D.N.A Advance: Nova Ordem do Século escrita por Sensei Oji Mestre Nyah Fanfic


Capítulo 1
Prólogo - A Liberdade de um Psicótico


Notas iniciais do capítulo

Boa tarde meus filhotes que curtem Digimon mais do que tudo. Olha eu aqui novamente postando um novo projeto desse fandom. Depois de três meses de hiato eu finalmente estou estreando a continuação de Luz vs Trevas.

O que me dá mais satisfação nisso tudo é que a minha fanfic anterior fez muito sucesso com incríveis 305 comentários, 5 recomendações, 71 capítulos, 5 sagas de tirar o fôlego, dezenas de personagens, vários vilões e coadjuvantes. Além de tudo isso um final emocionante.
Pois bem eu me empenhei neste enredo para construir essa continuação. Tudo começou num sonho que eu tive ainda quando estava na Saga da Lilithmon. Sonhei sobre um enredo que continuasse aquele. Fiz alguns ajustes e em Maio escrevi o primeiro capítulo. Realmente foi o melhor que pude fazer, tive 4 semanas para ajeitar o cap. e tals. Espero que gostem.


Apesar do tamanho não está cansativo. Enfim eu preciso explicar algumas coisas.


Como aqui é uma continuação o enredo é mais objetivo e possui mais dinamismo. A relação do protagonista com seu parceiro (Beelzebumon) é de pai para filho porque como consta no capítulo 55 da outra ele (Paulo) via a imagem do seu pai no digimon. Não achem esquisito um digimon chamar de filho seu próprio parceiro, é algo que quero explorar muito bem.


Olha só eu to enrolando demais vocês então curtam a leitura.

NOW!



Todos os direitos Reservados a:

Bandai Co. Ltd

Toei Animation

SAGA IV - MENTE NAS TREVAS

ARCO - A LIGA NEGRA

 

Prólogo

 

ZONA DESÉRTICA DO DIGIMUNDO, TRÊS ANOS DEPOIS.

Mina de metal Chrome-digizoid

Havia uma mina geradora de um metal precioso em forma bruta. Este era Chrome-Digizoid, o metal mais resistente e quase indestrutível de todos. A mina coletava cerca de muitas centenas de quilos de metais todos os dias gerando uma renda bruta de cinco milhões de Digizones para os donos. O local era fortemente vigiado por digimons. Esses eram Monochromons, Drimogemons, Devidramons e Musyamon.

Um Gokuwmon andava com o seu bastão e um chapéu de palha estilo chinês pela estrada quando avista os portões do grande complexo das minas. Passavam quase todos instantes caminhões caçamba com vários quilos de metais preciosos. O macaco branco andou até chegar perto do portão, mas foi barrado pelo Musyamon que tomava conta da entrada.

— Quem é você? O que está fazendo aqui?

— Eu sou apenas um forasteiro que veio da região florestal para cá. Achei que poderia encontrar algum lugar para ficar a noite aqui. Então eu não posso?

— Mas é claro que não. Saia daqui imediatamente, este lugar é de propriedade particular e eu não tenho autorização de deixar qualquer um passar.

Enquanto isso uma pessoa encapuzada chegava perto da grande cerca e retirou um notebook da mochila. Abriu e começou a digitar algumas coisas. Depois de poucos minutos ele acabou o que estava fazendo e se retirou do local. Pela estatura era do tamanho de um rapaz humano adolescente. Apenas não dava para ser descoberto visto que usava uma blusa azul marinho com capuz, calça acinzentada e óculos escuros.

Assim que percebeu tudo Gokuwmon se retirou do local deixando Musyamon parado na entrada.

A noite chegou e todos os operários, inclusive o Musyamon, foram embora deixando apenas um Devidramon de guarda. Gokuwmon mais a outra pessoa chegaram próximos do portão.

— E então agora qual é o plano?

—Eu consegui mapear toda a mina. Há uma galeria ao nordeste daqui. Para isso o único jeito é pular esta cerca elétrica enorme. Mas eu dou um jeito nisso — ele pegou o aparelho e começou a digitar até que a eletricidade da cerca acabasse — Pronto agora podemos prosseguir com o nosso plano.

O Digimon segurou o rapaz e escalou a cerca até pular do outro lado. Eles perceberam o quão grandioso era o lugar. Com muitas máquinas, caminhões e tratores que serviam para retirar os entulhos. O rapaz ficou andando pelo local até achar a entrada de uma das cavernas. Eles entraram.

— Você tem certeza que quer fazer isso? — perguntou o Digimon.

