Confronto 2ªtemporada escrita por Gabszinha FerCosta


Capítulo 122
Capítulo 121-Tempo passando/ Cuidando/ Primeira palavra/ O fim da ansiedade




  Isabella Marie Swan Cullen

 

  3 meses depois…

  Esses últimos 3 meses tem sido bem difíceis. Edward permanecia em coma, sem previsão de acordar, o que nos deixava muito agoniados.

  Passamos natal e ano novo sem ele e foi muito difícil. Kristen havia voltado pra casa e pra piorar mais ainda, devido a tantas emoções, Carlisle não estava nada bem, ele não dormia e nem se alimentava direito, de tão preocupado que ele estava com o Edward e acabou tendo um enfarte. Ele estava bem, estava internado e ficaria bem logo, mas estava acontecendo tantas tragédias, que até desanimava. As únicas pessoas que me faziam feliz, eram os meus filhos.

  Kristen e Seth haviam voltado a namorar. Ela ainda estava meio traumatizada, ela voltou a fazer terapia com o Damon e fazia alguns tratamentos, devido ao abuso que sofreu do Quil.

  Marie estava concorrendo a um concurso de bailarinas e ensaiava quase o dia inteiro, eu até havia contratado uma professora particular para dar aula pra ela, seu dia se dividia em escola, chegar em casa, fazer o dever e passar o resto do dia ensaiando.

  Anthony estava participando de um campeonato de futebol e treinava pesado, Edward teria muito orgulho dele.

  Eles estavam bastante ocupados, mas ainda sentiam falta do pai, sempre iam visita-lo e levavam flores pra ele.

  Robert também estava mudando muito, ele estava quase completando um ano. Ele estava com 8 meses, Edward perdeu alguns meses do seu crescimento e não pode acompanha-lo. Ele já estava engatinhando e engatinhava pela casa inteira.

  Eu insisti em voltar para o trabalho, eu não podia parar a minha vida e nem o Edward iria querer isso.

  Hoje era dia de cuidar do Edward, então peguei as coisas que eu precisava e guardei dentro de uma bolsa.

  Robert veio da cozinha engatinhando, ele sentou no chão e me olhou.

  Sorri.

  -Oi, meu amor. –Disse e estendi os braços pra ele. –Vem aqui com a mamãe.

  Ele engatinhou na minha direção, e quando se aproximou, eu o peguei no colo.

  -Ah, meu bebê. –Lhe dei um beijo no rosto. –Vamos ver o papai?

  Ele sorriu pra mim e eu sorri de volta.

  -Mãe, estamos prontos. –Anthony disse.

  Assenti.

  -Ok, então vamos.

  -Você vai visitar o papai? –Marie perguntou.

  -Sim, eu poderia levar vocês, mas vocês têm futebol e balé. –Disse.

  -Podemos ir quando sairmos? –Thony perguntou.

  -Claro. –Respondi.

  -E você pode comprar a rosa branca? –Marie perguntou.

  Sorri.

  -Claro, como sempre. –Respondi.

  Todos os dias em que eles iam visitar o Edward, eles deixavam uma rosa branca e uma vermelha no quarto. A branca quem dava era a Marie e a vermelha era o Anthony, eles disseram que davam rosas diferentes, por que eles são gêmeos não idênticos, ou seja, um é diferente do outro.

  -Vamos, antes que vocês se atrasem? –Perguntei.

  -Vamos. –Eles responderam.

  Peguei minha bolsa, a bolsa com as coisas do Edward e a bolsa do Robert e fomos para o carro.

  Coloquei Robert na cadeirinha dele, a minha bolsa no banco do carona, a bolsa do Edward e do Robert no porta malas e entrei no carro. Os gêmeos também entraram e eu dirigi primeiro para a escola de dança, para deixar a Marie.

  Parei o carro em frente a escola de dança.

  -Pronto filha, tenha uma boa aula. –Disse. 

  Ela me deu um beijo na bochecha.

  -Tchau mamãe, dá um beijo no papai. –Ela disse.

  Sorri.

 -Pode deixar.

  -Tchau Thony, Rob.

  -Tchau. –Thony disse.

  Marie saiu do carro e correu pra dentro da escola, quando ela entrou na escola, fui embora.

  Dirigi para o clube de futebol, cheguei ao clube.

  -Pronto, meu amor.

  -Obrigada, mamãe. –Ele me deu um beijo na bochecha. –Cuida bem do papai.

  Sorri.

  -Eu sempre cuidarei muito bem dele. –Disse.

  Ele sorriu e deu um beijo na bochecha do Rob.

  -Tchau. –Ele disse.

  -Tchau. –Disse.

  Anthony saiu do carro e entrou no clube.

  Virei-me e olhei para o Robert.

  -Vamos ver o papai?

  Ele sorriu pra mim.

