D.N.A Advance: Nova Ordem do Século escrita por Sensei Oji Mestre Nyah Fanfic


Capítulo 36
Invasão, Digi-Código e a queda de NeoVandemon


Notas iniciais do capítulo

ÚLTIMOS CAPÍTULOS DA SAGA
Desculpem pela demora, mas tava focado em outra fic minha que por sinal fiquei atrasado. Mas para compensar o atraso resolvi postar um capítulo com mais de seis mil palavras só pra vocês. Hoje tá repleto de ação. Acho que vocês vão gostar, pois nenhuma cena para as lutas. Boa leitura.



Por alguns minutos a Ilha Arquivo ficou flutuando proxima à ilha residencial. Os digiescolhidos como todos os outros ficaram com o queixo no chão. Era inacreditável o que estava acontecendo, um pedaço de terra com mais de cem quilômetros quadrados flutuando igual um balão.

– Foi exatamente como você disse Linx - Gennai observava no seu binóculo a figura no topo da montanha. - Barbamon veio acompanhado de mais três pessoas. Mesmo assim nunca pensei que ele teria a coragem de vir até aqui. Mas ele não pode...

– Pode sim e você sabe disso - disse Linx.

– Esqueci do Digi-código como posso ser leviano desse jeito? Onde está o código?

– Lúcia e o seu parceiro. Precisamos também reunir os outros membros do conselho caso coloquemos aquele plano em prática.

– Quando penso nisso me dá arrepios. O Sacrifício. Mas enfim vamos até a Lúcia, rápido.

Mia teve que evacuar os habitantes locais, mas alguns outros continuaram pra trás. Parte da Arquivo estava acima da nuvem. Em segundos o grande bloco de terra foi caindo até se chocar causando um estrago de imensas proporções. Um tremor em toda a Zona do Céu foi perceptível depois da colisão, claro, milhões de toneladas caía sobre parte da área residencial matando esmagados milhares de digimons.

Barbamon saiu do transe e voltou ao topo da montanha. NeoVandemon chegou perto dele com um baita sorriso no rosto.

– Qual é a ordem mestre?

O feiticeiro olhou bem para ele: - Faça o que quiser, mas antes me garanta o digi-código.

Foi tudo o que o vampiro quis ouvir. Imediatamente ele se teleportou para perto dos outros digimons.

– Invadam todo o complexo, destruam tudo, se possível acabe com os digiescolhidos, e o mais importante destruam a pedra. Agora vamos atacar!

No mesmo instante todos os digimaus, nenhum de trevas, correram ou voaram para dentro dos domínios celestiais. Mia, Aiko, Divermon, Geogreymon e Dynasmon eram os únicos mais próximos. Agora eles teriam a duríssima missão de tentar impedir o exército de digimaus.

NeoVandemon olhou de longe Dynasmon. Era uma pena, para ele, que não era possível a sua ida ao céu com o código ainda funcionando. Mesmo assim teve uma ideia para atraí-lo para dentro da ilha.

– Você - disse para um BigMamemon - tá vendo aquele rapaz perto do dinossauro? Capture-o.

– Claro chefe.

Vários digimons se espalharam e iniciaram um quebra-quebra geral nas casas da zona. Mia e Divermon se separaram do Aiko. A garota e o seu parceiro foram para o lado leste onde ficavam mais casas.

– Gizamons! - disse ela ao ver o grande número de anfíbios.

– Posso iniciar?

– Claro Divermon.

Divermon, que estava escondido atrás de uma casa com a parceira, pulou para o meio da rua a fim de começar o duelo. Correu para o grupo de digimaus e logo deu socos e chutes neles. Um grupo de Gizamons se uniram para atacar caindo vários deles sobre o parceiro de Mia.

Um curioso digimon desconhecido trajando uma roupa toda preta igual dos monges pulava de telhado em telhado. Era, de fato, um dos mais poderosos na invasão, mas não queria perder tempo com lutas inúteis. Talvez o que ele mais quer seja destruir a pedra.

– Geogreymon use suas chamas - Aiko ordenou e ele atacou. Geogreymon soltou uma bola de fogo pela boca que saiu queimando Bakemons, Gizamons entre outros.

Dynasmon sobrevoou o local para ter uma visão de cima. Ele observava eram muitos invasores e era certo o estrago que Barbamon fez. Por mais que seu irmão ou Mia tentassem impedir seria impossível a intervenção. Os Airdramons saíram da ilha residencial e foram à próxima.

Um grupo de Flymons soltavam seus ferrões contra o parceiro de Aiko, mas graças ao seu poder flamejante conseguia desintegrar os projéteis ainda no ar. Aiko se mantinha um pouco afastado do parceiro quando foi capturado.

Dynasmon logo viu que seu irmão estava sendo carregado por um BigMamemon até a ilha. Ele planou baixo pra chegar perto do digimau, mas levou um ataque certeiro de um míssil enorme que o fez cair vários metros. Um digimon grande, como um dinossauro negro e robótico surgiu, mas depois desapareceu entre a floresta.

– Aiko! - Gritou Geogreymon ao perceber o que havia acontecido com seu parceiro.

O grupo de Flymons desistiram de atacar e prosseguiram com a invasão. Dynasmon se levantou com Geogreymon ameaçando entrar na ilha.

– Espera eu vou contigo. Não sei o que eles querem sequestrando o meu irmão, mas devem querer algo.

