Confronto 2ªtemporada escrita por Gabszinha FerCosta


Capítulo 115
Capítulo 114-Voltando pra casa e pra vida normal/ Rompimento/ Defendendo a Kristen




  Isabella Marie Swan Cullen

 

  Edward e eu chegamos da casa dos Hale. O jantar foi maravilhoso e nos divertimos muito.

  Kristen não veio com a gente, ela preferiu ficar com o Carlisle na casa dos Cullen, pelo menos Edward e eu podíamos ficar nos divertindo mais um pouco.

  -Foi bom o jantar de hoje, não foi? –Edward perguntou, se jogando no sofá.

  Sorri.

  -É, foi muito bom. –Disse, me sentando em seu colo.

  Ele beijou meu ombro.

  -É uma pena a Kris não ter vindo com a gente. –Ele disse.

  -É, mas Carlisle é o único que está sozinho aqui, Kris só quis ir fazer companhia pra ele. O bom é que ainda temos essa casa só pra gente. –Disse e beijei seu pescoço.

  Ele riu.

  -É, tem razão. –Ele me deu um selinho. –Quer tomar um vinho?

  -Claro. –Respondi, saindo do seu colo e me sentando ao seu lado.

  -Tá, eu vou buscar. –Ele disse, se levantando.

  -Ok.

  Edward foi pra cozinha.

  Peguei meu celular para checar os meus e-mails e vi que tinha uma mensagem da Esme.

De: Esme

Para: Bella

Oi mamãe, papai, Kiki. Estamos com muita saudade de vocês, espero que voltem logo.

Apesar de vocês não estarem aqui, nós conseguimos ir bem na prova, olha só a nossa nota.

Arquivo.

Espero que na próxima prova, vocês estejam de volta.

Nós amamos vocês.

                        Marie e Thony.

  Sorri.

  Eu também estava morrendo de saudade dos meus filhotes.

  -Pronto. Um vinho pra gente. –Edward voltou da cozinha, com a garrafa de vinho e duas taças.

  O olhei.

  -Tudo bem? –Ele perguntou, colocando as taças e a garrafa em cima da mesa de centro.

  Assenti.

  -Tá sim, Thony e Marie me mandaram uma mensagem do celular da sua mãe. Olhe. –Mostrei a mensagem pra ele e ele sorriu.

  -É, eu também estou com saudade deles. –Ele disse. –Olha só, eles tiraram 10 na prova.

  -É, puxaram o seu QI. –Disse.

  Ele sorriu.

  -Thony será um jogador inteligente como eu. –Ele disse.

  -E a Marie?

  -Será uma bailarina inteligente.- Ele disse.

  Comecei a rir.

  -Ainda bem que iremos embora amanhã. –Disse.

  -É, eu também não vejo a hora de voltarmos pra casa. E assim que sairmos daqui, darei inicio a reforma daqui. –Edward disse.

  -É, pena que a minha tia não estará aqui para supervisionar tudo, já que ela e o meu tio virão com a gente. –Disse.

  -Bom, a gente pode pedir pra Lillian supervisionar.

  Assenti.

  -É, eu vou pedir pra Rosalie falar com ela. –Disse.

  Ele assentiu.

  Peguei meu celular e guardei-o.

  -E ai? Vamos abrir a garrafa? –Perguntei.

  Ele sorriu.

  -Claro.

  Edward pegou a garrafa, a abriu e encheu as duas taças de vinho.

  Ali nós terminamos a nossa noite.

  No dia seguinte…

  Acordamos cedo para irmos para o aeroporto, finalmente nós iríamos voltar pra casa.

  Chegamos ao aeroporto e encontramos todo mundo o hall.

  -Bom dia. –Dissemos.

  -Bom dia. –Eles disseram.

  -E ai? O jatinho está pronto? –Edward perguntou.

  -Está quase, irão nos chamar quando estiver tudo ok. –Rose respondeu.

  -Tudo bem.

  Ficamos conversando sobre a nossa volta, enquanto não nos chamavam.

  Algum tempo depois, uma funcionária do aeroporto.

  -Sr. Cullen?

  Edward a olhou.

  -Sim?

  -O avião de vocês está pronto, acompanhem-me, por favor.

  -Ok.

  Nós dos despedimos dos pais da Rosalie e seguimos para a pista.

  Assim que nos aproximamos do jatinho, o piloto se aproximou.

  -Bom dia, e sejam bem vindos.

  -Bom dia. –Dissemos.

  -Tudo pronto, Bill? –Edward perguntou.

