Tempo De Estrelas escrita por Hanna Martins


Capítulo 9
Método para salvar Cato


Notas iniciais do capítulo

O Cato só se mete em furadas, para sua sorte ele tem Peeta e Katniss por perto para lhe salvar!



– Você está divina! – exclama Flavius, dando um último retoque em minha maquiagem. – Não acredito, que nosso divo, nosso senhor da moda, fez este vestido só para você!

Olho para o espelho, de fato, estou linda. Uso um vestido verde, que vai até meus joelhos. Não é um daqueles vestidos colados ao corpo, ele é feito de um tecido leve, um pouco esvoaçante. Agora sei, porque todos elogiam Cinna, o estilista mais famoso do momento. Não sou ligada ao mundo da moda, e se me perguntarem qual é a diferença entre os diversos tons de azul, foi responder que existe o azul escuro e o azul claro. Porém, até eu, uma negação para o mundo da moda, já ouvi falar sobre Cinna.

Eles devem estar mesmo de olho neste filme e em meu romance com Peeta Mellark, para contratar um estilista como Cinna para fazer o meu vestido.

– Katniss, aposto que não haverá uma pessoa mais bem vestida que você na festa! – afirma Venia.

– Até vejo, sua foto estampadas em todas as capas das revistas: “Katniss Everdeen, a garota que conquistou o coração do príncipe da nação, Peeta Mellark” – fala Octavia, trazendo um par de sandálias para que eu calce.

Ótimo, sandálias de salto alto! Meus pés vão amar isso. Madge, que está sentada na cama, tenta disfarçar o riso ao ver minha expressão de desgosto.

– Madge! – a repreendo.

– Que foi?... Katniss, é que ver você assim... – lança um olhar sugestivo. – Nunca pensei nisto! – Madge sabe de minha aversão por saltos, vestidos e maquiagem – Mas você está linda!

– E não está?! – fala Octavia. – Acho que até Cinna ficaria orgulhoso de nosso trabalho!

– Sim, somos demais! Transformando isso – Flavius aponta para uma foto minha que está em cima da cômoda, em que estou com Madge, fazendo uma careta. – Nisto! – aponta para minha figura refletida no espelho.

Ah, o poder da maquiagem! Até mesmo uma garota comum como eu, pode ficar incrível, com um belo vestido, com uma bela maquiagem, e um belo penteado. Meu cabelo está preso em uma sofisticada trança.

Meu celular começa a tocar. Olho na tela, é Peeta.

– Alô.

– Já cheguei – avisa.

– Ok, estou descendo – desligo o celular.

Me despeço de Flavius, Octavia e Venia, que dizem que devo sorrir durante toda a festa, pois meu rosto, amanhã, estará em todos os lugares.

– Cuidado com o salto – adverte Madge, sorrindo. Ela sabe como sou desastrada.

– Vou tentar sobreviver!

Por um milagre, o elevador não está quebrado, descer todas aquelas escadas de salto seria uma missão impossível. Este maldito elevador ama me fazer descer as escadas.

Peeta me espera no carro. Não nos vimos desde o show, nem nos falamos. Peeta está ocupado com a promoção de “Pride”, seu filme que acabou de estrear nos cinemas. No entanto, isso não me impede de saber de sua vida diária, já que Peeta está todos os dias nos jornais e nas revistas. Sem falar que todo dia leio ou vejo algo sobre suas constantes declarações de amor a namorada, isto é, eu. Por que eu tenho que ver estas coisas? O que eu fiz em minha vida passada de tão ruim?

Haymitch adiou as filmagens das cenas em que eu aparecia, primeiro para evitar tumulto nas gravações, já que todos querem falar com a namorada de Peeta Mellark, e depois para reescrever o roteiro. Sim, agora também faço par romântico com Peeta no cinema – e por que não? Vamos ferrar a Katniss mais um pouco, ela já está ferrada mesmo. Por isso, não trabalhei esta semana, e nem saí de casa, não queria ser flagrada pelas câmeras.

Estou cansada de ver meu nome em todos os lugares. Até hoje ainda falam no “flagra” do show, e na entrevista que demos a Cressida. “Peeta Mellark está namorando Katniss Everdeen” tornou-se um dos assuntos mais procurados em sites de pesquisas.

