de frente pra ela, Edward parou a cadeira ao meu lado.

  -Você queria falar com a gente? –Perguntei.

  Ela assentiu.

  -Sim, eu… pensei muito sobre a nossa discussão daquele dia e quero me desculpar com vocês. Edward, me desculpe por ter causado um clima ruim no seu casamento e me desculpe sobre o que falei do piso, eu não sou uma pessoa preconceituosa, e acredite, toda aquela discussão causou briga no meu casamento também, John é mais dono dessa agencia do que eu, ele também achou que eu agi errado e não iria gostar se eu deixar as coisas como ficaram, eu peço desculpas aos dois, Bella, você tinha razão sobre tudo o que disse, eu quero que volte pra agencia, você é uma ótima modelo, uma das minhas melhores. –Ela disse.

  Olhei para o Edward e ele olhou pra Mary.

  -E como vai ficar a campanha? –Edward perguntou.

  -Se a Bella voltar, ela ainda vai fazer a campanha, mas quem vai fazer a campanha com ela, é o meu filho Dean. –Mary disse.

  Edward assentiu.

  -Ok, eu aceito suas desculpas, Mary. –Edward disse.

  -Obrigada, eu sinto muitíssimo por tudo que aconteceu. –Ela disse.

  -Tudo bem, desculpe se disse alguma coisa que não gostou. –Edward disse.

  -Tá tudo bem, você só estava defendendo o seu casamento. –Mary disse e me olhou. –E você, Bella?

  Assenti.

  -Eu te perdoou e volto a trabalhar aqui, só espero que isso não volte a se repetir. –Disse.

  Ela assentiu.

  -E não vai, eu já coloquei Jacob em outra campanha. –Ela disse.

  -Obrigada. –Agradeci.

  -Eu é que agradeço. –Ela disse.

  -Bom, eu vou lá fora falar com a Alice. –Edward me olhou. –Ficarei te esperando.

  Assenti.

  -Tá.

  Edward saiu da sala e me deixou sozinha com a Mary.

  A olhei.

  -Mary…

  -Não precisa, Bella. –Ela disse, me interrompendo. –Você tinha razão sobre o Sam. Eu fui uma péssima mãe com ele.

  -Eu estava nervosa naquele dia. Você não é uma péssima mãe, Mary. Você também criou o Dean e ele é uma ótima pessoa.

  -Esse foi o meu erro. Dean sempre fez tudo o que John queria, Sam não, e eles brigavam muito por causa disso, eu nunca me meti, como eles eram homens, eu achava que eles tinham que se entender sozinhos, por causa dessa minha atitude, Sam achou que John e eu preferíamos o Dean, e por isso ele infernizou a vida do Dean.

  -É, aquela garota armou para separar Dean da garota que ele amava, mas acabou fugindo com o Sam, e o Dean se apaixonou por outra pessoa. –Disse.

  -Pois é. –Mary disse. –Sam voltou com a Caroline e o filho deles, eu não aceitou aquela garota mas o garoto, ele é lindo, se parece tanto com o Sam, quando era criança. E ele deu o nome dele, Samuel Jr. Eu estou tão feliz por eles. Dean não quer falar com eles, quer distância deles, ele tem medo do Sam estragar a vida dele de novo, e John e eu estamos com medo, sabe? Ele pode nos magoar de novo. Sam me pediu perdão, disse que ele e Caroline mudou e me pediu um emprego, eu ainda estou na dúvida, sobre tê-lo de volta em nossas vida, acreditar nesse arrependimento dele.

  -Você é mãe dele, Mary. Se ele está falando a verdade, você vai saber. Mas espere, tudo no seu tempo. –Disse.

  Ela assentiu.

  -Obrigada.

  -Agora eu não digo nada sobre o Dean. –Disse, me levantando. –Ele é bem rancoroso.

  -Eu sei. Mas não vou me preocupar com ele agora, se eu e o John conseguirmos perdoá-lo, ai a gente dá um jeito de o Dean perdoá-lo também. –Ela disse.

  -Só não deixe-o atrapalhar a vida do Dean de novo, ele sofreu tanto por causa daquela garota e foi culpa do Sam e da mulher dele, ele já superou isso, está feliz com a Kate.

