Confronto 2ªtemporada escrita por Gabszinha FerCosta


Capítulo 109
Capítulo 108-Mudando de ideia/ Ligação estranha/ Jantar romântico




  Jasper Whitlock

 

  Continuação…

  Cancelei a matricula da Mellanie e a levei embora, nós estávamos no meio da estrada, e estávamos do mesmo jeito que chegamos, calados.

  Mellanie me olhou.

  -Pai. –Ela me chamou.

  -Hum.

  -Por que mudou de idéia? –Ela perguntou.

  Respirei fundo.

  -Eu não podia estragar a sua vida desse jeito Mellanie, sua mãe iria sofrer muito e todos iriam se afastar de mim. –Disse.

  -E a tia Bella. Eu sei que ela está muito chateada com você. –Ela disse.

  Respirei fundo.

  -É, ela também. Se eu te deixasse lá, as coisas só iriam piorar. –Disse. –Mel, me desculpe pela maneira como eu agi com você, eu não devia ter agido desse jeito e te levar embora, eu sei que está crescendo e eu não posso te prender.

  -Tá tudo bem, papai. –Ela disse. –Então quer dizer que você vai aceitar o Daniel?

  Respirei fundo. 

  -Sim, eu posso suportar esse namoro, mas eu vou ficar de olho em vocês dois. –Disse.

  -Ok. –Ela deitou a cabeça em meu ombro.

  -Não importa se eu estou crescendo, ou se estou namorando, eu sempre vou ser a sua filhinha. –Ela disse.

  Sorri e beijei os seus cabelos.

  -Eu sei disso, querida. –Disse.

  Meu celular começou a tocar.

  -Espera, deve ser sua mãe querendo saber se eu já te deixei no internato. –Disse.

  Ela sorriu.

  -Ela vai ficar muito feliz quando souber. –Mellanie disse.

  Peguei o celular e olhei o identificador de chamadas.

  -Não é a sua mãe, é a sua avó. –Disse e atendi. –Oi, mãe.

  -Oi, filho. –Sua voz estava estranha.

  -Tudo bem? –Perguntei.

  -Sim, e você?

  -Estou bem.

  -Querido, eu sei que você tem uma vida e que é um homem muito ocupado, mas será que não poderia dar um jeito de vir até aqui? Eu preciso falar com você. –Ela disse.

  -Tá tudo bem mesmo, mãe? –Perguntei.

  -Sim.

  -É alguma coisa sobre a Bella? –Perguntei.

  -Não! Bella não tem nada haver com isso, não envolva-a nisso, é uma coisa de pais para filho, por favor Jazz, venha. –Ela implorou.

  -Tá, eu estou com a Mel, eu vou levá-la para a Alice e dou um jeito de ir pra Forks. –Disse.

  -Ok, obrigado. Te amo. –Ele disse.

  -De nada, também te amo. –Disse.

  -Tchau. –Ela disse e desligou.

  -Eu, hein. –Disse.

  -Tudo bem, pai? –Mellanie perguntou.

  -A sua avó quer que eu vá para Forks, ela quer conversar comigo. –Respondi.

  -Assim, de repente? –Ela perguntou.

  -É, ela parecia nervosa, eu não sei o que está acontecendo, eu preciso ir pra lá, tudo bem você ficar com a sua mãe na agencia?

  Ela assentiu.

  -Claro, mas é estranho a vovó pedir pra você ir pra Forks assim, de uma hora pra outra. –Mellanie disse.

  -Eu sei, também achei estranho, mas pelo visto eu só vou descobrir, indo até lá. –Disse.

  -Eu só espero que não seja nada grave. –Mellanie disse.

  -É, eu também espero. –Disse.

  Chegamos a cidade de Londres e eu fui pra agencia, chegamos à agencia e eu procurei pela Alice, ela apareceu e olhou para Mellanie.

  -Mel. –Ela a abraçou. –O que aconteceu? Eu pensei que você iria levá-la para o internato.

  -Ele me levou, mas depois ele foi me buscar e cancelou a minha matrícula, eu vou ficar aqui, mamãe. –Mellanie disse.

