Confronto 2ªtemporada escrita por Gabszinha FerCosta


Capítulo 120
Capítulo 119-Prisioneira/ Família sofrendo/ Pista/ Enfrentando/ Ferido


Notas iniciais do capítulo

Oi gente, antes de irem para o capítulo, eu queria das explicações.
Sobre eu não ter postado na semana passada, foi por que eu tive uma semana muito corrida.
Uma prima minha se casou nesse sábado e tive uma semana corrida atrás de vestido, cabelo, unha, quem é mulher entende isso.
E no domingo foi meu aniversário, então não tive tempo de postar.
E nessa semana, voltarei a postar diariamente.
É isso, podem ir ler agora, boa leitra.
Tchau.



  Kristen Swan Cullen

 

  Quil me levou para uma casa abandonada.

  Ele me jogou no chão.

  -Estamos em casa, baby. –Ele disse.

  -Você vai me matar? –Perguntei, encarando o chão.

  -Claro que não, meu amor. –Ele se ajoelhou e pegou meu rosto. –Você será inteiramente minha, pra sempre.

  O olhei.

  -Deixa eu pelo menos me despedir da minha mãe, por favor. –Implorei.

  -Não!

  -Quil, por favor, eu te conheço, você não é assim. –Disse.

  -Você me deixou assim, louco por você. –Ele disse, vindo pra cima de mim.

  -Não, Quil. NÃO! –Gritei, mas ele não me ouvia e me atacou.

  Eu estava me sentindo completamente sozinha, brigada com a minha família, eles não viriam atrás de mim, e as únicas coisas que eu queria agora, era os meus pais e os meus irmãos.

  Não era a primeira vez que eu era sequestrada, Charlie e Renée me sequestraram, junto com a minha mãe, eu me lembro do Charlie atacando a minha mãe, mas dessa vez eu que estava sendo atacada, o pior era que a minha mãe não estava aqui comigo, e eu podia nunca mais vê-la.

  Isabella Marie Swan Cullen

  Edward e eu desabamos em cima da mesa da sala de jantar.

  Hoje nós dois estávamos de folga, Robert estava na casa da Esme, Anthony estava no futebol e Marie no balé.

  Eu estava tentando me recuperar de tudo o que havia acontecido com a Kristen e Edward estava me ajudando, ela estava cumprindo com o que ela tinha dito, ela estava se mantendo afastada, e pra falar a verdade, eu estava sentindo muito a falta dela, ela era minha filha e não tinha como eu deixar de amá-la.

  -Nossa! A gente devia aproveitar mais as nossas tardes de folga. –Ele disse.

  Sorri.

  -Eu também acho. –Disse e o olhei. Dei-lhe um selinho. –Eu te amo, muito.

  Ele sorriu.

  -Eu também te amo, vida. –Ele disse e me beijou. –As crianças vão demorar muito pra chegar?

  Assenti.

  -Mais um pouquinho. –Respondi.

  -Então temos mais tempo? –Ele perguntou.

  Sorri.

  -Sim, nós temos mais um tempo. –Disse.

  Ele sorriu.

  -Ótimo. –Ele se levantou da mesa e estendeu a mão pra mim. –Vem.

  Peguei em sua mão e ele me pegou no colo.

  Fomos pra sala de estar e Edward me jogou no sofá e veio pra cima de mim.

  -NÃO! –Escutei um grito.

  Empurrei o Edward e me sentei no sofá.

  -Que foi? –Edward perguntou.

  -Escutou isso? –Perguntei.

  -O que?

  -Parece que eu ouvi um grito. –Disse.

  -Eu não ouvi nada, nós estamos sozinhos, Bella. –Ele disse.

  Respirei fundo.

  -Eu tinha certeza que era a Kristen. –Disse.

  Ele pegou na minha mão.

  -Vida, você ainda está muito abalada por tudo o que aconteceu, é coisa da sua cabeça. –Ele disse.

  O olhei.

  -Eu… estou com um mal pressentimento. –Disse.

  -Não seja fraca, você foi forte até agora. –Ele disse.

  Respirei fundo e me sentei no seu colo.

  -Eu não sei o que seria de mim sem você. –Disse.

  Ele sorriu.

  -E nem eu sem você. –Ele disse.

  Sorri e o beijei.

  Quando iriamos recomeçar nossas aventuras, a campainha tocou.

  -Eu não acredito nisso. –Ele disse.

  Sorri e saí do colo dele.

  -Vai abrir. –Disse.

  Ele se levantou e vestiu a cueca.

  -Vai atender a porta só de cueca? E se for uma mulher? –Perguntei.

  Ele sorriu.

