Confronto 2ªtemporada escrita por Gabszinha FerCosta


Capítulo 119
Capítulo 118-O grande erro da Kristen/ Afastada da família/ Sequestrada




  Edward Anthony Cullen

  Eu estava exausto. Toda vez que eu ficava sem treinar, Phil abusava de mim no dia seguinte.

  Sentei-me no banco para respirar e beber água.

  -Tudo certo, Edward? –Phil perguntou.

  Assenti.

  -Sim. Eu só vou descansar um pouco e volto para o treino. –Disse.

  -Não, eu não quero que volte. –Ele disse.

  O olhei.

  -Por quê? –Perguntei.

  Ele respirou fundo.

  -A sua irmã.

  -O que tem a Kristen? –Perguntei.

  -Enquanto você treinava, eu a vi te esperando. Matt foi conversar com ela e depois os dois foram para o vestiário. –Ele disse.

  -Para o vestiário masculino? –Perguntei.

  -Claro que é para o masculino, eles não perderam nada no feminino. –Disse.

  -E nem no masculino. –Disse, me levantando.

  -Eu resolvi te contar, por que estou desconfiado. –Ele disse.

  O olhei.

  -Não é possível, Matt é casado. –Disse.

  -Bom, até onde eu sei, seu pai também, quando ficou com a Bella. –Phil disse. –É melhor você ir ver, por que se estiver acontecendo o que eu estou pensando, eu serei obrigado a expulsar Matt do time. Sua irmã é menor de idade, e causaria muitos problemas pra gente. –Phil disse.

  -Ah, mas eu vou quebrar a cara do Matt. –Disse, indo para o vestiário.

  -Edward, espera. Não vá cometer uma besteira. –Phil disse, vindo atrás de mim.

  Entramos no vestiário e vi roupas espalhadas no chão.

  -São as roupas do Matt. –Phil disse.

  -E as da Kristen. –Disse. –Eu vou matar essa garota, depois eu entrego pra Bella e o meu pai matá-los.

  Fomos até o chuveiro e lá estavam eles, transando.

  A raiva me consumiu.

  Matt prensou Kristen na parede e atacou o pescoço dela.

  Ela tombou a cabeça para o lado e abriu os olhos, vendo Phil e eu.

  -Edward. –Ela empurrou Matt e tentou cobrir o corpo.

  Matt se virou e nos olhou.

  -Phil. –Ele me olhou. –Edward, eu posso explicar.

  -Não precisa explicar nada, já estou vendo tudo. –Disse.

  -Matthew, você deve muita explicação. Venha e deixe Kristen com o irmão dela. –Phil disse.

  Matt desligou o chuveiro e pegou uma toalha.

  -Foi mal, cara. –Ele disse, passando por mim, mas eu não respondi.

  Matt saiu do vestiário e eu olhei pra Kristen.

  -Por favor, Ed. Fica calmo. –Ela pediu.

  Cruzei os braços.

  -Eu estou muito calmo, não se preocupe que eu não vou fazer nada com você. –Disse.

  -Não? –Ela perguntou. –Você vai falar com a minha mãe, não vai.

  Assenti.

  -Vou, e o papai também. –Respondi. –Seque-se e vista-se. Hoje nós teremos uma noite muito longa.

  -Ed…

  -Vou te esperar lá fora. –Disse e saí do vestiário.

  Dessa vez sim, Kristen passou dos limites. Pelo menos com o Seth, ela se comportava.

***

  Estávamos na sala de estar, com meus pais, Alice, Jasper e Emmett, eu já havia contado o que a Kristen havia aprontado.

  -Eu não acredito no que fez, Kristen. –Meu pai disse.

  -Olha, aconteceu. Eu estava brava com o Seth. –Ela disse.

  -Que está brava com ele, nós já sabemos faz tempo. –Emmett disse.

  -Só por que estava brava com ele, você pega o primeiro que vê pela frente? –Perguntei.

