O Impossível Se Torna Possível escrita por Day Marques


Capítulo 13
Capítulo 13


Notas iniciais do capítulo

Ola people! Acho que concertei o capitulo kkk. Vamos ver. Espero que gostem agora lendo direitinho. Beijinhos!




Cheguei em casa são e salva, nem um arranhão. Graças a Deus. Ainda não consegui processar todas as palavras que ouvi sair da boca do Edward, é como se não tivesse acontecido. Subi para o meu quarto e deixei meu corpo escorregar pela porta. Deus, como dói essa sensação de decepção, por favor, faça parar.

[...]

A Campanhinha tocava e em seguida vinham batidas na porta. Abri os olhos e meu pescoço doía, tinha dormido encostada na porta, exatamente do mesmo jeito de quando eu cheguei. Tive que levantar e ver quem era, os meus pais tinham ido para a viagem missionária da igreja e o Emm, bom, o Emm hiberna quando cai na cama. Desci as escadas bem lentamente, não queria tropeçar no meu próprio pé, e a campanhinha não parava de tocar. Olhei pelo olho mágico e meu coração gelou quando vi quem era. E agora, abro ou não? Mas se eu não o fizer, ele vai ficar aqui e a policia vai aparecer a qualquer momento. Se bem que eu não acharia ruim, eu consigo dormir com o mais alto barulho. Não, eu não posso fazer isso com sua família, já basta o problema da Esme, ter um filho preso não seria a coisa mais legal do mundo agora. Respirei fundo, fiz a cara mais fria que tinha e abri a porta.

– Ah, meu bem, até que enfim você atendeu – Falou Edward. Pude sentir seu bafo de álcool de longe, mas não me parecia bêbado como antes.

– O que você quer? – Falei friamente.

– Não, não fale assim comigo. Eu estou arrependido de ter falado aquelas coisas, eu não sei o que deu em mim – Tentou entrar, mas empatei – Deixe-me entrar, está uma madrugada fria aqui.

– Vai embora, Edward. Eu não quero te ouvir agora, não nesse momento.

– Eu quero conversar com você – Suplicou.

– Bom, mas eu não – Tentei fechar a porta, mas ele pôs o pé – Tire-o ou eu vou fechar a porta mesmo assim.

– Eu não sairei daqui até você me ouvir – Desafiou-me.

– Vai.Embora. Você está medindo força com a pessoa errada – Empurrei a porta e ele não se atreveu a deixar o pé desta vez.

– Eu vou gritar até você abrir a porta de novo.

– Espero que goste de passar a noite na prisão, eu não vou interferir se os vizinhos chamarem a policia – Depois que disse isso, sai para a cozinha e peguei um copo com água. Depois de beber, fui para o quarto, peguei meus fones de ouvido e deitei na cama. Não escutei mais nada depois disso.

[...]

Acordei com uma tremenda dor de cabeça, quem manda chorar mais que o normal. Odeio o Edward por me fazer chorar. E por falar no diabo, eu acabo de lembrar que prometi a Tanya que voltaria para ficar com ela. Ai Jesus, eu não posso deixar ela agora, ela precisa de mim. Sei que vai ser impossível de não encontrar o Edward lá, então, por favor, Jesus não deixe que briguemos. Depois de tomar um banho demorado, troquei de roupa e desci para comer algo. Após isso, tomei dois analgésicos e fui pro hospital. Não demorou muito para chegar, fiquei no carro por uns minutos recolhendo forças do fim do mundo para enfrentar o homem que estava lá dentro. Pulei de susto ao ouvir uma batida na janela.

– Hei, olha só quem achei perdida. Bom dia, Bella – Era o James, menos mal.

– Ah oi – Disse ao sair do carro. Liguei o alarme e o segui – Bom dia para você também.

– Não está com uma cara muito boa.

– Seu irmão apareceu no meio da madrugada na minha casa, imagine meu estado

– Sinto muito por isso, eu tentei evitar. Depois que eu conversei com ele, ele relaxou mais, mas não tanto. Então, quis ir falar com você – Riu.