  -Relaxa, melhor eu de cueca do que nu. –Ele disse.

  -Eu vou estar bem aqui vigiando. –Disse.

  Ele sorriu.

  -Ciumenta. –Ele disse.

  -Exibido.

  Ele riu e foi abrir a porta.

  Peguei a camisa dele e vesti.

  -Edward.

  -O que você tá fazendo aqui, garoto?

  -Por favor, eu preciso da sua ajuda, é a Kristen. –Seth disse, desesperado.

  -O que a minha irmã fez dessa vez?

  Levantei-me e me aproximei.

  -Deixa ele entrar, Edward. –Disse.

  Edward respirou fundo e deixou o Seth entrar.

  -Venha, sente-se. –Disse.

  Seth se sentou, ele estava muito nervoso.

  -Calma, o que aconteceu? –Perguntei, me sentando a sua frente, Edward se sentou ao meu lado.

  Ele me olhou.

  -Desculpa Bella, eu devia tê-la impedido. –Ele disse, chorando.

  -Fala logo o que aconteceu, você está nos deixando nervosos! –Edward disse.

  -Eu recebi uma mensagem do celular dela, me pedindo para encontra-la no beco atrás da escola, quando eu cheguei lá, eu a encontrei e ela disse que não mandou mensagem nenhuma pra mim e que ela havia recebido uma mensagem do Jared, para encontrá-la lá. –Ele disse.

  -O primo do Quil? –Perguntei.

  -É, eles estavam mais próximos. Nos demos conta de que o celular dela foi clonado, e quem apareceu dizendo que era responsável, foi o Quil. –Seth disse.

  -Eu pensei que o lance deles havia terminado. –Edward disse.

  -Eu também pensei.

  -Ele estava com o Jared, Quil havia batido nele, ele não gostou do próprio primo ter se interessado por ela, e…

  -E o que? Desembucha, Seth! O que aconteceu com a minha filha?

  -Jared tentou correr e disse pra Kristen correr, Quil estava armado e matou o Jared com um tiro na cabeça. –Seth disse.

  -O que? O próprio primo?

  -Depois ele apontou a arma pra mim e disse que eu era o próximo, então a Kristen se colocou na frente dele…

  -Ele atirou na minha irmã? –Edward perguntou.

  -Não. Kristen pediu pra ele não atirar em mim, que ela fazia o que ele quisesse, então ele a obrigou a ir embora com ele. Eu juro que tentei impedir, mas Kristen não queria que ele me machucasse, eu disse ao Quil que eu procuraria vocês e ele me disse que eles estariam longe.

  Senti um aperto no meu peito.

  -Meu Deus. Não, de novo não. –Disse, chorando.

  -Calma, Bella. –Edward disse e se virou para o Seth. –Ele não deu nenhuma informação?

  Seth negou.

  -Eu não acredito, se esse desgraçado machucar a minha irmã, eu acabo com ele! –Edward disse.

  -Edward…

  -Calma linda, nós vamos encontra-la. –Edward disse. –Seth, tente por favor contatar alguém que conheça a família dele, eu preciso acalmar a Bella.

  Seth assentiu.

  -Ok.

  -Venha, amor.

   Edward me levou até a cozinha.

  -Eu não acredito que isso está acontecendo de novo. –Disse.

  -Hei, calma. A gente vai encontrá-la. –Edward disse.

  -Nós demos as costas pra ela. Sabe como eu estou me sentindo agora?

  Ele respirou fundo.

  -Eu sei, eu também estou me sentindo assim. Mas eu prometo pra você, eu a trarei de volta.

  Assenti.

  -Aqui, tome esse calmante, tente se acalmar. Eu vou ligar para o meu pai. –Ele disse, colocando o comprimido na minha boca.

  Engoli o comprimido e abracei o Edward.

  Ele beijou minha cabeça e me consolou.

  Eu não devia ter parado de falar com a Kristen, olha tudo o que estava acontecendo? Minha menina, nas mãos de um psicopata mais uma vez, eu não sei se eu aguentaria isso de novo.

***

  Acordei no meu quarto, e Edward havia me vestido com uma longa camisola.

  Sentei-me na cama, processando tudo e percebi que não havia sido um pesadelo, era realidade.

  -Hei. –Carlisle se sentou a minha frente.

  -Carlisle… -Peguei em sua mão. –Levaram a nossa filha.

  Ele respirou fundo.

  -Eu sei. Desculpe-me. Ela estava morando comigo, eu devia ter cuidado melhor dela.

  -Todos temos culpa. Nós a estávamos ignorando. Se alguma coisa acontecer com ela, eu não vou me perdoar. –Disse.