  -Eu sei, ela tem sido uma nota maravilhosa por todos esses anos e eles já tem data marcada para se casarem, nada vai atrapalhar o relacionamento deles, isso eu vou defender com unhas e dentes. –Mary disse.

  -Eu desejo boa sorte pra vocês. –Disse.

  -Obrigada, Bella. –Ela se levantou. –Mais uma vez, me desculpe pelo que aconteceu e obrigada por voltar.

  Sorri.

  -Águas passadas.

  Ela assentiu.

  -Eu soube do Anthony. Você tinha tanto medo de acontecer com um dos seus filhos. –Ela disse.

  -É, foi duro descobrir isso, mas ele já está sendo bem cuidado e logo sairá do hospital. –Disse.

  -A mãe dele saiu dessa, ele também vai. –Mary disse.

Sorri.

  -Obrigada. E por falar nele, eu tenho que ir vê-lo. Volto amanhã para trabalhar. –Disse.

  Ela assentiu.

  -Ok.

  -Tchau. –Disse.

  -Tchau. –Ela disse.

  Saí da sala da Mary.

  Apesar dela mesma ter se desculpado e ter me pedido para voltar, ela ainda não estava bem, eu a conhecia muito bem, vi em seu olhar. Ela estava preocupada, com medo, e isso tudo era por causa do Sam.

  Era bom eu estar de volta, Sam podia até ter se arrependido, mas aquela tal de Caroline, não me descia. Ela já estragou a vida do Dean uma vez e não a faria tentar de novo, Dean namorava a Kate agora, ela podia acabar sofrendo e não iria permitir isso, até por que Kate era tia do meu irmão.

  Fui pra recepção e Edward estava conversando com a Alice.

  -Oi.

  -Oi, Edward me contou que voltará pra agencia, isso é muito bom, seja bem vinda de volta. –Alice disse.

  Sorri.

  -Obrigada, mas eu só volto amanhã, por que agora eu irei ver o meu filhote. –Disse.

  Ela sorriu.

  -Ok, então nos vemos mais tarde, que eu irei vê-lo. Dê um beijo nele por mim. –Alice disse.

  -Tá bom. Até mais tarde. –Disse.

  -Tchau, tchau Ed. –Alice disse.

  -Tchau, Allie.

  Alice foi para o camarim e Edward e eu entramos no elevador e descemos.

  -É, parece que agora está tudo certo. –Edward disse.

  -É, mas essa volta do Sam. Eu acho que ele vai infernizar todo mundo. –Disse.

  -Então é melhor ficar de olho. –Edward disse.

  -É, e eu gosto muito da Kate, ela não merece se preocupar com isso. –Disse.

  -É, mas a Kate é forte, ela vai saber lidar com isso. –Edward disse.

  Respirei fundo.

  -Tomara.

  Chegamos ao térreo e saímos do elevador, saímos da agencia e fomos para o meu carro, abri a porta do carona para o Edward.

  -Valeu, amor. –Ele disse e entrou.

  Coloquei sua cadeira no porta malas e entrei no carro.

  -Tudo bem por aqui? Vocês ficaram bem? –Perguntei.

  -Sim. –Marie respondeu.

  -E nós demoramos? –Edward perguntou.

  -Um pouco.

  -Tá legal, então vamos ver o nosso pequeno jogador. –Disse, ligando o carro.

  Dirigi direto para o hospital.

(…)

  Estávamos há algum tempo no quarto do Anthony, ele estava bem e se alimentando muito bem e estava conversando sobre futebol com o Edward Carlisle e Esme também estavam lá.

  Estávamos sentados no sofá, Edward era o único que estavam ao lado dele.

  -Ele está reagindo muito bem. –Carlisle disse.

  -Que bom, e ele está comendo? –Perguntei.

  Ele assentiu.

  -Sim, ele até está engordando. Mas, quando ele for pra casa, ele vai poder voltar pra dieta de jogador dele. –Carlisle disse.

  Assenti.

  -E está pronta para semana que vem? –Esme perguntou.

