D.N.A Advance: Nova Ordem do Século escrita por Sensei Oji Mestre Nyah Fanfic


Capítulo 87
A vez da Relíquia da Engrenagem, a força de Andromon


Notas iniciais do capítulo

Hey, galera. Olha eu aqui novamente. Demo rei de novo. Os motivos eu expliquei no episódio anterior. Pois bem estamosno cap. 87 e daqui em diante começa verdadeiramente a saga das ilhas. Os 3 anteriores eram pontes entre Wisemon e os governadores. Não fiquem chateados com a demora. Faço o que posso. Boa leitura!



Astamon conseguiu desligar o sistema de defesa de toda a área da fronteira e inclusive abriu o portão de entrada das ilhas e do QG. Os guardas viram Seadramon e outros aparecerem diante deles. Os digiescolhidos derrotaram todos os guardas e foram se encontar com o outro.

— Conseguiu encontrar o portal? — perguntou Slash.

— Está na parte nordeste da área onde está um grande lago.

— Ótimo. Vamos, garotos. Não temos muito tempo.

Eles foram até um hangar e viram um automóvel igual uma van preta totalmente blindada. Cabiam todos nela. Assim que Slash pegou no volante, Doumon e seus capangas chegaram.

— Oh pelos céus. Essa será a minha chance de ouro. Conseguir destruir todos os digiescolhidos de uma só vez.

Astamon se afastou do grupo.

— Aonde você vai? — perguntou Paulo.

— Vai começar uma luta entre vocês e os soldados do Chanceler. Não tenho ânimo de participar. Afinal de contas, ajudá-los não faz parte do trato que eu fiz. Boa sorte e estarei esperando do lado de fora.

Astamon saiu tranquilo para a fúria dos digiescolhidos. A arrogância dele surpreendeu até mesmo o general Doumon, que acabara de entrar com seus capangas.

— Hahahahahaha como assim não vai ajudá-los? É sério isso?

— Esses garotos e eu fomos arquiinimigos no passado e tampouco as coisas irão mudar hoje. Não sinto empatia por nenhum deles, bando de estorvos. Se pudesse acabava com todos, mas preciso deles para um propósito pessoal. E se você está achando mesmo que sou fraco, tente me parar agora.

Doumon não conseguiu se mover por causa da ameaça que o outro transmitia. Era a presença maligna de Astamon que afastava os outros. Com certeza ele era bem mais forte do que os soldados do exército do mal. Sob os protestos de um Paulo furioso, o digimon saiu do hangar direto para o lado de fora. Esperaria a chegada dos outros depois da luta.

— Muito bem, depois eu cuido daquele lá. Agora a minha atenção está toda voltada aos gatunos charlatões que foram ousados ao entrarem no meu quartel general.

— Droga. Maldito Astamon. Se tivesse a gentileza de nos ajudar...

— Paulo, agora é tarde. Vocês sabem da natureza hostil dele. Preciso que derrotem todos eles e que abram caminho para eu passar com o carro — disse Slash.

— Certo. Paulo, você , Lúcia, Lucas e Impmon ficam na van enquanto nós cuidaremos desses aí — falou Mia tomando a dianteira como a atual líder do grupo.

— Vamos Betamon, aumente os seus poderes e derrote os bandidos.

— Com prazer, parceira. Aqui vou eu. Betamon digievolui para... Seadramon!

— Vamos arrebentar. Palmon, mostre a força dos seus punhos.

— É claro, Rose. Palmon digievolui para... Togemon!

— É a sua vez Hagurumon. Dê o seu melhor.

— Hagurumon digievolui para... Guardromon!

— Vai lá ajudar, amigo.

— Tudo bem, Jin. Yahhhhh! Mushroomon digievolui para... Woodmon!

