D.N.A Advance: Nova Ordem do Século escrita por Sensei Oji Mestre Nyah Fanfic


Capítulo 35
O Melancólico Fim da Ilha Arquivo


Notas iniciais do capítulo

ÚLTIMOS CAPÍTULOS DA SAGA

— O título é bem intrigante. Na verdade eu queria acabar com um dos maiores símbolos do Digimon Adventure. Estou revoltado e detesto a ilha arquivo mesmo. E quem achar ruim vá pra PQP! - disse Barbamon incorporando a mente do escritor.



A pedra sagrada não suportou tanto poder concentrado e explodiu minutos depois. Uma energia, que se mantinha concentrada, foi liberada com tanta força que chegava a soltar raios. Um tornado se formou no lugar da pedra formando uma forte ventania.

– Vamos sair todos daqui! - disse o Gennai.

Os escolhidos se afastaram para uma distância mais segura. A partir de agora não importava o que fizesse, o tempo começou a se distorcer e aos poucos retornava como era antes. A preocupação maior de Gennai claro era para a última pedra. Seria um desastre irreparável se ela fosse destruída. O homem sabia um jeito de deter Barbamon com mais eficiência, contudo era algo extremamente arriscado.

Depois da destruição da pedra os vilões foram embora.

Enquanto isso a catástrofe anunciada. Todos os monitores começaram a bloquear todos os portais para o mundo real e vice-versa. Antes do primeiro grande inimigo ser destruído, Apocalymon, o mundo digital era completamente diferente do humano. O tempo era a maior diferença, pois não se podia trafegar entre os dois mundos com tanta facilidade. As pedras, criadas pelos guardiões, serviam para equilibrar os mundos e deu bastante certo, pois coibiu a formação de outros Mestres das Trevas que provavelmente poderiam assolar novamente os digimons. B. Wagreymon até tentou, mas é Barbamon que está conseguindo com êxito a destruição das pedras.

– Droga, merda, caralho! - disse Ruan indignado.

– Calma garoto não precisa se alterar. O digimundo agora mais do que nunca precisa de todos os escolhidos unidos para proteger a pedra celestial.

– Gennai será que há algum perigo dele invadir o céu? - disse Paulo mais preocupado com a integridade da sua irmã. Ele já sabia que o pedido de ajuda dela era uma farsa.

– Perigo sempre existe. Só que eu tenho as minhas dúvidas de que ele conseguirá entrar nos domínios sagrados, porque primeiro nenhum ser que manipule as trevas conseguirá entrar e segundo que ele não tem nenhum portal para poder passar, a não ser que... - Gennai parou de falar .

– A não ser o quê? - perguntou Beelzebumon.

– A não ser que ele faça uma ponte interdimensional. Eu vou explicar de uma maneira simples, um digimon sozinho não conseguirá passar pelo portal, porém se ele juntar muitos num só lugar e se esse lugar for levado até os confins do mundo então poderá ultrapassar as dimensões e invadir a zona celestial. Uma hipótese quase absurda, porque tem que ser algo do tamanho de uma cidade.

Gennai olhou em seu relógio de pulso e viu marcar 17 digi-horas. Agora chegou o momento da revelação. O susto será grande.

– Meninos eu tenho algo a revelar pra vocês. Preciso que estejam preparados para isso porque é algo muito importante.

– O que foi agora Gennai? Não me diga que é mais uma coisa ruim - disse Paulo.

– Pelo contrário. É melhor vocês verem com seus próprios olhos do que eu falar.

Linx se aproximou deles. Paulo foi o primeiro a notar a presença dela. Em resumo o garoto quase cai pra trás quando a viu. Não só ele, mas todos ficaram perplexos e se perguntando como uma morta poderia voltar.

...

ILHA ARQUIVO

– Calminha aí meu bebês, calma! Ai ai hoje vocês estão muito danados - dizia Elecmon tentando acalmar os digimons bebês que ele cuidava.

A Cidade do Princípio ultimamente recebeu um número considerável de digimons que morreram e retornaram em forma de ovo. Elecmon ficou sobrecarregado com tanto trabalho que acabou pedindo ajuda a Leomon para que alimentasse os bebês ou fosse até a floresta pegar alimentos.

Leomon saiu debaixo d'água com um peixe em sua boca e cuspiu na margem juntamente com vários outros que ele havia caçado. Depois saiu do rio e foi juntar na rede o montante de peixes. No instante em que levava a rede ele sentiu algo estranho. Um forte vento soprou do oeste, sentiu vontade de ver o que era.

