D.N.A Advance: Nova Ordem do Século escrita por Sensei Oji Mestre Nyah Fanfic


Capítulo 92
Terror na Ilha Windows! O verdadeiro poder de um governador


Notas iniciais do capítulo

Hoje é Black Friday, não tenho nada para dar desconto, mas decidiu deixar um capítulo para este final de semana. Felizes?

Essa data me lembra o Goku Black não sei por quê. hahahahaha



Um guarda foi morto próximo do salão do governador. Astamon caminhou até a porta, abriu e entrou no ambiente. Tudo parecia estar normal, exceto pelo fato de alguém interessante estar esperando o invasor.

— Há quanto tempo, Astamon. Não nos víamos desde aquela vez na prisão ilha.

— Digo o mesmo, Weiz.

Os dois se encararam por um tempo. Ambos não se viam desde os velhos tempos em que o digimon estava preso muito antes de conhecer os digiescolhidos.

— Não é surpresa nenhuma que esses digiescolhidos cometeriam a loucura de invadirem a ilha de Lampmon. Eles presumem que poderão derrotar um governador dentro do seu próprio território. Isso é um erro crasso, mas eu já imaginaria que eles fariam isso. Entretanto, nunca imaginava que você os ajudaria. Logo você! Algoz de carteirinha daqueles moleques - falou Weiz sentado na cadeira do governador.

— Hehe não se engane. Eu tenho os meus interesses. Pra mim não faria diferença se eles morressem ou não.

— É claro. Alguém como você jamais sentiria empatia por alguém. Você se importa consigo mesmo. Acho que ainda desconheço o demônio que há no seu coração... Se é que você tem um. Aliás, os digimons pra mim não passam de brinquedos que podem ser utilizados por humanos.

Astamon sacou um revólver, disparou na direção do homem, porém um campo de força salvou Weiz de ser atingido.

— Isso é digno de um covarde que se esconde atrás disso. Olha só quem fala de moralidade, o homem íntegro que nunca cometeu um crime na vida. Foi você quem não me deu chance e me mandou para a prisão no mar de Dragomon. Diz se é mentira!

Weiz se levantou, caminhou pelo salão todo até chegar na janela e observar a vista de fora.

— Eu tive os meus motivos. Não vim para o digimundo a fim de ser parceiro de digimons e sair por aí numa aventura. Eu vim por causa de uma missão que obtive. Entenda, eu sou do futuro, por isso fiz o que fiz e não me arrependo.

Astamon sorriu maliciosamente e disse:

— Como é ingênuo. De fato um verdadeiro fantoche. Por acaso alguém está por trás de Blizzard Daregon? Conhece a Nova Ordem do Século a N.O.S?

— Do que está falando?

— Ah Weiz, que simplório. Vou ser mais específico. Conhece o Neo?

Weiz pela primeira vez ficou desconfortável. Ele não quis admitir, mas conhecia a pessoa em questão. Era a mesma que no passado, quando ainda estava no futuro, havia o contatado e o transformado no que ele era hoje. Mas jamais pensou que um segredo que ele nunca contou a alguém pudesse ter vazado justamente para Astamon.

— Isso não é da sua conta, digimon idiota. Se me der licença, tenho algo aqui que me interessa.

— Pode tirar o cavalinho da chuva. Antes de vir para cá, eu libertei aqueles três capturados por Djinn. Não há nada que se possa fazer. Plano faliu.

Weiz não esperava por essa. Seu plano não ocorreu, mas havia um plano B. Ele usou o recurso de teletransporte para sair dali. 

Astamon se sentiu de alma lavada por ter irritado o homem que o fez mal no passado. Ficou sentado na cadeira de Lampmon por um certo tempo até se apressar e sair dali.

...

— Betamon digievolui para... Seadramon!

— Mushroomon digievolui para Woodmon!

— Agumon digievolui para... Geogreymon!

— Palmon digievolui para... Togemon. Togemon super digievolui para... Lilimon!

— Hagurumon digievolui para... Guardromon. Guardromon super digievolui para... Andromon!

Todos os digimons dos digiescolhidos evoluíram assim que perceberam que iriam confrontar com Lampmon. O governador ficou entusiasmado com a atitude deles.