– Certo, vamos.

...

Gennai entrou na casa de Lúcia para procurar o digi-código. O ex-velho explicou todos os detalhes aos que estavam ali.

– Eu sei onde exatamente está. Lembra que me deixou encarregado de guardá-lo? Pois é - disse Lucas.

– Sim eu deixei contigo, mas agora onde está? - perguntou Lúcia já ansiosa.

– No catavento, quer dizer no topo dele. Eu pedi ao Cupimon que o deixasse guardado lá como precaução.

Catavento era uma enorme estrutura montada para gerar energia eólica. Ficava praticamente ao lado da casa, por isso não foi nada demorado chegar até lá. Ao redor da estrutura havia uma escada espiralada que ia até o topo. Lucas foi na frente seguido por Paulo, Impmon, Lúcia e Gennai. Os cinco subiram até o topo do catavento. O lugar tinha uma pequena laje com uma caixinha preta no topo onde estava o tão almejado objeto. Porém alguém que já estava lá surpreendeu a todos.

– Cupimon?! - disseram.

O pequeno cupido segurava a caixinha preta com muito cuidado. Lucas por um momento se alegrou ao ver o cupido já ter se adiantado. Entretanto a surpresa maior veio depois.

– Cupimon que bom que você encontrou o digi-código. Agora pode me entregar - o loiro foi na direção dele, mas este não o entregou.

– Sim eu encontrei, mas não vou dá-lo a você - disse abrindo o objeto e retirando algo parecido com um cartão dourado com símbolos do digimundo.

– O que pensa que está fazendo? Por acaso é capanga do Barbamon? - perguntou Paulo atravessando Lucas e ficando perto do cupido.

– Como adivinhou? Então eu fui contratado por Babamon desde quando a digiescolhida aí ficou encarregada de proteger o céu. Agora que estamos quase conseguindo o nosso objetivo acha mesmo que vou voltar atrás?

– Ora seu... - Paulo ameaçou pular em cima do outro, um raio laser atingiu perto do garoto que, se não fosse por Impmon, seria pego. Eles olharam para cima e viram uma espécie de coruja cibernética. Sua aparência era diferente, tinha uma máscara com dois olhos vermelhos, além do tórax, patas e orelhas cibernéticas. Sua coloração era marrom com a cabeça branca.

– Olho Infravermelho! - mais outro laser atira contra os cinco que estavam ali. Cupimon voou para sair do perigo.

– Aurumon eu vou entregar isto ao nosso mestre. Fique à vontade para acabar com eles - disse Cupimon indo embora.

– Não! O digi-código! - bradou Gennai.

Cupimon voava o mais rápido possível quando levou um golpe pelas costas. Foi uma bola de fogo roxa criada por Impmon. O pequeno caiu feito uma fruta madura até o chão.

– Acertei! Agora só falta pegar essa coruja de lata - Impmon desapareceu e apareceu sobre Aurumon o agarrando por trás.

– O que está fazendo? - Aurumon se desequilibrou.

– Já ouviu aquele ditado: melhor um pássaro na mão do que dois voando?

– Que?

Impmon começou a morder a cabeça da coruja. Esta girava no ar tentando tirar o outro sobre si. Por impulso ela liberou um raio laser no catavento. O calor atingiu o encaixe das hélices fazendo com que o enorme catavendo se desprendesse e caísse em direção à casa de Lúcia. O objeto destruiu o telhado causando um estrago grande para o desgosto da garota. Aurumon ainda lutava para tirar Impmon quando atinge com seu laser a base da torre fazendo com que ela entortasse um pouco. Lúcia se desequilibrou e caiu para o desespero de todos.

– Paulo, socorro! - Paulo correu para vê-la. A garota fazia de tudo para se segurar.

Paulo pediu para Lucas não ficar parado e se transformasse em digimon a fim de salvá-la. O loiro relutou, não poderia fazer aquilo. O digiescolhido ficou com muita raiva até Gennai ter uma ideia. O homem se debruçou, pois era o mais alto, a fim de tentar pegá-la. Os dois garotos seguravam o homem até em certo ponto dele a pegar pelo braço. Puxou até subi-la com certa dificuldade. Foi um alívio.

Enquanto isso Aurumon conseguiu se desvencilhar de Impmon. Este caiu contra uma parte do telhado da casa. A ave imediatamente soltou seu poder. Impmon correu pra trás da chaminé, mas foi descoberto. Porém antes que a coruja pudesse reagir ele soltou umas cinco bolas de fogo roxo de uma vez atingindo e fazendo cair longe. Viu Cupimon se levantar e pegar o digi-código.

– Ei seu panaca - Cupimon olhou pra trás e levou um soco bem na cara. Impmon pegou o cartão, mas foi pego de surpresa por um Chrysalimon - O que? Que é isso?

O digimon conseguiu capturar o digi-código. Impmon tentou impedir lançando várias bolas de fogo só que Aurumon voou na direção dele e o colheu fazendo com que ele caísse na direção da casa. O pequeno roxo atravessou a parede da fachada e caiu em algum lugar dentro da residência. Aurumon foi verificar.

O digimon misterioso conseguiu com certa facilidade penetrar até a ilha da pedra sagrada. Depois de derrotar Gargoleymon ele prosseguiu até finalmente chegar próximo ao campo de girassóis.