  -Não diga isso, não vai acontecer nada com ela, nós vamos acha-la. –Ele disse.

  -Quando os meus pais a sequestraram, eu senti uma dor terrível. E agora… agora dói bem mais. –Disse.

  Ele assentiu.

  -Eu sei. Também está doendo em mim, minha única filha. Mas nós vamos encontra-la. –Carlisle disse.

  Abaixei a cabeça, eu me sentia mal, com um pressentimento ruim.

  -Carlisle, ela não está bem, eu sinto isso. –Disse.

  -Calma, ela vai voltar pra gente. –Ele disse.

  Comecei a ter uma crise de choro.

  Carlisle foi para o banheiro e voltou com um comprimido e me entregou.

  -Aqui, tome. –Ele disse.

  Peguei o comprimido e tomei com um gole de água.

  -Venha, vamos nos juntar aos outros, precisamos ver o que a gente vai fazer. –Ele disse, me estendendo a mão.

  Peguei a sua mão e me levantei.

  Carlisle me puxou pra fora do quarto e descemos.

  Na sala de estar estavam Esme, Emmett, Rosalie, Alice, Jasper, Seth e Edward.

  -Bella. –Esme me abraçou. –Você está tão abatida. –Ela olhou para o Carlisle. –Ela vai entrar em depressão desse jeito.

  Carlisle respirou fundo.

  -Eu sei, eu dei um forte calmante pra ela. –Ele disse.

  -Querida. –Edward se aproximou e me abraçou. –Venha, sente-se aqui comigo.

  Ele me fez sentar no sofá e eu me sentei ao seu lado.

  -Como você tá, amiga? –Rosie perguntou.

  -Péssima. –Respondi.

  -A gente tem que dar um jeito de encontra-la. –Alice disse. 

  -E como vamos fazer isso? –Jasper perguntou.

  -Seth, conseguiu alguma coisa? –Edward perguntou.

  -Não, eu liguei para todos os nossos amigos, ninguém sabe do Quil, a família dele também está procurando por ele, pela morte do Jared. –Ele respondeu.

  -Seth, você tem o número do celular dele? –Emmett perguntou.

  Seth assentiu.

  -Sim.

  -Então me dê. –Emmett disse.

  -O que vai fazer, Emmett? –Rose perguntou.

  -Eu conheço algumas pessoas que podem rastrear celular. Isso já é alguma coisa. –Emmett respondeu.

  -É, tem razão. –Carlisle disse.

  Edward segurou a minha mão.

  -Tudo bem? Quer voltar para o quarto? –Ele perguntou.

  Neguei.

  -Não, eu quero ficar aqui. –Respondi.

  -Mamãe! –Marie e Anthony chegaram.

  -Oi, meus amores. –Disse.

  Marie se sentou no meu colo e me abraçou.

  -Por que está todo mundo aqui? E por que a mamãe está de camisola? –Thony perguntou.

  -Nada filho, a mamãe passou mal e todos vieram ver como ela está. –Edward disse.

  -Você está melhor, mãe? –Marie perguntou.

  Sorri.

  -Sim, querida. Eu já estou me sentindo melhor. –Disse.

  -E onde está a Kris? –Thony perguntou, olhando para o Seth.

   Segurei-me para não voltar a chorar. Ninguém queria que os meus meninos sofressem.

  -Ah… ela está ajudando minha irmã a cuidar da minha mãe e pediu pra eu ver a Bella. –Seth mentiu.

  Anthony assentiu.

  Ele era difícil de ser enganado, ele era que nem o pai.

  -Mamãe, nós vamos fazer um desfile na escola. –Marie disse.

  Sorri.

  -É mesmo, querida? Que bom. –Disse. –Você vai desfilar de bailarina?

  Ela negou.

  -Não, eu vou ser uma modela muito linda, em homenagem a você, tia Rosie e a Kris. –Ela disse.

  Sorri.

  Estava doendo demais o sequestro da Kristen, mas ver a felicidade da Kristen, estava me ajudando a suportar.

  -Que lindo, querida. –Disse e lhe dei um beijo na testa.

  -Onde está o Rob? –Anthony perguntou.

  -Ele acabou de dormir, querido. –Esme respondeu.

  -Eu fiz um desenho na aula de artes e dediquei a ele. –Anthony mostrou o desenho. –É ele vestido de jogador. Eu tenho certeza de que ele também vai querer seguir os passos do papai, e nós dois vamos jogar junto com o papai.

  -É, tomara que seja assim. –Edward disse.

  -Nós seremos uma família linda. As modelos: mamãe, tia Rosie e Kris. Os jogadores: papai, Thony e Rob. E a bailarina: Eu. –Marie disse.