  -O que? –Ela me olhou. –Por que mudou de idéia?

  Sorri.

  -Eu me arrependi. Nós não iríamos conseguir viver sem ela. –Disse.

  Ela sorriu.

  -Ah Jasper, como eu te amo. –Ela disse e me abraçou.

  Sorri.

  -Eu também te amo. –Disse e me afastei dela. –Eu trouxe ela aqui, para ficar com você.

  -Por quê? –Ela perguntou.

  -Minha mãe me ligou, ela quer que eu vá pra lá. –Respondi.

  -E por quê? Aconteceu alguma coisa?

  -Eu não sei, ela não quis me dizer.

  -Será que a Bella disse alguma coisa sobre a briga de vocês?

  -Não sei, por que eu perguntei pra ela se tinha alguma coisa haver com a Bella, e ela disse que não e que não era pra eu envolvê-la, que era coisa de pais e filhos, eu não sei direito, ela estava estranha. –Disse.

  -Se você quiser, podemos ir com você. –Alice disse.

  Neguei.

  -Não, fique aqui trabalhando, eu vou sozinho. –Disse.

  Ela assentiu.

  -Tudo bem, então me ligue quando chegar lá. –Alice disse.

  -Pode deixar. –Dei um selinho nela.

  -E se for algo grave com a vovó, nos avise o quanto antes. –Mellanie pediu.

  Assenti.

  -Pode deixar. –Dei um beijo na testa dela. –Tchau, dêem um beijo no Chris.

  -Tá, tchau. –Elas disseram.

  Saí da agencia e fui para o meu carro, entrei no carro e fui para o aeroporto.

  Pelo menos a minha situação com a Mellanie já estava resolvida, agora era ir para Forks e ver o que estava acontecendo com os meus pais e quando eu voltasse, me resolveria com a Bella e com a Kristen.

  Isabella Marie Swan Cullen

 

  No final do dia…

  Cheguei em casa e estava exausta, a luz estava apagada, acendo e me joguei no sofá.

  -Nossa, que dia. –Disse.

  Percebi que a casa estava silenciosa, sem crianças correndo nem nada, olhei pra trás.

  -Edward? –O chamei. –Crianças?

  Ninguém respondeu.

  -Eu hein, não tinha notado que essa casa silenciosa era assustadora.

  Levantei-me e fui até a cozinha, acendi a luz e de repente braços m,e agarram por trás.

  -AHHHH! –Comecei a gritar e me debater.

  Fui prensada na parede, com os pulsos presos um de cada lado da minha cabeça.

  Olhei para o sujeito, já querendo levantar o joelho para chutá-lo.

  Ele riu.

  -Aí, Edward! Quase me mata do coração. Eu já ia chutar suas bolas!

  Ele sorriu.

  -Calma, minha gata feroz. –Ele disse.

  -Me solta!

  Ele me soltou, rindo.

  -Quem você pensou que fosse? –Ele perguntou.

  -Olha, pra começar, eu achei que não tinha ninguém em casa, alguém pode ter tentado entrar aqui pra me seqüestrar, nós dois somos pessoas da mídia. –Ele disse.

  Ele sorriu.

  -E eu pagaria o dobro do que pedissem para te resgatar. –Ele disse.

  -Não brinca com coisa séria, Edward. –Disse.

  -Tudo bem, me desculpe pelo susto. –Ele me deu um selinho.

  Sorri.

  -Ok. –Disse e passei os braços envolta do seu pescoço. –Cadê as crianças?

  -Kristen vai dormir na casa do Seth, Marie, Thony e Rob vão dormir na casa do Emm e da Rosie. –Ele respondeu.

  O olhei.

  -Os quatro vão dormir fora? –Perguntei.

  Ele assentiu.

  Sorri.

  -E o que está tramando, pra se livrar dos nossos filhos? –Perguntei.

  Ele riu.

  O puxei pela camisa até a mesa, sentei-me em cima dela e o puxei, o beijando.

  Ele me segurou pela cintura e afastou o rosto do meu.

  -Eu fiz o jantar pra nós. –Ele disse.

  Assenti.