– Não acredito que a invasão está acontecendo Linx. O Gennai fracassou desta vez - disse Adolphus irritado. O ancião era o líder do conselho, com ele estavam Weiz e Link.

– Não, não foi culpa dele. O que ele tinha de fazer já fez, mas Barbamon é de longe muito poderoso e tem um exército.

– Então por que nos chamou? - Link.

– Vamos precisar transferir os poderes da pedra à alguém. Gennai conversou comigo e ele se voluntariou caso Barbamon consiga penetrar aqui.

– Você ficou louca? Aliás os dois ficaram. Isso é muito arriscado. O Sacrifício vai impôr um destino sem volta, um destino que poucos suportarão.

– Eu sei Adolphus, eu sei. Só que é a única coisa mais viável se caso os digiescolhidos falharem. Por favor entendam, o próprio Gennai se voluntariou.

– Tudo bem. Pode chamá-lo até aqui - disse o mais velho.

Eles estavam dentro do templo próximos a pedra. Perto dali, no lado de fora, estavam Freddy e Gokuwmon. Os dois guardavam a entrada com mais dois Angemons. Linx se aproximou dos dois.

– Vocês podem vir comigo por favor, é que a invasão começou e como os inimigos já pisaram em solo sagrado precisamos de mais reforços possíveis.

– Linx pode me dizer quais são as chances do Barbamon conseguir destruir a pedra? - disse Freddy correndo numa estrada entre as flores.

– Digamos que é provável que ele chegue até aqui. Não estou muito confiante que os digiescolhidos consigam detê-lo por muito tempo. E agora com o perigo do Digi-Código ser pego...

– Digi-Código?

– Sim Gokuwmon, é um cartão dourado parecido com um chip grande que permite que o céu seja completamente protegido pelo poder das trevas. Aquele que o destruir terá a chance de adentrar aqui mesmo que seja um demônio.

– Então isso é muito perigoso - falou Freddy. Era visível a preocupação do rapaz.

– Acho que deveríamos ajudar o Paulo e os outros - falou Gokuwmon.

– Com certeza parceiro.

Os três saíram do campo e foram até a casa de Lúcia. Se impressionaram com a destruição ali causada.

Ruan e Megadramon se separaram de Rose e Lilamon. Os dois voaram por pouco tempo. Os dois Airdramons chegaram para darem continuidade à antiga luta que fora interrompida na cidade.

– Eu não posso acreditar nisso - disse Ruan ao ver os dois dragões se aproximarem. Bem ao fundo dava para ver a imagem da ilha Arquivo.

– Segure-se parceiro. Vamos ter que lutar juntos - disse Megadramon.

O Megadramon apontou um dos seus braços e atirou seu míssil. Os dois não desviaram, simplesmente estavam mais rápidos e agressivos. Juntaram seus poderes e destruíram o ataque. Depois foram de encontro com Megadramon. Este não teve escolha a não ser sair dali.

...

TÓQUIO

Durante minutos Naomi se olhava no espelho compenetradamente. Ela se arrumava para ir ao aeroporto pegar a sua tia e aproveitou o momento para meditar olhando-se no reflexo. Uma jovem branca com traços orientais, bem maquiada. Ela usava um vestido preto acima dos joelhos e um cachecol azul no pescoço. Lábios carnudos e bem vermelhos por causa do batom.

– Espelho, espelho meu. Existe uma professora mais linda do que eu? - apareceu a imagem de Hikari Kamiya, lógico que era fruto da sua mente - essa baranga?

Saiu de frente o espelho e foi pegar as chaves do carro. Observou seu notebook sobre a cômoda e viu que este ainda estava ligado. Havia deixado a sua amiga esperando, mas talvez ela tenha se cansado de esperar e saiu, afinal a tela do programa estava fora do ar.

– Sua louca - ela ia fechar a tela, mas decidiu deixar aberto.

Naomi entrou no seu carro, abaixou o capô conversível dele e saiu da garagem. O porteiro abriu o portão automático do condomínio e o carro dela saiu em disparada.

– Essa daí ainda vai causar acidentes - disse o zelador.

Yuuko Kamiya estava olhando o seu álbum de fotografia da sua família. Era incrível como as coisas mudaram e seus bebês cresceram tanto. Contudo algo a incomodava muito, algo que ela precisava desabafar, algo que ela escondia, um segredo. Nem mesmo seus dois filhos sabiam desse segredo que a consumia por dentro e que apenas compartilhou com o marido, pois era impossível esconder dele.

Ela ficou sentada perto da sacada do apartamento quando a campainha tocou.

– Amor quem será essa hora?

– Já vou - ela foi até a porta e a abre. - Que bom que você chegou Sora.

O senhor Kamiya se retirou da sala. As duas ficaram sozinhas sentadas no sofá. A nora ficou preocupada com a ligação que recebera da sogra.

– Ainda bem que você tirou um tempo para vir aqui. Não queria que o Taichi viesse contigo, porque eu quero desabafar.

– Eu também estou enfrentando dificuldades...

– Sora por favor. Não acredito que vocês brigaram de novo!

– Yuuko... brigamos. Mas agora o que importa é a sua angústia. Pode falar para a sua nora. O que se passa?

Yuuko começou a falar.

...

Geogreymon adentrou a floresta derrubando as árvores que via pelo caminho. Sentiu o faro da trilha deixada pelos digimaus até chegar na cidade dos brinquedos de Monzaemon.