  Sorri.

  -Sim, seremos uma família linda, filha. –Disse.

  -Mãe, eu posso colocar o desenho no quarto do Rob? –Thony perguntou.

  Assenti.

  -Claro, vamos lá. –Disse, me levantando.

  Edward pegou na minha mão.

  -Qualquer coisa é só chamar. –Ele disse.

  Assenti.

  -Ok.

  Fui até os meninos e passei um braço envolta de cada um e subimos para o quarto do Robert.

  Eu estava muito mal com o sumiço da Kristen, estava doendo demais, mas eu tinha outros três filhos, e não podia me esquecer deles, eu até estava me sentindo melhor com eles por perto, eles eram as únicas coisas que estavam me mantendo de pé.

  Edward Anthony Cullen

 

  No dia seguinte…

  A noite foi bem longa, ficamos o tempo todo aqui nessa sala, Bella conseguiu se distrair um pouco com os nossos filhos e depois dormiu.

  Eu fiquei a noite inteira aqui na sala, junto com a minha família, tentando descobrir algo sobre a Kristen, mas não conseguimos achar nada.

  -Edward. Edward, acorda.

  Abri os olhos, dando de cara com o Emmett.

  Eu estava dormindo em uma poltrona, Rosalie estava até esse momento dormindo com o Emmett no sofá, e agora ela estava dormindo sozinha. Meus pais estavam dormindo no outro sofá, Jasper estava na outra poltrona, Alice no seu colo, eles também estavam dormindo. Seth estava dormindo no chão.

  Espreguicei-me.

  -Que foi? –Perguntei.

  -Eu preciso falar com você, vem. –Ele disse.

  Levantei-me e fui até a cozinha com ele.

  -Que foi? –Perguntei.

  -Eu falei com um amigo meu, que tem um conhecido que é hacker e ele conseguiu a localização do celular do Quil, o da Kristen está no mesmo endereço. –Ele disse.

  -Ele pode ter se livrado dos celulares no mesmo lugar. –Disse.

  -Eu sei, mas precisamos conferir. –Ele disse.

  Assenti.

  -Tem razão, eu vou falar com a Bella. –Disse.

  -Não, não vamos dar falsas esperanças. Vamos nós dois. Nós somos os irmãos mais velho e temos que protege-la. –Emmett disse.

  -E o papai? Não vamos nem leva-lo? Kristen é filha dele. –Disse.

  -Papai está velho pra esse tipo de briga. –Ele disse.

   Respirei fundo.

  -Tudo bem, vamos em silencio pra não acordar ninguém. –Disse.

  -Ok.

  Voltamos pra sala de estar, ainda estavam todos dormindo, Emmett deu um beijo na testa da Rosalie e fomos pra garagem.

  Entramos no carro e Emmett colocou o endereço no GPS, então seguimos para o local.

  Chegamos ao local meia hora depois.

  -É uma casa abandonada? –Perguntei.

  -É o que tá parecendo. –Emmett respondeu.

  -Será que eles estão aqui? –Perguntei.

  -Não faço ideia, vamos entrar.

  Saímos do carro e no aproximamos da porta.

  -Edward. –Emmett disse, olhando para o chão.

  Olhei também e ele pegou alguma coisa, se levantou e me mostrou, era um colar.

  -Papai deu esse colar pra Kristen no natal.

  Assenti.

  -Sim, eu me lembro. Ele disse que mandou fazer especialmente pra ela. –Disse.

  -Ela está aqui. –Emmett disse.

  -Vamos!

  Paramos em frente a porta e nos entreolhamos.

  -Pronto? –Perguntei.

  -Sim.

  -Um, dois, três!

  Chutamos a porta e ela foi ao chão.

  Lá estavam eles, Quil nos olhos.

  -Eu não acredito. –Quil disse.

  -Eu disse pra ficar longe da minha irmã! –Emmett disse e o jogou no chão.

  Corri até a Kristen e a desamarrei.

  -Kris, ficamos tão preocupados. –Disse.

  -Edward. –Ela disse, chorando e me olhou. –Ele me violentou.

  A raiva me dominou, me levantei e olhei para aquele verme.

  -Seu desgraçado.

  Ele riu.

  -Tá achando ruim por quê? Ela é fruto de uma traição, você devia pensar na chifruda da sua mãe. E a sua esposa gostosinha será a próxima. –Ele disse.

  -FILHO DA PUTA! –Fui pra cima dele.

  O infeliz sacou uma arma e deu três tiros.

  -EDWARD! –Kristen gritou e eu caí no chão.

  -DESGRAÇADO!

  Emmett avançou em cima dele.

  Continua…