– Tome os peixes - entregou a Elecmon. - Fique aqui eu verei o que é isso.

Leomon saiu correndo pela floresta até chegar a praia. Todos os digimons que viviam na ilha ficaram assustados com o tempo no digimundo. Depois que a pedra do oceano fora destruída uma tempestade de raios tomou conta. O momento não era fácil ainda agora que os inimigos resolveram invadir a ilha.

Leomon observou muitos digimons na praia. O grupo era liderado por Barbamon que não perdeu tempo para invadir Arquivo. Neovandemon e Lilithmon o acompanhavam além dos outros.

O guerreiro não podia contra todos eles, por isso voltou para a floresta para chamar seus parceiros a fim de batalhar.

– O cume pertence senhores. Vamos ao cume do monte - disse o velho alisando a barba enquanto observava a montanha central.

...

Linx explicou o motivo de ter fingido morrer. Paulo ficou decepcionado com ela, porque sofreu bastante com a sua suposta morte. A mulher compreendeu o choque inicial que eles tiveram.

– Me perdoem, é sério. Eu tive que fazer isso senão nós hoje não saberíamos o que Barbamon tramava. Vocês sabem porque eu o espionei até agora.

– Acha que é assim fácil? Tenho que pensar - disse Paulo.

Beelzebumon observava Linx com certo receio. De certa forma ela sabia o seu segredo como ninguém.

– Quando nós formos para a Zona do Céu eu juro que explico tudo e como aconteceu - disse ela.

– Eu espero que sim - disse Ruan - Gennai como vamos para lá?

– Deixe comigo caro Ruan.

Enquanto isso Lúcia mantinha seus amigos em casa no seu adorável chá. O jardim da casa era todo feito com doces. Um chafariz de chocolate ficava bem no centro. As cadeiras, bancos e mesas eram feitos de nuvem.

Gokuwmon ficou em pé sobre o telhado da casa. Ele olhava a vista panorâmica da ilha 3 e toda sua extensão. Era realmente um lugar bonito e a maior nuvem das quatro. Atrás da mansão estava um vasto campo de girassóis e bem no meio um grande templo onde abrigava a pedra sagrada. Os soldados andavam de um lado para outro sempre atentos a qualquer invasão. Nem mesmo os digiescolhidos poderíam passar ali.

A ilha mais próxima era a Ilha das Artes. Havia um grande ginásio onde aconteciam eventos importantes. Claro que esta ilha ficava mais embaixo. A mais distante era a ilha-portal onde ficava uma estação de trem que servia de portal Zona do Céu-Digimundo. Só quem tinha permissão fazia esse percurso.

– Gokuwmon vem cá - disse Freddy. O digimon deu um pulo.

– O que foi?

– Nossos amigos estão prestes a chegar. Vem nós vamos até o portal esperar por eles.

Os seis digiescolhidos que ali estavam subiram numa nuvem que servia de transporte. A nuvem os levou o mais rápido possível. Freddy pôde ver a paisagem da ilha de Lúcia com muito mais detalhes. Havia muitas casinhas em forma de doces e frutas e um magnífico rio feito de leite! Passaram pelas pirâmides de biscoito e a floresta de sorvetes. A vontade de todos era parar ali para saborearem as delícias, mas o dever os chamava. A próxima ilha abrigava o acervo de artes plásticas além de um ginásio em forma de bolo de chocolate e uma biblioteca em forma de um livro aberto. Na ilha residencial existia apenas casas simples organizadas em quadras e organizadas em bairros. Era como uma pequena cidade do interior. Na última ilha, a menor, era feita de uma nuvem colorida. Várias nuvens transportavam os habitantes em especial aqueles que não tinham asas. Uma passarela em forma de arco-íris também ligava as quatro ilhas.

– Chegamos - disse Lúcia estacionando a nuvem ao lado da estação. A entrada tinha um formato de diamante. Eles entraram.

Ficaram esperando a vinda do Trailmon. Uma luz surgiu do túnel, era a locomotiva. O trailmon parou e dele saíram os dois últimos digiescolhidos. Paulo abraçou a sua irmã enquanto Ruan ia até os outros.

– Mamãe vai ficar louca quando souber que mentimos para ela - Lúcia.

– Cara eu já tava de castigo mesmo. Valeu por ter me livrado daquela fria maninha - ele olhou para o mais recente digiescolhido - E aí Freddy como vai cara?

