Uma Viagem Pelo Tempo escrita por Lily Evans Potter


Capítulo 29
A história de Harry Potter e uma pequena briga


Notas iniciais do capítulo

Oiiie povo, eu sei que demorei pra postar, mas eh que estou com muito pouco tempo livre... Mas está ai o novo capítulo e agradeço à todos os comentários do capítulo anterior!! Boa Leitura!!



A história de Harry Potter e uma pequena briga

Lily e Isabella subiam as escadas devagar e perdida em seus próprios pensamentos. De tanto silêncio Isabella até se assustou quando a Evans perguntou onde era o quarto dos Potter/Weasley.

– É o ultimo no fim do corredor, vai ter uma plaqueta escrita Potter/Weasley – respondeu a Molina singelamente.

– Eles têm um quarto só para eles? – a Evans questionou assustada.

– Sim, ninguém os queria como colegas de quarto. Às vezes eles eram um pouco brincalhões demais ou não iam com a cara dos colegas de quarto, então o professor Lupin achou melhor juntar todos em um quarto só. – respondeu a outra ruiva – chegamos, bate você?

– Claro – a viajante ruiva disse gentilmente.

– Agora sei por que todas as garotas de Hogwarts estão pegando afeição por você – comentou Isabella

– Como?

– Você é bem gentil e amável com todos e isso é legal – elogiou a Molina

– Obrigada – a Evans agradeceu corada.

A porta se abriu e por ela saiu à cabeça de Albus ele olhou para o corredor e reparou nas duas garotas.

– O que houve? Esta tudo bem Bella? – perguntou ele preocupado.

– Sim, foi só um susto. E com James e Ethan? – indagou a ruiva com mechas escuras.

– Estão bem, só um pouco irritados com o Almofadinhas, mas já vão descer. Se estão bem por que subiram? – Albus perguntou sendo um pouco rude sem intenção.

– Soubemos do tombo deles e viemos ver se estão bem – respondeu a Evans

– Ah sim, claro.

– Quem tá na porta Al? – James Sirius gritou para o irmão

– A Bella e a Leah – respondeu o mais novo.

– Estão bem? – James perguntou preocupado com as ruivas.

– Estão. Vocês estão vestidos para eu deixa-las entrar?

– Estamos! – exclamaram os dois juntos.

– Podem entrar e não reparem na bagunça que os dois fizeram – sugeriu Albus divertido para as duas recém-chegadas.

– Como estão? – perguntou Lily para James e o neto.

– Bem/Melhor – disseram os dois juntos

– Okay então – disse Isabella pela primeira vez desde que entrou no quarto.

– E então... Já que estão bem melhor descermos não é Bella? – a Evans perguntou depois de encarar os três Potter no quarto. – Para não dar o quê falar.

– Concordo, até mais ver. – despediu-se a Molina

– Espere Leah temos que falar com você em particular – avisou Albus

– Ah sim, pode me espere alguns minutos do lado de fora Bella? – a viajante temporal perguntou.

– Sem problemas – disse a ruiva – só seja breve Leah.

Assim que a ruiva saiu do quarto James Sirius levantou-se da cama e verificou se a amada dele não estava ouvindo e suspirou aliviado assim que percebeu que não.

– Amanha todos nós iremos cedo para a Sala Precisa, para contarmos o resto da história do papai – avisou James Sirius.

– Todos já sabem? – questionou a “loira”

– Sim, só faltava você. – enunciou o maroto de óculos

– Hm, até mais ver então – Lily murmurou e despediu-se saindo pela porta.

A noite passou rápido, e logo chegou o fim de semana. Todos os Potter/Weasley chegaram cedo à Sala Precisa. Logo os três filhos de Harry se revezaram contando as aventuras do pai e seus tios, Hermione e Rony.

As exclamações e comentários quase toda hora interrompiam a histórias irritando Rose novamente, e fazendo-os usar outra vez uma penseira grandiosa para todos verem e ouvirem as histórias. No fim da ultima história começaram as dúvidas, algumas simples outras com respostas muito difíceis de serem respondidas por eles.

*_*_*_*_*

Já era fim de tarde, Lily estava na frente do lago sozinha perdida em seus pensamentos enquanto era observada por James ao longe também inerte em seus próprios pensamentos. Remus estava na biblioteca pensando no futuro que todos teriam. A fase ruim já tinha passado agora estavam todos... Felizes. Sirius tinha virado animago e começou a perambular os terrenos vazios de Hogwarts pensando nas decisões que teria tomado e as consequências que elas tinham resultado. Os Potter/Weasley estavam espalhados pelo castelo naquele fim de tarde realizando suas tarefas diárias, mas sem parar de pensar em como os “viajantes” ficaram depois de saber toda a verdade.

