D.N.A Advance: Nova Ordem do Século escrita por Sensei Oji Mestre Nyah Fanfic


Capítulo 114
Code Crown


Notas iniciais do capítulo

Yai galera, saudades de comentar qualquer coisa aqui nas notas. Fiquei mudinho da silva porque notas dão trabalho... Mas só passei aqui mesmo que é isso mesmo que viram no título CODE CROWN. Mas a pegada será um pouco diferente da do xros wars, então não espere ser 100% igual.



 

— Jin, o que vou te contar vai mudar a sua vida a partir de então. Senta aí porque o negócio é sério.

Jin achou estranho seu amigo dar uma série de advertências acerca do assunto que estava para ser tratado. Ele sentou numa cadeira em frente ao amigo americano. Este segurou o cubo sobre as pernas.

— Isto se chama Code Crown. É um artefato antigo parecido com um chip que dá grandes poderes a quem utilizar.

— Parece um chip com essa aparência jurássica...

— Oh não, não se deixe levar pelas aparências. Os Code Crowns foram selados em cubos de pedra para evitar a sua influência e dificultar sua localização. Tal como as relíquias e os brasões, eles podem ser achados por detecção. Quem dominar todos, poderá dominar o digimundo, e por isso eu estou incubido a proteger este. 

Desde quando deixei o Digimundo, a minha vida mudou. Ocorreu um milagre. Dias após eu ter voltado, e sem Gokuwmon, fui notificado por email que teria uma nova chance se eu aceitasse. Pensei em ser apenas uma piada, mas acabei aceitando. Fui puxado para uma dimensão completamente diferente parecida com um jardim do Éden ou algo assim. Um homem chamado Oikawa me propôs um desafio, e nesse lugar vi o espírito de Gokuwmon vagando sem que me conhecesse.

— Sinistro.

— Pois é. Ele me disse que Gokuwmon podia ser revivido numa digitama, caso eu cumprisse uma tarefa simples: dominar uma técnica extrema chamada chikara — Freddy resumiu o que era o chikara. — Além disso, tinha que atravessar um caminho de bolhas dificílimo. Quase morri nesse treinamento, mas passei e no dia seguinte acordei no digimundo com uma digitama ao meu lado e uma carta de uma agência secreta chamada SPD.

— SPD? O que uma agência tem a ver com os digimons?

— Ganhei um novo digivice, este — ele mostrou o aparelho parecido com um legacy no seu pulso. — Acredito ser igual o seu. E aí vim para o digimundo onde fiquei num povoado com nômades. Conheci meu mentor e presidente da Secret Pol Department chamado pelo alcunha de Mercenário. Com ele, eu soube da história dos Code Crowns e da Nova Ordem do Século.

Jin fez uma careta acerca da última notícia, porque pareceu a ele que tudo envolvendo "Digimundo e digimons" era de uma grande seriedade.  No começo da jornada, tudo era simples.

— Ele me contou também que, na Terra, há um grupo seleto de pessoas loucas para dominar os dois mundos. Eles se chamam de Nova Ordem do Século, e controlam muitos fatos que aconteceram nos planetas. A Secret Pol foi criada para impedir que eles consigam o que quer. Muitos os chamam de Illuminatis, Reptilianos, Alquimistas Maçônicos, mas o nome verdadeiro deles é Nova Ordem do Século.

— E por que estão querendo dominar os mundos, e por que não fizeram ainda?

— Há muito tempo, o Digimundo foi criado pela N.O.S para servir de matriz da dominação mundial da Terra. A SPD impediu isso. Antes havia uma criatura que dominava tudo e todos: Yggdrasil. Um supercomputador criado para se auto-sustentar. Era como no filme Matrix, pois ele reiniciava o servidor constantemente e fazia com que milhares de vidas fossem apagadas. Yggdrasil foi destruído e seus componentes selados nos Code Crowns em cubos de pedra pela nossa agência. Quando isso aconteceu, todos foram espalhados pelo mundo humano e o dos digimons, e não sabemos quantos são. Gokuwmon foi para a antiga cidade de Las Merinas, no deserto, conseguiu pegar este aqui. Infelizmente não sei quantos têm, onde estão e o que tem dentro. Eu sei porque Mercenário me instruiu.