  Sorri e virei-me.

  Dirigi direto para o hospital.

  Cheguei no hospital, sai do carro, abri o porta malas e tirei o carrinho do Robert, o abri e tirei Robert do carro, coloquei-o no carrinho e peguei a minha bolsa e a dele, fechei o carro e empurrei o carrinho para dentro do hospital.

  Fui primeiro ao quarto do Carlisle, para vê-lo, entrei no quarto e Carlisle parecia entediado.

  -Olá. Trouxe alguém para ver o vovô. –Disse.

  Ele sorriu.

  -É muito bom ver um rosto angelical. –Ele me olhou. –O dele, não o seu.

  -Ah, é assim que você trata a sua nora e mão da sua filha? Que ainda trouxe o seu neto predileto para te ver?

  Ele riu.

  -Não espalhe isso, eu tenho muitos netos, que podem ficar com ciúmes.

  Sorri.

  -Eu não vou. –Disse.

  -Me deixa pegá-lo. –Ele pediu.

  -Claro.

  Peguei Robert e o coloquei no colo do Carlisle.

  -Oi garotão. –Ele disse. –Você está a cara da sua mãe, mas o importante é que você tem saúde.

  -Hei! Não fale assim do único que puxou pra mim. –Disse.

  Ele riu.

  -E como você está se sentindo? –Perguntei.

  Ele me olhou.

  -Eu estou ótimo. Não sei por que ainda estão me mantendo aqui, eu preciso sair, preciso cuidar do meu filho. –Ele disse.

  -Carlisle você teve um enfarte, podia ter morrido, isso por que você deixou de viver por causa do Edward, todos nós deixamos e você foi o único que adoeceu. Você tem que se cuidar, Edward está bem, ele está sendo cuidado por outro médico, e você vai ficar aqui quietinho, se cuidando. –Disse.

  -Eu não vou conseguir ficar preso nessa cama por muito tempo! –Ele reclamou.

  -Carlisle! Sossega. –Disse.

  -Eu não consigo!

  -Escuta, se alguma coisa mais grave tivesse acontecido com você e Edward acordar, ele iria ficar muito mal, por sua causa e iria matar a gente por não ter cuidado de você, então fica quietinho, pelo bem do meu casamento. –Disse.

  Ele bufou.

  -Olá. –Esme entrou no quarto.

  -Oi Esme, ainda bem que chegou, por que o seu marido já queria levantar da cama pra ir ver o Edward. –Disse.

  -Ai, você não sabe o trabalho que esse homem está me dando, ele é pior que criança. –Ela disse.

  -Eu não sou do tipo que fica parado. –Ele disse.

  -Mas pelo seu bem, você vai ficar. –Esme disse e deu um beijo na testa do Robert. –Oi, querido. –Esme me olhou. –Como você está, Bella?

  -Bem. –Respondi. –Eu tenho que fazer a higiene do Edward, pode ficar com o Rob?

  Esme assentiu.

  -Claro, vá lá cuidar do meu filho e deixa que a gente cuida do seu filho. –Ela disse. –Aproveita que ele está com o vovô babão.

  Carlisle revirou os olhos.

  Comecei a rir.

  -Tudo bem, eu vou lá. –Dei um beijo na testa do Robert. –Tchau meu amor. –Disse. –Se cuida, Carlisle.

  -Tá. –Ele disse.

  Peguei minha bolsa e a bolsa do Edward e dei um beijo na Esme.

  -Cuida desses dois. –Disse.

  -Pode deixar.

  Saí do quarto do Carlisle e fui em direção ao quarto do Edward.

  -Mãe. –Virei-me e dei de cara com a Kristen.

  -Oi, eu não sabia que estava aqui. –Disse, a abraçando. –Não estava na casa do Seth?

  Ela assentiu.

  -Estava, mas a mãe dele passou muito mal, então a trouxemos. O médico não é como o papai e deixou ela ficar somente com os filhos, então aproveitei pra visitar as duas pessoas que amo, que está aqui no hospital.

  Sorri.

  -Que bom. Olha, Rob está com Esme e Carlisle. –Respondi.

  -E os gêmeos?

  -Marie no balé e Thony no futebol.

  Ela assentiu.

  -Ok, você vai limpar o Edward? –Ela perguntou.

  Assenti.

  -Vou. –Respondi.

  -Tá, eu vou ver o papai e depois eu passo lá para dar um beijo no Ed. –Ela disse.

  -Tudo bem. –Disse.

  Ela me deu um beijo na bochecha.

  -Até daqui à pouco. –Ela disse.

  -Até.

  Kristen foi para o quarto do Carlisle e eu fui para o quarto do Edward.

  Entrei no quarto e ele estava com a Tanya, que era a sua enfermeira.

  -Oi, Tanya. –Disse.

  -Oi Bella. –Ela disse.