— É claro que sim. Somos ladrões ou o que? Até porque esses bandidos da Liga Negra são hipócritas e são podres de ricos. Não tenho coragem de enfrenta-los, mas pelo menos roubá-los eu tenho. Vem logo.

Gokuwmon seguiu o rapaz, porém quando iam entrar na entrada da caverna um Devidramon os surpreendeu.

— Que dragão enorme! — disse o rapaz.

— Cuidado! — o macaco pegou seu parceiro e o retirou antes que o monstro pudesse esmaga-lo com sua cauda — Você está bem?

— Estou. Escuta enquanto você luta contra esse monstro eu retiro o alarme da mina.

— Tudo bem — assentiu.

Gokuwmon pegou o seu bastão e começou a girá-lo rapidamente e avançando contra o dragão. Devidramon ficou soltando fogo pela sua boca, porém o parceiro do garoto misterioso conseguia repelir o ataque.

— Você quer brincar um pouco? Então vamos lá — ele correu até o outro e atirou o objeto que acertou em cheio fazendo o monstro cair. No entanto não foi o suficiente e então Devidramon se levantou e foi pra cima do outro com tudo.

O rapaz pegou o seu aparelho e desligou o alarme de todo o local.

— Pronto agora é só fazer a festa...

— Acabou? Que bom, pois eu não tava aguentando mais segurar esse bicho — o Digimon deu uma sequencia de socos e chutes no dragão e finalmente acertou um golpe com seu bastão na cabeça do bicho que logo caiu desmaiado. — E temos Devidramon ao molho pardo.

Eles entraram na mina. Existia um caminhão caçamba ainda com muitos metais preciosos dentro. Eles apenas entraram no veículo e deram a partida. O macaco branco saiu dirigindo enquanto seu parceiro, no banco do passageiro, o guiava pelo mapa feito no seu computador portátil. Chegaram numa pista ainda dentro do complexo e fugiram por ela. No final da pista havia outro portão ao lado norte. Como havia reprogramado anteriormente o garoto apenas abriu com alguns cliques no aparelho. Assim eles fugiram com um caminhão lotado de tesouro bruto, Metal Chrome-Digizoid.

REUNIÃO DA LIGA NEGRA, LOCAL DESCONHECIDO.

Dentro de um grande depósito de veículos abandonados acontecia uma reunião do grupo dos digimaus que planejavam atrapalhar a paz no digimundo. Após a restauração do mundo digital e depois da sua atualização os escolhidos ficaram encarregados de cuidar de tudo. No entanto sempre tem algo que deseja atrapalhá-los como, por exemplo, a Liga Negra. Um grupo que quer tomar o controle de tudo, mas que ainda não podiam enfrentar as crianças de cara, pois estas eram muito fortes além de terem a proteção dos digimons e de Gennai e sua equipe. Enfim mesmo com esses empecilhos eles sempre se reuniam.

Um SkullMeramon chegava na reunião e era o ultimo a chegar. Controlou o seu calor e sentou-se numa das cadeiras que ali tinha. Eis os membros da liga.

Asuramon;

SkullMeramon;

Vademon;

Myotismon (com cabelos negros ao invés de loiros);

Antylamon (mau);

Cerberusmon;

Arkadimon Ultimate.

Eles ficaram reunidos até que algo começava a acontecer no meio deles. Era como se fosse uma fumaça de coloração avermelhada. Talvez algum tipo de magia ou poder fez com que a fumaça criasse forma até começar a se concentrar. O seu meio começou a expandir e aparecer alguém. Porém não que a pessoa esteja aparecendo dentre a fumaça, mas sim apenas a imagem. Era Barbamon.

— Boa noite meus caros. Então como sabem ou saberão, uma das nossas minas de metal Chrome-Digizoide foi roubada. Não sabemos exatamente qual é a quantia, porém temos uma teoria de que tenha sido cerca de cinco milhões de Digizones — falou um ser com uma longa barba e uma roupa mística e gótica se comunicando com os demais. Era Barbamon.

— Essa pessoa é tão idiota que se arriscou a toa. Roubou-nos na cara de pau e ainda acha que vai sair impune dessa — falou Arkadimon. Um ser grotesco e muito forte com grandes garras vermelhas.

— Devemos nos preocupar com coisas mais importantes do que isso — retrucou Vademon. Um ser alienígena e o menor do grupo.