– Paulo. Eu tô bem, pelo menos é o que eu acho.

– O que foi amigo? Por que está assim?

– É que ele está pensando que vai se separar de mim. Acho uma bobagem - disse Gokuwmon.

– É mesmo cara. Pensar em coisas ruins não faz bem.

– Tem razão Paulo. Agora eu vou me concentrar em coisas boas.

– AHH! UM FANTASMA! - gritou Rose assustando a todos.

– Onde? - perguntou Ruan.

– Ali! - apontou para Linx. Os outros ficaram assustados.

– Ora sua... um susto por nada. Ela não morreu e pronto foi tudo mentira - disse Ruan com raiva da colega.

– Não temos muito tempo. Quando chegarmos na casa da Lúcia eu explicarei tudo. Agora vamos - disse Linx.

Jin ficou observando Beelzebumon. Este continuava a voar. O japonês queria muito tirar uma dúvida angustiante sobre o parceiro de Paulo, mas para isso queria ter uma prova das suas suspeitas.

...

Barbamon derrubou várias árvores para abrir caminho até a base da montanha. No entanto viu alguns digimons resistirem a invasão. Estavam lá Leomon, Andromon, Elecmon, Seadramon, Centarumon e Meramon para protegerem a região.

– Nós não vamos deixá-los passar - disse Leomon.

– Veremos se... - NeoVandemon foi interrompido pelo seu mestre.

– Não. Deixa eu me aquecer um pouco - disse Barbamon.

Leomon correu rapidamente na direção do vilão e deu-lhe um soco bem na cara. Barbamon sorriu, Leomon se afastou, puxou a sua espada e o atacou. O velho segurou a lâmina apenas com uma mão. Fez um pouco de força até quebrar a arma ao meio e soltar um raio da sua outra mão acertando o guerreiro. Leomon caiu contra uma árvore.

Meramon soltou uma bola de fogo, mas foi destruída pelo feiticeiro. Elecmon soltou sua eletricidade juntamente com o poder de Centarumon, nada surtia efeito no inimigo. Seadramon soltou um raio congelante, mas foi barrado apenas com o olhar.

– Esta luta é tediosa demais. Ah entendi vocês ainda estão na fase adulta. É uma pena, pois não conseguirão me deter. Já sei vou me transformar num Bakemon só para igualar a batalha.

O bruxo brilhou e diminuiu de tamanho até ficar um simples Bakemon. Leomon se levantou e retornou a batalha. NeoVandemon sorria ao ver a luta, talvez pensando que acabaria com eles num minuto.

Elecmon soltou seus raios, Bakemon desviava facilmente até desaparecer. O protetor da cidade do princípio ficou perdido sem saber para onde o oponente teria ido. Logo sentiu que estava flutuando.

– O que está havendo?

Em seguida caiu sobre Seadramon. Os dois desmaiaram com a forte pancada. Bakemon ficou entre os três últimos oponentes. Centarumon foi pra cima, mas um lençol branco o cobriu por inteiro para depois o paralisar. Meramon soltou uma rajada, porém Bakemon abriu a sua bocarra cheia de dentes e engoliu o golpe o repelindo em seguida. Meramon foi atingido caindo contra a encosta da montanha e sendo soterrado por terra.

– Punho do Rei das Feras!

– Leomon soltou seu poder que atingiu certeiro Bakemon. Este desapareceu, um lençol branco cobriu o leão, mas nada aconteceu. Ele retirou o pano sobre si e viu Elecmon na sua frente.

– Leomon cuidado. A sua esquerda!

Leomon foi olhar para esquerda, mas foi atingido por uma pedra na parte direita do seu rosto. O guerreiro caiu desmaiado e o falso Elecmon voltou a ser Barbamon.

– Tão fácil como tirar doce de um digimon bebê.

Agora sim podia ir livremente até o topo da montanha. Foram apenas ele, NeoVandemon e Lilithmon.

...

Beelzebumon colocou os pés no chão. Nesse exato momento ele brilhou e regrediu para Impmon para a surpresa dele e de Paulo.

– O que houve comigo? - disse se tocando.

– Você na forma extrema é um digimon manipulador de trevas. Nenhum digimon que manipule as trevas consegue entrar na zona celeste, por isso que os habitantes daqui estão tranquilos pelo fato do Barbamon não poder pisar aqui.

– Isso é injusto! Assim eu viro um fraco!

– Calma parceiro ainda assim você é forte - disse Paulo. Linx ficou observando.