  -Então eu tenho que me arrumar devidamente. –Disse, o empurrando e descendo da mesa.

  -Ok, eu espero o tempo que for. –Ele disse.

  Sorri.

  -Tá. –Dei um selinho nele e subi para o quarto.

  Corri para o banheiro e tomei um demorado banho.

(…)

  Saí do quarto, pronta e desci.

  Edward estava no topo da escada, me esperando.

  -Você está linda. –Ele disse, estendendo a mão pra mim e eu a peguei.

  -Obrigada. –Agradeci.

  -Venha.

  Edward me puxou pra sala de jantar, a mesa estava linda.

  -Uau! Fez tudo sozinho. –Perguntei.

  Ele assentiu.

  -Sim. Tinha que ficar tudo perfeito pra minha esposa linda. –Ele respondeu.

  Sorri.

  -Amor, eu tinha que me lembrar de alguma coisa? Por que eu tinha certeza que o nosso aniversário é daqui há 2 meses, e que eu me lembre, também não é o seu aniversário. –Disse.

  Ele sorriu.

  -Relaxa, você não esqueceu nenhuma data especial. É que eu acho que nos últimos tempos nós não temos mais esses momentos românticos, eu queria fazer um agrado. –Ele disse.

  -Hum, que tom de insegurança. –Disse.

  Ele sorriu.

  -Você trabalha com muitos homens. –Ele disse.

  Sorri.

  -E quanto as Marias Chuteiras que ficam correndo atrás de você? –Perguntei.

  -Bom, eu estou marcando território primeiro. –Ele disse.

  Comecei a rir.

  -Tudo bem, eu vou pensar em algo pra marcar o meu território. –Disse.

  Ele riu.

  Edward foi até o meu lugar e afastou a cadeira.

  -Sente-se, Sra. Cullen. –Ele disse.

  Sorri e me sentei.

  -Obrigada, Sr. Cullen. –Disse.

  Ele me deu um beijo no pescoço, tão bom que me fez arrepiar.

  -Eu quero que esqueça todos os problemas essa noite. –Ele sussurrou no meu ouvido.

  Assenti e sorriu.

  -Com você me dando esses beijos, eu esqueço até o meu nome. –Disse.

  Ele me deu uma mordida no pescoço e eu ri.

  Edward se sentou e me serviu.

  Era comida japonesa, com um vinho. Comida japonesa, vinho, jantar de velas.

  O olhei.

  -Então você comprou a comida?

  Ele me olhou.

  -Acha que eu não sei fazer comida japonesa?

  O olhei.

  -Que que eu responda? –Perguntei.

  Ele riu.

  -Tudo bem, eu comprei. Mas eu arrumei toda a mesa. –Ele disse.

  Comecei a rir.

  -Está tudo lindo. –Disse.

  Nós jantamos, trocando declarações de amor, o que se tornava ainda mais romântico, depois do jantar, ficamos conversando.

  -Eu tenho um presente pra você. –Ele disse e colocou um envelope encima da mesa.

  Peguei o envelope.

 -Um cartão dizendo o quanto me ama? –Perguntei.

  Ele riu.

  -Abra. –Ele pediu.

  Sorri e abri o envelope, eram duas passagens para o Caribe.

  -Passagens para o Caribe? –Perguntei.

  Ele assentiu.

  -Sim, passaremos o nosso aniversário no Caribe. –Ele disse.

  -Pensei que passaríamos com as crianças. –Disse.

  -Nós jantaremos com eles, quando voltarmos. –Ele disse. –E aí? O que achou?

  Sorri.

  -Eu achei maravilhoso. –Disse.

  Ele sorriu.

  -Ótimo. –Ele disse.

  -Tem sobremesa? –Perguntei.

  -Não, você queria?

  Neguei.

  -Não. –Disse e subi na mesa. –Eu quero ser a sobremesa.

  -Bella, você vai quebrar as coisas. –Ele disse.

  Atravessei a mesa e sentei-me em seu colo, o beijei.

  Ele desceu as mãos pra minha bunda e me olhou.

  -Vamos para o quarto? –Ele perguntou.

  Sorri.

  -Vamos!