  -Não foi…

  A porta se abriu, interrompendo Kristen, Bella entrou com as crianças e Rosalie.

  -Kristen, posso saber por que não disse para o seu irmão buscar as crianças? Se não fosse a diretora me ligar, eles passariam a noite na escola. –Bella disse.

  Elas nos olharam.

  -Tá tudo bem por aqui? –Rose perguntou.

  Respirei fundo.

  -Thony, Marie, subam e tomem banho. –Disse.

  Eles me obedeceram e subiram, nos deixando sozinhos.

  -Onde está o Rob? –Bella perguntou.

  -Está no quarto, dormindo. –Esme respondeu.

  -E o que aconteceu? Por que está todo mundo aqui? –Rose perguntou.

  Bella olhou pra Kristen.

  -Kris, por que está chorando, filha? –Bella perguntou.

  -Ela aprontou de novo. –Emmett respondeu.

  -O que ela fez? –Bella perguntou.

  -E a peguei transando com o Matt no vestiário. –Respondi.

  -O que? O Matt? –Bella perguntou.

  Assentiu.

  -Mamãe. –Kristen se aproximou da mãe. –Por favor, deixe-me explicar.

  Bella olhou pra mim e para o meu pai, depois ela olhou pra Kristen.

  -Tudo bem, explique-se. –Bella disse.

  -Quando você me ligou, pedindo pra eu ir ao clube, avisar o Edward pra buscar os meus irmãos, eu havia acabado de brigar com o Seth, eu cheguei ao clube muito nervosa ainda e Edward ainda estava treinando… Matt veio conversar comigo e disse que iria me fazer companhia. As coisas aconteceram muito rápido, eu queria me distrair e o deixei me levar para o vestiário. –Kristen explicou.

  Bella a encarou.

  -E me diz uma coisa, ele não te obrigou a fazer nada? Foi tudo concedido? –Bella perguntou.

  -Não, ele não me obrigou, eu concedi tudo. –Ela respondeu.

  Bella respirou fundo.

  -Ai, eu não acredito nisso, Kristen. –Bella disse.

  -Mãe… eles estão exagerando.

  -Exagerando? Acha mesmo que estamos exagerando? Kristen, você está passando dos limites, não é assim que se supera um término. –Meu pai disse.

  -E o que você queriam que eu fizesse? Sentasse e chorasse? Sinto muito, mas eu não posso fazer isso. Eu só estou aprendendo o que me ensinaram. –Ela disse.

  -Não foi isso que te ensinamos, Kristen. Você pode ter destruído a carreira do Matt. –Bella disse.

  -Não foi tão grave assim. –Kristen disse.

  Aproximei-me dela.

  -VOCÊ É MENOR DE IDADE, KRISTEN! MATT É CASADO! –Gritei.

  -Como se isso fosse novidade nessa família.

  -Kristen! –Rosie chamou a atenção dela.

  Olhei pra Bella, ela ficou tão chocada com o que a Kristen disse, quanto a gente. Ela ignorou e subiu para o quarto.

  Olhei para a Kristen.

  -Satisfeita, Kristen? Você realmente conseguiu magoar a sua mãe. –Disse.

  Ela não disse nada.

  Rosalie se aproximou.

  -Está bem. –Ela disse. –Eu vou tomar a atitude aqui. Kristen, você faz idéia do que você acabou de dizer? Você cometeu um erro e ainda jogou na cara da sua mãe, o que ela e o seu pai fizeram no passado.

  -Tia…

  -Eu não terminei. –Rosalie disse.

  Eu nunca tinha ouvido ela falar nesse tom, nem com os seus filhos.

  -Esqueceu de todas as coisas que ela fez, para cuidar de você? Ela fugiu da cidade que sempre viveu, para ter você. Ela trabalhou e estudou, pra que você não passasse necessidade, Jasper e eu deixamos as nossas vidas para ajudá-la a te criar.

  -Sem contar que até fome nós passamos, para que você tivesse o que comer. –Jasper disse.

