Confronto 2ªtemporada escrita por Gabszinha FerCosta


Capítulo 124
Capítulo 123-No hospital/ Victor internado/ Visitas alegres




  Isabella Marie Swan Cullen

 

  No dia seguinte…

 Acordei na poltrona, ao lado da cama do Edward. Eu estava segurando sua mão.

  Edward ainda dormia tranquilamente, e eu ainda não conseguia conter a felicidade que estava sentindo, por ele ter voltado.

  Levantei-me e lhe dei um beijo na testa.

  -Bom dia, mãe. –Kristen entrou no quarto.

  -Bom dia, querida. –Disse.

  Ela me deu um beijo na bochecha e outro no Edward.

  -Como ele passou a noite? –Ela perguntou.

  Sorri.

  -Muito bem. Estou muito feliz por ele ter acordado. –Disse.

  Ela sorriu.

  -Todos nós estamos. –Ela disse. –Eu trouxe as suas coisas, não posso ficar muito, eu tenho que ir pra escola.

  Assenti.

  -Claro, obrigado. E como os seus irmãos passaram a noite?

  -Bem, Thony e Marie já sabem que o Edward acordou e querem vê-lo. Emm disse que vai busca-los na escola e trazê-los. Rob sentiu muito a sua falta de noite. –Ela disse.

  Assenti.

  -Mais tarde eu vou pra casa, para vê-lo. –Disse.

  Ela assentiu.

  -Ok. Eu passei no quarto do meu pai, lhe dei um beijo, agora eu tenho que ir. –Ela disse.

  -Ok, boa aula. –Disse.

  -Obrigada. –Ela deu um beijo na bochecha do Edward e outro em mim. –Até mais tarde.

  -Tchau. –Disse.

  Kristen saiu do quarto.

  Peguei a bolsa que Kristen deixou e fui para o banheiro.

  Tomei um banho, fiz minha higiene matinal e troquei de roupa.

  Voltei para o quarto, Edward ainda estava dormindo.

  Dei um beijo em sua testa e saí do quarto, fui até o quarto do Carlisle e encontrei uma das enfermeiras na porta, com a bandeja.

  -Bom dia. –Disse.

  -Bom dia, Sra. Cullen. –Ela disse. –O café do Dr. Cullen. –Ela disse.

  -Ok, pode deixar comigo. –Disse, pegando a bandeja de suas mãos.

  -Ok, eu já posso entregar o café do Sr. Cullen? –Ela perguntou.

  Assenti.

  -Claro, ele ainda está dormindo, mas pode ir. Eu já estou indo para ajuda-lo. –Disse.

  Ela assentiu.

  -Sim senhora, com licença. –Ela disse e foi embora.

  Entrei no quarto do Carlisle, coloquei a bandeja no criado mudo.

  Ele ainda estava dormindo.

  Fui até as janelas e abri as cortinas, deixando a claridade entrar.

  Olhei para o Carlisle, ele começou a tampar os olhos.

  -Bom dia, Dr. Cullen. –Disse.

  Ele abriu os olhos, se acostumando aos poucos com a claridade.

  -Pensei que tinha parado com essa mania de acordar os outros, assim, espontaneamente. –Ele disse.

  Sorri.

  -Não posso parar de fazer uma coisa, em que eu sou tão boa. –Disse.

  Ele me olhou.

  -Olha só a pessoa que a Esme me deixou.

  -Essa pessoa é a mãe da sua filha. –Disse. –Ela passou por aqui, você viu?

  Ele assentiu.

  -Sim, ela me deu um beijo e saiu do quarto, então eu voltei a dormir, já que eu não tenho mais autoridade nesse hospital.

  -Ai Carlisle, não faça drama. –Disse, pegando a bandeja.

  -Seu café. –Disse, colocando a bandeja em seu colo.

  -Obrigado. –Ele agradeceu. –Como Edward passou a noite?

  -Bem. –Respondi. –Ele vai mesmo voltar a falar e andar?

