Tempo De Estrelas escrita por Hanna Martins


Capítulo 11
Docinho X Girl on fire


Notas iniciais do capítulo

Uma pequena disputa para ver quem irrita mais...




O quarto de hóspedes fica no final do corredor. Ele é um pouco menor do que o quarto de Peeta. Mesmo assim, meu apartamento ainda caberia inteiro dentro deste quarto. O banheiro é enorme, tem até uma banheira, daquelas que aparecem nos filmes.

Sinto a água cair sobre o meu corpo, quero esquecer de tudo o que aconteceu ontem. Como pude me atirar para acima daquele idiota? Definitivamente, nada de bebidas para mim.

As roupas ficam muito grandes em mim, tenho que fazer várias dobras, até ficar um pouco mais ajustado em meu corpo.

Encontro com Portia que espera por Peeta na sala. Ele demora a aparecer. Este cara demora mais para se arrumar do que noiva em dia de casamento!

Não sei como me comportar perante Portia, será que ela sabe que eu e Peeta somos apenas um casal de fachada? Porém, depois daquela cena que ela viu hoje de manhã...

– Vamos – diz Peeta, descendo as escadas.

Minha boca já está preste a fazer um comentário maldoso, mas me advirto da presença de Portia a tempo.

Um carro espera por Peeta. Ele é uma espécie de van, todo preto, até os vidros são pretos. O carro tem três fileiras de banco, todos de couro. Portia senta-se na frente junto com o motorista. Eu me sento no último assento. Peeta olha um pouco indeciso, entre ocupar um dos bancos que estão no meio, ou se sentar do meu lado. No entanto, para meu desprazer, ele opta pela segunda opção. É, acho que Portia não sabe que nosso namoro é falso.

Ele fecha os olhos e parece nem notar minha presença, melhor para mim. Peeta só abre os olhos quando chegamos no set de gravações. Ele me olha, e sem dizer uma palavra me estende a mão. Sim, entendi o recado, hora do show. Coloco minha mão na mão de Peeta, e nós saímos do carro, dois jovens apaixonados.

Avisto alguns paparazzi ao longe, acho que já estou ficando boa nesse negócio de identificar paparazzi.

Vou para o camarim. Flavius, Octavia e Venia me esperam no camarim com um monte de perguntas, querem saber todos os detalhes da festa. Porém, estou mais preocupada em comer, parece que minha ressaca não diminuiu meu apetite. No camarim ficam vários lanchinhos para minha alegria. E aquele idiota nem me ofereceu café da manhã.

– A festa deve ter sido ótima! – diz Flavius, penteando meu cabelo.

– Com certeza deve ter sido ótima – afirma Venia – Os dois até chegaram juntos – dá uma piscadinha para mim.

– Vai, Katniss, conta tudo o que aconteceu na festa ontem! – pede Octavia.

– A festa... – tudo o que menos quero falar é da festa de ontem – Foi legal... Encontrei com aquele ator famoso... – olho para Octavia – Aquele que você adora...

Octavia fica toda animada falando do ator, e eles acabam por me deixar em paz. Minha cabeça agradece. Estar de ressaca não é nada agradável. E ainda mais se a ressaca é moral, ainda não me perdoei por todas as besteiras que fiz ontem.

– Katniss, já está pronta? – pergunta Darius, entrando no camarim.

– Está sim – responde Flavius.

– Vou leva-la então. Haymitch está querendo falar com você.

Eu e Darius caminhamos silenciosamente até onde Haymitch está. Estou um pouco constrangida, já que ele me viu naquela condição ontem. Deve pensar que sou uma louca.

Haymitch está em uma pequena salinha improvisada. A salinha só tem um sofá pequeno e uma cadeira. Ele está sentando na cadeira, me sento no sofá. Haymitch passa algumas instruções para Darius. Logo após, ele se retira, me deixando a sós com Haymitch.

– E como foi a festa? – pergunta Haymitch, imediatamente após Darius sair.

– Foi... boa – respondo vagamente.

– Não é disso que estou falando, quero saber se vocês dois se comportaram direitinho?

– É acho que sim...