— Cara, estamos enfrentando os governadores. Agora vem esses caras novos... Na moral, não sei quem é pior: Matsunaga ou eles.

— Matsunaga fazia parte deles — Jin levou um susto. — Esse cientista era um dos anciões que regem o mundo, mas desertou e decidiu por si só fazer suas coisas. Não vou entrar em detalhes porque nunca me encontrei com ele.

— Esse velho deu tanto trabalho na minha terra. Ele morava na minha cidade.

— Jin, pense aí. Qual foi o inimigo mais forte que você enfrentou?

— Fácil. Governador Djinn dos ventos.

— Pra mim foi o Barbamon. Agora pense numa pessoa ou digimon com dez vezes mais poder. Agora imagine cem vezes. Os caras da Nova Ordem não brincam. Ainda não temos força suficiente para detê-los, apenas atrasá-los até que haja uma maneira de derrotá-los. O chikara é o primeiro passo.

— Esse chikara... Eu acho que presenciei alguém com isso. Beelzebumon não tava dando conta do Lampmon, mas num curto espaço de tempo ele deu um chá de surra nele.

— Uma hora no Digimundo é um ano no Elísio. Ele teve tempo suficiente para se aprimorar — Freddy se levantou, colocou o cubo de pedra dentro do cesto e foi até o amigo. — Agora, Jin, não quero que você diga algo para os nossos amigos; pelo menos não agora, porque precisamos derrotar esses governadores. Quanto mais inimigos para atrapalhar, menos temos tempo de atacar o verdadeiro inimigo.

Jin aceitou guardar segredo por um tempo, Freddy avisou que em breve contaria. Tudo era questão de tempo. 

O japonês viu o cartão da relíquia de Freddy encaixado no legacy e deduziu que o loiro havia encontrado. Este assentiu e revelou que detectou uma relíquia na ilha Sand, que provavelmente era de Jin. O jovem ficou apreensivo, pois poderia ser a sua.

— Detectei uma relíquia um pouco distante, mas fica num templo desta ilha. Ao dia, aqui fica muito perigoso e sempre é vigiado pelos Skulls — capangas de Akenathon. Temos a noite e agora já passa das nove. Aceita ir comigo agora, atrás dessa relíquia?

— Aceito, mano. Preciso fazer Mush virar Pinocchimon e ficar forte, porque creio que as coisas vão começar a ficar perigosas.

— E põe "perigosas" nisso.

Freddy detectou um sinal de uma relíquia no templo de Karnak, nas ruínas Faraônicas. O local era esquecido pelo governador, mas outra força estava de olho — a Aranha.

...

A Arca de Prata praticamente destruiu a mina por dentro, o objeto estava voando a todo o vapor. O cartão com a relíquia da espada estava sendo usado como motor para o objeto ir embora.

Enquanto isso, Queenye se viu entre a cruz e a espada quando foi golpeada por Rosemon facilmente. A parceira de Rose, que acabara de se transformar, ativou automaticamente o chikara sem muito esforço. Qualquer ataque que a vilã tente, não daria efeito.

Queenye retirou duas espadas da sua cintura e retornou à batalha pronta para o próximo round. A governadora jamais se deixaria abater por sua rival, era orgulhosa demais para isso. Fez posição de luta e correu até a outra. As duas lâminas eram utilizadas como armas, e as lâminas na cintura também. Ora Queenye movia os braços, ora rodava a cintura na tentativa de cortar a rival. Rosemon utilizou seu chicote para se defender desses ataques, o chicote era forte demais, por isso não cortava em contato com as lâminas.

A parceira de Rose estava para golpear a inimiga com seu chicote de espinho quando uma peça de xadrez surgiu na frente da governadora, defendendo-a.

— Como assim? Como isso surgiu do nada?

— Controlo as peças de xadrez. Não faria sentido se eu não usasse o meu poder.

