O Impossível Se Torna Possível escrita por Day Marques


Capítulo 16
Capítulo 16


Notas iniciais do capítulo

Aê galerinha batalhadora. Como foi o primeiro dia de aula no inferno...Opa, quero dizer, escola? kkkkkkk. Ja deixei esse cap programado pra postar hoje. Sem erro e sem desculpas kk. Emjoy guys!!!




– Droga, será que você não pode ser menos desastrada de vez em quando – Gritei comigo mesma ao derrubar a travessa de vidro.

– Menina, acho que você está pirando – Zombou Jasper.

– Fica na sua, seu idiota – Gritei.

– Hei, calma ai. Eu só estava brincando, não tenho culpa se está de TPM – Falou com os braços levantados em forma de rendimento.

– Urgh, desculpe mano. Estou muito estressada esses dias.

– Sério, nem percebi – Riu e me deu um abraço antes de sair. A porta principal foi aberta e escutei a voz da minha Best. Corri pra sala para recebê-la.

– Alice, que bom que você veio. Mas eu não lembro de ter te chamado – A abracei.

– Não mesmo, porque quem me chamou foi o Jasper. Foi por ele que vim – Se afastou e deu um beijo no meu irmão que estava com uma cara de retardado para ela.

– Nossa, me dá uma facada no peito que dói menos – Dei as costas para os dois e fui limpar os vidros que deixei no chão. Peguei a vassoura e varri os cacos para a pá, dei mais uma varrida e depois passei o aspirador de pó.

– Bella – Escorreguei e me segurei no balcão – Está lesando menina – Lice riu da minha cara.

– Você quer me matar, criatura – Coloquei a mão no coração – O que você quer? Vá ficar com seu namorado – Desdenhei.

– Você está tão chata, o que é que você tem?

– Ai Lice, eu sei que estou um porre. Eu odeio dizer isso, mas eu sinto falta daquele canalha.

– Liga logo para ele, vocês precisam conversar mana – Sentei em seu colo.

– Nem morta, eu que disse para ele me esquecer e agora simplesmente eu vou ligar para ele dizer que sinto falta dele.

– É, exatamente isso que você tem que fazer. Bella, já faz uma semana que você está assim. Está pior do que aquele dia em que você descobriu que tinha “sentimentos” pelo bonitão – Falou como quem não queria nada. A campanhinha tocou e isso me irritou nível máster.

– Que movimentação é essa hoje em? – Falei para Lice e fui atender a porta já que o folgado do meu irmão é uma mazela – Mas como eu ia te dizendo Lice, eu jamais vou ligar para o... – Abri a porta -... Edward? – Falei surpresa.

– Eita que cabeça dura, meu Deus – Disse Lice da cozinha – Você tem que ligar para o... – Parou no meio da sala surpresa -... Edward?

– Olá garotas, espero não estar interrompendo nada – Falou com o sorriso que mais amo. Ele estava completamente lindo, mas também quando não foi. Usava uma roupa tipo as que as pessoas usam quando vai fazer piquenique, mas no lugar da bermuda estava uma calça jeans meio rasgada. O óculo encontrava-se pendurado na gola da camisa e o cabelo estava na mesma situação de sempre, bagunçado na sua forma mais sexy.

– O que você está fazendo aqui? – Sai do meu transe.

– Será que eu posso entrar, quero falar com você – Disse. Olhei para Alice pedindo ajuda e ela sorriu.

– Claro, Edward, pode entrar – Disse ela – Pode se acomodar na sala que a Bella já está indo – Ele pediu licença e se direcionou a sala.

– Meu Deus Lice, o que eu faço? – Entrei em desespero – Eu estou fedendo, estou toda suada, me ajuda – Sussurrei de uma forma gritante.

– Para quem não queria vê-lo nunca mais, está bem assanhadinha – Debochou.

– Não brinca, Lice. Depois você tira sarro de mim, agora me ajuda pelo amor de Deus – Sacudi seu minúsculo corpo.