— Dah hahahahahaha como são previsíveis. Eu já sabia que fariam isso. Típico daqueles que eu enganei há pouco. Dah ahahahaha.

— Maldito! Não pense que vai se safar dessa. Se unirmos nossas forças, conseguiremos te deter — disse Ruan.

A maior preocupação de Aiko era a vida dos escravos. Estes ainda faziam fila para entrar no portal e SlashAngemon com Linx vigiavam todos eles. 

— Melhor irmos para um lugar mais espaçoso. Ou o governador tem algo a reclamar? — disse Aiko. Djinn assentiu e foi para um campo longe dali. Os digiescolhidos não tiveram escolha a não ser segui-lo.

— Aqui estamos. Como querem suas mortes: rápidas e sem muita dor ou devagar e agonizantes?

Os digimons não quiseram esperar e logo atacaram Djinn. O governador também esperava por isso, cruzou os braços e fechou os olhos. Seadramon foi o primeiro. Lançou o raio de gelo da boca, mas Lampmon simplesmente desviou. Woodmon utilizou as raízes das árvores para tentar pegá-lo, mas foi em vão. Geogreymon, Lilimon e Andromon utilizaram seus melhores golpes e encurralaram o governador. Os três ataques veio dos lados e por cima do vilão. Ocorreu uma explosão.

— Conseguimos? — perguntou Andromon.

— Não, ele conseguiu escapar mesmo desse poderoso ataque — disse Geogreymon olhando para o céu.

— Droga. Esse cara é rápido — disse Ruan.

Lampmon conseguiu sair no último momento. Estava tranquilo, de braços cruzados e com olhos fechados. Encheu o peito de ar e gritou:

— VOCÊS SÃO MUITO LENTOS! EU CONSIGO PREVER SEUS MOVIMENTOS! 

Ele deu um assopro tão forte que arrastou os digiescolhidos.

— Querem brincar? Vamos brincar. Com a ilusão de um gênio da lâmpada. Ilusão Dourada.

Djinn abriu os olhos, retirou o turbante, dali saiu algo que lembrava um pó de ouro que tomou o lugar. Logo os digiescolhidos começaram a ter ilusões com seus próprios medos e traumas. Mia com a ilusão da morte de seu pai e o abandono de sua mãe, Aiko por tudo o que passou com a morte de seus pais e o período que seu irmão era o Shadowlord, Jin sofria com as intensas brigas dos seus pais e as agressões físicas que sua mãe era vítima, Ruan tinha medo de ser desclassificado para o time do colégio e não ser convocado como acontecera antes, Rose não aguentava mais a solidão que era conviver com a nobreza, sem amigos e nenhuma brincadeira. Tudo isso era uma forte influência do pó que fazia os humanos exporem suas maiores frustrações. 

Os digimons não estavam entendendo a situação. Eles viram os seus parceiros sofrerem sem poderem fazer nada. Djinn não parava de rir com a desgraça alheia.

Enquanto isso Linx e SlashAngemon conseguiram salvar até o último escravo e fecharam o portal. O digimon viu a luta que estava acontecendo e tentou ir, mas foi parado por Linx.

— Por que tenho de esperar?

— Só um momento. Os garotos precisam aprender uma lição: nunca achar que os inimigos são iguais. Lampmon me enganou direitinho, óbvio que ele era alguém poderoso.

— Preciso ir. Sou o único que pode acabar com essa ilusão dele. Por que me impede?

— Só mais um pouco... Agora! Pode ir salvá-los. Eu irei à pirâmide pegar o Paulo e os outros.

Linx saiu correndo e SlashAngemon voou até o local da luta.

Lampmon desfrutava cada segundo do sofrimento dos humanos. Já estava pronto para dar o golpe final quando foi surpreendido por SlashAngemon que utilizou seu poder de cura e luz para acabar com as ilusões. Os rapazes voltaram a si sem entenderem o que aconteceu.

— O ex-chefe da polícia digital veio me atrapalhar. Vai querer uma revanche, policial? Ainda não se conformou de eu ter te vencido e te transformado num escravo.