– Não se preocupe com isso, Haymitch, meu poder de atuação foi ótimo! – interrompe Peeta, entrando na sala.

Peeta realmente está pedindo por um soco hoje.

– Já não posso dizer o mesmo de alguém... – me olha – Uma pedra tem mais romantismo do que ela – fala sarcasticamente, dando uma gargalhada.

Isso já foi demais para mim, me levanto e dou um chute na canela de Peeta.

– O que foi que eu disse?! – diz ele, passando a mão na canela.

– Katniss – Haymitch me olha – Precisamos trabalhar o seu romantismo!

– Mas eu posso fingir muito bem que sou uma pessoa romântica e que... – olho para Peeta com desgosto – Estou apaixonada por este idiota!

– Ei, agora eu sou o idiota aqui? E você que nem sabe atuar romanticamente! – diz ele, me olhando com raiva.

– Vou te mostrar como sei interpretar! – falo desafiadoramente, saindo furiosa da sala.

Quem este idiota pensa que é? Se ele quer romance, ele vai ter romance!

Vou para onde será gravada a cena de hoje. A cena se passa em uma praça, por isso o cenário está cheio de figurantes, também há vários atores, já que é uma cena grande.

Peeta e Haymitch aparecem. Você quer romantismo, Peeta? Então terá romantismo. Sorrio, ando rapidamente até onde Peeta está.

– Docinho! – falo com a voz mais melosa que posso – A onde você estava, meu chuchuzinho? – abraço Peeta e começo a apertar sua bochecha – Docinho, senti saudades, sabe que não posso ficar nem um minuto longe de você! – continuo falando com a voz melosa.

Peeta parece surpreso, e até um pouco constrangido, pois me lançou um olhar mortal. Acho que ele não gosta de apelidos carinhosos, que peninha!

– Você não vai me deixar mais hoje, docinho!

Haymitch olha para nós dois, é impressão minha, ou ele está se divertindo em ver o príncipe da nação sendo chamado por apelidinhos carinhosos. Aliás, todos que estão ao nosso redor parecem estar se divertindo, e olha que não tem poucas pessoas! Você não queria mais romantismo, Peeta? Agora vai ter que aguentar.

Peeta me olha, me lançando um olhar em que está escrito: “você quer morrer?”.

– Peetinha, meu amorzinho, você está tão lindinho hoje!

Peeta deve estar se controlando ao máximo para não fazer besteira e deixar cair a fachada de bom moço, o genro que toda a sogra quer! Está mais para o genro que toda sogra quer matar.

– Katniss! – sorri maliciosamente – Minha girl on fire!

Acho que subestimei Peeta, pois ele agora sorri como se eu falasse as palavras mais lindas que já ouviu. Então é isso, é guerra?

– Meu ursinho pimpão!

– Minha girl on fire! Você é tão lindinha! Por que não canta aquela música de ontem, minha girl on fire? Aquela música... sobre apagar o fogo... Não, estou errado esta parte não tem na música, foi você quem...

Sorrio para ele e acaricio seu cabelo, dando um discreto puxão. Peeta apenas sorri, enquanto seu olhar diz que quer fazer picadinho de mim.

– Eu não, meu chuchuzinho, sabe como eu sou tímida!

– É claro, minha girl on fire é muito tímida. Mas você canta tão bem! – fala ironicamente, porém ninguém percebe a ironia só eu e ele – Ontem você cantou tão bem... Vai, canta, minha girl on fire!

Todos estão me olhando curiosos. Peeta sorri.

– Quem quer escutar, minha girl on fire, cantar?

– Eu quero – diz Cato, se aproximando de nós – Mais alguém aí, quer escutar a Katniss?

Cato, seu maldito, não acredito que arrisquei minha pele para te salvar da Glimmer. Deveria ter feito você enfrentar a fúria do presidente Snow.

– Eu quero! – gritam as pessoas ao nosso redor.

– Não – me apresso em dizer – Meu docinho, é muito brincalhão, eu não canto bem!

– Qual é, Katniss? – fala Cato, sorrindo – Todos nós queremos apreciar sua bela voz.