– Ta – Deu-me uma tapa para eu parar com o que estava fazendo – Respira fundo. Levanta os braços – Fiz o que mandou e ela cheirou – Não está fedendo e nem suado, menos mal. Sua roupa não está tão mau assim, ele nem vai perceber. Mas eu perceberia – Sussurrou para si mesma, mas eu ouvi até demais – Acho que está bem, agora vá lá e conversem civilizadamente. Ah, e aja naturalmente – Girou meu corpo e deu uma tapa na minha bunda me empurrando. Que mania mais chata!

– Pensei que iria me deixar aqui – Sorriu a me ver – Sente-se perto de mim, por favor, quero falar com você. Prometo não morder – Riu.

– Não tenho medo de você – Sentei perto, mas longe o bastante para fugir caso precisasse – Pode falar, estou um pouco ocupada – Agi naturalmente. O que? Desde quando isso é o meu natural? Bateria em minha cabeça se estivesse sozinha.

– Bom, eu quero te fazer um convite. A pedido da minha mãe, é claro – Sorriu sem graça, amo vê-lo assim. Prendi o riso.

– Que seria?

– Ela disse, abre aspas – Falou fazendo o mesmo – “Quero dar um jantar para o anjo que me salvou” e fecha aspas. Juro, palavras dela – Sorriu com a cara de espanto que fiz – Ela pediu que eu viesse te chamar e me ameaçou se caso eu voltasse sem você. Por tanto, minha vida agora está em suas mãos.

– Isso é jogo sujo

– Eu não disse que jogava limpo, Bella. Não quando se trata de você – Disse se aproximando e pigarreei para cortar o clima.

– Eu não sei se...

– Você vai mesmo fazer essa desfeita com minha mãe – Fez cara de cão pidão.

– Eu sei bem que você não está fazendo isso por ela, Edward. Não sou idiota – Me prendi para não rir. Não tem como ficar com raiva desse homem por muito tempo. Será que devo ir?

– Mas um motivo para você ir.

– Tudo bem, eu vou. Mas é apenas pela sua mãe.

– Já basta – Sorriu – Fico feliz que você aceitou. Vejo-te hoje às 19h30min. Posso passar aqui se quiser.

– Espera ai, já é hoje? Eu nem me programei ainda.

– Ou é hoje ou é hoje. Você escolhe.

– Droga, eu odeio você. Eu vou, agora sai da minha frente que eu preciso pensar no que vestir – Sai o empurrando para a porta principal e antes de fechar eu pude ouvir...

– Eu te ajudo a se vestir... – Que cretino.

– E então, já vão se casar? – De onde essa infeliz surge mesmo?

– Alice, vai assustar o capeta.

– Me diz logo o que ele queria.

– Bom, a mãe dele quer dar um jantar e pediu que eu comparecesse.

– E por quê?

– Porque ele é para a minha pessoa – Cai no sofá respirando frustração

– E você vai né? – A encarei – Diz para mim que você vai.

– O que você acha? Eu não posso fazer essa desfeita com ela.

– Rum. E isso é só por ela ou por uma pessoinha que eu conheço? – Cutucou minha barriga na tentativa de fazer cócegas. Pobre mortal.

– Não começa. Agora vamos me ajudar a escolher a roupa e me reproduzir. Odeio isso, mas não posso aparecer parecendo uma bruxa na casa da mulher, não quero que ela morra de vez logo agora – Rimos e fomos para meu quarto.

– Viu, é só você ver ele e seu bom humor volta.