— Acredito no poder da justiça, Lampmon. Você será derrotado pelos digiescolhidos. Cairá junto com o seu próprio orgulho.

— Isso não tem cabimento. Tenho os poderes de um deus, e como tal sou infinitamente superior a vocês, reles mortais. 

O céu da ilha começou a ser tomado por nuvens que começaram a se formar e acumular. Era tão rápido que assustou todos os digiescolhidos.

— Não ouse me desafiar. Não tentem me deixar sério demais. Eu posso explodir esta ilha inteira, se eu perder a calma. Dah ahahahahahahaha dah ahahahaha!

Enquanto os digiescolhidos sofriam na mão do governador, Impmon e Goburimon ainda pelejavam para chegar na pirâmide. Os dois começaram a ser perseguidos pelos guardas que não paravam de atirar na direção deles. 

— Eu pensava que esses caras tinham desistido da gente faz tempo — disse Goburimon.

— Eu também pensava, mas mesmo assim é um ótimo exercício pra nós dois. Podemos acabar com esses caras e ficarmos mais fortes.

— Não sei quanto a você, meu irmão, mas eu sou um digimon comum, sem tantos poderes e trabalhador do serviço de correios da ilha. Não posso competir com guardas altamente treinados.

Eles corriam pela floresta quando são encurralados tanto na frente quanto por trás. Impmon pediu para o outro se esconder atrás de um arbusto. Impmon deixou-o ali e saiu imediatamente. Goburimon esperou exatamente 2 minutos até que ele saiu do esconderijo. Bateu a cara nas pernas de um digimon alto.

— Ahhhhh! Por favor, não me mate. Eu fui sequestrado por aquele cara e fui obrigado a vir com ele.

— Goburimon, é assim que me agradece por salvar a sua vida? — perguntou Beelzebumon.

— Hã? Quem é você?

— Sou eu, Impmon. Eu consigo evoluir para a forma mega.

— Mega... Igual a fase em que está o governador? Acho que estou numa situação irremediável.

— Vamos conversar depois. Agora venha — ele segurou o ogro no braço e correu dos outros guardas.

— Yahhhhhh! 

PIRÂMIDE WINDOWS

Lúcia e Lucas carregavam Paulo nos ombros até a saída. O local estava completamente destruído, pois era o caminho que Astamon havia pego momentos antes de destruir a cela.

— O que você acha da atitude do Astamon? — perguntou Lúcia.

— Acho que ele tem interesses próprios. Uma pessoa que já tentou nos matar no passado não se arrependeria tão facilmente.

— Por um momento pensei que ele estava realmente mudado. Agora precisamos nos apressar antes que mais alguém...

A parede do corredor explodiu. Os dois levaram um susto e presenciaram a chegada do incoveniente do Doumon.

— Hehehehehehe não consegui destruir os demais pestinhas lá nas minas, mas tenho uns prêmios de consolação. O governador vai me agradecer muitíssimo — Lucas preparou-se para lutar quando percebeu Doumon ser atravessado por um braço. — O que aconteceu?

— Um rato amador como você não sabe ser vilão — ele retirou o braço revelando os dados de Doumon. Este caiu morto — Não fiquem zanzando feito baratas tontas. Se o governador chegar antes de fugirmos, eu deixo vocês para trás.

Astamon e os humanos saíram dali. O digimon foi guiando os dois, que já estavam exaustos de tanto arrastarem um Paulo inconsciente.

Beelzebumon corria com Goburimon nos braços. Ninguém podia pará-lo agora que estava em sua plena forma extrema. 

— Chegamos!

— Graças a Deus. Estou morrendo aqui. 

— Olha, Goburimon. Vou entrar nela e salvar meus filhos.

— Só não vai cair na besteira de enfrentar o governador. Ele é invencível.

— Tudo bem. Só acho estranho que tenha um buraco na parede. É por onde vou entrar. Você fica aqui e aguarde a minha saída.

— Tudo bem.

Goburimon se escondeu enquanto Beelzebumon invadia o lugar.

Linx decidiu também ir para a Pirâmide, e, de uma maneira misteriosa, chegou lá bem rápido. A mulher simplesmente caminhava entre as árvores quando viu cerca de cinquenta soldados prontos para voltar para a base.