— O “idiota” que nos roubou, segundo minhas fontes, era um pirralho com um parceiro. Provavelmente outro escolhido que não faz parte do grupo principal. Deixa-o por enquanto, não há ameaça nenhuma. É um insignificante e pobre coitado ladrão. O que importa agora é gerar um golpe de estado contra os escolhidos principalmente contra o Paulo e o Beelzebumon — disse Myotismon. O dito cujo era branquíssimo e possuía um olhar gélido. Vestia uma capa preta sobre uma farda azul costumeira. Alguns morcegos voavam ao seu redor. O curioso é que ele tinha madeixas negras ao invés do louro costumeiro. Este era moreno.

— Com certeza teremos muitas chances para fazê-lo. Agora não devemos nos arriscar muito. É perigoso confrontá-los de frente. Por isso eu tive uma ideia muito importante — respondeu o barbado.

— Qual é a sua ideia? — perguntou SkullMeramon. Um ser muito parecido com um homem forte carregando algumas correntes pelo corpo e que tinha uma face metálica.

— Contratarmos um assassino profissional. Todavia eu não conheço ninguém livre com experiência suficiente. Então tive pensando num certo Digimon...

— Barbamon que tipo de assassino você está pensando? — perguntou Cerberusmon. O único quadrupede do bando. Com uma aparência ameaçadora de um cão raivoso com alguns pelos brancos indicando uma possível juba.

— Existia um certo Digimon no passado que era um verdadeiro profissional na arte de matar. Era um profissional nato. Não deixava rastros. Havia muitas especulações de que o mesmo fora morto no passado, no entanto era apenas um boato. A verdade é que ele está preso na zona negra deste mundo. Numa ilha de segurança máxima em que se encontram os piores criminosos existentes. Tal prisão inibe os poderes de qualquer prisioneiro, por isso ninguém consegue escapar de lá.

— Como conseguiremos chegar a essa ilha? — perguntou Antylamon. Uma criatura alta que mais parece um Lopmon grande e esguio. Trajava um tipo de roupa com um lenço no pescoço.

— Eu já tenho um plano em mente. Para isso dois de vocês o libertará. Tenho um comboio com falsos prisioneiros. Então eu pensei em vocês, Vademon e SkullMeramon. Vão nesse comboio e logo em seguida tem um navio menor esperando por vocês. Os demais aguardarão aqui.

— Caro Barbamon onde você está?

— Caro Myotismon eu estou saindo de Nova Digicity para Las Merinas. Não quero fazer feio para os idiotas dos escolhidos. Eles vão dar um campeonato nessa cidade futuramente e será nessa oportunidade que atacaremos.

A fumaça se dispersou e a imagem de Barbamon se desfez deixando os demais no esconderijo.

DARK AREA, PRISÃO DIGIMON.

A prisão Digital era uma penitenciaria situada na área negra e mais isolada. Um local onde se encontrava os digimons mais perigosos de todos os tempos. Uma ilha isolada no oceano Net e são pouquíssimas vezes avistado algum meio de locomoção por perto, como barcos ou navios. Precisava ser afastada de tudo e de todos. Alguns digimons serviam como vigilantes e revezavam os turnos 24 horas por dia. Poucas vezes havia pausas para descanso.

Um comboio vindo do norte trazendo alguns prisioneiros se aproximava da ilha. Era parecido com um navio cargueiro. Os vigias — a maioria digimons máquinas — permitiram a ultrapassagem do comboio.

Numa das alas mais críticas e isoladas havia uma cela. A última e a mais afastada. Um ser maluco e muito perigoso se encontrava. Um Digimon que desde os tempos primitivos era cativo da sociedade e de todos. Um ser esquizofrênico e louco por vingança. Um ser sem escrúpulos, sem nenhum resquício de arrependimento. Usava um traje azul como se fosse um terno de listras bem surrado e sujo devido ao tempo que passou preso, uma máscara com olhos vermelhos e cabelos brancos. Sua expressão era inexpressiva, apenas um semblante frio e sem nenhum sentimento aparente. Agora ele ficou no canto da cela esperando por algo.

O comboio desembarcou minutos depois. Logo os prisioneiros foram descendo de um por um. Alguns Golemons ficaram de vigília. De repente os prisioneiros começaram a atacar todos os guardas da prisão. Eram monstros máquinas além de outros. Alguns Tankmons, que eram “prisioneiros” começaram a lançar mísseis contra as paredes do prédio.

Os prisioneiros ficaram alerta com o bombardeio. Vários guardas saíram a fim de combater contra os invasores. Enquanto isso o maluco aguardava ansiosamente na sua cela até a chegada dos futuros comparsas. Parece que até ele sabia que isso aconteceria.

Um SkullMeramon juntamente com um Vademon entraram na prisão resgatar um certo Digimon.