BigMamemon mantinha Aiko ainda refém dentro de uma das casas.

Dynasmon sobrevoava toda a ilha, mas se mantinha afastado o máximo de Barbamon. Enquanto isso NeoVandemon estava louco para acabar com a raça do seu inimigo traidor. Desde quando o viu pelo primeira vez nunca o engoliu. Agora era a hora de colocar o seu plano em prática.

– Aiko! Aiko! - chamava enquanto sobrevoava a região.

A cidade dos brinquedos começou a tremer. Do solo saiu um poderoso BlackMetalGreymon. O monstro negro era muitas vezes maior que o parceiro de Aiko. Fato era que um monstro dessas proporções causaria um grande estrago, felizmente os moradores que estavam na cidade fugiram dali.

Aiko deu uma mordida na mão do digimau e conseguiu gritar pelo parceiro. GeoGreymon instintivamente destruiu o telhado da casa e viu o seu parceiro refém. Como ficou exposto ao digivice pôde assim evoluir para mais um estágio.

ALTERNATIVE EVOLUTION

– Geogreymon super digievolui para... RizeGreymon!

– Droga não vai dar nem para fazer cócegas nele. Fica aí pirralho que eu vou dar no pé - BigMamemon fugiu do campo de batalha. Agora só restava B.MetalGreymon como oponente.

Distante dali Dynasmon voava quando recebeu um ataque surpresa. Uma árvore literalmente voou pra cima dele. Esquivou-se a tempo. Uma outra árvore foi na direção dele, agora sem poder desviar ele a chutou partindo-a ao meio. Era uma grande árvore que foi arrancada pela raiz. Parou e ficou atento a qualquer movimento.

NeoVandemon observava o rival. O vampiro ficou mergulhado no chão apenas com a sua cabeça para fora. Era o momento certo para atacar.

– Arpão - Divermon usou sua arma principal para acabar com os inimigos. Foi quando um poderoso jato de água o atinge. Ele cai contra o muro de uma casa.

– Parceiro, você está bem?

– Mia cuidado! - ele rapidamente corre para tirar a sua parceira da mira do jato d'água. Eles olharam para trás e viram um monstro com o casco de caracol.

– Shellmon?

– Não Mia, aquele lá é o MoriShellmon. Mais forte e resistente que um Shellmon comum.

As semelhanças eram grandes, mas este era verde.

Gennai desceu as escadas junto com os outros três. Paulo, assim que pisou no chão, puxou Lucas pela gola da camisa e o encostou contra a parede visivelmente irritado.

– Por que você não a salvou hein?

– Eu ajudei, você não viu?

– Não falo disso. Eu me refiro ao fato desse seu orgulho de ficar humano o tempo todo sabendo que pode se transformar em digimon na hora que bem entender. Minha irmã quase morreu por sua culpa.

– Minha culpa?! Foi aquele digimon que destruiu tudo isso e agora é culpa minha?

– Ora não se faça de sonso seu pivete!

– Para Paulo. O que é isso? - disse Lúcia ficando entre os dois. - Quantas vezes eu vou dizer que eu o repeito na decisão que ele tomou de nunca mais virar digimon. Quantas vezes? Será que não entende?

Gennai olhava a sua frente com muita seriedade. Depois da discussão dos três eles se viraram e observaram um digimon todo coberto por uma roupa preta. Foi bem nessa hora que Linx, Freddy e Gokuwmon chegaram.

– Quem é você? - perguntou Gennai.

– Não importa quem eu sou, o que realmente importa é o que eu venho fazer aqui. A destruição da pedra sagrada do céu será pelas minhas mãos - a única coisa perceptível eram lâminas afiadas no lugar da mão dele, talvez segurava alguma arma. O capuz cobria-lhe toda a cabeça sem dar a mínima chance de saber como era o sujeito.

Linx puxou sua espada dourada para atacar. Ela correu e tentou um golpe com a espada. O indivíduo desapareceu por um momento e surgiu por trás dela. Ela se virou, foi golpeada pelo digimon misterioso.

– Linx - Gennai puxou a sua arma laser e ameaçou atirar quando o vilão jogou a mulher para cima dos outros. Gennai atirava, porém o meliante se evadia constantemente.

– Freddy eu vou lutar.

– Calma Gokuwmon.

Por um instante o digimon misterioso desapareceu.

...

Chrysalimon finalmente chegou ao seu mestre e lhe entregou o cartão.

– Finalmente o digi-código está sob meu poder.

Ele iniciou seu processo de libertação da energia maligna. O cartão ficou totalmente roxo e a seguir se desintegrou. Uma onde de choque se espalhou até o lugar mais distante da Zona do Céu. Agora ele podia ir até a pedra.

– Não será tão fácil assim.

Seus olhos ficaram completamente vermelhos. As milhares de engrenagens negras começavam a vir em sua direção.

Mia e Divermon continuavam a lutar contra os digimons anfíbios quando uma sombra passa por eles. A garota olhou para o céu e ficou assustada com o que viu. Era a sombra de um Barbamon com trinta metros de altura.

– Não posso acreditar. Como ele conseguiu entrar e ficar desse tamanho?

Ruan e Megradramon ainda fugiam dos dois inimigos quando veem Barbamon em tamanho gigante se aproximar. Agora a coisa ficou feia para o lado dos digiescolhidos.