  Ele assentiu.

  -Claro, podem entrar e se acomodarem. –Ele respondeu.

  -Obrigado.

  Entramos no jatinho.

  Edward e eu nos sentamos em uma poltrona, a nossa frente, do outro lado da mesa, sentaram Kristen e Carlisle. Ao lado estavam Alice, com o pequeno Pietro no colo, Jasper ao seu lado e meus tios a frente deles e atrás deles, estavam Rosalie e Emmett, sentados sozinhos.

  O piloto anunciou a nossa partida e decolamos, nós fomos conversando, até o que o sono nos atingiu.

***

  Chegamos ao aeroporto de Londres, nós estávamos exaustos da viagem.

  -Vocês vão pra casa? –Emmett perguntou.

  -Nós temos que buscar as crianças. –Respondi.

  -Todos nós temos que buscar as nossas crianças. –Rosalie disse.

  -Então vamos todos lá pra casa, Esme deve estar exausta. –Carlisle disse.

  -Tem razão. Vamos encerrar o trabalho de babá dela. –Alice disse.

  -Vamos.

  Chamamos alguns taxis e fomos direto pra casa dos Cullen.

  Chegamos na casa e entramos, Esme estava na sala de estar com o Rob, e assim que ele me viu, ele abriu um enorme sorriso.

  -Oi meu amor. –O peguei no colo e o beijei. –Que saudade que a mamãe estava de você. –Disse. –Oi Esme.

  Ela sorriu.

  -Oi, Bella. –Ela disse e foi abraçar o Carlisle e falou com os outros. –Olha só, o novo membro da família.

  Esme pegou Pietro no colo.

  -E onde estão os outros? –Edward perguntou.

  -Crianças. –Esme os chamou.

  E então eles apareceram.

  -Mamãe, papai! –Eles gritaram.

  Marie e Anthony correram pra abraçar Edward e eu, Mellanie e Christopher foram abraçar Jasper e Alice, e Vinícius e Anie foram abraçar Emmett e Rosalie.

  -Oi. Comportaram-se e não deixaram a vovó maluca? –Edward perguntou.

  Eles assentiram.

  -Todos se comportaram muito bem, só o Robert que deu mais trabalho, ele estava sentindo muito a sua falta, Bella. –Esme disse.

  Assenti.

  -Agora eu não vou desgrudar dele. –Disse, o enchendo de beijos.

  -E você, Kris? Como está? –Esme perguntou, para Kristen.

  -Estou me recuperando. Esme, Seth não apareceu por aqui ou perguntou de mim?

  Ela negou.

  -Não, eu liguei na casa dele, para explicar o seu sumiço e quem atendeu foi a irmã dele, ele não estava em casa, eu falei com ela e ela disse que passaria o recado. –Ela respondeu.

  Kris assentiu.

  -Tudo bem, depois eu falo com ele. –Ela disse.

  -Tá legal, vamos todos pra casa, por que os donos da casa estão cansados. –Edward disse.

  -Tem razão, e todos nós estamos cansados da viagem. –Jasper disse.

  -Mãe, obrigado por ter cuidado das crianças. –Edward agradeceu.

  Ela sorriu.

  -Não foi nada, eles são meus netos, é a minha obrigação. –Ela disse.

  -Mesmo assim, nós agradecemos. –Disse.

  -É, agora vamos por que eu estou quebrado. –Edward disse.

  -Vamos.

  Despedimos-nos do Carlisle e da Esme.

  -Se cuidem. –Esme disse.

  Fomos embora da casa da Esme e do Carlisle, cada um pra sua casa, inclusive os meus tios, que ficariam com o Jasper.

  Chegamos em casa e as crianças se jogaram no sofá.

  -Ah, enfim casa. –Anthony disse.

  -É, nós que o diga. –Edward disse, também se jogando no sofá.

  Olhei pra Kris.

  -E você? Vai à casa do Seth? –Perguntei.

  Ela negou.

  -Não, hoje eu vou descansar, amanhã eu vou lá. –Ela respondeu. –E você? Vai a agencia amanhã?

  Assenti.

  -Sim, eu tenho que voltar para o meu trabalho. –Respondi.

  Ela assentiu.

  -Tá bom, eu vou descansar. Tchau.

  -Tchau. –Dissemos.

  Kristen subiu para o seu quarto.

  -Eu vou tomar um banho. –Edward disse, deu um beijo na testa do Rob, pegou as nossas malas e as malas da Kris e subiu.