  -Eu não acredito que se esqueceu de tudo isso. –Rose disse.

  -Não! Eu não me esqueci do que a gente passou, eu falei sem pensar. –Ela disse. –Eu vou falar com ela.

  -Não! –Meu pai a segurou pelo braço. –Deixa a sua mãe em paz, ela precisa de um tempo e você precisa se recompor, você ainda não tem noção do que aprontou.

  Ela respirou fundo.

  -Tá, eu cometi um erro, fiquei com um cara casado, mas se está preocupado que aconteça a mesma coisa que aconteceu com a minha mãe, pode ficar tranqüilo. Eu me preveni. –Kristen disse.

  Meu pai lhe deu um tapa e logo em seguida deu outro, um em cada lado de sua bochecha e o segundo, a fez cair no chão e a aliança do meu pai, cortou sua boca.

  -Carlisle! –Minha mãe chamou a atenção dele. –Você a machucou.

  Minha mãe foi acudir a Kristen, mas o meu pai foi mais rápido e puxou Kristen pelo braço.

  -Por todos esses anos, desde que a sua mãe se casou com a Bella, eu deixei você na responsabilidade dos seus irmãos, mas já chega! Se for para eu ser duro com você eu vou ser, por que os seus irmãos nunca me dera trabalho desse jeito. Pela primeira vez eu estou sentindo o que Charlie e Renée sentiram com a Bella.

  Kristen o olhou.

  -O que você quer dizer com isso? –Ela perguntou.

  -Se for pra você ficar agindo assim, então eu vou irei te dar uma escolha. Eu te emancipo e você saí por ai, livre e faça o que você quiser. Mas se ficar aqui com essas atitudes… a única pessoa que mais sente com as suas atitudes é a sua mãe, Kristen. Para pra pensar nela! –Meu pai disse.

  Kristen começou a chorar.

  -Pai, leve-a pra casa. É melhor a Bella não vê-la hoje. –Disse.

  -Vamos querida, em casa a gente conversa melhor e com calma. –Minha mãe disse.

  Meu pai me olhou.

  -Qualquer coisa, é só ligar.

  Assenti.

  -Ok.

  -Tchau.

  -Tchau.

  Meus pais foram embora com a Kristen e eu respirei fundo.

  -Edward, nós não podemos julgar a Kristen, Bella já fez a mesma coisa com o seu pai. –Rose disse.

  -Eu sei, Rosie. Acontece que ela ficou com um jogador de futebol, eu entrei junto com o meu técnico no vestiário, ele não vai deixar isso barato, a carreira do Matt acabou e com certeza o casamento dele também. –Disse.

  -Olha, vá cuidar da Bella. Nós ficaremos por aqui, cuidando das crianças. –Alice disse.

  -Valeu. –Disse e subi para o quarto.

  Bella deveria estar péssima e precisava de mim.

  Isabella Marie Swan Cullen

  Eu jamais esperava uma coisa dessas da minha própria filha.

  Kristen, ela que é o fruto de uma relação de uma garota que só tinha 15 anos e um cara mais velho e casado, e ela repetiu partes da história, mas é claro que dessa vez é um jogador de futebol, que jogava com o irmão dela e era casado. Eu só espero que Kristen pelo menos tenha se prevenido.

  Fui até a varanda do quarto e fiquei olhando pra rua, vi Carlisle jogando a Kristen dentro do carro, e ele e Esme entraram do carro, ela me olhou pela janela, não falou nada, mas pela sua cara, ela estava muito mal, eles foram embora e eu fiquei olhando o carro desaparecer pela rua.

  -Vida. –Edward passou um braço envolta da minha cintura.

  -Seu pai pegou muito pesado com ela? –Perguntei.

  -Um pouco, ele deu dois tapas na cara dela, e sua aliança cortou um pouco a boca dela.

  Assenti.

  -É, acho que dessa vez ela mereceu. –Disse.

  -Eu achei que fosse ficar brava com o meu pai. –Ele disse.