Os quatro digimons ficaram preparados para o combate. Doumon desdenhou a capacidade de todos alegando que entregaria-os para o seu mestre Djinn, líder do primeiro governo. Sem esperar mais um segundo, o digimau ordenou que os seus subordinados atacassem os digiescolhidos. Eles se resumiam a cinco digimons máquinas e alguns outros capangas de espécies diferentes, porém nenhum deles passavam do nível adulto. Enquanto isso, Astamon nocauteou mais alguns guardas e ficou esperando próximo ao portão da fronteira. Encostou-se nas grades. Escutou o barulho da luta.

— Mísseis! — disse Guardromon. Alguns Mekanorimons foram alvejados pelos projéteis.

— Rajada de Espinhos — muitos capangas ficaram com o corpo cheio de espinhos.

— Flecha de Gelo! — Seadramon.

— Raízes — Woodmon. Raízes surgiram no chão pegando muitos de surpresa, e a Flecha de Gelo congelou o resto dos soldados.

Doumon esquivou-se dos ataques. Revelou estar surpreso com a competência e força deles, mas afirmou que não era os suficiente para detê-lo.

DIGIMON: DOUMON

Atributo: Vírus;

Nível: Perfeito;

NPD: 300.000

Um dos generais do governador da primeira ilha. Utiliza manuscritos para se defender e atacar.

— Ele é perigoso — alertou Jin.

— Vamos ajudá-los, Agumon.

— Eu tava esperando por isso. Agumon digievolui para... Geogreymon!

O time estava completo, exceto Paulo e Lúcia que não tinham condições de ajudar. Slash deu a partida no carro. Estava preparado para arrancar com o veículo quando um grupo de capangas ficaram na frente da saída. O viajante do tempo deu um sorriso de satisfação e pisou com tudo no acelerador. A van blindada atropelou os digimons que obstruíam a passagem. Doumon viu aquilo, tentou impedir, porém foi impedido por Geogreymon. Slash e os outros pararam próximo onde estava Astamon. Este entrou e ficou sentado no assento do fundo. Agora era só esperar o retorno dos colegas.

— Será que eles retornam mesmo? — indagou Astamon em desdém.

— É claro que sim, idiota — respondeu Paulo.

O vilão continuou quieto. Enquanto os quatro dava atenção a Astamon, Slash preocupava-se com a recente demora dos garotos.

— Vocês derrotaram Wisemon, mas não vão me derrotar. Se acham que irão fugir para a ilha do meu mestre, podem tirar o cavalo da chuva. Acabarei com todos sem dó nem piedade.

— É o que veremos. Seadramon, atacar.

— Nossa, como vocês são tolos mesmo. PERGAMINHO DA GUARDA! — surgiram dois rolos que se abriram como pergaminhos e ficaram girando ao redor do corpo dele. Os digiescolhidos já viram algo similar. O ataque dos átomos de Wisemon era praticamente do mesmo jeito, com os átomos em vez de rolos.

A Flecha de Gelo de Seadramon bateu nos rolos e foi repelido. Enquanto isso, Ruan teve uma ideia e se afastou do grupo. Os demais fizeram a mesma fórmula fracassada de Mia, ou seja, mandaram seus digimons atacarem de frente. Obviamente, a defesa poderosa de Doumon repeliu ataque por ataque que recebia.

— PERGAMINHO DO INFERNO! — os rolos pararam de girar. No da esquerda saiu raios elétricos e no outro um tipo de fogo azul. Os golpes atingiram em cheio os digimons. Como eles estavam quase com fome e esgotados, regrediram para a fase anterior.

— Oh não. Eles foram derrotados — lamentou Rose.

— Fim da linha — ele ia dar o próximo golpe quando uma pedra atingiu a sua cabeça. A raposa humanoide viu Ruan longe do grupo.

— Vem cá, idiota. Vem me pegar.

— Ficou maluco, Ruan? — disse Mia.

— Verme. Você será o primeiro!

