Confronto 2ªtemporada escrita por Gabszinha FerCosta


Capítulo 11
Capítulo 10-Irmão!




Isabella Marie Swan Cullen

Continuação…

Ainda olhava para aquela mulher,a minha frente.

-Oi Isabella?

-O que faz aqui?-Perguntei.

-Eu vim conversar.-Ela respondeu.

-Não queremos conversar com você!-Edward disse.

-Será que dá pra me escutar?

-Da ultima vez que você deu as caras,foi pra provocar minha filha,e ela acabou quebrando o seu nariz!

-Dessa vez,eu vim mesmo conversar,me escutem,por favor.-Ela implorou.

-Fala logo o que você quer e desaparece da nossa casa,Tanya!-Edward disse e veio ficar ao meu lado.

-Desde que meu filho nasceu…que ele ta doente,e eu preciso de ajuda.-Ela disse.

-E o que a gente tem haver com seu filho? Ele não é nada nosso!-Disse.

-Na verdade é.-Ela disse.-Ele é seu irmão,Isabella.

A olhei.

-O que?-Perguntei.

-O pai do meu filho é o Charlie,seu pai.-Ela respondeu.

-Pensei que o pai do seu filho,era o Jacob.-Disse.

-Eu fazia visitas intimas para o seu pai,e acabei engravidando,mas quando disse que estava grávida,ele não quis saber mais de mim,e muito menos do meu filho,Jake assumiu como se fosse seu filho e o ama como filho,mas nenhum de nós dois tem condições pra pagar o tratamento dele.-Ela disse.

-E como é que a gente vai saber se não é um truque,pra tirar dinheiro da gente?-Edward perguntou.

Ela respirou fundo.

-Não é. Quem ta falando aqui,não é a mulher que fez da vida de vocês um inferno no passado,e sim uma mãe desesperada.-Ela me olhou.-Bella,por favor,você também é mãe,se coloca no meu lugar,eu to desesperada.

Respirei fundo.

-Eu não confio em você. E não vou dar dinheiro sem ter uma prova de que esse menino é mesmo meu irmão,farei um exame de DNA primeiro.-Disse.

Ela assentiu.

-Ok,faço o que você quiser.-Ela disse.

-E vai ser o Carlisle que fará o exame.-Disse.

-Ok.-Ela disse.

-Agora vá embora!-Edward disse.

-Nos vemos no hospital amanhã?-Ela perguntou.

Assenti.

-Sim,quero fazer esse exame o mais rápido possível.-Disse.

-Ok,até amanhã.-Ela disse e foi embora.

Olhei para o Edward.

-Será que é verdade?-Perguntei.

Ele respirou fundo.

-Pode ser.-Ele disse.

-Como assim?

-Bom,lembra de quando nossos filhos nasceu? Que você teve um parto complicado?

Assenti.

-Sim,como eu poderia esquecer?

-Quando você estava desmaiada,e eu estava ali com você,vi a Tanya do outro lado,com um garotinho,meu pai disse que ela estava trabalhando de enfermeira e aquele era seu filho doente,e eu reparei que o garoto era muito parecido com você e você é parecida com seu pai.-Ele disse.

Assenti.

-Bom,se ele é tão parecido comigo,então é mesmo filho do meu pai,mas mesmo assim,farei um teste de DNA.-Disse.

Ele assentiu.

-Ok,amanhã iremos no hospital.-Ele disse.

Assenti.

-Tudo bem.-Disse.-As crianças chegaram a vê-la aqui?

Ele negou.

-Não,estão todos lá em cima,nem sei o que iria acontecer,se a Kris a visse aqui.-Ele respondeu.

-Ela surtaria com certeza.-Disse.

Ele me olhou.

-E aonde você foi?-Ele perguntou.

-É…fui pedir para seu pai tirar a Kris do castigo.-Menti.

-Nem sabia que ela ainda tava de castigo.-Ele disse.

-Pois é,mas estava,e ele concordou em liberá-la.-Disse.

Ele assentiu.

-Já comeu?-Perguntei.

-Ainda não.-Ele respondeu.

Assenti.

-Tá,eu vou trocar de roupa e preparo o jantar.-Disse e lhe dei um selinho.

-Tá.

Subi para o quarto,para trocar de roupa.