– Nunca disse que não – A Lice cuidou de tudo para mim. Ela pegou um vestido preto um pouco rodado e marcado na cintura preto, um sapato vermelho – Apesar de que eu briguei muito com ela por querer ir de tênis – Ela fez uma trança lateral no meu cabelo, pintou minhas unhas de vermelho. Logo depois fez uma maquiagem esfumada nos meus olhos, azul escuro com metálico. Batom cor de boca e acho que eu já estava pronta. Deixei o vestido em cima da cama junto com uma Alice possessa da vida me ameaçando tipo “Se você molhar o cabelo ou desfizer a maquiagem eu te mato”. Mas eu consegui sobreviver a isso. Já perto de ir para o jantar, eu coloquei o vestido com o maior cuidado do mundo e depois o sapato. Treinei um pouco para não cair na frente de todos e até me sai bem. Coloquei quase o meu perfume todo no meu pescoço de tão nervosa que estava e desci.

– Você está encantadora, mana – Disse Emm me obrigando a dar uma voltinha.

– Obrigada, mano. Orem por mim, eu estou morrendo de nervosa aqui. Alias, cadê a mãe e o pai?

– Eles foram jantar fora, comemorar alguma coisa. Aqueles safadinhos – Bati no seu ombro, mas acabei rindo junto.

– Lice, você vai ficar aqui com o Emm ou eu te levo pra casa? – Bati na sua cabeça.

– O Emm me leva, não se preocupe – Nem pensei duas vezes, peguei minhas chaves e corri pro carro. Seja o que Deus quiser.

[...]

POV Edward

Desde o dia em que a Bella disse tudo aquilo para mim, eu tomei como umas boas palmadas e resolvi tentar ser uma pessoa melhor. Se engana quem pensa que eu desisti dela, não mesmo. Mas, eu vou primeiramente cuidar de mim e ai sim eu posso correr atrás do prato principal. A Bella tem sido tudo para mim desde o momento em que a conheci, mas cada pensamento que eu tinha sobre ela me assustava. Amar, pois é, eu a amo e posso afirmar agora com todas as palavras, e isso me assusta tanto, tudo isso é muito novo para mim. Sempre fui de pegar e largar, não sabia nem como respeitar uma mulher. Bem, não quando ela merecia, se bem que as mulheres que eu pegava não eram dignas de respeito algum. Mas a Bella, a Bella é total diferença de todas as pessoas que eu conheci, aquele dia em que quase a atropelei foi maravilhoso. O seu jeito de olhar e até de xingar me fascinou. Fiquei curioso sobre ela e mais chocado ainda ao descobrir que todos esses meses atrás eu poderia já tê-la conhecido se freqüentasse as reuniões anteriores. Eu confesso que fui um completo bastardo a tratando desse jeito, mas a reputação do James não uma das melhores se tratando de mulheres, então meu coração quase saiu pela boca quando os vi juntos e tão íntimos. Ela é a razão de eu ter mudado tanto em relação a tudo, até o meu ver sobre o mundo e o modo de respirar. Não sei o que ela fez para mim, mas eu não sei se posso mais viver sem essa mulher ao meu lado. Sua religião me condena, mas quem não gosta de uma boa aventura? Um grande desafio? E foi exatamente o que aconteceu, fui desafiado a partir do momento que recebi aquela maldita ligação sobre a minha mãe. Minha relação com Deus ainda é um pouco delicada, sei bem o que ele fez por minha mãe, foi realmente uma coisa que nem a ciência pode explicar, os próprios médicos chamaram o caso da Esme de “O milagre”. Não paro de pensar sobre esse dia desde então. A Bella realmente foi um anjo com minha família, que nem os conheciam e já os tratavam como seus parentes, e cuidou tanto de mim que quando penso que a magoei por tolices, tenho vontade de pagar uma pessoa para bater em mim. Brigamos feio na ultima vez que ela foi ao hospital, e me arrependo amarguradamente por esse dia. Tentei por várias vezes voltar com ela ou até mesmo conversar, mas foi tudo em vão. Graças a minha mãe e a Deus – Acho eu – Ela teve a idéia de fazer um jantar para chamar a Bella e agradecer por tudo o que ela fez. De tudo isso, eu vou aproveitar e tentar reconquistá-la. Eu juro por mim mesmo e por minha mãe que eu não deixarei a Bella sair daqui sem dizer que me aceita de volta. Eu não vou desistir, não do que já é meu. Escutei a campanhinha tocar timidamente e senti que era ela, só podia ser ela. Meu coração batia mil por hora e ri de mim mesmo. Quem diria que um dia eu estaria assim, de quatro, por uma mulher. Abri a porta e vi uma Bella totalmente sem graça e isso foi muito engraçado de se ver, ela é sempre tão dona de si. Ah, minha adorável Isabella.