A arca de prata passou do buraco e começava a quebrar o teto da mina. Mercuremon aproveitou para pular no convés a fim de ajudar a sua mestra. Rose viu que o digimon espelho acabava de chegar e alertou para a sua parceira. Rosemon estava cercada por peças de xadrez gigantes com armas na mão. 

— Chegou o momento — Queenye usou suas espadas para destruir o cubo de pedra e retirar o code crown de dentro. O cartão era preto, menor que uma relíquia, e havia um desenho de uma lança nele. A governadora segurou na mão e fechou. Um forte brilho fez com que materializasse uma arma lendária, A Lança de Dukemon. 

— Mestra, esplêndido. Agora a senhora está mais forte do que nunca...

— Cala a boca, inútil — ela apontou a lança para ele e soltou um poderoso raio que o desintegrou na hora e destruiu as paredes da mina.

Enquanto isso, os anões retiraram o cartão do encaixe na tentativa de parar a arca, mas nada aconteceu. A verdade era que a lança estava emanando tanta energia que a relíquia se tornou inútil. 

Rosemon mal podia imaginar que aquela arma poderia deixar sua rival mais forte do que o normal. Com certeza seu poder de luta dobrou ou triplicou. 

Rose foi se encontrar com os anões, pegou o cartão e foi para a murada. Viu que a arca estava bem em cima de onde acontecia a luta de Aiko e os outros. Ela se comunicou com o amigo e avisou que havia encontrado uma relíquia, que preovavelmente era dele. A moça ativou a função warp do legacy e enviou o objeto para ele.

Breakdramon ria da situação. Estava vencendo todos os seus oponentes, e sequer recebera um arranhão. Mas era praticamente impossível vencer um nível mega com npd 1 milhão sem nenhuma evolução. Os escravos foram tods derrotados, além de Aiko e seu parceiro. O cartão que Rose enviou foi a calhar.

— Já cansei dessa luta com vocês. Agora está na hora de destruí-los com o meu canhão.

— Não, agira que consegui isto. Geogreymon, consegue ficar de pé?

— Claro que sim. Ainda tenho um pouco de força.

— Pois agora você vai transbordar energia. Esta relíquia é a nossa. Vamos lá — ele encaixou o cartão.

— Geogreymon superdigievolui para... RizeGreymon.

RizeGreymon apareceu diante de todos, imponente e maior que a sua forma anterior. 

Ambos os gigantes ficaram se encarando durante um tempo. Breakdramon abriu a boca e soltou uma poderosa rajada de energia, RizeGreymon usou seu canhão no braço esquerdo e também soltou seu poder. As duas energias colidiram entre si, causando um forte impacto que estremeceu o chão. Aiko e os outros se esconderam o mais rápido possível.

— Vamos lá, Rize. Depois de tanto tempo sem uma super digievolução, agora é o momento de brilhar.

Breakdramon não aguentou a pressão e foi atingido pelo poder de Rize. O coordenador foi destruído assim que atingido, seu corpo foi completamente despedaçado. Os escravos gritaram de alegria e Aiko ficou satisfeito. Rize voltou imediatamente a ser Agumon.

— Como eu fui?

— Muito bem. Agora está mais forte do que nunca.

Eles perceberam uma poderosa força vindo da arca. Uma explosão de proporções colossais aconteceu um pouco longe, perto das montanhas. Aiko ficou assombrado.

Queenye ria descontroladamente. Segundos antes, ela ativou o canhão da arca qie ficava na proa. A arma disparou um raio que explodiu assim que atingiu uma montanha.Metade dela foi desintegrada, provando que o objeto tinha um poder de fogo de 8 milhões de npd. A governadora ficou segurando a lança até soltar a força contra os anões. Rosemon correu e abraçou todos eles. Os oito caíram do objeto e foram parar onde Aiko estava.

— O que está acontecendo? — perguntou Aiko.

— Queenye ficou praticamente invencível. Vai ser dureza tirar aquela arma dela.

— Espele... Vou com você. Cleio que se eu salvar a Lose, podelá pegar a arma de Queenye — disse King.

— Esperem um pouco — interviu Aiko. — Aquela arca também é o xodó da governadora. E se um de vocês destruírem os circuitos dela?

