O Impossível Se Torna Possível escrita por Day Marques


Capítulo 12
Capítulo 12


Notas iniciais do capítulo

Oi gente, estou tão feliz, quando eu entrei aqui tinha recebido um monte de reviews e uma nova leitora. Isso me deixou muito feliz, obrigada por comentar em todos os caps amore, Deus te pague kkkk. E já que estou de super bom-humor, ai vai um cap fresquinho que se não tomar cuidado se queima kkkk e suuuuuuper grande. Espero que amem, beijos!!!




Duas semanas, fazia duas semanas que Edward e eu estávamos juntos, e até aqui tudo estava bem. Ele queria falar com meu pai sobre nós, mas eu já tinha falado a ele que por mais que meu pai seja evangélico, ele sabe que tempos de hoje não é mais necessário esse negocio do menino pedir a mão da menina. Menos mal, pra mim isso é pagação de mico. Estamos seguindo, e nessas duas semanas a mãe dele ainda não acordou. Ele está bem preocupado, às vezes até o vejo chorando mesmo que ele negue. Estou sempre orando para Deus trazer a Esme logo, mas sabemos que os milagres de Deus nem sempre vem de imediato, mas eu sei que ela vai acordar. Os médicos disseram que sua situação está bem, só o cérebro que ainda não responde aos comandos do corpo. Eu estava sempre no hospital nas horas que não tinha nada para fazer, ou estava ensaiando na igreja. Eu e a Tanya estamos nos dando muito bem, o pai dele também é um amor de pessoa. Já sei a quem os filhos puxaram.

– Bella, você tem que ir para casa. Vá descansar, você já passou o dia todo aqui – Falou me abraçando.

– Eu não estou cansada, quero ficar – Falei.

– Claro que está, até sua voz está arrastada. Não me faça ficar preocupado. Vá para casa e descanse.

– Quer se livrar de mim? – Me fiz de ofendida.

– Claro que não sua boba, mas não te quero ver desmaiando pelos cantos.

– Esta bom, ta bom. Eu vou. Mas eu volto assim que puder. Você gostaria que eu trouxesse algo?

– Não precisa, eu vou mesmo passar em casa para tomar banho. Quer que eu te leve?

– Não, estou com meu carro.

– Argh, vocês dois se calem e vão embora logo – Reclamou a Tanya e nós rimos.

– Vamos antes que ela nos mate – Disse Edward. Despedi-me do Carlisle e da maluca e seguimos para nossos carros.

– Se cuida e dirija com cuidado – Falei.

– Você também – Colocou suas mãos em minha cintura – Dói ter que ficar longe de você – Fez manha.

– Você que me mandou ir embora, agora acate com as conseqüências – Ri e lhe dei um selinho.

– Ai, que beijo mais chocho. Quero mais – Agarrou minha nuca e aprofundou o beijo. Separamo-nos com relutância e eu me afastei.

– Vá, e nos veremos em breve – Falei e fui para meu carro – Ai Deus, esse homem ainda será minha ruína – Ri comigo mesma e segui para casa. Ao chegar, minha mãe veio me abraçar.

– Como estão às coisas por lá? – Sentamos no sofá.

– Ainda no mesmo, mãe. O Edward está um caco, e nem comento sobre o pai. Coma é uma coisa séria, mas eu tenho fé que ela vai acordar.

– Estamos orando por isso filha, só temos que esperar. E vocês, como estão? – Perguntou mais animada.

– Estamos bem, mãe. Mas sabe, às vezes tenho uma sensação que estamos apenas nos iludindo. Que não vamos dar certo.

– Isso é insegurança, normal quando se está amando. Mas não pense assim, você tem que pensar positivo. Cadê a Isabella que eu conheço?

– Ah mãe, eu já não sei de mais nada. Minha vida mudou tanto desde que o conheci. Eu nem sei se o amo.

– Vá por mim, você ama sim. Só não sabe ainda. Bom, já comeu?

– Não, mas eu vou dormir agora mãe. Assim que eu acordar eu como, ok. Te amo – Beijei seu rosto e subi. Tomei um banho rápido, nem coloquei uma roupa, cai na cama e apaguei.

[...]

– Mãe, essa lasanha está magnífica – Falei de boca cheia. Fazia tanto tempo que não comia bem assim.