— Uau. Cavalheiros, estou com tédio e achei vocês para me animar.

— ATAQUEM ELA!

Poucos segundos depois, Linx caminhava tranquilamente enquanto os soldados foram todos mortos. A mulher parecia calma e não se sentia cansada. Ao chegar na Pirâmide, viu Goburimon atrás da árvore. Ela o cutucou e logo se explicou para um digimon assustado.

— Esses digiescolhidos são apressados. Tenho que me mexer antes que o governador tenha a ideia de voltar.

— Por favor, fale para o Impmon voltar logo.

Linx foi na direção da pirâmide.

SlashAngemon conseguiu salvar as vidas dos digiescolhidos. O anjo guerreiro decidiu lutar mais uma vez contra o infame governador.

— Mais uma vez vai perder, policial. Ao invés de me prender, quem foi preso foi você. Vai usar algum truque sujo?

— Vocês, vão salvar Paulo. Eu lutarei sozinho com ele.

Eles relutaram um pouco, mas concordaram em ir. Djinn bateu uma palma forte o suficiente para causar uma onda de choque forte.

— Vocês não vão sair daqui!

— É você, Lampmon, que não vai sair daqui. Cruz Divina! — o ataque em forma de X atingiu em cheio Lampmon que explodiu. Depois que a fumaça passou, revelou-se que ele estava dentro da lâmpada. — O quê?

— Boa tentativa. Quero ver a sua disposição na luta. Vem pra cima — disse Lampmon saindo da lâmpada.

SlashAngemon usou toda a sua rapidez e força para tentar atingir Djinn com suas lâminas, porém o vilão desviava tranquilamente dos golpes e com extrema facilidade.

— Dahhahahaha eu consigo prever todos os seus movimentos. Nada vai funcionar contra mim, porque nós governadores possuímos o poder divino de prever golpes. Nunca vai me acertar!

— Maldito.

Djinn apareceu por trás de SlashAngemon, encostou uma mão nas costas dele e usou uma de suas técnicas de manipulação do vento.

— WIND!

SlashAngemon teve o tórax empurrado por uma poderosa força. Dava para ver o vento atravessar o seu corpo e chegar até o chão. Ele sentiu uma grande dor.

— PUNCH! — o anjo começou a ser golpeado pelo vento como se fossem vários punhos socando suas partes do corpo. 

— Meu Deus, que está acontecendo com ele? — perguntou Rose.

— Aquela técnica é horrível. Se ele usar em nós, estaremos acabados — disse Jin.

SlashAngemon levou tantos golpes que caiu no chão.

— Isso que dá querer uma revanche com alguém impossível de se vencer hehe. Agora é a vez de vocês.

— Espere... Eu sou... seu oponente — SlashAngemon ficou de pé, mesmo muito ferido. Isso surpreendeu até mesmo o governador.

...

Uma nave se aproximava de uma cidade abandonada do deserto. Os tripulantes eram dois: Slash e Monodramon do futuro. Ambos pegaram a missão de resgatar o núcleo do deserto, antes fazia parte da pedra sagrada do mesmo nome. Eles já podiam ver o estrago que os governadores fizeram com o lugar.

— Estou louco para ver o lugar que você tomava conta, Paulo.

— Justice, aqui nunca mais será o lugar que era antes. Aquele Weiz desgraçado transformou o digimundo numa verdadeira zona. Segure-se.

A nave pousou sobre um terraço de um prédio abandonado. Os dois saíram e puderam ver a destruição. A cidade, antes alegre, cheia de habitantes, cheia de luzes de neon, agora era um grande deserto tomado pelos escombros dos prédios e pela areia do deserto.

— Aqui foi o lugar que muita coisa boa aconteceu. Quando revelei para a Mia que eu era apaixonado por ela, foi aqui. O coliseu servia para esportes e corridas. Foi lá que conhecemos pela primeira vez Astamon. Ele apareceu no céu com um dirigível e acabou a nossa festa. Também foi aqui que um amigo de longa data nos viu pela primeira vez e, no começo, virou nosso inimigo.

— Fala do Freddy-sama?