  -Ele é pai dela, tem todo direito de puni-la. –Disse. –Eu jamais esperava isso dela.

  -Você não tem culpa, Kristen que cometeu o erro, ela não é a mesma desde que terminou com o Seth. –Ele disse.

  -Então eu posso culpá-lo? –Perguntei.

  -Claro, até por que a culpa é toda dele. –Ele respondeu.

  Virei-me pra ele.

  -Obrigada, por estar aqui. –Disse.

  Ele sorriu.

  -Na alegria e na tristeza. –Ele disse.

  Sorri, lhe dei um abraço e o beijei.

  Arrastei Edward até o quarto e o fiz se sentar na cama, sentei-me no seu colo e ele me olhou.

  -Isso vai te fazer melhor? –Ele perguntou.

  -Sim.

  -Ok. –Ele me jogou na cama e veio pra cima de mim.

  Pelo menos eu tinha ele pra me distrair um pouco, e talvez amanhã eu estaria melhor.

  No dia seguinte…

  Acordei no dia seguinte, abraçada ao Edward, nós dois estávamos nus e apenas o lençol nos cobria.

  Escutei batidas na porta, quando ela se abriu, eu me decepcionei, era a Kristen, ela estava com a boca cortada, provavelmente do tapa que Carlisle deu nela.

  -Posso falar com você? –Ela perguntou.

  Sentei-me na cama, me cobrindo com o lençol.

  -O que você quer? –Perguntei.

  Ela se ajoelhou ao lado da cama e pegou em minha mão, ela me olhou.

  -Desculpe pelo que eu disse ontem, eu não queria te magoar. –Ela disse.

  Respirei fundo.

  -Kristen, eu nunca pensei que você jogaria uma coisa dessas na minha cara.

  -Mamãe, eu falei sem pensar, por favor, eu não quero ficar brigada com você. –Ela disse.

  -As coisas que você me disse… não dá pra esquecer. –Disse.

  -Mãe, você sabe que está sendo difícil pra mim. –Ela disse.

  -Por causa do Seth? Kristen, nós não temos culpa pelo que ele está fazendo você passar, e eu não tenho culpa, eu não escolhi engravidar de um homem casado, aconteceu.

  -Eu não te culpe disso mãe, pelo contrário, eu te admiro por ter escolhido cuidar de mim, e me desculpe por ter descontado em todo mundo, você é muito importante pra mim e eu não quero brigar com você. –Ela disse.

  Não disse nada.

  -Algum dia você vai me perdoar? –Ela perguntou.

  Neguei.

  -Eu não sei. –Respondi.

  Ela assentiu.

  -Ok. Então eu vou me afastar e te dar um tempo. –Ela me deu um beijo na mão. –Adeus, mamãe.

  Ela se levantou e saiu do quarto, eu caí no choro.

  Edward se sentou na cama.

  -Você estava ouvindo? –Perguntei.

  -Sim. –Ele beijou meu ombro. –Não fica assim.

  -É muito difícil dar as costas pra própria filha. –Disse.

  -Eu sei, se fosse com os gêmeos e o Rob, eu também me sentiria assim, mas lembre-se que ela precisa aprender a lição, e ficar sem você por um tempo, quem ela teve ao lado dela a vida inteira, é a pior coisa pra ela, ela vai aprender a lição. –Edward disse.

  Assenti.

  -Tomara. –Limpei meu rosto. –Mas eu tenho outros 3 filhos pra cuidar e eu não quero que eles saibam do que está acontecendo.

  Ele assentiu.

  -Concordo com você. –Ele disse.

  O olhei.

  -Vamos tomar um banho? –Perguntei.

  Ele assentiu.

  -Claro, vamos lá.

  Fomos para o banheiro.

  Eu só esperava conseguir ficar sem falar com a minha little.

  Kristen Swan Cullen

  Alguns dias depois…

  Esses dias foram difíceis, a minha família inteira havia me dado as costa, até o meu pai, com quem eu estava morando, ele não estava falando comigo.