  Ele assentiu.

  -Vai sim, aos poucos ele vai, seja paciente. E traga as crianças, isso vai ajudar.

  -Emmett vai trazê-los mais tarde.

  Ele assentiu.

  -Que bom.

  -E você? Como se sente? –Perguntei.

  -Bem melhor, e bem a tempo. Semana que vem, Esme e eu teremos uma audiência, para conseguirmos a guarda provisória. –Ele disse.

  Sorri.

  -É mesmo, então já escolheram a criança?

  -Sim, resolvemos escolher a que Kristen conversou no dia em que foi com a gente ao orfanato. Achamos a história dela maravilhosa, sem contar que elas se deram bem. –Ele disse.

  -Bom, se a Kristen gostou dela, então fizeram uma boa escolha. Ela já sabe?

  Ele negou.

  -Não, queremos fazer uma surpresa pra ela. –Ele respondeu.

  Sorri.

  -Ela vai adorar. –Disse.

  Bateram na porta e a enfermeira que veio entregar o café entrou.

  -Bom dia, Dr. Cullen. –Ela disse.

  -Bom dia, Maddie. –Carlisle disse.

  Ela me olhou.

  -Sra. Cullen, o Sr. Cullen já acordou e precisa tomar café. Tanya ainda não chegou. –Ela disse.

  Assenti.

  -Ok, eu já estou indo. –Disse.

  Ela assentiu e saiu do quarto.

  Olhei para o Carlisle.

  -Vai ficar bem sozinho?

  Ele assentiu.

  -Vou, pode ir. Esme já deve estar chegando. –Ele disse.

  -Tudo bem, tchau. –Disse.

  -Tchau. –Ele disse.

  Saí do quarto do Edward e voltei para o quarto do Edward, entrei no quarto e ele já estava acordado.

  Sorri.

  -Bom dia, bebê. –Disse.

  Ele sorriu pra mim.

  Aproximei-me dele e lhe dei um selinho.

  -Tanya ainda não chegou? –Perguntei.

  Ele piscou duas vezes.

  -Está com fome? –Perguntei.

  Ele piscou uma vez.

  -Ok, então vamos tomar café. –Disse.

  Coloquei a cama para ele ficar sentado e coloquei a bandeja no seu colo.

  Comecei a dar o café pra ele e ele comeu muito bem.

  -Hoje você vai receber a visita dos nossos filhos, Emmett vai busca-los na escola e vai trazê-los pra você ver. –Disse.

  Ele sorriu.

  Sorri.

  -É, eu sei que gostou. –Disse.

  Depois que Edward tomou café, deixei a bandeja vazia no criado mudo e escovei os dentes dele.

  Sentei-me ao seu lado e ficamos conversando, bom, quer dizer, eu conversei com ele, ele só piscava e sorria pra mim.

  -Seu pai me garantiu que logo você vai ficar bom. –Disse. –Eu queria que pelo menos voltasse a falar, para que pudéssemos conversar direito.

 Ele sorriu.

  -Com licença. –O médico entrou.

  -Bom dia, Dr. Mark.

  -Como passou a noite, Sr. Cullen?

  -Muito bem. –Respondi, por ele.

  -Ótimo. –Ele me olhou. –Sra. Cullen, eu posso falar com a senhora? É sobre a ausência da Enfermeira Denali.

  Assenti.

  -Claro. –Dei um selinho no Edward. –Eu já volto.

  Ele sorriu.

  Saí do quarto com o médico e fomos para o corredor, ele parou a minha frente.

  -É alguma coisa com o Victor? –Perguntei.

  Ele assentiu.

  -Sim, ele está muito mal e foi internado.

  -Ai meu deus,  é por isso que a Tanya não veio. –Disse.

  -Ela está no quarto dele, junto com o marido. –Ele disse.

  -Eu vou agora mesmo vê-lo. –Disse.