— Claro. Ah Freddy, por que está demorando para aparecer nesta época. O único digiescolhido, além de Mia e eu, que sobreviveu. Aquele que acreditou que Gokuwmon nunca mais voltaria, mas um milagre aconteceu. Bons tempos.

— Olha lá embaixo. O que são aqueles caminhões pretos?

— Soldados do Chanceler. Eles estão aqui desde o começo. Precisamos nos apressar antes que o chefão apareça.

— Certo.

Era o começo da busca pelo núcleo do deserto em Las Merinas City.

LILI GARDEN

Nashi e Kotemon tiveram uma provação antes de conseguirem o núcleo. O Guru da Água os colocou numa espécie de labirinto cheio de flores, e a única coisa que deveriam fazer era socar a cara do homem. Eles pensaram que seria fácil, mas não foi bem assim. As flores emitiam um pólen que relaxava e dava sono. Logo os dois sentiram-se pesados e sonolentos.

— Droga. Fomos pegos.

— Yawn! Nashi, vou tirar uma sonequinha.

— Não adianta. Vocês jamais conseguirão sequer dar um passo. Provaram que são intrusos. Vão embora daqui.

— Intruso ou não, eu vim para livrar o núcleo do domínio perverso do Chanceler. Eu o vi pessoalmente, vi seu poder e posso falar que ele é muito cruel. E vocês nos fazem passar por isto...

— Jamais daríamos o núcleo para um mensageiro do Gennai ou seja lá quem for. Esta cidade não compactua com delinquentes como vocês. Saiam.

— Cala a boca — Nashi retirou da cintura uma faquinha. — Não posso dormir num lugar deste.

— O que está fazendo contigo, rapaz? Pare com isso!

Nashi não ouviu o guru. Esfaqueou a sua coxa direita para assim não poder dormir. Depois ele foi tentar acertar um soco no homem, mas foi parado por ele. Sua perna sangrava muito.

— Já chega. Eu só estava te testando... Nunca imaginei que chegaria a este extremo. Precisa de cuidados médicos.

— Obrigado... senhor — Nashi dormiu mesmo com muita dor.

...

Beelzebumon entrou na pirâmide para salvar seus filhos que foram presos. O homem estava perdido com os corredores e salas daquele imenso edifício. Não era fácil como pensava. Porém, a única coisa que ele não imaginava mesmo era reencontrar Astamon à sua frente.

— O que faz aqui? Veio para eliminar meus filhos?

— Ui, vai com calma, camarada. Eles estão atrás de mim.

— Oi, pai. O Astamon foi quem nos libertou — disse Lúcia.

— Verdade. Ele até soltou o Paulo primeiro, porque o Weiz até então estava aqui — confirmou Lucas.

— Viu, sou bonzinho quando quero. Agora cadê o meu "muito obrigado, amigo do peito"?

— Vai sonhando — Astamon gargalhou. — Que bom que estão bem. Agora posso carregar meu filhão pra longe daqui. Maldito Lampmon... Se eu vejo ele...

— Não será uma boa ideia você confrontar um governador sozinho. Vai precisar de ajuda — disse Linx se aproximando. — Antes de tudo, vamos sair imediatamente desta pirâmide antes que Djinn retorne.

— Esqueci do meu mais novo amigo lá fora...

— Goburimon? Eu o vi. Quando sairmos, vamos nos encontrar com ele. Agora vamos, rápido!

Todos saíram da pirâmide e foram para o mais longe possível do lugar. A maioria dos soldados estavam nas três cidades, por isso que não havia quase ninguém ali.

— Linx, a flor preta. Está murcha — disse Lúcia.

— Não se preocupe, ainda dá para fazer o chá. Precisamos de um lugar como esconderijo.

— Ahh podem ficar na minha casa. Minha mãe é uma humana associável, ela vai entender.

— Perfeito. Beelzebumon, pode me ajudar? Os outros garotos mais SlashAngemon estão lutando contra Djinn neste exato momento. Pode ajudá-los neste momento difícil?

— Claro. Fique com o Paulo. Aquele Lampmon que sequestrou meus filhos vai amargar uma derrota.

— Wesley...