– Eu sei né, eu sou demais – Rimos. Terminando eu coloquei meu prato na pia e o meu celular toca.

– Alô?

– Bella, é a Tanya.

– Ah, oi Tanya.

– Por favor, venha o mais rápido que você puder. Recebemos uma noticia nada boa e o Edward está pirando.

– Claro, eu já estou à caminha – Subi correndo,troquei de roupa em tempo recorde e fui falar com minha mãe. Expliquei tudo a ela e disse que podia ficar para dormir lá. Sai correndo e dei partida no carro.

[...]

– Cheguei. Cadê ele? – Perguntei ao Carlisle.

– A Tanya e o James conseguiu puxá-lo para a cantina. Fale com ele e tente o acalmar.

– Farei isso – Fui a sua procura e logo o avistei com a cabeça baixa na mesa. Tanya sorriu ao me ver e o menino que acho que era o James me olhou.

– Bella – Edward levantou a cabeça de imediato ao ouvir meu nome – Graças a Deus você chegou – Disse Tanya.

– Vim o mais rápido que pude – Falei e sentei ao lado de Edward – Oi, estou aqui agora – Alisei sua face. Ele fechou os olhos e simplesmente me abraçou.

– Vamos James, vamos deixar eles sozinhos – Olhei para James e assenti, ele sorriu e se foi com Tanya.

– Eles disseram que vão dar no máximo três meses para ela Bella, eu estou desesperado – Falou entre o vão do meu pescoço.

– Edward, não fique assim. Você tem que se manter forte por ela, pela sua irmã. Ela tem o apoio do namorado, mas é de você que ela precisa.

– Aquele é o meu irmão – Falou meio que rindo, mas não vi vida nele.

– Ela teve piora, não está progredindo e eu estou com medo.

– Eu estou aqui com você, eu não vou te deixar sozinho. Agora, levante essa bunda gorda daí e vá ficar com sua família – Riu. O Carlisle não estava lá quando chegamos e ele viu o rosto de Tanya mais sereno.

– Eles nos deixaram ver ela, isso não é ótimo – Disse animada.

– E você será o próximo – Disse o James. Terminando de falar, o pai dele saiu e sorriu para ele. O Edward entendeu isso como a permissão para entrar e saiu me puxando com ele.

– Não, Edward você tem que fazer isso sozinho – Soltei-me dele – Eu estou aqui esperando – Ele hesitou, mas enfim entrou no quarto e fechou a porta.

– Oi, eu sou o James, irmão do Edward – Sorriu simpático.

– Isabella, mas me chame de Bella – Apertei sua mão.

– Meu irmão está feliz, apesar das circunstancias, mas está. E a Tanya me disse que você é o motivo disso. Eu fico feliz por ele, eu amo o meu irmão e esperava por esse dia glorioso – Riu.

– Eu não fiz nada, vocês têm que parar com isso.

– Fala isso porque não o conheceu antes, ele era muito rabugento. Está até mais família que antes – Eu o conheci assim, mas não pensei que fosse para tanto. Minutos depois, o Edward sai do quarto com os olhos vermelhos e ao ver James ao meu lado, sua expressão mudou para pura raiva, eu sinceramente não entendi nada.

– Sai de perto dela agora, eu não te quero perto da Bella – Grunhiu.

– Maninho, eu não fiz nada – Falou com sinceridade – Eu só estava conversando com ela, pergunte a Tanya.

– Edward, está tudo bem. Só estávamos conversando – Falei e me aproximei dele. Ele relaxou mais quando o abracei e puxei para sentarmos no banco.

– Não quero você perto desse tarado – Falou secamente.

– Edward, eu não estou te entendendo – Realmente eu estava muito confusa, o James foi muito simpático e não tentou nada comigo.

– Ele é o meu irmão, mas eu conheço a peça.

– E o que eu tenho a ver com isso? Espera, você está com ciúmes? – Segurei o riso.

– Bella, o James não presta. Ele é o cara mais galinha que eu conheço – Tive que rir com essa.

– Ah sim, o sujo falando do mal lavado – Ironizei, mas ele nem riu.

– Eu não quero você perto dele – Falou mais firme.