– É bom saber que alguém acha isso engraçado no meio dessa bagunça – Ri – Mas, obrigada pela ajuda.

– Namorada do meu irmão, é minha mana também – Colocou seu braço em meu ombro numa tentativa de abraço. Chegamos à sala rindo e a cara do Edward não foi uma das melhores. Não me deixei ser intimidada, ele que se dane se não confia em mim, só estou aqui por causa da Tanya.

– Bom dia, cunhada – Tanya veio me abraçar e olhou feio para o Edward. Ótimo, ela também está com raiva dele.

– Bom dia, Tanya – Disse – Temos noticias?

– Ele continua lutando, mas sua situação não é uma das melhores.

– Ela vai ficar bem, não desanime – Alisei sua face numa forma de passar força.

– Será que você pode entrar comigo, eu quero fazer uma oração na presença dela.

– Nossa, claro. Seria uma honra – Segurou minha mão e juntas entramos na sala onde sua mãe repousava. Nunca tinha entrado ali e ver aquela linda mulher deitada na cama, totalmente invalida, partiu meu coração e não teve como segurar as lágrimas. Deus, poderia ser minha mãe! Tanya apertou minha mão como se quisesse dizer que estava tudo bem. Sentamos perto da cama e ela pediu que eu orasse e depois seria ela. Respirei fundo e pedi a Deus que eu conseguisse passar a nossa necessidade de agora.

– Querido pai, estou aqui meu Deus, me prostrando aos teus pés para pedir pela vida dessa mulher que está aqui ao nosso lado, ó Deus. O senhor sabe o que ela e sua família está passando, o senhor sabe a angustia no coração de cada um aqui pai. Eu peço Deus, que o senhor possa estar interferido pela vida dela pai, eu sei que para tudo o senhor tem um propósito, então nos mostre o que o senhor quer conosco pai, com essa família. O senhor está vendo que não está fácil para ninguém, e sabemos que a saúde dela não está muito boa. Ó pai, entrego a vida desta serva em tuas mãos, e que o senhor possa fazer o milagre e que nós o vemos acontecer. Eu te peço Deus, traz a Esme são e salva para sua família, que ela possa acordar e não ter nenhuma seqüela, que ela volte exatamente como sempre foi. Ela é uma boa pessoa, eu não a conheço, mas posso dizer isso pelos bons filhos que tem. Pai, conforta o coração de seu marido que precisa trabalhar, mas está sempre preocupado. Toca no coração de cada um aqui Deus, para que possamos ser forte em tua imagem, para ajudar a Esme no que for preciso. Eu me humilho e me prosto para te pedir isso, em nome de Jesus, amém – Ao terminar, eu já estava em lágrimas,a Tanya chorava no colo da mãe. Foi uma cena forte de ver, porque o tempo todo ela estava se segurando, sendo forte pelo pai e irmãos. Puxei seu corpo para o meu e esperei que ela chorasse o quanto fosse preciso, nós não somos fortes o tempo todo, sempre precisamos chorar e colocar a angustia para fora. Ela levantou a cabeça e limpou as lágrimas, então com muita dificuldade pode fazer sua oração. Saímos do quarto abraçadas e o James nos olhou, pude ver a emoção que ele sentiu ao nos ver assim. Tanya disse que precisava beber algo e foi para a cantina. Edward calado estava, calado ficou e do seu canto não saiu. Sentei no banco de cabeça baixa e fiquei com o pensamento longe.

– Obrigado Bella, realmente você está sendo uma benção para minha família. A Tanya nunca confiou em ninguém, quer dizer, até agora. Ela realmente gosta de você, ela disse que te vê como uma irmã – Sorri de leve para ele – E, por favor, não desista daquela cabeça oca ali – Sussurrou e apontou para o Edward – Rimos – Ele está assustado com tudo que está acontecendo e não sabe como lhe dar com isso.

– Eu prometo tentar – O dia passou rápido e tive que partir, com o coração partido, mas fui. No estacionamento vi o Edward encostado no meu carro. Não quero conversar com ele ainda, ainda estou muito magoada pelo o que disse.

– Vamos conversar – Falou quando cheguei perto.

– Sai, eu não quero conversar com você.