  -Sim, semana que vem, Victor receberá a minha medula. –Disse.

  -É, Tanya e Jacob estão bem ansiosos. –Carlisle disse.

  -E logo ele se recuperará e sairá daqui. –Disse.

  -Oi.

  Alice, Jasper, Rosalie e Emmett entraram no quarto.

  -Oi. –Dissemos.

  -Thony, você tem mais visitas. –Alice disse e logo atrás dela, apareceu Gabriel e Felicity apareceram atrás dele.

  -Oi. –Thony disse, olhando diretamente para a Felicity.

  Olhei para o Edward, ele sorriu e assentiu.

  Peguei o meu presente na minha bolsa e me levantei.

  -Felicity, eu tenho um presente pra você. –Disse, me aproximando dela.

  -Pra mim? –Ela perguntou.

  -É. –Entreguei-lhe a minha foto.

  Ela olhou e sorriu.

  -Uma foto sua com o seu autógrafo. –Ela disse.

  Assenti.

  -É, não era isso que você queria?

  Ela assentiu.

  -Sim, era. Muito obrigada.

  -De nada, mas ainda não acabou. –Entreguei-lhe o envelope. –Aqui tem um passe livre pra você ir ver as gravações de um episódio.

  Ela me olhou, seus olhos azuis brilharam.

  -Sério? –Ela perguntou.

  Assenti.

  -Sim.

  -Ai, obrigada. –Ela me abraçou.

  Sorri.

  -De nada, espero que goste. –Disse.

  -Sim, eu vou amar. –Ela disse.

  -Que bom, agora vá falar com nosso jogador. –Disse.

  Ela assentiu.

  -Ok, obrigada. –Ela disse.

  -De nada.

  Ela foi se juntar ao Anthony, assim como Marie e Gabriel, e Edward se juntou a gente.

  -É, ela já ama a sogra. –Edward disse.

  Sorri.

  -Que bom. –Disse e olhei pra Rosalie. –E como você está? Allie me disse que passou mal hoje.

  -Bem, eu ainda estou um pouco mal, acordei muito enjoada e estou vomitando horrores, nada está parando no meu estômago. –Rose respondeu.

  -É, gravidez é assim mesmo, logo isso passa. –Disse.

  -Tomara. E como está o nosso campeão?

  -Muito bem. –Respondi.

  -Melhor agora, que ele está com a gatinha dele. –Emmett disse.

  -Fala baixo Emm, você vai deixar os dois com vergonha. –Rosalie disse.

  Ele riu.

  -Oi, família. –Kristen entrou no quarto, junto com o Seth.

  -Oi. –Dissemos.

  Kristen foi até o Anthony e lhe deu um beijo na testa.

  -Como você está, maninho?

  -Bem, maninha. –Thony respondeu.

  -Que bom.

  -E ai? O que você tem de tão importante para nos contar?

  Ela se virou pra mim.

  -Pra começar, fica calma mãe, eu sei o que está pensando, sobre eu ter algo para contar pra toda a família, é sobre a minha festa. –Ela disse.

  Respirei aliviada.

  -Tá, e o que é?

  -Não vai dizer que resolveu cancelar tudo? –Edward perguntou.

  -Claro que não!

  Ela pegou alguma coisa dentro da sua bolsa.

  -Aqui, mãe, Ed. Isso é pra vocês. –Ela nos entregou um convite. –Outro pra vocês. –Ela entregou um convite pra Rosalie e Emmett. –Pra vocês. –Ela entregou pra Allie e Jazz. –E para os meus queridos gêmeos. –Ela entregou um para o Thony e outro para a Marie. –Podem abrir.

  Abrimos o convite.

  -Espera, esse é o convite dos 15 casais? –Edward perguntou.

  Kris sorriu.

  -Sim.

  -Nós somos um dos 15 casais? –Perguntei.

  -Isso mesmo. Eu não coloquei o meu pai, por que ele já vai dançar comigo e Esme, bom, ela não é uma das 15, mas vai se arrumar junto comigo e as 15 meninas, por que ela é minha segunda mãe. –Kris disse.

  Esme sorriu.

  -Será uma honra, querida. –Esme disse.