Jin foi o último a entrar, pois aproveitou a ausência dos colegas para pegar uma pena negra que Beelzebumon havia soltado enquanto voava. Guardou na mochila.

– Jin vamos. O Gennai tá chamando.

– Já vai Mush.

Agora que todos estavam dentro e quietos Linx teria que se explicar aos jovens como conseguiu escapar da explosão no esconderijo.

– Bom em primeiro lugar eu quero pedir desculpas a todos por causa desse mal entendido. Em segundo lugar o que eu tenho para dizer faz parte de uma operação secreta a fim de resguardar o digimundo e seus cidadãos e terceiro a ideia de tudo quem deu foi o Gennai - todos fuzilaram o homem com o olhar.

– Hehe continue - disse Gennai.

– O plano era de se fingir de morta para dar espaço nos planos de Barbamon. Há tempos nós desconfiávamos que ele era o chefão da Elite Negra mesmo antes da soltura do Astamon. Não podíamos fazer muita coisa, pois o Barbamon logo poderia perceber que estava sendo espionado. Para isso Gennai e o Conselho foram unânimes ao aprovar um plano de me fingir de morta para poder espioná-lo sem que levantasse suspeitas. Aproveitamos um plano que o Astamon teve quando soubemos que ele próprio armara uma emboscada contra vocês. Lembram-se?

– Eu me lemb...

– Não responda, eu ainda não terminei - Rose quase explodiu de raiva por ser interrompida. - Vocês se lembram que eu baixei alguns programas essenciais para os seus digivices caso precisassem de alguma ajuda futura? Pois bem. Existe também um software que permite criar uma réplica da pessoa. Eu estava com meu aparelho no pulso quando acionei o programa duplicata e me dividi. A minha cópia entrou e eu tive que sair de lá antes que alguém me visse. Na verdade quem foi destruída foi minha cópia.

– É faz sentido. Eu já ouvi falar desse programa - disse Jin.

– Então aproveitando da situação eu observei de perto as ações de Barbamon. Toda informação relevante eu mandei para o Gennai ou senão ninguém saberia quando e onde ele atacaria. Foi esse o meu papel. Sinto muito por vocês.

– Ainda estou tentando raciocinar, mas Jin tem razão. Faz sentido - disse Paulo.

– Bem já que ficou tudo esclarecido eu preciso que todos estejam prontos caso haja alguma coisa. Por favor digivolvam seus parceiros até a forma alternativa perfeita - falou Gennai.

– Droga vou ficar nanico nessa luta - resmungou Impmon.

Os que iriam evoluir saíram de casa.

ALTERNATIVE EVOLUTION

– Betamon digievolui para... Dolphmon.

– Dolphmon super digievolui para... Divermon!

.

– Mushroomon digievolui para... Ninjamon.

– Ninjamon super digievolui para... Karatenmon!

.

– Hagurumon digievolui para... Mekanorimon.

– Mekanorimon super digievolui para... Megadramon.

.

– Palmon digievolui para... Sunflowmon.

– Sunflowmon super digievolui para... Lilamon!

.

– Agumon digievolui para... Geogreymon!

SlashAngemon recebeu ordem para ficar perto do templo em que estava a pedra enquanto os dois guardas se encontravam em frente.

– Freddy e Gokuwmon vão para perto da pedra e a protejam contra a invasão.

– Gennai. Gennai!

– Mia o que?

– Que invasão?

– A invasão que Linx disse que Barbamon fará. Já tá quase na hora preparem-se. Lúcia e Paulo fiquem aqui, Ruan e Rose vão para a ilha das artes, Mia, Aiko vão para a ilha residencial e Jin vai para a estação Trailmon. Quero que me prometam que não farão nenhum ato de heroismo.

Todos concordaram e foram aos seus postos.

– Ei Lucas. Lucas!

– O que foi Paulo?

– Vai nos ajudar na batalha não é?

– Vou ajudar da melhor forma possível.

– Não falo disso - disse segurando o braço do loiro - você é um digimon e tem a obrigação de se transformar na sua verdadeira identidade caso a Lúcia esteja passando por perigo.

– Ah Paulo a gente já falou sobre isso - disse coçando a cabeça - eu tenho meus motivos de não me transformar.

– Que motivos hein? Que motivo é mais importante do que salvar a vida da sua parceira?

– Deixa ele Paulo. Conversamos sobre isso. Ele não quer ser digimon e eu que sou a parceira dele o respeito. Vamos, pare de incomodá-lo.