  Sentei-me ao lado da Marie e do Thony.

  -Eu fiquei muito feliz com a nota de vocês, meus parabéns. –Disse.

  -Você viu? –Thony perguntou.

  Sorri.

  -Mas é claro. Vocês foram muito bem. –Disse.

  -Obrigada, mamãe. –Marie disse.

  -De nada. Continuem assim. –Disse.

  Eles assentiram.

  -Eu vou cuidar do Rob. –Dei um beijo na bochecha dos dois. –Se comportem.

  -Tá.

  Subi pra o quarto do Robert e fui cuidar dele. Agora as coisas iriam voltar ao normal, isso era bom.

  Kristen Swan Cullen

 

  No dia seguinte…

  Acordei sentindo um pouco de dor, então me levantei, tomei um analgésico, tomei um banho e troquei de roupa.

  Saí do quarto e desci para tomar café, na sala de jantar, estavam meus queridos, irmãos.

  -Bom dia, maninhos. –Disse e me sentei ao lado da Marie.

  -Bom dia. –Eles disseram.

  Comecei a tomar café.

  -E ai? Como está sendo a volta pra casa? –Edward perguntou.

  Sorri.

  -Muito boa. É bom estar em casa de novo, dormir na minha própria cama. –Respondi.

  Ele sorriu.

  -É, nisso eu tenho que concordar. –Ele disse.

  -E a minha mãe? –Perguntei.

  -Foi pra agencia, ela não vai voltar tão cedo. –Ele disse.

  Assenti.

  -E você vai treinar? –Perguntei.

  Ele negou.

  -Não, eu começarei os treinos amanhã. –Ele respondeu. –Você vai falar com o Seth?

  -Vou, mas não agora. Ele está indo pra escola. –Respondi.

  -E você não vai?

  -Não, eu só volto pra escola, quando tirar os pontos.

  Ele assentiu.

  -Bom, eu tenho que deixar seus irmãos na escola. Peguem as mochilas. –Edward disse.

  Anthony e Marie pegaram mochilas e me deram um beijo na bochecha.

  -Tchau, Kiki.

  -Tchau meninos, boa aula. –Disse.

  Edward me deu um beijo na testa e eu dei um beijo na bochecha do Rob.

  -Tchau, não esqueça de tirar a mesa e lavar a louça. –Ele disse.

  -Tá, tchau. –Disse.

  Edward foi pra escola com os meus irmãos.

  Terminei de tomar café, tirei a mesa, lavei a louça e subi para o meu quarto.

  Desfiz as minhas malas e escolhi uma roupa para ir ver o Seth, eu precisava estava me arrumada para recompensar a minha ausência.

(…)

  Cheguei em frente ao prédio do Seth e subi para o seu apartamento, bati na porta e quem abriu foi ele.

  -Kristen. –Ele disse.

  Sorri.

  -Oi, Seth. –Disse.

  -O que faz aqui? –Ele perguntou.

  -Eu vim conversar. –Respondi.

  Ele respirou fundo.

  -Entra. –Ele disse.

  Entrei no apartamento e ele fechou a porta.

  -Onde está a sua mãe? –Perguntei.

  -Dormindo, e a minha irmã não está em casa. –Ele disse.

  Assenti e o olhei.

  -Eu sei que você está bravo?

  -Bravo? Você desaparece por dias e volta com essa cara de sonsa?

  -Cara de sonsa? Você podia ter me ligado, Seth. Eu estava em Forks, resolvendo um problema de família. –Disse.

  -Você poderia ter me ligado avisando.

  -Eu tentei te ligar! Mas você não me atendia! –Disse.

  -Eu não te atendi, por que estava bravo com você! –Ele gritou.

  -Então como você queria que eu te avisasse? A sua irmã não te deu o recado? –Perguntei.

  Ele assentiu.

  -Sim, ela disse que Esme ligou e disse que a irmã da Alice estava fazendo seus tios de refém e que vocês tinham ido resolver o problema. –Ele disse.

  -Eu pensei que você fosse entender. –Disse.

  -Eu entenderia, se antes de ir, tivesse mandado uma mensagem antes de ir, mas você nem pensou em mim. –Ele disse, passando por mim.

  -Seth, você não faz idéia do que eu passei. –Disse.

  Ele não disse nada.

  -Seth, olha pra mim. –Pedi.

  Ele se virou e me olhou.

  Levantei a blusa, mostrando o meu ferimento.

  -O que aconteceu com você? –Ele perguntou.