  -Tá, você não colocou o seu pai e me colocou?

  -Isso não tem nada haver com você ser minha mãe, e sim por que é esposa do meu irmão. –Kristen disse.

  -Pra mim vai ser uma honra, eu fui uma das 15 da sua mãe, quem diria que exatos 15 anos depois, eu seria da filha dela. –Rose disse.

  -Pra mim também vai ser uma honra, irmãzinha. Eu tenho experiência em festa de 15 anos, já fui em muitas. –Emmett disse.

  Rosalie o encarou.

  -Foi na época da escola, ursinha. Foi antes de eu te conhecer. Pergunta para o Edward.

  Edward riu.

  -É verdade, Rose. Eu também fui em muitas. –Edward disse.

  -E já foi o príncipe de alguém? –Perguntei.

  -Sim, duas vezes, da Alice e da Tanya. E quem foi o seu príncipe?

  -Jasper, irmão do Damon. –Respondi.

  -Foi uma festa e tanto. –Jasper disse.

  -E o seu, ursinha?

  -Kellan, aquele meu namorado. –Rosalie disse.

  Emmett fez uma careta.

  -Kris, quem vai ser o meu par? A Marie? Por que você deu dois convites pra gente.

  -Por que vocês não são um par, vocês dois podem escolher os parceiros de vocês. –Ela olhou para Gabriel e Felicity. –Escolham quem vocês quiserem.

  Os dois ficaram vermelhos.

  -Bom, pai, Esme, esse é o convite de vocês. –Ela entregou o convite deles, que era diferente.

  -Obrigado querida, esses convites estão ótimos, devem ter custado bem caro, para mim. –Carlisle disse.

  -Carlisle! –Esme chamou sua atenção.

  -Pare de reclamar, eu sou sua única filha. E não se preocupe, por que a mamãe vai dividir a conta com você. –Kristen disse.

  Assenti.

  -Isso mesmo.

  -Quem são os outros casais? –Rose perguntou.

  -Minha cunhada Leah, e eu ainda tive que chamar a Victória para fazer par com ela, já que as duas namoram. Algumas amigas minhas da agencia e a Mellanie.

  -Nós dois e nossa filha. –Jasper disse. –Que maluquice que você inventou, Kristen.

  -Os 15 casais tinham que ser pessoas importantes pra mim, e vocês são. –Ela disse.

  -Ai, que lindo. –Rose disse, a abraçando. –Eu não acredito que já irá fazer 15 anos. –Rose disse, emocionada.

  -Você tá chorando? –Jasper perguntou.

  -São os hormônios, Jasper. Não me julgue. –Rose disse.

  Começamos a rir.

  Era mesmo inacreditável que Kristen já iria fazer 15 anos. E pensar que há 15 anos atrás, eu estava desesperada, sem saber o que fazer para cria-la sozinha.

  -Tá legal. Agora vamos paparicar outra pessoa que tem que se recuperar logo. –Kristen disse e foi até o Anthony, ela o encheu de beijos.

  -É, essa festa vai ser incrível. –Carlisle disse.

  -Vai mesmo. –Respirei fundo. –Ai, é tanta coisa. Semana que vem, eu me interno para doar a medula para o Victor, mês que vem tem a festa da Kristen e depois tem o pior, a mudança da Marie para Oxford. –Disse.

  -Ai Bella, não exagera. Marie vai para um internato, ela vai ficar bem. –Rose disse.

  -Eu não. –Disse.

  -Não se preocupe, Bella. Você vai poder vê-la sempre que quiser. –Esme disse.

  Assenti.

  -Eu vou tentar me conformar. –Disse.

  -Ih, isso vai demorar. –Edward disse.

  Dei-lhe um tapa em seu ombro e ele riu.

  -Ma. –Rob disse, me estendendo os bracinhos.

  -Vem, meu amor. –Esme me entregou ele e ele se aconchegou no meu peito.

  Comecei a niná-lo, pois ele estava com sono. E ficamos ali, eu fazendo Rob dormir, enquanto observávamos o Anthony com os irmãos e os amigos. E aos poucos, tudo voltava ao normal.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Confronto 2ªtemporada" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.