– Edward, eu não quero discutir com você. Você está estressado por causa da sua mãe, e eu entendo. Mas, não venha com esse papo. Eu sei bem me cuidar, e não sou nenhuma idiota, ok. Quando você começar a agir normalmente, você venha falar comigo – O deixei sozinho e fui para perto da Tanya.

– Me desculpe por isso – Disse ela – Eu nunca o vi assim, chega a ser cômico na verdade – Deu uma risada fraca.

– Eu não entendo essa reação dele, o James não tentou nada comigo.

– E dê graças a Deus por isso, o James é mulherengo sim. Mas, eu sei bem que ele respeita o irmão. Ele gostou de você Bella, e está feliz pelo Edward, jamais tentaria algo com você – Confessou – Acho que o Edward está mesmo gostando de você, isso está o assustando – Virei a cabeça para encará-lo, mas ele não estava mais lá. Não sei se era uma boa ideia conversamos hoje, então resolvi ir para casa. Eu fiquei chateada com esse chilique dele, eu pensei que ele confiasse em mim. Senti-me como uma puta que ele pegou e pensou que o James queria repartir depois. Disse tchau para a Tanya e prometi que voltaria amanha.

– Posso te acompanhar, já são 23:00 da madrugada, o estacionamento está um pouco deserto – James se ofereceu.

– Ah claro, muito obrigada – Ele me seguiu e ao passarmos perto da cantina do hospital, não pude evitar dar uma olhada, mas não o vi. Cheguei ao estacionamento triste de não poder me despedir, seria difícil dormir sem ter falado com ele. Acho que foi melhor assim.

– Está entregue, senhora – Riu.

– Obrigada James, e tenha paciência com o seu irmão. Ele está rabugento por causa da sua mãe, sabe como é – O pedi.

– Tudo bem, eu sei como lhe dar com essa fera, não se preocupe – Ri sem humor para ele – Foi bom te conhecer, espero te ver mais vezes.

– Você também, Bella. Não pense mal sobre mim, ok. Eu jamais seria capaz de roubar algo que parece ser tão valioso para meu irmão.

– Eu sei que não – Aproximei dele e lhe dei um abraço.

– Chocante essa cena – Dei um pulo quando vi o Edward parado bem atrás de nós – Vocês são patéticos.

– Edward irmão, você bebeu? – James estreitou os olhos para ele.

– Não começa, Edward. Você foi beber? Você ficou completamente maluco. Qual o seu problema?

– O meu problema é você – Quase gritou – Você mal assumiu uma relação comigo e já está dando em cima do meu irmão?

– Nós temos uma relação? Nem sabemos o que temos ainda – Enervei-me. Ele me ignorou.

– Ele eu até entendo, é um completo cara de pau. Não perdoa nem uma boneca inflável, mas você – Tentou se aproximar, mas de tão bêbado quase cai. James entrou na minha frente, caso ele tentasse algo – Ah – Riu – Vai defender ela? O que foi, ela já te deu um aperitivo? – Meu mundo sumiu ao ouvir o que ele disse. Como ele pôde dizer uma coisa dessas comigo?

– Agora já chega, Edward – James gritou – Você está bêbado, completamente alucinado e falando merda. Deixe de ser mimado e idiota. Não acredita na mulher que ama? Tem noção das grosserias que está dizendo a ela? Não estrague a única coisa boa e inteligente que você já fez na vida – Foi para cima dele, mas o segurei pelo braço.

– Tudo bem, James. Eu vou embora antes que me arrependa – Abri a porta do carro e entrei o mais rápido que pude, eu não iria chorar na frente dele, eu não iria lhe dar o gosto da vitória. Pude ver seu rosto retorcido, não sei se de arrependimento ou porque a bebida já estava querendo sair de seu corpo. Eu não estou dando a mínima para ele agora, eu só sei que não quero ver ele nem tão cedo – Desculpe por isso James, até mais – Dito isso, acelerei e cantei pneu ao sair de lá. Finalmente as lágrimas caíram, como me sinto humilhada por aquele canalha. O que deu nele Deus? Eu só estava conversando com seu próprio irmão e ele surtou do nada. Eu nunca dei motivos para ele desconfiar de mim...



Notas finais do capítulo

Uuuuui, bem tenso em? Amaram sim ou sim? kkkkkkkkkkkk. Beijos amore e até breve!!!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Impossível Se Torna Possível" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.