Barbamon conseguiu ultrapassar a barreira que separava o céu do resto do digimundo. Com a destruição do Digi-Código as coisas que pareciam que fossem impossíveis acabaram sendo possíveis. Além do feiticeiro, Lilithmon Fake também o acompanhou, o que era muito estranho pois somente o velho que destruiu o cartão era para ter acesso irrestrito.

Mia foi a primeira a ver o vilão saindo da ilha. Com a ajuda das engrenagens que estavam na ilha o velho ficou muito maior do que originalmente.

Ruan se mantinha sobre o seu parceiro na luta contra os dois Airdramons. Megadramon ainda fugia dos dois digimaus sobrevoando boa parte da região celestial. Eles passaram por cima do ginásio enquanto os vilões tentavam acertá-los com seus poderes combinados.

– Precisamos distraí-los e separá-los - disse Ruan.

– Tudo bem, segura firme.

O dragão ciborgue se virou para ficar frente a frente com os inimigos. Ele soltou seus mísseis orgânicos para acertar algumas casas embaixo causando um fumaceiro e atrapalhando a visão dos dois Airdramons. Estes ficaram confusos sem saber para onde o oponente foi.

Megadramon aproveitou os segundos de distração para golpear um Airdramon com a sua cabeça e o outro com a cauda. O que acertou com a cabeça ele agarrou e o levou diretamente a uma torre que havia na região e atirou seus dois mísseis. Com o impacto a torre inteira ruiu destruindo o digimau.

– Ótimo. Agora falta mais outro - disse Ruan.

Enquanto isso Rose e Lilamon protegiam os moradores locais na grande biblioteca. As duas tentavam acalmar os digimons. Entretanto entre eles surgiram dois digimons que não eram residentes. Um lembrava um homem em miniatura que usava óculos escuro chamado Nanimon, o outro era parecido com um pequeno ogro de cor azulado chamado SnowGoburimon.

– O que vocês fazem aqui? - perguntou Lilamon.

– Ora, ora queremos acabar com os digiescolhidos como o mestre Barbamon ordenou. A nossa missão é essa e como vocês são as primeiras que encontramos serão vocês mesmas que acabaremos - disse Nanimon.

– Ah é? E quero saber como dois idiotas irão nos derrotar se a Lilamon aqui é poderosa o suficiente para acabar com vocês? - ironizou Rose.

SnowGoburimon cuspiu gelo da sua boca congelando as pernas e os braços da Lilamon. Rose ficou assustada, mas sua parceira a tranquilizou.

– Rose saia daqui, se esconda! Eles querem é você.

– Não, mas e você?

– Eu ficarei bem agora vá - disse a digimon.

– Hehe minha querida não adianta fugir porque nós te encontraremos - disse SnowGoburimon.

– Vá Rose!

A garota correu, a contragosto, na direção da biblioteca. Logo depois ela estava frente a frente com um labirinto cheio de estantes com vários livros. Olhou para trás e percebeu os dois digimons correrem à sua direção. Escondeu-se. Lilamon continuava presa no gelo.

– Minha querida não dificulte o seu fim. Saia e deixe de brincadeira - disse Nanimon.

Os dois se separaram a fim da busca ser mais fácil. Rose ficou escondida atrás de uma prateleira com livros.

...

Dynasmon ficou parado por um tempo tentando encontrar o causador do ataque. Foi aí que um raio violeta veio em sua direção e o atingiu. NeoVandemon veio por trás dele e o agarrou por trás, ambos foram na direção da floresta. O impacto foi forte o suficiente para arrancar muitas árvores e criar uma enorme cratera. Os dois lutavam no ar com Dynasmon soltando suas bolas de energia contra o vilão. Este desviava dos ataques, mas como os ataques ficavam cada vez mais rápidos então seria quase impossível continuar se evadindo.

– NeoVandemon o que quer comigo?

– Quero acabar contigo seu traidor. Você traiu o mestre Barbamon e tudo o que ele te ajudou. Nunca me acostumei com a sua presença. Agora a chance de eu acabar contigo surgiu e não vou perder essa oportunidade.

Ambos continuaram lutando no céu.

Leomon ajudou Meramon a sair dos escombros e viu a luta de longe. Centarumon também observava a luta dos titãs. Percebeu a presença maligna que NeoVandemon emanava e logo constatou que aquele era de pura trevas.

– Por mais que o cavaleiro tente vencê-lo numa luta não vai conseguir.

– Centarumon quer dizer que ele pode perder?

– Sim Leomon. Aquele cavaleiro é dados ao contrário do inimigo que é vírus. Dados não costuma ser mais forte que um manipulador de trevas. Por isso ele não vai ganhar essa luta.

– E o que podemos fazer? - perguntou Meramon.

– Existe aqui na ilha o núcleo negro. Eu posso retirá-lo e oferecer ao cavaleiro, mas aí a ilha viraria um cronômetro regressivo. Todos os habitantes daqui devem sair, pois a ilha terá poucos minutos de existência.

– Então podemos distrair o inimigo enquanto você pega esse núcleo. Vamos Meramon.

Os três se separaram. Leomon resolveu passar primeiro na sua caverna e pegar uma outra espada, já que a sua principal havia sido destruída. Uma arma que lembrava a Excalibur com símbolos angélicos no espigão.

– Vamos lá - os dois foram ajudar.