  -Minha mãe enfrentou a irmã da minha tia, e pra se vingar ela me esfaqueou. Eu quase morri, Seth. Eu passei por uma cirurgia, e a púnica coisa que eu pensei, foi em você. Não me trate com se eu não me importasse com você, eu te amo. –Disse.

  -Eu também te amo, Kristen. Mas toda vez é a mesma coisa, você se mete em alguma coisa, junto com a sua família. –          Ele disse.

  -Seth, é a minha família. –Disse.

  -É esse o problema, sua família. Vocês sempre estão envolvidos em alguma coisa, parece até que vocês têm um imã pra confusão. –Ele disse.

  -Seth, não fala assim. –Disse, me aproximando dele.

  -E eu estou mentindo? Pelo que eu sei, a vida da sua mãe era perfeita antes de se envolver com o seu pai.

  Desferi um tapa na cara dele.

  -Não ouse falar mal do meu pai! A culpa não foi dele, nada disso é culpa dele. Se eles não tivesse se envolvido eu não teria nascido e talvez minha mãe jamais conheceria do Edward. –Disse.

  -Você acha que tem a vida perfeita, mas não tem. Kristen, vocês sempre estão metidos em alguma coisa, e algum dia, isso vai acabar afetando a mim, minha irmã e minha mãe, e eu não vou permitir que nada aconteça com a minha mãe. –Ele disse.

  -Não me faça escolher entre a minha família e você.

  Ele respirou fundo.

  -Acho melhor a gente dar um tempo. –Ele disse.

  Assenti.

  -Tudo bem. –Fui até a porta e me virei em sua direção. –Só não acho que terá volta.

  Dei as costas pra ele e fui embora.

  Eu jamais na minha vida, imaginava que Seth pensasse assim.

  Fui direto pra agência, pelo menos lá eu iria trabalhar e teria o colo da minha mãe.

  Isabella Marie Swan Cullen

  Rose e eu estávamos na sala de maquiagem, conversando com a Kate.

  -É bom ter vocês de volta, Mary já estava maluca por estar sem aas modelos preferidas dela. –Ela disse.

  Começamos a rir.

  -Também estamos muito felizes por voltar. –Rose disse.

  -E você vai ter que fazer tudo sozinha, Kate. Já que Alice entrou em licença maternidade. –Disse.

  Ela assentiu.

  -Claro, eu dou conta. –Ela disse. –Escuta, tem um motivo pra Mary estar nervosa também.

  -Que motivo? É alguma coisa com o Dean? –Rose perguntou.

  -Não, o Dean está ótimo. É Sam Winchester. –Ela disse.

  -O que? Não ouço falar dele há 15 anos, quando ele foi embora.  –Disse.

  -Ele não tinha um caso com a noiva do Dean?

  -Sim, tinha. Vocês lembram, aquele cara fez da vida do Dean um inferno. Já não bastava aquela ex namorada dele, que ele deixou para ficar noivo daquela mulher.

  -O que? Ela voltou também?

  -É, eles se esbarraram um dia desses e começaram a conversar. Ela disse que sabia o que a Caroline tinha feito e perguntou por que ele nunca a procurou depois.

  -E o que ele disse?

  -Disse que logo depois, nós nos conhecemos, nos demos bem e ele acabou se apaixonando por mim, ele disse que estávamos juntos até hoje e que ele me amava muito. A forma que ele me contou, sobre a conversa deles, demonstrou que ela ainda tinha um certo interesse por ele, mas ele me garantiu que a história deles ficou no passado, mas me bateu um medo. –Ela disse.

  -Kate, eu lembro de como o Dean sofreu por causa da Bonnie, e lembro dessa história do Sam, lembro também quem Dean se aproximou de você logo em seguida e que ele se interessou por você, se realmente ele não tivesse se apaixonado por você, ele teria ido atrás dela. –Disse.

  -Bella tem razão, não fique paranóica com isso. –Rose disse.

  Ela respirou fundo.

  -Eu vou tentar.

  -E então? Sam voltou? –Rose perguntou.

  -Ele está em Londres, mas ainda não procurou a família, mas eu tenho certeza que logo ele irá procurar. –Kate respondeu.

  -Concordo. –Senti um arrepio. –Ai.

  -Tudo bem, Bella? –Rose perguntou.

  -Tudo, foi só uma corrente de ar.

  -Vamos. –Kate disse.

  Saímos da sala e fomos pra recepção.

  Chegamos lá e logo avistei Kristen sentada no sofá, percebi que ela estava chorando.