Impmon andava cabisbaixo porque não poderia voltar a ser Beelzebumon nessa luta. Tanto tempo fora do digimundo para depois isso acontecer.

– Aff ficar assim é mais trabalhoso do que ser pai.

– Que disse Impmon?

– N-Nada não Paulo heh - disse desconfiado.

– Então venha, entre.

Gennai e Linx ficaram observando o horizonte sobre uma torre parecida como um farol todo branco.

– Tem certeza que ele vai chegar daquele jeito que você disse? Sei não, tenho minhas dúvidas.

– Não duvide. A minha certeza é absoluta - disse Linx.

...

ILHA ARQUIVO, 18:00

Milhares de engrenagens negras flutuavam em volta da montanha central. Os objetos circulavam na forma de espiral fazendo um show visual para quem visse de qualquer lugar. Barbamon emanou uma aura escura. NeoVandemon e Lilithmon o viram bastante concentrado como nunca antes. Os olhos do feiticeiro começaram a ficar totalmente vermelhos e até sair fogo. Este se virou até a beirada da montanha - ela tinha pelo menos uns dois mil metros de altitude - começou a flutuar ainda mais alto. Agora ele iniciou um ritual para manipular toda a ilha.

Leomon se acordou ao sentir a terra tremer como se fosse um terremoto poderoso.

– O que está acontecendo? - se perguntou espantado com tal evento.

A Ilha Arquivo inteira começou a tremer, o oceano ficou mais agitado ainda. Aos poucos a gigantesca massa de terra foi arrancada da sua base, literalmente. Barbamon manipulava a ilha toda e fazendo com que esta lhe servisse de transporte. Os digimons que ficaram na praia foram todos mortos instantaneamente enquanto os que estavam dentro da ilha se salvaram para presenciar esse espetáculo.

– Ai caramba, eu não acredito nisso - dizia Elecmon sob os bebês e com a Cidade do Princípio toda desorganizada.

A cidade de Andromon foi destruída pelo forte abalo. Enfim foi uma catástrofe, porque a ilha estava sobre o oceano Net. Um imenso buraco ficou no lugar sendo preenchido por água e diminuindo o nível do mar.

Las Merinas

Uma sombra gigantesca cobriu a cidade. A Ilha Arquivo sobrevoava a cidade com muita facilidade. Os moradores correram para suas casas com medo.

– Senhor Digitamamon!

– Que foi Vegiemon?

– Olha.

Digitamamon desmaiou ao ver a ilha sobrevoar sobre sua cabeça.

Nova Digicity

Os sobreviventes da batalha anterior se espantaram com a imensidão do objeto sobre suas cabeças. O grande objeto se movia muito rápido.

A ilha teve que passar pelo deserto. Mummymon achou muito estranho o fato daquilo estar voando. O curioso era que era possível ver a antiga base do Imperador Digimon quase intacta e coberta por areia depois de quinze anos.

Babamon e Jijimon também viram de longe a ilha flutuar.

Arquivo foi levada até o fim do digimundo para poder entrar na zona celestial.

– Lá vem ele - disse Linx.

– Impossível! - um buraco negro no horizonte foi formado e dele saiu a ilha por completa.

Os habitantes da ilha residencial abandonaram as suas casas. Milhares de digimons aterrorizados iniciaram um êxodo para as outras partes. Mia, Aiko e Dynasmon ficaram com o queixo no chão.

Barbamon sorria maleficamente.

– O que eu tenho de melhor na minha vida sou eu mesmo. EU SOU O MÁXIMO.

Continua...



Notas finais do capítulo

Ufa me libertei!

Enfim vamos ao que interessa. Eu resolvi lembrar da base do Imperador Digimon e das engrenagens pra mostrar aos leitores de que as minhas fanfics são continuações do Adventure.

Digimon Adventure - Digimon Zero Two - Digimon Adventure 3.0: Luz vs Trevas - Digimon Adventure IV: D.N.A.

Futuramente quando eu terminar esta saga eu farei os chamados capítulos interativos. Vai ser daora, pois os leitores vão decidir algumas cenas. Eu ainda estou me programando pra isso.

Quero fazer propagandas minhas. Quem gosta de Games? E games de lutas? The King of Fighter é um dos melhores, por isso tô fazendo uma fic chamada "KOF". Tem gente que tá gostando. Vai lá no meu perfil. Obrigado e boa leitura a vocês pupilos.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "D.N.A Advance: Nova Ordem do Século" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.