Centarumon entrou numa pirâmide a fim de pegar o núcleo da Ilha Arquivo. O lugar ficava bem ao fundo da ilha, no ponto mais remoto. Era uma caverna vermelha com uma bola azul bem no centro. Ele colocou sua mão para pegar e automaticamente a bola virou um cartão preto com detalhes dourados.

Dynasmon socava a cara do oponente. NeoVandemon num determinado momento virou fumaça a apareceu por trás.

– Sugarei suas energias até ficar fraco o suficiente para destruí-lo.

Dynasmon começou a brilhar, seus olhos ficaram brancos. É claro que o demônio teve que o largar, pois uma força poderosa surgia. Eles se separaram. Quando a luz extinguiu lá estava Dynasmon em transe com a figura de um grande dragão sobre ele. Ali era o seu golpe mais poderoso. Neo ficou apenas observando.

– Hálito de Dragão! - o poderoso ataque foi na direção do inimigo. NeoVandemon emanou uma aura de coloração azulada sobre si. O ataque explodiu tudo ao redor, boa parte da montanha central foi destruída. O certo era o fim de Neo, contudo ocorreu uma surpresa. - O que?!

– Seus ataques não vão conseguir me derrotar colega. Eu disse que sou mais forte - continuaram a luta.

BlackMetalGreymon e RizeGreymon travavam uma batalha perto da cidade de Andromon depois que praticamente destruiram tudo na cidade de Monzaemon. Aiko acompanhava a batalha numa certa distância acompanhado do urso.

– Ahan! Eu te reencontrei moleque. Pensou que fugiria de mim? - disse BigMamemon.

– Eu pensei que você tivesse desistido de querer me sequestrar, mas vejo que tá levando isso a sério - respondeu o garoto.

– Cale-se. Agora eu vou te fazer engolir suas palavras.

– Garoto encontre-se com Andromon e peça ajuda a ele. Eu cuido desse aqui. Vá.

Aiko saiu correndo para a cidade de Andromon.

– Visão Laser! - o urso soltou uma rajada vermelha dos seus olhos. BigMamemon se protegeu recolhendo os braços e as pernas girando feito uma bola e acertando o urso que caiu.

– Fácil - ele saiu rolando na direção de Aiko. O rapaz quase foi atropelado se não tivesse se jogado para o lado. Segundos depois dois mísseis orgânicos explodiram na direção de Mamemon que caiu devido ao forte impacto. Aiko viu pela fumaça surgir a silhueta do ciborgue mais querido do digimundo.

Andromon caminhou até o rapaz e estendeu sua mão. O rapaz a segurou para se levantar.

– Você deve ser Andromon?

– Sim sou eu. Percebo que o mal tenta controlar o digimundo...

– Andromon por favor me ajude.

– Eu tive uma ideia, venha comigo.

Enquanto isso...

– Revólver Tridente! - RizeGreymon atirou com seu revólver. O B.M.Greymon soltou seu poder do tórax. Ambos poderes colidiram causando uma explosão. Os dois gigantes se agarraram e foram parar na cidade.

BigMamemon correu para não ser esmagado. Como a cidade não era propriamente uma cidade, na realidade era um complexo industrial parecida com fábricas e usinas, além das construções serem de metal. O vilão seguiu os passos do ciborgue.

Já os dois mais poderosos seres que lutavam na ilha travavam uma intensa luta. Dynasmon segurou NeoVandemon pela perna para arremessá-lo contra a montanha central. O demônio ultrapassou o rochedo por completo até cair numa área descampada logo com Dynasmon na sua cola. Para se proteger ele transformou o seu braço direito numa lança pontiaguda para tentar um ataque surpresa. O Royal Knight retornou para não ser transpassado pela lança.

Centarumon encontrou Meramon. Leomon estava montado sobre um Unimon.

– Vá entregue a ele este cartão. Só assim poderá vencer o demônio.

Leomon segurou o cartão e saiu com o unicórnio voando a região. Os outros dois, que estavam próximos à cidade das máquinas, foram ajudar o digiescolhido.

NeoVandemon golpeava com a lança o Dynasmon que graças a sua armadura não recebia sério danos. O ser de trevas se transformou em fumaça e colheu o rival que caiu contra um rochedo um pouco cansado da difícil luta. Neo retornou à sua forma sólida.

– Não pode me vencer criatura. Eu posso controlar o meu corpo o suficiente para sair do estado sólido para o gasoso facilmente. Só assim estará adiando o seu fim. E como eu não tenho muita paciência... adeus.

NeoVandemon tentou acertar o oponente com a lança, contudo um ataque atingiu suas costas. Leomon havia usado o poder do seu punho para acertar o demônio para poder desviar sua atenção.

– Ei pegue isso - disse o guerreiro liberando o cartão para Dynasmon segurar. Imediatamente ele ficou com a tonalidade da pele roxa, armadura preta com dourado e a pedra vermelha no centro do seu tórax.

– Ora seu... - Neo soltou uma bola de trevas da sua mão que atingiu Unimon juntamente com Leomon. Os dois caíram no meio da cidade das máquinas.

NeoVandemon tentou mais uma vez atacar Dynasmon, mas este estava bem mais rápido do que antes. O Royal Knight, agora negro, deu uma rápida joelhada no vampiro seguido de um soco bem no rosto dele. O vilão caiu entre as árvores até cair contra uma fábrica destruindo boa parte do prédio. Black Dynasmon foi no encalço.