Ruan correu do hangar para dentro do quartel por uma porta, Doumon foi atrás dele e Guardromon, único que ainda estava de pé, foi atrás dos dois. Ruan corria pelos corredores até achar a porta das escadas. Doumon derrubava as paredes com a sua força.

— O que faremos? Vamos ajudá-lo? — perguntou Palmon.

— Acredito que o que o Ruan mais quer é nos salvar. Odeio admitir, mas precisamos deixá-lo lutar só. Pode parecer loucurar, mas acredito que ele queira evoluir o Guardromon — disse Aiko.

Ruan conseguiu subir até o terraço do hangar. Não era nada seguro andar por ali, porque o chão era reto no meio, um caminho com menos de trinta centímetros e ao redor um piso descendente por causa do telhado. O espanhol caminhou devagar. Doumon foi atacado por Guardromon, mas logo se desvencilhou da máquina. O parceiro de Ruan escorregou e caiu do telhado.

— Ah droga. Guardromon...

— Mesmo que seus colegas passem daqui, eles enfrentarão os meus soldados perto do portal. Moleque, seu fim está próximo e será o primeiro a ser destruído.

Ruan se desequilibrou e caiu. Segurou-se numa antena. Guardromon viu aquilo e sentiu que a sua chance de evoluir mais uma vez chegou. O Legacy da Engrenagem reagiu e seu poder ativado. O cartão do Capacete, que representava a relíquia de Ruan, brilhou em seu bolso, e saiu sozinho do bolso dele para dentro do aparelho. Pronto, mais uma super evolução.

— Guardromon super digievolui para... Andromon!

Ruan soltou-se e caiu. Andromon segurou-o a tempo.

 

— Que massa, Andromon. Finalmente você retornou a ser Andromon.

— Eu nunca vou te abandonar, parceiro. Agora eu preciso acabar com aquele ser perverso.

Andromon correu e deu um puta salto alto que deixaria a Fabiana Murer no chinelo. Ele se agarrou com Doumon e os dois caíram no chão. Logo eles se separaram. Doumon estava preparado para fazer seu poder novamente, porém teve uma surpresa.

— Espada Espiral — o golpe passou ao lado do vilão e atingiu a base de uma caixa d'água que havia ao lado do hangar. Doumon olhou para trás e viu a caixa despencar em sua direção. Andromon segurou Ruan no braço e levou o adolescente o mais rápido possível, enquanto o vilão era engolido pela onda que surgia.

Slash já estava impaciente, já com os outros digiescolhidos, quando os dois finalmente chegaram. Claro que Andromon chamou a atenção de todos por causa da sua recente evolução. Ele regrediu para Hagurumon e todos puderam viajar para a entrada das ilhas.

Doumon saiu debaixo dos escombros. Viu um caminhão estacionado dentro do hangar.

...

Casa de Gaia

Nashi resolveu não prosseguir na missão com seus amigos. Seu lugar como um bom lobo solitário era ficar só com o seu parcero. Ou melhor, ajudar Gennai na sua base secreta assim como prometera. O garoto ficou mais algum tempo na casa do casal quando chegou o momento dele partir com Kotemon. Diana até tentou convencê-lo para sair no dia seguinte, porém ele achou que o mundo precisava de mais urgência ou era tarde demais.

Despediram-se de Gaia, Diana e Gary. Atravessaram o portão invisível que dava para a área externa. Ao ver aquilo, Monodramon também quis ir embora.

— Até você, pequeno dragão? — perguntou ela.

— O meu serviço de guiar os digiescolhidos acabou. Não tenho mais motivos para ficar aqui. Por favor me deixem ir.

— Mas você é...

— Diana, não conte. Não neste momento. Se quiser ir você pode. Daqui de casa eu consigo abrir o portão que dá pra fora — avisou Gaia.

Monodramon agradeceu a hospitalidade da família e partiu também para fora da propriedade deles. Diana ficou indignada por Gaia não tê-la permitido que contasse a verdade sobre o parceiro de Monodramon (ela era ingênua pois o próprio Monodramon sabia da verdade).