  -Calma, Sra. Cullen. Quando o Dr. Cullen adoeceu, eu peguei todos os casos dele, e o caso de Victor Black, é um deles. –Ele disse. –Como já sabe, ele está com leucemia, que está avançando, devido a sua doença nos ossos, ele precisa iniciar o tratamento, a senhora que será a doadora dele, certo?

  Assenti.

  -Sim. –Respondi.

  -Logo ele vai começar a quimio dele, e eu preciso que se prepare para o transplante.

  Assenti.

  -O que eu tenho que fazer? –Perguntei.

  -A senhora tem que tomar esses medicamento diariamente, farei um exame semanal para ver se está em condições para o transplante. –Ele disse, me entregando a receita.

  -E tem certeza de que isso não vai atrapalhar a amamentação do meu filho? –Perguntei.

  Ele assentiu.

  -Tenho, isso não vai afetar em nada o seu leite e nem prejudicar o seu filho. –Ele disse.

  Assenti.

  -Ok, eu tomarei todos os remédios necessários. –Disse.

  -Ótimo.

  -Agora eu posso ver o meu irmão? –Perguntei.

  -Claro, ele está no quarto 22. –Ele respondeu.

  -Obrigada. –Disse e fui para o quarto do Victor.

  Entrei no quarto e encontrei Tanya e Jacob com ele.

  -Oi. –Disse.

  Tanya me olhou.

  -Oi Bella, desculpe não ter ido cuidar do Edward. –Ela disse.

  -Tudo bem, você teve motivos. –Disse, e me aproximei do Victor. –Como ele está?

  -Muito mal. –Jacob respondeu.

  -O médico veio me procurar e disse o que estava acontecendo, ele me receitou os medicamentos que eu tenho que tomar, para a transfusão. –Disse.

  -Espero que ele aguente. –Tanya disse.

  -Ele vai. Ele é um Swan. Somos resistentes. –Disse.

  É, em base a tudo o que o Charlie fez, ele foi bem resistente mesmo.

  -E como está o Edward? –Ela perguntou.

  -Bem, não precisa se preocupar com ele, eu passarei o dia aqui com ele. –Disse.

  Ela assentiu.

  -Obrigada. –Ela agradeceu.

  -De nada. –Disse.

  -Bella, não precisa ficar aqui, nós cuidamos dele, Edward deve estar precisando de você. –Jacob disse.

  Assenti.

  -É, tem razão. –Disse e olhei pra Tanya. –Eu voltarei mais tarde, quando ele acordar. –Disse.

  Ela assentiu.

  -Ok.

  Dei um beijo na testa do Victor.

  -Tchau. –Disse.

  -Tchau. –Eles disseram.

  Saí do quarto do Victor e voltei para o quarto do Edward, aproximei-me da cama, ele estava lá, no mesmo lugar e me olhava.

  Aproximei-me dele e me sentei ao seu lado.

  -Voltei. –Disse e lhe dei um selinho.

  Ele estava me olhando, preocupado.

  -Não se preocupe. Tanya não apareceu, por causa do Victor, ele piorou e está internado, Tanya e Jacob estão com ele, ele tem que começar o tratamento para leucemia. Eu tenho que tomar alguns remédios para a transfusão, e tanto o seu pai, quanto o Dr. Mark, me garantiram que não prejudicará o meu leite. –Disse.

  Ele sorriu.

  Foi difícil Edward aceitar eu ajudar o Victor, mas depois ele entendeu que era injusto culpar o garoto pelos erros dos pais.

  -Eu tenho certeza que ele vai ficar bem. –Disse e o olhei. –Emmett vai buscar as crianças na escola e vai trazê-los para te ver. Gostou da novidade?

  Ele sorriu e piscou uma vez.

  Sorri.

  -É, eu sabia que iria gostar. –Disse e lhe dei um beijo na bochecha. –E então? Vamos esperar as horas passarem juntinhos?

  Ele sorriu.

  -Ok.

  Sentei-me ao seu lado e peguei em sua mão, fiquei conversando com ele, enquanto as horas iam passando, até as crianças chegarem.