BigMamemon estava dentro de uma fábrica. Algumas engrenagens grandes se moviam e algumas máquinas operavam. Andromon usou seu poder Espada Espiral para atacar o digimau que desviou e usou pela primeira vez o seu poder.

– Grande Bombardeio Smiley - as duas mãos dele são lançadas como um míssil e explodem quando chocaram contra a parede. Andromon teve que pular para não ser atingido.

Aiko estava agachado atrás de uma máquina que servia de esteira, provavelmente levava produtos de um lugar para outro.

– Não se esconda seu moleque. Eu vou te achar - BigMamemon foi até onde a máquina funcionava para pegar o rapaz de surpresa. - Peguei. Que?

Aiko havia saído daquele local. O jovem ajudou Andromon a também sair.

– Você está bem?

– Os danos da explosão foram superficiais. Eu ficarei bem.

– Que bom - Aiko olhou o seu parceiro próximo com seu oponente. Parecia que a luta já estava quase ganha.

RizeGreymon agarrou B.MetalGreymon, voou bem alto e o largou. Em seguida usou seu poder mais forte.

– Míssil Destruidor! - Ele atirou lasers e mísseis das armas em suas asas cibernéticas. Os ataques atingiram o digimon no ar o obrigando a ficar sem reação.

BlackMetalGreymon caiu sobre uma fábrica de explosivos mas não causou a explosão, mas Aiko e Andromon estavam próximos dali.

– Cuidado! - o androide protegeu o humano servindo como escudo enquanto escombros se espalhavam por todos os lados.

Enquanto isso a luta entre os megas ainda acontecia. Dynasmon recebeu um golpe e foi parar na direção de uma fábrica destruindo-a por completo. NeoVandemon ficou parado no chão pronto para o próximo ato, porém uma retaliação veio de outro digimon.

– Punho do Rei das Feras! - Leomon usou seu golpe para atingir o mega. Este, por sua vez, não se feriu com o ataque.

– Digimon tolo já se esqueceu de que nível eu sou? Agora morra e nunca mais volte. Asa Espantosa! - vários morcegos surgiram voando na direção do leão guerreiro que por instinto colocou a espada na sua frente na tentativa de se defender.

Uma bola de fogo surgiu para impedir que os morcegos matassem Leomon. Era Meramon que havia chegado na luta, depois surgiram Centarumon e Unimon.

– Vejo que mais patifes apareceram - falou em desdém.

– Não vamos deixar que destrua nosso companheiro Leomon - disse Meramon.

– Veremos. Quem quer ser o primeiro?

– Lareira! - Meramon soltou fogo dos seus punhos. Nem chegou perto do vampiro.

– Raio Solar - Centarumon atirou um feixe de laser amarelo da palma da sua mão mecânica. Foi facilmente desviado.

– Ataque aéreo - Unimon atirou uma bola de luz da sua boca. Neo abriu a sua boca e dela saiu uma fumaça escura que acabou parando o ataque e acertando Unimon que caiu desacordado.

Meramon e Centarumon foram atacar mais uma vez só que dessa vez o digimau foi mais esperto. Concentrou uma grande quantidade de energia no seu corpo para depois expelir e criar uma explosão acertando os dois que também caíram. Leomon ainda tentou lutar usando sua espada.

– Você acha mesmo que vai me deter com essa reles espada? - ele paralisou Leomon com o olhar. Depois soltou um raio vermelho dos olhos do seu corpo que atingiu Leomon o fazendo cair ferido sem a espada. - Será que ninguém vai entender que eu nunca perco?

Uma esfera roxa vai na direção dele e o atinge. Dynasmon agarrou NeoVandemon e ambos foram parar no chão com o cavaleiro por cima do inimigo.

– Devo admitir que agora você ficou muito mais habilidoso, mas não vai conseguir me deter. E o que fará agora já que nós dois somos seres de trevas travando um duelo de titãs que nunca terá fim? Talvez nós morreremos juntos quem sabe? Hã?

– Eu aguento o tranco meu chapa. Mas você pode desistir enquanto há tempo.

NeoVandemon se ofendeu com tais palavras, empurrou Dynasmon pra longe de si usando seu raio. Depois usou seu ataque com os morcegos. Dynasmon se defendia com seu poder.

...

Megadramon girava no ar para não ser pego pelas lâminas de ar que o Airdramon soltava. Ele resolveu passar por dentro da ilha mesmo com o parceiro em suas costas. O dragão alado foi no encalço dos dois. Foi aí que Megadramon conseguiu ultrapassar e ficar por baixo da ilha com o céu infinito bem abaixo de si para o desespero de Ruan que nessa hora tentava se segurar muito forte.

– Segure firme - disse para Ruan. Megadramon se virou para o buraco que fez e começou a atirar sem parar. O ataque genocida fez muitos estragos destruindo Airdramon antes que ele pudesse sair do buraco. Ruan não conseguiu se segurar com firmeza e se soltou do parceiro ficando em queda livre.

Megadramon olhou seu amigo cair e voou para salvá-lo. Alcançou com precisão para salvá-lo e fazer com que ele retornasse sobre suas costas segurando-se em seus cabelos.

– Por favor não faz mais isso.

– Desculpa, não farei mais.

– Ei vamos atrás do Barbamon.

Eles foram para a luta final que teriam com o velho inimigo ou inimigo velho.