— Ótima ideia.Vamos, minha parceira não vai ter muito tempo.

Rosemon e KingChessmon voaram na direção da arca. O objeto estava viajando ainda mais rápido do que o costume, e já estava deixando La Plata.

Rose correu para dentro da arca enquanto era perseguida pela governadora.

— Ohohoho. Ironia a nível extremo aqui, não é. Só estamos nós, sozinhas, as rivais. Hein, Rose? — ela soltou um raio e quebrou as paredes. — Esse poder sem igual, essa força... Sinto-me mais viva, mais enérgica, mais poderosa. O meu corpo, minha carne, tudo em mim está transbordando poder. A lança Gungnir faz realmente milagres.

Rose permaneceu correndo nos corredores internos da arca. Viu uma escada que dava para o convés, viu uma explosão atrás de si e subiu. A garota estava na popa da arca. 

— HAAA! — a vilã explodiu a parede e viu a garota na sua frente. — Fim da linha, queridinha.

A arca passou do limite de La Plata e já estava em alto mar. Dois seres completamente desconhecidos, que estavam sobre uma espécie de prancha voadora, apareceram e viram o grande objeto sair do reino.

— Isso não é algo que se vê todos os dias. La Plata sendo derrotada pelos digiescolhidos — disse uma criatura parecida com um um homem bem gordo, vestido com uma saia verde e sem camisa, e um cocar de folhas na cabeça lembrando um girassol. Ele tinha uma máscara cobrindo o rosto com a metade preta e branca. Havia uma pequena tatuagem da Aranha no braço esquerdo.

NOME: TROJAMON HUBBARD;

FUNÇÃO: CABO;

ORGANIZAÇÃO: 14° DIVISÃO DO EXÉRCITO NEGRO;

NPD: 1.010.000.

— Hum, o que é aquilo? Algum tipo de barco voador? — este aqui era completamente magro, quase esquelético, com uma roupa preta. Seu rosto era igual de um Devimon, mas com apenas um olho e dentes afiados.

NOME: TROJAMON VINCOVCI;

FUNÇÃO: CABO;

ORGANIZAÇÃO: 14° DIVISÃO DO EXÉRCITO NEGRO;

NPD: 1.090.000

Os dois estavam acompanhados de mais uma figura. Era como um homem sapo. Tinha uma cara de sapo, era gordo, com uma armadura de chumbo e aço. Ele percebeu a arca se distanciando no mar.

NOME: TROJAMON FROGGY;

FUNÇÃO: SARGENTO;

ORGANIZAÇÃO: SUB-LÍDER DA 14° DIVISÃO DO EXÉRCITO NEGRO;

NPD: 2.150.000

— Cabo Hubbard, cabo Vincovci, o code crown está demtro daquele navio. Vamos agora!

— Sim, sargento.

Os três foram voando com as pranchas tecnológicas. 

...

A luta de HiAndromon e Locky continuou com alto nível. Os dois trocavam socos e chutes, com uma certa vantagem para o governador. O parceiro de Ruan já estava se cansando, um pouco ofegante, mas o governador sequer demonstrou cansaço. Como nessa forma ele não tinha rosto, Locky não demonstrava emoções; apenas suas ações davam alguma pista. 

Locky ficou em volta de um campo de energia e logo soltou o campo na direção de HiAndromon. Este foi pego e preso imediatamente pelo poder que se transformou num tipo de prendedor, que havia segurado os braços do androide. Este caiu no chão com o governador perto dele.

— Poderia destruí-lo agora, mas o meu campo de força vai espremê-lo até virar sucata.

— Aonde... vai...

Ele não respondeu essa pergunta e seguiu caminhando pela cidade.

Enquanto isso, Beelzebumon fugia das garotas do prostíbulo que havia salvo sua vida na luta anterior. O homem ficou correndo pela cidade enquanto um enxame delas ia atrás dele. Nesse ponto ele estava cheio de marcas de batom.

— Volta aqui, meu amor. Eu quero me casar com você — disse Lotusmon.

— Nem vem, enxerida. Ele é meu — retrucou Angewomon.

— Nem pensem nisso ou eu mato todas. Ele veste preto e eu também. Combinamos — falou LadyDevimon.