– Que bom que veio – Falei – Você está linda – Ela me encarava com admiração e ri de sua cara – Pode entrar.

– Obrigada. Aliás, você também está bonito – Disse sorrindo.

– Fico honrado. Então, está preparada?

– Bom, acho que sim – Disse respirando fundo – Devo saber de algo antes? – Perguntou desconfiada e ri de sua inquietação.

– Espere e verás – Sai a guiando até a sala de jantar onde todos já estavam reunidos a sua espera – Mãe, está é a Isabella, como você mesmo diz a “Meu anjo”.

– Ah minha nossa, como é bom finalmente conhecê-la – Ela veio e surpreendeu a Bella com um abraço de urso – Todos falavam de você e fiquei aflita para te conhecer. Queria conhecer a dona da voz de anjo que sempre escutava quando estava sozinha no meu quarto, bem, não tão sozinha – Limpou uma lágrima que escapava pelo canto de seu olho. Encarei a Bella e ela me parecia emocionada também – Eu não sei nem como te agradecer.

– Por favor, parem com isso. Vocês não têm que me agradecer em nada, por favor, não façam isso. Agradeça a Deus, ele sim merece – Disse a Bella sem graça. Eu não a julgo, odeio muita atenção.

– Ok, vamos deixar a Bella em paz por hora. Agora vamos jantar que estou morrendo de fome – Falei e sai puxando a Bella comigo. Fiquei feliz dela não protestar em relação a isso. Jantamos como uma família feliz, a Tanya e minha mãe não desgrudaram da Bella nem por um segundo. Coitada, mas quem manda ser tão boa? Depois da sobremesa, a Bella ajudou minha mãe com a louça, isso depois de muita briga é claro. Meu irmão, eu e meu pai seguimos para sala a espera delas.

– E então mano, vai deixar passar de hoje? – James bateu de leve em minhas costas.

– Se depender de mim, não. Mas ela não estar resistindo muito quando tento me aproximar. Espero que eu consiga – Fui sincero. No primeiro dia em que briguei com a Bella por ver ela junto a James, ele conversou comigo e tudo ficou bem. Por vez, tive outro chilique e ele mais uma vez teve paciência comigo e me ajudou quando mais precisei.

– Já está tudo pronto na casa dos fundos, é só você agir com calma e segurança agora. Te desejo sorte irmão, e vê se não estraga tudo dessa vez.

– Ele tem razão filho, não faça mais burradas. Confiamos em você – Sorri para os dois e nos calamos ao ouvir as garotas se aproximarem.

– O que as mocinhas estão conversando? – Perguntou Tanya sorrindo

– Coisas de homem, meu bem – Disse meu pai beijando o pescoço da minha mãe. Como eles estão felizes juntos, sinto um pouco de inveja. Espero estar assim com a Bella em pouco tempo. Quero tê-la ao meu lado em quanto viver.

– Bella, você pode me acompanhar lá fora um minuto? – Estendi minha mão direita para ela.

– É... Bem, sim. Claro, pode ser – Meio que gaguejou. Ela pegou em minha mão e a guiei até a casa dos fundos. Abri a porta e dei passagem para a mesma passar. Sua cara foi de total surpresa quando ela viu a decoração interior.