Caramba! Era tanta coisa acontecendo,minha filha estava prestes a virar modelo,e parecia que eu tinha um irmão,cujo a mãe era a pessoa que mais havia me feito mal.

Mas amanhã eu faria um exame de DNA e descobriria se esse menino é mesmo meu irmão,eu não acredito na Tanya e jamais vou acreditar.

Tentei esquecer desse problema e desci para fazer o jantar pra minha família.

No dia seguinte…

Edward e eu deixamos as crianças no hospital e partimos para o hospital,para no encontrarmos com a Tanya,ficamos ali na sala de espera,quando uma enfermeira se aproximou.

-Sr e Sra. Cullen?-Ela perguntou.

Nos levantamos.

-Somos nós.-Edward respondeu.

-O Dr. Cullen os aguarda em seu consultório,com a Sra. Black.-A enfermeira disse.

-Muito obrigada.

Fomos em direção a sala do Carlisle.

-Sra. Black?-Edward perguntou.

-Acho que é a Tanya.-Respondi.

-Não sabia que ela havia se casado com o Jacob.-Ele disse.

-Nem eu.-Disse.

Entramos na sala do Carlisle.

-Olá.-Dissemos.

Carlisle estava sentado em sua cadeira,a sua frente estava a Tanya e um garotinho,que tinha muito as minhas características,e as do meu pai.

-Bom dia.-Eu e Edward dissemos.

-Bom dia,estávamos esperando por vocês.-Carlisle disse.

-Bom,já estamos aqui.-Edward disse.

-Esse é o filho da Tanya,Victor Denali Black,Victor,esse é meu filho Edward e sua esposa,e sua suposta irmã,Isabella Swan.-Carlisle disse.

Ele levantou o olhar,os olhos dele eram cheios de olheiras.

-Oi.-Ele disse.

-Oi.-Edward e eu respondemos.

-Bom,acho que já podemos começar com o teste.-Carlisle disse.

Ele pegou as coisas para fazer o teste e foi até Victor.

-Victor,preciso que você abra a boca.-Carlisle pediu.

Ele abriu a boca e Carlisle passou um palito dentro da sua boca,colhendo uma amostra de saliva.

-Pensei que seria um exame de sangue.-Edward disse.

Carlisle negou.

-Não dá,o sangue dele é muito fraco pra esse tipo de teste.-Carlisle disse,e etiquetou seu exame.-Ok,sua vez,Bella.

Ele veio até mim,abri a boca e Carlisle passou o outro palito dentro da minha boca,tirando amostra da minha saliva.

-Pronto,esperem aqui,vai estar pronto em uma hora,e não se preocupem,Tanya estará o tempo todo junto com vocês,então ela não tentará nenhuma gracinha.-Carlisle disse.

-Nossa,não confiam em mim?

-Depois do que você fez no passado? Não.-Edward respondeu.

Fomos pra sala de espera e ficamos ali,muito desconfortáveis com a presença da Tanya.

Uma hora depois…

Havia se passado só uma hora e parecia que tinha sido uma eternidade,uma enfermeira se aproximou da gente,na verdade era a mesma enfermeira que tinha vindo falar comigo e com o Edward.

-Sr e Sra. Cullen,Sra. Black,o Dr. Cullen esta chamando vocês em sua sala.-Ela disse.

Fomos pra sala do Carlisle.

-Oi de novo.-Carlisle disse.

-Já saiu o resultado,pai?-Edward perguntou.

Carlisle no olhou.

-Sim,sentem-se.-Carlisle pediu.

Tanya se sentou e sentou seu filho em meu colo,Edward se sentou na outra cadeira e me puxou para sentar em seu colo.

-Então Dr. Cullen,qual é o resultado?-Tanya perguntou.

Carlisle no olhou e respirou fundo.

-Bom,Victor é mesmo filho do Charlie.-Carlisle me olhou.-Ele é seu irmão,Bella.

-Tá vendo? Eu disse,toda mãe sabe quem é o pai do seu filho.-Tanya disse.

-Ah ta bom,até parece que você nunca desconfiou quem era o pai.-Edward disse.

-A sua mulher tinha certeza que aquela garota era filha de Carlisle.-Tanya disse.