  -Como ele está? –Perguntei.

  -Bem. –Ela respondeu. –Veio cuidar dele?

  Assenti.

  -Sim. –Respondi.

  -Ok, então eu vou deixa-lo nas suas mãos. Eu tenho que ir, hoje o Victor tem tratamento e eu tenho que estar presente na sessão, pra ele ficar calmo.

  Assentiu.

  -Claro, pode ir. Dê um beijo nele por mim. –Disse.

  -Ok, tchau. –Ela disse.

  -Tchau.

  Tanya saiu da sala.

  Aproximei-me do Edward.

  -Oi meu amor. –Lhe dei um beijo no rosto. –Como você está hoje?

  Ele continuava ali, do mesmo jeito, só que o cabelo estava maior, a barba também.

  -Vamos começar? –Perguntei.

  Peguei a bolsa e a abri, tirei a tesoura e o pente da bolsa.

  -Você nunca me deixou cortar o seu cabelo, por que sempre teve medo de eu te deixar careca e você perder esse seu topete. –Sorri. –Emmett te chamava assim, de topete, lembra? Bom, agora você não tem saída, eu serei sua cabeleireira.

  Seria muito bom se ele acordasse e corresse de mim, pra eu não cortar o seu cabelo.

  Respirei fundo.

  -Vamos começar.

  Peguei as mechas do seu cabelo e comecei a cortar.

  Cortei perfeitamente bem e ele ficou lindo como sempre.

  -Pronto, e você continua com o seu topete. –Disse e beijei sua testa.

  Guardei a tesoura e o pente e peguei a máquina de barbear, passei pelo seu rosto e tirei sua barba.

  Quando eu terminei, tirei o avental do hospital do seu corpo, o deixando nu e lhe dei um banho de gato, quando ele ficou limpo, coloquei um avental limpo.

  -Pronto meu amor, agora você está limpinho. –Disse e lhe dei um beijo na bochecha.

  -Oi. –Rosalie entrou no quarto.

  -Oi Rose. –Disse.

  -Como está o nosso jogador hoje? –Ela perguntou, se aproximando e pegando na mão do Edward.

  -Bem, ele acabou de tomar um banho. –Respondi.

  Ela assentiu.

  -E como está esse bebê? –Perguntei, passando a mão na sua barriga.

  Logo depois que Edward entrou em coma, Rosalie descobriu que estava grávida de 1 mês, hoje ela estava com 4 meses.

  -Muito bem, eu acabei de voltar de uma consulta. Foi a minha primeira consulta com outro médico. –Ela disse.

  Sorri.

  -É, é muito difícil ficar sem o nosso médico predileto. –Disse.

  Ela sorriu.

  -Espero que ele saia logo dela. –Ela disse.

  -Ele vai sair, Carlisle já está se recuperando. Ele está sendo um chato, por que tem que manter repouso, mas logo ele está de volta a ativa. –Disse.

  -É.

  -Foi tudo bem na consulta?

  Ela assentiu. 

  -Sim, quem está me atendendo agora é a Carmen Denali. –Ela disse.

  -Então você está em boas mãos. –Disse.

  -E eu não sei? Ela que fez o parto da Kristen. –Ela disse.

  -E auxiliou no parto dos gêmeos e do Rob. –Disse.

  Ela sorriu.

  -Ontem Emmett começou a conversar com a minha barriga e ele deu suas primeiras mexidas. –Ela disse.

  Sorri.

  -É, já foi conquistado pelo papai. –Disse.

  Ela riu e olhou para o Edward.

  -Espero que ele acorde antes do meu bebê nascer. –Ela disse. –Até por que ele é o padrinho.

  -Ele vai acordar. Ele vai acordar antes do Robert fazer um ano. –Disse.

  -Tomara, amiga. –Ela disse.

  -Podemos entrar? –Kristen perguntou, entrando no quarto junto com Esme, que estava carregando o Robert.

  -Oi, claro. –Disse.

  -Vejo que ele já está bem limpo. –Esme disse, me entregando o Robert.

  -Sim, ele acabou de tomar um banho de gato. –Respondi, dando um beijo na bochechado Robert.

  Esme se aproximou e deu um beijo em sua testa.

  -Oi, meu filho. Você está lindo hoje. –Ela disse.

  -Oi, tia. Como está esse bebê lindo? –Kristen perguntou, passando a mão na sua barriga dela.

  Emmett quis que dessa vez fosse diferente como os padrinhos do filho, ele preferiu dar para os dois irmãos, Edward e Kristen, mas é claro que Edward não sabia que tinha ganhado mais um afilhado, ele só sabia do filho recém nascido da Alice e do Jasper.

  -Ele está ótimo, tem o coração tão forte quanto o pai. –Rose respondeu.

  Kristen sorriu.

  -Que bom. –Ela disse e se aproximou do Edward. –Oi, irmãozinho.