Entro no porsche de Peeta.

– Haymitch passou alguma instrução? – pergunto, colocando o cinto de segurança.

– Depois reclama de minha falta de educação – diz Peeta. – Por que você não começa a conversa com um “oi”?

– Como se você fosse a pessoa mais agradável do mundo! – falo sarcasticamente.

– Haymitch apenas disse que temos que atuar o máximo que podemos. Mas não se preocupe com isso, você sabe o quanto eu sou bom em atuação! – diz de forma convencida.

Já disse o quanto detesto as pessoas que se acham?

Apenas lanço um olhar mortal para Peeta. Ficamos calados durante todo o trajeto.

Peeta tinha razão quando afirmou que praticamente toda a mídia estaria aqui. Na entrada há um enorme tapete vermelho. E ao redor há várias pessoas com câmeras e microfones, além de câmeras fotográficas. Há tantos flashs que não sei como uma pessoa não fica cega aqui. Peeta leva seu carro até a entrada. Dois rapazes aparecem imediatamente, um abre a porta para que eu saia, e o outro abre a porta de Peeta. Este lhe dá a chave do carro.

Peeta se aproxima de mim, me oferendo o braço. Tenho que admitir – apesar de detestar isso – que ele está perfeito em seu smoking, feito sob medida. Olho para ele.

– É hora da atuação – diz com um belo sorriso nos lábios.

Mal conseguimos dar três passos e somos assaltados por um turbilhão de flashs, câmeras e microfones. As pessoas que nos cercam começam a falar todas ao mesmo tempo. Tudo o que faço é sorrir para as câmeras e me segurar bem forte no braço de Peeta, porque se eu não me segurar tenho a sensação que serei tragada por este turbilhão. Olho para Peeta que sorri, ele parece nem se importar com tudo isto, é como se fosse tão natural quanto fazer um passeio em um parque.

Depois de alguns minutos finalmente conseguimos entrar, e o que nos espera? Mais câmeras e microfones. Uma repórter toda sorridente vem falar conosco, assim colocamos o pé dentro do local da festa. Ela faz inúmeras perguntas sobre nosso namoro, Peeta se encarrega da maioria delas, eu me limito a sorrir, e fazer alguns comentários pequenos. E quando ela vai embora, outro repórter toma o seu lugar, fazendo as mesmas perguntas, com Peeta dando as mesmas respostas. Depois do quarta entrevista perco as contas.

Apenas fico aliviada, quando um repórter sai de nossa frente e não aparece mais nenhum. Solto um leve suspiro de cansaço.

– Estamos ainda no começo! – sussurra Peeta em meu ouvido.

Peeta me arrasta por diversos grupos de pessoas. Na maioria das vezes, mal digo um oi, e já sou atingida por uma enxurrada de flashs, em seguida Peeta me arrasta novamente para outro grupo. Juro que preciso de uma massagem em meu maxilar, não aguento mais sorrir!

Observo um buffet enorme em um canto do salão. Lá não há ninguém. Nem mesmo as câmeras estão lá. A mesa fica bem afastada de tudo. É um lugar perfeito, com comida e longe dessa loucura toda. E o que há com essas pessoas, por que ninguém come, quando há uma mesa imensa cheia de coisas gostosas? Deve ser porque todos querem aparecer na revista como deuses que nunca comem.

Neste momento estou sendo arrastada por Peeta a outro grupo.

– Peeta, tenho que fazer uma pausa – olho para o buffet. – Se eu não comer nada agora, acho que não vou suportar mais dar um sorriso sequer.

Peeta me olha, sorridente.

– Katniss, gostaria de saber onde vai parar tanta comida!

Sim, eu sei, sou baixinha e tudo mais. As pessoas se assustam com a quantidade de comida que eu como.

– Ah, Peeta, é só um lanchinho! – digo, também sorridente, em um tom baixo. Não quero que amanhã as manchetes sejam “Peeta Mellark e Katniss Everdeen discutem em uma festa”. E com a sorte que tenho serei considerada a culpada.

– Ok – diz ele em tom resignado.

Vou até o buffet, e pego um prato, coloco várias coisas. Peeta me observa de longe, já que foi cercado por um grupo de fotógrafos. Eu realmente estava precisando comer! Sei que tenho que voltar o mais rápido possível para perto de Peeta, por isso engulo a comida o mais rápido que posso.