— Paulo tem razão — ele referia-se a Slash. — Não podemos mudar radicalmente o nosso tempo. Para tudo tem o tempo e haverá o dia em que Paulo adolescente e seu digimon finalmente se unirão. É só uma questão de tempo.

Assim que Monodramon saiu...

— Até que enfim liberdade. Seus idiotas. Mal sabem que assim que me encontrar com mestre Weiz, eu contarei onde estão morando hahahahahaha — Monodramon saiu correndo.

PALÁCIO DE GELO

O Chanceler reuniu dois dos seus quatro generais restantes — a exceção é o finado Wisemon, que o capiroto o tenha. Além deles, um exército com cerca de cem soldados digimons e digi-humanos. O motivo para isso era a procura pelos cinco núcleos digitais que ajudará o Imperador a conseguir o seu maior objetivo. O vilão voltou a ser Strabimon e agora ostentava uma hoverchair totalmente feita de metal digizóide e magnética. Ela lembrava um ovo dourado com duas pequenas asas de avião, um turbo atrás e um esporão na parte de baixo que mantinha o veículo dourado em pé mesmo sem usar o turbo.

Sanzoomon e Fatmon — uma versão gorda de Etemon — foram os generais que acompanhariam o seu mestre. Depois de um breve discurso e sem a imprensa, ele entrou na nave que transportaria todos para fora das ilhas. A nave do governo era a única que passeava livremente entre as ilhas sem ser atingida pelos mísseis de cada ilha.

...

Slash partiu com todos os digiescolhidos numa van preta, blindada e militar, para o portal com a primeira ilha, Windows. O Bug que Astamon ativou iria acabar em menos de dez minutos. A demora foi pelos acontecimentos anteriores que obrigou-os a lutar contra os digimaus.

Astamon estava bem no fundo e quieto. Ficou olhando para Impmon. Este se virou e ficou encarando o vilão.

— Ainda tem a marca da facada? Como foi a sensação de ficar dias e dias na rua comendo lixo e sendo odiado pelo próprio filho?

— Maldito — Impmon teve que ser segurado por Paulo.

Astamon riu.

— Oh ouh! — disse Slash.

Ruan abriu uma janelinha que ficava entre o motorista e os bancos de trás.

— O que quer dizer "oh ouh"?

— Temos companhia — respondeu Aiko, que também estava na frente com Agumon.

A segunda parte do exército de Doumon fez uma barricada com eles mesmos. As máquinas apontaram suas armas.

— Segurem-se todos. Esta belezinha vai trabalhar — disse o homem.

A pista atravessava um grande lago como se fosse uma ponte baixa que dava para a base da primera ilha. Eram várias pontes e algumas se cruzavam formando viadutos. Não tinha como escapar daquela barricada ou cairiam na água. Os soldados apontaram as armas. Começaram a atirar com tudo na direção da van. Formou-se muita fumaça. De repente o veículo surgiu intacto. Como era blindado, não sofreu nenhum arranhão. Slash fez duas armas giratórias saírem uma de cada lado do carro e um míssil no teto. Atirou na direção dos digimaus. Eles foram derrotados e os heróis conseguiram passar adiante.

— Acho que temos companhia — avisou Slash olhando pelo retrovisor.

Um caminhão se aproximava em alta velocidade. Doumon dirigia o veículo a todo vapor. Nesse momento a ilha estava bem perto deles e já dava para ver vários digimons na base dela para atravessarem. Eram imigrantes. O caminhão era mais rápido que a van e logo alcançou os digiescolhidos. Bateu por trás da van. Slash se esforçou para não perder o controle do veículo.