– Olha, eu não estou agüentando mais isso. Eu já disse que estou arrependido e pedi desculpas.

– Eu não quero brigar, estou com tanta raiva de você que poderia te socar. Agora sai da frente.

– Mas Bella...

– Deixa-me ir – Falei entre dentes. Eu tentava não ter raiva dele, mas só em lembrar no que ele disse, sobe uma chama, não, uma labareda dentro de mim. Ele hesitou, mas com muita relutância saiu desencostou da porta do carro. Entrei e dei partida sem olhar para trás.

[...]

– De novo essa maldita campanhinha, quem será uma hora dessas? – Sai batendo o pé e gemi ver meu irmão de cara feia perto da porta.

– Se você não resolver o problema desse retardado, eu vou chamar a policia. Eu não consigo dormir desde as 23h00min – Olhei o relógio e era 01h00min da madrugada.

– Pode ir pro quarto, eu vou atender. Chamo-te se precisar de ajuda – Ele saiu xingando baixinho, coisas como “Eu gosto desse cara, mas ninguém atrapalha meu sono”. É isso é uma coisa de família, sabe. Abri a porta esperando um Edward bêbado, mas dessa vez ele estava mais que sóbrio. Menos mal.

– Não saiu daqui enquanto não falar tudo o que tenho a dizer para você – Falou de uma vez só. Eu já estava cansada disso, eu não ia ter muita paciência, então era melhor eu escutar logo o que esse doidão tinha para dizer. Só espero que não acabe em briga.

– Ok, entre antes que eu me arrependa – Dei passagem e ele passou respirando aliviado. Sentamos no sofá e ele foi logo me abraçando. Não sabia bem como reagir, então esperei que parasse.

– Olha, eu sei que agi como um completo idiota...

– Muito idiota – O interrompi.

– Continuando... Mas, eu te peço perdão por isso. Por favor, pare de me evitar, isso está machucando muito. Eu não sei explicar, mas eu não consigo passar um minuto sem tê-la perto de mim, dói só de pensar. Perdoe-me por tudo, eu prometo não fazer mais.

– Edward, você acha que é fácil te perdoar assim? Você tem noção das coisas que disse para mim? Você surtou, eu nem sei o que te deu.

– Tudo isso é muito novo para mim, eu não sei lhe dar com esse sentimento – Passou as mãos no cabelo e segurou minha mão – Quando mais novo, as meninas sempre preferiam a James a mim. Ele tem um poder, um feitiço sobre as mulheres que nunca vi igual. Sempre que eu estava de olho em uma garota, ele tomava a frente. Ele é um tremendo de um garanhão Bella, e eu não posso te perder para ele. Você é minha e ele não vai te tirar de mim – Suas mãos estavam cerradas. Meu coração amoleceu um pouco com suas palavras.

– Eu não sou um prêmio, Edward. Se eu estou com você, é porque eu te escolhi para ficar ao meu lado. Eu escolhi você, não o James. O seu irmão cresceu meu bem, ele te ama como ninguém. Ele jamais tentou algo comigo, muito pelo ao contrario, ele me respeita como ninguém e disse que jamais daria em cima de alguém tão precioso para seu irmão – Ele me escutava com atenção – Edward, isso é tão novo para mim quanto para você, mas se tem uma coisa que não tolero é desconfiança e ciúmes sem necessidade. Algum dia te dei motivos para desconfiar de mim? – Balançou a cabeça negativamente – Então, não aja mais como um idiota. É de você que eu gosto, tenho a Tanya e o James como irmãos agora. Edward, eles precisam de você, eles te amam.

– Eu sei, é que só o pensamento de te perder me assusta, então eu ajo assim. Perdoe-me Bella. Mas eu te peço, não me deixe – Respirei derrotada.

– Eu disse que ia tentar, não é? – Sorriu – Só não faça mais isso.

– Eu juro que não – Não tive tempo nem de piscar e sua boca já estava esmagando a minha.



Notas finais do capítulo

E ai galera? Uma recomendacaozinha ou um review nao mata ninguem ne? Beijos



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Impossível Se Torna Possível" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.