Naquela noite no jantar todos os Potter/Weasley estavam quietos, o que chamou a atenção de muitos alunos, vários amigos do grupo e alguns colegas de casa. Isabella foi o que mais estranhou a atitudes deles naquela refeição.

– Está tudo bem com vocês? Vocês nunca ficaram tão quietos em todo o tempo que estive aqui – comentou a ruiva confusa.

– Estamos – disse Roxanne por todos.

– Estamos com problemas na família Isabella – comentou Fred pesaroso.

– Ate vocês Lysander, Lorcan, Frank e Scorp? – indagou a Molina.

– Não, mas... – Lysander começou

– Somos amigos próximos. – disse Frank

– Somos quase da família, se é que me entende – completou Lorcan.

– Ah desculpe se não sou tão próxima da família! – a ruiva concluiu brava e se levantou ferozmente e começou a andar até a porta.

– Vou falar com ela – disse James Sirius seguindo a ruiva que estava já do lado de fora do Salão Principal.

Essa repentina saída do Potter e da Molina fez vários alunos que já tinham reparado no silêncio da gangue Potter/Weasley começarem a murmurar. Scorpius encarou a grande porta e mirou a namorada e no minuto seguinte a puxava pela cintura para mais perto dele e pousando seu queixo no ombro dela e passou a encarar o prato.

– Eu te amo. – o loiro disse por fim

– Eu sei, e eu também te amo muito – proferiu Rose.

A Evans encarou os dois e por um minuto queria ser Rose naquele instante, mas quem seria o seu príncipe? James? Ela ficava cada vez mais confusa, era só parar para pensar naquilo e não conseguia mais parar de pensar. Ela encarou disfarçadamente e viu James a olhando sem parar, há quanto tempo ele a observava? Ela não sabia responder, mas podia notar que quase todos no salão já tinham notado isso.

*_*_*_*_*

Isabella parecia finalmente ter notado que o mais velho dos filhos de Harry a seguia, pois começara a andar tão rápido que alguns diriam que ela estava quase correndo. Ela parou diante de uma grande árvore e observou a lula gigante que mergulhar e voltar para superfície. A ruiva sentiu a chegada de James Sirius atrás de si e esperou ele falar alguma coisa, mas como não falou nada. Ela disse:

– Veio falar que não quer mais minha companhia em lugar algum? – ela disse tristemente.

– Não, eu vim pedir desculpas. Sei que quando cancelei nosso encontro de hoje você ficou...

– Mal? Magoada? Não! – ela disse quase gritando – o que quer James?

– Saber por que está tão diferente comigo – ele respondeu rapidamente.

– Eu diferente? Desde que os alunos novos chegaram você quase não tem tempo mais para conversar comigo ou criar confusão ou fazer qualquer coisa. Você está diferente e hoje vocês todos tiveram a atitude mais diferente de todas. Vocês ficaram quietos o banquete todo, vocês nunca ficaram tão quietos, o que está acontecendo? – ela narrou tudo o que observou na ultima semana

– Não posso falar – disse ele abaixando a cabeça.

– Não? Por que não diz logo que está gostando da Leah? Olha você pode não ter chance já que o Ethan gosta muito dela, da para ver só olhando para ele – a Molina disse amargurada – melhor eu ir para a Sala Comunal.

– Espere – James Sirius disse alcançando a ruiva desesperadamente e segurando o braço dela – acha mesmo que quero algo com a Leah? Pontas me mataria. Sabia que os dois se amam? Só a Leah não percebeu ainda.

– Claro que sei – ela disse ironicamente.

– É serio, pergunte ao Almofadinhas ou ao Aluado.

– Qual é á desses apelidos?

– Não posso contar também – ele articulou baixinho, ele não teria mais coragem de mentir para Isabella. Ele poderia acabar falando a verdade a qualquer momento se olhasse nos olhos azuis dela.

– Pode me soltar, por favor? – ela pediu educadamente e esperou ele a soltar, James Sirius nem tinha percebido que ainda há segurava e lentamente soltou o braço da ruiva.

– Obrigado e se agora me der licença estou indo para a Sala Comunal.

– Não quer companhia – ele disse desesperado esperando que ela o perdoe

– A sua? Dispenso. – ela pronunciou irritada e andou até a entrada do corredor para seguir seu caminho até seu dormitório no sétimo andar na Sala Comunal.



Notas finais do capítulo

Comentários? Sugestões? Aceito de tudo!! ^.^



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Uma Viagem Pelo Tempo" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.