E não era só as três, dezenas logo atrás corriam.

— Nem a pau vou namorar com vocês, putas. Tenho mais o que fazer na minha vida, sou um herói shounnen, e heróis shounnen vivem de ação, não de romance mela cueca — respondeu ele.

Beelzebumon virou a esquina e desapareceu das vistas de todas. Venusmon, que estava dentro de uma casa, havia ajudado. Lúcia abraçou o pai e Lucas apareceu.

— Bom, o que eu disse mesmo? Oh, não me lembro — disse ele flertando com Venusmon.

Ruan e Paulo se encontraram com Grapp e os outros na ajuda com Marsmon. O rei estava sendo levado pelos aliados e soldados revolucionários, pois ficou desacordado depois de derrotar Bacchusmon. Levaram-no para a igreja da cidade, local um pouco afastado do conflito.

Paulo havia pedido a Volcamon para que chamasse seu pai no castelo, e ele foi prontamente com alguns homens.

— Espero que todos estejam bem — disse Paulo.

— E eu quero que HiAndromon fique bem. Estou preocupado.

Mapeando região

Localização de Marsmon... 75%

Locky caminhou entre os soldados e revolucionários no meio do campo de batalha. Sua missão agora era achar o rei e destruí-lo com as próprias mãos. Fez sua espada surgir e saiu afastando qualquer um que se metesse no seu caminho.

— Governador?

— Volcamon.

Volcamon deu de cara com Locky e saiu correndo. O vilão dilacerou alguns aliados que estavam com seu ex-subordinado e o alcançou rapidamente. Pegou Volcamon pelo pescoço e o encostou no muro de uma casa.

— Estou localizando Marsmon. Onde ele está?

— Nunca vou dizer... Nunca! Ele é o meu verdadeiro mestre. Servi apenas como espião para você — abriu a boca e soltou fogo.

— Não vai funcionar comigo — apertou o pescoço do outro. — Onde ele está?

Localização Completa...

— Não preciso mais da sua ajuda — ele jogou Volcamon contra a casa que desmoronou. 

Alguns revolucionários viram Locky na rua sozinho. Os homens atiraram imediatamente, até usaram bazucas na tentativa de pará-lo. Governador caminhava tranquilamente enquanto recebia os disparos, pois nenhum o feria. Em segundos ele derrubou todos eles e prosseguiu. Ruan e Paulo viram pela janela a aproximação do vilão e, com a ajuda de Grapp, levaram Marsmon para uma rua atrás da igreja.

HiAndromon fez uma força absurda para se soltar, conseguiu. Foi imediatamente no encalço de Locky.

Arbomon, Grapp Leomon, Minervamon e Panjyamon ficaram no caminho de Locky. Os quatro atacaram o vilão. Ele se defendeu e soltou uma onda eletromagnética que fez com que eles caíssem bem longe. Em seguida, atravessou a igreja e parou do outro lado da rua vendo Marsmon nos cuidados dos dois digiescolhidos.

— Desgraçado! — um homem ficou atirando com uma pistola, mas levou um tapa e morreu na hora.

— Fujam! — outro pegou uma bazuca e atirou, mas Locky chutou a bala e a fez voltar para o homem.

Ruan e Paulo presenciaram Locky na sua frente. Eles estavam com o rei, mesmo não tendo forças para levá-lo pois o homem era muito pesado.

— Chegou o momento de acabar com essa história. Preparem-se!

Ele fez a espada crescer e foi na direção dos três. HiAndromon se meteu na frente deles e recebeu o golpe naquele instante. Ruan ficou chocado ao ver o braço esquerdo de seu parceiro ser arrancado com o golpe da espada.

Continua...



Notas finais do capítulo

Esse final foi o começo de algo grade que estou elaborando para o senhor Ruan Castillo. Esse menino ainda vai fazer treta kkkk

Viram os Trojamons? Originalíssimos... Isso nunca existiu no anime, então...

Gostaram da explicação do Freddy? Ainda muitas coisas vão acontecer.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "D.N.A Advance: Nova Ordem do Século" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.