  Ele se levantou comigo no seu colo e subiu comigo no colo, é a nossa noite seria bem longa.

  No dia seguinte…

  Edward e eu descemos para tomar café, abraçados.

  -Nós precisamos arrumar essa mesa. –Disse.

  -É, eu arrumo a mesa e você faz o café. –Ele disse.

  -Ok.

  Fui pra cozinha fazer o café, enquanto Edward tirava a louça do jantar.

  Servi o nosso café na mesa da cozinha mesmo, pois eram apenas nós dois.

  Edward lavou a louça do jantar e se sentou comigo para tomar café.

  -O que achou da noite de ontem? –Ele perguntou.

  Sorri.

  -Maravilhosa, obrigada. –Agradeci.

  Ele sorriu.

  -De nada. A intenção era essa. –Ele disse.

  Sorri e soprei um beijo pra ele.

  Terminamos o nosso café.

  -Eu tenho que ir, estou atrasada. –Disse.

  -Não quer que eu te leve? –Edward perguntou.

  -Não precisa. –Disse. –Você não vai treinar?

  Ele negou.

  -Não, hoje é dia de academia. –Ele disse.

  Assenti.

  -Ok, então vá buscar as crianças. –Disse.

  -Pode deixa.

  Dei um selinho nele.

  -Tchau, eu te amo. –Disse.

  -Tchau, também te amo.

  -Essa noite tem segundo round. –Sussurrei em seu ouvido.

  Ele sorriu.

  Dei as costas pra ele e ele me deu um tapa na bunda.

  -Gostosa!

  Sorri e fui pra garagem, entrei no carro e dirigi pra agencia.

  Cheguei à agencia e encontrei Alice e Rosalie conversando.

  -Oi meninas, desculpe o atraso, longa noite. –Disse.

  Alice sorriu.

  -É, eu fiquei sabendo. –Alice disse.

  -E como foi a sua noite? –Rose perguntou.

  -Maravilhosa! Meu marido continua sendo aquele garotinho de 15 anos apaixonado. –Respondi.

  -Ownt. –Elas disseram.

  -E os meus meninos se comportaram? –Perguntei.

  Rose assentiu.

  -Sim, mas ficar com o Rob, aumentou a vontade do Emmett de ter outro filho.

  -Então dê logo. –Alice disse.

  -É que eu estou em uma fase boa da minha carreira. –Rose disse.

  -Não vai te atrapalhar em nada. –Disse.

  -Você é bem experiente, teve logo quatro. –Rose disse.

  Sorri.

  -Minhas quatro bênçãos. –Disse.

  -E por falar em filhos, Alice tem uma novidade.

  A olhei.

  -Que novidade?

  Ela sorriu.

  -Jazz desistiu de levar a Mel para o internato. –Ela disse.

  Sorri.

  -Sério? Isso é muito bom. –Disse.

  -É, ele percebeu que não podíamos ficar sem ela. –Ela disse.

  -Eu fico feliz.

  -Ele vai tentar fazer as pazes com você e com a Kris, mas ele só vai fazer isso, quando voltar. –Alice disse.

  -Voltar de Forks, ele foi ontem. Sua tia ligou pra ele e veio com uma conversa estranha, dizendo que precisava muito falar com ele, eu achei que você tinha falado alguma coisa pra ela, mas quando o Jasper perguntou de você, ela disse que não era nada envolvido com você, que era coisa de mãe e filho.

  -Que estranho, eu vou tentar ligar pra ela. –Peguei o meu celular e liguei pra minha tia.

  Caiu na caixa postal.

  -Está caindo na caixa postal. –Disse.

  -Que estranho. –Rose disse.

  -Também acho. –Disse.

  -Meninas, vamos parar de fofocar e ir trabalhar? Bella, hoje é dia da sua mudança de visual, andem. –Mary disse.

  -Já estamos indo, Mary. –Alice disse e fomos para o camarim.

  Eu não sabia o que estava acontecendo com os meus tios, mas pelo menos Mellanie estava bem, agora eu vou me concentrar no meu trabalho, por que eu tinha muita coisa pra fazer.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Confronto 2ªtemporada" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.