***

  Durante essas horas que ficamos esperando, Edward recebeu uma super visita. Phil apareceu junto com o time. Edward ficou muito feliz com a visita, os meninos o alegraram, contaram as novidade e mostrara o jogo que aconteceu logo depois que ele se feriu e o homenagearam, Edward ficou emocionado.

  Eles passaram duas horas aqui, depois eles tiveram que ir embora para treinar e eu continuei conversando com o Edward.

  A porta do quarto abriu.

  -É aqui que estão precisando de uma visita infantil? –Ele perguntou, entrando com as crianças.

  -Papai! –Anthony e Marie vieram correndo e abraçaram Edward.

  Ele sorriu.

  -Devagar, crianças. –Disse.

  As outras crianças se aproximaram.

  -Oi, tio Ed. –Vinícius, Anne, Mellanie e Christopher disseram.

  Edward sorriu pra ele.

  -Nós trouxemos suas rosas, papai. –Marie disse, colocando a rosa vermelha no criado mudo, Anthony colocou sua rosa branca no criado mudo também.

  -Que bom que acordou, papai. Ficamos com medo de você morrer. –Thony disse.

  Edward sorriu.

  -Por que ele não tá falando, mamãe? –Marie perguntou.

  -Devido ao tempo que ele ficou em coma, ele desaprendeu a se mexer e a falar, ele terá que reaprender tudo de novo. Ele apenas está respondendo piscando o olho. Uma piscada é para sim e duas é para não.

  -Mas ele vai ficar bem? –Thony perguntou.

  Assenti.

  -Sim, logo ele voltará a falar e a andar. –Respondi.

  Eles deram um beijo na bochecha dele.

  -Nós te amamos do mesmo jeito, papai. –Marie disse, Edward sorriu.

  Olhei para o Emmett, que estava com o Robert no colo.

  Fui até ele.

  -Vem cá, meu amor. –Disse, o pegando no colo e lhe dando um beijo no rosto.

  -Alice sabe que pegou os filhos dela na escola? –Perguntei.

  Ele assentiu.

  -Sabe, e ela mandou dizer que mais tarde vem com o Enzo, para visitar o Edward. –Ele disse.

  -Ok.

  Olhei para o Rob.

  -Venha, vamos dar oi para o papai. –Disse e me aproximei da cama. –Olha só amor, o nosso garoto não está enorme?

  Ele olhou para o Robert e sorriu. Rob olhou pra ele e também sorriu, estendendo os bracinhos pra ele.

  Coloquei Robert perto do Edward e ele lhe deu um beijo na testa, coloquei Robert em seu colo e ele se aconchegou em seu peito.

  -Ele estava mesmo com saudade do pai. –Emmett disse.

  -Todos nós estávamos com saudade dele. –Disse.

  -É, você tem razão. –Ele disse.

  Olhei para o Emmett.

  -E a Kristen? Não veio com você?

  Ele negou.

  -Não, ela foi embora com o Seth, ela foi ajuda-lo com a mãe dele. –Ele respondeu. –Ela disse que vem mais tarde.

  -Ok. –Disse e olhei para o Robert.

  Ele me olhou com uma carinha de fome. Claro, ele ficou sem o meu leite, a noite inteira.

  -Ih, alguém está com fome. –Disse e peguei o Robert. Olhei para o Edward. –Eu já te devolvo ele.

  Ele sorriu.

  Fui pra poltrona e amamentei o Robert. Olhei pra cama do Edward e ele estava sendo paparicado por todas as crianças, e pela sua cara, ele estava gostando daquilo. Emmett só observava, assim como ele, sorrindo e mostrando suas covinhas, nós estávamos tão aliviados e ver nosso Edward assim, progredindo, e logo, ele voltaria a ser aquele jogador maravilhosos que ele sempre foi e nada mais de ruim iria acontecer nessa família.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Confronto 2ªtemporada" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.