-Ela só mantinha relações comigo Tanya.-Carlisle disse.

-E como você pode ter tanta certeza?

-Kristen é a cara do meu pai.-Edward disse.

Me levantei.

-Já chega! Não envolve a minha filha nisso,e em primeiro lugar,Carlisle fez teste de DNA que comprovou que era sua filha,e isso não te desrespeita por que é assunto nosso,e segundo,espero que faça nenhuma gracinha,lembre-se que é eu que darei dinheiro para sustentar seu filho.-Disse.

-Irei falar com os advogados,para fazerem um acordo com você Tanya,o dinheiro que a Bella irá te dar,é para o Victor,para o tratamento dele e para o sustento dele,não use esse dinheiro,para sustentar você e seu marido.-Carlisle disse.

Ela assentiu.

-Não se preocupe,eu vou mesmo usar esse dinheiro,para o tratamento do meu filho.-Ela disse.

-Ótimo.

-E quando poderei receber?

-Irei conversar com os advogados primeiro,e será avisada.-Carlisle disse.

-Ok,acho que não tenho mais nada pra fazer aqui,vamos meu filho.-Tanya disse, se levantando.-E diga tchau para sua irmã.

O garoto parou na minha frente,me agachei.

-Tchau,Victor.-Disse.

Ele me deu um beijo na bochecha.

-Tchau.

Eles foram embora.

-Não estou de acordo de dar dinheiro para ela,lembra de tudo o que ela fez com a gente?-Edward disse.

-Edward,pensa na criança…

-Ela fez todos acharem que a mamãe tinha o traído,ela fez com que a mamãe fosse abusada!

-Os filhos não tem culpa dos erros dos pais,e esse garoto não tem culpa,Tanya é uma irresponsável,Jacob também é,Charlie nem quer saber do filho,mas a Tanya pelo menos teve dignidade pra vir pedir ajuda.-Disse.

-Bom,se ele é da minha família,eu vou ajudar.-Disse.

-Mas e se a Tanya pegar esse dinheiro e usar pra ela e pro Jacob?

-Ela não vai ser nem louca de fazer isso,eu acabo com a raça dela,e ela sabe muito bem que eu faria isso.-Disse.

-Tanya não parece a mesma,acho que a doença do filho,a fez ter pelo menos um pouco de dignidade.-Carlisle disse.

-Mas afinal,o que esse garoto tem?-Edward perguntou.

-O que ele tem,é uma doença séria,e que precisa de cuidados,seus órgãos são fracos,os órgãos do corpo inteiro,são muito fracos,os ossos também fica fraco,essa doença não tem cura,ele vai ficar assim pelo resto da vida,a única coisa que poderá manter ele pelo menos vivo,é esse tratamento,que custa uma fortuna.-Carlisle explicou.

-E do que eles trabalham?-Edward perguntou.

-Tanya ainda trabalha aqui de enfermeira e Jacob trabalha como entregador de pizza.-Carlisle respondeu.

-É,com o salário que os dois ganham,jamais daria para pagar esse tratamento.-Disse.

-Pois é,mas eu vou ficar responsável pelo tratamento dele.

Sorri.

-Obrigada,Carlisle.-Agradeci.

-Bom,acho que é só,vamos amor?-Edward pediu.

-Claro,tchau Carlisle.-Disse.

-Tchau,pai.-Edward disse.

-Tchau.

Saímos do consultório do Carlisle e fomos para o carro.

-É,quem diria que a Tanya seria mãe de um irmão seu.-Edward disse.

Revirei os olhos.

-Mas sabe,ela ta mesmo mudada,tão dependente do filho,a maternidade a mudou,e ele pode ter nascido com essa doença por castigo dela,por todo o mal que ela fez.-Disse.

-É,coitado dele,não merecia pagar pelos erros dos pais.

-É,mas vamos ver se a irmã impeça qualquer problema.-Disse.

Ele me deu um selinho.

-Você vai.

Sorri.

-Me deixa na agencia?-Pedi.

-Claro,vai trabalhar?

-Tenho uma reunião com a Mary.-Respondi.

-Ok.

Na verdade,eu tinha que entregar os papeis pra Mary,mas ainda não contaria para o Edward,ele ainda não poderia saber,que a irmã viraria modelo.