Aurumon conseguiu entrar na casa da Lúcia em meio a confusão que se instalou ali próximo. A coruja percebeu que parte da casa estava desabada por causa do catavento que caiu sobre o telhado. Viu pedaços de madeira, provavelmente dos caibros do telhado, no chão. Escutou um ruído quando olhou pra trás viu um armário caindo em sua direção.

– Ah... - não deu nem tempo de falar. O armário caiu com tudo sobre ele.

– Yey! Quem é o foda aqui! - Impmon havia empurrado. Lembrou-se que havia uma luta do lado de fora da casa.

Os ânimos estavam à flor da pele. Isso porque um digimon misterioso ameaçava as pessoas que estavam lá. Gennai ajudou Linx. Nessa altura ele já sabia perfeitamente que era imprescindível se sacrificar para o bem de todos.

– O que faremos agora? - perguntou Lúcia. Paulo ficou observando.

– Impmon onde esteve? Conseguiu derrotar aquela maldita coruja?

– Sim Paulo, digamos que ela foi pro brejo... quem é aquele?

– Um inimigo que está aqui a mando do Barbamon. Acredito que seja um digimon muito forte.

Freddy percebeu que era o único que poderia detê-lo naquele momento. Com a confirmação de Gokuwmon os dois entraram em acordo e convenceu Gennai e Linx a irem até a pedra. O homem concordou e foi com a sua colega de volta ao templo.

– Não vão a lugar algum! - disse o digimon na tentativa de atacar os dois. Gokuwmon se meteu na frente dele.

– É você, seja lá quem for, que não vai a lugar algum - disse ameaçando com seu bastão. - Vai lutar comigo.

...

NeoVandemon aumentou seu poder maligno para invocar milhares de morcegos que foram na direção de Dynasmon. Este também reuniu o máximo de poder das trevas para formar uma esfera negra. Os dois poderes se chocaram, mas não houve explosão.

Aiko se protegia junto com Andromon, pois estavam próximos ao campo de batalha. Ficaram escondidos atrás de algumas cabines telefônicas.

– Achei vocês. Moleque não vai escapar de mim. Toma isto - BigMamemon atirou suas luvas vermelhas explodindo as cabines uma por uma.

– Espada Espiral! - Andromon acertou o digimau que saiu rolando até encostar em algo.

Monzaemon sorriu e soltou uma bolha de coração que logo envolveu o digimau. Este ficou alegre por um momento, mas não foi poupado por Andromon que usou seus mísseis contra ele o fazendo cair na direção do já desmaiado BlackMetalGreymon.

NeoVandemon e Dynasmon continuavam o duelo.

– Agora parceiro! - disse Aiko num brado. Depois correu juntamente com Andromon e Monzaemon.

– Míssil Destruidor!

Os projéteis de RizeGreymon foram todos na direção dos dois digimaus.

– Me lasquei - lamentou BigMamemon.

As bombas atingiram os dois que logo foram destruídos por uma super explosão causando até um terremoto na ilha toda. Uma chuva de dados podia ser vista em vários ângulos de Arquivo.

Dynasmon e NeoVandemon pararam a luta com o susto que tiveram. Dynasmon olhou para o chão, viu uma espada, olhou para NeoVandemon e aproveitou os segundos de distração dele para aplicar o seu Hálito de Dragão versão das trevas. Um grande dragão azul foi formado e lançado contra o vampiro. Este percebeu o ataque e se auto explodiu arrastando os outros que ali estavam. O ataque de Dynasmon a princípio não surtiu efeito, pois apenas criou uma cratera no campo de batalha com o inimigo em pé bem no meio.

– Se esse foi seu último ataque então foi um fracasso. Você errou.

– Ele... não errou - disse Leomon se levantando.

NeoVandemon sentiu algo lhe perfurar por dentro. A espada de Leomon logo se materializou no corpo dele para sua surpresa.

– O que significa isso?

– Uma oportunidade que eu tive para destruí-lo. A espada tem um símbolo angélico, ou seja, é uma arma divina que coincidentemente estava com Leomon. Como digimons de trevas são fracos com os tipo luz então achei que seria o momento adequado para fazer aquele teatro todo do Hálito de Dragão só pra poder enfiar a espada no meio do teu corpo antes que percebesse. Acabou meu chapa.

Aiko sorriu porque finalmente um poderoso inimigo foi derrotado.

NeoVandemon já não tinha mais forças para ficar em pé. A espada soltava raios por dentro do corpo do vampiro fazendo com que uma luz o tragasse como um buraco negro. Ele foi sugado para dentro da espada que logo ficou preta e flutuando. Dynasmon retirou o poder das trevas de seu corpo para voltar ao normal, destruiu o cartão e com um raio de energia da sua mão se preparava para destruir a espada.

– Hasta la vista baby - soltou o poder na direção da espada. O objeto foi reduzido a pó acabando com qualquer vestígio de NeoVandemon para sempre.

Continua...



Notas finais do capítulo

Depois que cumpri minha obrigação de cidadão brasileiro em ir às urnas, resolvi corrigir a minha fanfic. Tava uma zoeira isso daqui, mas enfim o que acharam?

Ah decidi abolir o negrito dos capítulos para que a história ficasse no modelo das minhas outras fanfics.
Bom agora podem comentar, favoritar e recomendar. Eu não impeço. Boa tarde para todos.

Sensei Oji, ex Killua.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "D.N.A Advance: Nova Ordem do Século" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.