  -Vocês têm uma sessão de fotos. –Kate disse. 

  -Podem ir na frente. –Disse.

  -Ela não parece nada bem. –Rose disse.

  -É, eu acho que a conversa com o Seth não foi nada boa, eu vou falar com ela. –Disse.

  -Vai lá, não se preocupe com a sessão. –Kate disse.

  -Ok, obrigada.

  Kate e Rose foram pra sessão de fotos e eu me aproximei da Kristen.

  -Oi, querida. –Disse.

  Ela levantou a cabeça, os olhos azuis me olharam tristes, ela ainda parecia aquele bebezinho, que sempre teve alguém para consolá-la.

  -Mamãe.

  Sentei-me ao seu lado e peguei em sua mão.

  -O que aconteceu, meu amor? –Perguntei.

  -Seth.

  -A conversa entre vocês não foi nada boa, não é?

  Ela negou.

  -Não, ele foi um grosso comigo, agiu como se eu tivesse fugido dele. –Ela disse.

  -A irmã dele não passou o recado da Esme? –Perguntei.

  Ela assentiu.

  -Passou, mas ele acha que se eu o amasse de verdade, eu teria pelo menos mandado uma mensagem antes de ir. Eu ainda mostrei o meu ferimento pra ele, para convencê-lo de que sofri riscos lá em Forks, mas nem isso o convenceu, ele começou a dizer que a nossa família sempre estava envolvida nesse tipo de coisa e que se eu parasse para pensar que se você não tivesse se envolvido com o meu pai, isso tudo não teria acontecido, ele culpou o meu pai, então eu não agüentei e dei um tapa nele. Ele me pediu um tempo, disse que não queria que a sua mãe se machucasse, por causa das coisas que a nossa família sempre está envolvida.

  -Nossa, eu não sabia que ele pensava assim da gente. –Disse.

  Ela assentiu.

  -É, nem eu. –Ela disse.

  -Você acha que tem volta? –Perguntei.

  -Eu disse a ele que não dava certeza. –Ela disse.

  -Ah, Little. –A abracei. –Eu sei que términos são difíceis, mas você vai superar isso.

  -Quantas vezes você teve um término, que doeu tanto?

  -Bom, quando descobri que você e o Edward eram irmãos, ele rompeu comigo e foi horrível.

  -Não conta, vocês acabaram voltando. Como superou o término com o meu pai?

  -Não vai dar para usar como exemplo, eu acabei grávida e tive que superar e amadurecer. –Disse.

  -Então é isso que eu vou fazer, superar e amadurecer, sem gravidez. –Ela disse.

  Sorri.

 -E essa é a minha menina. –Disse e lhe dei um beijo na testa. –Se você quiser, seus dois irmãos ciumentos podem dar uma lição nele.

  -Por enquanto não. Eu só quero um abraço da minha mãe. –Ela disse.

  A abracei.

  -Ai!

  A soltei.

  -Que foi?

  -Eu estou sentindo um pouco de dor. –Ela disse.

  -Bella. –Kate se aproximou e eu a olhei.

  -James está te chamando.

  Assenti.

  -Eu já estou indo. –Disse e olhei pra Kristen. –Vá para o hospital e peça para o seu pai te examinar. Você ainda tem que ficar de repouso e isso que aconteceu entre você e o Seth, te deixou nervosa.

  Ela assentiu.

  -Tá, eu vou fazer isso. –Ela me deu um beijo na bochecha. –Tchau, bom ensaio.

  -Obrigada.

  Ela se levantou.

  -Tchau, Kate.

  -Tchau. –Kate disse.

  Kristen foi embora.

  Levantei-me e respirei fundo.

  -Tudo bem? –Kate perguntou.

  -Tudo, são só problemas de adolescente. –Respondi.

  -Ah, eu não sinto nenhum pouco de falta disso. –Ela disse.

  Comecei a rir.

  -Vamos trabalhar. –Disse.

  -Vamos.

  Nós fomos para o estúdio.

  Talvez fosse bom Kristen e Seth darem um tempo, ele estava sendo muito estúpido. Eu só queria ver, como Edward e Emmett iriam reagir.

***

  Eu havia chegado cedo em casa, encontrei Edward no sofá, as crianças estavam na escola, Rob estava com a Esme e Kris estava em seu colo, descansando.

  Edward me obrigou a fazer massagem em suas coxas, pois ele iria voltar para o treino amanhã.

  -Você não tem que fazer essas massagens depois? –Perguntei.

  -Antes e depois. –Ele me olhou. –Fará amanhã?