– Eu queria que você me conhecesse por completo. Aqui sempre foi meu lugar “secreto”, guardo minhas coisas aqui desde pequeno. Faço tudo aqui e converso sobre as pessoas que eu amo aqui. Bom, eu nunca trouxe ninguém aqui além da minha mãe, então. E tecnicamente o James agora, já que ele me ajudou a arrumar aqui – Ri nervoso – Bella, tudo o que eu tenho está aqui, e agora o que faltava acabou de colocar os pés aqui dentro. Agora minha coleção de coisas preciosas está completa. Bella, eu preciso de você. Minha cabana está completa, mas o meu coração ainda sangra, eu sinto a sua falta. Por favor, você tem que voltar para mim. Minha vida nem tem mais sentido, eu já nem sei mais como respirar sem você por perto. Tudo o que você me disse naquele dia, não saiu da minha cabeça – Ela tentou falar, mas a interrompi – Não se martirize, suas palavras me fizeram abrir os olhos, e sua partida me fez acordar para a vida, Bella. Acordei para mundo, pois a minha vida tinha ido embora naquele carro, você a levou junto. E eu a quero de volta, mas a vida da minha vida tem que voltar junto, ou eu não posso viver. Eu me martirizo desde o ultimo segundo que me deixou, como eu pude ser tão burro, idiota e cego? Eu não sou digno do seu perdão e muito menos do seu amor, mas quem não merece uma segunda chance? Entenda, eu não sou perfeito, mas eu estou tentando. Por você Bella, eu vou ser uma pessoa melhor. Eu sou uma pessoa melhor com você, porque somos bons juntos. Eu preciso de você para ser uma pessoa melhor e completa. Se você se sentia uma estranha em relação a mim, bom, olhe em volta. Aqui está toda a minha vida e tudo o que você precisa saber. Se depois disso você não me quiser, eu não vou me conformar, mas vou procurar entender. Mas, eu prometi a mim mesmo Bella que eu não deixaria você sair dessa casa até dizer que me aceita de volta – Ela me olhava chocada e nenhuma palavra saia de sua boca, ela até abria a boca, mas nenhum som foi ouvido. Reinou sobre a cabana o mais perturbador silêncio. Ela começou a andar pela cabana, sempre olhando e tocando por tudo o que passava, isso de certa forma me alivio. Pode ser um sinal de que ela está pensando sobre. Aguardei com paciência até que ela se manifestou.

– Ninguém é perfeito, Edward. Eu nunca pedi e esperei que você fosse. Eu só queria que você confiasse em mim. Agora eu vejo o quanto está se esforçando e isso me alegra muito. Eu percebo o quanto precisamos um do outro – Riu para mim – Você não sabe o quanto eu fiquei chata essa semana só por sentir a sua falta – Sorri com sua revelação.

– Então...

– Nós sempre iremos tentar – Disse e correu para me abraçar. Não existe tamanha palavra para descrever o sentimento que tenho agora por ter a minha amada exatamente onde ela sempre teve que estar, em meus braços e ao meu lado.

– Eu não vou mais te deixar ir, Bella. Eu prometo, eu vou ser bom para você, eu vou ser o cara certo para você – Ela segurou meu rosto e riu.

– Não quero que seja o cara certo, só quero que seja meu do jeito que você é – Com isso, ela me beijou e senti a saudade que vinha de seu beijo. Puxei suas pernas e as prendi em minha cintura, sentamos no sofá e ficamos nos beijando, matando a saudade do tempo perdido por pura besteira. Jamais tentei algo a mais com ela, eu espero e respeito o seu tempo. Sou homem, é claro que tenho minhas necessidades, mas não vou apressar as coisas. Elas estão perfeitas exatamente como estão.



Notas finais do capítulo

Galerinha, se alguém quiser ser bomzinho comigo e me doar umas recomendações e reviews, eu super aceito kkkkkkkkkk. Não vou leiloar um beijo como o Rob, mas vocês terão minha eterna felicidade kkkkkkkkkk. Divirtam-se, beijão



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Impossível Se Torna Possível" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.