— O Barbamon sabe o quanto ele é perigoso? — perguntou o ET ao maior.

— É claro que sabe. Por isso nos mandou tirá-lo daqui — respondeu o maior.

Eles andaram em todas as celas até chegar à parte mais solitária da cadeia. SkullMeramon controlava a temperatura o quanto podia para que não incendiasse tudo ali. Aliás, a prisão toda era úmida e sombria. Com densas neblinas no lado de fora e um aspecto medieval dentro. Chegaram a frente à cela do louco. Vademon desintegrou a porta de aço à sua frente e permitindo a passagem do prisioneiro.

— Vamos saia depressa — disse Vademon.

O prisioneiro saiu e foi com os dois embora. Os guardas foram derrotados de um por um. Os três aproveitaram a guerra que acontecia e pegaram um navio menor e zarparam imediatamente deixando os demais para trás.

— Finalmente o chefe acertou em cheio e escolheu um verdadeiro sádico pra fazer parte da equipe — disse Vademon.

— Ei você fica quietinho aí e siga as ordens desse cabeção. Ei seu cabeção fique aí de olho nele — falou Skull saindo do convés e entrando no interior da embarcação.

O sujeito ficou apenas sentado e falando sozinho até que olhou para o Digimon alienígena e soou poucas palavras.

— Ei brother estou com sede. Quero água...

— Hum... olha só fique quieto aqui. Não saia por decreto algum. Eu trarei a sua água.

O alienígena saiu do convés e foi pegar em algum lugar do navio um copo com água. Ao retornar viu o Digimon na beirada da proa esperando por algo. Vademon logo pegou a sua arma laser e apontou. Mandou-o parar e voltar.

— Nem tente fugir. O nosso chefe foi quem te soltou agora ele tem direito sobre você assim como ele tem por nós.

O sujeito se virou e saiu caminhando até o outro. Sem se intimidar com a arma de raio ele ficou bem próximo. Assim que ficou perto ele praticamente tele transportou e surgiu atrás do outro e segurou-lhe os punhos o fazendo soltar a arma. Começou a dizer algumas palavras para o seu refém.

— O que está havendo? — perguntou SkullMeramon chegando bem na hora.

— Meu chapa sou apenas um sádico que adora se divertir matando os outros e fazendo outras coisas mais. Não sou um passarinho pra viver em gaiola. Vivo como quero e trabalho como quero. Fale ao seu chefe que eu tenho um preço. Cês vão falar isso para ele.

— Então como é o seu nome? — perguntou Skull.

— Cara conheça-me apenas por Astamon. Esse é o meu nome. Agora se me derem licença, cavalheiros a minha deixa está chegando — disse olhando para algo se aproximando do navio.

Astamon libertou Vademon, mas jogou a arma no oceano. Depois se aproximou da proa novamente. Logo em seguida um Gigadramon apareceu e o levou para longe dali.

— Eu sou um caçador e um louco. Adoro todo o tipo de caçada — disse enquanto se deslocava sobre o outro — Ei cara me deixe lá no litoral mais próximo.

— Se precisar da minha ajuda novamente é só me chamar que estarei à disposição — falou o gigante voador.

Ele foi embora sobre o outro monstro até o litoral mais próximo. Muito provavelmente ele será um grande inimigo dos escolhidos.

♥ ♦ ♣ ♠

Continua no capítulo seguinte...



Notas finais do capítulo

E aí o que acharam desse ENORME capítulo? Juro que não faço mais capítulos grandes como esse não, é pq veio um prólogo importante junto. Olha só alguns personagens do Luz vs Trevas apareceram então eu não os descrevi propositalmente senão não terminava. Se quiserem as características dos meus personagens é só perguntarem por MP que eu digo.

Sim Um Astamon será o novo grande vilão da fic junto de Naomi e Barbamon. Vai aparecer mais vilão, aguardem kkk Olha só os demais escolhidos só aparecerão nos demais capítulos. Aguardem.

Ah comentem dizendo o que acharam.

Enfim até o próximo capítulo. ^^

GENTE SÓ UM AVISO: EU PARTI ESSE CAPÍTULO INICIAL EM DOIS POIS ESTAVA MUITO PESADO PARA UM COMEÇO. ENTÃO AQUI SERÁ O PRÓLOGO E O PRIMEIRO CAPÍTULO O SEGUINTE. QUEM QUISER COMENTAR NESSE OU NO OUTRO OU NOS DOIS PODE VIU HEHEHE :P



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "D.N.A Advance: Nova Ordem do Século" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.