— Hum, me chamou?

— Não — disse Linx.

— Juro que alguém me chamou pelo verdadeiro nome agora. Bom, isso é besteira.

Beelzebumon criou asas e voou para o local da luta. Logo atrás de uma árvore, apareceu uma entidade vestida de branco e com máscara no rosto. Viu Beezebumon partir. A pessoa misteriosa foi atrás dele também voando.

Um portal se abriu e dele saiu alguém de fora da ilha. A pessoa estava sobre uma montanha quando chegou. Era aprentemente um homem, vestia uma roupa preta por baixo de uma capa de Bakemon grande, furos para os olhos vermelhos poderem enxergar. A pessoa segurava um rosário branco enquanto observava a região. Um Numemon ficou sobre a sua cabeça.

— Parece que a coisa está feia por aqui - disse o Numemon.

A batalha contra o governador Djinn não estava nada fácil. Depois de vencer facilmente os digiescolhidos com a ilusão, ele derrotou SlashAngemon com golpes relativamente simples. No entanto, o digimon ferido era muito orgulhoso e logo se levantou para poder enfrentar o vilão mais uma vez. Mesmo com os apelos dos humanos e seus digimons, o anjo guerreiro não quis dar ouvidos.

— Deveria ouvi-los. Será bom para a sua sobrevivência, já que sempre fracassa ao lutar comigo dahh ahahahahaha. Fracasso está estampado na sua cara.

— Cala a boca. Eu vou conseguir te derrotar.

— Ah, ex-policial... Você me cansa com tantas baboseiras. Hã? Alguém vem vindo?

Beelzebumon utilizou suas garras para destruir a lâmpada. Djinn viu o que aconteceu e ficou muito chateado. Os digiescolhidos perguntaram sobre Paulo e o homem contou o que aconteceu.

— Vim ajudá-los. Acabar com a raça daquele maldito que enganou a todos.

— Cuidado, ele é muito forte — alertou SlashAngemon.

O semblante de Djinn mudou completamente. A lâmpada era a sua maior preciosidade e ninguém havia ousado em tocá-la.

— Beelzebumon, de fato foi muito prazeroso enganá-lo antes. Mas agora as coisas são diferentes. Você destruiu a minha lâmpada que me dava abrigo. Era praticamente a minha casa. Agora vocês me deixaram com raiva. Esta luta vai subir de nível um pouco com vocês me enfrentando na minha forma máxima.

— Forma máxima? Como assim? — questionou SlashAngemon.

— Vocês são idiotas mesmo. Pensaram que os governadores eram adversários simples de derrotar? Todos nós possuímos mais de uma forma, e sempre a forma full power é a que concentra a nossa verdadeira energia. Nunca um inimigo meu teve que presenciar minha transformação máxima. Sintam-se honrados. SEUS TOLOS!

Lampmon começou a girar e formar um tipo de tornado ao seu redor. Logo os ventos ficaram fortes demais a ponto de arrancarem árvores com muita facilidade. Os olhos vermelhos dentro do tornado mostravam que o governador não estava para brincadeira. Ele decidiu ir com tudo dessa vez, e nem poderiam escapar pois o vilão poderia destruir a ilha inteira se quisesse. Será a primeira vez que os digiescolhidos presenciarão o verdadeiro poder de um governador.

CONTINUA...



Notas finais do capítulo

Oh, cambada, daqui a uns dias eu vou fazer 4 ANOS DE NYAH! UHUUU tô velho aqui já. Mas esses anos foram todos ótimos. Os meus leitores são todos maravilhosos.

Agradecimentos especiais: BILSS O DESTRUIDOR que exclui a fic lá. Cadê, vai terminar não, rapá? Quero agradecer ao DEATH KID que não comenta mais aqui, mas é meu amigo (o dançarino ahuahauaha) e ao meu coleguinha Espectro que vai fazer 2 faculdades (pqp eu tô sofrendo pra entrar em 1)

Próxima postagem só em janeiro porque vou viajar agora... MENTIRAAAA logo logo sai o capítulo. Beijin na bunda de todos vcs pupilos (redface)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "D.N.A Advance: Nova Ordem do Século" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.