  Sorri.

  -Eu vou cobrar mais caro. –Disse.

  Ele sorriu.

  -E eu pago. –Ele disse e pegou no meu seio. –Preciso mesmo desestressar.

  -Ainda está bravo com o Seth? –Perguntei.

  -Claro que estou, minha irmã está sofrendo por causa dele.

  -Eu sei, mas esse tempo vai fazer bem pra eles. Lembra como fez bem pra nós?

  -Nós não demos um tempo, eu terminei com você, ao descobrir que teve um caso e uma filha com o meu pai.

  -Mas ficamos separados e nos fez bem.

  -É, você foi morar lá em casa e depois se mandou para Paris.  –Ele disse.

  -E quando eu voltei, nós voltamos a namorar. –Disse.

  Ele riu.

   -Tá, mas eu não vou perdoar esse garoto. –Ele disse.

  Assenti.

  -E o que ela te disse? –Perguntei.

  -O mesmo que ela disse pra você.  E ela me entregou essa caixa, disse que são coisas dele, presentes que ele deu pra ela e a aliança. Ela pediu pra eu mandar pra casa dele. –Ele respondeu.

  -É, Kristen está mesmo brava. –Disse.

  -Ela tem o gênio forte igual a mãe. –Ele disse.

  -É claro, por que são as mulheres que mandam. –Disse.

  Ele riu.

  -É, eu sei. –Edward me pegou pela cintura e me puxou pra cima dele. –Já chega de massagem, deixa eu te recompensar.

  -Edward, logo as crianças sairão da escola, nós temos que ir buscá-las. –Disse.

  -A gente ainda tem um tempinho. –Ele disse e eu o beijei.

  Estávamos aos amassos no sofá, minhas mãos subiam sua camisa e as dele estavam dentro da minha calça, apertando a minha bunda.

  A campainha tocou.

  -Ah, quem será?

  Saí do colo dele.

  -Vai atender. –Disse.

  -A gente ainda não terminou. –Ele disse, se levantando.

  -Eu sei que não. –Disse e me sentei no sofá.

  Edward foi até a porta e eu fechei minha calça.

  -Oi, Edward.

  -O que você tá fazendo aqui? –Edward perguntou.

  Olhei em direção da porta.

  -Eu vim falar com a Kristen.

  -Você não tem nada pra falar com ela!

  Levantei do sofá e me aproximei deles.

  -Por favor, Edward. A gente precisa conversar e você não pode proibir. –Ele disse.

  -Quer ver? –Edward foi pra cima dele.

  -Edward! –O segurei. –Você não pode bater nele, ele é menor de idade e você pode ir preso.

  Edward respirou fundo.

  Olhei para o Seth.

  -O que está fazendo aqui, Seth? –Perguntei.

  -Eu preciso falar com a Kristen.

  -Vocês terminaram, não tem mais nada para falar. –Disse.

  -Ela tem muita coisa para me explicar. –Ele disse.

  -Ela não tem mais nada para te explicar. –Disse. –Você disse que Edward não pode proibir Kristen de te ver, mas eu posso. Eu sou a mãe dela e ela ainda é menor de idade e tem que fazer o que eu mando. Se continuar insistindo, vai arrumar problema com o Edward, Emmett e até mesmo o Carlisle.

  Ele me olhou.

  -Bella, por favor.

  -Ah, e mais uma coisa. O que eu tive com o Carlisle, não é problema seu. Você não era nem nascido, então não fale o que você não sabe. –Disse.

  Edward foi até o sofá e voltou para a porta com a caixa.

  -Aqui, Kristen pediu para te entregar. –Disse.

  -Seth, quando eu tive a Kristen eu tinha a sua idade e tive que amadurecer. Agora faça um favor pra você mesmo e amadureça, por que você não passa de moleque. –Disse.

  -Adeus, Seth. –Edward disse e fechou a porta na sua cara.

  Respirei fundo. 

  -Espero que agora eles fiquem um bom tempo separados, para verem se ainda vale a pena. –Disse.

  -É, e se ele quiser reconquistá-la, vai ter que reconquistar a família inteira. –Ele disse.

  Assenti.

  -É, você tem razão. –Disse.

  -Já está na hora de buscarmos as crianças, vamos? –Edward disse.

  -Sim, vamos.

  Ele pegou na minha mão e fomos pra garagem, entramos no carro do Edward e fomos buscar os nossos filhos, agora eu só espero que a minha filha fique bem depois desse término.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Confronto 2ªtemporada" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.