Estou levando meu segundo salgadinho a boca, porém, não chego a terminar a ação, pois avisto Glimmer. Conheço-a, devido algumas reportagens que andei lendo sobre o presidente Snow. Sempre procuro conhecer meu ambiente de trabalho... Ela está olhando para uma direção. Sigo seu olhar e encontro Cato, que parece não ter percebido a presença de Glimmer. Ela parece preste a ir até onde Cato está. Oh, não! Não vou desperdiçar todo o meu trabalho agora. Não estou fingindo namorar Peeta Mellark em troco de nada.

Me aproximo de Peeta, os fotógrafos já desapareceram de seu redor.

– Peeta!

– O quê foi? – pergunta, percebendo minha voz preocupada.

– Glimmer – respondo, fazendo um vago sinal com a cabeça, apontando sua direção.

– Só faltava esta! – ele olha para a direção em que eu aponto com minha cabeça.

Estamos sozinhos nesta missão. Haymitch não está na festa, pois tinha um jantar de negócios.

– Escuta, Katniss, temos que tirar o Cato daqui. Antes que a Glimmer se aproxime dele. O presidente Snow está aqui – fala olhando para um canto.

Sigo o olhar de Peeta e avisto Snow conversando com um grupo de pessoas.

– Sim, eu sei, mas como vamos fazer?

– Primeiro vamos avisar Cato!

Peeta pega em minha mão, e me leva até onde Cato está. Conseguimos chegar sem ser assaltos por flashs ou microfones.

– Cato! – chama Peeta, sorrindo. – Que ótimo te encontrar aqui!

– Peeta e Katniss! Ainda não tinha visto vocês!

– Sim, andamos um pouco ocupados! – fala Peeta.

Cato está conversando com algumas pessoas.

– Cato, eu e Katniss estávamos conversando sobre aquele hotel, que você costuma frequentar...

– Qual?

– Aquele que os parentes do presidente Snow também frequentam – diz Peeta sugestivamente.

– Ah, aquele... – parece que Cato entendeu o recado de Peeta, pois olha, interrogativo, para Peeta.

Peeta lança um discreto olhar para direção em que Glimmer se encontra. Cato segue o olhar de Peeta.

– Katniss, você não queria mostrar aquela coisa para Cato? – fala Peeta.

– É claro... por que você não vem com a gente?

Nós três nos afastamos um pouco do grupinho com que Cato conversava.

– O que eu faço? – Cato parece desesperado.

– Vamos tirar você daqui! – responde Peeta.

– Não! Glimmer está vindo! – fala Cato, olhando para Glimmer que caminha em nossa direção. – Ela não pode vir aqui! – diz ele, completamente desesperado.

– Já sei! – Peeta me olha. – Cato quando os fotógrafos se aproximarem você sai daqui!

Em uma fração de segundos estou nos braços de Peeta. Ele lança seus lábios sobre os meus, me dando um beijo. Imediatamente somos cercados por fotógrafos. Deixou os lábios de Peeta se encaixarem nos meus. Seus lábios são rápidos, eles são quentes e macios...

Isso é estranho, estou sendo beijada por Peeta Mellark? Eu não estava esperando por isso. Ter meus lábios sugados por Peeta me pegou de surpresa. Como ele foi ter esta ideia maluca de me beijar para acobertar a fuga de Cato? Tento disfarçar meu choque, envolvendo a cintura de Peeta em meus braços. Lembre-se, Katniss, você está atuando, isto é um trabalho como qualquer outro! Sinto os lábios quentes e macios de Peeta sobre os meus, seus braços que me apertam contra ele.

O beijo dura cerca de um minuto, que para mim pareceram bem mais. Quando, finalmente, Peeta decide deixar de sugar meus lábios, olho ao meu redor constatando que estamos cercados por fotógrafos, câmeras e repórteres. Todos eles nos fazem perguntas. Eu sorrio apenas. Avisto Glimmer que percorre seus olhos pelo salão, deve estar procurando por Cato. Acho que a estratégia de Peeta deu certo.



Notas finais do capítulo

O que acharam do método encontrado por Peeta para salvar Cato? Aprovado ou não?