  Ela lhe deu um beijo na bochecha.

  -E o Carlisle? –Perguntei.

  -Ele está impossível, eu tive que pedir pra enfermeira lhe dar um sedativo, pra ele não sair da cama, agora ele está dormindo como um anjo. –Esme respondeu.

 Comecei a rir.

  Robert começou a estender os bracinhos na direção do Edward.

  -Ele quer o colo do papai. –Esme disse.

  Coloquei Robert na cintura do Edward e ele engatinhou até o seu peito e ele sentou ali, as perninhas no ombro dele.

  -Devagar filho, para não machucar o papai. –Disse.

  Ele sorriu e colocou a mãozinha no rosto do Edward.

  -Papa.

  Sorri.

  -Ai, meu Deus. –Disse.

  -Ele disse papai! –Esme disse.

  Sorri.

  -Sim, pela primeira vez, e foi a primeira vez que ele falou. –Disse.

  -Ai, isso é lindo. –Kristen disse.

  A primeira palavra que Kristen disse, foi mamãe, os gêmeos também e Robert disse papai, sem nem mesmo Edward poder ouvir.

  -É, meu amor. É o papai. –Disse e dei um beijo na cabeça dele.

  —Papa.—Robert disse de novo, olhando para o Edward.

  Ele me olhou e começou a chorar.

  -Calma, meu amor. –O peguei no colo. –Logo o papai vai te responder e te pegar no colo.

  Eu estava emocionada, eu não sabia como acalmar meu próprio filho, e ele não entendia por que o pai não o respondia e nem se mexia.

  -Bella, vá dar uma volta com ele para acalmá-lo. –Esme disse.

  Ela sabia que eu também precisava dar uma volta.

  Respirei fundo. 

  -Ok.

  Saí do quarto com o Robert e fiquei dando voltas pelo hospital. Era muito doloroso ver Kristen, Marie e Anthony sofrendo pelo Edward, agora ver o Robert sofrendo, sem em nem saber o que estava acontecendo, era muito ruim.

  Mas isso iria passar, logo Edward voltaria pra gente, eu tinha fé nisso.

***

  Cheguei em casa com as crianças, Kristen e Seth.

  Eu havia ido buscar as crianças no futebol e balé e os levei para ver o Edward. Agora estávamos em casa, exaustos.

  -Tá legal, pro banho, os dois. –Disse.

  -Que tal uma pizza? Eu pago. –Seth disse.

  -Não precisa se incomodar, Seth. –Disse.

  -Eu faço questão. –Seth disse.

  Seth havia virado o homem dessa casa e sempre estava cuidando da gente. Eu sentia dó dele, ele se desdobrava em cuidar da mãe doente e da família da namorada dele.

  -Podemos comer pizza, mãe? –Thony pediu.

  Sorri.

  -Claro, mas primeiro vão tomar banho. –Disse.

  -Tá. –Eles disseram e subiram correndo para o quarto.

  -Mãe, eu vou colocar o Robert no berço, ele está cansado. –Kristen disse, pegando Robert do meu colo, que estava dormindo.

  -Ok.

  Kristen subiu com o irmão e eu fiquei sozinha com o Seth.

  O olhei.

  -Você é um genro de ouro. –Disse.

  Ele sorriu.

  -Vocês já fizeram muito por mim, minha mãe se trata com o Carlisle sem pagar nada, eu tinha que pagar de alguma forma. Sem contar que vocês são a família da garota que eu amo. –Ele disse.

  Sorri e coloquei as mãos em seus ombros.

  -Se algum dia você se casar com a Kristen, você será muito bem vindo à família. Eu sei que você será um ótimo marido pra minha filha. –Disse.

  Ele sorriu, de orelha à orelha.

  Kristen desceu.

  -Pronto. Vamos pedir essa pizza, por que eu estou morrendo de fome. –Ela disse.

  -Claro, eu vou pedir. –Seth disse, indo até o telefone.

  Antes dele tirar o telefone do gancho, ele tocou.

  -Residência de Edward e Isabella Cullen? –Seth atendeu. –Sim, ela está. –Seth disse. –Só um momento. –Seth me olhou. –Bella, é a Tanya. Ela quer falar com você.

  Assenti.

  -Me dá aqui. –Pedi e ele me entregou o telefone.

  Atendi.

  -Oi Tanya, tudo bem com o Victor? –Perguntei. 

  -Oi Bella, o Victor está muito bem. É o Edward.

  Coloquei a mão no peito, já pensando o pior.

  -O que houve com ele? –Perguntei.

  Kristen e Seth me olharam, preocupados.

  —Ele acaba de acordar.

  Sorri, quase não acreditando. Meu coração se encheu de alegria.

  Meu bebê. Ele acordou. O meu Edward enfim acordou.

  Continua…