Agumon ficou com a cabeça de fora da janela e cuspiu fogo para atingir o vilão, mas não teve sucesso. Doumon emparelhou o caminhão com a van. O veículo maior começou a empurrar para a direita fazendo a van ir de encontro com a mureta da ponte. O vilão encostou com mais força. Slash tentou fugir, mas era impossível. A mureta estava rachando a ponto deles caírem no lago.

— Agumon, use mais uma vez a sua bola de fogo...

— Não, eu cuidarei do meu jeito — disse Slash. — Segure o volante.

Os dois trocaram de posição. Aiko ficou dirigindo enquanto via o homem sair da van e indo para o teto do carro. Slash deu um pulo de um veículo para o outro. Segurou-se perto do pára-brisa do caminhão. Doumon se assustou com aquilo. O viajante do tempo usou seu anel para materializar uma metralhadora. Apontou para o vidro. Doumon se abaixou. O caminhão foi metralhado. Slash segurou no volante e girou com força fazendo o carro girar e cair no lago. Antes ele subiu no teto, correu, pulou e retornou segurando-se do lado de fora da van.

— Ele foi destruído? — perguntou Aiko.

— Não, mas o atrasei. Olhe para frente e atravesse aquele portal.

Os digimons corriam com medo. Eles abriram caminho até o portal. Era grande e seu interior era parecido um espelho. Um guia que cuidava do portal largou tudo e saiu da frente. A ilha era enorme e dava para ver no topo uma parte da floresta. Como bem disseram, ela flutuava baixo.

— Linx vai guiá-los daqui pra frente. Boa sorte, digiescolhidos — Slash saltou e ficou no chão observando o carro atravessar o portal.

Tudo ficou distorcido até a van aparecer numa floresta com grandes cogumelos. Aiko quase bateu o carro numa árvore, mas parou a tempo.

— Conseguimos pessoal, finalmente chegamos — avisou Aiko.

— Conseguimos, Rose. Conseguimos chegar.

— Não comemora, Palmon. Estou enjoada. Abre essa porta logo que vou colocar o almoço pra fora — disse Rose saindo.

Os digiescolhidos saíram do carro. A primeira coisa que eles notaram diferente era o céu que dava para ver a segunda ilha, toda de concreto e aço, a terceira, quarta e quinta ilha mais altas. A floresta ali era composta por árvores com folhas verdes e vermelhas além dos cogumelos gigantes.

— Estou com fome — disse Mushroomon.

— Passamos por esse estresse todo e ficamos exaustos — disse Jin.

— Vamos achar algo para comer e depois encontrarmos Linx — avisou Mia.

Eles começaram a andar pela floresta.

Na Pirâmide, um dos soldados foi até a sala do governador para avisar sobre a falha na segurança.

— Mestre Djinn, recebi um chamado do chefe Doumon. Ele disse que houve uma falha na segurança e que os digiescolhidos ultrapassaram o portal.

— Chame-o para cá. Quero falar com ele pessoalmente. Até que enfim conhecerei os famigerados digiescolhidos.

Djinn ainda era desconhecido, mas dava para notar a sua sombra. Era um digimon humanoide.

Astamon acompanhou de longe. Assim que eles pararam para comer, ele aproveitou para subir na copa de uma árvore e ver a paisagem.

Os digimons trouxeram frutos e alguns cogumelos comestíveis. Fizeram um círculo ao lado de uma árvore. Conversavam sobre o próximo passo na missão. A surpresa veio quando um digimon estranho surgiu atrás do arbusto e pulou próximo a eles. O digimon era igual a um felino grande e de fogo. 

 



Notas finais do capítulo

Nada a comentar aqui, apenas dizer que próximo capítulo sai depois de 20 de agosto ;-; é demorado mesmo hahahaha. Agradecer aos pacientes de plantão e vejo que ainda comentam. Obrigado pela atenção.


Vou ficando por aqui. Espero que tenham gostado. Comentem, favoritem ou recomendem (hihihi)... Tchau e até uma próxima sem data definida.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "D.N.A Advance: Nova Ordem do Século" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.