– Cato tem razão, minha girl on fire, você precisa mostrar sua bela voz ao mundo! – Peeta me abraça por trás.

Estou furiosa com Peeta e Cato, quero assina-los aqui mesmo.

– Girl on fire 0 e Docinho 1 – sussurra em meu ouvido.

Sorrio, tentado contem meu impulso de matar Peeta.

– Katniss, Katniss, Katniss! – puxa Cato, e em poucos segundos todos estão gritando o meu nome.

– Docinho e girl on fire – chama Haymitch, me salvando de pagar um grande mico – Preciso falar com vocês.

Todos ficam quietos e voltam para seus lugares. Fui salva pelo Haymitch!

– Vamos começar a gravar a cena! – explica ele – Fiz uma pequena modificação no roteiro de última hora. Katniss, quando a Nick falar para Lory que ele é um idiota porque não vê ao seu redor, já que não percebe que a Mary está apaixonada por ele e que Peter, apaixonado por Mary, e sabendo da paixão dela por Lory, não pode mais suportar tanta dor, você não dá as costas para o Lory e sai. Quero que você dê uma bofetada no Lory. Tudo bem para você?

Haymitch ainda pergunta se está tudo bem? Hoje por acaso é meu aniversário e eu não sei, vou ganhar dinheiro para bater no Peeta? É por isso que eu amo meu trabalho.

– Vou ter que bater no meu queridinho? – falo com minha voz melosa. Vou ficar diabética se continuar usando esta voz – Mas se é pela arte, eu faço!

Recebo outro olhar mortífero de Peeta, que me dá um abraço.

– Você adorou isso! – sussurra em meus ouvidos.

– É, adorei. Girl on fire 1 e Docinho 1 – murmuro.

Haymitch me explica como devo fazer a cena. Não posso esconder que estou amando isso. O que não fazemos pela sétima arte?

– Todos em seus postos e... ação – grita Haymitch.

– Lory, será que você não percebe? – falo, olhando para Peeta.

– Percebo, o quê, Nick?

– Tudo! Olha a sua volta, Lory. Pelo amor de deus, olhe a sua volta!

– Nick?...

Neste exato momento devo olhar para Lory com todo o sentimento de pena e desespero. O tapa que Nick dá em Lory deve simbolizar uma espécie de acorda para vida. E assim faço, dou uma bofetada em Lory/Peeta. Estou tentando ser profissional aqui, mas... este tapa foi divertido. Docinho 1 X Girl on fire 2. Estou ganhando esta partida.

– Docinho, machuquei você? – digo com minha voz melosa.

– Não, minha girl on fire – responde ironicamente.

– Diretor, será que posso fazer a cena novamente, acho que usei muita força e quase machuquei meu docinho!

– Certo, Katniss – fala Haymitch.

E refazemos a cena. Aliás, refazemos a cena várias vezes...

– Minha girl on fire está tão preocupada com seu namorado! – diz Peeta, irônico, massageando seu rosto, logo após receber outros de meus tapas.

– Está doendo muito, meu docinho?

Peeta sorri calmamente, enquanto me lança um olhar assassino. Me aproximo de Peeta e passo minha mão em sua bochecha.

– Meu docinho, tá dodói!

– Katniss – ele se inclina sobre mim – É melhor você acertar esta cena logo ou... Juro que conto o porquê de eu te chamar de girl on fire – sussurra em meu ouvido.

Acho que Peeta se cansou de brincar. Isso significa que eu ganhei.

– Ok – resmungo entre dentes.

Peeta tinha que acabar com minha diversão!

Vou para o camarim, depois de gravar minha última cena de hoje. Retiro a maquiagem e o figurino, visto a roupa que Peeta me emprestou, já que não tenho outra alternativa. Percebi que o fato de eu estar usando roupas claramente masculinas, e ter chegado com Peeta despertou muitos cochichos, nem quero ver o que está circulando na internet a essas horas.

– Katniss – chama Darius – Haymitch quer te ver.

– Obrigada, Darius, estou indo.

Haymitch me espera na salinha em que conversamos hoje mais cedo. No entanto, não está sozinho, Peeta está sentado no sofá, me sento perto de Peeta já que não tenho outra opção.