  O único lugar em que eu estava me sentindo bem, era na escola. Mesmo vendo o Seth todos os dias.

  Cheguei a escola e logo meu celular apitou, era uma mensagem do Jared.

De: Jared

Para: Kristen

Kris, venha até o beca atrás da escola, eu quero muito falar com você a sós.

                                                        Jared.

  Sorri. Acho que não seria tão ruim ficar com ele.

  Fui até o beco atrás da escola, mas não encontrei o Jared.

  -Jared? –O chamei.

  -Kristen. –Virei-me e dei de cara com o Seth.

  -Você tá me seguindo? –Perguntei.

  -Claro que não. Você me mandou uma mensagem, pedindo pra eu te encontrar aqui. –Ele disse.

  -Eu? Claro que não! Eu vim me encontrar com o Jared. –Disse.

  Ele me mostrou a mensagem no seu celular.

De: Kristen

Para: Seth

Sete, presiso falar con voce. Mim emcomtre no breco, atraz da iscola.

                                                    Kris.

  -É o meu número e não fui eu que mandei. Sem contar que está cheio de erros de ortografia, eu não escrevo assim. –Disse.

  -Então alguém clonou seu celular. –Ele disse.

  -Quem faria uma coisa dessas? –Perguntei.

  -Eu.

  Virei-me, dando de cara com o Quil.

  -Quil. Claro, como não pensei em você, você sempre foi péssimo em ortografia. –Disse.

  -Foda-se! Eu não chamei vocês pra isso. –Ele disse.

  -E pra que nos chamou? –Seth perguntou.

  Quil saiu e voltou arrastando o Jared, que estava todo machucado.

  -Jared. –Tentei me aproximar dele, mas Seth me segurou.

  -Não, Kris.

  -É isso que acontece, com quem dá em cima da minha garota. –Quil disse.

  -Eu não sou mais a sua garota! –Gritei. –Ele é seu primo, Quil.

  Ele riu.

  -Acha mesmo que eu estou ligando pra isso? –Ele apontou uma arma pra mim. –Você também vai pagar caro.

  Jared se levantou.

  -Corre, Kristen! –Ele gritou.

  Mas foi tarde demais, Quil apontou a arma pra ele e atirou em sua cabeça, Jared caiu morto no chão.

  -NÃO! –Gritei.

  Quil apontou a arma para o Seth.

  -Sua vez.

  -Não! –Coloquei-me na frente do Seth. –Por favor, Quil. Não faz nada com ele, a mãe dele depende dele, eu faço o que você quiser.

  Quil sorriu.

  -Venha embora comigo. –Ele pediu.

  Assentiu.

  -Sim, eu vou.

  -Não Kris, você não pode fazer isso. –Seth disse.

  O olhei.

  -Se eu não fizer, ele te mata. Eu não posso perder você. –Disse.

  Seth olhou para o Quil.

  -Eu vou avisar a família dela. –Seth disse.

  Quil sorriu.

  -Nós já estaremos bem longe. –Quil disse. –Vamos Kristen, ou eu mato esse babaca.

  Olhei para o Quil.

  -Adeus Seth. Diga a minha mãe, que eu sinto muito por tudo. –Disse. –Eu amo você.

  -Kris…

  Quil me puxou pelo braço.

  -Vamos! –Ele disse. –Adeus, otário!

  Quil me jogou dentro do carro e dirigiu pra bem longe dali, fazendo eu deixar o amor da minha vida pra trás.

  Eu sabia que estava correndo risco, mas eu preferia mil vezes correr esses riscos do que deixar o Seth morrer, eu sabia que uma hora Quil seria pego pelos meus irmãos, mas o que estava me doendo, é que minha mãe sofreria muito, pois estávamos brigadas e ela corria o risco de nunca mais me ver. Eles entenderiam, eu não podia deixar o Quil matar o Seth, eu não poderia viver, sabendo que ele estava morto, então valia o risco.