– Queria avisar vocês que hoje temos um jantar de negócios... – anuncia Haymitch.

– O quê? – diz Peeta – Hoje é sábado!

– É sobre o filme, na verdade, sobre a música do filme.

– E por que nós temos que ir neste jantar? – protesta Peeta – Se nós não temos nada a ver com a trilha sonora do filme!

– Eu sei, mas... acontece que a música será o tema de vocês.

– Agora temos até música? – pergunto, surpresa.

– É, vocês ganharam uma música! Encomenda de Snow!

– Sim, mas e daí? – pergunta Peeta.

– Antes do filme estrear, será lançado um clipe da música, e vocês irão estrelar o clipe.

– Já sei ideia do presidente Snow! – digo.

– Você está ficando boa nisto, Katniss! – diz Haymitch – Hoje nos reuniremos para acertar os últimos detalhes sobre o clipe.

– Nem vou protestar, porque sei que não vai adiantar nada – resmunga Peeta, que parece de mau-humor depois de todas aquelas bofetadas.

– Ótimo, espero vocês lá! Darius liga para vocês mais tarde para acertar os detalhes – diz, saindo da salinha.

Peeta olha para mim.

– E nada de apelidos carinhosos! Se eu ouvir mais uma vez, você me chamando de qualquer coisa com inho, eu juro que... conto para todo mundo sobre a girl on fire.

– Tá, vou parar com apelidos, docinho! – provoco.

– Estou te avisando... – aponta o dedo indicador para mim.

Pelo menos eu consegui o que queria, irritar Peeta.

– Não gostou do meu romantismo? – falo sarcasticamente.

– Isso não é romântico nem aqui, nem em Marte para sua informação – zomba.

Bufo. Peeta sempre consegue acabar com minha paciência.

– Está pronta para ir embora? – pergunta Peeta.

– Sim, estou, por quê?

– Já se esqueceu de que se viemos juntos temos que sair daqui juntos?! Deve ter vários paparazzis lá fora, aguardando a saída do “casal” – faz sinal de aspas com as mãos.

Dou um longo suspiro. Esse teatrinho é tão cansativo. Me levanto e vou até a porta.

– Então vamos? – pergunto, olhando para Peeta.

– Vamos – responde Peeta, se aproximando de mim.

Ele passa seu braço por meus ombros e saímos como um lindo casal apaixonado.

Portia nos espera no carro. Ocupamos as mesmas posições que as de mais cedo. Fecho meus olhos e acabo adormecendo.

– Katniss, acorda – fala Peeta.

– O quê? – digo, abrindo meus olhos.

– Já chegamos.

– Ah...

Começo a abrir a porta do carro. Porém, me lembro de Portia e do motorista. Eles devem estar nos olhando. Uma namorada não se despediria assim do namorado. Me viro para Peeta, sem saber o que fazer. Ele me olha interrogativo.

– É... nos vemos no jantar – digo.

– Venho te buscar – fala Peeta.

– Até lá então... – e sem tem mais o que dizer, saio do carro.

Eu sei, eu sei, foi a coisa mais antirromântica que alguém já fez. Quem se despede de seu namorado com um “até lá”? Quero bater minha cabeça na parede.

Me jogo na cama assim que chego em meu apartamento. Madge ainda não chegou. Preciso tirar um cochilo, caso o contrário não conseguirei ficar em pé neste jantar. Esse dia foi muito cansativo. Nem tenho forças para trocar de roupa. O sono começa a me atingir, porém antes de ser levada de vez para o mundo dos sonhos, começo a sentir o cheiro da roupa de Peeta. Ela tem o cheiro de sua colônia... este cheiro é...bom.



Notas finais do capítulo

O que acharam? Estes apelidinhos carinhos foram bem irritantes, não? Mas o Peeta também irritou, não? Ninguém merece ouvir que você tem menos romantismo que uma pedra rsrsrs. Sem falar que ele quase obrigou ela a cantar. Esses dois amam uma provocação... No próximo capítulo este tal jantar promete certas revelações...